Papa acolhe renúncia de dom Murilo Krieger e nomeia novo arcebispo para Salvador (BA).

Por CNBB – O Papa Francisco acolheu, nesta quarta-feira, 11 de março, o pedido de renúncia apresentado por dom Murilo Sebastião Ramos Krieger ao governo pastoral da arquidiocese São Salvador da Bahia, a Sé Primacial do Brasil. No mesmo ato, o Santo Padre nomeou arcebispo para a mesma arquidiocese o cardeal Sergio da Rocha, atualmente arcebispo de Brasília (DF).

15 Comentários to “Papa acolhe renúncia de dom Murilo Krieger e nomeia novo arcebispo para Salvador (BA).”

  1. Duas observações:

    1) Dom Murilo saiu como entrou – sem ficar cardeal. O interessante é a declaração de Dom Sergio: não há sequer uma palavra de agradecimento à Dom Murilo. Seria persona non grata?

    2) Salvo a Sé de Manaus (que vai virar cardinalícia dada a sua nova importância atribuída – estou sendo irônico), quais serão os palpites do novo cardeal em Brasília? Será Dom Walmor? Dom Dimas Lara? Algum nome vindo de Dom Hummes?

  2. Estranha essa remoção de Dom Sérgio, ele parecia ser muito bem quisto em Roma – tanto é que foi criado cardeal recentemente. Além disso, a Sé de Brasília – hoje – é mais prestigiosa que a de Salvador, mesmo esta sendo a primacial do Brasil; ademais ele é o primeiro arcebispo de Brasília a sair para outra arquidiocese e não para Roma.

  3. É um mistério o papa da misericórdia não ter feito dom Krieger cardeal. Não me consta que ele é conservador…

    Que o papa argentino odeia a Igreja é fato, mas parece que odeia também o Brasil. Trocou um cardeal de lugar ao invés de purpurar outro brasileiro.

  4. Como ficará a situação dos Arautos do Evangelho em Salvador? Com Dom Murilo, embora tímida, a relação era de tolerância.

  5. Anotem: para Brasília vai Jaime Sprengler, arcebispo de Porto Alegre.

  6. Curioso…cria-se cardeal na capital do país e depois transferi-se para a primeira capital, Sé primaz. Para fins políticos Salvador não tem relevância. Pela lógica, o novo arcebispo de Brasília será criado cardeal mais pela importância política do que religiosa. Ainda temos a Sé de Aparecida sem cardeal, embora bem ou mal tem importância reiligiosa. Cabeças irão rolar em Roma, surgindo vaga para um pueril cardeal brasileiro, ou dada a situação política em que o Vaticano está se comportando persona non grata in solo brasileiro uma forma de tirar da linha do Planalto um ativista político que atenda ás clamores da nova ordem. Ou ainda assessotia do Vaticano está como um instituição relgiosa que vive movimentando seu padres, sem lógica alguma.

  7. Trocou seis por meia dúzia. Que Dom Murilo não seria cardeal isso já se sabia, mas essa troca é que parece ser um jogo de cartas marcadas. Outro fato é que bons bispos no Brasil não chegam ao barrete cardinalício! Se temos bons bispos? Sim, ainda temos…se serão cardeais um dia?! Uma incógnita.

    • Dom Fernando Guimarães? Dom Antônio Keller? Dom Henrique Soares? Creio que nunca… Espero ser pessimista unicamente…

  8. Renúncia por limite de idade?

    Rino

    >

  9. Aparentemente, tudo não passa de alterações na cúpula do PCdoBB.

  10. A título de curiosidade, e para mim um mistério, está o fato de D. Murilo Krieger ter sido o único arcebispo de Salvador a não ser cardeal depois dos últimos cinco em linha ininterrupta. “Um ponto fora da curva”, como se costuma dizer.
    A título, agora, de informação, o primeiro arcebispo de Salvador a ser elevado ao cardinalato foi D. Augusto Álvaro da Silva, em 1953. O governo pastoral deste prelado foi muito longo, assumiu a arquidiocese em 1924 e governou-a até sua morte, aos 92 anos, em 1968. Naquela época, ainda não havia bispos eméritos.