Bento XVI relaciona a imposição do aborto e do casamento homossexual ao poder espiritual do Anticristo.

Na nova biografia de Peter Seewald sobre Bento XVI, o papa emérito vincula a imposição do “casamento homossexual” e do “aborto” no mundo moderno — de tal forma que se castiga aquele que divergir com a excomunhão social — ao “poder espiritual do Anticristo”. 

Por Infocatólica, 2 de maio de 2020 | Tradução: FratresInUnum.com – “Há cem anos”, disse Bento na biografia de Peter Seewald, “todo o mundo teria considerado absurdo falar de um casamento homossexual. Hoje em dia, excomunga-se da sociedade quem se opõe a ele”. O mesmo se aplica ao “aborto e à criação de seres humanos em laboratório”, acrescenta o pontífice alemão.

“A sociedade moderna está em meio à formulação de um credo anti-cristão, e se alguém se opõe a isso, é castigado pela sociedade com a excomunhão. O medo deste poder espiritual do Anticristo é, então, mais que natural, e realmente é necessária a ajuda das orações de toda uma diocese e da Igreja Universal para resistir”.

Tags:

7 Comentários to “Bento XVI relaciona a imposição do aborto e do casamento homossexual ao poder espiritual do Anticristo.”

  1. Na realidade a Igreja e o mundo já estão sob a batuta do Anticristo.
    Não se iludam ao pensar que este seja alguém em carne e osso da ficção ou das películas hollywoodianas.
    É óbvio que não, embora poderemos ter no futuro (e já existem inúmeras figuras) alguém que lidere mundialmente um governo global com características diabólicas e puramente anticristãs.
    Pouca diferença, todavia, fará, pois organizar algo sinistro (aqui sinistro cabe nos dois sentidos, tanto o danoso ou pavoroso quanto o de esquerda) neste mundo atual já institucionalmente demolido será apenas tarefa administrativa e corriqueira.
    Sigamos nas preces rogadas por N.S. de Fátima para o seu Coração Imaculado que triunfará e o seu calcanhar que esmagará a cabeça da serpente.

  2. Em outras palavras Bento XVI disse: Bergoglio é o anticristo. Primeiro porque já é uma realidade o poder do anticristo pois pelas excomunhões sociais, como ele disse, de quem se opõe ao aborto e ao casamento homossexual, percebe-se que isso é algo que já está acontecendo, e segundo porque disse que essa auroridade é espiritual, ora a única autoridade na face da terra com poder espiritual de fato é o papa, já que as outras “religiões” são falsas.

  3. Caros Fratres;

    Espero que não me considerem maldoso ou ressentido, mas, todas as vezes que leio alguma notícia sobre o “ex-papa” Ratzinger, lembro-me de sua incansável atuação durante o Concílio Vaticano II, como ele e seus companheiros Congar, Chenu, Küng, Häring et caterva influenciaram nas mudanças e destruição de tudo que era Sagrado até então…
    Também me lembro que este mesmo “ex-papa” governou (?) o que havia sobrado do Catolicismo – aquela “velha Igreja” que ele et caterva haviam iniciado a demolição!
    Agora, depois que se tornou “ex-papa” deu-se a choramingar e a lamentar, passando a escreve e divulga artigos nos quais se opõe às mudanças que ele mesmo e seus antigos comparsas fizeram durante a hecatombe conciliar..,
    Acaso não teria sido mais simples e útil se ao chegar ao trono de São Pedro, como Papa Bento XVI, este ilustre teólogo tivesse a coragem de revogar algumas decisões que destruíram a dogmática da Igreja?
    Não poderia o ilustre doutor em teologia ter feito um esclarecimento sobre o maldito “espírito do Concílio”, determinando a Verdade de Fé ?
    Não poderia ter assumido que o malfadado Concílio foi uma ruptura com a Sagrada Tradição da Igreja ao invés de ficar com aquele mimimi de “Continuidade”?
    Não seria mais útil a nomeação de Cardeais sérios e comprometidos com a reconstrução do Catolicismo do que ceder aos grupos modernistas?
    Não poderia ter determinado uma mudança na formação Sacerdotal?
    Não fez nada disso!
    Como diziam os mais antigos:
    “Agora não adianta, a Inês é morta!”
    Preferiu renunciar e, abrir caminho para Bergoglio e seus comparsas…
    Entre Ratzinger e Bergoglio prefiro ficar com Nosso Senhor Jesus Cristo e a Sagrada Tradição da Igreja Católica!
    Que tenham muitos anos de vida para se arrepender de todo o mal que fez!
    Que o Bom Deus tenha misericórdia de nós!

  4. O Venerável Fulton Sheen já nos alertou sobre a anti-Igreja: «Ele [Satanás] criará uma contra-igreja que será o macaco da Igreja, porque ele, o Diabo, é o macaco de Deus. Ela terá todas as notas e as características da Igreja, mas no sentido inverso e esvaziada do seu divino conteúdo. Será um corpo místico do anticristo que vai em todas as aparências assemelhando-se ao corpo místico de Cristo. Em seguida, será verificado um paradoxo: as muitas acusações com que os homens no século passado rejeitaram a Igreja, serão as razões pelas quais passarão a aceitar a contra-igreja.» (Arcebispo Fulton J. Sheen, Communism and the Conscience of the West, (Bobbs-Merrill, 1948), pp. 24-25)

    Sendo que o ponto não é esse, mas sim sabermos que o anti-cristo será ecumênico, ecologista e pregará o humanismo sem Deus. Um resumo atual de boa parte do clero incluindo o Papa.

    Esse é o problema!

  5. Acredito que o Anticristo, irá se apresentar como uma figura singular, que já está jogando para criar uma condição de governo, ou instituindo um sistema com domínio mundial e que execre Cristo e todo o cristianismo. Na 2º Carta aos Tessalonicenses 2,9; São Paulo fala da figura do “Impio”; que aparecerá.

    Temos no mundo espalhado a “cristofobia”, e as leis do aborto, casamento homoafetivo etc, e o totalitarismo comunista que assume a dianteira na economia a partir da China.

    Será que com uma leitura da realidade não poderíamos identificar um Sistema Cultural Ateu que deu à luz ao anticristo, assim como, um Sistema Cultural Religioso deu à luz ao Messias Salvador ?

    Se Jesus Cristo nasceu em uma cultura teocrática judaica, o anticristo nasceu de uma cultura comunista ateia.

    Não me considero visionário nem ando fazendo profecias, mas acredito que o anticristo é o presidente chinês filho do ateísmo marxista.

  6. Ouvistes dizer que o Anticristo virá.
    Com efeito, muitos anticristos já apareceram.
    Por isso, sabemos que chegou a última hora” (1ª João 2, 18-21)

    Hoje, dia 04/maio/2020 é um dia histórico. O santo padre o papa Bento XVI irá lançar a sua biografia. Trata-se de uma obra indispensável para todos os católicos. Ele fala da Ditadura do Relativismo, dos cristãos Fundamentalistas (sem ironia ou crítica), do Poder Espiritual do Anticristo na agenda global (LGTB, aborto, clonagem de seres humanos…).

    Penso que em breve, o papa Bento XVI irá prestar contas ao Criador. Jesus nos garantiu que a ovelha reconhece o “Bom PASTOR”. E pelos “frutos se conhece a árvore”?

    Há algo estranho no reino do Vaticano, como diria Willian Shakespeare (peça Hamlet). Senão, vejamos: há dois papas vivos, usando hábitos brancos (prerrogativa exclusiva para papas), morando no Vaticano e sendo tratados de Vossa Santidades (algo inédito na história). Bento XVI, por ocasião do funeral do cardeal Joachim Meisner, um dos signatários DUBIA, escreveu: “O Senhor não abandona a Igreja, mesmo que o barco tenha assumido tanto água a ponto de naufragar”.
    Detalhe: Francisco foi eleito pela Máfia de St. Gallen (Suíça).

    Sobre o anticristo, Bento XVI cita o sermão historio pregado pelo Arcebispo Fulton Sheen, via rádio, em 1947. Sabe-se que o Anticristo será da tribo de Dã. Ele será filho de uma ex-freira judia com um bispo (profecia de La Salette). Segundo a Sagrada Escritura, a tribo de Dã foi excluída das 12 tribos de Israel e, consequentemente, do livro da Vida (confira: Apocalipse 7, 5-8 X Gênesis 49,16). Judas Iscariotes, apóstolo traidor, era o Banqueiro de Jesus (Jo 13, 29).
    O Catecismo da Igreja Católica-CIC nos adverte:
    §675 “Antes do advento de Cristo, a Igreja deve passar por uma provação final
    “Antes do advento de Cristo, a Igreja deve passar por uma provação final que abalará a fé de muitos crentes. A perseguição que acompanha a peregrinação dela na terra” desvendará o “mistério de iniquidade” sob a forma de uma impostura religiosa que há de trazer aos homens uma solução aparente a seus problemas, à custa da apostasia da verdade. A impostura religiosa suprema é a do Anticristo, isto é, a de um pseudo-messianismo em que o homem glorifica a si mesmo em lugar de Deus e de seu Messias que veio na carne”.

    Joseph Ratzinger no seu discurso de posse como papa Bento XVI pediu:
    “Ore por mim, para que eu não fuja dos lobos”.

    Sob uma “ditadura sanitária”, inimaginável mesmo durante o Terceiro Reich nazista, a humanidade revive os tempos dos Imperadores Romanos pagãos que proibiam cultos cristãos nos primeiros séculos dC, nos remete às Catacumbas e Igreja subterrânea. Hoje, recomenda-se. Amanhã, pune-se com multas. No futuro, prende-se. “Sem o Domingo não podemos viver” leva-nos ao ano 304, quando o imperador Diocleciano proibiu aos cristãos, sob pena de morte, de possuir as Escrituras, de se reunirem ao domingo para celebrar a Eucaristia” (papa Bento XVI).

    Há inúmeras profecias que dizem:
    “Ferirei o pastor, e as ovelhas do rebanho se dispersarão” (Mateus 26, 31)
    “Roma perderá a fé e se tornará a sede do anticristo”.

    Quem viver, verá

  7. Quer dizer que essa acusação foi um direta no papa Francisco das esquerdas porque permite dentro do Vaticano o padre homossexualista James Martin, propagador da parelha homem-homem!…
    Foi-lhe um fatal knock out!