Foto da semana.

Limeira, São Paulo – O contínuo protesto dos fiéis foi ouvido e o Papa Francisco aceitou a renúncia de Dom Vilson Dias de Oliveira, então bispo diocesano, do governo da diocese do interior paulista. Dom Vilson era conhecido por suas posições progressistas e por sua perseguição à Missa Tradicional.

14 Comentários to “Foto da semana.”

  1. Parabéns por ter “aceitado” a renúncia. Porém fica uma pergunta: a arquidiocese de Londrina vai sofrer até quando? Aqui não somos somente nós leigos, mas também o clero. O núncio vai esperar algo pior acontecer? Vai esperar o bispo enlouquecer?
    Ou vai esperar estourar outro escândalo, tipo o de padres que não assumem seus filhos, negando a faculdade da paternidade assistida? O pior da possibilidade de escândalos, alguns públicos, é que o bispo não faz nada, ou faz vista grossa em prol de não prejudicar o seu clã ou sua carreira. Até quando meu Deus?
    Além do ocorrido no 14° encontro das Ceb’s, perseguição a padres, querer confiscar o dinheiro do sacramento do crisma, porque recebia pouco, segundo vídeo divulgado por um grupo de padres nas redes sociais, foi ascendido a Presidente da CNBB do estado. E o pior, com um discurso perante os bispos que está sofrendo perseguição, está destruindo o que muita gente, entre elas Dom Albano (em memória), construiu!

  2. “O contínuo protesto dos fiéis foi ouvido”
    Igreja = democracia

  3. Tava demorando

  4. E o bispo de Limeira caiu. Caiu por motivos mundanos (extorsão, desvios financeiros, encobrimento de padres pedófilos) e não por ser um péssimo sucessor dos apóstolos, por pregar a heterodoxia e permitir que muitas almas permanecessem na escuridão do pecado. Não! Não foi por isso, porque isso não é um escândalo atualmente. De qualquer forma, por qual motivo tenha caído, ele caiu!
    A diocese de Limeira respira aliviada… ou quase. Como erva daninha, o progressismo se espalha fácil e é difícil de eliminar. No site da diocese há uma “nota” do “Clero Diocesano, seminaristas, agentes de pastoral, movimento e serviços, religiosos e religiosas leigos e leigas” cantando louvores a Dom Vil.
    A patota de Dom Vil foi pega “de surpresa pelo anúncio de sua renúncia” e diz que “as palavras não poderiam ser outras senão de agradecimento”. Como assim “surpresa”? O processo foi praticamente público, as denúncias vinham se empilhando por anos… O que esperavam? Misericórdia franciscana, talvez… Como assim “agradecimento”? Será que a diocese sofre de Síndrome de Estocolmo?

    Devemos agradecer ao Ministério Público e demais forças seculares pela remoção de Dom Vil, não ao Vaticano, especialmente não ao Papa Francisco. Francisco jamais removeria Dom Vil por vontade própria. Como já aconteceu em outros casos (Chile com o bispo Barrios, nos EUA com o ex-cardeal Mccarrick e com o bispo argentino Zanchetta, que Francisco levou para trabalhar no Vaticano para escondê-lo da justiça argentina), o Papa Francisco só remove um progressista se o caso estiver também nas mãos da polícia, caso contrário misericórdia fake e acobertamento.

    Sugiro ao Ministério Público que continue procurando e investigando as dioceses vizinhas… tem muita coisa “interessante” nas cúrias. Especialmente porque o “padrinho” de Dom Vil ainda é bispo diocesano por essas bandas.

    • “Caiu por motivos mundanos (extorsão, desvios financeiros, encobrimento de padres pedófilos) e não por ser um péssimo sucessor dos apóstolos, por pregar a heterodoxia e permitir que muitas almas permanecessem na escuridão do pecado. Não! Não foi por isso, porque isso não é um escândalo atualmente.”

      Perfeita sua análise! É isso mesmo, infelizmente!

  5. Isso é o que eu venho falando há anos aqui no Fratres : Quando os leigos católicos começarem a enfrentar e colocar a boca no trombone, esse clero progressista vai ficar com medo e será desmascarado.

    • Concordo com o senhor. O problema é que em certas dioceses os fieis leigos tem o defeito da bajulação e do excessivo respeito humano. 6 anos atrás eu tentei mobilizar outros leigos da minha cidade para um problema espiritual que estava (e está) se tornando comum em minha cidade, mas as pessoas a quem eu pedi ajuda logo de início abafaram a minha iniciativa, de modo que não deu em nada.

  6. E quando cairá Dom Tomé, de São José do Rio Preto?

  7. Para que eu comemore, precisaria ficar mais claro se o motivo da demissão foi a postura progressista, ou se foi a onda de acusações morais. Se for essa última, temo que não haja muito o que comemorar, pois é uma frequente tática utilizada para desmoralizar a Igreja (muito embora haja comportamento ruim na maioria do clero)

  8. Uma aviso ao bom povo de Limeira, virá um muitas vezes pior… podem esperar!

  9. Oxalá venha um melhor que esse. O problema é geral. Na minha Diocese, no Paraná, a coisa não é diferente. Bispo que nega a existência do inferno e claro, muitos padres: que nega as Aparições de Nossa Senhora e outras coisas do gênero. Muitos já me falaram que não acreditam na Sagrada Escritura e que a Bíblia é um livro histórico (bem ao gosto dos espíritas). E assim caminhamos para o fim dos tempos. Não poderia ser diferente!