Um padre no Alasca.

Um vídeo simplesmente espetacular do Distrito Norte Americano da FSSPX (esperamos que alguém possa inserir legendas).

Tags:

12 Comentários to “Um padre no Alasca.”

  1. a Igreja está de ponta-cabeça, mas esses estão de pé. Bendito seja Deus pela grande obra de Monsenhor Lefebvre.
    Sou testemunha de seus esforços nessa mesma terra continental nossa.

  2. Super feliz ao ver este SACERDOTE APOSTOLO conservando a maneira correta nos Sacramentos…muita unção. Vi que ainda EXISTE…

  3. Missa est!

  4. Um sacerdote como deve se apresentar vestido e não com aspecto de alguém que se veste laicamente, como diz o papa Francisco para não “constranger” os não católicos, como os hereges protestantes-maçonaria e doutras “religiões”, sem respeito humano qualquer de portar-se com a sotaina, a qual é uma roupa eclesiástica, própria dos clérigos, possuindo 33 botões de alto a baixo, representando a idade de Cristo, cinco botões em cada punho, representando as cinco chagas de Cristo. !
    Já o papa Francisco é quem pretenderia “respeitar e não discriminar” os doutras seitas e religiões, mesmo todas as outras fora da Igreja católica, de caracteres humano-fundamentadas!

  5. Imagens de um Cristianismo levado a sério por homens e mulheres de fé madura e Cristo orientada. Deo gratias!

  6. Que maravilha!

  7. Acredito que esse documentário exemplifica, ou melhor, dá testemunho do artigo de Frei Tiago – Em defesa do Celibato. E ambos rechaçam toda covardia dos que querem o fim do celibato sacerdotal, como se fosse a origem de todas as mazelas cometidas por clérigos. A falácia de que o Celibato não é dogma é uma desculpa esfarrapada para encobrir a falta de entrega total dos escolhidos, isso para não dizer justificar o cometimento do pecado contra a Castidade. A falta de padres, ou melhor de bons padres, é uma disculpa pífia para liberar a ordenação de homens casados. Daqui a pouco serão de freiras e freis casado, e já é latente de uniões do mesmo sexo. Imagine a falta que esse Sacerdote, do vídeo, faria para sua família, deixando-a para ir quilômetros de distância atender tantas outras almas? O padre hoje não veio porque sua esposa estava enjoada, seu filho fugiu de casa, ou foi para uma almoço de casais. Estes seriam os motivos mais nobres e comuns. Sem contar os possíveis escândalos de uma separação, uma traição, enfim tudo aquilo que uma família está sujeita, até mesmo as que procuram seguir a Deus. Enquanto vemos um padre que deixa tudo, tudo, para servir a Deus, sem ter hora, comodidade, preocupação; como seria deixar seu filhinho pequeno doente e ir para uma missão dessas? Não estaria ele faltando com sua obrigação de pai? E do outro lado não indo atender enfermos, celebrar missas, confissões,por causa de sua família; qual seria a razão em ser padre? Há de se levar em conta a confiabilidade da direção espiritual, dos aconcelhamentos e confissões; como seria isso? Atender confissão dos seus filhos, esposa, parentes dela? Se já há por questão de imparcialidade e segurança do magistério, que os padres não sejam enviados para sua paróquia de origem de imediato. Enfim, por mais que digam que a falta de padres justificaria tal aberração, vemos que Nosso Senhor exigiu dos seus apóstolos que deixassem tudo para o seguir. Todos lembram do rapaz que deu a justificativa de ir enterrar seus pais e depois o segueria: deixe que os mortos enterrrem seus mortos. Ora, Deus que os seus sacerdotes se dediquem inteiramente a ele, razão que sendo arrimo de família, o candidato não poderá ser ordenado. Deus não exige a mais do que podemos dar. Infelizmente vivemos uma total falta de amor e entrega total a Deus, uma prova disso é que nos lugares onde há padres saindo pelo ladrão não sem o zelo, o comprometimento desses em se dedicar às almas. Muitas desses descasos se deve ao liberalismo advindo do CVII, no qual o padre foi reduzido a um mero animador, presidente de celebração, cantor, palestrante, terapeuta de grupos. Se tivermos aqui no Brasil um só sacerdote como esse do vídeo, não precisaríamos de uma centena desses padres sem amor ao sacerdócio que enchem, quantidade, mas de qualidade estão longe de Deus.

  8. Após iniciar o vídeo no canto inferior direito, clicando na ‘ engrenagenzinha ‘
    seguindo essa sequência: Legendas/CC -> Ingles -> Lengendas/CC -> Traduzir automaticamente.
    É possível selecionar o país desejado. Obs: A legenda em Português não é das melhores, porém é compreensível.

  9. Enquanto isso, do outro lado do Atlântico, tomamos conhecimento do:

    SACRILÉGIO: VATICANO PERMITE QUE PRESIDENTE ARGENTINO PRÓ-ABORTO RECEBA COMUNHÃO, junto com a sua amante/concubina (22 anos mais nova que a sua legítima esposa).

    Detalhe: a legislação pró-aborto é uma das principais prioridades do presidente argentino Alberto Fernández, que recebeu a Eucaristia com sua concubina na Basílica de São Pedro recentemente nas mãos de uma autoridade do Vaticano, bispo Marcelo Sánchez Sorondo, chanceler da Pontifícia Academia de Ciências Sociais, administrou a Eucaristia ao presidente Fernández e Fabiola Yáñez, sua amante, em 31 de janeiro de 2020.

    Nota: o prelado do Vaticano que administrou a comunhão a Fernández e Yáñez, Bp. Sorondo, ganhou as manchetes em 2018 por afirmar que o Partido Comunista Chinês (PCC) implementou melhor a doutrina social da Igreja.

    “Acaso busco eu agora a aprovação dos homens ou a de Deus? Ou estou tentando agradar a homens? Se eu ainda estivesse procurando agradar a homens, não seria servo de Cristo” (Gálatas 1:10)

    Fonte: https://www.churchmilitant.com/news/article/vatican-official-administers-sacrilegious-communions

  10. É um Santo Sacerdote. Coisa rara nos dias de hoje.

  11. Sacerdócio é isso: Agir com a simplicidade do Evangelho. Os que querem “inventar” acabam sendo ridículos.