“Fratelli Tutti”? Profecia de Ratzinger em 1968

O cardeal Joseph Ratzinger profetizou o deísmo filantropista de “Fratelli tutti” em 1968.

“Frente à mensagem de amor do Novo Testamento, hoje se impõe cada vez mais uma tendência de identificar completamente o culto cristão com o amor fraterno, não se querendo admitir mais nenhum amor direto a Deus, nenhuma veneração de Deus: reconhece-se exclusivamente o horizontal, negando-se o vertical ou seja a relação imediata com Deus. Depois do que se disse, não será difícil perceber por que uma tal concepção – à primeira vista – de aparência tão simpática, falha na questão do Cristianismo, e com ela, no problema do autêntico humanismo. Um amor fraterno auto-suficiente descambaria em egoísmo extremado de autoafirmação. Um tal amor recusa sua abertura última, sua tranqüilidade, seu desprendimento, não aceitando a necessidade da salvação deste amor por intermédio do único que realmente amou bastante. Finalmente, um tal amor, apesar de toda a bem-querença, causa injustiça a si mesmo e ao outro, porque o homem não se realiza apenas na simpatia mútua do co-humanismo, mas somente na reciprocidade daquele amor desinteressado que glorifica o próprio Deus. O desinteresse da simples adoração representa a suprema possibilidade do humanismo e sua verdadeira e definitiva libertação”.

Joseph RATZINGER, Introdução ao Cristianismo, Capítulo II, 2, 1.

16 Comentários to ““Fratelli Tutti”? Profecia de Ratzinger em 1968”

  1. A ingenuidade neoconservadora: Ratzinger/Bento XVI diametralmente oposto a Francisco.

    • Quem te disse isso meu querido? Onde vc está vendo afirmações “diametralmente” opostas? Ademais quem gosta de suscitar brigas entre “classes” não são os conservadores não….

  2. Impressionante como Bento XVI foi profético! Bento XVI expressou uma visão muito aguçada e profética da sociedade. Não é a toa que muitos não gostaram dele como Papa, pois ele dizia verdades que iam contra a corrente.

  3. Ou seja, é a mesma querela francesa; será que vai ser agora que vão descobrir que a vitória do jesuitismo a todo espírito agostiniano é o motor da desgraça dentro da Igreja?

  4. O meu Deus, quanto ressentimento tem esses conservadores!!! Devolvei a fé a estes incrédulos anacrônicos.

    • Ressentimento de conservadores? KKKKKKKKKKKKKK. Piada de revolucionário.Quer uma dica? Quer uma “igreja” “progressista”? Procure alguma protestante!

    • Marcos, de qual fé você está falando. Qual é a ‘fé’ a ser devolvida: a Ternura da Pachamama, a Fraternidade Universal, não há valores absolutos, ou o quê mais?

  5. Nada mais incoerente que a máxima francesa da sua Revolução decadente de 1792:
    Liberdade, Igualdade e Fraternidade.
    Liberdade e Igualdade não existem juntas e jamais existirão. Uma é o oposto da outra.
    Quanto à fraternidade Bento XVI complementa com muita propriedade.

  6. Não foi sem sérios motivos que os novordomundialistas conspiraram ferreamente contra o saudoso papa emérito, o profético Bento XVI, apenas porque não lhes oportunizava chances de progredirem, em darem continuidade aos seus sinistros esquemas revolucionários de execução de maléficos planos de dominação mundial, por isso, a midia globalista vergastava-o recorrentemente, sem lhe dar quaisquer tréguas e ainda, comenta-se, retiram-no do papado por meio de contínuas calúnias – um fato bastante reconhecido, verídico e consumado!
    Outro tipo de tramas contra sua augusta pessoa como Vigário de Cristo foi de truncarem os textos de admoestações e outros mais comunicados seus numa linguagem ambígua ou sujeita a várias interpretações, como sucede no presente!
    Recordam do rebu que fizeram em torno dele quando, por justa razão, recomendou preservativos para profissionais do sexo para não retransmitirem o HIV?

  7. Se ser conservador é seguir a risca a verdade de Cristo e a doutrina da Igreja, sou conservadora com muito orgulho
    Está aí o discurso do verdadeiro herdeiro do trono de Pedro, o verdadeiro Papa

    • Concordo plenamente e não esquecendo que todos os seres humanos são e serão sempre conservadores.

  8. Não deixa de causar impressão o ânimo espiritual farisaico alimentado a fogo baixo por sedizentes “tradicionalistas”, que não se furtam de injuriar o único pontífice moderno que teve a coragem de dar oxigênio à Missa Eterna e brecar a cultura de abuso litúrgico generalizado. Sobretudo quando se prova, de forma inatacável, que Joseph Raztinger desvelou em termos claros o estado de crise espiritual aguda em que o mundo ocidental se afunda há décadas. É uma vergonha que homens que se dizem fieis se permitam a essas irreverências sórdidas, que calham à perfeição aos modos e aos sentimentos da organização criminosa que tomou de assalto Roma em 2012. Repito: é uma vergonha.

  9. Devagar irmãos com o andor que o santo é de barro.

    Ratzinger ajudou a construir o Concílio Vaticano II como teólogo. Foi assessor dos bispos. . Foi Cardeal e prefeito do santo ofício no governo do João Paulo II e não revogou as decisões do CVII.

    Portanto ele apoia os modernistas. Ele apenas tinha uns pontos tradicionalista, mas na sua maioria ele é modernista e convive com os modernistas. Não se iludam. Não é dos nosso.

    E nem esse Viganó que agora se voltou para nosso lado, reza em latim, usa a batina, o chapéu de 3 pontas, a capa vermelha e critica o Papa Francisco, mas sempre foi do outro lado. Sempre foi modernista.

    Nós tradicionalistas não damos concessão pra ninguém. E nem diálogo. Os Tradicionalistas já vão direto para a Fraternidade sacerdotal. Não tô certo?

  10. Quanta ingenuidade da massa de católicos. Todos os papas a partir de João XXIII foram revolucionários e a igreja a partir do Concílio Vaticano II sofreu uma transição para o que vemos hoje.
    Quem já leu sobre o CVII sabe que tanto Karol Wojtyła quanto Joseph Ratzinger estavam lá e desempenharam grandes papeis ao lado dos revolucionários.
    Sabendo quem eram e o que fizeram não me admira que suas “profecias” se cumpram, porque não se tratam de profecias e sim de planejamento. Bento XVI nunca renegou sua posição, até mesmo declarou que nunca mudou, os outros é que foram aos extremos!