Coluna do Padre Élcio: A cultura na utopia comunista.

Por Padre Élcio Murucci, 26 de janeiro de 2019 – FratresInUnum.com

O comunismo, como já tivemos oportunidade de mostrar, nega a existência de Deus. Mas, ele não nega a razão humana; e não só não a nega, mas exalta-a de tal maneira que a julga capaz de dominar o universo. Dizem que a razão humana é suficiente para sujeitar todo este mundo material e para levar a felicidade à humanidade.

Na verdade, a cultura intelectual do comunismo é inspirada, para não dizer copiada, da filosofia positivista de Augusto Conte. Este filósofo fazia consistir a filosofia num sistema de conhecimentos universais e científicos. Segundo ele, estes conhecimentos universais, respondem a todas as questões que preocupam aos homens atinente à sua existência. E os conhecimentos científicos só consideram válidas as respostas que podem ser provadas por experiência, segundo os métodos da ciência moderna. A cultura intelectual, portanto, para os comunistas é a da filosofia positivista de A. Conte.

Também a literatura e as artes, são capazes de interpretar o ideal científico desta filosofia. Para o comunismo, o verdadeiro valor do homem consiste em que é um trabalhador digno de formar uma classe operária. No término da evolução, o indivíduo será totalmente absorvido por sua classe. Deverá ser educado por ela desde a sua mais tenra infância. Sua felicidade será exatamente servir à classe operária, sem nenhum desejo de sequer pensar em ter alguma coisa como própria e nem pensar em liberdade pessoal.

No término desta evolução, também a mulher deverá ser igual ao homem; a organização social comunista procurará tornar a maternidade a mais leve possível. E isto justamente para que também a mulher possa realizar sua função essencial de operária. É desta concepção comunista que advém a lei do aborto. Segundo os comunistas, a mulher é dona de si e, assim sendo, só depende dela aceitar ou não o fruto de uma submissão ao homem, isto é, o resultado da concepção. Fazem questão de lutar contra o que Deus determinou na Bíblia: “Multiplicarei os teus trabalhos, disse Deus à mulher, e especialmente os teus partos. Darás à luz com dor os filhos, e estarás sob o poder do marido, e ele te dominará” (Gên. III, 16). Na verdade, caríssimos, toda a cultura comunista leva à destruição da família. Para os comunistas, o casamento indissolúvel vem do capitalismo. É o que ensinava Engels: “O casamento monogâmico e indissolúvel, nasceu da concentração de grandes riquezas nas mãos de um só homem, e do desejo de transmitir riquezas por herança aos filhos desse homem, excluindo os demais… Quando,  – continua Engels  –  já os meios de produção tiverem passado para a propriedade comum, a família individual deixa de ser a unidade econômica da sociedade. A guarda e a educação dos filhos se torna pública: a sociedade cuida igualmente de todos os filhos, legítimos ou naturais” (Livro, “A ORIGEM DA FAMÍLIA”).

Segundo o comunismo, ou mais especificamente, para Lenine, Marx e Engels, não há nada definitivo, absoluto e muito menos sagrado: tudo é uma sucessão ininterrupta de fenômenos, de modo que a situação presente deve conduzir-nos necessariamente a outro estado, ou seja, uma vida agrupada natural e espontânea, e nela, o indivíduo viverá inteiramente para a sociedade.

Verdadeiramente, os comunistas tentam transformar o homem em puro animal. Por exemplo: a própria união do homem e da mulher não é senão a manifestação inferior do “instinto sexual”, como nos animais. Para os comunistas, é inteiramente normal, satisfazer a esta necessidade como a de comer e beber. Daí o casamento tem de deixar de ser um contrato indissolúvel. Pregam a união livre. É claro que, filhos que são do demônio, pai da mentira, enquanto não puderem consegui-lo, até eles mesmos, por vezes, têm família, mas, em verdade, o escopo final seria o desaparecimento total da mesma. Querem grande natalidade, mas não como filhos em família, mas sim como filhotes de animais domados pelos donos comunistas. Os futuros cidadãos serão logo colocados em parques infantis para aprender sua vida social, passando logo às fábricas ou às explorações agrícolas socializadas, a não ser que suas disposições os encaminhem para os estudos superiores nos quais servirão à sua classe com o trabalho intelectual.

A “IDEOLOGIA DE GÊNERO” é uma invenção diabólica dos comunistas, invenção esta que transuda todo ódio contra as diferenças que Deus fez na natureza para que houvesse a complementação e a família. Como os comunistas não aceitam a existência de Deus, querem impingir a ideia de que é o homem que tudo decide, inclusive a sua sexualidade.

“Toda a educação, dizia Lenine, toda instrução e toda a formação da juventude contemporânea, se reduzem no ensinamento da moral comunista” (A Juventude Comunista, disc. do 3º Congr. P. Russo da Juventude comunista, 1920).  Mas em que consiste esta moral comunista? É tudo o que contribui para a realização das ideias comunistas. Em outras palavras: depende inteiramente do interesse do proletariado e das exigências da luta de classes. E esta moral no término de sua evolução, será, segundo os comunistas, uma coletividade sem hierarquia; só ela existirá nos sistemas econômicos. E sua missão única será a produção dos bens pelo trabalho coletivo. Eis a grande utopia dos comunistas: quando toda a humanidade for absorvida na classe operária, não haverá mais guerras sobre a terra porque não haverá diferenças de classes e condições sociais. Será a paz definitiva, será o altruísmo mundial, será, enfim, o paraíso na terra.

Caríssimos, os comunistas não só negam a existência de Deus mas consideram que um dos obstáculos essenciais para que haja progresso e paz, é a religião com sua crença em Deus. A religião é o “ópio do povo”; e esta sentença de Marx, disse Lenine: “constitui a pedra angular de toda concepção marxista em matéria de religião”… “é um aspecto da opressão espiritual que gravita sempre e por toda parte sobre as massas populares, agrupadas pelo trabalho perpétuo em favor dos outros, pela miséria e a solidão. A fé em uma vida melhor nasce com tanta necessidade da impotência das classes exploradas em luta contra os exploradores como a crença nas divindades, milagres, diabos…, nasce da impotência do selvagem em luta contra a natureza”… (A Vida Nova, 1905).

“A priori” poderíamos dizer que no comunismo tudo isto é pura utopia falaciosa, porque sem Deus não há ordem, progresso e paz, muito menos paraíso. E “a posteriori”, nos países em que já fora implantado o regime comunista, vemos sangue derramado, fomes e guerras. Contra fatos não há argumentos. Mas infelizmente, ainda há muitos que acreditam na mentira!

Tags:

2 Comentários to “Coluna do Padre Élcio: A cultura na utopia comunista.”

  1. Não foi tal fato similar no Brasil de aparecimento de tantos PCs, ajudando o avanço global do tirânico social-comunismo, com a criação de tantos PCs mundo afora?
    Brasil – caudilho PT; Argentina-Kirchner; Franceses Hollande-Macron; alemães Merkel, México recente optou pelo relativismo, os EUA com os “democratas” – o PT deles – mais tantos lixos, escorias da humanidade… Quanto desgraça e merecidos castigo de ordem espiriritual – os piores!
    Para os que crêem, diz Jesus, “Sabemos que somos de Deus, e que o mundo todo jaz sob o Maligno” 1 Jo 5,19 e de imediato, como atualmente, recusando a fé cristã católica tradicional e, quanto mais a abandona, mais crescem as injustiças e anarquias generalizadas! Assim, o homem atual julga poder resolver tudo por si mesmo via artifícios e as coisas só pioram, e cada vez mais chafurdando no relativismo, inclusive das milhares de seitas, onde cada um crê e age a bel prazer, como quiser, como no protestantismo, como prova, nunca atacado pela sua similar midia globalista.
    N Senhor Cristo Jesus explicitou:”Eu sou a videira; vós, os ramos. Quem permanecer em mim e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer” Jo 15,5 e isso permanece!
    Muitos são os países que cairam sob as patas dos vermelhos, sendo os grandes causadores os infiltrados na Igreja, comunistas travestidos de sacerdotes às centenas da esquerdista Teologia da Libertação-TL, pervertendo o povo com um cristianismo fraternalista e socializado, idem ajudados por milhares de pastores e obreiros aderidos ao lulopetismo, caso da IURD-partido-PRB!
    Um PT e surgimento doutros PCs no poder ou apoiadores, deveu-se, ao invés de preferirem o Reinado Social de N Senhor Jesus Cristo optaram os das ocas e loucas ideologias, como as marxistas; deveu-se a esses traidores que perverteram o povo e o caos se segue, facilitando surgir escorias e cristianófobos como Obama, Castro, Lula e outros bestiais do zoológico marxista, apoiadores das infernais Lutas de Classes, GLBTismo, feminismo, Ideologia de Gênero, eutanasia, aborto e doutras aberrações adequadas a bestializados, radicais desafetos da Igreja católica, pois resto está dominado
    O 3º Segredo de Fátima vai também nessa direção, da não conversão pessoal a nível mundial, e os castigos já chegaram via infernal social-comunismo tão dissimulado de ser um bem e eles ainda atuantes!
    São muito poucos os que não cairam nos golpes e nas ciladas dos acima, salvando-se sites impermeáveis às devassas e maléficas ideologias desses sanguinarios, déspotas e usurpadores, imunes a esses malfeitores, como o fratres!

  2. O comunismo é tão antinatural, que é uma verdadeira “contradictio in terminis” o homem inflacionar a razão como instrumento engendrador desta ideologia diabólica. Um verdadeiro “mysterium iniquitatis”.