A “Igreja em saída” adverte: não saiam. Mas, alguns bispos discretamente pedem relaxamento ao governo.

O presidente da CNBB lançou um apelo para que as pessoas não saiam de casa (ver vídeo abaixo). No entanto, segundo Andréia Sadi, outros bispos católicos ignoram a CNBB e apelam diretamente ao presidente:

Auxiliares do presidente Jair Bolsonaro disseram ao blog, nesta quinta-feira (26), que ele atendeu a um pedido de religiosos de diferentes igrejas — como a católica e evangélica — ao autorizar o decreto que inclui atividade religiosa como essencial, mesmo durante a quarentena. Procurados pelo blog, assessores justificaram “preocupação” dos religiosos com a Semana Santa, que acontece em abril, “com a parte emotiva” das pessoas — e, por isso, o presidente autorizou missas. Segundo palacianos, pastores e arcebispos procuraram o governo com esse apelo.

Tags:

17 Comentários to “A “Igreja em saída” adverte: não saiam. Mas, alguns bispos discretamente pedem relaxamento ao governo.”

  1. No Youtube esta escrito:

    Os comentarios estão desativados.

    Isto mostra que D. Walmor não passa de um Xi Jinping brasileiro.

    Não tolera respostas, sou INFALIVEL – afirma D. Walmor -. em qualquer coisa. O resto do mundo está errado.

  2. D. Walmor, quanta irresponsabilidade em tentar falar ao povo cristão sobre um assunto que não entende. Age como um ativista e militante político cheio de toda a sua arrogância e mediocridade.
    Será que o Sr. tem se preocupado em dar apoio aos fiéis católicos? Pois, esta é a sua missão essencial e digamos sinceramente, única.
    Sua convicção na leitura mal feita e interrompida de um texto pobre que mais parece ser por uma obrigação partidária ou ideológica do que por convicção real!
    Pobre, muito pobre!!!
    Nós católicos temos uma vergonha imensa da CNBB, e pedimos em nossas orações constantemente que Deus nos dê a oportunidade de extinguir tamanho mal a fé e a sociedade brasileira. Vocês bispos nunca lutaram do lado certo, sempre se uniram aos ladrões, corruptos, assassinos, e comunistas em detrimento do povo brasileiro a quem tem obrigação de servir como pastores e não como lobos e algozes.
    Vergonha Walmor, vergonha imensa e nojo de sua atuação!! É o sentimento da maioria dos católicos que tiveram ou vai ter a oportunidade e a infelicidade de ver o seu videozinho medíocre e bajulador comunista!

  3. A CNBB quer ser poder paralelo ao governo Federal, não concordo com isso, pelo fato de não terem responsabilidades legais de governo .

  4. “Nós repudiamos e criticamos veementemente” a covardia dos que se dizem Pastores da Santa Igreja Católica que se omitem e progagam a idolatria, o ecumenismo deturpado, a liberdade religiosa e sexual, a degradação do gênero humano, o comunismo, o anticlericarismo, as modas incovenientes, a profanação dos templos e imagens sacras, o falso espírito de humildade e caridade, a laicização sem respeito a Deus, enfim tudo aquilo que provoca a perda da almas e a condenação eterna.”

  5. D. Walmor fala em soliedaridade.
    Mas cade a soliedaridade dele aos Católicos chineses perseguidos Xi Jinping, o causador, o fabricante da peste que deve ser chamada de peste Xi Jinping. (covig29)

  6. “Desde o tempo em que for suprimido o holocausto perpétuo e quando for estabelecida a abominação da desolação transcorrerão mil duzentos e noventa dias”.(Dn 12,11)

    É inadmissível suspender Unção dos Enfermos e Comunhão numa época de pandemia. É como negar comida a um faminto. Isso é cruel.

    A profecia de Daniel está às portas: fim da Missa!

    Moral: sinto-me como ovelha sem pastor. A apostasia entrou no Templo de Deus. Tenho vergonha dos nossos pastores. A Igreja católica se transformou numa ONG religiosa.

    Os tempos finais chegaram!

  7. Ficar em casa ou sair? Ter ou não ter Missa? Como resolver a questão? Rezar muito e seja o que Deus quiser.
    A decisão é individual. Em minha casa tenho um acordo. Qual a sua realidade? Certeza que diferente da minha, que é bem delicada no âmbito da fé. Viro o Rosário inteirinho de manhã e a noite e nada. Será que o Senhor se esqueceu de mim? Nunca foi o caso em toda história da humanidade e não será agora.
    Salve Maria!!!!!

  8. É muito triste ver que Bispos estão incentivando as pessoas à não saírem de casa, e cancelando à celebração da Santa Missa. Esses Bispos se importam mais com à saúde das pessoas do que em realizar à vontade de Nosso Senhor Jesus Cristo. Enfim, devem ser hereges modernistas mesmo, já que são antropocêntricos, e não teocêntricos como os católicos são.

  9. Na hora que faltou dinheiro na lojinha, pastores e bispos sentiram o mesmo ardor missionário… Talvez sejam tão entendidos de biologia quanto o presidente e prefiram contar dízimo ao tempo que contam os mortos.

  10. Sr Bispo, os obreiros da nossa igreja NÃO São chamados para fazer política e sim para salvar as almas pois a vida é passageira, precisamos dos sacramentos para confirmar as contriçoes que fizemos durante o confinamento feito em alguns estados, espero que o Sr respeite nossa FÉ e reabra as igrejas sob vosso Comando para receber os sacramentos previstos em nossas doutrinas milenares.

  11. Nessa dom Walmor acertou .
    Parabéns, senhor bispo.

  12. Fraquíssimo. Não falou uma palavra de espiritualidade e conversão, sendo ele um bispo. E nem soube falar de politica, uma linha que ele tenta se embrenhar a tempo. Fraquissimo. Parece aqueles senhores da Ceb’s no fim da tarde de sabado, naquelas reuniões que não dizem nada, e não levam a lugar nenhum. ah, só sabem cantar: “Quem sabe faz a hora nao espera acontecer…” Que pena. Fraquíssimo.

  13. D Walmor seria um estilo gazela, do estilo medroso e assustadiço, defensor dos poderes supostamente atribuídos para defender as esquerdas Mães Terra e Natureza e as Pachamamas da vida!
    E ele, sempre todo em louvores ao “católico” papa Francisco e há anos Frei Clemente Rojão o tinha na listagem dos bispos social-comunistas, inclusive o dele, cujo nome não recordo!
    Eita frei que sumiu das redes e tenho saudades dele – era de pouca conversa e agia na base do “doa quem doer”!

  14. Isso a meu ver se chama campanha para o cardinalato. É quase um grito: “Francisco, lembre-se de mim, eu jogo no seu time!”. Aquele senhor de Aparecida também está nessa.