O ópio do povo.

Por FratresInUnum.com, 13 de maio de 2020 – A Igreja comemora hoje o aniversário da primeira aparição da Santíssima Virgem em Fátima, onde, para três pastorinhos, Ela falou sobre os maiores problemas da humanidade: a perda de Deus, o pecado, as guerras e os erros da Rússia. A Mãe do céu apresentou-lhes a solução, a Consagração da Rússia ao seu Imaculado Coração e a Comunhão reparadora nos primeiros sábados de cinco meses seguidos.

A hierarquia da Igreja se fez de surda aos apelos de Fátima. Não obstante se diga o contrário, a Rússia nunca foi consagrada nominalmente ao Imaculado Coração e os fieis não aderiram às Comunhões reparadoras na medida esperada, como pedira Nossa Senhora. O desfecho da desobediência é claro: o mundo será punido por causa do pecado e já o está sendo.

Naqueles dias desencadeou-se a revolução Bolchevique e, com ela, a perseguição religiosa mais sangrenta jamais vista na história. O ateísmo militante dos comunistas pretendia expulsar a ideia mesma de Deus dos corações, mas sua pretensão não prevaleceu.

Para atingir os mesmos objetivos, isto é, criar uma sociedade sem Deus, sem religião, sem família, sem liberdade, os comunistas não tiveram dificuldade alguma em mudar de tática. Já Antônio Gramsci entendera que, mais do que suplantar a Igreja, era necessário dominá-la. Se Marx chamava-a de ópio do povo, o marxismo cultural iria usá-la justamente como ópio para primeiro drogá-la e, depois, através dela, drogar a população.

Os sociólogos modernos também entenderam, contrariamente aos cientificistas de então, que a religião era muito útil para arrebanhar as pessoas, pois não seria necessário, segundo eles, fazê-lo mediante o convencimento filosófico, bastaria valer-se do discurso religioso fanatizante, obediente, submisso, e as “ovelhas” seriam facilmente engolidas pelo lobo.

Fieis rezam diante da praça fechada do Santuário de Fátima.

O plano deu certo. Os comunistas conseguiram criar a sua versão do catolicismo, a Teologia da Libertação, incharam partidos políticos através dela, galgaram o poder, acumpliciaram-se com todas as classes dominantes, ganharam o papado, mas, para a sua desgraça, a sua própria ideologia voltou-se contra si mesma: o povo percebeu que eles se tornaram a elite que sempre combateram e os relegou ao ostracismo. Ninguém mais os leva a sério e as igrejas pentecostais souberam tirar proveito disso.

Impressionantemente, o instrumento utilizado para jogar o povo todo no paganismo prático não foi diretamente o Partido Comunista, mas a própria hierarquia da Igreja. Bastou surgir um vírus relativamente letal para todos os pastores expulsarem suas ovelhas para qualquer lugar, menos para dentro do rebanho, enquanto utilizam a ideologia sanitária como método de apavoramento para tentar recuperar a hegemonia perdida.

No Brasil, mais uma vez, o tiro saiu pela culatra. O povo percebeu a mentira do discurso e voltou-se contra os ditadores filiados ao esquema de dominação chinesa e aos capelães que lhes deram suporte. Xingamentos contra os eclesiásticos inundam as redes sociais e eles se afundam no mais podre pântano do desprestígio.

Enquanto isso, o Papa Francisco, que chancelou o fechamento dos templos na Itália, aceitando a proposta do Alto Comitê para a Fraternidade Humana, convocou os católicos e crentes de diferentes religiões a se unirem em oração para pedir a cessação da pandemia, com adesão pública da própria maçonaria. No Brasil, enquanto os fieis pedem missa e sacramentos, guardados os cuidados necessários, a agenda política dos bispos continua: o presidente da CNBB lança uma nota pedindo que se adie a discussão de uma medida provisória sobre regularização fundiária (!!!)

Em outras palavras, como dizia recentemente a freira Ivone Gebara, a mesma que há décadas foi censurada pelo Vaticano por sua excessiva tolerância quanto ao aborto, analisando a vitória eminentemente neopentecostal nas eleições 2020, a ideia de um Estado Laico deve ser espanada da modernidade: a esquerda precisa é de um Estado multi-religioso, pois a laicidade do Estado é uma ideia ingênua e simplista. Trata-se de usar a religião como um braço da ideologia esquerdista, como um braço do próprio secularismo!

O catolicismo precisa ser censurado, criminalizado, proibido, mas o pluralismo religioso tem de ser defendido, aclamado, promovido… E tudo pela própria Igreja! Note-se que, hoje, solenidade de Fátima, mais de três mil soldados portugueses circundam o Santuário das Aparições e o Altar do Mundo para garantirem que nenhum católico se aproxime daquele lugar sagrado, ao mesmo tempo em que se inaugura na Rússia um templo ortodoxo com homenagens a Stalin, a Putin e aos heróis do comunismo.

Os apelos de Fátima continuam desatendidos. Entretanto, há uma garantia que deve bradar no centro dos nossos corações, que é a promessa da Mãe do Céu: “por fim, o meu Imaculado Coração triunfará”. Nós, leigos, estamos sozinhos em relação à hierarquia da Igreja, mas, ao mesmo tempo, estamos muito bem acompanhados, tanto quanto aqueles pastorinhos: Nossa Senhora do Rosário de Fátima, a Virgem Mãe de Deus, Nossa Senhora das Vitórias, está ao nosso lado e, não sabemos como nem quando, o mundo terá um tempo de paz e o Reino de Maria estender-se-á por toda a terra.

Tags:

6 Comentários to “O ópio do povo.”

  1. Infelizmente o artigo traz pura verdade.

  2. O vírus que está matando a humanidade não é o corona…
    O vírus que está destruindo a alma de bilhões e bilhões chama-se Vaticano II.
    Deste vírus, sim, devemos manter o maior afastamento possível!

  3. Nada te perturbe, Nada te espante,
    Tudo passa, Deus não muda,
    A paciência tudo alcança;
    Quem a Deus tem, Nada lhe falta:
    Só Deus basta.
    Eleva o pensamento, Ao céu sobe,
    Por nada te angusties, Nada te perturbe.
    A Jesus Cristo segue, Com grande entrega,
    E, venha o que vier, Nada te espante.
    Vês a glória do mundo? É glória vã;
    Nada tem de estável, Tudo passa.
    Deseje às coisas celestes, Que sempre duram;
    Fiel e rico em promessas, Deus não muda.
    Ama-o como merece, Bondade Imensa;
    Quem a Deus tem, Mesmo que passe por momentos difíceis;
    Sendo Deus o seu tesouro, Nada lhe falta.
    SÓ DEUS BASTA!
    Que esse belíssimo poema de Santa Teresa de Ávila, carmelita, devota radical da sagrada família, possa alimentar nossa alma nesse dia Santo e feliz de Nossa Senhora de Fátima. Sim, não há companhia melhor que a virgem do céu que aparece e repete, como mãe insistente, que está atenta ao vinho que acabou em nossas vidas. E que está pedindo ao seu filho que transforme nossa água cheia de tudo ruim, em vinho novo, saboroso, guardado para o melhor da festa. Sim, “MEU IMACULADO CORAÇÃO, TRIUNFARÁ!”
    Que melhor vinho do que a Virgem do céu!!!

  4. Caros Fratres;
    Brilhante, claríssimo e objetivo o texto.
    Sou Sacerdote Católico há 53 anos e, ainda que seja extremamente doloroso, houve uma mudança tão profunda que descaracterizou o Catolicismo!
    O clero perdeu a dimensão espiritual, abandonando-se em um humanismo materializado.
    O problema central está na Formação dos Sacerdotes: não se insiste na Santidade e na Humildade.
    Inexistem as ideias de Sacrifício e Penitência!
    As devoções à Santíssima Virgem, agora chamada simplesmente “Maria”, aos Santos, agora “modelos de seguimento na caminhada”, foram praticamente aniquilados. Quanto aos Anjos, ridicularizados como “devoções infantis”!
    A Missa foi dessacralizada, tornando-se um culto luterano.
    O mais importante, nossa espiritualidade – advinda da Teologia – mostra-se tão árida que nada consegue germinar…
    A preocupação dos jovens padres é o uso das vestes pomposas e vistosas, repletas de rendinhas, brocados e dourados… Tudo superficial e dispensável diante da simplicidade e profundidade da Fé!
    As igrejas fechadas demonstram o medo, tal como os Apóstolos nas vésperas do Pentecostes.
    Os atuais hierarcas se acovardam diante dos desafios, sem nenhuma perspectiva espiritual – porque eles não têm espiritualidade nenhuma!
    Parece que as pessoas não querem ver: os templos estão fechados porque estão esvaziados… Não há nada que oferecer a quem quer que seja, a não ser o vazio…
    Onde está a caridade cristã?
    Onde os “religiosos engajados”, aqueles que diziam que o “cheiro da terra lavrada era o incenso do povo”… Onde estão? Foram ajudar os enfermeiros e médicos nos hospitais? Estão a levar comida aos pobres? Onde está a “igreja aggiornada”, a “igreja no meio do mundo”?
    Sumiu!
    Tiveram que se curvar às Orações e à Intercessão da Virgem Santíssima, dos Anjos e dos Santos!
    Quanto aos “cultos via internet”, quando os vemos, ficam notórios o medo, a insegurança e a falta de Fé.
    Caros Fratres, vivemos aquela Profecia do Santo Profeta Jeremias:
    “Enviarei fome e sede, não de comida, mas da Palavra de Deus!”
    Rezemos ao Imaculado e Doloroso Coração de Maria para que Seu triunfo seja breve e nos traga a Paz!
    Viva Cristo Rei!

    • “A preocupação dos jovens padres é o uso das vestes pomposas e vistosas, repletas de rendinhas, brocados e dourados… Tudo superficial e dispensável diante da simplicidade e profundidade da Fé!”
      Quando não com chapéus de cowboy, calças jeans brancas e apertadas, cinturão de couro, cantando e rebolando nas TVs.

  5. Tudo o que o rvmo. Padre José Antonio diz e verdade. E de onde vêm essas patologias?
    Da mentalidade protestante que corroeu tudo por dentro. Desde que se resolveu dar as costas para a doutrina, o resto se dissolveu por encanto.
    No fundo, o concílio de Monsenhor Roncalli, cuja convocação pegou surpresa até lúcifer e a besta fera, conduz à infeliz conclusão de que a Igreja não é mais necessária. No fundo, é isso.
    Os textos do “concílio” que parecem afirmar o contrário foram enxertados à força por pressao dos bispos católicos, minoritários, que se recusavam aceitar tanto deboche. Sao gemas preciosas jogadas no esterco. Quem estudar a crônica das votações do “concilio” vai ver que foi assim.
    Depois, se seguiu a impostura dos conservadores, dourando a pílula. Eles sao is grandes responsáveis por essa igreja- cosmético que sorri arreganhada para o mundo, a igreja do jesuíta argentino.
    O que resta a tal igreja senai fechar as portas?