Foto da semana.

IBP padres

Neste momento de dor – em que a Montfort-Zucchi e padres do IBP-Zucchi se viram obrigados a romper com a viúva Ivone Fedeli por ela ter alegadamente traído os ideais tradicionalistas de seu marido –, esta foto adquire significado especial. Trata-se dos excelentes sacerdotes Pe. Renato Coelho e Tomás Parra, que são atualmente os padres do IBP em São Paulo, rezando no cemitério da Quarta Parada, em São Paulo (agradecimento ao padre Tomás Parra pela correção). Rezemos pelos pais falecidos. Fidelium aninum per misericordiam Dei resquiescant in pace.

31 Comentários to “Foto da semana.”

  1. Mas não são eles que criticam a devoção feita no tumulo do Prof. Plínio Correa de Oliveira? Que não se pode prestar o culto aos antepassados, ou reconhecer as virtudes de alguém, a não ser que a Igreja faça a canonização? Contradição.

    Quando Pe. Daniel Coelho esteve em minha cidade, me recordo de explicar a assassinato de dois monarquistas, católicos ultramontanos, que o povo daqui tem devoção – possui capela, e ex-voto, etc, e me explanado a justamente a “teologia” da Montfort que é conhecimento de todos.

    • Prezado Lucas Coletta, Salve Maria

      Nós condenamos, sim, o culto ao Plínio. Mas haja vista o comentário que postei, você poderia explicitar qual a contradição que faz o objeto de sua acusação? De fato o professor Orlando Fedeli está enterrado na Vila Mariana – inclusive já estive lá para rezar por sua alma – mas o cemitério da foto é outro.

      Deus abençoe,
      Padre Tomás Parra, ibp

    • Rezar ah frente do tumulo de alguem nao constitui culto.

    • Ir para o cemitério e rezar pelos fiéis defuntos é salutar. Se consagrar como escravo a um gnóstico e adquirir suas relíquias é um absurdo!

    • Quer dizer que não se pode mais rezar pelos mortos??? Onde, na matéria acima, se está exposto que se faz algum tipo de devoção ou culto ao defunto???

  2. Salve Maria!

    Esta foto data de 2 de novembro de 2017, quando nós fomos visitar o Cemitério da Quarta Parada, após a Missa Solene de Requiem na Igreja São Paulo Apóstolo. No dia 2 de novembro, todos os anos, a Igreja concede indulgência plenária aplicável às almas para quem visitar um cemitério rezando pelos defuntos, ou mesmo uma igreja, recitando um Pater e Credo nesta intenção.

    Deus abençoe,
    Padre Tomás Parra, ibp

    • Padre, lamento profundamente que o senhor não tenha podido conhecer o Dr. Plinio e tenha se deixado enganar pelas falácias e mentiras do Fedeli.
      Rezarei para que um dia o senhor se dê conta do trabalho incansável que Dr Plinio pugnou ao longo da vida em favor da Santa Igreja.
      Não tem como uma pessoa de boa fé ter convivido com ele e não ter percebido que ele praticava as virtudes em grau heroico.
      Agora… o Sr, que não conviveu, pode não acreditar no que eu estou dizendo e seguir as mentiras do Fedeli, é seu direito.
      O que certamente não lhe cabe como sacerdote que tem o dever de zelar pela salvação das almas, é ficar instigando brigas e ódios em católicos que aparentemente procuram praticar os 10 mandamentos e, de alguma forma querem a santidade.
      Se o Senhor acredita que estão procurando a santidade de forma errada, o Senhor TEM A OBRIGAÇÃO, sob pena de prevaricação, procurar ajudá-los e não afastá-los de Nosso Senhor Jesus Cristo.
      Não cabe ao sacerdote ESCOLHER quais almas ele vai trabalhar e sobretudo não cabe a ele condenar absolutamente ninguém.
      Essa forma de agir é protestante.
      Desculpe o desabafo, sua benção!

  3. Conheço esse cemitério e não é o da Vila Mariana. É o cemitério da Quarta Parada, próximo à paróquia onde os padres do IBP rezam missa. Essa foto é do dia de finados tem até no vídeo deles no YouTube: https://youtu.be/AUXLmYhHAP8?t=7m7s
    O site deveria se informar melhor antes de publicar algo.

  4. Certamente pediam que a misericórdia Divina tenha acalmado a alma do Fedeli antes de falecer e que consequentemente ele tenha se arrependido de tantas mentiras e calúnias que difundiu contra a TFP e Dr Plinio…
    Temos sempre de rezar pela conversão dos pecadores!

  5. Ué , pai espiritual na figura do prof. Plinio Corrêa de Oliveira na TFP é idolatria a personalidade , e com eles pode? Bem dito Lucas, que contradição!!! Pq o clã Zucchi não faz um vídeo novo explicando este fenômeno de culto a pai espiritual nos tempos contemporâneos!!!

  6. Talvez, por se tratar de um comentário, escrito sem “refacção” textual, pode ser que o meu comentário não tenha sido claro.

    Aqui está uma noticia sobre a capela dos Britos, que mencionei acima e que foi motivo de minha exposição na visita da Montfort-IBP à Araraquara: https://www.youtube.com/watch?v=YOjXBmCDDxU. Na verdade, à época eu fiz questão de tratar do fato histórico sobre o “Linchamento dos Britos”, prevendo momentos como este. Então agora é correta a devoção feita em Araraquara pela Alma dos Britos?

    Então o problema é só o culto ao Plínio. Culto aos antepassados, culto à bandeira, aos professores, etc. é lícito. Culto de dulia e hiperdulia também, ou está proibido conforme fundamentação protestante?

    Os estudos feitos pelo Sr. Atila Sinke Guimarães sobre a questão de “culto ao Plínio” e à sua mãe não foi refutado conforme as disposições de tese, antitese e síntese. Quando o fizer, lerei com atenção.

  7. O Código de Direito Canônico proíbe o culto público, antes canonização. Sobre o culto privado não há proibição. O próprio ato de um filho pedir a benção de seus pais e beijar-lhe a mão, é um culto. Se se pode fazer isso com um pai carnal, quanto mais não se poderá fazer com o pai espiritual? O espírito não vale mais que o corpo? Mesmo se os padres da foto estivessem fazendo um ato de culto, por ser privado, não tem problema algum. Desde que o culto à pessoa seja somente um meio de se chegar a Deus ou a Nossa Senhora, por que proibir? Como a Igreja canonizaria São Císio, por exemplo, se não fosse o culto privado das pessoas que conviveram com o santo antes de sua morte?

  8. “Rezemos pelos pais falecidos”?
    Ora bolas, não são esses que são implacáveis com o culto a Dr Plinio Correa de Oliveira, homem elogiado por um papa e cardeais, inclusive como sendo ‘eco fidelíssimo da Santa Igreja’?
    Como agora vejo os mesmos vindo com essa de ‘rezar pelos pais falecidos’? Onde a coerência?
    Quer saber?
    Que rezem no túmulo do Fedeli, isso é da consciência de vossas senhorias. Mas que igualmente parem de perturbar quem quer venerar Dr Plinio como sendo pai espiritual.
    Inúmeros santos foram cultuados antes de sua canonização, e muitos até mesmo antes de sua morte. São Bernardo de Claraval, Sta. Joana d’Arc (pegavam relíquias dela em vida, tinha imagens nas catedrais e só foi canonizada no século XX), Pe Pio, e muitos outros.

  9. Não sei como dois “excelentes sacerdotes” podem celebrar a Santa Missa com a consciência tranquila, se guardam rancor no coração. Deus o proíbe a qualquer católico, a fortiori a um sacerdote, que tem o poder de perdoar os piores pecadores no sacramento da confissão. Tive felizmente um longo convívio com o Dr. Plinio Corrêa de Oliveira, de quem posso atestar a sabedoria e outras virtudes eminentes, dignas de um verdadeiro santo. Entre elas, uma suma bondade e uma paciência realmente de Jó. Inúmeras outras pessoas que o conheceram poderão confirmar o que digo. Portanto, não posso calar-me ao vê-lo caluniado, sobretudo por quem não o conheceu. Conheci bem o professor Orlando Fedeli, ex-aluno e ex-discípulo do Dr. Plinio por longos anos. Após haurir os ensinamentos de seu mestre, dele se afastou para se tornar seu ferrenho e alucinado detrator até o fim de seus dias. Quanta razão tinha Dr. Plinio ao dizer que a gratidão é a mais frágil das virtudes…

  10. Padre Tomás – Ignore o Lucas, sendo que o mesmo é uma boa pessoa, mas está meio sem noção ao se dirigir ao senhor com besteiras. O IBP é sempre bem-vindo em a Araraquara. A minha filha fez a primeira comunhão com o Padre Renato aqui na Igreja Santo Antônio e estamos divulgando sempre o apostolado de vocês. Temos muito apreço pelo trabalho do IBP e da Montfort, apesar dos problemas recentes de grandes mal entendidos com a Fraternidade São Mauro, o qual frequento também, estamos rezando para que isto acabe logo. E como virou modinha divulgar informações de mal gosto e utilizar de puro sofisma neste site sobre o assunto, o qual nunca evidênciaram suas denúncias e sim cuspiram um monte de asneiras, esperamos que os católicos se unam cada vez mais em prol da Missa de Sempre.
    Sua benção!

  11. Aproveitando o post, lanço uma pergunta que não quer calar: quando o IBP brasileiro passará a atuar com independência, deixando de ser o braço sacerdotal da Montfort?

  12. A TFP fez 3 livros respondendo as acusações do Fedeli com o titulo: Refutação da TFP a uma Investida Frusta.

    Alguem ´poderia informar aonde eu encontro a resposta do Fedeli ou de algum discipulo dele as estas refutações da TFP.

    Desde já eu agradeço a quem informar-me.

  13. TFP, aceite o desafio lançado pelo Sr. Alberto Zucchi para um debate a respeito do Dr. Plínio. Ele já os desafiou publicamente em vídeo. Vamos esclarecer as coisas de uma vez por todas ou vão continuar em silêncio?

    • Meu caro, primeiro apresente as respostas do Fedeli às refutações que a TFP escreveu em relação às calúnias e mentiras dele e depois pensamos em atender o Zuchi.
      O Fedeli se calou perante as refutações, por que cargas d´água o sequaz dele quer um debate?
      O sequaz é mais do que o guru?

    • Desde quando ‘debate’ é algum parâmetro para saber quem está certo ou errado?
      “Debate” serve apenas para satisfazer torcida, pouco importando quem tem razão.
      Os advogados teatreiros do tribunal do Júri sabem bem disso.

      Quantas vezes os fariseus tentaram ‘debater’ com Nosso Senhor, e ele sabiamente não entrou na deles…

      Nesse caso, a inutilidade de um debate se reforça pelo fato de as acusações estarem todas respondidas há cerca de trinta anos, e nunca refutadas. Apenas esquivaram-se disso, com toda a espécie de desculpas.

  14. Os frequentadores, passistas e figurinistas da Escola de Samba Ofídio Cambucínico devem ser considerados maximamente suspeitos de heresia e de culto idolátrico de gnomos de jardim.

  15. Sr padre seja mais imparcial por favor , sua condenação do culto ao Prof Plinio não significa nada para os discípulos dele. Poderia colocar aqui inúmeros fatos de veneração, admiração, a futuros Santos da Igreja ainda vivos inclusive, mas ficaria muito extensivo, aliás, nem precisaria pois todos deveriam estudar e saber esta questão tão simples na doutrina católica.
    Por ex. São João Berchmans (1599-1621): invocava pessoas nem canonizadas nem beatificadas no meio da ladainha dos santos

    “Às 10 horas, o enfermeiro ofereceu ao doente um pouco de caldo. Berchmans tendo tomado algumas gotas disse: ‘Basta, irmão, é chegada a hora, nem de comer, nem de beber, mas de rezar’. Pouco depois: ‘Desejo que reciteis as orações da recomendação da alma, disse ao padre Van Doorne, o tempo poderá nos faltar. Começaram imediatamente. Quando nas ladainhas do Santos, chegaram aos nomes dos confessores, João pediu ao padre que parasse, e invocasse com ele os Bem-aventurados Ignacio de Loyola, Francisco Xavier, Luiz de Gonzaga, Estanislau Kostka, os Veneráveis Padres Francisco de Borja, José Anchieta, e o Venerável irmão coadjutor Affonso Rodrigues” [8].
    [8] Pe. L. J. M. Cros SJ, Vida de S. João Berchmans, Duprat e Comp., São Paulo, 1912, p.375. Com licença da autoridade eclesiástica

  16. Se eu perguntasse aos membros da TFP no que eles creem certamente escutaria a recitação do CREDO e também de muitas outras verdades como a Imaculada Conceição da Virgem Maria, a Assunção da sempre Virgem Maria, etc. Não seria diferente se perguntasse aos membros dos Arautos, bem como não seria diferente se perguntasse aos membros da Montfort. Se perguntasse ainda, quem recebeu e porta o escapulário de Nossa Senhora do Carmo, quem seria consagrado a Nossa Senhora pelo método de São Luis de Montfort ou quem reza pelo menos o terço todos os dias, ouviria que todos ou quase todos são e rezam. Então o que os desune?
    Fui aluno do professor Fedeli e de Dr. Plínio e sou testemunha que estas acusações que escuto são absurdas.
    Lembrem-se Nosso Foco deverá ser sempre Nosso Senhor Jesus Cristo por intermédio da Santíssima Virgem Maria e nada mais.

    • Muito bem colocado vosso comentário Sr. Wallace. Talvez a desunião se dê em virtude daquilo que eles tanto criticam nos protestantes, ateus e maçons, ou seja, a visão naturalista da realidade. Um pouco mais de visão sobrenatural faria bem! Rezemos por isso também.

  17. Seria prudente que todos os frequentadores do Professor OFídio solicitassem a um sacerdote prudente, provado e autorizado que se lhes ministrasse o Exorcismo Maior ou, ao menos, o Exorcismo de Leão XIII a fim de expurgarem qualquer eventual pestilência ou miasma espiritual oriundos do contacto desavisado e incauto com o dito Professor.

  18. O sacerdote Pe. Parra, por suas próprias palavras, vem confirmar aquilo que eu mesmo já comentei aqui no Fratres: “Se um discípulo do prof. Orlando Fedeli, do ramo do sucessor Zucchi ou da viúva Ivone, for espremido, o que sai daí é o ódio ideológico, injusto, mesquinho, invejoso e cego contra Plinio Corrêa de Oliveira”.
    .
    Com efeito, diz o jovem padre: “Nós condenamos, sim, o culto ao Plinio”. O Instituto Bom Pastor, no Brasil, em geral funciona como uma espécie de máquina mortífera dedicada ao assassinato de reputações: de Plinio Corrêa de Oliveira, de sua falecida mãe Lucilia Corrêa de Oliveira, e das instituições Instituto Plinio Corrêa de Oliveira (IPCO) e Arautos do Evangelho.
    .
    Causa mesmo espécie ver como a dupla de sacerdotes caluniadores celebra a Santa Missa com a consciência tranquila, como bem observou o leitor Hélio Dias Viana, pois não só cultivam o ódio no seu coração, como também caluniam publicamente a pessoa de Dr. Plinio. Mas não só contra Dr. Plinio investem. O Padre Renato Coelho em sermão atacou com violência o Bispo D. Atanásio Schneider, por esse ter celebrado missa pontifical na Igreja de São Bento em São Paulo, por ocasião do vigésimo aniversário do falecimento de Dr. Plinio. E postou o vídeo de seu sermão na internet, onde permaneceu durante vários meses. E, tanto quanto eu saiba, até hoje esse sacerdote não se retratou publicamente disso.

    • A natureza humana corrompida pelo pecado original é a mesma em toda a parte. “Só muda de endereço”, com diz o ditado. Que a misericórdia divina toque os corações desses sacerdotes, pois inveja e ódio ideológico matam a alma.

    • Salve Maria!
      Caro André, denunciar os erros doutrinários de Plinio C.O é pecado?
      Já estamos acostumados com esses argumentos fracos, recheados de um sentimentalismo barato, ou melhor, um fanatismo barato, um culto à personalidade de Plinio C.O.
      E outra, não precisamos perder tempo defendendo o professor Orlando Fedeli, seria desnecessário, porque ele mesmo desmascarou de todas as formas o grupo TFP/Arautos/IPCO em seu livro “A gnose burlesca da TFP e dos Arautos”.

  19. A Teologia da Libertação não precisa combater os conservadores, basta coloca-los em uma sala fechada e deixar que se matem (risos), assim foi a conclusão de um professor no seminário daqui de São Paulo. Aos que admiram a vida e obra do Dr. Plínio, digo: Não é hora de colher os frutos, a Igreja no momento está imersa em revolucionários, e já chegou nos que se dizem tradicionais, quanto aos que destilam o ódio, como dizia São Bento, beba eles mesmos o próprio veneno.

  20. Prezado João,

    Não sou contra a vinda do IBP/Montfort – eles podem celebrar Missa onde quiserem, aliás possuem autorização eclesiástica e do Bispo da Diocese para isto. Não proíbo o IPCO de vir para cá, muito embora o IPCO me convidou a nunca mais frequentar o grupo da TFP. Com a noticia ao final, fica evidenciado que o meu problema não é pessoal mas sim doutrinário. Então creio que eu falo com completa isenção.

    A TFP como pode se ver, possui “treta” com o movimento homossexual, já a Montfot/IBP com os católicos tradicionais sobretudo os que reconhecem a alta vocação do Prof. Plínio Correa de Oliveira. Deveriam os sacerdotes não só prometer orações aos outros – o que é o seu dever, mas ao invés de ficar preocupado com o “culto ao Plínio”, deveriam utilizar do prestigio da batina para converter os revolucionários – a exemplo do Pe. David Francisquini em Cardoso Moreira-RJ. Fica então uma sugestão de apostolado ao IBP/Montfort para a nossa cidade:

    https://g1.globo.com/sp/sao-carlos-regiao/noticia/discussao-entre-membro-de-grupo-cristao-e-ativista-lgbt-gera-polemica-em-araraquara-sp-veja-o-video.ghtml

    PS: é muito fácil viajar para uma cidade e só conversar com pessoas que possuem piedade e algum grau de amor à Igreja, celebrar uma missa, cantar um canto gregoriano, tomar um bom vinho e comer uma suculenta pizza, agora quero ver increpar, fustigar à exemplo do que fizeram os santos da igreja que pregavam em praça pública. Fica como sugestão, nestes tempos de sodomia, a virtude heróica do Padroeiro da Polônia, Santo Estanislau de Cracóvia:

    http://catolicismo.com.br/materia/materia.cfm/idmat/E96A5170-3048-313C-2E877137C3945029/mes/Abril2010

  21. O que acima disse o leitor Diego Ximenes, da Montfort, dirigindo-se a mim, vem mais uma vez corroborar o que eu afirmara: “Se um discípulo do prof. Orlando Fedeli, do ramo do sucessor Zucchi ou da viúva Ivone, for espremido, o que sai daí é o ódio ideológico, injusto, mesquinho, invejoso e cego contra Plinio Corrêa de Oliveira”.