A valentia dos covardes

Pachamama e Francisco

Francisco diante da Pachamama, a imagem que chocou o mundo católico.

FratresInUnum.com – 12 de maio de 2020 – Aonde é que Jesus Cristo está sendo mais traído, no Palácio do Planalto ou no Vaticano? Quem é que tem causado mais danos à fé católica, verdadeiro patrimônio constituinte da Igreja, um papa que assina um documento minuciosamente escrito para respaldar a heresia sem declará-la rasgadamente ou as piadas e tolices de um presidente da república semi-catequizado?

Para aqueles que acompanham as publicações deste blog, a resposta parece ser bastante clara, mas, circulando pela isentosfera católica na internet, percebemos que, quando o assunto é ir à fonte dos verdadeiros problemas, a galera desconversa e finge demência.

Padres e leigos, fulanos mais ou menos conhecidos, alguns que se notabilizaram na subida da onda bolsonarista em 2018, e que agora se dedicam, estufando o peito e falando grosso, a explorar cada palavra ou silêncio do mandatário brasileiro ou de qualquer outro personagem da política nacional, na tentativa de proteger a pureza dos católicos contra estes execráveis perigos à sã doutrina, enquanto se dedicam ao mais devoto silêncio ou ao passapanismo descarado quando o assunto são os erros de Francisco.

Honestamente falando, é impossível que alguém possa ser entusiasta de São Pio X, ou mesmo de Bento XVI, e do Papa Francisco ao mesmo tempo! A não ser, é claro, no caso de alguém que vendeu completamente a sua consciência para a oficialidade e esteja disposta a dizer que “o negro é branco” só para não desagradar as autoridades eclesiásticas.

Não sejamos hiprócritas, todo mundo sabe muito bem quem aqui está errado, quem é herege ou suspeito de heresia, quem é católico ou quem odeia o catolicismo até às vísceras. Os progressistas não são e nunca foram papistas, apenas são bons de faro e percebem muito bem para que lado puxa Francisco. Os “conservadores”, quando não querem fazer carreira ou manter-se na sua posição, apenas fingem aquele papismo falso, para proclamarem a própria fidelidade institucional, enquanto vivem acusando heresias à torto e à direito justamente para desviar a atenção dos seus ouvintes das heresias de Francisco e desorientá-los por completo. Estão do lado do lobo, não das ovelhas.

Será que os treteiros de plantão, os caçadores de hereges, os radares de opinião, os fiscais da moralidade alheia, os valentões das postagens, os confessores da ortodoxia verbal, os doutrinadores políticos puristas, os defensores da humanidade desprotegida, estes mesmos, não poderiam emprestar um pouco desta sua suposta coragem para enfrentar os seus chefes? É muito fácil ter coragem para enfrentar políticos contra os quais toda a hierarquia está mobilizada e dos quais jamais receberão o mínimo contra-ataque! Aonde está a valentia destes homens para enquadrar a hierarquia traidora, diante da qual eles ficam calados e baixam a cabeça como cadelas procurando o dono?

Os católicos estão sendo continuamente afrontados não fora, mas dentro de sua própria Igreja; estão sendo silenciados, invisibilizados, sufocados no seu grito. Uns aplicam o magistério do porrete e outros chegam em seguida com o magistério da anestesia, mas a violência não para de ser perpetrada, enquanto estes mesmos senhores se fingem de populares, pastores com cheiro de ovelhas, servos do povo de Deus…

Até quando vamos tolerar este fingimento? Os católicos precisam estar alertas contra estes desinformadores que se valem da sua posição clerical ou da nossa boa-fé para nos paralisar em nossa resistência, enquanto eles se beneficiam às nossas custas para os seus projetos de carreira eclesiástica ou de futura projeção política.

Eles sabem muito bem quem é o Papa Francisco e quais são os seus absurdos, sabem quem são os nossos bispos e o quanto eles já se distanciaram não apenas da fé, mas do povo católico. Eles sabem muito bem que estão mentindo, que são protagonistas de um jogo de comunicação calculado para ludibriar a opinião pública e aliviar as críticas a este papa esquerdista, e continuarão a fazê-lo enquanto não forem desmascarados.

Desconfie de todo herói que apenas bate em bolas de sabão e faz guerras meramente verbais, que luta contra indivíduos isolados, que enfrenta exércitos virtuais, mas que, diante do seu chefe, fala fino e lambe-lhe as botas. É nisto que consiste o seu heroísmo, é nesta mentira que se resume a valentia dos covardes.

17 Comentários to “A valentia dos covardes”

  1. “Honestamente falando, é impossível que alguém possa ser entusiasta de São Pio X, ou mesmo de Bento XVI, e do Papa Francisco ao mesmo tempo!”: Cardeal Sarah.

  2. Uau! Depois dessa…ta na hora de ficatem espertos..
    A Igreja virou um palanque ideológico politico..
    Onde as almas pouco importam.
    Como disse o autor tds interessados em nao sair de sua posições de destaque..
    Mas uma coisa é certa a palavra de Deus é clara.
    ” Quanto mais e lhe dado mais será cobrado ”
    Reage Igreja …
    Otimo texto para cenário q estamos vivendo

  3. Que horror!
    NOSSA SENHORA MÃE DA EUCARISTIA clama por reparação das confissões inválidas e das Comunhões sacrílegas ! Não estamos sós! Nossa Senhora também silenciou diante da sentença iníqua de Pilatos. E Gamaliel q procrastinou sua adesão a Cristo? Será q já não estamos vivendo o advento do Anti Cristo?
    As profecias de La Salete fala de bispos contra bispos.
    Faço a seguinte pergunta, não é uma provocação, honestamente não tenho claro a resposta, será q Bergoglio é apenas bispo e estamos passando pela impostura de q fala o Catecismo no paragrafo 675?
    Se Bento XVI diz q mantém o munus papal espiritual então Bergoglio não possui este munus pois apenas só um homem pode deter esta autoridade. Não há partilha do munus papal, correto?

  4. O que vai precisar é um CRUZADA (por mais que odeiam a palavra) contra estas pandemias espirituais e morais claríssimo aos olhos do povo. Concordam mas quem vai dar – Quis ut Deus! O povo vai as midias assistir missas pois é um pequeno amparo que tem nesta pandemia moral. Basta!?!?! Evidente que não! Voltamos então, quem dará o – Quis ut DEUS!!. Falasse, comenta, montam teses e idéias -até muito bem feitas , objetivas e com união com Deus, mas, …. o Quis ut DEus! quem levará estas almas que pedem socorro por vários meios? e deixarmos o blá, bla, blá,…

  5. “Maior perseguição à Igreja” não vem de “inimigos de fora, mas nasce do pecado da Igreja” (papa Bento XVI, viagem à Fátima, maio/2010)

    Há inúmeras profecias que preveem:
    “Ferirei o pastor, e as ovelhas do rebanho se dispersarão” (Mateus 26, 31)
    “Roma perderá a fé e se tornará a sede do anticristo” (La Salette)

    “Não quero analisar as razoes pelas quais eles me silenciam, mas há uma operação de propaganda psicológica em andamento” (papa Bento XVI).

    A ÚLTIMA PROVA DA IGREJA (Catecismo da Igreja Católica)
    675. Antes da vinda de Cristo, a Igreja deverá passar por uma prova final, que abalará a fé de numerosos crentes (639). A perseguição, que acompanha a sua peregrinação na Terra (640), porá a descoberto o «mistério da iniquidade», sob a forma duma impostura religiosa, que trará aos homens uma solução aparente para os seus problemas, à custa da apostasia da verdade. A suprema impostura religiosa é a do Anticristo, isto é, dum pseudo-messianismo em que o homem se glorifica a si mesmo, substituindo-se a Deus e ao Messias Encarnado (641).

    Quem viver, verá

    • Renato, a Igreja é Santa. Então o pecado é dos traidores da fé. Aqueles estranhos q São João disse não serem dos Seus

  6. Oxalá se nossos católicos “bem catequizados”, tivessem a fé do presidente Bolsonaro. Desnecessário a menção jacosa a ele na introdução.

    • Rubens, concordo contigo plenamente!

    • Desnecessário mesmo, forçaram a barra demais aí. Pra falar a real nem entendi pra que citaram o presidente, pq se é pra falar em “semi-catequizado”, ora, isso dentro da Igreja tem de sobra!

  7. A valentia dos covardes, é devido o silêncio daqueles que deveriam ser os valentes, os cruzados, os guerreiros de Cristo dos últimos tempos. Estamos já no final dos tempos, as profecias de La Salette estão às portas, e Jesus Cristo Justo Juiz também. A obrigação da Igreja Católica é dizer a verdade, não é convencer quem quer que seja. A verdade é que Jorge Mário Bergóglio não tem comportamento de um autêntico católico. Um autêntico católico NÃO se prostra perante falsos deuses, falsas deusas, mães terras, pachamamas ou pachapapas! Porque infelizmente, Bergóglio se prostra perante pachamamas, e os católicos de hoje se prostram perante pachapapas! Maranantha! Vem Senhor Jesus! Amém!

  8. Nós somos a Igreja Militante. Quem arrancou a capacidade do Católico de lutar, guerrear, cruzar o mundo pra converter pagãos, combater nossos três inimigos – o mundo, a carne e o demônio?

    Eu gostei muito do artigo, mas expõe mais uma vez o labirinto que nos encontramos: ora, se a crise vai se resolver via magistério, pois a Igreja é hierárquica ; como vai se resolver se o mesmo agente de transformação é o culpado? São os sacerdotes que estão em crise, não o povo, como eles vão mudar?

    Esse é o bug na cabeça de muitos católicos, que por respeito humano, piedade, alienação, medo, vergonha, cegueira, até boa intenção ortodoxa…não querem acreditar que o seu pároco é culpado, o seu Bispo é culpado, o núncio, a conferência episcopal, Cardeal e o seu papa amado são culpados pois eles não estão cumprindo o seu dever. Eu particularmente, já creio que o magistério está em Apostasia ( no sentido que Sto Tomás fala do tema, colocando os três graus de Apostasia) e que o povo precisa rezar e se sacrificar pelo magistério, mas resistindo na fé. Se debruçar sobre livros, santos, ordem e regras anteriores às mudanças, mas reconhecendo sim que o magistério atual é ainda magistério. Os sedevacantistas ficam horrorizados com essa proposta de “reconhecer e resistir” (R&R) pois alegam que não se resiste a um magistério autêntico, porém, na minha consciência, não enxergo outra alternativa.

    • “Eu gostei muito do artigo, mas expõe mais uma vez o labirinto que nos encontramos: ora, se a crise vai se resolver via magistério, pois a Igreja é hierárquica ; como vai se resolver se o mesmo agente de transformação é o culpado? São os sacerdotes que estão em crise, não o povo, como eles vão mudar?”

      Faço minhas suas palavras! E digo mais: dá pra comparar o magistério pós conciliar com uma doença autoimune, onde o sistema imunológico, cuja função é combater os agentes invasores (vírus e bactérias), ataca o próprio organismo do indivíduo. Ora, o magistério atual, tal qual o sistema imunológico doente, ataca tudo que provém da doutrina de 2000 anos, enquanto tudo quanto é modernidade e novidade tem passagem livre e até apoio de grande parte do episcopado.

  9. Nenhuma apostasia: uma Igreja “rígida”, “legalista”, “anacrônica”, “triunfalista”, uma Igreja que esquecida da “misericórdia” e do “amor Deus”, uma Igreja que devia “se abrir para o mundo”, uma Igreja, enfim, que ja nao tinha nada a falar ou ensinar. Eis o que alguns odiavam…

    • A Espanha deverá eternamente ao Generalíssimo Franco que soube com habilidade e maestria eliminar o comunismo da falsa república espanhola, aproveitando-se dos alemães e de Hitler que o odiava (“- Prefiro um dia inteiro no dentista que 15 minutos com ele, disse Hitler, se referindo a Franco).
      Franco restaurou a monarquia e vingou todos os cristãos assassinados na Espanha pelos comunistas que hoje calam-se quando são lembrados do fato.
      O Brasil precisa urgente de um generalíssimo desta extirpe, oportunidade esta desperdiçada em 1964.
      Nunca é tarde. Nunca será tarde.

    • Abaixo, no link, a relação dos mártires, até agora reconhecidos, que foram estraçalhados pelos comunistas, socialistas e anarquistas. Depois da “Falcem in terris” tudo mudou, mudou, mudou…

      Mas todos devemos sorrir, enternecidos, e tambem deixar de radicalismos e de remexer o passado….

      Enquanto isso, porem, uma coalizão de esquerda apresentou, ha poucos dias, ao senado da Espanha, o singelo e amável pedido de “resignificaçao” da necrópole do Vale de los Caídos, com a derrubada da cruz (a maior do planeta) e a demolição da abadia (após o “parecer” de uma comissão de especialistas para avaliar o valor arquitetônico)…

      Entretanto, o que interessa mesmo ao prelado argentino é posar de esquerdinha pop, condecorar a abortista holandesa, ostentar o foicefixo, encampar toda a agenda radical anticristã da ONU, ou boa parte dela, e prestar-se de joao batista para alguem que deve vir se é que já nao chegou.

      https://es.m.wikipedia.org/wiki/Anexo:M%C3%A1rtires_del_siglo_XX_en_Espa%C3%B1a

  10. Menos escândalo não fez João Paulo II em 1986 no Encontro de Assis, adorando o Santo Sacrário com o ídolo Buda em cima. Diante dessa cena desoladora, dom Marcel Lefebvre tomou a decisão de sagrar por si mesmo os sucessores na sua obra emergencial e mandar o papa ecumenista passear no Nirvana.

    Aceitar irrestritamente o Concílio Vaticano II e ser católico não é possível, disse dom Antônio de Castro Mayer. Parafraseando este óbvio ululante, não é possível ser católico da Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo e apoiar Papa Francisco ao mesmo tempo.

    Rezar pelo Papa, sempre. APOIAR O PAPA, nem sempre.