Foto da semana.

El papa Francisco Alberto Fernández y su esposa, en el Palacio Apostólico

Por La Nacion, 31 de janeiro de 2020 | Tradução: FratresInUnum.com – O presidente Alberto Fernández se tornou hoje o terceiro chefe de Estado argentino a ser recebido pelo Papa Francisco, desde sua eleição como máxima autoridade da Igreja Católica, em março de 2013.

Fernández chegou ao Vaticano poucos dias antes de completar seus primeiros dois meses à frente do governo. Trata-se de seu terceiro encontro com Francisco, com quem já havia estado duas vezes em 2018, na residência papal de Santa Marta, muito antes de ser candidato.

O encontro com Fernández começou com uma brincadeira de Francisco. “Santo Padre, que alegria vê-lo!”, saudou o presidente. “Bem-vindo”, respondeu o pontífice no primeiro contato entre ambos, na sala del Tronetto, no segundo andar do Palácio Apostólico.

“Primeiro o senhor”, convidou Fernández, depois de um aperto de mãos afetuoso, enquanto eram tomados pelos flashes dos fotógrafos. “Não, primeiro o coroinha”, disse o Papa, pouco antes de entrarem na Biblioteca do Palácio, onde começou a reunião a sós, que durou 44 minutos. 

Desde sua chegada ao trono de São Pedro, em 2013, Francisco se encontrou com os dois mandatários que precederam a Fernandes: com Mauricio Macri, em duas oportunidades, ambas no Vaticano em 2016, e com Cristina Kirchner, em sete ocasiões, embora alguns desses encontros tenham se dado no Brasil, Paraguai e Cuba.

Francisco com Macri

O primeiro encontro com Macri durou 22 minutos — a metade do que durou a primeira audiência com Fernandes — e ficou marcado por especulações de jornalistas que se seguiram à publicação do semblante sério de Francisco nas fotos e vídeos dessa reunião.

El encuentro entre Francisco y Macri en 2016
                                          O encontro entre Francisco e Macri em 2016

Por sua vez, na segunda visita, Francisco permaneceu quase uma hora com Macri e os registros refletiram um encontro mais descontraído.

Em janeiro de 2018, o Papa visitou o Chile e o Peru, mas decidiu não passar pela Argentina e, quando o avião em que viajava sobrevoou o território argentino, enviou um telegrama protocolar com uma saudação a seus compatriotas. Escrito em inglês e dirigido a Macri, o Pontífice enviou seus “afetuosos augúrios” e benção ao seu país natal.

El encuentro con Macri en 2016
                                          O encontro com Macri em 2016

Por outro lado, vários ex-funcionários e legisladores de Cambiemos [partido de Macri] viajaram ao Vaticano nos últimos anos: Jorge Triaca, Carolina Stanley, Esteban Bullrich e María Eugenia Vidal, além do chefe de governo portenho [prefeito de Buenos Aires], Horacio Rodríguez Larreta, passaram pela capital do catolicismo.

Francisco com Cristina Kirchner

Cristina Kirchner, entretanto, encontrou-se sete vezes com Francisco, não só no Vaticano, mas também no Brasil, Paraguai e Cuba, encontros que deixaram para trás as primeiras versões sobre uma suposta relação distante entre a então presidente e o Sumo Pontífice.

Essa hipótese havia surgido no tempo de Jorge Bergoglio como arcebispo de Buenos Aires, desde que em 2006 o então presidente Néstor Kirchner decidiu levar o Te Deum [de fim de ano, em que participam os presidentes da Argentina] às províncias e contornar a tradição de realizá-lo na Catedral metropolitana.

En 2013 el Papa recibió a Cristina
                                         Em 2013, o Papa recebeu Cristina. Fonte: LA NACION

O primeiro encontro ocorreu pouco depois de que Bergoglio fora eleito Papa e um dia antes da cerimônia formal de consagração da Igreja. Após a audiência na residência Santa Marta, Cristina presenteou o Papa como um mate.

Meses depois, voltaram a se encontrar no Rio de Janeiro, Brasil, em 28 de julho de 2013, quando Francisco escolheu um presente especial para Cristina: um pequeno par de sapatos e meias brancas para seu neto, o filho de Máximo Kirchner.

O terceiro encontro foi em 17 de março de 2014, em um almoço de duas horas e meia no Vaticano, ao completar-se naquele mês o primeiro ano de papado de Francisco.

El Papa recibió a la ex presidenta en 2015
                                          O Papa recebeu a ex-presidente em 2015. Fonte: LA NACION

Posteriormente, outro almoço, com agenda aberta, em 19 de setembro do mesmo ano na casa Santa marte e já em 2015, em 7 de junho, Cristina e Francisco voltaram a se encontrar na sala de audiências da Sala Paulo VI, da Santa Sé.

Em julho de 2015, Cristina aproveitou a visita de Francisco ao Paraguai para assistir à missa celebrada por Francisco para uma multidão no parque Ñu Guasú e para saudá-lo. O mesmo fez a então presidente quando viajou a Cuba para a visita do Papa à ilha, em setembro de 2015, três meses antes de deixar a presidência.

Tags:

5 Comentários to “Foto da semana.”

  1. “Similibus simile cognoscitur”
    Em tradução aggiornada-conciliar:
    “Um gambá cheira o outro!”

  2. Engraçado, com Macri ele não sorriu nenhuma vez, estava sério, mas com Cristina e com Alberto Fernandes era só sorrisos. Por que será?

  3. O atual, é a celebração do encontro entre o Grão Mestre da Teologia da Libertação com o “cumpaneiro” sindicalista-peronista-comunista.

  4. O papa Francisco com a cara quem desgostou ou detestou do Macri e sorriu aos dois comunistas ao seu lado – uma grande falta de educação e de compostura de um chefe de Estado, dando muito na vista como se afeiçoa com os diabos esquerdo-ateístas-marxistas, o Fernandez-Cristina!
    Assim, deu na cara demais; numa próxima oportunidade, dê ao adversario nem que seja um sorriso de fariseu!

  5. Em vista do DIVÓRCIO “católico” instituído pelo CHARLATÃO jesuíta, Alberto Fernández, presidente da Argentina, COMUNGOU junto a sua TERCEIRA “companheira” Fabiola Yáñez, numa missa “celebrada” pelo episcopete “Seu” Marcelo Sánchez Sorondo Fedorento.

    Frutos do concílio de Roncalli, o bom de garfo.

    Deus que guarde dessa cambada.