Em queda livre.

Uma queda irreversível na popularidade de Bergoglio entre os católicos.

Por FratresInUnum.com, 20 de janeiro de 2020 – A polêmica do livro de Ratzinger-Sarah, com a consequente explosão de vendas, teve um episódio pouco comentado: a entrevista de Papa Francisco ao seu velho amigo, o ateu Scalfari, comentando o ocorrido. De passagem, vale observar como Francisco insiste em dar entrevistas ao infeliz editor do La Repubblica, mesmo este último já tendo colocado diversas heresias na boca do bispo de Roma, nunca rechaçadas por ele, para embaraço do jornalismo chapa-branca.

Sempre segundo Scalfari, Francisco teria dito que “em uma organização que abraça centenas de milhões de pessoas em todo o mundo, sempre há alguém contra”, tirando importância da intervenção do Cardeal Sarah.

Ora, equivoca-se grandemente Francisco ao pensar que a resistência ao seu pontificado seja um fenômeno controlado, isolado. Muito pelo contrário, não se vê nenhum entusiasmo em lugar algum entre os católicos e os temas que ele suscita não despertam apelo nenhum ao coração dos fiéis.

Mas, alguns poderiam objetar: Francisco é aclamado! Perguntamos: por quem? Pela imprensa anti-católica, pelos hereges infiltrados e ocupantes dos cargos mais importantes, pelos que estão nas igrejas, mas que há muito perderam a Fé? Sim, concedemos.

Porém, entre os Católicos reais, o desprezo pelo que diz o Pontífice é patente e clamoroso.

O vídeo em que ele estapeia a mão de uma mulher causou um choque ainda maior do que aquele em que retira sua própria mão para que os fiéis não beijem. Mas não basta isso! Francisco escandaliza os fiéis pelo seu esquerdismo declarado, pelo seu ecologismo psicótico, pelo seu progressismo fanático, pela secura do seu caráter. Aquela abordagem populista que teria causado o que então se chamava “efeito Francisco” chegou ao ponto terminal de saturação e já não engana mais ninguém.

O fato de que Bergoglio rebaixe o protesto de Sarah a uma mera discordância pouco representativa só mostra o quanto ele mesmo está alienado da realidade. Já nos tempos dos Sínodos da Família foram reunidas quase um milhão de assinaturas pela chamada “Súplica filial” e, agora, com toda a fúria popular contra o Sínodo da Pachamama, aqueles Católicos que ainda dormiam no sono da inconsciência começam a ser despertados pelos fatos.

É muito difícil, praticamente impossível, reverter uma queda acentuada de popularidade entre os fiéis como esta que enfrenta Francisco.

Alguém pode objetar que, no caso da monarquia papal, isso não significa quase nada, pois os seus eleitores não são o povo e tampouco ele pode ser removido do trono. Contudo, mesmo o poder soberano que ele exerce não se pode destacar demais do corpo dos fiéis, sob pena de ele ficar isolado na completa irrelevância.

De certo modo, o ambiente já é esse. Os católicos sentem-se desconfortáveis com o seu pontificado e, por diversos motivos, embora lhe devotem alguma reverência devida ao seu cargo, já começam a se preocupar com a revolução que está em curso, vendo que a desordem anda longe demais.

Como a prioridade de Deus é a salvação das almas e a Providência divina dirige todas as coisas para esta finalidade, este pontificado decadente está sendo conduzido para um final pouco honroso. Só uma renúncia poderia salvar Francisco, pois isso conferiria certa legitimidade retroativa e até alguma vitimização e margem de manobra para ele. Rezemos para que aos poucos o teatro vá acabando, até que ninguém mais referende a “revolução da ternura” bergogliana.

52 Comentários to “Em queda livre.”

  1. Lamentamos como chefe de estado do VaticONU a que se transformou, no seu velho peronismo declarado, enlatado e fora de validade, na sua ingerência impertinente em abolir junto com a ONU as soberanias dos países amazônicos (faria isto se a Argentina tivesse um dedão do pé naquela região?), primeiro passo para a eliminação total de todas as soberanias mundo a fora.

  2. Se observarmos o comportamento do papa Francisco com qualquer esquerdista, veremos ser o mesmíssimo: cara de pau – caso Chile, por ex, e não renunciar-se após um escandaloso fato daquele — não está nem aí pelos que o acercam e opinam em contrario, porém quer manter seu caráter destrutivo de qualquer jeito da Igreja católica tradicional ante Vaticano II!
    Pareceria uma réplica e sombra do psicopata Lula-Dima a outros lulopetistas endiabrados, os quais falam uma de frente e por detrás são todos ao inverso – ele um conspirador, nesse caso contra a Igreja católica de 2000 anos!
    Quer passar em cima de todos para impor sua igreja católica II em sua versão adaptável aos tempos portanto, sincretista, favorecendo e dando uma de ser o que nos pareceria com evidencia ser o precursor do anticristo-NOM, porém “estamos de olho e reagiremos, desmascarando-o como utilitarista, caso usar o Scalfari para nos injetar seu veneno de mãe natureza, mãe terra e devoção à deusa pachamama e a crendices anexas “…
    Salve-nos Maria Santíssima!

  3. Já que é impossível falar do atual Sultano jesuítico sob qualquer aspecto religioso, pensemos nos números:
    Na Itália, o dinheiro recolhido em favor da Igreja católica, quando da declaração de renda (’8 per mille), despencou abruptamente .
    Do total dos contribuintes, 60% opta por não marcar o “x” para a contribuição dos 8 / 1000; dos 40% que contribuem, a Igreja abocanha 80% dos ingressos (os 20% restantes são divididos entre as demais denominações: judeus, hereges e pagãos) conforme o porcentual das respectivas declarações de culto.

  4. Sensum fidelium lançando seu brilho, numa aurora de fé, cujo meio-dia será o triunfo do Imaculado Coração de Maria! Essa é a explicação mais profunda dos fatos. Daqui a pouco estará pregando para as pachammas (moscas) todas, só!

  5. Alguém conhece alguma pesquisa de opinião sobre a popularidade do papa ?

    • Sim, compare a quantidade de pessoas nas audiências públicas de Francisco com as do tempo do Bento XIV. Pesquise.

  6. Popularidade ou não de Francisco, o modelo de Igreja adotado pelos bispos e padres pós Vaticano II com o fetiche social e zero doutrina, além da super valorização de recebimento de recursos nas paróquias que fazem os padres não buscarem o que é sagrado e que “desagrada/desafia” mas uma liturgia permissiva aos valores do mundo me faz pensar na chamada “profecia de Bento XVI”.
    Imagino que, com este caminho, naturalmente a Igreja que está por aí será abandonada por falta de interesse das pessoas, como vemos hoje na Europa.
    Ou seja, as paróquias precisam sim ruir e parar de focar primariamente nos dividendos, dando lugar às pequenas comunidades que voltem a priorizar o catecismo (nada de querigma), a doutrina alinhada aos 2000 anos de Igreja e a salvação de almas.

  7. Pena que esta oposição queira apenas dar um passo atras, e se tiver exito vai querer apenas remendar o malfadado CV2!

    • Acredito que não necessariamente um passo apenas para trás, se você quer mencionar pular o CVI e ir um pouco mais para o resgate em Trento. A revolução uma hora iria estourar e está a todo vapor. Imagino que depois da fase do estrago completo (ainda acredito que muito pior está por vir), a Igreja que renascer deverá avaliar os erros cometidos não focando somente o V II, porque se chegou ali, já vinha tendo distorções/escapes antes.

  8. QUEDA LIVRE?
    De onde vocês tiraram que o Papa Francisco está em queda livre?
    As Religiões estão passando por uma crise sim, isso é um fato. Mas também a família, a escola e a política. Nesta mudança de época os 4 pilares que sustentavam a sociedade moderna ruíram. A queda da religião não se deve ao CVII e nem ao Papa Francisco. A solução não é voltar ao que era. Aquele modelo morreu. É esse modelo que foi questionado pela sociedade após guerra. O mesmo da família. Aquela família tradicional também acabou e não voltará mais o modelo antigo. Nem as ditaduras e monarquias. Nem a escola tradicional de um professor que sabia, que detinha o conhecimento e os alunos não sabiam nada e iam na escola aprender. Esse modelo acabou.
    Agora estamos construindo uma nova religião. FRANCISCO – RECONSTRÓI A MINHA IGREJA foi a inspiração de Deus a FRancisco de Assis em 1200 e hoje ao Cardeal Jorge Bergóglio.
    Mas voltamos no tempo de Francisco e Clara lá em Assis Itália. Vocês achavam que a Igreja hierárquica, os Cardeais, Bispos e Padres estavam certos? Por que Deus chamou Francisco? Por que a Igreja estava podre na luxuria, riqueza, poder, vaidades. A Igreja tinha esquecido do pobres, aliás, deu as costas aos pobres. Deus chamou FRancisco, reconstrói a minha Igreja.
    Hoje O Papa Bento, representante dos Tradicionalistas se deu por conta que não conseguiria mudar e melhorar a Igreja diante dos graves problemas enfrentados. Foi escolhido Jorge Bergóglio e ele reencarna Francisco de Assis. A IGreja hoje, 2013 até hoje, precisa ser reconstruída diante dos graves problemas de corrupção, pedofilia, escândalos sexuais e outros.
    O Papa FRancisco enfrenta dificuldades sim, mas não está em dificuldades. Pelo contrário, os Bispos e Padres e religiosos apoiam seu trabalho. Em queda estão s Tradicionalistas.

    • É até divertido ler uma opinião tão simplória e ignorante. Deus queira que se trate de simples ignorância e não má-fé.
      Vai em paz, irmãozinho. Que Deus o ajude a sair dessa cegueira miserável.

    • Chegou a digna representante da Novilíngue, o novo vernáculo da esquerda cambaleante, com 50 ou 100 palavras de ordem, onde o pensamento racional foi substituído pelos conceitos ditados pela lavagem cerebral comunista.
      Nada sabe, nada entende e nada enxerga mesmo a um palmo diante do nariz.
      A energúmena não sabe que a religião católica é imutável.
      Quem tem que mudar desde que o mundo é mundo é o Homem, a humanidade com os seus pecados, com a sua soberba e com o seu desejo irracional de querer ser Deus.
      A religião não tem que mudar.
      Vai estudar a história da Igreja, pois demonstra claramente o seu desconhecimento e ver quantos antipapas surgiram com heresias quando não iguais, semelhantes a de Francisco.
      Vade Retro Satan.

    • É você, Satanás? [2]

    • Segundo essa visao sendo que o Cristianismo esta impopular entao que nos tornemos anti-Cristaos ? Genial …

    • Segundo vc, Nair, parece que o bom mesmo é que as criancinhas decidam não só a profissão, mas o próprio “gênero”; bom mesmo é cada um “usar” o corpo como quiser e “ficar” com quantos quiser e coabitar com quem quiser.
      Bom mesmo é o cardeal Bergoglio, e vc o designa com propriedade, pois esse charlatão, (ambicioso e politiqueiro como os jesuítas quase todos sempre foram) nunca foi papa nenhum: qdo muito é um angu de caroço.
      Boa mesmo é a empresa do Vaticonu sob gerencia do charlatao peronista que faz vistas grossas para a compra apartamentos de luxo em Londres e investe em plataformas de Petróleo.
      Deixa de trouxa, mana.
      A igreja em saída cena inventada pelo Concilio de Roncalli (bom de garfo) e turbinada por Montini (bom de cinema) tem os dias contados. E se nao fossem os retrovirais, muitos dos seus funcionários já teriam ido pro saco.
      E, por falar em Sao Francisco, dizem que os frades gostam de morar e moram em Ipanema. Quem sabe na Farme de Amoaids. Outros vao flanar de Honda Civic pra malandro furar de bala.
      Seus hipócritas.
      Jesus está ajeitando o chicote pra descer no lombo de vagabundo.
      Sumam! O mundo ficará menos podre e fedido, suas flores do pântano e desgraça da Igreja de Deus.

    • “(…) Papa Bento, representante dos Tradicionalistas (…)”. Intelijente, hein?

    • Não acredito que eu li tudo isto.

  9. Gostaria sinceramente de compartilhar do otimismo da matéria…mas penso que, após bergoglio – implacável no trabalho pela destruição de cada mínimo detalhe do Catolicismo – a Santa Igreja Católica estará fora de seus templos, invadidos pela religião una da nova ordem e frequentados pela grande maioria. Somente o retorno de Nosso Senhor Jesus Cristo…

    • Temporariamente V. até tem razão.
      Mas…
      Já ouviu falar nas aparições em Fátima? Lourdes? Akita e outras mais?
      A de Fátima é a mais contundente e reconhecida pela Igreja. (Lourdes também é reconhecida).
      Se nunca ouviu, procure se informar e verá que quando N. Senhora diz: “…no final o Meu Coração Imaculado triunfará”, Ela desfaz exatamente o seu pessimismo.

    • Sim, tens razão, Felix, com certeza triunfará! E nosso Senhor Jesus Cristo voltará! No entanto, nas citadas aparições e em diversas visões proféticas de santos da Igreja, antes disso passaremos pela tribulação e aparente “morte” da Igreja – aparente, pois o pequeno rebanho ainda guardará a fé. É apenas nesse sentido que não sou otimista quanto às quedas de popularidade de bergoglio, pois acho que a destruição por ele causada será quase completa…não seria ele próprio o anti papa predito por São Francisco? A acompanhar…enfim, mesmo sabendo do triunfo final, é difícil pra nós, católicos, presenciarmos tantos descalabros…

    • As profecias de varios santos e aparições de N. Senhora predizen uma restauração da Igreja e da sociedade após um periodo de turbulência. Só depois essa época de glória temporal da Igreja é que o mundo se degeneraria de novo e (em um tempo que ninguem pode dizer exatamente quando será) o anticristo apareceria. Sugiro que você leia o livro “O drama do fim dos tempos” (para entender algumas coisas sobre a interpretação do apocalipse) do Pe. Emmanuel André e o livro “O fim do mundo está próximo?” do Pe. Júlio Maria (para entender algumas dessas profecias dos santos) e procure sobre a interpretação do apocalipse do Venerável Padre Bartolomeu Holzhauser.

    • Silva, salve Maria! Agradeço a caridade e irei buscar a bibliografia, muito bem-vinda.. mas faço uma observação, se me permite..Muito devemos estudar, é verdade, porém no que diz respeito a interpretar, lado a lado, o Apocalipse de São João, profeta Daniel, aparições marianas e demais profecias, até mesmo exegetas se deparam com pontos nebulosos em suas análises, e talvez porque assim, pra Deus, deva ser… há por exemplo descrição dos períodos, mas a chave sempre será, ao fim, reconhecer em que momento predito nos encontramos… E isso, só com muita oração…é natural achar que as piores personagens a vir estejam distantes – e pode ser realmente o caso – mas há também o risco de não percebermos que, nessas águas turbulentas da perda da fé, o barco tenha avançado bem mais além do porto…
      Santo Hilário de Poitiers diz que o “desabrochar do Anticristo se fará conhecer vendo os homens malvados exultantes e como que reverdecidos” pois “haverá então uma nata de malvados, uma elite de perversos; e todas as vantagens, todos os favores e toda a consideração serão concedidos aos irreligiosos”. Cabe a cada um de nós observar se o cenário já se desenha ou não…

  10. Quem deve estar comemorando em segredo são os Franciscanos da Imaculada, os Arautos do Evangelho e vários outros solenemente perseguidos por esse pontificado.
    Quem diria, o gigante antes temível agora se apequenou de um modo que era inimaginável alguns anos atrás.
    E não há Netflix que consiga reverter isso.
    Deus tem seus caminhos.

  11. “Senhor, salve-nos! Estamos perecendo! O Senhor dorme enquanto a tempestade se enfurece. Ele parece nos abandonar às ondas de dúvida e erro. Somos tentados a nos render ao desespero. As ondas do relativismo estão submergindo o Barque da Igreja. Os apóstolos estavam com medo. A fé deles esfriou. A Igreja também às vezes parece vacilar. No coração da tempestade, a fé dos apóstolos no poder de Jesus parece diminuir. Nós também estamos vivendo esse mistério. Sentimos uma paz profunda, porém, porque sabemos que quem guia o Barque é Jesus. Estamos cientes de que nunca pode afundar, que só pode nos levar ao porto da salvação eterna.”
    (papa Bento XVI e cardeal Robert Sarah)

    • Complementando, dizia São Bento no século VI:
      “As mais terríveis tempestades são incapazes de perturbar a paz das grandes profundezas”

  12. Já tem algum tempo que adotei a seguinte posição perante este pontificado: “uma coisa com o qual, ou sem o qual, a vida vai tal e qual”! Para que serve o papa para mim, senão iluminar o caminho que me leva a Deus? Ora, se esta luz está apagada, com minhas mãos vou apalpar as pedras da via. Ou seja, aqui tenho “Moisés e os profetas”, que estão nos livros e mensagens já escritos. Tenho a Eucaristia e o terço para rezar. Preciso mesmo do papa? Gerações do passado passaram sem ver, ouvir ou ler qualquer mensagem papal. Por que hoje tem que ser diferente?

    • Marco Antônio, concordo, mas para não soar tão ‘protestante’, eu digo que temos os livros sagrados E também o Magistério de mais de 250 papas. Estou, portanto, em total comunhão com a Igreja Católica.

  13. Realmente a popularidade do Papa está em queda… A minha mãe que ama o Papa disse que se ele batesse não mão dela como fez com aquela mulher recentemente, ela revidaria. Não deixaria barato.
    Isso é sinal de um pontificado em total descrédito.

    • E ela estaria seguindo exatamente o conselho papal dado há algum tempo no avião a um jornalista: – Revida!

  14. QUEDA LIVRE?
    Em resposta aos nobres cavaleiros que me jogaram suas lanças pontiagudas me chamando de Satanás, comunista, burra, energúmena por discordar do fato que o Papa Francisco está em queda livre.
    O Papa Francisco não está em queda livre. O que está em queda livre é um modelo de fé e de Igreja e de pregação que não consegue tocar no coração do homem moderno, CANSADO pelo consumismo, pelo materialismo. O vazio é muito grande. Cresce a depressão e o suicídio. O que temos para oferecer para este homem cansado e oprimido? Uma missa ritualizada, uma missa Tridentina irá atrair as pessoas para a Igreja? Uma religião cheia de regras e normas? Por favor.
    Precisamos uma Igreja simples, acolhedora, contemplativa que seja um remédio para uma alma cansada, ferida e sedenta. PRECISAMOS recuperar as famílias, a Igreja doméstica, a oração em família, trazer as pessoas e é essa a Igreja de Francisco. É isso que ele quer. ISSO NÃO ESTÁ EM QUEDA LIVRE.
    Os templos Budistas estão cheios de pessoas que são católicas buscando o silêncio, respostas para as questões fundamentais através da meditação. Os templos dos gurus indianos estão cheios de pessoas em busca de Deus. Os templos do Santo Daime estão cheios. As Igrejas evangélicas neo pentecostais atraem milhares de pessoas cansadas, oprimidas pelos sofrimentos e oferecem uma água com açúcar. E as nossas paróquias só tem missa que o Padre chega em cima da hora e cumpre o ritual. E vocês ainda querem que essa missa seja em Latin, no rito antigo? Para ter missa tem que ter Padre. Vocês querem uma Igreja centrada no Padre. Ora, não temos mais Padres. Os seminários estão vazios. Temos que formar leigos para serem missionários, visitar as casas, ir ao encontro da ovelha perdida, ferida, cansada. O documento da CNBB 1009 fala disso, a nova Evangelização, as diretrizes gerais.
    Me poupem. A vossa maneira de ver Deus, de entender Deus jamais irá tocar o coração do homem moderno. O máximo que chega é na razão e na razão está a lógica, a lei, as normas, as regras, o juízo e ai vocês estão. Julgam e condenam. Olha do que vocês me chamaram?
    NÓS TEMOS ÁGUA E AGUÁ PURA e essa água é Deus, é Jesus Cristo e temos que oferecer esse Jesus para as pessoas através do amor, serviço aos pobres, vida comunitária e contemplação, silêncio, meditação na tradição dos Padres do deserto, na leitura orante e não numa prática de devoções mecanizadas, missas mecanizadas, ritualizadas.
    A Religião que Francisco quer reconstruir é a do coração, do amor, da contemplação, do silêncio, da solidariedade, da acolhida, da fraternidade e ESSE MODELO NÃO ESTÁ EM QUEDA LIVRE. Em queda livre está o modelo de vocês, das pompas, das vestes litúrgicas, do luxo, do poder, da exclusão, da intolerância, das normas, da frieza. Um dia desses uma pessoa me mostrou uma foto do Cardeal Sarah e outra do Cardeal Burke com aquelas roupas vermelhas, com toda aquela pompa, com aquelas capas compridas. Ora, quem ainda usa isso, é porque não entendeu nada. O Papa FRancisco na sua eleição se negou a usar o cíngulo e a mozeta, acabou o carnaval teria dito ele.
    DEsculpem irmãos, mas meu objetivo é lançar uma areia no vosso lençol.

    • É ignorância. Deus a ajude.

    • Pelo caráter aflito e carentre das suas ideias, acho que vc está padecendo de tensão pós-sinodal.

      Quando vc melhorar, tome uma boa cerveja belga, mas evite uma que se chama “Delirium Tremens”, pois é muito alcoólica e pode ocasionar alguma disfunção cognitiva-eclesial. Daí, vc pode achar que voltou pros anos 70 ou ainda está neles.

      Mas numa coisa eu discordo nessa matéria tao pacífica e confiante: o jesuíta nao está em queda livre, pois faz tempo que ele se estatelou no fundo do poço chamado “afã de novidade e presunção diabólica”…

    • Com todo o respeito à Dona Nair,mas essa explanação assemelha-se a certos automóveis que parecem ter sido projetados com apuro na frente e absoluto desdém na traseira, pois consegue razoavelmente diagnosticar a atual debilidade da Igreja, qual seja, a dificuldade em tocar o homem moderno porque a atual igreja não é contemplativa, simples e acolhedora. Entretanto, depois destoa e conclui que a culpa é, pasmem, da Missa, principalmente a tradicional.

      Dona Nair. Quando a Igreja começou a deixar a ser contemplativa? Foi justamente quando se aboliu o ritual tradicional, e os mosteiros ficaram às moscas. Conheço o caso de um religioso que uma vez disse que tem medo de ficar no mosteiro porque somente ele reside no local. Antes do Concílio Vaticano II, tudo mundo sabe, os mosteiros estavam cheios, e a vida era de plena contemplação e silêncio, mas os megafones conciliares esbravejaram que a contemplação era retrógrada, que chegara a hora de se dedicar não a Deus, mas aos homens, e acabou o silêncio e a contemplação.

      Ora, o que toca o homem, seja o antigo ou o moderno, é o sacral. Mas se aboliram o sacral nos meios católicos como é que o atual apostolado católico pode tocar o homem?

      Simples, e principalmente acolhedora, era a Igreja antes do Concílio Vaticano II, mãe e mestra da verdade para nações, verdadeira acolhedora dos povos, principalmente dos simples, mas o vendaval conciliar devastou tudo restando homens desgraçados pelo vício, e a concepção que papa não tem que ser bom, mas carismático, para ser uma persona a ser explorada pela mídia. E é o Santo Sacrífico o culpado pela desgraça?

      E a Dona Nair, que conseguiu diagnosticar a crise católica, inclusive acertadamente apontando a falta de padres, omite que a decadência foi produzida pelo Concílio Vaticano II, mas suscita como solução a ação de Francisco em “reconstruir” a Religião. Ora, somente é possível reconstruir aquilo que uma vez já estava construído e foi demolido. Portanto, implicitamente a Dona Nair reconhece que uma ordem estava plenamente edificada e que foi levada às ruínas, para desgraça dos homens que perderam o norte (advindos do antigo acolhimento, silêncio, contemplação). Para aperfeiçoar a desconjuntada explanação basta concluir que a demolição foi feita pelo Concílio Vaticano II, a menos que a Dona Nair mantenha o que disse no comentário anterior em que afirmou que Francisco está fazendo uma nova religião. Nova Religião? Então, Francisco não é mais católico? Então temos no comando católico alguém que não é católico? Não acha a Sra. Nair que o povo percebe a contradição, e debanda para outras religiões frente a esse absurdo?

      Se a Dona Nair acredita que Francisco está fazendo uma nova religião, então que se proclame definitivamente essa nova religião, inclusive como sujeito de direito privado, e abandonem o barco católico, porque este barco está adernando vítima do grande fardo que são os efeitos do Concílio Vaticano II, entre os quais aqueles que querem reformar a igreja não sendo propriamente membros da própria igreja.

    • Não são todos os seminários que estão vazios. Os seminários dos tradicionalistas estão cheios! E não tenho tempo nem paciência para responder ponto por ponto as suas distorcidas visões e soluções para os problemas da Igreja moderna que são muitos. Mas parece que a sua solução é jogar fora a criança junto com a água suja. E pra finalizar saiba: jamais prevalecerão!

    • Sim, Nair, de onde vc acha que vêm as práticas de que vc se vangloria? Lectio divina, socorro aos pobres e tais…?

      Resposta: vêm da tradicao da Igreja. Foi a Igreja supostamente fria e retrógrada, contra quem vc vomita seu ódio e afia a sua foice e ajeita o cabo do martelo, foi ela que conservou estes e outros tesouros, por exemplo, a liturgia piedosa e sacral “em latim”.

      Nair: vc é protestante sem o saber. Vc acha que o Espírito Santo abandonou a “Igreja do latim” e que só voltou a iluminá-la quando o infeliz e obscuro João XXXIII e seu afetado sucessor, Paulo no 6, resolveram jogar tudo pela janela, ou melhor, no esgoto. Que eles tenham tido a graça do arrependimento, pois se não…

      Nao dá pra comentar a minima parte das calamidades em que satanás jogou os ambientes católicos depois do “concilio”. Ficaríamos dias enumerando.

      Eu fui menino de apartamento. Conheço quase nada de árvores. Mas outro dia, vendo um programa sobre elas, entendi por que Jesus diz que é pelo fruto que se conhece a árvore. De fato, só pela folhagem, nem sempre é possível distinguir uma da outra. Pois pode acontecer que duas árvores tenham folhagem quase idêntica. Mas os frutos são sempre característicos. E nunca são iguais. Não se engane com a folhagem. O que lhe parece bom é chá de beladona.

      Compare os frutos esplêndidos do Concílio de Trento com a desgraceira do malsinado Vaticano dois…

      Enfim, espero que vc tenha a graça de “conhecer Jesus”. Não o Jesus do cardeal Arns com cara de Che Guevara e boné do MST; nem o Jesus companheiro dos ídolos, de João Paulo II; nem o Jesus que faz vistas grossas para o adultério do cardeal Bergoglio; nem o Jesus dos artigos eruditos do professor Ratzinger.

      Mas o Rei Imortal dos séculos, Senhor da História, e Unigênito do Pai, cheio de graça e de VERDADE.

      Se vc acha que foi humilhada pelo que lhe disseram, agradeça a Deus. Pois isso é sempre uma grande graça. Para os hedonistas, no entanto, este é o pior dos males. Eles começam logo a urrar… Tal é a doutrina dos Padres do Deserto.

    • Minha Senhora;

      A “religião que o papa Francisco quer” é uma religião que acolha as pessoas, sem distinção, sem rótulos, sem ritos…
      Sem modelos ou guias, um encontro entre todos aqueles que têm boa vontade, amor e carinho!
      Minha senhora, ainda bem que esta NÃO é e, tampouco foi ou será, aquela religião pela qual se dá a vida, como os mártires e confessores…
      Esta religião que o papa Francisco quer não é aquela velha religião, repleta de dogmas, de penitências, de ritos e rituais, aquela velha religião que construiu o Ocidente, edificou enormes Santuários, esplêndidas catedrais e, sobretudo, aquela velha religião que estruturou milhares de vidas e elevou à glória dos Altares milhares de mulheres e homens que souberam imitar as virtudes heróicas de Cristo…
      A nova religião do papa Francisco não é aquela velha religião em que pobreza e humildade eram compreendidas em vista do Cristo, e não de lutas sociais…
      Enfim, esta nova religião do papa Francisco é aquela que acolhe o ser humano inserido no mundo, com suas preocupações, alegrias e desejos, que se realizam aqui e agora…
      Realmente, a religião do papa Francisco é muito, mas muito diferente daquela velha religião, repleta de Santos que desprezaram TUDO AQUILO que o Concílio, os Sínodos e o humanismo bergogliano valorizam…
      Os heróis da velha religião são pessoas como Atanásio, Agostinho, Bento, Bernardo, Francisco e Clara de Assis, Domingos de Gusmão e Catarina de Siena, Antônio de Pádua e Boaventura, Tomás de Aquino e Duns Scotus, Teresa de Ávila, Antônio de Satana Galvão, Irmã Dulce (que se recusou a “mudar” de hábito), Padre Donizetti, Padre Pio de Pietralcina, Frei Maximiliano Kolbe, entre muitos outros…
      E quem são os heróis da religião do papa Francisco?
      Apóstolo Judas Iscariotes, Miguel Celulário, Fócio, Martinho Lutero (cuja “estátua” foi entronizada no VaticONU), João Calvino, João XXIII, Paulo VI, Paul Marcinkus, Marcial Maciel, Hélder Câmara et caterva.
      Enfim, como disse Nosso Senhor:
      “Pelos frutos conhecereis a árvore!”
      Portanto, vá rapidamente para a nova religião do papa Francisco e nos deixe com a velha religião de Jesus Cristo!
      Prometo que irei rezar por você!

    • Dona Nair, sua convicção sobre o quão inalcançável parece ser o homem moderno foi respondida pelo Arcebispo Fulton Sheen há mais de 50 anos.
      Vou colocar um trecho aqui mas desde já recomendo que leia ao menos o primeiro capítulo de sua obra Angústia e Paz. A senhora pode ter uma grata surpresa.
      “ Mas nós que somos herdeiros de vinte séculos de pensamento profundo não devemos lidar com o sobrenatural como um cachorro com um osso. Se a alma moderna quiser começar sua busca de paz pela psicologia, em vez de o fazer com a nossa metafísica, começaremos pela psicologia. A verdade de Deus teria poucas facetas, Se não pudesse emparceirar-se com a natureza humana em qualquer grau de perfeição ou mesmo de degradação. Se o homem moderno quiser ir do Demônio até Deus, por que, então, não começaremos mesmo com o Demônio? Foi por onde começou O Divino Mestre com Madalena e disse a Seus discípulos que, com oração e jejum, também eles poderiam começar ali sua obra evangélica.

      O meio psicológico não nos oferece dificuldade, pois a teologia cristã é, em certo Sentido, uma psicologia, uma vez que seu principal interesse é a alma, a mais preciosa das coisas. Nosso Senhor pesou um universo em confronto com uma alma e achou a alma mais digna de ser ganha do que o universo. Estudar almas não é nada de novo. Em toda a gama da psicologia moderna nada há escrito a respeito de frustrações, temores e ansiedades que possa ser mesmo fracamente comparado, em profundeza ou vastidão, com o tratado de São Tomás sobre as Paixões, com as Confissões de Santo Agostinho ou com o tratado de Bossuet sobre a concupiscência.

      Mas, pode-se indagar, não será a alma moderna tão diferente da de épocas anteriores que falte aos antigos escritores experiência de tal fenômeno e assim nem mesmo o Evangelho poderia oferecer um remédio? Não. Não há nada de realmente novo no mundo. Há apenas os velhos problemas afetando gente nova. Não há diferença, exceto a de terminologia, entre a alma desiludida de hoje e as almas desiludidas que se encontram no Evangelho. O homem moderno se caracteriza por três alienações: está separado de si mesmo, de seu próximo e de seu Deus. São estas as mesmas três características do moço desiludido da terra de Gerasa”.

      Aqui embaixo a obra completa. Vale a pena ler ao menos até o capítulo chamado Frustração. O diagnóstico que ele faz do homem moderno, objeto de grande preocupação da senhora, é muito surpreendente. Espero que a ajude um pouco.

      Clique para acessar o Angustia%20e%20paz%20FULTON%20SHEEN.pdf

    • Nair, se isso te consola, essas são vestes da Igreja!!?
      Não amas a Igreja?

  15. Os outros papas se apoiavam no Evangelho e no Espírito Santo, esse, ao contrário, resolveu se apoiar em si mesmo, e por isso se tornou um gigante com pés de barro, desmoronando sozinho aos olhos de todos nós.

  16. Quando Mons. Lefebvre escreve “Do Liberalismo a Apostasia” já previa o que hoje vivemos não só no Mundo Seculor, mas escancaradamente dentros das igrejas. Não se tem mais “temor e nem tremor de Deus”. Um dos autores daquele sacrílego seriado, do qual as ditas autoridades da Igreja se calaram, disse que com Deus ele se entendia. Isso nos lembra o próprio Demônio que se negou a servir a Deus. Lutero, que apoiado por um Monarca cedeu ao seu orgulho e desejos carnais destituiu o Sacramento do Matrimônio e celebrou o concubinato de ambos. Papas do século XX que vergonhasamente se filiaram às seitas contra a Igreja Católica. Liberdade Reilgiosa pregada pelo próprio Vaticano, renegando aos quantro cantos da Terra a Realeza de Nosso Senhor Jesus Cristo. O que podemos esperar dos leigos então? Estão totalmente indiferentes ao sobrenatural. Com as homilias, que mais são palavras sem sentidos jogadas para a plateia. O escândalo de Assis, presidido pelo então Papa João Paulo II, professando claramente que a Religião Católica não é divina, pois estavam ali em pé de igualdade Buda, Lutero, Mãe Terra, etc. Somos obrigados a reconhecer as palavras “sabias” do Cardeal ateu relator do Sínodo da Amazonia: eles estão apenas seguindo o que o CVII já havia trilhado para a Nova igreja. Razão que vemos no comentário bem mundano mas bem realista: a Igreja de Cristo não tem nada a ver com a igreja do Papa Francisco, do Sinodo do Amazonia, com liberdade religiosa, sexual, de costumes, etc. A Igreja de Cristo está reduzida a um pequeno rebanho, como Ele sempre referiu ao seu pequeno rebanho. Somos obrigados a concordar com o papa atual que a Igreja de Cristo não está apta para agradar, rebanhar o mundo atual, pois Cristo não tem nada com esse mundo. Razão que está bem claro que só resta a falsa igreja usar dos bens materiais: templos, liturgia, cargos, dinheiros, etc, para pregar que o inferno é aqui.

  17. Até parece que Bergoglio está ligando para isso!

  18. Sr. CAMPO LARGO

    Agradeço imensamente a sua resposta bem como sua sugestão de leitura do livro Angústia e Paz de Fulton Sheen. Já iniciei a leitura e estou gostando muito, vem de encontro ao nosso tema. A Teologia moderna perdeu a fé neste poder libertador e curador do evangelho. Concordo plenamente. Eu fiz os exercícios Espirituais de Santo Inácio de 30 dias e foi uma experiência inesquecível. Me interesso e leio muito os místicos que vão nesta direção do encontro profundo consigo mesmo, com Deus e com o outro.

    Mas isso é um exercício de crescimento de uma fé profunda, que transcenda a razão. Que nos leve a intuição, a contemplação. Os místicos falam muito sobre isso. Mas uma fé que fica só na razão se torna fundamentalista, baseada na lei. Os Fariseus eram assim e penso que os Tradicionalistas e muitos progressistas estão nisso. Estão presos a conceitos e não conseguem sair disso. Jesus dizia, VOCÊS SÃO DUROS DE CORAÇÃO. Ninguém vai entender Deus com a razão, mas sim com a intuição, com o coração. Como dizia Pascal, O coração tem razão que a própria razão desconhece.

    Por isso concordo com suas colocações que a verdadeira Teologia tem uma resposta sim para o homem moderno, mas a Igreja não consegue universalizar essa experiência de Deus, de encontro profundo, de libertação. A Igreja perdeu a fé neste poder libertador e encaminha as pessoas para os psicólogos que também não entendem nada da alma humana. Qual a solução? Voltar a Trento? Voltar a doutrina? Voltar ao ritual, as devoções? Não se forma um cristão por participar de uma missa ou de rezar ou crer em certa doutrina. Se forma um Cristão pela transformação interior, pela morte do ego, renunciar a si mesmo, pelo encontro consigo mesmo, com Deus e com os outros. São Francisco fez essa caminhada.

    Mas não é correto dizer que os místicos e santos são santos dos Tradicionalistas? ISSO NUNCA. Todo místico e santo nunca foram bem aceitos pela Igreja oficial Tradicionalista. aliás, a maioria foi perseguida pela Igreja Oficial, que o diga São Francisco de Assis, Santa Tereza dávila que só não foi para a fogueira Santa porque tinha amigos teólogos bons. Que o diga São João da Cruz que foi preso pela sua comunidade. Todos os místico verdadeiros foram perseguidos pela Igreja oficial

    Neste sentido, os Budistas descobriram um método e fizeram uma caminhada muito profunda. Os HIndús com a Yoga também. E os Cristão também, afinal Jesus antes de curar um doente dizia, Teus pecado estão curados, ou seja, a cura interior precede a cura exterior. Mas a nossa Teologia virou racionalista, uma matéria de estudo e não para se experimentar. Ora, o Cristianismo não é para ser estudado e sim experimentado. É uma experiencia interior, um encontro. A nossa iniciação cristã é racionalista, uma matéria de estudo e decoreba. Um Padre para se tornar Padre tem que estudar Teologia. Estudou, se formou é ordenado. Não é assim que se forma um pastor. Um santo se forma no silêncio das capelas e não nos bancos da universidade.

    No início da Igreja para você se tornar um cristão e se batizar você deveria se converter, fazer a experiência e só depois ser aceito. Hoje se forma um cristão a toque de caixa. O método antigo era pior e o de hoje é fraco. Ambos são racionalistas, alimentam a mente.

    Obrigado pela sua resposta e sua sugestão, diga-se de passagem, foi bem sensata e não agressiva com muitas. Fique na Paz de Deus.

    • Distinta Senhora;
      Primeiramente, estude Teologia Mística, de preferência pelo livro de Tanquerey.
      Segundo: estude a História da Igreja – mormente o que o grande historiador do Medievo (recomendo Jacques Le Goff) escreve sobre São Francisco de Assis e as primeiras gerações Franciscanas;
      Terceiro: deixe de mimimi e classificar simploriamente todos aqueles que defendem a Tradição da Igreja como “Tradicionalistas” e “Fariseus”
      Quarto: estude um pouco a respeito das igrejas Católico-Bizantinas – com seus rituais complexos – pouco claros – que apesar de toda complexidade, resistiram ao ateísmo comunista (gente “adorada” pelos bergoglianos e afins);
      Quinto: os Santos não “foram perseguidos pela Igreja Oficial”, mas, ao contrário destes conceitos que a senhora expõe, os Santos eram Piedosos e TODOS buscavam RECUPERAR a TRADIÇÃO DA IGREJA!!! Principalmente, Santa Teresa de Ávila (que lutava contra as “inovações” no Carmelo)
      Sexto: senhora – SOMOS CATÓLICOS – portanto – temos formas de Meditação TOTALMENTE DIVERSAS dos pagãos e em nada devemos imitar suas crenças, uma vez que Nosso Senhor Jesus Cristo RENOVOU TODAS AS COISAS COM SUA PAIXÃO!!!
      Sétimo: vá correndo para a religião do papa Bergoglio e nos deixe em Paz!
      Mesmo que me irrite profundamente, por teimar nessa heresia, prometo que rezo e continuarei rezando pela senhora!
      Vá em paz!

  19. Nair Ramos, boa noite!
    A sociedade ocidental está cada vez mais caótica. Nossos modelos sociais naufragaram nas águas de todas as formas de liberalismo. O anarquismo ganha força.
    Creio que todo sistema religioso deve ser coerente em todos os seus elementos. Isso não significa que nada possa mudar, mas que a essência sim deve permanecer intacta. E qual é esta essência? No caso das religiões que se apresentam como Reveladas, como por exemplo, judaísmo, cristianismo e islamismo, esta essência é justamente a Palavra que a religião apresenta como sendo de Deus. E cada religião destas tem suas fontes desta Palavra, isto é, as fontes da Revelação. Escritura e Tradição no caso do catolicismo.
    O problema do modernismo teológico é que ele joga fora ou relativiza justamente a essência da religião. Quando esta essência é posta em dúvida, relativizada ou abandonada, então o que sobra da religião? Nada. Este é problema dos séculos XIX e XX. Qual é a coerência ou racionalidade que sobra do sistema religioso? Nada.
    O homem racional se pauta pela verdade que sua inteligência conhece. Quando esta verdade não é mais evidente ou não a conseguimos comprovar pela razão, é sinal que estamos em trevas! Falta estudo, meditação nas verdades de Fé, ensino, retidão intelectual. Ora, este estado de coisas pode facilmente ser inserido na sociedade por mecanismos avessos a determinadas religiões.
    Para mim, a religião não está dentro das pessoas, não é inata. Pelo contrário, a religião vem de fora e nasce do temor, medo ou mesmo desespero, quando o homem se descobre nu, isto é, débil, limitado e vulnerável, num universo que, ainda que material, já subordina à força o homem em muitas de suas leis, sinalizando a ele que um ser superior possui maior ou pleno domínio. Desta constatação, o homem busca a religião. O homem busca o socorro antes de tudo e depois o consolo.
    Se o homem se sente capaz de encontrar dentro de si mesmo todo o socorro ou consolo de que necessita, então ele não precisa recorrer a nenhuma religião, não precisa recorrer a nenhuma relação com um Ser que seja superior a ele e a seus semelhantes. E assim, não precisa ouvir o que Deus lhe tem a dizer.
    Pessoalmente, minha religião é esta: eu creio na Igreja Católica, e por meio dela, e somente por meio dela, eu creio em Deus. O meu Deus é este. Por isso, em minhas meditações, têm lugar fundamental as Escrituras e a Tradição, e busco captar sempre o Sentir da Igreja perene de todas as épocas. A Igreja não é o Papa atual nem os Bispos e fiéis atuais; é muito mais do que isso, pense na Cabeça e nas dimensões celeste e padecente, pense também que muitos desceram ao inferno. A graça e a vida no Espírito Santo vêm de fora, não nascemos com tais atributos.
    O que é o homem moderno? É um homem ateu, agnóstico, ímpio, herege, libertinoso, imoral, arrogante, mentiroso, prepotente, sem respeito, deplorável… Precisa da graça divina, mas terá que colaborar com ela, já que ela não elimina a vontade livre. O que terá que fazer? Cumprir com os Mandamentos de Deus.
    Att,

  20. EU TENTEI, JURO QUE TENTEI Mas vejo que não vou conseguir e por isso me retiro.

    Me retiro com o coração despedaçado vendo tantas almas sendo estraçalhadas pela gadanha afiada do demônio. A palavra demônio significa aquele que divide. Muitos estão embarcando nessa de dividir, agredir, atacar, julgar o Santo Padre nosso pastor maior.

    Por isso me retiro triste e doido. Deus sabe que eu tentei, mas perdi. Fiquem com o chifrudo mergulhados no ódio, na discórdia, na agressão, na divisão e nas formas e não não na essência. Eu vou com Deus e com Francisco no caminho do amor e da bondade., rumo a luz infinita.

    FUI.

    • “Entrai pela porta estreita; porque larga é a porta, e espaçoso o caminho que conduz à perdição, e muitos são os que entram por ela;
      E porque estreita é a porta, e apertado o caminho que leva à vida, e poucos há que a encontrem.”

      Mateus 7:13,14

    • Vá!
      Mas, depois, não diga que não foi avisada…
      Apesar de sua teimosia, estou rezando por você!

    • Agora ficou confuso, Nair Ramos é homem ou mulher? Nair é nome de mulher. pelo desespero sentimentaloide que percebo em seus escritos eu diria que é mulher, mas afirmando que sai “…triste e DOIDO…” aparenta ser homem. Mas na loucura em que se encontra nossa sociedade nada me surpreenderia!

    • >>>Por isso me retiro triste e doido.

  21. Alguém tem mais informações sobre aquela mulher agredida por Francisco? Dizem que é uma chinesa que estava fazendo uma súplica a Francisco sobre a situação dos católicos na China. Se isso for verdade, os dois tapas que Francisco proferiu sobre aquela mulher podem provocar maior perplexidade. Interessante que nenhum repórter teve a curiosidade de entrevistar essa mulher… Se alguém souber mais informações sobre sobre essa mulher o que ela disse a Francisco nos instantes que antecederam as tapas, por favor me avisem.