A inversão moral em ato.

Por FratresInUnum.com, 23 de outubro de 2019 – A ausência de coerência moral é própria de qualquer enganador, mas, quando a ela se soma o esforço por inverter a relação moral e culpabilizar a vítima pela agressão que lhe é infligida, estamos diante de psicopatas perigosos, dos quais se deve fugir como de predadores.

Pachamama carregada.

Nos últimos dias, temos sido brindados com declarações no mínimo desconcertantes de certos bispos no Brasil.

Primeiro, Dom Orlando Brandes demonizou em bloco todos os tradicionalistas, atribuindo-lhes a alcunha de “dragões” e chamando a direita toda de “violenta”, no ato mesmo em que praticava o monopólio da violência verbal em pleno altar de Aparecida e na festa da Padroeira.

Outros bispos repetiram a dose, lamentando-se de que a Igreja está sendo atacada, e o pior: desde dentro!, que os fiéis devem se precaver contra aqueles que divergem do Papa Francisco, blindando-o contra qualquer eventual crítica, como se ele e os seus aliados não estivessem exatamente fazendo algo criticável. A Igreja está sendo atacada, sim, e desde dentro, sim, mas também desde o alto: é a hierarquia que se está expondo a uma vergonha mundial, dando não apenas anistia a todos os ritos pagãos em templos católicos, mas querendo paganizar a Igreja inteira mediante a amazonização prometida nesse Sínodo.

O próprio Andrea Tornielli, vaticanista camaleônico que se adapta ao pontificado do momento, repercutiu o desespero e, nisto, foi seguido por alguns padres e bispos nas redes sociais. Com um moralismo quase casuísta, de manualistas antigos, eles chamam em questão o sétimo mandamento do decálogo em desfavor dos jovens que subtraíram as carrancas da Pachamama, enquanto eles mesmos estão continuamente respaldando a transgressão escandalosa do primeiro mandamento do mesmo decálogo, regra e princípio de todos os demais preceitos: “Não farás outros deuses diante de mim”! Feito carpideiras em velório, usam a retórica recriminatória como arma de inversão moral para amordaçarem toda a reação dos fiéis.

Felizmente, o cinismo dessa gente se tornou por demais aparente e já não é mais dissimulável, nem com a voz mansa, nem com o sorriso terno, nem com o discurso conciliador. O povo já sabe onde estão os verdadeiros agressores. Por mais que eles se queiram valer da posição hierárquica como meio de calar os leigos e eximir-se da sua reação, já não conseguirão obter sucesso. Os tempos dos abusos silenciados acabaram. As vítimas estão gritando! Primeiro, eram as vítimas de assédio e delitos congêneres; agora, são as milhares de vítimas da mutilação do Evangelho, da adulteração da fé, da paganização da Igreja.

Nós não iremos aceitar nada disso. Aliás, precisamos até agradecer que chegaram até esse ponto de escândalo, pois não há mais fingimento que possa conter o quão patente é a traição! Os leigos estão gritando e, nos últimos dias, muito mais gente acordou. Os bispos já o perceberam, percebeu-o também o Vaticano. E estão desesperados. Todas as entrevistas das autoridades nos órgãos de comunicação oficiais e oficiosos só repercutem o que chamam de “discurso de ódio”, intolerância, etc.

A tentativa de inverter o cenário — de leigos vítimas a leigos criminosos — não vai dar certo. Está muito claro, aqui, quem está do lado da Igreja e quem se serve da sua estrutura para destruí-la desde dentro.

Não nos acusem do que vocês fazem, pois não aceitaremos essa violência psicológica. Vocês foram longe demais e nós estamos aqui para dizê-lo!

15 Comentários to “A inversão moral em ato.”

  1. Coisas de comunistas mesmo: “chame os outros do que v é e acuse os outros do que v faz” Lênin, aprendo aqui de algué daqui e achei muito correta!
    Quem diria ou acusaria o papa Francisco de baixarias desse modo?

  2. A verdade está evidente: a caterva da sinagoga de satanás está dominando a estrutura eclesiástica desde o ápice hierárquico, enquanto isso, alguns – dos poucos bispos e clérigos leais à doutrina – estão se mantendo calados – por receio de perseguição, ou pior, por gostar do cargo que ocupam…
    Acredito que esta realidade atormente muitas consciências, deixando-se levar pelo silêncio cúmplice.
    Serão os Católicos leigos que deverão reagir contra essa situação lamentável!
    Os jovens, com todo vigor, estão liderando essa reação!
    Começaram a lançar no Tibre os ídolos sinodais. Depois, serão lançados no desprezo as “determinações, resoluções e os ‘padres sinodais’ “ toda a caterva que se arregimentou para destruir aquilo que ainda restava!
    Infelizmente, o “legado” deste papa será a destruição do papado e da hierarquia.
    O bispo de Roma – como gosta de ser nominado – conseguiu concretizar aquilo que todos os heresiarcas (desde Miguel Celulário até Lutero e Calvino) não conseguiram: derrubar o trono papal!
    Caros amigos, somente nossa Oração e a penitência nos dará força e paz!
    Tomaram nossas igrejas, profanaram os lugares santos, destruíram a Doutrina e eliminaram a hierarquia… tudo parece perdido…
    Só não podem nos tomar os corações e nossa Fé!
    O Bom Deus concederá a mesma força daqueles que resistiram ao arianismo!
    Santo Atanásio e Santo Profeta Jeremias, Roguem por nós!

  3. Apenas agora, alguns europeus entenderam que, o Mal não vem só da Alemanha, mas da Alemanha, sim e, também da forma como o “Marxismo, tanto o Vermelho como o Verde” se instalou no Clero e dominou toda a Igreja na América Latina, incluindo, obviamente a Argentina, pois claro?!
    É que muitos afirmam que o Comunismo acabou com a queda do muro de Berlim…
    Que abram os olhos de uma vez…

  4. Não ficaremos mais amordaçados
    Vamos adiante derrubar esse Sínodo de uma vez por todas..
    Graças a Deus muitos jovens acordaram e estão.na luta
    As profecias de Nsa se concretizando…
    A Maçonaria eclesiástica está sendo desmascarada, tá na cara q está infiltrada na Igreja …querendo destrui-la até os fundamentos …
    Q Nsa pise na cabeça da serpente

    Oremos…

  5. Como já disse anteriormente aqui, não existe católico tradicionalista.
    Ou é católico ou não é.
    A Igreja Católica Apostólica Romana se apoia na Bíblia (Antigo e Novo Testamento), no Magistério e na Tradição, donde se conclui que falar em tradicionalismo é chover no molhado.
    Se papa e bispos querem modificar a Tradição ou o Magistério (talvez porque alterar a Bíblia seja impossível), com a introdução de ritos e imagens pagãs, por exemplo, ao faze-lo correm o risco do anátema, mas que não venham a falar ou criticar tradicionalismos.

  6. Que palhaçada. Os católicos do mundo inteiro deveriam processar Bergoglio por danos morais com direito à indenização por isso. A indenização não precisaria ser em dinheiro, bastava a renúncia dele.

  7. Esse esquentamento do penitencialismo padresco, mediante o qual, segundo fingem, pretendem “remir” o “passado colonial” da Igreja dando voz aos oprimidos, faz parte do masoquismo praticado “in genere” pelos povos europeus que só sabem se culpar e se terem como lixo. Foi a esquerda que defecou esse discurso.

    Entre reconhecer eventuais erros e abusos e macerar-se histrionicamente por eles, como fazem os pobres europeus de hoje, há muita diferença. Essa diferença esbarra no bom senso e mesmo na sinceridade.

    O clero bandalheiro que ai está, colonizado mentalmente, isso sim, mentalmente, é sobretudo masoquista. Gosta de sofrimentos, digamos, regionais. E essa sofreguidão, essa busca de prazer na dor, acaba por se transferir a outras esferas. Passa a ser a matriz mental desses danados. Por isso, flagelam-se em público, rasgam vestes, pedem chupeta: querem atenção…

    Faltou-lhes, na maioria dos casos, a figura paterna, a qual impõe limites ao exibicionismo infantil. É por esse motivo, também, que nem mesmo o sacramento consegue fazer dessa gente os pais do povo e da Igreja. São criançonas perversas.

    Querem apenas espernear, sofrer, ou fingir sofrimento, em público. É claro que o não dispensam no privado. Até pagam para sofrer.

    Sem público e sem o amor ao sofrimento mórbido e malsão de que padecem, esses tais já teriam por que viver.

    Mas enquanto vivem, infernizam os que dizem que devem crescer antes que o tempo acabe…

  8. Ninguém aguenta mais este papa nem estes bispos puxa-sacos. Nunca pensei que veria a nossa Igreja assim, tão ridicularizada. A gente chega a passar mal! Muita profanação e muito desrespeito. Dá vontade de procurar outra religião, virar ortodoxo ou qualquer outra coisa. Eu até acreditava neste papa, mas nas últimas semanas a gente caiu das nuvens. Aonde vamos parar, meu Deus? Será que não vamos mais ver a nossa religião normal?

    • Se me permite, as heresias passam e a Igreja de Cristo permanece. Não se desespere, o resultado deste Sínodo será um documento amorfo e inválido aos olhos da Tradição, mas aplicável pelo clero apóstata e portanto capaz de abalar temporariamente a Igreja. No entanto, o abalo não derrubará a Igreja. Nas palavras de Nosso Senhor, as portas do inferno não prevalecerão sobre ela. Tenhamos fé, sei que é difícil, mas tenhamos fé.

  9. Muitos padres estão tentando abafar e acusar os fiéis, alertando que não deveríamos “atacar” a igreja, mas eles próprios sabem que os fiéis não estão atacando e não estão mentindo! Em paralelo, pontificam que é preciso focar na evangelização e na vivência da santidade.
    Seria mesmo o ideal, mas eu respeitosamente lhes pergunto:
    Padres, em uma igreja que aprova a comunhão para divorciados, aprova o controle da natalidade, aprova casamento de padres (e o que veremos serão casamentos gays de padres), abole o inferno, não se ajoelha para o Santíssimo, aceita a adoração de ídolos pagãos sobre o túmulo de São Pedro, e tantos e tantos mais absurdos…o que os senhores pretendem ensinar sobre castidade e santidade aos jovens? Baseados em que regras desta igreja? Pois não haverá mais nada que respalde esse discurso. Vocês acham que estão ajudando a igreja ou negando a verdade a vocês próprios? Acordem e ajudem os fiéis a acordar pra salvar a igreja de Cristo que está sendo vilipendiada! Parem de anestesiar os fiéis, que poderiam juntos agir pela indignação! Vocês prestarão contas da AÇÃO de atar as mãos do rebanho!

  10. Somos as piedras falando. E não foi preciso calar a voz dos profetas. Eles se calaram por iniciativa própria

  11. A canoa de Mummes sem final feliz.

  12. Filipenses 3,18
    [18]Porque há muitos por aí, de quem repetidas vezes vos tenho falado e agora o digo chorando, que se portam como inimigos da cruz de Cristo!!!

  13. “Unde et memores, Domine, nos servi tui sed et plebs tua sancta, eiusdem Christi Filii tui Domini nostri tam beatae passionis, nec non ab inferis resurrectionis, sed et in caelos gloriosae ascensionis: offerimus praeclarae maiestati tuae de tuis donis ac datis, hostiam † puram, hostiam † sanctam, hostiam † immaculatam. Panem † sanctum vitae aeternae et Calicem † salutis perpetuae.
    Nós temos tudo: vocês não vão prevalecer.
    Viva Cristo Rei

  14. Enfim, uma seita. O Vaticano II produziu uma seita. Vejam: um bando de analfabetos teológicos, sem nenhum senso de realidade, julgam-se, eles, os iluminados e os guias dos cegos e das multidões.
    Para eles, todos os séculos de cristianismo são apenas modalidades patológicas de “alienação”. Eles, os Boff, os Bergoglio, os Mummes, sem contar os Roncalli e os Montini, são libertadores, os novos Moisés que conduzem o povo à redenção!
    Mas desde quando um bando lacaios e escravos, e escravos das paixões mais grosseiras e desprezíveis, podem conduzir alguém a algum lugar além de uma alcova imunda e sórdida?
    Que miséria! Que circo! Que palhaçada!
    Esses todos que aí estão a manipular a Igreja e a encher o bolso com dinheiro imundo e sujo de sangue, esses, pois, são os que enchem a boca para acusar os cristãos que só pedem a dispensação dos sacramentos e cinco minutos de pregação não-completamente-imbecil-e-herética. Isso é muito?
    Não somos nós, católicos, os Exus, os acusadores profissionais: são vocês, enfermos e miseráveis, cujo único passatempo é reprovar as gerações do passado e a obra que fizeram. Vocês são a desgraça e o fardo do mundo, o flagelo dos cristãos.
    Vocês são, sim, os Exus! Vocês os malidicentes! Vocês os implacáveis. Não somos nós os que amamos a Igreja e a queremos venerada e honrada por todos os povos. O que o vcs dizem e fazem? O contrário.
    Presunçosos e ridículos. Condenam a Igreja e pretendem-na nova, mas nova à maneira deles, isto é, à maneira da prostituição e do entreguismo. Pois a prostituição é a única moeda que vocês entendem: sempre traficando influência, sempre tramando, sempre destruindo e devastando qualquer bem com que se deparam. Monstros e parideiras de monstros. A única coisa que vcs conseguem reproduzir é a matriz imunda de opressão com que, usurpando o poder sagrado da Igreja, vcs querem transformar quantos dela se aproximam em capachos e vermes dóceis, sempre a aplaudir a egolatria mórbida, asquerosa e
    corrosiva em que vcs se afundam por conta própria.
    Sumam!