O papado a serviço do esquerdismo.

Por FratresInUnum.com, 17 de fevereiro de 2020 –  A visita de Lula ao Papa Francisco foi um escândalo impossível de ser contido. A reação do povo foi tão rápida quanto doída.

Afinal de contas, se, de um lado, Lula não é mais representante de nenhuma instância do Estado, de outro, é um criminoso repetidamente condenado, um blasfemador que chegou a dizer que não precisava confessar-se, alegando “não ter pecado”, capaz de dizer que não havia pessoa mais honesta que ele em lugar algum, “nem na Igreja Católica”.

Lula e papa Francisco

Recebendo-o, impondo as mãos sobre ele, dizendo-lhe que estava “feliz por vê-lo andando pelas ruas”, Papa Francisco lança-se de modo ainda mais veemente no descrédito em relação aos fiéis. Quem sai manchado deste acontecimento é Francisco!

Não bastasse termos de engolir tamanha rasgação-de-seda pontifício-esquerdista, rindo da justiça brasileira a valer, temos ainda de surportar os cathboys em sua infernética operação de amordaçamento dos críticos, lançando contra eles acusações morais deste tipo: “o católico não maldiz o papa, mas sim reza por ele”. São os bons-moços complacentes, os bajuladores de plantão, tentando blindar a opinião pública para que seja tão complacente contra eles diante desaa atitude insana de acolhida de Lula. Como se os fiéis, por amar o Papa, tivessem de permanecer silenciosos diante da instrumentalização do papado para fins políticos. Falsa dicotomia!

Argumenta-se: Francisco só recebeu um pecador, assim como Jesus o fez. Ora, mais do que isso, é importante ver quem Francisco não recebe: Dom Rogelio Livieres, heróico bispo de Ciudad del Este, morreu esperando uma audiência. Aliás, foi a Roma para tentar ver Francisco; não conseguiu e, pior, foi removido do cargo estando lá! Os cardeais dos dubia Caffarra e Meisner morreram aguardando uma palavra de Francisco. O Cardeal Zen, bravo combatente chinês, não consegue ser recebido de jeito nenhum! Já Lula obteve uma audiência com um simples pedido do presidente argentino e lá estava, em Roma, poucas semanas depois!

Mas, prossigamos.

A coisa se tornou ainda mais agressiva quando Lula publicou o vídeo da conversa, em que mostra um Francisco  obeso, escutando os seus discursos demagógicos com gosto e afirmando com a cabeça como que se demonstrasse sua concordância com cada frase. No final, o Papa o saúda dizendo: “estou muito contente de te ver novamente andando da rua”.

Bem, argumentam os cleaners: “O Papa não disse nada de errado, ele não afirmou que Lula é inocente, não defendeu o socialismo”.

Ora, há muitas formas de fazê-lo sem o dizer. Palavras não são necessárias. Os atos, omissões, e muitas vezes, a ausência de palavras falam, e falam muito!

Por exemplo, a insistência de Francisco em conceder entrevistas a Eugenio Scalfari, o editor do La Reppublica, é uma clamorosa demonstração de que ele está pouco se lixando para as heresias que o senil jornalista reiteradamente atribui a ele. Muito mais do que isso, repetir as entrevistas demonstra que ele quer exatamente que seja assim!

Com a audiência a jato concedida a Lula, a batina de Francisco se tornou uma camiseta do PT. Como chefe de estado do Vaticano, nada mais inconveniente que receber um condenado de outro país; como chefe da Igreja Católica, não se sensibiliza minimamente para o absurdo simbólico do seu ato, que massacra a esperança de milhares e milhares de católicos fiéis. A imagem do Papa é emprestada a uma causa nefanda, em uma chancela tácita às maracutaias do petista.

Legalistas de plantão, ouçam bem: para apoiar uma causa, Francisco não precisa escrever uma bula papal e mandar ao cartório para reconhecer firma de sua assinatura. Ele pode, simplesmente, colocar-se na posição que os inimigos da Igreja desejam e agir exatamente como eles esperam. Isso basta.

Justamente em um momento em que o número de protestantes continua subindo em velocidade constante e em que o número de católicos está despencando, não era a hora para fazer de uma audiência papal um palanque político, e justamente para o Lula!

Tags:

19 Comentários to “O papado a serviço do esquerdismo.”

  1. Quem é quem, de tamanha perfeição, auspiciosa sabedoria e pleno conhecimento de todos os detalhes, dentre nós, para julgar o Santo Padre? Que só é Papa por designo de Deus. Deixemos esta tarefa ao Próprio Deus.

    • Existe entre alguns católicos a defesa pontifícia na alegação de que todo papa, por ser eleito sob inspiração do Espírito Santo, estaria ele isento de qualquer crítica quanto aos erros que comete ou teria cometido, pois ele teria sido eleito por decisão divina.
      Isto está errado.
      Inspiração do Espírito Santo não é o mesmo que decisão divina.
      Ademais, independente do respeito que se deve ter à pessoa do papa, todavia, a alegação da inspiração divina não seria escudo para críticas, absolutamente.
      Esclarecendo ainda, inspiração divina é algo que todos os cristãos têm, pois recebemos de Deus recomendações espirituais para nossos atos.
      Entretanto, a decisão da prática de atos bons ou maus está sob o livre arbítrio que Deus nos concede. A decisão dos atos, portanto, é sempre humana e não divina.
      Assim sendo, o conclave papal recebe inspiração do Espírito Santo, pela qual mostra aos cardeais o Seu desígnio mas as decisões de votos são de livre arbítrio dos cardeais.
      Isto significa que, se um cardeal A recebe o desígnio divino de votar no cardeal B, cabe exclusivamente ao primeiro decidir se vota ou não e se não quiser votar sob inspiração divina, não irá fazê-lo.
      Conclusão: nenhum papa é eleito sob inspiração divina, mas sob as decisões de livre arbítrio dos cardeais. A inspiração do Espírito Santo limita-se apenas ao conclave, mas a decisão deste é fruto exclusivo das decisões cardinalícias das quais não sabemos absolutamente nada quanto a sua efetiva inspiração como resultado.
      Popularmente, portanto: não confundir alho com bugalho.

    • Caríssimo Roque, ignoro o que o senhor entende por “julgar o Santo Padre”?!
      Devo esclarecê-lo que julgar actos concretos todos podemos e devemos porque Deus concedeu-nos parte da Sua Infinita Sabedoria para distinguir o certo do errado; a Verdade e o Erro;
      O que nós não podemos é julgar intenções. Ou seja, mesmo que uma pessoa cometa um erro, não sabemos a causa, ou os antecedentes pessoais, ou os motivos, pelos quais, essa pessoa tenha chegado ao que chegou. Penso que neste post o que se pretende é mostrar a dimensão, ou o absurdo do acto, em si e não a intenção do Papa.
      Mesmo que a intenção seja a melhor possível ele não deveria, (quanto a mim) expor desta forma o Papado, não! Penso que ninguém afirmou que Francisco usou de má fé. Isso sim é que seria temerário.

    • Talvez uma boa pergunta fosse:
      O que Deus nos quererá dizer com esses absurdos do Papa Francisco?
      Quem sabe: “Infeliz do homem que confia no homem”? (Jer 17,5)
      Se pensarmos que nada pode ser imputado como reprovável na ação do Santo Padre ao receber ao Lula,
      talvez pudéssemos também nada dizer sobre os erros de outros papas do passado, afinal eles também foram papas por desígnio de Deus e deles não sabemos – o que é melhor para manter puros nossa mente e coração – “todos os detalhes”

    • Não é a figura do Papa que está colocando a Igreja em perigo. É o Bergóglio. Vide o que ele fez com os Católicos da China. Pesquise sobre o Cardeal Joseph Zen Ze-kiun, e saiba como o Bergóglio o trata quando o Cardeal pede ajuda para salvar os Católicos chineses. Não! Não podemos ficar quietos, não.

    • Essa desculpinha é meio esfarrapada, não é mesmo? Imagine então a situação colocada também para o Lula: quem somos nós a julgá-lo? Que Deus o faça, em sua imensa misericórdia.

      Nunca aceitei essa saída fácil, de jogar nossas mazelas ao Divino.

  2. “Legalistas de plantão, ouçam bem: para apoiar uma causa, Francisco não precisa escrever uma bula papal e mandar ao cartório para reconhecer firma de sua assinatura. Ele pode, simplesmente, colocar-se na posição que os inimigos da Igreja desejam e agir exatamente como eles esperam. Isso basta.”
    Fala Deus …
    Otima posicao tudo q queria gritarrrrr

  3. Ser contra o papado é uma coisa e ser contra determinado papa, suas atitudes, comportamentos esdrúxulos e incongruentes, ideologias e indiferenças, seria outra coisa completamente diferente.
    Muitos católicos acham erroneamente que o papa é infalível e desconhecem onde ou em que ele seria infalível.
    Por outro lado acham, erroneamente também, que tudo que o papa diz, fala ou se comporta faz parte de dogma da Igreja Católica.
    Nada disto tem cabimento.
    A ignorância é total, completa e espantosa.
    A compreensão da infalibilidade do papa “ex-cathedra” é algo que beira a impossibilidade e por mais que explique, o assunto não entra na cabeça de muitos católicos.
    Se o papa é infalível, não podemos criticá-lo, gritam os mais desesperados com o terço na mão.
    Antes de rezarmos pelo papa, temos que rezar a Deus para que ilumine uma grande parte dos católicos para que entendam pelo menos a própria Igreja.

  4. Não é de admirar, quem usou caixão como palanque se utilizar da Igreja para fins políticos… O que se admira é o papa ser conivente com isso…
    Sim Jesus recebia pecadores, para converte-los e não para se aliar a eles no pecado, jamais diria ““feliz por vê-lo andando (e roubando) pelas ruas” mas “vá e não roube mais”…

  5. “Ali o crucificaram, e com ele outros dois, um de cada lado, e Jesus no meio.”
    São João, 19,18 – Bíblia Católica

    • E, com o gesto de bater na mão daquela chinesa que foi pedir apoio aos católicos daquele país (segundo dizem) podemos lembrar outra passagem, (não sei de cor a citação): “Quando vos pedem pão, dão pedras; quando pedem ovos dão serpentes”…..Vcs. que são bons em achar citações bíblicas achem a o versículo etc da tal passagem.

  6. Não me assustou e nem me surpreendeu essa atitude de Vossa Santidade, receber esse senhor no Vaticano, bem como não fiquei assustada com aquela cena dele batendo na mão daquela fiel, que quando ele se aproximava, fez o sinal da cruz e tentou tocá-lo. Fiquei extremamente triste com as duas situações, como também fiquei quando Vossa Santidade não veio comemorar conosco a festa dos 300 anos de Nossa Rainha e Mãe, Nossa Senhora da Conceição Aparecida. Por qual motivo ele não veio? Qual seria o motivo tão grave que o fez desistir de comemorar nossa Padroeira? Rainha, mãe de Deus (zero), ex presidente, condenado (a imagem já diz tudo).

  7. Caríssimos Fratres;

    Esta é a igreja conciliar em sua plenitude. Transformaram tudo aquilo que é ruim em bom, o falso em verdadeiro, a mentira em verdade.
    Tudo isso através de falácias e ilusões.
    O que estudei em Teologia, há quase sessenta anos atrás, já não corresponde àquilo que esta nova religião ensina.
    Transformaram tudo! Do Catecismo até as devoções populares, sem que nos esqueçamos da Liturgia, da Doutrina e, mormente, da Moral Católica.
    Conheci muitos bispos que, apesar de saber que este “novo jeito de ser igreja” – com a “nova eclesiologia” não passam de falsear a Doutrina Católica, nunca se pronunciam… Não sei se por medo de “perderem seu cargo” ou, pior, o “conforto” e o status…
    Outros, acreditam que basta usar batinas, parlamentos repletos de tendinhas e filigranas douradas “estão defendendo a Tradição”!
    Será que se esquecem que o Bom Deus vai pedir-lhes contas de assumirem que são maus pastores?
    É lamentável a covardia!
    Ao longo destes 53 anos de vida Sacerdotal tenho o martírio de assistir a destruição da Igreja para a qual consagrei-me!
    Não consigo ver na “igreja conciliar” nada mais que um simulacro mambembe.
    O problema é que as pessoas – como ovelhas – têm sede e fome de Deus. Porém, como não encontram pastores que cuidem delas e tampouco abrigo seguro, fogem e dispersam-se, ficando longe do aprisco!
    Quando vejo estes falsos pastores evangélicos ludibriando a boa-fé de nossa pobre gente, fico extremamente revoltado.
    Mas, ao refletir sobre o que está acontecendo, diante do “silêncio dos bons” e da ousadia e escândalos de bispos da igreja conciliar, sou levado a pensar:
    Quem são os lobos mais cruéis para o rebanho? Aqueles que iludem as ovelhas, buscando seu dinheiro ou aqueles que conduzem as ovelhas aos abismos da descrença?
    Estes bispos da igreja conciliar se esquecem do sensus fidelium, acreditando que podem iludir as almas…
    Queremos Jesus Cristo!
    Somente Ele trará conforto e salvação às nossas almas!
    Enquanto os grandes Papas, como São Pio X – o último Papa Santo! – mostravam a realeza de Cristo, nosso Senhor, os papas conciliares substituíram o divino pelo humano. Pior que isso, este papa exalta um criminoso, tal qual no passado os dirigentes da Sinagoga escolheram e incitaram o povo a querer Barrabás no lugar do Cristo.
    Que o Bom Deus e a Virgem Santíssima se compadeçam de nós e terminem com este tempo de noite escura d’alma pelo qual passamos !

  8. Francisco é um castigo pelos nossos pecados e pelos pecados do mundo. A mão de Deus pesa sobre nós, como bem o merecemos por nossas culpas.
    (O que não quer dizer, todavia, que devamos deixar de lutar contra a desgraça e o mal que nos afligem.)

    • Concordo e digo mais: tudo resultado escabroso previsto na advertência e pedido de N. Senhora na aparição em Fátima.
      Ela implorou em 1917 pela consagração da Rússia ao seu Coração Imaculado, pois caso contrário a Rússia disseminaria o mal pelo mundo.
      Nenhum papa na época quis efetuar a consagração, sequer João XXII, o papa dos anos 60, que recusou-se a faze-lo pois não queria melindrar Kruschev e nem os patriarcas da Igreja Ortodoxa Russa que participariam do Concílio Vaticano II. Fez pior: colocou em dúvida a informação dos pastorinhos e a capacidade de avaliação de N. Senhora, algo incompreensível pois a Igreja e os papas anteriores haviam chancelado a aparição.
      João Paulo II, todavia décadas depois, fez a consagração do Coração de Maria ao mundo, sob a alegação de que a Rússia fazia parte do mundo. Meia sola, como se diz popularmente.
      O mal está aí e talvez fique pior se não elevarmos as nossas orações pedindo, ao mundo e aos papas principalmente, mais fé.

  9. Belíssimo comentário Pe. José Antonio. Pelos frutos conhecereis a árvore, diz a escritura. Quais os frutos do vaticano II e, sobretudo, de Francisco I ? Estamos vendo, vivendo e pedindo a Deus discernimento e misericórdia. Paz e bem a todos.

  10. Quando se perde a fé, ou quando ela nunca existiu, só resta chafurdar na lama do mundo e de seus “projetos” rentosos.

    Cada um se erige como seu próprio deus e vomita as suas aberrações de psicopata, ou bem as engole para tentar disfarçar.

    O clero dito católico tornou-se, em larga escala, ator e palco de abjeçoes e de imundice. Está profetizado.

    Mas também se podem ver santidade e ardor inauditos e tão mais fulgurantes quanto são densas as trevas e os valores que sobem dos abismos infernais.

    Há bons jovens sacerdotes; há leigos empenhadissimos. Há ainda muita santidade anônima e corredentora. Não cedamos à retórica de nossos corruptos inimigos.

    A geração putrefacta e satânica, que lançou a Igreja nessa situação, se extingue ou já nao é. Sua semeadura, por protegida que seja, há de secar para sempre.

    E nao desesperemos da salvação de ninguém.

    Sic transit gloria mundi.

  11. Um papa sem sensibilidade para com os crimes cometidos por um líder corrupto, Lula!