Revelado jovem que atirou ídolo Pachamama no Tibre.

Por LifeSiteNews, 4 de novembro de 2019 | Tradução: FratresInUnum.com — O homem que atirou a infame estátua de Pachamama no Rio Tibre revelou sua identidade hoje. Em vídeo ele explica sua motivação para ter retirado o “ídolo pagão” da igreja de Santa Maria em Transpontina, perto do Vaticano, no mês passado. 

Alexander Tschugguel, 26, de Viena, Áustria, conversou com o co-fundador do LifeSite, John-Henry Westen, dizendo-lhe: “para mim, foi algo realmente ruim, porque vi naquelas estátuas e naqueles ídolos… uma violação ao Primeiro Mandamento.” Ele diz que foi motivado simplesmente pelo desejo de “retirar objetos pagãos de uma igreja católica.”

Tschugguel converteu-se do luteranismo há 10 anos e estava em Roma cobrindo o Sínodo da Amazônia. Ele contou à LifeSite que consultara um sacerdote e rezara muitos rosários junto com sua esposa antes de levar a cabo seu plano. Ele disse que “a preparação espiritual foi fundamental”.

Ao chegar à igreja, percebeu que ela ainda estava fechada. Decidiu rezar o rosário do lado de fora e a porta foi destrancada pouco tempo depois; entrou assim que abriram. Ele afirmou que não estava preocupado com as consequências ou com a possibilidade de as coisas não saírem conforme planejado.

“Se ficarmos sempre pensando sobre o que acontecerá depois, e se ficarmos sempre pensando dessa maneira, nunca faremos nada.” Se alguma coisa ruim estiver acontecendo em uma igreja católica, “precisamos agir,” ele disse. “Seja lá o que acontecer, não poderá ser tão ruim assim.” A “pior coisa” que pode acontecer é não irmos para o Céu.

Assista abaixo ao vídeo com a declaração dele sobre a razão de ter retirado a estátua:

Tschugguel, que é ativo no Twitter, fundou o Instituto São Bonifácio, uma organização de leigos católicos que deseja que a Igreja viva sua doutrina tradicional. “Não vamos mais ficar calados,” ele disse. São Bonifácio foi um monge do século VIII, talvez mais conhecido por cortar um carvalho venerado pelos pagãos alemães.

Tschugguel diz que retirou a estátua não por um desejo de ofender alguém, mas porque deseja que os próprios povos da Amazônia “tenham a verdade de Cristo” e não algum tipo de “escárnio da religião cristã.” Ele negou estar tentando chamar a atenção para si de alguma maneira, mas admitiu que “é fantástico ver” as muitas vozes de apoio que surgiram desde que seu vídeo foi publicado, especialmente por parte do clero. No momento, mais de 20.000 assinaturas foram acrescentadas à petição da LifeSite apoiando a retirada de símbolos pagãos de propriedades do Vaticano.

Tschugguel disse à LifeSite que todos os católicos têm o dever de respeitar as pessoas e que de maneira alguma ele odeia o Papa Francisco, como alguns alegaram. “É nosso dever rezar pelo papa, apoiá-lo e respeitar a sua autoridade,” ele disse. “Por que rezaríamos por ele se o odiássemos?”

“Por favor, Santo Padre,” ele prosseguiu, “entenda o seguinte: como católicos, não queremos objetos pagãos na Igreja Católica. Queremos que as nossas igrejas sejam limpas e puras no que tange a fé e queremos que a Igreja siga Jesus Cristo, simples assim.”

Tschugguel disse que rejeita a ideia de ter cometido um furto, uma vez que os objetos eram “ídolos pagãos” que não pertenciam a uma igreja católica. “Eu enfrentarei quaisquer desafios judiciais da mesma maneira, calmo… Não estou amedrontado. Realmente não estou com medo.” Ele também disse ter outros vídeos e fotos que comprovam sua autoria da ação.

Tschugguel disse que o Sínodo fez com que se sentisse “muito decepcionado.” Foi “uma grande amálgama de ideais erradas… justiça social… teologia da libertação”. O Sínodo também “anda de mãos dadas com a agenda globalista.”

Ao ser indagado sobre o tipo de conselho que ele daria aos jovens católicos, Tschugguel disse que estes devem frequentar a igreja católica tradicional local, rezar “toneladas” de rosários, e depois estudar a fé, para que sejam capazes de defendê-la em público. Ele também recomendou que se se dirigissem às suas famílias, amigos, grupos pró-vidas próximos, e que fizessem suas vozes serem ouvidas. Se alguma coisa “não for católica, falem claramente!…Somos parte da batalha entre o Reino de Deus e o reinado de Satanás.”

19 Comentários to “Revelado jovem que atirou ídolo Pachamama no Tibre.”

  1. Se o Vaticano tentar qualquer ação judicial contra este jovem, será um tiro no pé.
    Seu ato é digno de um doutor da Igreja no combate às heresias e ao paganismo escancarado que se insinua sob a aura de Satanás dentro do Vaticano.
    Repito: seu ato não é heroico mas douto.
    Doutor Alexander Tschugguel, bem vindo ao convívio dos doutores da Igreja, Tomás de Aquino, Tereza d’Avila, Agostinho, Catarina de Siena, Teresinha de Jesus, Gregório Magno, Ambrósio, Jerônimo, João Crisóstomo, Basílio, Gregório de Nazianzo, Atanásio, Boaventura, Anselmo, Isidoro, Pedro Crisólogo, Leão Magno, Pedro Damião, Bernardo de Claraval, Hilário de Poitiers, Afonso, Francisco de Sales, Cirilo de Alexandria, Cirilo de Jerusalém, João Damasceno, Beda, Efrém, Pedro Canísio, João da Cruz, Roberto Belarmino, Alberto Magno, Antônio de Lisboa e Pádua, Lourenço, João de Ávila, Hildegarda de Bingen e Gregório de Narek.
    Como sugestão de epíteto ao nobre jovem: Doctor Particeps.

  2. Esses aqui estão queimando esse mesmo ídolo asqueroso : https://infovaticana.com/2019/11/04/la-pachamama-arde-en-ciudad-de-mexico/ .

    • Excelente iniciativa de queimar a pachateta no México. Caso essa boneca feia chegue a alguma igreja do Brasil, terá o mesmo destino.

  3. Que o Bom Deus e a Virgem Santíssima abençoem este jovem e seu trabalho!
    Destemido, enfrenta a fúria dos neopagãos para com todas as forças lutar pelo Reino de Nosso Senhor Jesus Cristo!
    Valente como os Mártires que nunca aceitaram compactuar com os ídolos!
    Fora Belzebu!
    Viva Cristo Rei!

  4. Deus abençoe este intrépido cruzado! Santa Maria da Vitória interceda por ele!

  5. Sem palavras para agradecer esse jovem. Deus o Abençoe

  6. “Os leigos salvarão a Igreja”, profetizou o arcebispo americano Fulton Sheen (1895-1979).

  7. As perspectivas de rápida melhora da situação da Igreja parecem improváveis. Então, cumpre organizar a caminhada no deserto:
    Como o Bloco das Mummes Ressentidas, Frustradas, Revoltadas, Feias, Mal-Amadas e com Gastrite só pensa nas coisas do mundo, e o mundo é movido por dinheiro, será preciso, no âmbito das nossas escolhas, fechar a torneirinha:
    a) Nada de óbulo de São Pedro enquanto durar o OKUPA do charlatão;
    b) Nada de dinheiro para a Campanha da Satanidade – 2020;
    c) Nada de dinheiro ou voluntariado que possa redundar em algum benefício para o clerosssssauna funesto e arrogante;
    Os recursos habituais de dinheiro e voluntariado devem ser direcionados em benefício dos padres católicos, aos menos os que fingem ser católicos, uma vez que não lemos os corações. Não podemos também esquecer as religiosas decentes, sobretudo as de clausura.
    Se os católicos norte-americanos se persuadissem que essa canalha não pode continuar sambando na cara dos cristãos, teríamos como pressionar ou ao menos incomodar.
    Segundo consta, na Itália e na Espanha muita gente está deixando de contribuir quando da tributação do imposto de renda. É o que eu mais leio nos comentários dos blogs.
    Se houvesse internet na década de 1960, a história seria bem outra.
    Guerra é guerra.

    • Perfeito!
      Os bons Católicos devem deixar de contribuir para que essa gente tenha que fazer algo que detesta tanto quanto a Sagrada Tradição: trabalhar!
      Sem o dinheiro – que fingem odiar – não terão como continuar com o processo de destruição do que restou do Catolicismo Romano!
      Guerra é guerra!
      Viva Cristo Rei!

  8. Os convertidos são sempre os mais ardorosos defensores da Igreja.

  9. Irmãos, vocês viram o protesto que um padre no México fez?
    Ele queimou algumas imagens da Pachamma numa cerimônia de reparação!

    Vídeo em espanhol

    https://www.rainhamaria.com.br/Pagina/24188/Sacerdote-mexicano-queima-simbolicamente-o-idolo-pagao-Pachamama-com-oracao-de-exorcismo-e-pedido-de-perdao-a-Deus

  10. Combater os erros dentro da Igreja é dever de todo cristão católico.

  11. Boa, Alex! Senta a pua! Peço que rezem uma Ave-Maria por esse rapaz corajoso! Imitemo-lo! Salve Maria Imaculada!

  12. Segue vídeo com legendas em Português

  13. Quem é Alexander Tschugguel, o católico de Viena (Áustria) que jogou o ídolo Pachamama no rio Tibre?

    Alexander Tschugguel, de 26 anos, foi batizado luterano e se converteu à Igreja Católica aos 15 anos. Ele se casou neste último verão. O bispo Athanasius Schneider celebrou a Missa Nupcial.

    Alexandre, o Grande, tem mais de 2 metros de altura. Ele é um autônomo que trabalha com relações públicas e campanhas.

    Ele frequenta a Missa Tridentina, majoritariamente com a Fraternidade Sacerdotal de São Pedro. Também é ligado aos sacerdotes amigos da Tradição do oratório de Viena St Philipp Neri.

    Nos últimos anos, ele trabalhou brevemente com os políticos conservadores-reformistas Ewald Stadler (Áustria) e Beatrix von Storch (Alemanha). Ele é próximo do ativista alemão pró-família, Hedwig von Beverfoerde, que trabalha contra a educação sexual e a ideologia de gênero.

    Nos últimos dois anos, Tschugguel foi co-organizador da Marcha para a Vida de Viena, que reuniu 2500 pessoas em 2018 e 4000 no mês passado.

    Em maio, Tschugguel organizou o Rosário para a Áustria, uma Missa de Rito Antigo na barroca Vienna Karlskirche, seguida por uma procissão do Rosário através de Viena. Esse evento também está planejado para o ano que vem.

    O Céu está em festa e o Inferno em luto por existirem “Alexander” no mundo que perdeu o senso de catolicidade!

    Alexander, você é o “CARA”!!!

  14. Caros, frates. Devemos ter esperanças, pois pelo que eu sei estas reações de leigos não aconteceram em quantidade ao final do Concílio Vaticano II. Curioso fenômeno, pois aquela geração parecia ser mais conservadora.

  15. A geração de leigos da época do Concílio Vaticano II não reagiu porque não era capaz de compreender a extensão da destruição que se preparava. Os leigos de hoje vivem os efeitos dessa destruição; principalmente os jovens sentem o abismo para eles e seus descendentes.