Padres de Taubaté, a briga.

De volta ao Twitter, Padre Fábio de Melo se envolve em discussão com religioso de Taubaté.

Por G1, 18 de fevereiro de 2020 – O Padre Fábio de Melo voltou ao Twitter após uma pausa de seis meses na rede social e se envolveu em uma discussão com outro sacerdote católico. O padre cantor Joãozinho, de Taubaté (SP), compartilhou um post com um comentário que mencionava que o colega de batina tinha “postagens absolutamente inúteis”. Fábio de Melo, que faz parte da diocese da cidade, respondeu sugerindo que o religioso deixasse de segui-lo no Twitter.
“Prezado padre Joãozinho, para não ter acesso às minhas postagens inúteis, é só deixar de seguir. Não se imponha mais um fardo além dos muitos que você já tem”, escreveu Fábio de Melo.
Em menos de 24 horas a resposta teve 4,5 mil curtidas e o Padre Joãozinho apagou o post com a crítica. O caso teve início quando um seguidor comentou que Fábio de Melo voltou à rede social como o mesmo de antigamente.
O Padre Joãozinho compartilhou o comentário em uma nova postagem na qual disse: “De fato… postagens absolutamente inúteis…”.
Antes da discussão entre os padres, Joãozinho já havia compartilhado uma postagem de Fábio de Melo em que uma criança não vê uma porta de vidro, bate e começa a chorar. A legenda criada por ele diz: “assim nasceu a sirene do recreio”’. Na sequência, Joãozinho escreveu “Voltou para o Twitter…” (veja abaixo).

Padre criticou Fábio de Melo por postagens e ele rebateu com sugestão de 'unfollow' — Foto: Reprodução/TwitterPadre criticou Fábio de Melo por postagens e ele rebateu com sugestão de 'unfollow' — Foto: Reprodução/Twitter

Padre criticou Fábio de Melo por postagens e ele rebateu com sugestão de ‘unfollow’ — Foto: Reprodução/Twitter

Repercussão

Ao G1, Joãozinho disse que se excedeu e considera que Fábio de Melo também tenha exagerado.

“Esse tipo de situação é absolutamente comum entre pessoas normais. Eu penso que a rede poderia ser utilizada de maneira mais útil. É a minha opinião e ninguém precisa concordar com ela. Foi apenas uma frase. Poderia ter pensado mais antes de escrever, mas ele também”, disse.

Completou ainda que Fábio foi seu aluno e, diferentemente do que pareceu na postagem, a situação não foi uma briga. “Ele é uma pessoa querida minha, foi meu formando. Vendo a repercussão negativa com ele, decidi apagar”, completou.

Padre Fábio de Melo faz parte da Diocese de Taubaté, cidade onde Padre Joãozinho também atua. Os dois atuam como padres cantores. A reportagem entrou em contato com a diocese e com os dehonianos, que respondem pelos religiosos, mas eles não quiseram comentar o assunto.

G1 também procurou o Padre Fábio de Melo, mas aguardava o retorno até a publicação da reportagem.

Saída e volta ao Twitter

Fábio de Melo deixou a rede social em agosto de 2019. Com 7 milhões de seguidores, ele deixou o espaço depois de se envolver uma polêmica ao comentar a saída temporária de Dia dos Pais de Alexandre Nardoni, condenado a 30 anos de prisão pela morte da filha Isabella Nardoni.

À época, ele sugeriu que a saidinha fosse restrita ao Dia de Finados, para que os condenados visitassem o túmulo das vítimas. Seis meses após a pausa, retornou às redes no início da semana.

Padre criticava posts de Fábio de Melo com o que chamou de "postagens inúteis" — Foto: Reprodução/TwitterPadre criticava posts de Fábio de Melo com o que chamou de "postagens inúteis" — Foto: Reprodução/Twitter

Padre criticava posts de Fábio de Melo com o que chamou de “postagens inúteis” — Foto: Reprodução/Twitter

17 Comentários to “Padres de Taubaté, a briga.”

  1. Vejo coisas inúteis de ambas as partes. Se esses padres se preocupassem com as almas, isso não aconteceria.
    A foto parece mais um galã de cinema. Veja se isso é coisa de padre?
    Acho que os dois deveriam se enviados para uma clausura!!! Quem sabe se acabam se convertendo?

  2. Não levo nenhum dos dois padres à sério. Pe Fábio de Melo ou com dizem Pe Favo de Mel por razões óbvias e Pe Joãozinho é um representante da Teologia da Libertação e é esculachado no Tweeter cada vez que defende o que tem de pior na política brasileira!

  3. Se merecem . . .

  4. O maior problema da Igreja mundana são os padres.
    Eles vão, em seguida, de padres a bispos, depois a cardeais e finalmente a papa.
    Felizmente a Igreja resiste ao seu desmantelamento clerical há 2 mil anos e assim será até quando Cristo bem entender.
    A Igreja não muda. Cristo não muda. Deus não muda.
    Quem tem que mudar são os homens.

  5. Nada do que os dois achem ou deixam de achar tem qualquer relevância para mim. O pior de tudo é o Valter Silvestre nem ao menos saber o que é uma conjunção adversativa e perder tempo com estes dois ao invés de estar estudando português.

  6. Não tá na hora desses padrecos cantores irem cantar na Amazônia e nunca mais saírem de lá? Já que amam tanto o Papa e são tão obedientes…

  7. Não foram os dois reverendos que, juntos, disseram que a Eucaristia é apenas pão e vinho? Agora se estranham…

  8. E se esquecem da Lei maior da Igreja que é a da Salvação das Almas, que com padres como esses estão cada vez mais indo pro abismo.

  9. Enquanto isso, ainda há quem se preocupe com as almas… Dom José Chaves é um exemplo!

  10. Como diz o Eclesiástico…” vaidade, tudo é vaidade…”

  11. Deveriam ser os dois enviados como missionários na Amazônia, já que Francisco disse que os bispos precisam incentivar os sacerdotes a buscarem a região em missão. Se é que serviria de alguma coisa!

  12. Caros Fratres;

    Sou Sacerdote Católico há mais de 53 anos, portanto, já vi muitas coisas na vida, incluindo discussões e brigas entre Padres.
    Entretanto, no que concerne a este fato, só posso dizer-lhes que é tão sem conteúdo e ridículo que só mostra duas coisas: a vaidade e a pequenez de infelizes e descrentes.
    Se a discussão fosse sobre um tema “profundo”, teológico, histórico ou que apresentasse alguma relevância, seria lamentável, porém, compreensível.
    Contudo, o fato espelha o vazio religioso e a plenitude mundana…
    O que nos resta?
    Rezar e usar este fato como um exemplo daquilo que um bom Católico deve rejeitar: as discussões estéreis e fúteis.
    Rezemos!

  13. Que ‘disputatio’ amigos, que ‘disputatio’!

  14. Ah, os dois escreveram um livro (inútil), negando a presença real de Jesus na Sagrada Eucaristia. Eu resumiria assim: é o sujo falando do mal lavado. Eita! Cada padre que dá dó!

  15. Não morro de amores por nenhum desses Padres, mas sei de fonte segura, de pessoas que vivem perto deles de alguns pontos que penso que a maioria que frequenta este site não sabe.

    PRIMEIRO. O Pe. Fábio de Melo frequenta a missa diariamente, portanto é de comunhão diária. Se confessa pelo menos 1 vez por semana. É devoto do sagrado coração de Jesus e dizem que todos os dias às 15 horas em ponto, reza o terço da misericórdia. Jejua 1 vez por semana. São poucos que fazem isso.

    SEGUNDO. O Pe. Joãzinho reza o terço diariamente e faz 50 jaculatórias por dia.

    Penso que os dois tem coisas erradas. São modernistas demais, mas tem alguns traços dos santos.

    Não sei como caíram nesta briga ridícula, mas os dois já levaram centenas de almas para Deus com suas pregações e canções.