Igreja e gayzismo. FratresInUnum citado na Folha de São Paulo.

Publicamos apenas para registro. Vale a pena conhecer mais sobre o pensamento do padre Marcus Mareano, aqui e aqui.

Católicos LGBT organizam movimento para reivindicar mais espaço na Igreja

Anna Virginia Balloussier, Folha de São Paulo, 23 de julho de 2018 – Mulher com mulher é pecado? Os padres viviam dizendo a Cristiana Serra que sim. O coração dela indicava que não, mas quem ela era para bater de frente com o que lhe convenciam ser a vontade de Deus? “Só no final da adolescência pude finalmente chamar meu primeiro amor pelo nome certo. Até então, tinha sido um sofrimento inexplicável por causa da minha ‘melhor amiga’.” Cristiana é lésbica. Não vê isso como opção. É orientação sexual. Lésbica e ponto. É também católica praticante, do tipo que faz questão de comungar (receber a hóstia). Uma fé que, para ela, nunca esteve aberta a negociações.

Só que a homossexualidade é condenada pelo Vaticano, o que faria dela uma pecadora aos olhos de Deus. Ela já acreditou nesse papo. Não mais.

Hoje Cristiana, 44, não vê nada de errado em frequentar a missa e a Parada Gay. Presidente da Rede Nacional de Grupos Católicos LGBT, liderou em junho o segundo encontro do coletivo, numa casa franciscana em São Paulo.

Da reunião saiu um manifesto para difundir a proposta “com todas as pessoas que são excluídas da Igreja e/ou da sociedade em virtude de sua identidade de gênero e/ou orientação sexual”.

O grupo comemora pequenos avanços, como um texto do mês passado em que o Vaticano, pela primeira vez, usa a sigla LGBT (de lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros). Trata-se de documento preparatório para um encontro de bispos que discutirá, em outubro, “os jovens, a fé e o discernimento vocacional”.

Diz o texto: “Jovens LGBT desejam […] experimentar uma atenção maior por parte da Igreja, enquanto algumas conferências episcopais perguntam-se sobre o que propor aos jovens que em vez de formar casais heterossexuais decidem constituir casais homossexuais e, acima de tudo, desejam estar perto da Igreja”.

Luís Corrêa Lima, padre jesuíta e professor de teologia da PUC-RJ, apontou o ineditismo em artigo. “Francisco é o primeiro pontífice a utilizar publicamente o termo gay, dando-lhe também conotação positiva: ‘Se uma pessoa é gay, busca o Senhor e tem boa vontade, quem sou eu para a julgar’? Anos depois, ampliou a pergunta: ‘Quem somos nós para julgar?’ Ou seja, também os outros devem se abster de julgamento. Chamar o outro como ele (ou ela) quer ser chamado é sinal de respeito.”

Para Cristiana, essa “imagem progressista” do papa não é precisa. “Questionamos muito a atitude de esperar que o papa mude alguma coisa, como se tivéssemos de aguardar algum tipo de autorização vinda do alto da hierarquia para podermos ser Igreja. Isso nós já somos.”

Mas Francisco tem o mérito de defender uma Igreja que “se dirija às periferias existenciais”, diz. “Essa atitude tem mudado todo o clima da Igreja. Não à toa, de dois anos pra cá, surgiram oficialmente quatro pastorais da diversidade no país.”

Duas ficam em Belo Horizonte. Vigário na capital mineira, o padre Marcus Mareano, 34, afirma que a reação de conservadores foi feroz. “Esse grupos são maldosos.” Um deles, Fratres in Unum, publicou um texto intitulado “a agenda gayzista promovida a todo vapor na Arquidiocese”.

Inter-religioso, o encontro de junho teve convidados como Lilyth Ester Grove, antropóloga judia e transgênero, que disse que em seu caso “quando era bicha ok”, ao menos se comparado à “ousadia” de ser uma judia trans.

O reverendo Cristiano Valério, de fé protestante, rejeitou a imagem de “um Deus homem branco, cisgênero e velho”, ainda que pintado como “tão bonzinho que também aceita as bichas e os viados”.

Para Cristiana Serra, “não faz sentido” a Igreja excluir e ferir. “Cristo andava com os piores pecadores, os maiores párias da sociedade. Numa sociedade que acreditava que quem andasse com pessoas ‘impuras’ tornava-se ‘impuro’ também… Era com esses que Ele andava. Como será a Igreja desse Cristo? Uma que condena ou que acolhe e ama incondicionalmente?”.

28 Comentários to “Igreja e gayzismo. FratresInUnum citado na Folha de São Paulo.”

  1. Gente sem vergonha. Querem adulterar o Evangelho e a Lei de Deus. Jesus andava com pecadores para os converter e tirá-los do pecado. Essa fulana quer viver no pecado contra o sexto mandamento e continuar comungando. Isto leva para o inferno. Converta-se enquanto é tempo, pois o juízo particular chega rápido.

    • Nesta expressão usada pela senhora: “Cristo andava com os piores pecadores, os maiores párias da sociedade…” Vejo que, implícita ou explicitamente, ela própria, classifica-se como tal.
      Por esta razão, sem entrarmos em juízos, de valor, considero que está a dar-nos inteira liberdade para usarmos esse tipo de discurso, relativamente aos grupos LGBT.
      Lamento ter que dizer, mas infelizmente estas pessoas são, de facto “impuras” e “contaminam”, sim as mentes dos mais frágeis.
      Rezemos muito por estas pessoas e peço aos jovens que se afastem delas, como se fossem leprosos. Que Nossa Senhora defenda esta Sociedade tão “podre”.
      Não devemos, sequer dialogar com o inimigo, mesmo que nos rotulem de “conservadores ferozes”. Mas devemos, continuar a denunciar o erro, porque se não falarmos, “até as pedras falarão”.

    • Só “esquecem” de um “detalhezinho”: vá e não peques mais…

  2. A Igreja (assembleia, grupo de fiéis) de Cristo tem de ser inclusiva e acolhedora. A Igreja tornada institucional desde cedo se distanciou dos ensinamentos de Cristo. Fruto de uma interpretação à medida dos homens (e dos seus interesses), muitos pontos da doutrina foram sustentados nas passagens mais violentas (e até desumanas) e verdadeiramente homofóbicas da Bíblia (desde o AT até textos de São Paulo).

    Enquanto a religião – seja qual for – não for regada por uma plena e profunda espiritualidade (e no futuro, substituída por esta), será sempre um factor fomentador de guerras, ódios e intolerâncias. E isso é o que o mundo e as pessoas menos precisam. Enquanto as religiões não se centrarem na pessoa – querida e amada por Deus TAL COMO ELA É (e não como gostaríamos que ela fosse) – e continuarem a reger-se por regras, tantas vezes concebidas através de parágrafos a roçar o deplorável e explicitamente violentos do Catecismo, por exemplo…a conversa do “amar a pessoa e odiar o pecado, a Igreja é tolerante, compassiva, Mãe e etc”…é completamente falsa, hipócrita de mais e tira toda e qualquer credibildade à Igreja Católica.

    Sim, o Papa Francisco não vai mudar grande coisa. É verdade. Tudo tem o seu tempo e estas coisas demoram. Mas é inquestionável que está a abrir caminhos, a ajeitar a terra para no futuro serem colocadas as sementes da autêntica espiritualidade cristã. Por um mundo melhor, bondoso, mais humano, compreensivo, tolerante. À imagem de Deus, que não é – de todo – esse “deus” pequenino e mesquinho, pouco preocupado com a situação real e complexa de cada pessoa e refém de cânones e regras humanas ditadas “em seu nome”.

  3. Fratres in Unum, suponho seja uma honra ser citado como opositor e inimigo dessa agenda. Parabéns.
    De resto, como se não bastasse uma pessoa ter contra si mesma a própria carne tão inimiga, tão subversiva, ainda vai se unir à escória moral mais virulenta e perversa, que são esses grupos promotores da agenda gayzista, e o resultado é: a pessoa fica cada vez mais cativa do pecado, que a leva à loucura. O arrependimento e a correção de vida, nesse estado de sujeição, ficam cada vez mais distantes.
    Lamentável que tantas almas se joguem voluntariamente nesses abismos.
    Quanto à “nova” orientação da Igreja, é como li um título de reportagem recentemente: “Jesus era misericordioso, mas nós somos mais”….
    Rezemos pela Igreja, para que reafirme o que sempre afirmou com Cristo a esse respeito.
    Quanto à nós, tratemos de zelar pelas nossas famílias estritamente, porque esse leão está rugindo ao redor de todas as casas, já sem exceção, para devorar nossos filhos. Qualquer diretriz, ainda que vinda de papa, bispo ou sacerdote, ou grupos pretensamente “católicos pelo direito de ser gays”, que aponte na direção de que o homossexualismo é inocente, mesmo que de forma velada, deve ser prontamente desmascarada por pais católicos diligentes.
    “A lei suprema é a salvação das almas”, disse um santo Arcebispo um dia.

  4. Parabéns FratresInUnum por defender a fé e Igreja de Nosso Senhor!

    Que o “sim” dos senhores continue sendo seu “sim” para que em tempos de “misericórdia para os misericordiosos” e perseguição ao “””maldosos””” que cumprem as “””maldades””” ensinadas por Nosso Senhor, o apostolado de vocês cresça cada vez mais…

  5. É a velha tentação de querer construir o seu próprio Cristo, a sua própria Igreja, a sua própria doutrina.
    Um santo afirmava que o inferno era pavimentado com o crânio de maus bispos, eu adiciono que tem as paredes feitas com o crânio de maus padres.
    Absurdo essa bagunça toda na Igreja.

  6. “Quando, pois, virdes que a abominação da desolação, de que falou o profeta Daniel, está no lugar santo; quem lê, entenda.”(Mateus 24:15) É publico e notório que mais uma vez a criatura se revolta contra o criador. Os anjos maus, demônios, “não servirei”; nossos primeiros pais pensaram em ser iguais a Deus, e desobedeceram comendo da árvore proibida. O próprio povo hebreu, apesar de todos os milagres e prodígios, na sua grande maioria se obstinaram a se revoltar contra o Seu Deus. Ao ser condenado a morte na Cruz, os gritos foram claros: não queremos que Ele reine sobre nós e sobre nossos filhos. Durante esses mais de dois mil anos os inimigos de Deus investiram contra sua obra santificadora, a Santa Igreja, para destruí-la com heresias, escândalos, guerras, etc. Sendo infrutífera suas armadilhas, focou então no próprio homem: a carne. A inversão da supremacia do Criador, sobre a criatura, começa então a deformar o homem. O homem é o centro do mundo, ele tudo pode, ele tudo consegue, a Deus resta aceitar o que o homem quer. É isso que se pregado pelos estados, países ateus, laicos, comunistas, naturalistas e egocêntricos. A criatura se declarou soberana e independente. O Criador agora é apenas um joguete, um ser mítico que serve apenas para justificar as atitudes da criatura, afinal quem cria não pode querer desagradar sua criatura. Voltado no texto supracitado, a abominação da desolação,referida é o templo físico de Jerusalém e por extensão a Igreja da nova aliança. Contudo, uma vez batizados, nós nos tornamos templos vivos de Deus, quando recebemos os Santos Sacramentos, recebemos a graça divina, Deus Nosso Senhor, habita na sua criatura. Por onipotência, toda criatura é parte do seu criador, seja por semelhança, seja por idealização da inteligência, logo o ser humano, ainda que não tenha sido batizado, é sim templo, não pela graça santificante do Batismo, mas por ser o sopro da vida do Seu Criador. Nada então mais lógico que deformar a criatura, degradar a criatura, para ofender o Seu Criador. O que vemos no texto é a mais completa deterioração da criatura humana. onde se diz que posso fazer do meu corpo, dos meus sentidos, das minhas paixões, das minhas vontades o que bem eu quero. A autoridade do Criador não existe. Infelizmente tudo isso é chancelado pelas palavras daquele(s) que deveriam zelar pelo reinado de Nosso Senhor. Os sofrimentos físicos do Salvador, foram para reparar todas as ofensas cometidas pela criatura ao Seu Criador, a coroação de espinhos, a flagelação, a nudez, tudo isso para reparar os pecados da carne. Pecados esses que hoje bradam aos céus pedindo vingança. O ser humano faz questão de conhecer o pecado a impureza alimentando paixões, desejos, atos, propagandas, inclusive agora com permissão de membros da Santa Igreja. Santo Agostinho já dizia que muitas pessoas são condenadas ao inferno, se não pelo pecado da impureza, mas também por esse pecado. Pecado esse expressamente proibido pelo 6º mandamento e 9º. Ainda não foi dado a autoridade alguma da Igreja Militante revogar esses mandamentos,bem como todos os demais. Sobre a tendência homossexual o Santo Padre Bento XVI, já teceu tudo o que é necessário, assim seus sucessores deveriam se reportar a esses ensinamentos para não levar os fiéis a confusão.

  7. O mundo anda tão absurdamente louco, tão insano, tão mergulhado no Maligno, num emaranhado enorme de pecados outrora inimagináveis, que educar catolicamente nossos filhos é uma tarefa de amor dos pais que não permite um dia de vacilo.

  8. O coração que subverte a ordem normal da natureza, pode não perceber claramente, mas lhe falta espaço para a plenitude do Espírito Santo. Na sã existência, disponibilizamos o máximo de espaço para a Graça Divina.

  9. A menção desse ‘padre’ deve servir de estímulo a que continuem a desmascarar os lobos. Parabéns

  10. … Católicos LGBT organizam movimento para reivindicar mais espaço na Igreja.
    LGBT sedizentes católicos organizam movimento para reivindicar mais espaço na Igreja – aí sim, dando o mesmo caso de “espíritas, umbandistas, candomblecistas sedizentes católicos etc.,”pois para Igreja católica de sempre, a tradicional, a aceitação incondicional desses católicos sem restrições é recente criação à sua margem de uma seita em pleno andamento de construção, dessa que está sendo presentemente montada desde o Vaticano!
    Folha de S Paulo? Só se for Folha de “sô” Paulo, pois de cara o nome do Evangelizador das nações nem deveria constar, sujando seu nome, pois esse noticiario não passa de um tremendo esquerdista, defensor das agendas relativistas das esquerdas, em varios sites conhecido como “Fôia de S Paulo, Fôia de recadinhos do PT, ultra defensor do marginal Lula e dos martelo e foice em geral etc.”!
    Aliás, juntamente com o UOL, idem, transmutador de tudo para interesses ideológicos dos vermelhos, radicalmente anti católico, além do DATAFOLHA, sempre colocando o mega salteador Lulampião e jagunços seus em primeiro lugar nas “pesquisas” e ações mais de refinados esquerdistas – eis aí o trio infernal do mesmo jornal!!
    … “Francisco é o primeiro pontífice a utilizar publicamente o termo gay, dando-lhe também conotação positiva: ‘Se uma pessoa é gay, busca o Senhor e tem boa vontade, quem sou eu para a julgar’? Anos depois, ampliou a pergunta: ‘Quem somos nós para julgar?’ Ou seja, também os outros devem se abster de julgamento. Chamar o outro como ele (ou ela) quer ser chamado é sinal de respeito.”…
    De fato, não podemos julgá-los, mas a começar dele, deveria também acrescentar que seus caminhos de prática dessa aberração são anti cristãos, potenciais violadores do 6º Mandamento, dos pecados que bradam aos Céus e acusado por varios *Altos Hierárquicos que seria das esquerdas, espalharia **heresias, confusão na Igreja e simpaticíssimo às esquerdas que são coligadas à maçonaria!
    “Acaso não sabeis que os injustos não herdarão o reino de Deus? Não vos enganeis; nem fornicários, nem idólatras, nem adúlteros, nem efeminados, nem sodomitas, nem ladrões, nem avarentos, nem bêbedos, nem maldizentes, nem roubadores herdarão o reino de Deus”. 1 Cor 6 9-10.
    Já vi não uma só vez casal gay comungar, acariciam-se até dentro da igreja e retornam à minha frente andando de mãos abanando: “Portanto, todo aquele que comer o pão ou beber o cálice do Senhor indignamente será culpável do corpo e do sangue do Senhor. Que cada um se examine a si mesmo, e assim coma desse pão e beba desse cálice. Aquele que o come e o bebe sem distinguir o corpo do Senhor, come e bebe a sua própria condenação. 1 Cor 11 27-29.
    Quem diz, como o papa Francisco aos Movimentos Sociais que são as milicias comunistas, a um renomado terrorista do PT, Stédile e a outros idem doutras falanges esquerdistas em seus encontros fraternais dentro do Vaticano “façam das suas as minhas palavras”, que para esquerdas de uns Maduro, Evo Morales, Mujica etc., uns comunonazifascistas., de teorias esdrúxulas desses e outros idem não lhes seria favorável?
    Pe Marcus Mareano? Seria de uma paroquia em BH que promoveu uma semana de como inserir os sodomitas sem restrições e pró Ideologia de Gênero?
    * https://fratresinunum.com/2015/02/10/carta-aberta-de-um-arcebispo-sobre-a-crise-na-igreja/
    **https://onepeterfive.com/bishop-schneider-prof-seifert-cardinal-caffarra-duty-resist/

  11. Sou do ABC paulista e nos tempos da criação do PT…Dom Cláudio Hummes era bispo…sede vacante nos meus tempos de criança e sede vacante em BH…tô usando muitas reticências pra ver aonde isso vai dar…Falta comando na Igreja e agora paro com as reticências e faço uma pergunta: a carne vai vencer o espírito e o Paraíso já é aqui? Homossexualismo é OPÇÃO pois ninguém nasceu defeituoso ou sem cérebro. Fomos criados à imagem e semelhança de Deus, então, Ele dá os meios pra vencer qualquer limitação. Tem “tesão” por pessoas do mesmo sexo? Acontece na história da humanidade. Como diz o Catecismo da Igreja Católica: é algo inexplicável, inclusive pela “toda poderosa” ciência. Tem a limitação? Vença-a na oração, nas obras de caridade, no livre-arbítrio, enfim, na vontade de servir ao Senhor! Perfeito aqui na Terra foi um só, Nosso Senhor Jesus Cristo, que derramou seu Preciosíssimo Sangue na Cruz por nossa Salvação. Sem mais delongas: o que vale mais? O verdadeiro Paraíso ou uma mera “gozadinha”?
    P.S.: desculpe-me muito o chulo nas aspas. Diversidade boa é contribuir para o todo, não dividi-lo ainda mais! Sou chefe de família, tenho mais de uma pessoa homossexual na família lato-sensu, tabagista e ainda tomo uma cervejinha na quermesse e nos churrascos em família. Pecador com espiritualidade mariana e fé piedosa de Romeiro em Aparecida. Simples, curto e grosso.

  12. Uma coisa é condenar o pecado e outra coisa é condenar a pessoa. A Igreja sempre condenou o pecado. Se a pessoal quer ser homossexual e católica, é simples: não pratique o homossexualismo!

  13. Lendo este artigo, parei para refletir nos meus dois filhos, quais luto para educar dentro da moral católica e como será o futuro e meus pensamentos me levaram a lembrar do evangelho de São Lucas em que nosso Senhor diz: “Pois chegará a hora em que vocês dirão: ‘Felizes as estéreis, os ventres que nunca geraram e os seios que nunca amamentaram! Então dirão às montanhas: Caiam sobre nós! e às colinas: “Cubram-nos!” ”
    Temo que esta hora está próxima. Senhor tende misericórdia de Vossa Igreja!

  14. Como é possível comungar do Corpo de Cristo e não ter escrúpulos nenhuns estando num nefando pecado que bradam ao Céu e clamam a Deus por vingança? a sua iniqüidade é tão grave e manifesta, que provoca Deus a puni-los com os mais severos castigos? Como é possível?

  15. Se a pessoa quer ser homossexual e católico(a), é simples: não pratique o ato homossexual. Esse mundo pós-moderno que acha que a Igreja tem que aceitar tudo. Se não quer seguir o que a Igreja pede, saia!

  16. Essa gente é tão incongruente que ao impôr a ideologia de gênero nas escolas afirmam que ninguém nasce homem e mulher, que as crianças devem escolher. Mas na hora de se responsabilizar pelos pecados, o discurso muda para pobres vítimas: já nasceram assim sem chance de mudar.

  17. Sou de Belo Horizonte. Como já morei em outros estados, posso perceber como a população daqui está imbecilizada pela ideologia. Para se ter uma ideia a PUC-Minas instruiu “monitores” que foram às escolas habilitar profissionais da educação para disseminar a ideologia de gênero. Infelizmente a situação aqui é péssima.

  18. Que o solene e enclergymado clero dito “conservador” saia correndo aos gritinhos para os braços de mamãe sem saber o que fazer da Igreja e das amenidades dos filhos da PUC, isso se deve certamente ao malsinado e fracassado Concílio da Diversidade Vaticano Dois. Foi quando se abriu a porteira dos infernos a fim de o reverendo clero montar no capeta rabudo e sair desfilando pela Avenida Madre Claudete Vermelhinha.

  19. Li a matéria e a sensação que eu tenho é que para desenvolver os erros que surgem dela e as situações constrangedoras que já passei por causa do pensamento deste pessoal teria que escrever um livro. Um livro que ninguém iria ler.
    E reparem como eles usam a fala do papa Francisco para justificar o homossexualismo. Situação que eu já tive que lidar pessoalmente diversas vezes e no final das contas fiquei com uma imagem de monstro e o Francisco como santo.
    E a menina que está comungando em estado de pecado (se bem que parece que o homossexualismo não é mais pecado) e não foi orientada de que comungar sem estar em estado de graça agrava a situação.
    Dá um desânimo.

  20. O que diz a Doutrina e o Direito Canônico da Igreja?

    “Cân. 1364 — § 1. Sem prejuízo do cân. 194, § 1, n.° 2, o apóstata da fé, o herege e o cismático incorrem em excomunhão latae sententiae; o clérigo pode ainda ser punido com as penas referidas no cân. 1336, § 1, ns. l, 2 e 3.

    § 2. Se o exigir a contumácia prolongada ou a gravidade do escândalo, podem acrescentar-se outras penas, sem exceptuar a demissão do estado clerical.”

    “Cân. 1331 — § 1. O excomungado está proibido de:

    1.° ter qualquer participação ministerial na celebração do Sacrifício Eucarístico ou em quaisquer outras cerimónias de culto;
    2.° celebrar sacramentos ou sacramentais e receber sacramentos;
    3.° desempenhar quaisquer ofícios ou ministérios ou cargos eclesiásticos ou exercer actos de governo.

    § 2. Se a excomunhão tiver sido aplicada ou declarada, o réu:

    1.° se intentar agir contra a prescrição do § 1, n.° l, deve ser repelido ou a acção litúrgica deve cessar, a não ser que obste uma causa grave;
    2.° exerce invalidamente os actos de governo, que, em conformidade com o § 1, n.° 3, são ilícitos;
    3.° está-lhe vedado usufruir dos privilégios antes concedidos;
    4.° não pode obter validamente qualquer dignidade, ofício ou outro cargo na Igreja;
    5.° não faz seus os frutos da dignidade, do ofício ou de qualquer outro cargo, ou da pensão que porventura tenha na Igreja.”

  21. É absurdo, imoralidade e humilhação um homem buscar complemento, refúgio e união sexuais em outro homem; o mesmo uma mulher buscar em outra mulher.
    A prática homossexual propaga a humilhação sexual da pessoa humana, porque favorece as relações de inferioridade/superioridade no mesmo gênero, o que rebaixa as pessoas.
    Toda esta humilhação desnecessária e verdadeiro motivo de vergonha não podem edificar nem melhorar a vida das pessoas, nem da sociedade.
    Estes gays, se não têm vergonha da sua condição lamentável e desordenada, que cassem seus caminhos, pois não há espaço para estas práticas no âmbito da tradição religiosa judaico-cristã.
    Além disso, com tantos gays mundo afora, não lhes faltam parceiros sexuais para buscá-los dentro das dependências da Igreja.
    A graça divina é infinita para quem é reto e deseja corrigir-se. E os erros podem ser superados com ajuda desta mesma graça, lembrando que o homem não é só um amontoado de células podres, mas também espírito. Corpo podre que, para a satisfação de todos os pecadores arrependidos, será separado da alma um dia, mais cedo ou mais tarde.
    Quem não gosta de seu corpo deve ter sempre em mente que um dia será libertado desta carcaça, pois todos vão morrer um dia.
    Ninguém escolhe nascer homem ou mulher. Mas sempre existirá como homem ou mulher. Cabe a cada um assumir sua real sexualidade e viver espiritualmente como homem ou mulher, conforme existe.
    Passam longe do respeito à dignidade humana e à edificação da pessoa estas falsificações esdrúxulas e monstruosas, que jamais terão o condão de alterar a realidade, que independe das preferências de cada um.

  22. Ângelo plantou. Batista regou, Albino dormiu e não acordou. Carlos José encenou. Zé Luis fugiu. Depois…Depois não veio ninguém.

  23. Mas que insistência dessas pessoas. E logo na Igreja católica.
    Mas, Ah! Tinha me esquecido: “Quem somos nós para julgar?”

  24. Parabéns ao Frates! “…felizes sois vós , quando, mentindo, disserem todos mal contra vós por minha causa. Será grande vossa recompensa no céu…”

  25. Muito errado o que essa mulher falou!!
    Cristo andava com os mais Santos e também (aceitava e acolhia) os pecadores ARREPENDIDOS.