Foto da semana.

Papa Irlanda

Phoenix Park, Dublin, Irlanda, 26 de agosto de 2018: Missa do Papa Francisco por ocasião do encerramento do Encontro Mundial das Famílias [no qual participou, a convite do Vaticano, o infame gayzista Padre James Martin, SJ, apesar de inúmeros protestos]. Das 500 mil pessoas esperadas, apareceram somente 130 mil. Em 1979, o Papa João Paulo II atraiu 2,5 milhões de pessoas na primeira visita de um Pontífice ao país.

Tags:

15 Comentários to “Foto da semana.”

  1. Deus nos ajude e nos livre desse tormento

  2. Para ver a foto 130 mil pessoas parecem excessivas, acho que não vão chegar a 50 mil, pelo menos a foto que foi reportada
    Francesco Franco

  3. Senhores, concordo plenamente que Francisco é um “demolidor da Igreja” e cada dia de seu pontificado e um desastre..porém a culpa desse vazio visto na foto não pode ser colocada toda sobre seus ombros ….

    Esta imagem triste vista na foto é resultado de um conjunto de fatores: relativismo, ateísmo imposto pelos governos, má formação dos fiéis e sacerdotes ( o que leva a evasão), e, sobretudo, e um claro reflexo da “vitalidade” trazida pelo C.V. II.

    Além disso … João Paulo II foi eleito em Outubro de 1978…. e sabemos que as primeiras açoes de um Papa sempre despertam curiosidade e apelo midiatico.
    Então acho que não e cabivel fazermos a comparação entre 1979 e 2019…..são contextos diferentes…

    • henrique, concordo com vc plenamente. se fosse o papa bento tb haveria vazio. fui a missa dele aqui em sp e a participação foi decepcionante. o numero de catolicos diminui a cada ano e esse baixo comparecimento e esperado

  4. Prezado Henrique Sanches,

    Então como explicar 4 milhões de pessoas na JMJ das Filipinas, em 1995?

    A Igreja nunca esteve tão bem, né?

    • Bem…. A JMJ no Brasil em 2013 contou com quase 4 milhões de participantes também….
      Estes grandes eventos, de escala global, e com grande apelo midiatico não podem ser usados como parâmetro…. Pois estes sempre lotam…..
      PS: não estou defendendo o “Papa”, como disse, ele e um demolidor da Igreja….

    • Ah… E só complementando, caro Manoel…. Em nenhum momento em meu comentário disse que a Igreja estava bem …

  5. Como bem ensina um velho provérbio: “O silêncio dos povos é lição para os reis”…

  6. Será que essa foto não foi tirada umas 6 horas antes de começar a missa?

  7. “Será que essa foto não foi tirada umas 6 horas antes de começar a missa”?

    -Não Lucas! Foi tirada com Bergoglio já no altar. O jornal irlandês ainda diz que foi abaixo de 130 mil participantes, sendo que haviam sido distribuídos cerca de 500 mil convites.
    http://www.thejournal.ie/papal-mass-phoenix-park-crowd-size-4202680-Aug2018/

  8. Penso que esse pequeno número de fieis esteja relacionado diretamente a alguns outros fatores e não diretamente ao Papa Francisco, que tem sido um papa revolucionário e que tem desagradado a muitos católicos. O Papa Francisco talvez seja a gota d’água no transbordamento do cálice do descontentamento dos fieis irlandeses em relação à Igreja.
    Lembram-se dos escândalos de pedofilia que aconteceram na Irlanda alguns anos atrás? Bento XVI, na época, papa reinante teve até que escrever uma carta aos católicos irlandeses sobre os escândalos (carta datada de 19 de março de 2010).
    Acredito que os escândalos de pedofilia arrefeceram a fé ou a confiança de um grande número de irlandeses na igreja Católica.
    Outros motivos seriam o estilo de vida moderno marcado pelo materialismo, ateísmo, hedonismo, pelo neopaganismo representado na Europa sobretudo pela Nova Era (New Age).
    Mas a diminuição da fé é um fenômeno de certa forma comum aos vários países europeus. Ver, por exemplo, uma entrevista do exorcista espanhol Padre Fortea em que ele reconhece uma “Igreja moribunda na Europa”. (Infelizmente o entrevistador expressou uma atitude hostil à Igreja)
    Vídeo
    https://youtu.be/DL54TeuoIYI
    No mais, o fenômeno das grandes multidões em torno dos papas parece ser mais uma realidade dos países de 3º Mundo. Mesmo assim, a realidade desses países não é muito animadora, visto estarem marcados pela diminuição dos católicos, presença forte da Teologia da Libertação, sincretismo religioso, etc.
    No Pontificado de João Paulo II, tinha-se muita esperança em relação ao futuro. Hoje o futuro se tornou sombrio.
    Peçamos sabedoria a Deus para discernir os sinais dos tempos.

  9. Boa parte do clero, daquém e dalém mar, não tem nada a dizer que lembre “religião”, “piedade”, “progresso espiritual” e “busca das coisas do Alto”.

    O que temos é a implementação consumada do “projeto de igreja” do vaticano dois, radicalizado pelo bombeiro pirômano G-B Montini, a saber: uma igreja mundana, preocupada com as coisas do mundo, envergonhada de não ter uma “função social” “relevante” e reconhecida, cujos dirigentes, em número expressivo, dão mostras contínuas de não possuírem a mínima noção do que é “sagrado”, moral, compromisso com a verdade, bons costumes , transparência e bom senso. Pelo nível das abjeções que esses senhores cometem, dá pra perceber o “nível” espiritual de suas vidas e que vida levam para além das roupas bonitas, galões, incensório e show dominical.

    Se, pois, no clero, há tantos masoquistas, gente que gosta de sofrer e de se cauterizar, eles doloristas precisam humildemente entender que esta “vocação” é muito específica e causa perplexidade, horror e abjeção à IMENSA maioria das pessoas. Missas vazias? Debandada geral? Pensem. Pensem um pouquinho…

    O que os tranviados precisam entender é bem simples: que eles NÃO têm vocação sacerdotal, são falsas vocações, usurpações, pois, seria cruel que Deus lhes desse vocação sem os meios de realizá-la. Assim, quem não consegue deixar os hábitos transviados, deve simplesmente fazer um grande favor aos bons sacerdotes que, de fato, foram chamados ao ministério: caiam fora. Tchau. Trabalhem com suas mãos e parem de enganar as velhinhas, se há alguma que ainda acredita neles.

    Há tantas vovozinhas que não saem do celular e sabem de tudo… Quase tudo.

  10. Concordo com o que alguns disseram! Esse processo de esvaziamento de fiéis em eventos papais, missas dentre outros, são reflexo de uma enfraquecida formação da dourina católica, dentro dos seminários, conventos e paróquias. Os fiéis cada vez mais decepcionado com seus “líderes” ou aqueles que deviam servir e dar bons exemplos de uma vida limpa diante dos olhos de Deus e dos homens. Hoje o inverso disso acontece sem grandes problemas.
    Padres e bispos (nem todos), querem viver como monarcas em seus palácios, usar grandes grifes, perfumes importados, carros caros e por aí vai. Vou escrever o que me vem a cabeça: Estou enojado desse clero que não quer viver a “aventura” da vocação, de missas que mais parecem cultos protestantes, de sermões (homilias) sem espiritualidade, sem alma, sem o brilho da luz de Cristo. (Esse sentimento não chegou ao coração, mas por vezes me vem a memória) O que há no coração, é a certeza da promessa de Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo ao dizer: tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela; Mt 16,18. Esse trecho do evangelho é que tem confortado meu coração todos os dias.

  11. Na Quarta-feira, 29 de agosto de 2018 saiu um bizarro tweet de rorate caeli que dizia:
    ” Olá leitores, alguém pode baixar esse vídeo antes que ‘Desapareça’? É um documento muito importante”. O vídeo está no link no youtube: Trata-se de um vídeo carregado no site oficial da Universidade de villanova (EUA), de 11 de outubro de 2013, mantido pelo então card. Maccarrick sobre os “bastidores” da recente eleição do Papa Francisco.

  12. Veja a partir de 18:20h e seguintes.