O Papa Peron.

Católicos argentinos afirmam que Bergoglio ascendeu ao poder como um camaleão impiedoso.

Por George Neumayr, The American Spectator, 25 de agosto de 2019 | Tradução: FratresInUnum.com – Eu ainda estou em Buenos Aires, coletando histórias de Jorge Bergoglio. Algumas delas são estranhas; outras, muito duvidosas e explosivas para reproduzir.

Uma história persistente e difundida sobre Bergoglio é que ele costumava socorrer maus padres como uma forma de obter influência sobre eles.

“Bergoglio chamaria os que estão investigando, dizem, um padre pederasta e pedia para parar”, afirmou um entendido a respeito de assuntos da Igreja em Buenos Aires. “Ele então informava ao padre transgressor de sua intervenção e então utilizava disso para obter total obediência dele”. Muitos desses padres estavam em débito com Bergoglio.

Alguns se questionam o porquê do Papa Bergoglio se cercar de tantos bandidos, excêntricos e depravados. Mas isso não é mistério para os católicos argentinos: “Ele fazia o mesmo como arcebispo”, afirma um deles. “Usava seus segredos para controlá-los”. Era essa malévola tática de gestão que levou Bergoglio a uma aliança com Theodore McCarrick e outros incontáveis abusadores.

Os católicos argentinos descrevem Bergoglio como um Peron eclesiástico — um cruel e confuso socialista — camaleão desejoso de contar alguma mentira e experimentar alguma estratégia baixa para se manter no poder.

“Peron costumava dizer que era um catavento, que se movia para onde ia o vento”, disse-me um jornalista. “Bergoglio era assim também. Na segunda-feira, era uma liberal. Na terça, um conservador. Na quarta, um liberaval de novo. E assim ia”.

Para tentar julgar e compreender Bergoglio, visitei lugares-chaves em sua vida em Buenos Aires — desde onde ele nasceu até os locais em que trabalhou. Tenho que dizer que foi um tour bastante sombrio. Meu guia observou, no início de nosso trajeto, que muito da história de Bergoglio se concentra em “mentiras” que visam alavancar o turismo. “Custa 100 dólares fazer o tour de Bergoglio”, afirmou. Não é necessário dizer que eu não vi ninguém fazendo o passeio. Em uma economia em que a taxa de juros chegou a 75%, 100 dólares é um investimento alto.

Uma parada do tour é o confessionário da Basílica de São José, onde Bergoglio supostamente decidiu se tornar uma jesuíta. Meu guia riu dessa lorota. “As datas não batem com as contas oficiais. De fato, ele se decidiu anos antes”, declarou. E acrescentou que a razão para Bergoglio entrar na ordem não foi espiritual, mas política: ele sabia que a ordem estava rapidamente se movendo para a esquerda e ele estava ávido por trilhar essa jornada ideológica.

“Os jesuítas estavam cheios de comunistas, e Bergoglio era um deles”, observou uma jornalista. De fato, Bergoglio recebeu sua educação política aos pés de uma comunista paraguaia chamada Esther Ballestrino, que foi sua chefe em um laboratório de Buenos Aires, após ele obter um diploma equivalente a bacharel em química. Bergoglio afirmou que ele “devia” muito “àquela grande mulher”. Ele louvou a forma com que ela o introduziu a publicações e literatura comunistas e festejou com ele histórias sobre o “tribunal de Rosenberg”.

Bergoglio orgulhosamente ostenta o crédito de esconder sua literatura marxista em uma biblioteca jesuíta durante sua perseguição. “Ela foi jogada de uma avião e seu corpo foi encontrado na costa do mar”, afirmou um católico conhecedor desse período da vida de Bergolgio. Em uma total violação ao direito canônico, Bergoglio a sepultou em uma Igreja Católica, muito embora ela não tivesse sido uma católica praticante”. Fui informado que a igreja onde ela estava enterrada é agora uma espécie de monumento para os socialistas revolucionários. Eu me programei para visitá-lo antes de partir.

Um dos lugares mais hilários ao qual já fui é o antigo vicariato de Bergoglio. Meu guia me informou que do outro lado da rua se encontrava um “prostíbulo” chamado Hotel Helen. Eu o examinei, e claramente não parecia um hotel: por um ponto, não tinha janelas. Buenos Aires, onde a prostituição foi legalizada, é abarrotada dessas tocas sem janela.

Mas ainda mais sombriamente cômico eram as paredes em torno do vicariato, adornadas com pontiagudas garrafas de vinho quebradas, a fim de impedir que pulem os muros. Hey, Papa Francisco, isso não é muito acolhedor! Mas é só mais uma contradição em uma triste história cheia delas.

Tags:

8 Comentários to “O Papa Peron.”

  1. O sacerdote superior jesuíta à sua época ainda como sacerdote, Pe Hans Kolvenbach, irrecomendou a nomeação o Pe Francisco tido como divisionista da Congregação Jesuíta cotado para ser bispo, assim agindo para que não o efetivassem no episcopado, pois sua nomeação seria deleteria!
    Conhecia muito bem seu caráter instável e desequilibrado, embora os documentos nesse sentido referenciados a ele tenham misteriosamente desaparecido dos arquivos do Vaticano – por certo, a mafia eclesiástica maçônica infiltrada na Igreja católica teria cuidado para que desaparecessem ou os queimado – nunca mais encontrados!
    Segundo algumas fontes, não lançado ou já existiria um novo livro sobre o Papa Francisco, mesmo antes desse projeto teria gerado discussão, nomeado de Lost Shepherd: How Pope Francis is Misleading His Flock – Pastor perdido: como o Papa Francisco está desviando o seu rebanho!
    Num dos trechos de “O papa ditador” que mais causou repercussão é o em que o autor levanta o véu sobre o juízo sobre o Pe Bergoglio, escrito em 1991 pelo superior-geral da Companhia de Jesus acima citado durante consultas secretas pró ou contra a nomeação do próprio Pe Bergoglio como bispo auxiliar de Buenos Aires.
    Referindo-se a si mesmo, ele teria admitido: “O meu modo autoritário e rápido de tomar decisões levou-me a ter sérios problemas e a ser acusado de ser ultraconservador, mas nunca fui de direita”, então compulsoriamente, como no presente, o papa Francisco já seria considerado como esquerdista pelos seus procedimentos e a apoios explicitos aos radicais anti católicos marxistas!
    Eis aí o que agradaria plenamente a mafia eclesiástica novus ordo mundialista encontrada atualmente dentro do Vaticano, colocando por seus desvios doutrinarios e ambiguidades proprias de seu caráter instável e vacilante imensas multidões de católicos desorientados e em polvorosa – dessa forma estaria se mantendo!

  2. ““Bergoglio chamaria os que estão investigando, dizem, um padre pederasta e pedia para parar”, afirmou um entendido a respeito de assuntos da Igreja em Buenos Aires. “Ele então informava ao padre transgressor de sua intervenção e então utilizava disso para obter total obediência dele”. Muitos desses padres estavam em débito com Bergoglio.”

    A matéria que eu vou mandar aqui aparentemente não tem nenhuma relação com o assunto mas vou mandar assim mesmo porque em primeiro lugar eu acho que é algo que todos deveriam ler e refletir durante um ano sobre o que está escrito. Em segundo lugar porque, como eu disse, aparentemente não tem nenhuma relação com o assunto mas a estratégia destas pessoas é a mesma que a do Bergoglio relatada no artigo do The American Spectator que o Fratres traduziu e da maçonaria. Muito provavelmente o entrevistado pelo Jessé Souza (Tudo bem, eu sei que o Jessé Souza é um esquerdista e o Diário do Centro Mundo também, mas o importante é o conteúdo da matéria) também é maçom. Se eu apostasse colocaria todas as minhas fichas que Bergoglio também é maçom.

    https://www.diariodocentrodomundo.com.br/executivo-de-banco-conta-como-se-compram-politicos-juizes-e-jornalistas-em-entrevista-a-jesse-souza/

  3. Infelizmente, trata-se apenas de mais um exemplo, dentre miríades, de práticas comuns no clero.
    Falta que os candidatos sejam melhor examinados a fim sanar endemia de psicopatas. Falta que os não-psicopatas se convertam e creiam no Evangelho.

    Conheci muitos clérigos. Poucos me pareceram saudáveis mental ou espiritualmente. Estão no lugar errado e agora é tarde. Muito tarde.

    A cobiça, a inveja, a calúnia, a malidicência fazem a festa onde “Deus”, “inferno”, “caridade” são apenas palavras vazias de um vocabulário neurótico e desgastado para quem, no fundo, não crê em mais nada.

    São ateus práticos. A Igreja lhes serve apenas como meio de vida e de palco para exibicionismos grotescos e desumanos.

    Devemos ter cuidado de manter cheias de azeite as nossas lâmpadas, para não nos tornarmos, por negligência, piores do que eles.

  4. O 10º parágrafo está confuso, mas só para clarear, as referências nele estão voltadas à ex-chefe de Jorge Bergoglio, a comunista Esther Ballestrino: foi a coleção de literatura marxista dela que o então Pe. Jorge Bergoglio escondeu em uma biblioteca jesuíta, enquanto Esther era perseguida. Esther Ballestrino foi jogada de um avião e seu corpo foi encontrado em uma praia, e não a coleção de literatura marxista dela. “Em uma total violação ao direito canônico, Bergoglio a sepultou em uma Igreja Católica, muito embora ela não tivesse sido uma católica praticante”. Pe. Bergoglio providenciou sepultura eclesiástica para a comunista assassinada, embora, claro, ela fosse uma revolucionária e não mais uma católica de fato – não foi a coleção de literatura marxista dela que foi sepultada em uma igreja. “Fui informado que a igreja onde ela [Esther Ballestrino, e não os livros dela] estava enterrada é agora uma espécie de monumento para os socialistas revolucionários. Eu me programei para visitá-lo antes de partir.” Salve Maria!

  5. Diante do exposto, a eleição foi inválida pois foi uma tramoia ou os sedevacantistas estão certos: a Sé está Vacante pois o Papa é Herege! Mas, como nenhuma autoridade na terra pode dizer isso de um Papa a não ser outro Papa, temos que suportar na fé e esperar que Deus o chame, e que na próxima eleição algum Papa se manifeste claramente contra essa impostura.

  6. O texto do link citado pelo comentarista Maxwell é um romance muito mal elaborado. Dá para perceber que copia relatos anteriormente citados na mídia. Como sempre, a esquerda pensa que todos são idiotas de acreditar em confissão de alguém ligado ao alto círculo financeiro.

  7. Alô, cleaners! Alguém na escuta?

  8. Perón é a representação do flagelo que atingiu a Argentina no último século e a destruiu, transformando-a no que é hoje. Queira Deus que não precisemos passar por séculos a corrigir os desvios promovidos neste pontificado!