Arcebispo Viganò exorta Cardeal McCarrick a arrepender-se publicamente em nova carta aberta.

Por LifeSiteNews, 14 de janeiro de 2019 | FratresInUnum.com— Em tom de caridade fraterna e sacerdotal, o Arcebispo Carlo Maria Viganò escreveu uma carta aberta ao ex Cardeal Theodore McCarrick, encorajando-o a arrepender-se publicamente de seus pecados e, assim, salvar a sua alma.

Na breve carta, datada de 13 de janeiro de 2019 e publicada em inglês e italiano (ver o texto completo abaixo), Dom Viganò buscou também persuadir McCarrick de que ele tem uma oportunidade única de beneficiar grandemente a Igreja com um ato público de arrependimento.

Dom Carlo Maria Viganò.

Dom Carlo Maria Viganò.

“O tempo está se esgotando, mas o senhor pode confessar e arrepender-se de seus pecados, crimes e sacrilégios, e fazê-lo publicamente, uma vez que esses mesmos pecados e crimes tornaram-se públicos. A sua salvação eterna está em risco,” escreve Dom Viganò.

Ele acrescenta, “Um arrependimento público de sua parte traria uma medida significativa de cura para uma Igreja gravemente ferida e sofredora. O senhor está disposto a oferecer-lhe esse dom?”.

A carta aberta do ex Núncio dos EUA surge após revelações divulgadas da Congregação para a Doutrina da Fé de que o processo de McCarrick está sendo tratado por meio de um processo administrativo despojado — chamado “processo criminal administrativo” — cuja conclusão está prevista para antes do encontro para tratar de abusos sexuais por clérigos, a se realizar no Vaticano, em fevereiro.

Um “processo criminal administrativo” desse tipo – que o direito canônico reserva para casos em que as evidências são tão fortes que dispensam um julgamento completo – dá a entender que as chances de condenação são muito grandes.

Theodore McCarrick é acusado de molestar três meninos — o mais novo com 11 anos de idade — e, pelo menos, oito seminaristas nas dioceses que governou. Se condenado, o ex Arcebispo de Washington, D.C. será destituído de seu estado clerical.

Atualmente, McCarrick reside no Mosteiro Capuchinho de São Fidelis, em Victoria, Kansas.

Apresentamos abaixo a carta aberta do Arcebispo Viganò a Theodore McCarrick. 

Carta a McCarrick

Reverendíssimo Arcebispo McCarrick,

Conforme tem sido noticiado pela Congregação para a Doutrina da Fé, as acusações contra o senhor por crimes contra menores e abusos contra seminaristas serão examinadas e julgadas muito em breve em um processo administrativo.

McCarrick

McCarrick e Francisco.

Não importa a decisão que a autoridade suprema da Igreja tomar a seu respeito, o que realmente importa e que entristeceu as pessoas que o amam e rezam pelo senhor é o fato de que ao longo desses meses o senhor não demonstrou qualquer sinal de arrependimento. Estou entre aqueles que rezam pela sua conversão, para que o senhor possa se arrepender e pedir o perdão de suas vítimas e da Igreja.

O tempo está se esgotando, mas o senhor pode confessar e se arrepender dos seus pecados, crimes e sacrilégios, e fazê-lo publicamente, uma vez que esses mesmos pecados e crimes tornaram-se públicos. A sua salvação eterna está em risco.

Todavia, algo de grande importância também está em jogo. Paradoxalmente, o senhor tem à sua disposição uma oferta imensa de grande esperança por parte do Senhor Jesus; o senhor está em condição de fazer um grande bem para a Igreja. Na realidade, agora o senhor está condição de fazer algo que se tornou mais importante para a Igreja do que todas as boas coisas que o senhor fez por Ela ao longo de toda a sua vida. Um arrependimento público de sua parte traria uma medida significativa de cura para uma Igreja gravemente ferida e sofredora. O senhor está disposto a oferecer-lhe este dom? Cristo morreu por nós todos quando ainda éramos pecadores (Rom. 5: 8). Ele somente pede que Lhe respondamos nos arrependendo e fazendo o bem que devemos fazer. O bem que o senhor está em condições de fazer agora é oferecer à Igreja o seu arrependimento sincero e público. O senhor dará este dom à Igreja?

Eu lhe imploro, arrependa-se publicamente dos seus pecados, de modo a fazer a Igreja regozijar-se e apresente-se diante do tribunal do Seu Senhor limpo pelo Seu sangue. Por favor, não anule o sacrifício de Cristo na cruz para o senhor. Cristo, Nosso Bom Senhor, continua lhe amando. Coloque sua total confiança em Seu Sagrado Coração. E reze para Maria, como eu e muitos outros estamos fazendo, pedindo que ela interceda pela salvação da sua alma.

“Maria Mater Gratiae, Mater Misericordiae, Tu nos ab hoste protege et mortis hora suscipe”.

Seu irmão em Cristo,

+ Carlo Maria Viganò

Domingo, 13 de janeiro de 2019

Festa do Batismo do Senhor

e São Hilário de Poitiers

e

4 Comentários to “Arcebispo Viganò exorta Cardeal McCarrick a arrepender-se publicamente em nova carta aberta.”

  1. Alerta da visão de Santa Brígida (aprovada pela Igreja) sobre o julgamento de maus papas e seus clérigos:

  2. Admirável, corajosa , fraterna , e amiga exortação do Sr Arcebispo Vìgano a McCarrick para encorajá- lo a se arrepender publicamente,podendo com esse ato além de conseguir a sua salvação,fazer um bem ENORME á Igreja. Muito bem exposto e oportuno. Rezo para que resulte e toque o coração de McCarrick. 🙏🙏🙏

  3. Um castigo a título penitencial de mosteiros e similares fieis à Igreja de sempre deveria ser de retirá-lo do convivio onde se encontra se se indispusesse em arrepender, confessar-se patentemente culpado, pedindo perdão a todos afetados por sua descontrolada *volupia, ações de porcos, segundo um pagão, evidentemente por se tratar de um pecador público, depondo, enlameando os coirmãos do Colegio Cardinalicio e os bons prelados em geral – situação muito deprimente para a Igreja, além de coadjuvante de induzir multidões a se transformarem em relativistas – a mais do que já estão!
    Assim, não apenas ele está no rol dos escandalosos, outros também, cada qual dando seu quinhão para a tentarem criar a igreja macaqueada, a projetada pela Nova Ordem Mundial-Globalistas-Maçonaria, dos sinistros projetos desde os promotores e conspiradores revolucionaristas Vindice e Nubius, os quais eram bem mais modestos aonde chegariam na promoção de um papa que os contemplasse em seus planos maléficos!
    Dessa forma, talvez a dupla acima não esperasse tão farta ceifa de almas para a condenação que poderia advir desse infelicíssimo pontificado, estilo livreco “Building Bridges” do relativista Pe James Martin, segundo alguns poucos desses que o denunciam, prelados e sacerdotes, apenas ele proporcionaria muita confusão, ambiguidade e adesão aos radicais inimigos da Igreja.
    Isso poderia nos remeter ao abaixo e, quem sabe, se encaixaria no atual pontificado?
    ** “Quase não se encontrará a inocência nas crianças nem pudor nas mulheres, e nessa suprema necessidade da Igreja, calar-se-á aquele a quem competia a tempo falar” (II, 7).
    Essa grave omissão é repetida por Nossa Senhora na aparição seguinte, em 2 de fevereiro de 1610:
    *** “Campearão vícios de impureza, a blasfêmia e o sacrilégio naquele tempo de depravada desolação, calando-se quem deveria falar” (II, 17).
    “Tempos funestos sobrevirão, nos quais …. aqueles que deveriam defender em justiça os direitos da Igreja, sem temor servil nem respeito humano, darão as mãos aos inimigos da Igreja para fazer o que estes quiserem” (II, 98).
    * Sêneca
    ** *** N Senhora do Bom Sucesso