Mais uma vez cai a máscaras do pseudo isentismo de Hummes & Cia.

Deputados da oposição são convidados para evento paralelo ao Sínodo da Amazônia

O convite partiu da Rede Eclesial Pan-Amazônica (Repam), entidade presidida pelo cardeal D. Cláudio Hummes, relator-geral do sínodo. Ele chamou deputados de partidos como PT, PSB e Rede Sustentabilidade para participar de atividades

Felipe Frazão, O Estado de S. Paulo, 03 de outubro de 2019, BRASÍLIA – Deputados de oposição ao governo Jair Bolsonaro se organizam para viajar ao Vaticano a fim de denunciar violações de direitos humanos na Amazônia Legal, durante o Sínodo dos Bispos. Conforme revelou o Estado, o papa Francisco vetou a presença de políticos com mandato no encontro, mas entidades ligadas à Igreja convidaram os parlamentares brasileiros para um evento paralelo.

O convite partiu da Rede Eclesial Pan-Amazônica (Repam), entidade presidida pelo cardeal D. Cláudio Hummes, relator-geral do sínodo. Ele chamou deputados de partidos como PT, PSB e Rede Sustentabilidade para participar das atividades da tenda ‘Casa Comum’.

Espaço aberto e coletivo, conexo ao sínodo, a tenda é organizada por entidades católicas, entre elas a Repam, a Cáritas, o Conselho Indigenista Missionário (Cimi) e o Movimento Católico Global pelo Clima – e não diretamente pela Santa Sé. No encontro restrito aos bispos, o papa proibiu, além dos políticos, militares de participarem das assembleias e reuniões, apesar de esforços diplomáticos do governo brasileiro para ter voz no encontro global de bispos.

Os deputados foram convidados para falar no dia 14 de outubro, um dia após a canonização de Irmã Dulce. Eles pretendem apresentar na tenda um relatório sobre a situação dos diretos humanos na Amazônia Legal. O texto, em fase final de elaboração, é coordenado pelo deputado Helder Salomão (PT-ES), presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara. Outros deputados assinaram o documento, entre eles os líderes da oposição, Alessandro Molon (PSB-RJ), e da minoria, Jandira Feghali (PCdoB-RJ). Nenhum é alinhado a Bolsonaro.

O documento preparado por Salomão inclui o relato de três visitas recentes feitas pela comissão para fiscalizar ocorrências na Amazônia: a disputa por terras quilombolas no entorno da base de lançamentos espaciais em Alcântara (MA), o massacre nos presídios de Manaus (AM) e a morte do cacique Emyra Wajãpi, na terra indígena da etnia no Amapá. A comissão se opôs ao acordo com os Estados Unidos para exploração da Base de Alcântara (MA), denunciou “falhas crassas” na segurança, “condições insalubres” e “provável prática de tortura” nas cadeias manauaras e contestou o inquérito sobre a morte do cacique Wajãpi, que teria se afogado, segundo a Polícia Federal – o conselho das aldeias locais denunciou um suposto assassinato cometido por garimpeiros invasores, o que a investigação não confirmou.

_Deputado pede a Maia que autorize viagem_

Helder Salomão vai pedir ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), a formação de uma comitiva para viajar em missão oficial, com despesas custeadas pelo Legislativo. Segundo o petista, sem o aval de Maia, os deputados até podem viajar ao Vaticano, mas levariam falta nas atividades parlamentares, com desconto salarial. “Se o deputado não viaja em missão oficial, não poderá falar em nome do parlamento brasileiro”, pondera o petista.

Além dele, também foram convidados pela Repam para ir ao Vaticano, entre outros, nomes como Airton Faleiro (PT-PA), Camilo Capiberibe (PSB-AP) e Joênia Wapichana (Rede-RR) – única indígena no Congresso e presidente da Frente Parlamentar Mista em Defesa dos Direitos dos Povos Indígenas.

A tenda Casa Comum vai sediar em Roma encontros entre os padres, bispos e cardeais que participam do sínodo, leigos e religiosos – que levarão 50 representantes dos povos indígenas da Amazônia. As atividades da tenda vão além das oficiais, que são restritas à lista de participantes do sínodo.

A tenda será instalada num ambiente cedido por padres carmelitas, da Igreja de Santa Maria em Transpontina, perto da Praça São Pedro. No espaço, haverá palestras, debates, vigílias, peregrinações, apresentações de costumes tribais e exposições de documentários e fotografias sobre temas como violência contra índios no Brasil, impactos negativos da mineração e a vida da irmã missionária Dorothy Stang, assassinada há 14 anos, em Anapu (PA).

9 Comentários to “Mais uma vez cai a máscaras do pseudo isentismo de Hummes & Cia.”

  1. “Eles têm os templos, e vós a Fé Apostólica”. Santo Atanásio

  2. Interessante como o mal sempre se aglutina.

  3. Reinterpretando, desmascarando e desnudando as falacias propositadamente de forças ocultas – nem tanto – omitidas, ocultadas de textos do Sínodo da Amazonia, patrocinado pelo comunismo internacional-(ONU-NOM-MAÇONARIA) para a realidade cristã católica, radical desafeta dos comunonazifascistas – não dessa neo igreja repleta de surpresas de um incerto e indeterminado deus do papa Francisco, mega apoiador dos martelo e foice!
    … “O convite partiu da Rede Eclesial Pan-Amazônica (Repam), entidade presidida pelo cardeal D. Cláudio Hummes(SERIA MAÇON) relator-geral do sínodo. Ele chamou deputados de partidos como PT, PSB e Rede Sustentabilidade(COMUNISTAS) para participar(EM) das atividades da tenda ‘Casa Comum’(NISTA)”.
    Espaço aberto e coletivo(COLETIVISTA…), conexo ao sínodo, a tenda é organizada por entidades católicas(CAÓTICAS)), entre elas a Repam, a Cáritas, o Conselho Indigenista Missionário (Cimi)-(DA ESQUERDISTA CNBB) e o Movimento Católico(?) Global(ISTA) pelo Clima – e não diretamente pela Santa Sé. … “No encontro restrito aos bispos, o papa proibiu, além dos políticos, militares de participarem das assembleias e reuniões, apesar de esforços diplomáticos do governo brasileiro para ter voz no encontro global(ISTA) de bispos(VERMELHOS, SERVIÇAIS DO PAPA FRANCISCO)”.
    Os deputados foram convidados para falar no dia 14 de outubro, um dia após a canonização de Irmã Dulce. Eles pretendem apresentar na tenda um relatório sobre a situação dos diretos humanos(DIREITOZUMANOS) na Amazônia Legal.
    … “O texto, em fase final de elaboração, é coordenado pelo deputado Helder Salomão(PT-ES).
    … “Além dele, também foram convidados pela Repam para ir ao Vaticano, entre outros, nomes como Airton Faleiro (PT-PA), Camilo Capiberibe (PSB-AP) e Joênia Wapichana (Rede-RR) – única indígena no Congresso e presidente da Frente Parlamentar Mista em Defesa dos Direitos dos Povos Indígenas(PCs, TODOS COMUNISTAS).
    … “No espaço, haverá palestras, debates, vigílias, peregrinações, apresentações de costumes tribais e exposições de documentários e fotografias sobre temas como violência contra índios no Brasil, impactos negativos da mineração e a vida da irmã missionária Dorothy Stang, assassinada há 14 anos, em Anapu (PA)(SERIA TL)”.
    … *”Em outubro, bispos de todas as partes do mundo se reunirão no Vaticano para um diálogo com duração de um mês sobre a proteção da Amazônia e seus povos. Ao longo deste ano, nós do Movimento Católico(?) Global(ISTA) pelo Clima Em outubro, bispos de todas as partes do mundo se reunirão no Vaticano(REPLETO DE MAÇONS) para um diálogo com duração de um mês sobre a proteção da Amazônia e seus povos. Ao longo deste ano, nós do Movimento Católico(?) Global(ISTA) pelo Clima(DISTRAINDO AS MENTES DO POVO PARA DISCUSSÕES SOCIAIS, COMO AS CLIMATÓIDES)”.
    QUERO, NÃO A BIBLIA NO MARXISMO, MAS O MARXISMO NA BIBLIA – L Boff.
    * IHU – http://www.ihu.unisinos.br/78-noticias/586645-agora-mais-do-que-nunca-irma-dorothy-stang
    A coisa é bem mais extensa, mas vou parando por aqui.

  4. Se o Maia for um cara honesto, correto e equilibrado, concordaria que a visita dos parlamentares da oposição somente obteria a sua aprovação como missão oficial se for acompanhada, na mesma data e hora, também por parlamentares que apoiam o governo, escolhidos por Bolsonaro e que estes participem de todos os encontros que ocorrerem com os parlamentares de esquerda.
    A aprovação seria posterior após a verificação das exigências colocadas.
    Caso contrário, estaremos assistindo mais uma vez, o presidente da Câmara agindo de forma desproporcional em seu poder constituído.

    • Isto seria indiferente porque os parlamentares que apoiam o governo não teriam nem espaço para se pronunciarem neste evento.

  5. Rezamos pela Igreja e pelo Brasil!

  6. Seria o caso do presidente convocar o Núncio para tomar explicações. Seria o caso, mas não sei se é possível, de rever ou mesmo revogar a concordata entre o Estado Brasileiro e a Santa Sé, firmada nos governos Lulo-dilmistas. Seria o caso de chamar o embaixador brasileiro no Vaticano de volta ao Brasil.
    Enfim, seria o caso de dar aos políticos de batina uma resposta forte.
    Penso que o governo deveria impedir, por lei, a remessa de dinheiro recolhido nas igrejas e, portanto, isento de imposto, para o exterior (leia-se, para o Vaticano). O Vaticano e Francisco só respondem a um tipo de linguagem: $$$
    Corte o $ e você verá o cardeal Hummes manso e humilde de coração.

    • Permita-me discordar;
      1. A concordata nada tem a ver com o assunto. Informe-se melhor sobre ela.
      2. O governo não faz leis. É atribuição do Congresso e apenas deste. O STF, como sabemos, exacerba em fazer leis, por sinal. O Vaticano é um país. Impedir remessa de divisas legais para países não é possível. Há leis sobre o assunto, inclusive.
      3. Há outras formas de tornar o cardeal humilde. Ele sabe como.

  7. Temos que rezar todos os dias a oração de são Miguel Arcanjo para defender a nossa igreja; se não fizermos isso, será o começo do fim. Vamos rezar intensamente para a salvação de nossa igreja.