A dialética de Francisco (III). O tiro no pé.

Por FratresInUnum.com, 2 de outubro de 2018 — Em nosso último editorial, salientávamos como Francisco incorporou na Igreja uma política da divisão, colocando em confronto dialético progressistas e conservadores, em intencional benefício dos primeiros. O medo, a suspeita, a vigilância são como que a música de fundo deste pontificado. Tal como nos tempos de Robespierre, o “terror de Bergoglio” assassina reputações e destrói ministérios, mas acoberta amigos criminosos e silencia vítimas inertes.

tiroA crise americana é apenas sintoma de um problema muito mais profundo que se estabeleceu na Igreja, uma certa psicopatologia eclesial, uma esquizofrenia eclesiológica: o mesmo papa que se imuniza contra os críticos mediante lacaios treinados para fiscalizar os eventuais opositores, que se esconde por trás da mídia, alvo principal do seu dito magistério, e que se eleva, deste modo, à encarnação de único dogma do catolicismo, é o papa que dissolve o poder papal numa falsa sinodalidade, isto é, na sinodalidade das máfias promovidas por seu séquito, detentoras de uma agenda corrosiva de qualquer coisa que se pareça minimamente com a fé católica.

Acontece, porém, que, contrariamente à política de “equilíbrio de forças e coalizão” dos pontificados anteriores, que produziu um culto à neutralidade e ao centrismo e fez até os mais progressistas adotarem, ao menos, a camuflagem como modus vivendi, o pontificado atual produziu, também pessoalmente contra si, verdadeiras oposições.

Quem já imaginou que um ex-núncio apostólico, como Mons. Viganó, treinado na academia diplomática da Santa Sé para falar sempre de modo ameno e por insinuações, viria à público denunciar contundentemente a leniência do papa com predadores sexuais por serem seus amigos e parceiros naquilo que ele chama de “reforma da Igreja”, obtendo como resposta o silêncio papal e um pedido desesperado de orações contra Satanás?… — Quem cogitou que alguns cardeais que, nos pontificados anteriores eram eclesiásticos medianos e inexpressivos, politicamente comedidos e eclesialmente corretos, ocupariam o protagonismo na resistência católica contra um pontificado comprometido em assumir a liderança mundial da esquerda e em pisotear impiedosamente tradições do cristianismo?

Francisco flagrou o que os papas anteriores tentaram maquiar: os progressistas saíram do armário e estão completamente descontrolados, crentes de que este pontificado é eterno e que eles podem fazer e dizer tudo que sempre fizeram e disseram na surdina, apenas para os seus círculos íntimos — aliás, muy íntimos.

O Cardeal Hummes, por exemplo, nos tempos de Santo André, ufanava-se por passeatas e protestos protagonizados por seu amigo pessoal, o ex-presidente e atual presidiário Lula, mas, nos últimos anos do pontificado de João Paulo II, assumiu ares conservadores, de tal modo que, nomeado arcebispo de São Paulo, foi elevado posteriormente por Bento XVI à Prefeito da Congregação para o Clero, exatamente por sua fama de linha dura na formação dos seminaristas. Obviamente, apenas quem não está habituado com a mentalidade dialética enganou-se com a fingida “conversão” conservadora do prestigiado purpurado. Antes de chegar em Roma, ele já tinha dado uma entrevista favorável à ordenação dos homens casados, opinião mantida cautelosamente em stand-by em seus tempos romanos, mas atualmente desfraldada com orgulho, a ponto de ser ele o líder dessa agenda no já concluído, apesar de nem começado, Sínodo da Amazônia. Aquilo que estava escondido, pôs-se à luz.

Mesmo o Cardeal Schönborn, que não é, digamos, suspeito de ortodoxia, acaba de publicar e, ato seguido, deletar um Tweet em que auspicia poder “ordenar mulheres como diaconisas”.

Atitudes como estas têm sido frequentíssimas, para não dizer cotidianas, por todos os lados na Igreja. Citamos apenas dois exemplares de uma plêiade tão numerosa de exemplos tais como dois grãos de areia na praia de Copacabana.

A autoconfiança progressista é a forca na qual eles mesmos serão enforcados. O efeito da dialética de Francisco é que ele mesmo está produzindo a superdose do antídoto que anulará tudo aquilo que ele está fazendo, haja vista a tendência hegemônica no clero mundial. O único benefício dos bajuladores de Bergoglio é o respaldo que recebem dele, mas, incapazes de reprodução, suas vozes caem incessantemente no vazio e eles, desprezados porque ridículos, fomentam apenas o odium plebis, cujas consequências serão devidamente colhidas por eles no tempo certo. Tudo é uma questão de espera…

Incapaz de superar a própria psicologia dialética por uma percepção integradora mais abrangente, o papa argentino tornou-se a vítima mais irredimível de si mesmo, condenado a produzir reversos de si indefinidamente. E isso não terá fim! Não se trata de uma falta de lealdade ou de uma disputa intestina. É um defeito intrínseco da eclesiologia dialética, que é, ao fim e ao cabo, uma eclesiologia do tiro no pé!

Tags:

11 Comentários to “A dialética de Francisco (III). O tiro no pé.”

  1. “e um pedido desesperado de orações contra Satanás?… ”
    Esse é o exemplo mais claro de tiro no pé que o progressismo pode dar….

  2. É um problema complexo, analisas como se fosse algo simples. As pessoas são seres complexos. Como podes afirmar com precisão que a posição atual de alguém, de algum prelado, não é sincera…verdadeira, devido no passado ele ter defendido exatamente o contrário????? Se isto fosse condição imprescendivel não teríamos hj, santos como São João Paulo II -liberal em boa parte do seu pontificado – ou o famoso, São Thomas More, o próprio Bento XVI na mocidade….
    É fato que a crise exista, porém estamos lidando com homens…devemos crer na interseção de Nossa Senhora, no lugar de ficar escrevendo artigos alarmistas deveria sim…dedicar um terço à crise atual.

    • Católicos, por Deus, não jujubeis. Indentificai o lobo em pele de cordeiro

    • Concordo plenamente. Não aceitar que uma pessoa possa mudar de opinião é o mesmo que dizer que uma pessoa que no passado foi pecadora não pode agora mudar de vida.

  3. O papa Francisco estaria caindo, como agora sucede com o PT: são tantos os rolos que esse se enfiou que se teceu uma redes de intrigas e contradições ao redor de si – embora em público sempre passasse em contrario via maquiage – e doravante se comprometeu de tal forma que se inviabilize a ponto de ser extinto após as próximas eleições e entregue por dentre os seus mesmos, por sinal daqueles em que mais confiavam e eram seus confidentes!
    Observem que o tal “não sei de nada e nada sabia” teria sido repetido recente naquele terrível caso Chile em que após o vazamento das fotos o papa Francisco, além de desmentido, obrigou-se a vir a público sob auto coação pedir desculpas – aceitas ou não por muitos – de qualquer forma, foi pego numa situação doravante que perde a credibilidade e em mais episodios similares que apenas os seus que lhe devotam confiança admitem, mesmo assim, não se sabe até que ponto e quando…
    O mesmo se deu na recente recepção ainda que provisoria(?) de acolhimento de validar ordenações de bispos por material-ateistas do PC chinês, apesar de eles odiarem o Senhor Deus e a sua Igreja…
    Discutia ontem com um sacerdote bem idoso seu devoto a abordei a questão nesse caso pertencer à “evolução dogmática”, disse que sim, por “acolhimento” e saiu outro assunto dizendo ele que o diabo “não é um ente que entra nas pessoas”, mas como estava cada vez mais nervoso, preferi mudar de assunto!
    Como os que se acomodam entre os que seriam esquerdistas e não teriam amor à verdade imutável de sempre, mesmo tendo caído numa serie de controversias, pareceriam pouco se importarem que fazem da imagem deles, demonstrando sempre dispostos a seguirem aprontando as suas – como se nada de anormal antes tivesse havido!…

  4. Isto aqui é um tiro “No coração” e não somente no pé. Vejam as palavras de um Bispo por aí…

    “São escandalosas as posturas alienadas de muitos cristãos e as adesões a um candidato à presidência que dissemina violência, ódio, racismo, homofobia e preconceito contra mulheres e pobres. Ele utiliza falsamente as temáticas do aborto, gênero, família e ética; faz apologia à tortura, à pena de morte e ao armamentismo; e é réu por injúria e incitação ao crime de estupro.
    Ele e outros candidatos usam o “nome de Deus em vão”, o que é censurado na Sagrada Escritura, conforme o Livro do Êxodo 20,7. Manipulam a religião. Não amam a justiça. O livro da Sabedoria os adverte: “Haverá investigação sobre os projetos do injusto, o rumor das palavras dele chegará até o Senhor e seus crimes ficarão comprovados” (Sb 1,9).”

    O texto completo está aqui…
    http://www.cnbbsul1.org.br/votar-com-lucidez/

  5. Primeiro um agradecimento aos que comentam aqui: há cerca de uns meses dividi minha angústia por ter colocado meu filho, desde os dois anos de idade, três anos numa escola batista e agora, neste ano, num colégio adventista, período integral e ensino bilíngue. Os motivos foram práticos e econômicos. Recebi uma dura crítica de alguém que comenta por aqui com alguma frequência, responsabilidade e uma crítica respeitosa e com caridade. Agradeci a força, olhei pras minhas misérias de pecador e fui à luta. Ano que vem meu filho vai estudar no Sagrada Família…vai alfabetizar-se lá e se Deus quiser fazer a Primeira Comunhão lá. A escola tem suas limitações? São impressões subjetivas que não vou elencar aqui. É o que tenho pro melhor pra meu filho com o que ganho em São Caetano do Sul, ABC paulista.
    Aqui é o berço do PT que na região não elegeu um único prefeito no último pleito. Fui coroinha quando Dom Claudio Hummes era Bispo aqui e sou neto e filho de malufistas. Não herdei o malufismo dos meus finados avô, filho de sicilianos e pai, também, quem sabe, junto ao Senhor na Glória Eterna. Também me lembro, mais adolescente, assinando abaixo-assinado da TFP em frente à biblioteca do bairro contra o comunismo ainda quando existia a União Soviética. Naquele tempo a gente pelo menos sabia quem era de qual lado. Acompanho meu amado tricolor paulista rumo à taça no brasileirão…será que torce mesmo pro San Lorenzo, Papa Francisco? Ele foi mártir e guardião dos bens da Igreja!!! Quais bens quer garantir pra Igreja? Que legado o senhor quer deixar? E se meu filho for iniciado no ecumenismo infame ou até mesmo no espiritismo… a quem recorrer? Pra mim, minha modesta opinião de classe-média tradicional, a informação vem antes do respeito ou o respeito vira só hipocrisia. Informação é tudo, grande riqueza deste blog.
    Por fim, ufa!, uma informação: há cerca de uns quatorze anos, como Oficial de Justiça, fui fazer uma penhora e encontrei uma situação de tristeza. Não vou alongar-me…filho mais velho cuidando dos mais novos pra mãe trabalhar, pai ausente, o pacote completo. Uma imagem do frei damião ao lado de uma de Nossa Senhora Aparecida em cima da geladeira e após a recusa por uma vaquinha no fórum e na minha comunidade de fé, um rapaz de dezesseis anos: trabalho com salgados, você trabalha na rua, né? não quer experimentar? Amanhã cedo tem quentinho, arranja mais lanchonetes pra poder entregar? Certifiquei que não havia nada ali pra ser penhorado, que a tv servia de distração pras crianças e o pc pra estudo do filho mais velho e dos mais novos. Continuei acompanhando a ação com alguma frequência. Ela pagou.

  6. Os biógrafos de Paulo Vi, de funesta memória, dizem que ele, ao discutir um assunto, conseguia perceber e apresentar as inúmeras facetas do problema, isto é, os seus prós e contra. Em questões cruciais, após elencar os pontos positivos para a manutenção de alguma prática tradicional da Igreja, ele optava em geral por aquela que lhe era oposta. Quem ler com atenção alguns de seus documentos, perceberá que Montini costuma expor de maneira tão interessante a tese que deveria ser censurada – Oh Horror…! – que pode dar-se o perigo de ser seduzido por ela, Montini dava uma no cravo, outra na ferradura e outra, ainda, no próprio dedo. Ele gostava muito de sofrer.

    O prelado argentino, cuja sutileza é a mesma do elefante em loja de cristais, não parece externar maiores dialéticas em suas ações. Sua ação é sempre unidirecional e segue a esburacada rota traçada pelos epígonos simplórios da TL – os Genéscios, os Dom Vigaristos e os Dom Anauê Câmara – e demais parvos que só conseguiram vicejar nas periferias da inteligência humana corrompida pelo pecado original, pela histrionice canalha e pela soberba luciferina.

  7. Inúmeras vezes, Deus permite que o mal domine para que seja revelada sua natureza e assim cause escândalo entre os crentes, dessa forma levantam-se as vozes para proclamar a Verdade e apontar o erro! Erro que ficava nas sombras e amenizado pelos discursos de concórdia, tolerância, amor! Bergóglio se revelou em sua natureza!

  8. Há um ditado entre os antigos que diz “…quando a dose de veneno é muito alta perde o efeito…”. Pode-se interpretar de outra forma:
    Quando o envenenador usa pequenas doses, no estilo “…cozinhar a rã…” o crime pode passar despercebido, mas esta acontecendo o inverso!

  9. Recebi este vídeo (https://www.youtube.com/watch?v=s6YzY2gg5xA), que descobri ser de fevereiro/18, no qual o Papa cita o “batismo no Espírito”. Já segui o que hoje chamo de “seita carismática”, ou “renovação carismática protestante” e lembro que haviam bons pastores que pediam não usar o termo para que não houvesse confusão com o sacramento do Batismo. E agora volta a linguagem de confusão, semeando o erro. Estamos vivendo o Calvário da Santa Igreja, mas agora não precisamos nos desesperar como a maioria dos apóstolos, mas nos juntarmos com a Bem Aventurada Maria Santíssima e o discípulo amado São João confiantes na gloriosa Ressurreição, que irá “rasgar o Véu do Templo” e “estremecer a Terra”.
    Deus sempre está conosco. Que estejamos nós com Deus, não contra ele.