Carreiristas da Teologia da Libertação escrevem carta ao Papa Francisco.

Por FratresInUnum.com, 14 de setembro de 2020 – Não se morre de tédio neste nosso país, e isso também vale para a nossa Igreja Católica! Ontem, o site PortalDasCEBs noticiou em primeira mão que um grupo de padres e bispos descontentes escreveram ao Papa Francisco tomando como motivo a campanha internacional Black Lives Matter (!!!).

O objetivo da missiva foi difamar o núncio apostólico em saída, Dom Giovanni d’Aniello, recém nomeado para a Rússia, e pautar, a exemplo do que já tentou fazer dom Leonardo Steiner, a atividade do próximo núncio apostólico, Dom Giovani Battista Diquattro. Segundo os firmatários, a nunciatura precisa adotar critérios raciais na escolha dos candidatos ao episcopado, privilegiando os candidatos negros sobre os provenientes de outra etnia ou grupo racial, bem como realizar as nomeações atendendo mais às tendências hegemônicas nas realidades locais (entenda-se, das máfias locais). Uma pergunta que não deixaríamos passar: mas, se o candidato negro for da estirpe de Sarah, Napier, Arinze… teria direito a essas quotas? Ou receberiam o tratamento dispensado pelo Cardeal Kasper e companhia ao episcopado africano no Sínodo da Família?

Ultimamente, a facção que assumiu a autoria da carta, autointitulada “Padres da Caminhada” (a qual não possui nenhuma personalidade jurídica, civil ou canônica, e, portanto, atua nos parâmetros da mais clamorosa clandestinidade), tem se empenhado em atuar como um verdadeiro grupo de pressão contra a CNBB e as instituições da Igreja, forçando uma ruptura interna no episcopado e, ao mesmo tempo, a mais aberta fanatização política. Não satisfeitos com o esquerdismo borocoxô de Dom Walmor e demais membros da presidência atual da CNBB, querem uma CNBB pujantemente militante, desavergonhadamente de punhos levantados — da nossa parte, concordaríamos somente se a CNBB entrasse numa bela greve, quiçá perene…!

Os signatários chegam a dizer que estão “cansados de diplomatas vaidosos e carreiristas, ansiosos por poder!”.

Resposta do Papa Francisco aos “Padres da Caminhada”.

A coisa mais interessante, porém, é que eles obtiveram uma resposta do Papa Francisco, na qual ele os agradece pela carta e acrescenta: “falarei do assunto com o cardeal Marc Ouellet, Prefeito da Congregação para os Bispos. Entendo o que dizem sobre a Nunciatura e o modo de escolher os candidatos ao Episcopado. Agora irá um Núncio novo e também falarei com ele”.

O que isso significa, realmente, ninguém sabe. Quem sondará os pensamentos de um jesuíta? De um lado, pode significar: “concordo com vocês e farei o que estão dizendo”, ou, de outro lado: “isso é um assunto meu e eu converso com os interessados”.

Em todos os casos, é bom que conheçamos quem são esses carreiristas ressentidos, que queriam brincar de mitra, mas não conseguem (ao menos até agora); que querem manipular as nomeações no Brasil, ousam pular toda a estrutura da Igreja e tentar acoplar diretamente o papa em suas políticas eclesiásticas; que hostilizam de modo tão desleal os seus superiores visando tê-los como pares no episcopado; enfim, destes que vivem falando de pobres e do povo, mas que se autodenunciam em sua própria ambição e volúpia pelo poder.

Aqueles “carreiristas, ansiosos por poder” que eles poderiam identificar facilmente se olhassem, não às nomeações do antigo núncio, mas, simplesmente, ao… espelho.

É excelente que o Portal das CEBs tenha divulgado a carta, pois, sendo insuspeito de direitismo ou de qualquer tipo de conservadorismo, é fonte totalmente segura da veracidade da informação e também de sua orientação ideológica. Agradecemos ao Portal das CEBs por mais este importante vazamento (embora sua audiência seja irrisória, sendo que o grande público tomará ciência do conteúdo aqui pelo Fratres!).

Esse tipo de movimentação mafiosa pela parte sempre descontente e baderneira do clero brasileiro, insuflada por bispos em fim de carreira e desejosos de perpetuação, deveria ser frontalmente neutralizada pela Conferência Episcopal. Tal iniciativa é claramente afrontosa e mostra exatamente quem são e onde estão os inimigos da Igreja.

Sairão Dom Walmor, Dom Jaime Spengler e Dom Joel, membros da atual presidência da CNBB, de seu sonolento  e burocrático mundinho de notas insípidas, sobre todos os temas possíveis e imagináveis, para tratar de um assunto que realmente lhes compete?

Abaixo, seguem os nomes de todos que assinaram a carta, segundo a divulgação do Portal das CEBs:

  1. Adamor Lima – Paróquia das Ilhas – Diocese de Abaetetuba – PA
  2. Dom Adriano Ciocca Vasino – Prelazia de São Feliz do Araguaia – MT
  3. Altair Manieri – Arquidiocese de Londrina – PR
  4. Antônio Carlos Fernandes, SDN – Espera Feliz – Diocese de Caratinga – MG
  5. Antônio De Jesus Sardinha – Vigário Geral – Diocese de Jales/SP
  6. Antônio José de Almeida – Diocese de Apucarana – PR
  7. Antonio Lopes de Lima – Diocese de Limoeiro do Norte – CE
  8. Antonio Manzatto – Arquidiocese de São Paulo
  9. Basilio Vidal Vileci – Diocese de Crato – CE
  10. Benedito Ferraro – Arquidiocese de Campinas – SP
  11. Brasílio Alves de Assis – Diocese de Registro – SP
  12. Celso Carlos Puttkammer dos Santos – Prelazia do Marajó – Soure/PA
  13. Danilo Lago Severiano – São Félix do Xingu – Prelazia de São Félix – PA
  14. Danilo Vitor Pena – Diocese de Jacarezinho – PR
  15. Dennis Koltz – PIME – Macapá
  16. Diego Giuseppe Pelizzari – Diocese de Londrina – Conselho Indigenista Missionario – CIMI
  17. Dirceu Luiz Fumagalli – Arquidiocese de Londrina – PR
  18. Domingos Rodrigues – Paróquia Arcanjo Gabriel – Diocese de Bagé – RS
  19. Edegard Silva Junior – Missionário Saletino – Diocese de Pemba – Moçambique
  20. Edmar Augusto Costa – Arquidiocese do Rio de Janeiro – RJ
  21. Edson André Cunha Thomassim
  22. Edson Zamiro da Silva – Diocese de Apucarana – PR
  23. Elauterio Conrado da Silva Junior – Diocese de Bagé – RS
  24. Dom Erwin Käutler – Bispo Prelado Emérito da Diocese do Xingu – Altamira – PA
  25. Ezael Juliatto – Arquidiocese de São Paulo – SP
  26. Flávio Corrêa de Lima – Diocese de Novo Hamburgo – RS.
  27. Dom Flávio Giovenale, SDB – Diocese de Cruzeiro do Sul – AC
  28. Francisco de Aquino Junior – Diocese de Limoeiro do Norte – CE
  29. Francisco Gecivam Garcia – Arquidiocese de Maringá – PR
  30. Geraldino Rodrigues de Proênça – Diocese de Apucarana – PR
  31. Gilberto Tomazi – Vigário Geral – Diocese de Caçador-SC
  32. Hermes Antonio Tonini – Diocese de Lages – SC
  33. Ivanil Pereira da Silva – Paróquia Santa Rita de Cássia – Cianorte – Diocese de Umuarama – PR
  34. Jean Fabio Santana, SJ – Arquidiocese de São Paulo – SP
  35. Jorge Corsini – Diocese de Registro – SP
  36. Diác. Jorge Luiz A. Souza – Arquidiocese de São Paulo – SP
  37. Jorge Pereira de Melo – Arquidiocese de Londrina – Paróquia Santo Antônio – Londrina.
  38. José Amaro Lopes de Sousa – Diocese de Xingú – Altamira – PA
  39. José Cristiano Bento dos Santos – Arquidiocese de Londrina – PR
  40. José Geraldo Magela Vidal – Arquidiocese de Mariana – MG
  41. Dom José Luiz Ferreira Salles, CSsR – Diocese de Pesqueira –
  42. Dom José Mário Stroeher – Bispo Emérito do Rio Grande – RS
  43. José Oscar Beozzo – Diocese de Lins – SP
  44. José Roberto Moreira – Paróquia Nsa. Sra. Da Boa Viagem – Bocaina do Sul – Diocese de Lages – SC
  45. Lazaro Gabriel Lourenço – Diocese de Limeira – SP
  46. Leandro de Mello – Arquidiocese de Passo Fundo – RS
  47. Leomar Antonio Montagna – Arquidiocese de Maringá – PR
  48. Lino Mayer – Diocese de Rio Grande – RS
  49. Luciano da Paixão – Arquidiocese de Londrina – PR
  50. Luis Miguel Modino – Missionário Fidei Donum – Arquidiocese de Manaus – AM
  51. Luiz Carlos Palhares – Diocese de Apucarana – PR
  52. Luiz Roberto Sandini – Diocese de Chapecó – SC
  53. Dom Manoel João Francisco – Bispo da Diocese de Cornélio Procópio – PR
  54. Manoel José de Godoy – Paróquia São Tarcísio – Arquidiocese de Belo Horizonte – MG
  55. Marcos Roberto Almeida dos Santos – Arquidiocese de Maringá – PR
  56. Mauro Batista Pedrinelli. Arquidiocese de Londrina – PR
  57. Medoro de Oliveira Souza Neto – Diocese de Valênça – RJ
  58. Nadir Luiz Zanchet – Diocese de Balsas – MA
  59. Nelito Dornelas – Governador Valadares – MG
  60. Pascal Atumissi B., SX. CIMI – Redenção – PA
  61. Paulo Humberto Rodrigues Cruz – Arquidiocese de Belém do Pará – Área Missionária São Clemente – PA
  62. Paulo Joanil da Silva, OMI – Diocese de Belém – PA
  63. Paulo Sérgio Bezerra – Paróquia N. Sra. do Carmo – Itaquera – Diocese de São Miguel Paulista – SP
  64. Pedro Curran, OMI – Arquidiocese de Manaus – AM
  65. Roberto Valicourt, OMI – Arquidiocese de Manaus – AM
  66. Rui Fernando de Oliveira Santos -Diocese de Apucarana – PR
  67. Sebastião Rodrigues da Silva – Paróquia São Francisco de Assis CP – Diocese de Cornélio Procópio – PR
  68. Sérgio Eduardo Mariucci, SJ –
  69. Sérgio Lima Pereira – Arquidiocese de Pelotas – RS
  70. Severino Leite Diniz – Paróquia Nsa. Sra. Aparecida – Promissão – Diocese de Lins – SP
  71. Sisto Magro – PIME – Macapa – AP Pe. Vilmar Gazaniga – Diocese de Caçador – SC
  72. Vilson Groh – Florianópolis – SC
  73. Vitor Galdino Feller – Vigário Geral – Arquidiocese de Florianópolis- SC. Pe. Wilfrido Mosquer, OSFS – Arquidiocese de Pelotas – RS
  74. Frei Wilmar Villalba Ortiz, OFM Conv – Paróquia Exaltação da Santa Cruz – Ubatuba – SP
  75. Wilner Charles, OSFS Brasil,

23 Comentários to “Carreiristas da Teologia da Libertação escrevem carta ao Papa Francisco.”

  1. Esses Padres TLs da Diocese de Apucarana… pelo amor de Deus!

    É que vergonha que nos fazem…

  2. Pelo naipe de alguns signatários que conheço pessoalmente (pelo menos uns 7), esta carta dos ‘padres da caminhada’ só deve causar risos, sempre com as frases de efeito prontas, com defesas fora da questão, vitimismo escancarado, comunhão apenas com suas próprias ideias e modus operandi muito distante do evangelho encarnado e dos justos anseios do povo. Muito bem, enquanto eles agonizam nos últimos gritos, tem tantos outros “padres da caminhada”, verdadeiramente humanos, que não buscam “o Reino de Deus e sua Justiça” em cartas clichês, mas de verdade, com cheiro de ovelhas, como pastores, apontando o CAMINHO. Eles falam de seminaristas caçoados, inferiorizados, ridicularizados, calados, engasgados, temerosos de não serem aceitos para as sagradas ordens; pelos seminaristas que tive contato, são os mais opostos a estes padres que passam por isto, ao ponto de dizerem: NÃO POSSO RESPIRAR.

    Ps: sem querer classificar pessoas pela raça, como eles fazem na carta, alguém poderia se dar ao trabalho de checar quantos dos signatários são negros ou mesmo pardos, para termos certeza de que a carta não está “vinculada à supremacia branca”.

  3. Cotas raciais no episcopado… Nós já estamos acostumados: quando achamos que o clero nacional chegou ao fundo do poço, sempre um alçapão se abre para levar a Igreja mais pra baixo. Monsenhor Diquattro recém-chegado das Índias Orientais que se segure!

    A história prova que o progressismo na Igreja do Deus Eterno e Imutável sempre acaba se voltando contra os progressistas. Paulo VI criou a “aposentadoria” dos Bispos com o claro intuito de banir os velhos Bispos católicos de seus dias, sem se dar conta de que um novo episcopado conservador surgiria (muito timidamente!) para pouco a pouco substituir aquela rapaziada do Pacto das Catacumbas que hoje beira as catacumbas dos cemitérios.

    Pensando assim, as cotas para mitra podem ser uma coisa excelente! Metade dos Bispos atuando no Brasil são europeus natos. A babel clerical-socialista apelidada de Igreja Católica no Brasil foi fabricada por prelados europeus nos últimos cinquenta anos, mormente alemães e italianos. A teologia-da-libertação-dos-povos-sofridos-indígenas-caboclos-ribeirinhos-trabalhadores-trans-blá blá blá da América Latina é um produto eminentemente ALEMÃO com ingredientes soviéticos. Peçamos a Deus um exército de Bispos católicos afro-descendentes de sobrenomes Silva, Souza, Pereira, para por fim à dinastia ariano-germânica dos Arns, Lorscheider, Scherer, Krautler, Steiner, Werlang, Bohm, Spengler, Clasen, Steinmetz, Brandes (Brandt) et caterva.

    Parafraseando Luiz Inácio Lula da Silva num de seus comentários mais racistas e discriminatórios, a culpa da crise na Igreja brasileira não é exatamente dos padres brasileiros, é dos padres “lôrinho de zóio azú”.

  4. Teologia da Libertação? Não seria mais adequado chamar de “Teologia da Abominação”

  5. Salve Maria.

    Estou muito feliz de ver a relação de nomes dos envolvidos. Ao menos saberemos mais claramente quem evitar. Gostaria de ver a relação dos 153 Bispos signatários da anterior manifestação, para aprimorar meu sistema de alerta.

  6. Muito grato ao Fratres por divulgar essa movimentação que está acontecendo na Igreja. Infelizmente também na Igreja há disputas de poder. Não é a toa que o clero da Teologia da Libertação queira perpetuar gente sua nos postos de poder, principalmente nas nomeações dos bispos. Isso mostra como essa assunto é de extrema importância.

  7. Seriam esses mandantes da carta ao papa Francisco os Black Lives Matter da “igreja católica reformada” onde cabe todos no estado em que se encontra, desnecessitando conversão sob os ideais do papa francisco ou a “católica II”, tanto faz!
    Observe que uma missiva desse naipe jamais seria enviada pelos conservadores da original e única Igreja Católica de 2000 anos, seguindo os ensinamentos tradicionais de 20 séculos ininterruptamente, por muitas dezenas de papas e grandes santos e dos mais capacitados teólogos, uníssonos, em nada interessados em ideologias desses insensatos e golpistas da turma brava das esquerdas da maçonaria infiltrados na Igreja católica, os malignos empunhadores da bandeira vermelha do pentagrama satânico!
    Nessa sinistra exposição de nomes acima, alguns são velhos assumidos da ideologia TL, como Beozzo, Erwin Kräutler etc., desde que se tem notícia dessa seita ideológica fundada pela KGB soviética, um mix de catolicismo bem engenhado com imanentismo bem disfarçado para os incautos não perceberem as ideologias de esquerdas, as marxistas ali encontradas, bem dissimuladas num cristianismo fraterno-humanista e zero de qualquer tipo de transcendentalismo de Cristo Jesus, Cujo nome nem sempre ao menos é mencionado!

  8. Esse pessoal adora um abaixo assinado.

  9. Impressionante como em toda e qualquer carta, “manifesto” ou presepada do gênero está o nome do padre (?) Paulo Sérgio Bezerra, da diocese de São Miguel Paulista, velho conhecido desse blog.
    Tenho muita pena do bispo dom Manuel, que nunca teve forças para domar esse sujeito.

  10. O que existe hoje no Brasil, com relação à Igreja Católica, é exatamente uma facção tipo PCC ou CV de padrecos e bispos que fazem parte do subterrâneo ou do bas fond infernal.
    Tenta esta facção, obviamente, arrastar o papa para o mesmo caminho, no que diz respeito ao Brasil.
    Somente os fiéis porão fim a este estado de coisas e a fórmula para tal é muito simples: nada de contribuições financeiras, dízimos etc.
    Suspendam todos, inclusive as esmolas nas missas e igrejas.

  11. kkkk, sistema de cotas para nomeação de bispos. Só faltava essa!
    Primeiro, para os negros. Segundo, para os índios. Terceiro, para os simpatizantes da agenda LGTB…
    Esse pessoal da TL é surpreendente: gostam de “Greve de Fome” (Bispo de Barra-BA), “Abaixo-assinado” e, principalmente agir na CALADA DA NOITE (recebendo Lula e et caterva na sede da CNBdoB).
    Haja paciência!

  12. Esses padre progressistas e liberais são umas cobras criadas, agem como facções, gangues, nos subterrâneos, nas catacumbas.. Lembra Dom Helder Cãmara nos bastidores do concílio: ele não aparecia de frente (“Nunca foi vaidoso”, dizem suas viúvas) mas agia como um espírito embusteiro influênciando os padres conciliares, bispos e cardeais, com seu discurso típico de palanque. Leiam as cartas conciliares deles e verão isso como estratégia revolucionária antiga.

    Ah, deviam fazer como a turma dos correios: uma greve cairia bem. Mas eles dizem que não podem fazer morrer o profetismo.

  13. Não sei o que é pior, você ler essa matéria ou ler na lista o nome de um padre que já foi seu pároco. Triste!!!

  14. SALVE MARIA.

    Diante de tudo o que está acontecendo na Igreja vale recordar as palavras de São São Bernardo (1091-1153) monge cisterciense, doutor da Igreja
    Sermões sobre o Cântico dos Cânticos, 38, 2

    A ignorância dos que não se convertem

    Diz o apóstolo [Paulo] que alguns mostram que não conhecem a Deus (cf 1Cor 15,34). Por mim, acrescento que não conhecem a Deus todos os que não querem converter-se a Ele, uma vez que O rejeitam unicamente porque fazem daquele que é só ternura um Deus solene e severo, daquele que é só misericórdia um Deus duro e implacável, daquele que só quer ser amado um Deus feroz e terrível. Assim, aliam a mentira à iniquidade (cf Sl 27,12 Vulg.), fabricando para si próprios um ídolo em vez de verdadeiramente quererem conhecer a Deus.

    Porque temeis, homens de pouca fé (cf Mt 8,26)? Porque Ele não está disposto a perdoar-vos os pecados? Mas se os cravou na cruz com as suas próprias mãos (cf Col 2,14)! Porque sois fracos e vulneráveis? Mas se Ele conhece o pó de que somos formados (cf Sl 103,14)! Porque, de estardes acostumados ao mal, tendes dificuldade em sair dele? Mas se o Senhor salva os cativos (cf Sl 146,7)! Que, irado com a crueldade de crimes inumeráveis, possa suster o seu braço salvador? Mas se onde abundou o pecado, superabundou a graça (cf Rom 5,20)! Que a inquietude pelo que vestir ou pelo que comer, ou por tudo o mais na vida, vos faça tardar o desprendimento? Mas se Ele bem sabe que tendes necessidade de tudo isso (cf Mt 6,25-32)! Que mais quereis? O que vos impede a salvação? Por isso vos digo: desconheceis a Deus e não acreditais no que ouvis de nós (cf Is 53,1). Quem dera que désseis crédito a quem já o experimentou, porque se não acreditardes, não podereis compreender (cf Is 7,9).

  15. Padres e Bispos, mais Deus, Jesus e Maria em Seus Corações! Fico triste com o posicionamento político de vocês! O inferno deve estar afoito por todos os mentirosos como vocês! O povo foi espoliado pelos governos esquerdistas e vocês não falaram nada. São covardes e dissimulados e o pior é que vocês vão levar muitos para o inferno!

  16. Cotas raciais na Igreja… Na moral, alguém poderia me espancar até a morte? Eu estou dormindo e estou num pesadelo, alguém precisa me acordar, nem que seja na porrada.

  17. Ao ver na lista dos signatarios de mais este arrasoado de palavras soltas que visam pautar o Papa na conduçao da Igreja e transformar a Santa Igreja de Cristo, num destes movimentos sociais de esquerda que tanto fazem mal ao povo e o afastam daquilo que o Evangelho ensina um Padre da Congregação dos Missionarios Sacramentinos de Nossa Senhora do Santissimo Sacramento, penso o quanto Pe. Julio Maria de Lombarde la do céu deve se envergonhar do destino que sua obra tomou, tenho a mais absoluta certeza que o retrato atual da Congregação não é nem de longe aquilo que ele pensava ao funda-la.

    A paroquia de São Sebastião em Espera Feliz, MG tornou-se um local de sepultamento de fé. A famosa anedota de que para se afastar um pombo de uma Igreja bastaria crisma-lo, poderia ser facilmente subsitituida por: Quer afastar um jovem da Igreja? O mande para Espera-Feliz! Por Graça de Deus a PJ parece que desapareceu daquela paroquia, e a data do fim das atividades deveria ser celebrada todos os anos com uma Missa Solene tamanho o bem que a inexistencia desta “pastoral” faz a todos. Hoje o Jovem daquela Paroquia frequenta a “catequese”, faz primeira Comunhão, Crisma sem saber coisas simples e fundamentais como: o que é um Dogma entre outos absurdos e ato continuo abandona a Igreja indo para alguma seita ou ate mesmo não indo a lugar algum, agora vai um jovem deste querer estudar a Igreja e querer ajudar, vai ser colocado de lado ate desistir por coordenadores que sequer sabem o significado das cores Liturgicas. Enfim o Pe Toninho deveria se preocupar mais com a salvação das almas do que ficar assinando cartinhas para o Papa.

    Que Deus tenha piedade da Paroquia de São Sebastião em Espera Feliz e que nos dê Pastores realmente comprimetidos com o Evangelho.

    • Faça uma novena a São Paulo VI, mártir incruento da fé e defensor intéprido do Santo Sacrifício da Missa. Medite na vida desse grande evangelizador do mundo moderno, um grande e vitorioso Papa que entendeu com toda clareza e discernimento espiritual quais eram as verdadeiras prioridades da Igreja e as mais prementes necessidades do Homem Moderno Integral e seu legítimo anseio de liberdade e autonomia sem peias.

      Se não der certo, leia o Catecismo de Trento e faça uma novena a São Miguel Arcanjo cuja festa se aproxima.

  18. “Tudo que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não procede do Pai, mas procede do mundo”. (1 João 2, 16)

    Nem é de estranhar que o jesuíta lhes tenha respondido. Uma simples pesquisa infernáutica acerca da opiniao da direita e da esquerda eclesiástica argentina permite ver que o jesuíta tinha fama de carreirista e adicto do poder. Ninguém pode dizer que, sob certo aspecto, o jesuíta foi longe demais.

    É mais que natural que o dito cujo tenha respondido aos humildes signatários que se proclamam tão avessos às hierarquias, mandos e mandatários…

  19. Enquanto isso … os signatários da dúbia estão esperando resposta…

    • A Igreja em saída está esperando a saída dessas santas almas desta terra maldita para respondê-los; o Santo Padre responde até os travecos de estimação da carmelita Monica, mas os pastores de Deus ele só responde humildemente no silêncio de seus cadáveres.
      Se não fosse no mínimo profano eu faria um bolão do Fratres, a certeza que tenho de que o Santo Padre não responderá nenhum destes, vivos ou mortos, é o suficiente para apostar até a casa onde moro.

  20. Se com o núncio “que não ouvia estávamos perdidos” imaginemos este que precisa ouvir o Papa.
    Agora sim só a Divina Misericórdia.

    salvai nos Senhor

  21. Nunca TL gostou de pobre ou negro. Porque essa carta agora. Só para aparecer. Basta olhar si existe pobreza nos cabeças TL. Leonardo Boff, e companhia, todos vivem muito bem. E só dão esmola com dinheiro dos outros.