Nota pública de repúdio sobre a legalização do aborto no Brasil.

Por Diocese de Rubiataba-Mozarlândia

A Constituição Federal, no seu artigo 5º, ao descrever os direitos e deveres individuais e coletivos, garante “aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida”. No entanto, desde muito tempo, forças se levantam na tentativa de legalizar o aborto no Brasil. 

Ao Católico Batizado é preciso lembrar que o desejo de Jesus é que “todos tenham vida e vida em abundncia” (Jo 10,10). Mais uma vez se levanta na “Terra de Santa Cruz” o desejo de se impor uma agenda de legalização deste crime contra a vida indefesa no ventre materno. Dom Adair José Guimarães, em nota, repudia toda e qualquer tentativa de mudança da legislação vigente que promova ou facilite a interrupção da gravidez. Além do mais, conclama todos os católicos a se posicionarem contra tal ação, sobretudo por meio das orações. 

DIOCESE DE RUBIATABA E MOZARLÂNDIA

 Dom Adair José Guimarães, Bispo Diocesano

NOTA PÚBLICA SOBRE A LEGALIZAÇÃO DO ABORTO NO BRASIL

Está em vias de ser julgada no Supremo Tribunal Federal a Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) nº 442 que, em suma, poderá abrir nosso país à prática do aborto. Nesse momento delicado, entendemos por bem vir a público expressar nossa preocupação com o julgamento mencionado.

Já desde há muito tempo, poderosos organismos internacionais tentam legalizar o aborto no Brasil, tentativas essas que sempre fracassaram dada a heróica resistência de nosso povo, cuja maioria esmagadora é contrária à prática desse ato. O Congresso Nacional, casa em que os anseios verdadeiros do povo brasileiro encontram o devido acatamento, tem rejeitado qualquer alteração legislativa que vise a legalizar a prática do aborto ou mesmo a ampliar as possibilidades de que ele venha a ser praticado sem punição na esfera criminal. Trata-se de uma decisão política de um Poder da República e não de uma omissão de nossos legisladores.

O povo brasileiro e as instituições democráticas precisam ser alertados de que o que está em curso no Supremo Tribunal Federal nada mais é do que uma tentativa espúria de dobrar o Poder Legislativo (cujos membros são eleitos pelo povo) ao Poder Judiciário (cuja cúpula representada pelo Supremo Tribunal Federal foi toda ela indicada pelos últimos presidentes da República). De fato, em países nos quais a consciência cristã já foi enfraquecida pelo laicismo e pelo individualismo, a tática destes grupos de pressão tem sido a de recorrer a plebiscitos e fazer o aborto triunfar pela manifestação direta da população (como recentemente aconteceu com a Irlanda). Já no Brasil, onde a fé cristã em suas vertentes católica e protestante ainda é parte importante da vida da quase totalidade da população, o que se tenta é conseguir, via Poder Judiciário, aquilo que jamais se conseguiria pela votação direita ou mesmo por meio de leis democraticamente aprovadas.

Devemos lembrar que o Supremo Tribunal Federal é apenas o guardião máximo das leis e da Constituição Federal. Caso julgue procedente a ADPF nº 442, os onze Ministros de nossa corte maior estarão atribuindo a si mesmos um papel que não lhes cabe: o de senhores das instituições, funcionando como agentes de crises e fomentadores de uma ruptura institucional que parece cada vez mais inevitável. Rogamos, assim, a Deus, por intermédio da Virgem de Aparecida, Rainha e Padroeira do Brasil, para que ilumine os Ministros do Supremo Tribunal Federal, dando-lhes a consciência da gravidade da situação atual, encorajando-os a que se limitem ao seu papel institucional.

E rogamos a todos os católicos sob nosso cuidado pastoral a que se ergam em defesa da vida, seja privadamente com orações, seja fazendo ouvir suas vozes publicamente de modo a evitar que o mal do aborto venha a ser permitido em terras brasileiras.

Mozarlândia – Go, aos 20 dias de junho de 2018

Dom Adair José Guimarães

Bispo Diocesano

12 Comentários to “Nota pública de repúdio sobre a legalização do aborto no Brasil.”

  1. Parabéns ao senhor Bispo por cumpriu seu dever de orientar aos fies, quero ver o mais rápido possível uma nota igual a essa emitida pela CNBB.

  2. Bem argumentado e situado quanto às táticas dos grupos de pressão e a ingerência do Judiciário sobre o Legislativo.
    Entretanto, é esdrúxulo que um católico (?) diga algo como “a fé cristã em suas vertentes católica e protestante” ,como se houvesse alguma paridade entre a fé da única e verdadeira Igreja de Cristo e bufonaria grotesca das seitas protestantes que enganam, corrompem e tosquiam o povo.

    • “a fé cristã em suas vertentes católica e protestante”

      Ah! Tinha esquecido. Depois do Vaticano II (e por causa dele) concluiu-se que a Igreja de Jesus Cristo é uma federação de palafitas e barracos com telha de amianto cada qual com a sua doutrina complementar do grande todo múltiplo e plural que sonda o mistério-crístico-eclesial-da-unidade-na diversidade-da-intercomunhão-na-pátria-grande-do-reino-que-também-é-nosso.

      Desculpem…

    • Acredito que ele não quis equiparar mas, sim, enfatizar que a imensa maioria dos brasileiros é contra por motivos também de fé.

    • Menos… Por favor! Apoia quem defende a vida! Ficas procurando algo para criticar. Jesus fará o mesmo contigo: “…da mesma maneira que julgas, serás julgado”.
      Nossos irmãos protestantes são tão amados por Jesus, como qualquer outra pessoa. Eles também lutam contra práticas não cristãs. Teriam culpa de serem criados nesta fé?
      Creio que minha Igreja Católica seja a verdadeira Igreja de Cristo. E, exatamente por isto, sei que muitos terão o tempo de reconhecerem este fato, além de serem boas pessoas, como qualquer católico verdadeiro. Podes dizer que todos os católicos são vefdadeiros e fiéis? E o mesmo de todos os evangélicos ou de todos os protestantes?
      Com certeza, não!
      Apoia quem luta por Deus! Não mete uma faca, por se referir ou estar em outra Igreja. Mostra o Amor que Cristo nos ensinou, para conquistar. Não critiques, para não afastar!

    • “Nossos irmãos protestantes são tão amados por Jesus, como qualquer outra pessoa”.
      -Resposta: É verdade que “Deus não faz acepção de pessoas”, mas também é verdade que Ele detesta a mentira, o protestantismo é uma mentira, e o “pai da mentira é o diabo”. Ergo.

      “Eles também lutam contra práticas não cristãs”.
      – Resposta: Falso. Há seitas que combatem o aborto; outras não. Informe-se melhor.

      “Teriam culpa de serem criados nesta fé?”
      – Resposta: ninguém tem culpa objetiva da desgraça de ter nascido numa seita herética. No entanto, todos estamos obrigados a procurar a verdade e a abraçá-la uma vez conhecida. Os hereges protestantes devem se informar sobre a doutrina da verdadeira Igreja em lugar de denegri-la e recusá-la com soberba e obstinação como costumam fazer por instigação do diabo e da própria ignorância (muitas vezes culposa).

      “Creio que minha Igreja Católica seja a verdadeira Igreja de Cristo”.

      -Resposta: a Igreja não é sua. A Igreja é de Jesus Cristo. O pronome pessoal “minha” dá a entender também que há mais de uma Igreja, o que é falso. No credo se diz: “Creio na Igreja, una, santa, católica e apostólica”. Ninguém diz: “creio na minha Igreja”.

      E, exatamente por isto, sei que muitos terão o tempo de reconhecerem este f”ato, além de serem boas pessoas, como qualquer católico verdadeiro.

      -Resposta: Ninguém pode estar seguro da conversão de ninguém. Sua esperança, embora aparentemente caridosa, é infundada e temerária. É justo supor que alguns protestantes sigam a lei natural, assim como há também pagãos que a seguem. Nesta medida, eles podem se dizer “bons” sob certo aspecto (secundum quid). Mas sem a verdadeira fé sobrenatural “é impossível agradar a Deus”.

      “Podes dizer que todos os católicos são vefdadeiros (sic) e fiéis?”
      – Resposta: Infelizmente, os católicos são como “ovelhas sem pastor”. Por isso mesmo, nem sempre conseguem ser bons cristãos por lhes faltar a pregação da Palavra divina, a instrução moral e a correção dos costumes, bem como a correta dispensação dos sacramentos da Nova Lei.

      “E o mesmo de todos os evangélicos ou de todos os protestantes?”
      – Resposta: Os únicos “evangélicos” que existem no planeta são os católicos, pois a única Igreja evangélica é a Igreja católica, sendo como é a única que histórica e doutrinalmente se entroca na pregação evangélica dos Apóstolos e do próprio Salvador. Os hereges protestantes chamam-se a si mesmos de “evangélicos” porque o diabo e a soberba assim os inspiram.

      “Apoia quem luta por Deus! Não mete uma faca, por se referir ou estar em outra Igreja.”
      – Resposta: Apoio total à denúncia anti-aborto do Bispo. Mas quem tenta “meter a faca” é a senhora, ao defender os hereges e atacar o que a Igreja sempre ensinou e ensinará até até a consumação dos séculos: que há uma só Igreja.

      “Mostra o Amor que Cristo nos ensinou, para conquistar. Não critiques, para não afastar!”
      – Resposta: As críticas verdadeiras só afastam os soberbos, assim como a mentira e a adulação só agradam os medíocres. Sugiro que a senhora componha o próximo hino da Campanha da Fraternidade”, pois essa sua última frase combina deveras com um xaxado.

  3. CNBB acorda! Seja fiel a Jesus! Não o traia!

  4. “Eu vim para que todos tenham vida e vida em abundância” (Jo, 10-10)

    Parabenizamos a iniciativa de Dom Adair José Guimarães, Bispo Diocesano em defesa da Cultura da Vida. Historicamente, o rei Herodes ordenou a matança escandalosa de todas as crianças abaixo dos 2 anos. Como a história se repete: o primeiro país do mundo a legalizar o aborto foi a antiga União Soviética comunista (1920). O segundo, foi a Alemanha Nazista (1935). Deploramos a posição dos “novos” Herodes (CFM, ONU: agenda pró-aborto, Governo federal, STF, Partidos de Esquerda, Fundações Internacionais: Ford, Rockefeller, MacArthur, OAK Fundation e Global Fund for Women. É preciso denunciar aos quatro ventos os Sinais de Morte (aborto, suicídio assistido, eutanásia, liberação das drogas, guerras, violência…). Aborto é conseqûência, jamais causa (sexo precoce, famílias desajustadas, DIU, pílula do dia seguinte, sociedade hedonista, culto ao corpo, cultura do descartável: nascituros, falta de temor de Deus…). A cultura da morte tem avançado no mundo com auxílio de Satanás (homicida desde o princípio). Todavia, a lei de Deus é bastante clara e objetiva: “Não matarás” (Ex 20,13). Segue a advertência de Deus: “Os céus e a terra tomo hoje por testemunhas contra vós, de que te tenho proposto a vida e a morte, a bênção e a maldição; escolhe pois a vida, para que vivas, tu e a tua descendência” (Deuteronômio 30:19). Não será preciso estudar embriologia para saber que, desde 1827, graças a Karl Ernest von Baer, ficou assentado que, a partir da concepção, existe uma nova vida. Detalhe: o coração do bebê-embrião começa a bater a partir do 20º dia da concepção e só irá parar de bater na sua morte (mesmo com morte cerébral, o coração continuará batendo). Com efeito, quando uma “civilização”, em nome da liberdade e do puro positivismo jurídico, sobrepõe a liberdade ao direito à vida, tem início um perigoso processo. A esse filme nós já assistimos no século XX (eugenia de Hitler, Bill Gates,Dan Brown…). A maioria decidindo quando, como e em que circunstância uma minoria pode morrer. É a liberdade para o holocausto.É por isso que o Papa João Paulo II sentenciou, em seu último livro, que o direito à vida é um limite da democracia. Ultrapassando esta linha VERMELHA a humanidade estará sujeita à barbárie!
    “Num momento histórico em que o homem adquiriu um poder até agora impensável, esta tarefa torna-se particularmente urgente. O homem é capaz de destruir o mundo (Guerra nuclear: Coreia do Norte, Irã…). Pode manipular-se a si mesmo. Pode, por assim dizer,criar seres humanos (clonagem) e excluir outros seres humanos de serem homens (aborto). Como reconhecemos o que é justo? Como podemos distinguir entre o bem e o mal, entre o verdadeiro direito e o direito apenas aparente? O pedido de Salomão permanece a questão decisiva perante a qual se encontram também hoje o homem político e a política. Grande parte da matéria que se deve regular juridicamente, pode ter por critério suficiente o da maioria (democracia: ditadura da maioria). Mas é evidente que, nas questões fundamentais do direito em que está em jogo a dignidade do homem e da humanidade, o princípio maioritário não basta: no processo de formação do direito, cada pessoa que tem responsabilidade deve ela mesma procurar os critérios da própria orientação”, afirmou Bento XVI no seu histórico discurso no parlamento alemão (22/09/11).
    Espero que o Deus dos Exércitos interceda pessoalmente na defesa do Nascituro e faça justiça, doa a quem doer, custe o que custar.

    Em tempo: A tese levada pelo PSOL ao STF (ADPF) afronta o Juramento de Hipócrates quando o médico promete defender a Vida Humana em plenitude. Nestas condições, a legalização do aborto é imoral, ilegal e inconstitucional, pois, atropela o princípio da inviolabilidade da vida, prescrito pelo artigo 5º da Constituição Federal/88, ao legalizar o assassinato de crianças no ventre da mãe. É, reitero, um verdadeiro Projeto Matar. Lamentavelmente, muito cristão está sendo “inocente útil” ou, pior, verdadeiro “lobo em pele de cordeiro”. “Se vocês se calarem, as pedras falarão”, afirmou Jesus. Por favor, parem de “ASSASSINAR” a Semântica: aborto é aborto seja aqui no Brasil ou no Japão (a língua portuguesa agradece!). Jamais frases do tipo “direito à interrupção da gravidez” ou “direito da gestante” “direito de decidir” serão reconhecidas pelas Ciências Jurídicas, pelo simples motivo de não serem DIREITOS, mas tão-somente “supostos direitos” ou “pseudodireitos’, tendo em vista que o verdadeiro DIREITO é a VIDA e jamais será a MORTE!

  5. Só mesmo um material-ateísta, associado aos 3 irmãos genocidas comunonazifascistas-maçonaria, os quais encarnam a Serpente do Éden atualizados ao modelo desse mundo relativista presente para ser um pró aborto, adepto das atuais relativistas ideologias, embora muito fácil verbalmente ser a favor após vir à luz; apreciaria eu saber se aceitaria passivamente ser abortado e se se disporia a sê-lo sem reagir, se existissem condições de relutancia, quando embrionario!
    Uma é garantida: os abortistas todos já nasceram e agora conspiram contra os nascituros, sendo a suma oposição ao resumo da doutrina cristã católica, embora cabível aos discípulos de Marx e quem, sabendo de suas tramas e ainda mais se ocupando cargos hierárquicos não os combate, assim contradizendo-se por gravíssima omissão de pregar e os denunciar ao povo sob o: “Amarás ao Senhor Deus de todo o teu coração e ao próximo como a ti mesmo”!
    Comenta-se e muito nos ambientes anti cristãos que o “não” à prática, a qualquer tempo é um ponto de vista de retrógrados, pessoas alheadas ao momento histórico e volúvel, anti modernismo etc., como se agora estivéssemos no tempo de assassinar alguém “sem culpa”, cabendo ideias desse naipe apenas em mentes recheadas de esterco marxista!
    No século XXI não pode fechar os olhos às provas e avanços que a ciência vive constantemente, caso atual das ecografias que resultam até em intervenções intra-uterinas, o DNA e código genético comprovam que ali já existe um ser humano que é já diferenciado dos pais e que já é uma pessoa em formação, tal como os conspiradores contra essa vida; nem os animais irracionais procedem dessa maneira sumariamente abortando seus filhotes!
    Violação explícita e proposital do 5º Mandamento das Leis de Deus sob o eufemismo de “interrupção voluntaria da gravidez”!

  6. “Um forte rei, torna a fraca gente forte. Um franco rei, torna uma forte gente fraca.” Bem, não sei se é escrita dessa forma, mas é o que de fato ocorre ao Católicos. Recordando o ano de 1993 ou 94, os outrora chamados “tradicionalistas de Campos”, por meio da União Sacerdotal São João Batista Maria Vianney, coletaram milhares de assinaturas contra um projeto que pretendia a legalização do aborto. Dezenas de artigos, depoimentos, trabalhos científicos foram publicados no falecido jornal católico Ontem, Hoje e Sempre defendendo a vida desde a concepção. Nas homilias os sacerdotes veementemente rechaçavam tal crime hediondo, que clama ao Céu pedindo vingança. Nas reuniões das valentes associações religiosas ( Liga Católica, Apostolado da Oração, Congregações Marianas, Filhas de Maria, Cruzadas Eucarísticas. e tantas outras) o assunto era pauta certa: “Legalização do aborto: não seja cúmplice deste crime.” Conseguiram um grande número de assinaturas, e levaram ao Congresso por meio de um deputado e assim adiou-se tamanho crime. Hoje infelizmente, ainda que haja debates na mídia, o mau comportamento, comportamento omisso ou pouco taxativo, de nossos prelados, faz com que seja minimizado a gravidade do crime, ou melhor do PECADO, que é o aborto. Mas uma vez a tal da “tolerância para o erro”, faz com que um tratamento cortes seja dado aos que defendem diretamente e aos que propagam esse mal em programas, telenovelas, etc. Somos, pelo menos dados do IBGE a maioria cristã no Brasil e Católica. Como não conseguimos ” enterrar” esse revolta contra Deus no Congresso, que ainda é feito pelo voto da maioria? De 513 deputados e 81 senadores, se cada estado da federação elegesse um deputado e senador Católico com letra maiúscula, seriam 27 deputados e 27 senadores. conseguiram dar trabalho e até mesmo enterrar esse assunto aos que conspiram contra Deus. Os protestantes conseguem se organizar e fazer se respeitar no legislativo, casa onde sim emana as leis, e se todos os grupos que são contra a morte covarde de seres humanos se unissem, a ideologia do aborto já estaria eliminada nas normas legais e por conseguinte as decisões judiciais seriam apenas para questões de na extrema necessidade de salvar um vida, aí sim seria a mais certa. Brechas e desvios são usados para devagarinho, devagarinho tornar legal juridicamente, o crime do aborto. Temos eleições nesse ano, o foco nosso é eleger um legislativo no mínimo moralmente correto: a favor da vida, a favor da ordem natural, contra as liberdades que egocêntricas e que causam a desordem. Por mais que um chefe do executivo venha a ser eleito com bons valores, será impossível combater um legislativo podre. Partidos Políticos não querem saber do Reinado Social de Nosso Senhor, na sua grande maioria já trazem marcados em seus estatutos, cartilhas os dizeres: fora Deus, fora Igreja, fora Conservadorismo! Causa tristeza em ver “padres ” , “religiosos” , pelo menos fazem questão de manter o título, perfilarem partidos totalmente anti Cristão, anti Deus. Há siglas partidárias que nós cristãos nem deveríamos mencionar pois são um codinome do encardido. Há outras que embora não sejam assim, mas dentro de sua ideias, rezam a cartilha do ateísmo, do liberalismo, do homem a cima de tudo. Tomemos muito cuidado marquemos não o que “eu” acho, eu acredito, mas sim lutemos pelo Reinado Social de Nosso Senhor. Não esqueçamos que Ele já venceu o mundo, daí o desespero dos maus é se exporem sem vergonha alguma, de levar nossas crianças ao mau, de destruir a família, de ridicularizar os Mandamentos, os valores morais. Com Sua Morte e Ressurreição, Cristo já venceu o mundo, o demônio e carne, cabe agora a nós marcar de que lado estamos. E isso se faz não “perdoando” os que erram, mas rezando, evitando os que erram e seus erros. Para encerrar se ao menos dos mais de 200 bispos que temos no Brasil, usassem dos meios de comunicação que e professassem sua Fé no Deus da Vida, a história seria diferente. Mas a forte gente, pode e deve sim mostrar sua força, não servimos a mundo, não servimos ao ecumenismo humano; servimos ao Deus que nos criou, e nos ama desde toda eternidade.

  7. Do meu singelo ponto de vista, acredito que o assunto é tão grave e assustador que se prender ao que é secundário, apenas e tão somente, neste assunto é um equívoco. Precisamos do apoio de cada ser humano que seja contrário ao assassinato que é o aborto. Se há algo em comum entre católicos e aqueles que se separaram da nossa amada Igreja, que este algo nos una para lutarmos a favor da vida.

    Na verdade, louvo a iniciativa de Dom Adair, bem como do Bispo Auxiliar aqui de Brasília que exortou os fiéis daqui a participarem da Marcha a Favor da Vida que aconteceu no mês passado. Também o pessoal do Centro Dom Bosco, que promoveu uma ação no Rio. Precisamos de oração. Precisamos mostrar a força da nossa fé. Não nos mandaram sair em missão? Que saiamos a favor daquilo que é nossa fé, pura e verdadeira.

    Se em cada Catedral deste país fossem feitas vigílias com numerosos fiéis, aqueles que aprovam um dos mais graves pecados tremeriam. Mas infelizmente as pessoas preferem lotar as festas de São João, preferencialmente chegando depois da missa.

    Precisamos de missas de desagravo por tudo isso. Estamos ofendendo o Sagrado Coração mais e mais a cada dia. Sugira ao seu pároco. Sugira também a ele contar o que vem ocorrendo e condenar o aborto nas missas dominicais. Padres que caminham na via da santidade não irão se opor.

  8. Nossa Senhora Aparecida, intercedei pelas crianças do Brasil!