Herético e apóstata. Cardeal Brandmüller excomunga o sínodo da Amazônia.

Por Sandro Magister, 27 de junho de 2019 | Tradução: FratresInUnum.com – Desde que veio a público em 17 de junho, o documento base – ou “Instrumentum laboris” – do sínodo amazônico teve muitas reações críticas devido à anomalia de sua implantação e suas propostas, comparadas a todos os sínodos que o precederam. 

Resultado de imagem para walter brandmüller

Mas a partir de hoje tem mais. Quem está acusando o documento de heresias e apostasia é um cardeal, o alemão Walter Brandmüller, de 90 anos, historiador da Igreja, presidente do Pontifício Comitê de Ciências Históricas de 1998 a 2009 e co-autor, em 2016, do famoso “dubia” sobre a interpretação e aplicação de “Amoris laetitia”, que o Papa Francisco sempre se recusou a responder.

Aqui está o seu “J’accuse”, tornado público hoje, dia 27 de junho, em todo o mundo e em vários idiomas.

Na Kath.net o texto original em alemão: “> Eine Kritik des “Instrumentum Laboris” für die Amazonas-Synode

Uma crítica ao “Instrumentum laboris” para o sínodo da Amazônia

de Walter Brandmüller

Introdução

De fato, pode causar espanto que, em contraste com as assembleias anteriores, desta vez o sínodo dos bispos se ocupe exclusivamente de uma região da terra cuja população é apenas a metade daquela da Cidade do México, ou seja, 4 milhões. Isto também causa suspeita no tocante às verdadeiras intenções que alguns gostariam de ver implementadas sub-repticiamente. Mas, acima de tudo, devemos nos perguntar quais são os conceitos de religião, de cristianismo e de Igreja que são a base do recém-publicado “Instrumentum laboris”. Tudo isso será examinado com o apoio de elementos individuais do texto.

Por que um sínodo nessa região?

Para começar, precisamos nos perguntar por que um sínodo de bispos deveria tratar de temas que — como é o caso de três quartos do “Instrumentum laboris” — têm só marginalmente algo relacionado com os Evangelhos e a Igreja. Obviamente, que a partir deste sínodo de bispos, realiza-se uma intromissão agressiva em assuntos puramente mundanos do Estado e da sociedade do Brasil. Há que se perguntar: o que a ecologia, a economia e a política têm a ver com o mandato e a missão da Igreja?

E acima de tudo: que competência profissional e autoridade tem um sínodo eclesial de bispos para emitir declarações nesses campos?

Se o sínodo dos bispos realmente o fizesse, isso constituiria uma invasão e uma presunção clerical, que as autoridades estatais teriam todo motivos para repelir.

Sobre as religiões naturais e a inculturação

Há outro elemento a se levar em conta, que é encontrado em todo o “Instrumentum laboris”: vale dizer, a avaliação muito positiva das religiões naturais, incluindo práticas curativas indígenas e similares, bem como práticas e formas de cultos mítico-religiosos. No contexto do chamado à harmonia com a natureza, fala-se até de diálogo com os espíritos (nº 75).

Não é apenas o ideal do “bom selvagem” esboçado por Rousseau e pelo Iluminismo, que aqui é comparado com o decadente homem europeu. Essa linha de pensamento vai além, até o século XX, culminando com uma idolatria panteísta da natureza.

Hermann Claudius (1913) criou o hino do movimento operário socialista: “Quando andamos lado a lado …”, e numa estrofe se lê: “Verde das bétulas e verde das sementes, que a velha Mãe Terra semeia com as mãos cheias, com um gesto de súplica para que o homem se torne seu … “. Vale notar que este texto foi posteriormente copiado no livro de cânticos da Juventude Hitlerista, provavelmente porque correspondia ao mito do “sangue e solo” nacional-socialista. Esta proximidade ideológica deve ser enfatizada: esta rejeição anti-racional da cultura “ocidental” que sublinha a importância da razão, é típica do “Instrumentum laboris”, que fala respectivamente da “Mãe Terra” no n. 44 e do “grito da terra e dos pobres” no n.101.

Consequentemente, o território – isto é, as florestas da região amazônica – pasmem, vem até declarado como um “locus theologicus”, uma fonte especial de revelação divina. Nela haveria lugares de uma epifania em que se manifestam as reservas de vida e sabedoria do planeta e que falam de Deus (nº 19). Além disso, a conseqüente regressão do Logos ao Mythos é elevada a um critério do que o “Instrumentum laboris” chama de inculturação da Igreja. O resultado é uma religião natural com uma máscara cristã.

A noção de inculturação é aqui virtualmente distorcida, pois na verdade significa o oposto do que a Comissão Teológica Internacional havia apresentado em 1988 e diferente do que havia ensinado anteriormente o decreto “Ad Gentes” do Concílio Vaticano II, sobre a atividade missionária da Igreja. 

Sobre a abolição do celibato e a introdução de uma sacerdócio feminino

É impossível esconder o fato de que esse “sínodo” visa particularmente implementar dois dos projetos mais ambicionados e que nunca foram implementados até agora: a abolição do celibato e a introdução de um sacerdócio feminino, a começar por mulheres diáconas. Em todo caso, trata-se de “levar em conta o papel central que as mulheres desempenham hoje na Igreja da Amazônia” (nº 129 a3). E da mesma forma, é uma questão de “abrir novos espaços para se recriar os ministérios adequados a este momento histórico. Chegou a hora de ouvir a voz da Amazônia … “(n. 43).

Mas aqui se omite o fato de que, conclusivamente, até mesmo João Paulo II já havia afirmado, com a mais alta autoridade magisterial, que não está no poder da Igreja administrar o sacramento da ordem às mulheres. De fato, em dois mil anos, a Igreja nunca administrou o sacramento da ordem a uma mulher. O pedido que se coloca em oposição direta a este fato mostra que a palavra “Igreja” é agora usada exclusivamente como termo sociológico pelos autores do “Instrumentum laboris”, implicitamente negando o caráter sacramental-hierárquico da Igreja.

Sobre a negação do caráter hierárquico-sacramental da Igreja

De maneira semelhante – embora com expressões bastante passageiras – o n. 127 contém um ataque direto à constituição hierárquico-sacramental da Igreja, quando se pergunta se não seria oportuno “reconsiderar a idéia de que o exercício da jurisdição (poder do governo) deve estar conectado em todas as áreas (sacramental, judicial, administrativo) e de maneira permanente ao sacramento da ordem”. É a partir dessa visão tão errada que surge no n. 129, o pedido para se criar novos ofícios que correspondam às necessidades dos povos amazônicos.

Todavia, é no campo da liturgia e do culto, no qual a ideologia de uma inculturação falsamente entendida encontra sua expressão de maneira particularmente espetacular. Aqui, algumas formas das religiões naturais são assumidas positivamente. O “Instrumentum laboris” (n. 126) não se retrai em  pedir que “os povos pobres e simples” possam expressar “a sua (!) Fé através de imagens, símbolos, tradições, ritos e outros sacramentos (!!)” .

Isto certamente não corresponde aos preceitos da constituição “Sacrosanctum Concilium” e nem aos do decreto “Ad gentes” sobre a atividade missionária da Igreja, e mostra uma compreensão puramente horizontal da liturgia.

Conclusão

“Summa summarum”: o “Instrumentum laboris” faz pesar sobre o sínodo dos bispos e, definitivamente, sobre o próprio papa uma violação grave do “Depositum Fidei”, que significa como consequência, a autodestruição da Igreja ou a transformação do “Corpus Christi Mysticum” em uma espécie de ONG secular com um papel ecológico-social-psicológico.

Depois dessas observações, naturalmente, abrem-se outras questões: pode-se encontrar aqui, especialmente no que diz respeito à estrutura hierárquica sacramental da Igreja, uma ruptura decisiva com a Tradição Apostólica como constitutiva da Igreja, ou melhor, os autores têm noção do desenvolvimento da doutrina que está sendo teologicamente substituído, a fim de justificar as rupturas acima mencionadas?

Este parece ser realmente o caso. Estamos testemunhando uma nova forma do Modernismo clássico do início do século XX. Na época, deu-se início a uma abordagem decididamente evolucionista e depois foi apoiada a idéia de que, no curso do contínuo desenvolvimento do homem a níveis mais elevados, seriam encontrados igualmente níveis mais elevados de consciência e cultura, o que significaria que o que era falso ontem poderia ser verdade hoje. Essa dinâmica evolutiva também foi aplicada à religião, isto é, à consciência religiosa com suas manifestações na doutrina, no culto e, naturalmente, também na moralidade.

Mas aqui, então, pressupõe-se uma compreensão do desenvolvimento do dogma que é claramente oposto ao entendimento católico genuíno. Este último compreende o desenvolvimento do dogma e da Igreja não como uma mudança, mas sim como um desenvolvimento orgânico de um assunto que permanece fiel à sua identidade.

É isso que os Concílios Vaticano I e II nos ensinam em suas constituições “Dei Filius”, “Lumen Gentium” e “Dei Verbum”.

Portanto, deve ser dito hoje com força que o “Instrumentum laboris” contradiz o ensinamento vinculante da Igreja em pontos decisivos e, portanto, deve ser qualificado como um documento herético. Dado que mesmo o fato da revelação divina é aqui questionado, ou mal entendido, deve-se também falar, que além disso, é apóstata.

Isto é ainda mais justificado à luz do fato de que o “Instrumentum laboris” usa uma noção puramente imanentista da religião e considera a religião como o resultado e a forma de expressão da experiência espiritual pessoal do homem. O uso de palavras e noções cristãs não consegue esconder que elas são simplesmente usadas como palavras vazias, independentemente do seu significado original.

O “Instrumentum laboris” para o sínodo da Amazônia constitui um ataque aos fundamentos da fé, de uma forma que até hoje não foi considerado possível. E, portanto, deve ser rejeitado com a máxima firmeza.

52 Responses to “Herético e apóstata. Cardeal Brandmüller excomunga o sínodo da Amazônia.”

  1. Dá gosto de ler uma análise de um prelado intelectualmente preparado.
    Bem diferente dos intelectualoides progressistas q não passam de populistas com cabeças de vento.

    • O colonialismo é uma doença. Os dados sobre o “fim do mundo” são irrelevantes!
      Se o cardeal, ou seus assessores, consultassem o google saberiam que a Amazônia não tem apenas 4 milhões de habitantes e nem a cidade do México tem apenas 8 milhões. Só na região amazônica brasileira tem 20 milhões, uma população que equivale a 20% da Alemanha. Tem ainda 12 milhões de católicos, quase metade do número de católicos alemãs.

    • Raciocínio raso no uso do Google se tornou uma doença, 20 milhões de habitantes é a população da Amazônia legal, um status político-administrativo composto por estados brasileiros que tem parte na floresta e não da floresta em si cuja população é bem menor, o mesmo vale para população da Cidade do México e não para a população da área metropolitana da Cidade do México. No caso da comparação do Eminente Cardeal, ele se refere a população abrangida pelo Sínodo que é de 4 milhões (equivalente à população Estado do Amazonas) e do município da Cidade do México que é pouco mais de 8 milhões.

    • [nevio fiorin] >>>o colonialismo é uma doença
      Não é nem uma doença e nem há colonialismo, pare de ficar usando esses termos como guarda-chuva para se proteger do sol, da chuva e de qualquer cousa.
      A Cidade do México tem oito milhões e a área coberta [região das missões] pelo então projeto de sínodo é de 4 milhões de pessoas.
      Desinformação é em outro lugar, aqui não.

  2. Obrigada Senhor, por ouvir o clamor do povo Brasileiro.

  3. Mas que coisa!!! Ele excomungou o sínodo… e Francisco?

  4. Um pastor de almas se pronuncia assim. Claro e direto pois fala às ovelhas visando sua salvação.

    Antigamente havia um termo usado pelos teólogos chamado “perigo, risco de erro contra a fé”, ou seja: a possibilidade de algo induzir ao erro já seria condenado. Não era nem o erro em si. desgraçadamente nessa nossa época que é erro puro, se perdeu esse tipo de linguagem.

  5. Espero que esse não seja o único a levantar e defender a igreja que isso não acabe em pizza.

  6. O antigo paganismo, o dos romanos e dos gregos, era essencialmente contraditório. Apresentava ideais de altíssima elevação moral ao lado dos vícios mais torpes. A contradição é também o signum reprobationis que pesa sobre a cabeça dos aderentes às maracutaias doutrinais do pseudo-pentecostais de Roncalli.
    Pois, como pode o cardeal falar de “heresia e apostasia”, e, ao mesmo tempo, invocar a autoridade “vinculante” de João Paulo Dois? Alguém ignora que lepra chamada “inculturação” era uma das dermatites espirituais de João Paulo Dois?
    E João Paulo Dois não promovia todo o tipo de fornicação espiritual naqueles bordéis ecumênicos, por ele promovidos, quando então restaurava, dentro das igrejas, o panteão das “religiões mundiais” com seus ídolos imundos, mudos e surdos…?
    Como é que o cardeal pretende insinuar que o jesuíta nefasto está inventando algo? Onde estava o cardeal entre 1978 e 2005, quando a Igreja de Deus era vexada pela desenteria ecumênica de João Paulo Dois? O cardeal estava in the dark side of the moon? Estava embrenhado na floresta amazônica caçando tatu?
    Então, quem pariu o bebê de Rosemary que o embale. De fato, a cara de pau dos conservadores é de causar espécie. Se eles tivessem se mexido para combater os erros do concílio de Roncalli, se tivessem arrancado a picareta das mãos do heresiarca Montini e feito um exorcismo pra livrar João Paulo Dois do demônio do ecumenismo marrom, eles não precisariam passar o ridículo de falar, hoje, da apostasia alheia. Apostasia adubada com o esterco da omissão e da conveniência servil deles próprios, os conservadores.
    Continuem conservando o concílio de Roncalli e, depois, que apague a luz o último cara de pau a sair. A Amazônia tem muita madeira.

  7. O Sínodo da Amazonia, muito adequadamente refutado pelo exímio teólogo Cardeal Brandmüller não passa de uma aberração, fantasma, quimera, fantasia, mais atendente às pretensões dos globalistas e à sua troupe de alienados que tudo, portanto, bem merecedor das análises apropriadas do eminente cardeal Brandmüller, plenamente arrazoado, com nosso total apoio à sua iniciativa de acusá-lo de insensato e mesmo, estúpido!
    De imediato, apenas de a midia das esquerdas e partidos políticos delas apoiarem, além de envolvido em denuncias vindas de todas as parte, como dubio e capcioso, faz-nos crer que se trata de oportunistas de plantão de usarem a Igreja católica contra o atual governo do Brasil ao ser de viés conservador, já que as esquerdas o apoiam em bloco, sem restrições algumas e, apenas de haver esse tipo de apoio sintonizado nelas já o torna suspeitíssimo!
    Caso inverso, se as esquerdas o contestassem, já que tudo desses tiranos e arbitrarios delas tentassem e desejassem o conter e refutar, o quanto bastaria para considerá-lo aproveitável ao cristianismo; ao contrario, as favorece; nessa hora, calam-se, pois tudo atende as metas ideológicas deles para ainda mais dissiparem e relativizarem as mentes e incentivarem as chamadas “discussões sociais”, inseridas no processo das infernais “Lutas de Classes”, sem as quais o comunismo não progride!
    Nesse ínterim, outra comissão do CIMI (Conselho Indigenista Missionário), almeja tornar os indígenas um instrumento seu e das ONGS a ela associadas, especialmente as germânicas, apresentando a visão de que suas áreas demarcadas seriam, praticamente, recortadas do território nacional, embora dissensas entre si!
    Assim, o Brasil seria uma nação de indivíduos das mais diferentes crenças e etnias, sofreria subdivisões internas, formadas por nações indígenas que se rebelam umas x as outras, que teriam completa autonomia sobre os seus territórios-lotes particulares, enquanto a leitura de seus documentos mostra um linguajar marxista, voltado para a transformação revolucionária do país, com apoio da esquerdista e conspiradora CNBB contra o povo, mais sua inseparável revolucionarista e anti povo TL.
    Como é, sr presidente da CNBB, D Walmor Azevedo, silente, retrátil até então, condenando o apoio e a ingerencia das esquerdas ou não, inclusive do tirânico comunonazifascista PT?

  8. Que mais vozes se levantem! Dê forças, Senhor, a seus ministros fiéis!!!

  9. Ainda há pastores na minha Igreja. Deus seja louvado pelas profeticas denúncias desta “nova” HERESIA na Igreja catolica. Estamos entrando em Novos Tempos, previstos no último livro da Bíblia (Apocalipse).
    Que Nossa Senhora Rainha da Paz nos dê forças para superar os ataques infernais que se aproximam contra a Igreja, contra a humanidade e, principalmente contra as famílias.
    No fim, Meu Coração Imaculado triunfará!
    Game over Francisco (eleito pela Máfia de St. Gallen – Suíça). A Sinagoga de Satanás, que agia na escuridão e sob o governo da sombra, foi exposta pela Luz da fé, da verdade, da tradição apostólica dos apóstolos, do depósito da fé, pela Faca de dois Gomes.
    Que vergonha!
    Que Deus não os puna na mesma proporção de suas faltas, joios misturados com o TRIGO.
    Vade retro, responsáveis pelo Sínodo da Amazônia!
    UM PEQUENO RESTO SERÁ FIEL A JESUS E A SUA IGREJA.

  10. Na verdade, o documento acima é uma ode ao Vaticano II….infelizmente!

    • Sandro Pontes, lamentável e mesquinho esse seu comentário. Sempre rezamos para que alguém de peso denunciasse essa máfia, vem a lume documento magistral feito por um príncipe da Igreja, enfrentando a todo o clero apóstata, e a única coisa que você consegue atentar é que ele citou documentos do concílio. Com gente assim, melhor não contar para nada.

    • Concordo.
      Tentam salvar esse concilio miserável que abriu as portas para toda essa desgraça que virá.

  11. Saíram de nós, mas não eram nossos! A Igreja não precisa apoiar-se nas estruturas do mundo, ou seja, mundanizar seus alicerces. Ontem, eram o evolucionismo e o historicismo, a ordem e o progresso; hoje, temos uma mística naturalista, um telurismo pagão. Só faltou o Instrumentum laboris encher as árvores de dríades locais, os rios de náiades, invocar uma Cibele aborígene. A salvação veio dos Judeus, sequer de gregos, egípcios, medos, persas etc. – isso já no tempo de Jesus. Por que agora os povos da Amazônia nos teriam de virar fonte de Revelação e Salvação.

  12. Interessante é essa visão rousseuaísta – típica de românticos de gabinete – sobre os aborígenes da América. As civilizações inca e asteca eram imoerialistas, massacraram povos em redor de si etc. Os indígenas do território atualmente compreendido pelo Brasil viviam-se matando em guerras contínuas, por causa da caça e da posse de terras – ainda que, não raramente, vivessem migrando, o que incrementava ainda mais os conflitos. Nunca houve Paraíso abaixo do Equador. Em pleno século XXI, e ainda assistimos a esse desfocamento típico de um olhar “ingênuo” (ou seria malicioso mesmo) sobre povos e culturas aborígenes? Affff…

  13. Que o Bom Deus se suscite outros numerosos Bispos para que tenham a coragem de se levantar contra tantos desvios!
    Lembremo-nos dos testemunhos de Santo Atanásio, Santo Hilário de Poitiers, de Mons. Lefebvre que se levantaram contra aqueles que tentavam envenenar a Fé!
    Viva Cristo Rei!

  14. Os shows, ou melhor, sínodos que este Papa convocou começaram todos em grandes temores e expectativas e deram em nada. Infelizmente não havia este espírito de defesa nos cardeais em 1962, quando João XXIII convocou o Concílio que pariu tudo isso.

    • Havia sim. Cito apenas três: Antonio Bacci, Alfredo Ottaviani e Giuseppe Siri. O problema é que esses e outros cardeais e bispos conservadores não tiveram forças para, sozinhos, barrar toda a destruição do CVII.

  15. O momento é obscuro, mas a um olhar atento é possível observar algo que se revela como alento para os corações dos filhos da Igreja. Para os fiéis apreensivos pela nebulosidade e tempestuosidade que ofuscam a verdadeira face da Santa Madre Eclesia, jamais deixará de constar sinais que pela providência divina orientam para a verdade. Logo, é pela presença do amor de Deus que, dissipando as densas trevas das incompreensões humanas, a verdadeira Igreja é revelada com seu brilho inconfundível, tal qual uma pedra preciosa de inestimável valor, pois neste momento de incertezas o Senhor nos possibilita identificar os elementos que consolidam a sobrenaturalidade da Igreja, tornando-a reluzente, capaz de refletir a verdadeira face de Jesus Cristo. A sagrada Tradição, a observância dos ensinamentos evangélicos fiéis ao Magistério de dois mil anos e o catecismo católico.
    Em fim, há de se crer que o Cardeal Brandmuller, tal como muitos que pregam fidelidade a santa doutrina da Igreja, são como escudeiros da fé católica e indicadores de uma luz preciosa, agindo como parte dessa mesma luz.

  16. Como católico apostólico romano, apoio ipsis litteris o posicionamento do Cardeal Brandmüller sobre o Sínodo da Amazônia.👏👏👏👏👏👏

  17. Eu quase tive uma epifania só de ler o título no RSS — que Deus venha tocar muitos bispos assim como tocou Brandmüller.

  18. A essas alturas do campeonato, uma dose de alívio nesse tsunâmi chamado Bergóglio que como um trator está pronto a esmagar tudo que ouse se levantar na sua frente…
    O que peço a Nosso Senhor é que outros Bispos e Cardeais, que existem sem dúvida, juntem-se contra esse “novo” demônio modernista, imanentista e pagão…
    EM NOME DE DEUS…LEVANTEM A VOZ!!!!!
    Já está tendo um conciliábulo também liderado por um dos que elegeram Bergóglio, sedimentando tudo que detonarão nessa peste chamada Sínodo…
    Parece brincadeira de mau gosto, mas, D. Rifan, coloca uma foto de Bergóglio no site da AASJMV com letras garrafais em cima: VIVA O PAPA, é inacreditável, inconcebível, é muita descaração pra um Bispo só…E pior, no Seminário ensina-se a veneração desse apóstata e herege que é Bergóglio, infelizmente, não dá mais pra tapar o sol com a peneira…
    E Bento XVI assistindo tudo da auto clausura que se impôs sem poder dizer um a…..
    Penso que seja um castigo divino por ter rejeitado a cruz que Nosso Senhor lhe impôs…
    Bergóglio causou e causa uma disenteria intestina na Igreja…
    Outra pergunta que não podemos calar: Onde está a FSSPX?????????????
    São 3 Bispos e mais não sei quantos sacerdotes que podem fazer a diferença…Por que essa omissão???
    Na situação que chegamos não basta celebrar soleníssimos pontificais, sem com isso, querendo dizer, que o SACRIFÍCIO DA MISSA NÃO É O NOSSO SOL….DEUS ME DEFENDA!!!!!!
    Um cardeal aqui, outro acolá, um Arcebispo mais adiante, não possuem a força de estarem juntos no bom combate contra esse dragão chamado BERGÓGLIO, que veio de encomenda…
    Nós do baixo clero só nos resta rezar muito e pregar a SÃ DOUTRINA, inclusive, o mini Sílabo do cardeal Burke e outros é uma ótima arma….
    Sagrado Coração de Jesus, valei-nos!
    Imaculado Coração de Maria, sede nossa salvação, fazei cumprir, o quanto antes, se não for ousadia nossa, a vossa promessa: POR FIM MEU IMACULADO CORAÇÃO TRIUNFARÁ!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  19. Obrigado querido cardeal, bom pastor! Na suas palavras se verificam a voz do autêntico Magistério da Santa Igreja. Nessa fé quero viver e morrer!!

  20. O comentário do Nevio Fiorin pode ser cotejado com o conteúdo pavoroso do site do qual o mesmo é articulista. Confiram a “ortodoxia” vermelha do mesmo que usa termos bem ao gosto comunista:
    http://fepolitica.org.br/noticias/bem-viver-e-tema-de-seminario-de-fe-e-politica-em-fortaleza/

  21. Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo que, em meio à confusão e apostasia generalizada, envia verdadeiros pastores para conduzir o rebanho. Ouça quem tem ouvidos para ouvir. Velai, Senhor, pela vida do Cardeal Brandmüller!

  22. Quantos Cardeais e quantos Bispos falam mal e são contra o Sínodo da Amazônia?
    0,00001%

    QUANTOS CARDEAIS E QUANTOS BISPOS SÃO A FAVOR DO SÍNODO ?
    99,999 %

    Outro ponto; o Instrumentum Laboris como o nome já diz, é um documento de Estudo e preparação para o Sínodo. É exatamente para discussão. São idéias e propostas de caminhos. Como diz o Documento:

    “O mundo amazônico pede à Igreja que seja sua aliada: esta é a alma do Documento de Trabalho (Instrumentum Laboris)

    O Documento é fruto de um processo de escuta que teve início com a visita do Papa Francisco a Puerto Maldonado (Peru) em janeiro de 2018, prosseguiu com a consulta ao Povo de Deus em toda a Região Amazônica por todo o ano e se concluiu com a II Reunião do Conselho Pré-Sinodal, em maio passado.

    Ouvir com Deus o grito do povo; até respirar nele a vontade a que Deus nos chama.

    Quem é contra isso ? Na verdade o pano de fundo dessas críticas todas é a CRÍTICA AO PAPADO DE FRANCISCO e a crítica a visão que Francisco tem de Deus, de Igreja e de missão.

    MAS ESSA VISÃO VAI SEGUIR, PORQUE É DE DEUS E INSPIRADA PELO ESPÍRITO SANTO.

    • Afirmações muito pretensiosas, além de insensatas e de uma “arrogância espiritual” que não é própria da Igreja Católica e, principalmente, daqueles que se põem ao Serviço do Bom Deus!
      Humildade é a marca indelével daqueles que querem ser guiados pelo Altíssimo!
      O senhor não acredita ser muita presunção afirmar que este Sínodo é “inspiração do Espírito Santo”?
      Do alto de meus 79 anos de idade e 54 de Sacerdócio Católico, já passei por muitas situações “inspiradas” que, com o correr dos anos, notou-se que não eram provenientes do Céu!
      Rezemos!

    • Por aqui nunca passou a tal consulta. Só em escritórios de Bispos progressitas e pelas suas cortes de puxa sacos compostas de Pjoteiros maconheiros e efeminados.

    • E digo mais, Flamarion, desde quando o Corpo Místico de Cristo é uma “Igreja Democrática de Direito”, quem ama a “demo”cracia é a trupe protestante e seus demônios.

      A voz da maioria é nada para a Igreja, tanto é nada para Deus — o Senhor de Israel não poupou seu povo no deserto por conta de suas vozes na maioria, mas por conta de um único, do clamor sincero de Moisés, suplica sufocada pelas inúmeras vozes dos transgressores que exerciam sua vontade popular bem pertinho do monte. Tanto faz se há mil de um lado e dez mil do outro, a retidão prevalece e o justo triunfa; se há uma coisa que Deus abomina é a vontade da maioria, pois é sabido que o homem é um lixo desde cedo [Gênesis 8:21], e quanto mais lixo junto, maior a podridão e o cheiro.
      Foi pela maioria que construíram cidades, desagradando Deus, foi pela maioria que corromperam a terra, desagradando Deus, foi pela maioria que construíram Babel, desagradando Deus, foi pela maioria que construíram os bezerros, desagradando Deus, foi pela maioria que reclamaram do maná, desagradando Deus, foi pela maioria dos espiões para traição à Moisés, desagradando Deus, foi pela maioria que foi feito Saul como rei de Israel, desagradando Deus, e poderia dizer mais e mais, mas só vale de lembrar foi pela maioria que soltaram Barrabás e mataram nosso Salvador.

      Quem ouve a voz do povo, morre para a voz de Deus.
      A Igreja de Cristo é a expressão do sagrado no mundo não porque tem a maioria, mas porque tem o único que é maior do que todos, Nosso Senhor Jesus Cristo.

    • O senhor nesta completamente enganado, esse percentual só existe na sua cabeça, e mesmo que fosse fico com as palavras de Santo Atanasio: ” se o mundo for contra a verdade, então eu serei contra o mundo”
      A igreja de hoje é a mesma de 2.000 anos atrás, não tem que ser moldar ao mundo e sim o contrário.

    • Eu imagino como é essa consulta ao Povo de Deus…
      Faz-me rir, meu irmão.
      Acorde pra vida .

  23. O Cardeal está certo! Concordo plenamente com ele.

  24. Quando se usa o Vaticano II para defender a Igreja, é porque a “coisa está preta”. Contudo, nesta situação de emergência, apoio total ao Cardeal Brandmüller.

  25. MEU CARO Pe. JOSÉ ANTONIO.

    Peço desculpas bom Padre, se transpareci ser arrogantes nas minhas palavras, mas acredite, são de indignação diante de tanta agressões aqui publicadas, de desconfiança e desrespeito ao Papa Francisco e a Igreja do Brasil que estou ajudando a construir. Sempre respeitei os tradicionalistas, como respeito os Budistas, os Protestantes, os Hindus e todas as pessoas que tem um crença diferente da minha. Vocês podem rezar em Latin e ter vossas crenças. NINGUÉM OS IMPEDE DE REZAR NO MODO TRADICIONAL. Mas porque vocês não aceitam que seus irmãos católicos tenham outra forma de rezar? ISSO SIM, me parece ser de uma arrogância muito grande, de querer impor que seu modo de rezar e pensar seja o único certo. JESUS NUNCA DISSO ISSO. Os fundamentos do Cristianismo devem ser preservados e ESSES SÃO O AMOR, A BONDADE, A SOLIDARIEDADE e não a lei, a doutrina, as formas, os rituais. Querer transformar que a verdade do Cristianismo seja um conjunto de leis, regras e rituais é empobrecer a VINDA DO FILHO DE DEUS NA TERRA. Jesus não veio só para um punhado de pessoas, mas veio para TODOS OS HOMENS E PARA TODAS AS CRENÇAS. Por isso a sua mensagem foi universal, abrangente como quer o Papa FRancisco. Por que vocês chamam todos de heréticos? ISSO SIM É ARROGÂNCIA. O critério da salvação nunca foi a fé, mas o amor. MT 25.

    Quando o bom Papa João XXIII convocou o concílio, alguns dos seus irmãos tradicionalistas ficaram horrorizados pregando que esse concílio seria o fim da Igreja. A Igreja está de pé apesar da dificuldades que estamos encontrando. Mas isso se deve as mudanças do mundo. O mundo mudaria mesmo que a Igreja não mudasse. O materialismo, o Marketing e a catequese feita pela televisão, pela internet e pelas propagandas são um vendaval que estão levando as pessoas ao vazio e a depressão. Pensem se a Igreja não tivesse mudado nada? JÁ ESTARÍAMOS ENTERRADOS. Não tenho dúvidas.
    UMA EMPRESA QUE NÃO MUDA, VAI FALIR. A Igreja é como um grande navio e um navio não muda de uma hora para outra. Mas estamos no rumo certo. A simplicidade, o amor, a bondade e a partilha. ISSO É A ESSÊNCIA.
    De qualquer maneira, sempre respeitarei vossa maneira de pensar e peço que reconsidere, pois se no passado Deus falou através de uma Burrinha, Deus pode falar através de quem Ele quiser, INCLUSIVE PELO PAPA FRANCISCO E PELA CNBB.

    Sua benção.

    • Estimado em Cristo, Sr. Flamarion;
      A paz de Cristo!
      Inicialmente, gostaria de agradecer-lhe a atenção ao comentário que fiz. Depois, desculpar-me se o fiz se sentir ofendido.
      Prezado Sr. Flamarion, o senhor deve ser jovem – no caso, bem mais jovem que meus 79 anos – e, repleto dos ideais mais nobres e justos. Gostei muito quinado o senhor fala do amor, o mandamento máximo de Nosso Senhor Jesus Cristo.
      Justamente por amor que defendemos nossa Fé!
      Queremos que as pessoas conheçam a mensagem de Cristo, como ela foi, é e será, sem acréscimos ou subtrações!
      Senhor Flamarion, a Igreja é nossa Mãe e, portanto, sempre a enxergamos linda, mesmo que com roupas simples ou suntuosas, sempre será linda, pois, é nossa Mãe!
      Por este motivo, não queremos que ninguém a desfigure, que a menospreze, simplesmente porque a amamos com amor materno!
      Peço ao Bom Deus que não aconteça com o senhor o que passou com tantos defensores do Concílio Vaticano II, ao contemplar seus resultados.
      Peçamos ao Bom Deus que nos faça humildes para reconhecer nossos limites e sábios para observar os erros e não repetí-los!
      Que o Coração de Jesus, aberto pela lança, derrame sobre nós Suas Bênçãos!
      Imaculado e Doloroso Coração de Maria, rogai por nós!

    • O essêncial são Tradição, sagrada escritura e magistério. E quanto a liturgia, leia a bula de São Pio V.

  26. Quantos cardeais e bispos falaram mal do Arianismo (heresia)?
    0,0001%
    Como a história se repete:
    “O mundo dormiu católico e acordou ariano” (São Jerônimo).
    Moral: Santo Atanásio rogai por nós!

    Em tempo: qual é a fonte da sua pesquisa (estatistica), Ismael Flamarion? O IBOPE? A TV GLOBO?!?

  27. confesso que me fiquei com nojo de ler os instrumentos de trabalhos do Sínodo fiquei muito contente com a manifestação do Eminentíssimo Senhor Cardeal; meus respeitos! Ora meu Deus do céu; o que está por trás disso é o próprio satanás! Meus irmão isso é um absurdo! Padrequinhos casados e velhinhos cuidando do evangelho segundo o naturalismo amazônico para depois as viúvas bateram nas portas da diocese reclamando os seus bens como a casa paroquial…..Jesus repreendeu a Pedro, dizendo: afasta-te de mim Satanás pois pois meus pensamentos não são como os vossos. Não prevalecerão! O que esse Papa Francisco tem na cabeça, sinceramente não sei, pois a Igreja tem diversos desafios, a partir da sua Cúria Romana, os Muçulmanos, a China, entre outros mil problemas e está preocupada com índios?

  28. Ótimo texto.

  29. Graças a Deus está muito próximo o dia em que a Verdadeira Igreja Católica vai se libertar das garras do demônio!

  30. Sinceramente, senhores e senhoras leitores, alguém duvida que o documento final de tal sínodo , já estava escrito e bem guardado, muito antes da divulgação do documento preparatório? que conversa é esta então que o Espírito Santo é que vai guiar aqueles homens…? francamente.

  31. Ter 4 ou 20 milhoes de habitantes é irrelevante, pois o que está em jogo aqui é uma religião fundada por Nosso Senhor Jesus Cristo que deu sua vida para nos tirar da escuridão, que por meio de pseudos secerdotes de Deus e heréticos , que rem a qualquer custo continuar os planos satanicos de nos afastar de Deus e a todo custo nos levar a total apostasia.

  32. Esse Sínodo da Amazônia feito pelos hereges modernistas me lembra o Sínodo de Pistoia feito pelos hereges jansenistas. Só espero que o Papa Francisco condene esse Sínodo como o Papa São Pio V condenou o Sínodo de Pistoia.

Trackbacks