Consultor do Vaticano: O Papa “rompe as tradições católicas quando bem quer”.

Padre Thomas Rosica afirmou que a Igreja é agora ‘governada por um indivíduo, e não… por suas próprias doutrinas de Tradição e Escritura’.

Por Catholic Herald, 14 de agosto de 2018 | Tradução: FratresInUnum.com – Sob o Papa Francisco, a Igreja agora é “abertamente governada por um indivíduo, em vez de pela autoridade somente da Escritura, ou mesmo por suas próprias doutrinas de Tradição mais Escritura”, afirmou um conselheiro do Vaticano.

Em um admirado retrato do Papa Francisco, o Padre Thomas Rosica escreveu que Francisco “rompe as tradições católicas quando bem quer” porque ele é “livre de vínculos desordenados”.

Pe. Rosica, um sacerdote canadense e consultor de mídia do Vaticano, escrevia no website da Salt & Light Catholic Media Foundation, da qual é CEO.

O artigo, escrito há duas semanas, foi republicado pela agência de notícias Zenit. Após as declarações de Pe. Rosica ganharem atenção nas redes sociais, Zenit removeu a declaração controversa e a substituiu por “[…]”.

Pe. Rosica afirmou que, como jesuíta, o Papa Francisco é guiado pelo princípio do “discernimento” que, por vezes, resulta em “libertar-se do enclausuramento de fazer algo de uma certa forma porque sempre foi assim”.

O artigo, que foi publicado na festa de Santo Inácio de Loyola, fundador dos jesuítas, afirmava que o Papa Francisco trouxe o “intelectualismo jesuíta” ao Papado.

As palavras de pe. Rosica vieram dias após o Vaticano anunciar que o Papa Francisco havia mudado o Catecismo, para declarar que a pena de morte, agora, é “inadmissível”. A mudança causou muito debate acerca do que significava, e se contradizia o ensinamento tradicional da Igreja, que afirma que a pena de morte não é intrinsecamente má.

Tags:

18 Comentários to “Consultor do Vaticano: O Papa “rompe as tradições católicas quando bem quer”.”

  1. Num ‘arrancar’ de opinião, se me permitem, vejo AGORA uma prerrogativa ACERTADA essa de Sabedoria com DISCERNIMENTO. São atitudes esperadas de um CRISTÃO, clero ou povo, que somos todos nós Igreja, CORPO de DEUS Filho, CABEÇA SANTA que é JESUS CRISTO, somente!
    Igreja pecadora SIM, Santidade infinita é DEUS, em JESUS CRISTO…
    Vejam…desde que sai do seminário, vejo com temor pronunciamentos clericais onde diz: A ‘santa madre igreja manda’, ou ‘os documentos da santa igreja manda’, e ainda ‘Prometes obedecer a santa igreja nos votos de sacerdote (padre( …)) ?
    Falta de ‘discernimento vinda da Sabedoria embuida nos nossos ‘átomos e células’ todas pelo Santo Espírito de DEUS TRINDADE SANTA, nos leva com toda certeza ‘crassos terríveis ERROS humanos.
    Temos que nos orienta SABIAMENTE, sem erros possíveis, nas SAGRADAS ESCRITURAS INERRANTE!!!…poderá haver erros de tradução ‘proposital SIM, quando diz que o POVÃO não precisa destas informações,ensinos!
    Acreditem,já ouvi essa ‘fala diabólica’ em traduções!!! Inacreditável…
    Paz e Bem irmãos e amigos…(Sacerdote Leo tem sido conduzido pelo Fogo e Luz do Santo Espírito ehm.)…

    • Oremos pelas intenções do Santo Padre, o Papa, Inocêncio III, de imortal memória, a fim de que a Santa Madre Igreja permaneça firme no combate ao corpo místico de satanás.

    • Caro Elyseu, Salve Maria, está escrito na Sagrada Escritura que a Igreja é Santa e Imaculada, se Cristo como você bem lembrou é cabeça dessa Igreja, Ele que é Infinito e Santo Santo Santo, torna impossível que sua Igreja seja pecadora, porque se você subtrair qualquer número do infinito, continuará infinito, se dividir o infinito por qualquer número, continuará infinito, os nossos pecados por tão grande que sejam, não são capazes de tornar pecadora a Igreja de Cristo, se uma torrente de água doce que desemboca no mar que é finito não torna esse mesmo mar doce, mas continua salgado, como poderia nossos pecados tornar a Igreja da qual Cristo é cabeça pecadora? Somos todos pecadores sim, mas a Igreja de Cristo é Santa como está escrito na Sagrada Escritura e no Catecismo, e o Espirito Santo só habita o coração daquele que está em estado de graça.

    • Se o prezado escrever num português correto, talvez possamos entendê-lo melhor.

  2. Pergunto-me se esses desenvolvimentos não são frutos involuntários da própria centralização papal do século XIX. Naquela época, o Cardeal Henry Edward Manning (1808-1892) expressou-se dessa maneira diante das objeções à infalibilidade papal que apelavam para a tradição constante/primitiva:

    “O apelo à antiguidade é uma traição e uma heresia. É uma traição porque rejeita a voz divina da Igreja NESTA HORA, e uma heresia porque nega que essa voz seja divina. Como podemos conhecer a antiguidade exceto através da Igreja [atual]? Devo dizer que, estritamente, a Igreja não tem antiguidade. Ela repousa sobre sua própria consciência sobrenatural e perpétua… A única evidência divina disponível a nós sobre o que era primitivo é o testemunho e a voz da Igreja ATUALMENTE”.

    Suponho que o monstrinho foi construído aos poucos, e agora assumiu um uso que não era exatamente previsto. Mas devemos mesmo ficar surpresos? Só uma reflexão…

    • Ricardo, amigo e irmão na Fé que nos faz bem, nos robustece e vemos os ensinos das SAGRADAS ESCRITURAS com uma Clareza surpreendente, não vem de nós né…Divina e maravilhosa…LUZ!!!
      Faço minhas vossa escrita viu…grato.
      Paz e Bem, a todos nós Cristãos do Caminho, Verdade e Vida, que é a Eterna somente! Somos peregrinos em MISSÃO né…, em o IDE do amado Mestre JESUS CRISTO, ALELUIA!

    • Claro que não! Esse papo de que menos autoridade é melhor é besteira. Fujam desse colegialismo que nos trouxe até aqui!
      Se o Papa se converte, a Igreja se restaura! A Igreja é hierárquica. Não serão as “bases” que democraticamente restaurarão a Igreja!

    • GML, não se trata de “menos autoridade”. Se trata de não aceitar autoridades ARBITRÁRIAS. As autoridades existentes na Igreja devem ser inteiramente servas da Escritura e da tradição, isto é, daquilo que a Igreja sempre ensinou, de maneira clara e sem rodeios. O que se criou (e a citação do Cardeal Manning ilustra isso muito bem) é uma autoridade que podia agir SEM o consenso da Igreja de ontem e de sempre. Criou-se a idolatria da “voz ATUAL da Igreja” no Papado, que não tinha mais que prestar contas. Ele era quem dizia e garantia qual era a doutrina “de sempre”, e ponto final. Pois bem: hoje é Francisco quem diz qual é o ensinamento de sempre da Igreja. E ele bateu o martelo. Os neoconservadores seguem a lógica de Manning fielmente. Não são SANTOS os papas conciliares? Não são determinações “da Igreja” que nos levaram até aqui, com a nova liturgia, etc? Os fiéis “tradicionais” são cada vez mais os novos “rebeldes”.

  3. Conviria o presente pontificado, se acaso o boquejado do suspeito Pe Rosica GLBTista e mais, de ser infiltrado da maçonaria, proferido pelo papa Francisco corresponder ao post??
    Agindo nessa condições apresentado pelo notorio relativista acima, que desejaria o papa Francisco senão apressar a instalação da NOM?
    Há uma entranhada luta entre a Luz e as trevas, o Senhor Deus contra o diabo e asseclas, intensificando-se num ritmo alucinante, embora esse saber nada poder contra o Senhor Deus; porém, passar uma oportunidade de se sentar na cadeira de Pedro e aprontar suas diabruras estaria de bom tamanho, evidente, e daí perverter multidões sem pastor, já está ótimo!
    Assim, o postado nesse local privilegiado, poderá: “Abriu, pois, a boca em blasfêmias contra Deus, para blasfemar o seu nome, o seu tabernáculo e os habitantes do céu.Foi-lhe dado, também, fazer guerra aos santos e vencê-los. Recebeu autoridade sobre toda tribo, povo, língua e nação, Ap 13 6-7.
    Outra missão dele, baseando no que rosna o Pe Rosica, seria o de facilitar o surgimento do anticristo, pois ele trabalharia sob as ordens desse, pois estaria sob sua vigilância, “Ela exercia todo o poder da primeira Fera, sob a vigilância desta, e fez com que a terra e os seus habitantes adorassem a primeira Fera (cuja ferida de morte havia sido curada). Ap 13-12.
    Seria primeiro “ferir o pastor”, Zac 13,7, ou seja, retiraria-se o papa Bento Bento XVI da Sede Pontifcia para a dispersão das ovelhas e o golpe fatal seria o bloqueio de todas as operações do IOR pela SWIFT 4 e, logo após a saída(?), voltou a funcionar normalmente – MUITO ESTRANHO…
    Assim, doravante já haveria um grande tumulto, subdivisões na Igreja católica e no mundo todo e, em meio à confusão surgiria o anticristo que estaria apoiado pelo papa Francisco por certas suas ações que o contemplam.
    “Levantar-se-á nação contra nação, reino contra reino, e haverá fome, peste e grandes desgraças em diversos lugares” Mt 24,7, prenunciam o presente relativizado, em franco crescimento para muito pior, bastando perceber a que nível estão as pessoas no momento em imensas proporções ultra atéias-materializadas!

  4. “Sob o Papa Francisco, a Igreja agora é “abertamente governada por um indivíduo, em vez de pela autoridade somente da Escritura, ou mesmo por suas próprias doutrinas de Tradição mais Escritura”, afirmou um conselheiro do Vaticano.”
    Não preciso do Rosica para me informar. Isso eu já estou observando desde o início do papado.

  5. Traduzindo então, podemos afirmar que Bergoglio se colocou no lugar do próprio Cristo? Porque Ele é o Único que está cima de tudo e todos, a autoridade máxima da Igreja e que eu saiba, nenhum mortal pode outorgar a si próprio um poder que pertence somente ao próprio Deus!

  6. Zenit também cortou fora outro trecho incômodo, que parece referir-se aos Exercícios Espirituais de Santo Inácio como “falso caminho de conversão” (counterfeit way of conversion) . O texto original afirmava como abaixo, e a nova versão de Zenit substitui o trecho entre colchetes por “…”
    O papa jesuíta é bem versado nos Exercícios Espirituais, sendo capaz de difundir o conhecimento e a prática desse [falso caminho de conversão -] um caminho que não usa a Bíblia e o Evangelho de Jesus Cristo para simplesmente convencer seus ouvintes de pecado, retidão, e o julgamento por vir, mas convida as pessoas a experimentarem Jesus, sua misericórdia, seu amor, sua bondade e seu convite aos pecadores para se aproximarem dele.

  7. Ainda bem que ele sabe fazer isso, “livre de afeições desordenadas”. Não como alguns que “porque sempre foi assim” tem quer continuar assim. Penso que num mundo em constante mudança devemos atualizar nossas respostas. Não para satisfazer o mundo, mas para realizar verdadeiramente a missão recebida de Jesus Cristo. O próprio Jesus fez isso, ele que fora “enviado às ovelhas perdidas da casa de Israel”, diante do desafio novo da súplica da mulher cananeia, reconhece a fé desta e cura-lhe a filha enferma.

    • Não entendi… vamos ter que aplaudir o concubinato adúltero; a poligamia serial; o sexo contra a natureza; o aborto legal; a maconha e a cocaína; o caixa dois, a fatuidade e o concubinato do clero; o piercing; a prostituição masculina para os transviados velhos, feios, barrigudos e com cara de ogro da caverna escura e fétida?

    • PW. Quem disse em aplaudir essa tua lista? Não se trata de aplaudir o mundo, mas de responder as perguntas atuais, com respostas novas e não com as antigas respostas. Que foram importantes, sim, na época em que foram dadas. Em odres novos…. vinho novo: para pergunta nova… resposta nova.

      Aliás para mim, as palavras de “FR. THOMAS ROSICA C.S.B.”, em seu artigo: “The Ignatian Qualities of the Petrine Ministry of Pope Francis” expressa uma postura bem favorável ao Santo Padre, o Papa Francisco.

  8. Em Direito, estudamos as seguintes formas de governo:
    – Monarquia – um rei abaixo de uma lei suprema
    – Democracia – governo de vários abaixo de uma lei suprema
    – Tirania – governo de um só, que se coloca ACIMA da lei suprema.
    Em qual destes estará a Igreja atual?
    .

  9. Seria então ele, de acordo com o padre Rosica?
    Tradução do livro “WORKS OF THE SERAPHIC FATHER ST. FRANCIS OF ASSISI”
    Algumas Profecias do Santo Pai S. Francisco”, Cap. XIII, página 248.
    … Alguns pregadores manterão silêncio sobre a verdade, e outros a calcarão aos pés e a negarão. A santidade de vida será desprezada até pelos que exteriormente a professam, pois naqueles dias Nosso Senhor Jesus Cristo lhes mandará não um verdadeiro pastor, mas um destruidor».

  10. A ambiente pregresso, os amigos e os circunstantes com os quais mais se relacionam, em muitos casos podem interferir fortemente em qualquer um, quer para o bem, quer para o mal e, se a pessoa possuir eventualmente tendencia para o segundo, existem possibilidades de serem maus elementos e deleterios à sociedade, quer onde compartilhem de sua presença.
    O conhecido e famoso ditado, o “Diga-me com quem andas, dir-te-ei quem és”, esclarece que ele continua a persistir por toda a existencia se o individuo afetado se mantiver nas mesmas disposições anteriores e esse teria sido o caso do papa Paulo VI, que seria oriundo de um ambiente bastante hostilizante à Igreja católica, de viés modernista.
    Ele teria sido um clérigo de personalidade dupla e inquieta, que trabalhou como substituto na Secretaria de Estado na época do papa Pio XII e era o único sacerdote que ousava freqüentar a residencia do conde Gallarati-Scotti, condenado duas vezes pelo Santo Ofício. Dizia-se que tinha simpatia pelas Filosofias da Ação, popularizadas entre nós por Blondel e Le Roy etc. e hoje em dia de uma nova igreja de “muita ação e pouca oração” – a das CEBs, Comunidades de Bases infiltradas de marxistas – além de afeição ao liberalismo confirmada por seu confidente, Jean Guitton:
    Consta que a 8/9 /1969 ele elogiou o padre De Lubac., deixando cada vez mais evidente suas preferencias, incluindo-se também Congar, Rahner e ainda Blondel que passaria a ter relevancia sobre sua personalidade, daí teria assumido ao todo o parte suas ideias e escritos no Concilio Vaticano II e disso teria sucedido de ele deixar de condenar formalmente o comunismo, deixando críticas ao marxismo de lado, favorecendo ainda mais sua proliferação.
    Atualmente, crescendo em intensidade e “entregue” por alguns dos seus, o papa Francisco imporia velocidade ao moderno-relativismo na Igreja que viria desde o papa João XXIII, tido como “papa bom, não bom papa” pelos conservadores, doravante mais imersa nas ideologias presentes que o papa Francisco seria até visto como inimigo da Igreja ajuntando-se às escorias da humanidade, com a fé católica bastante desacreditada por escândalos internos de infiltrados maçônicos ou falsos simpatizantes idem, caso da sórdida e bandida TL, coligada aos PCs.
    A quase abdicação do papa Paulo VI ao papado teria sido no Concílio da Holanda aos bispos:
    *“Nossa responsabilidade de Pastor da Igreja universal Nos obriga a perguntar-lhes com toda a franqueza: O que pensais que Nós poderíamos fazer para ajudá-los, para reforçar vossa autoridade, para que possais superar as atuais dificuldades da Igreja da Holanda?
    *Osservatore romano, 13/01/1970, em Amerio, Ibid., número 64.”