Canção Nova sob ataque: heresia contra o “dogma da vacina”.

FratresInUnum.com, 14 de janeiro de 2021 – “A salvação das almas é a lei suprema da Igreja”. Este sempre foi o princípio fundamental pelo que se regia a religião católica, ao menos até algumas décadas atrás. Primeiro, veio o Concílio e, com ele, os ventos de destruição que demoliram o sobrenatural na pregação da hierarquia, deixando em pé apenas a lei natural (o combate ao aborto e à eutanásia, a defesa da família e da objeção de consciência, etc.); depois, começou o pontificado de Francisco e, com ele, a demolição da própria lei natural, pois, como ele mesmo disse, contrariando a afirmação de Bento XVI, “nunca entendi a expressão ‘valores inegociáveis’. Os valores são valores e basta, não posso dizer que entre os dedos de uma mão haja um menos útil do que o outro. Por isso, não entendo em que sentido possam existir valores inegociáveis”.

Dom GuilhermeEsta negação de uma hierarquia de valores — os ditos inegociáveis acima –, porém, serve muito bem para destruir a fé católica, mas é convenientemente negada quando alguém ousa levantar ao menos um questionamento contra os sacrossantos temas do momento.

Há algo de muito podre nos membros da Igreja Católica. Está realmente tudo de ponta-cabeça.

Esta semana, pela TV Canção Nova, o Padre Elenildo Pereira disse em homilia que, apesar de ele não ser contra a vacina, ele não a tomará sem que haja a devida confirmação científica. Há algo de absurdo nessa afirmação?

Pois bem… Na sequência, Dom Guilherme Antonio Werlang, bispo (imagem – é bom avisar que ele é bispo, caso contrário, pelas suas imagens na internet pensariam que é um caminhoneiro, cobrador de ônibus, sindicalista etc. Dizemos isso sem qualquer demérito em relação a esses profissionais) da diocese de Lages, escreveu uma nota em que rasga as vestes, como faziam com maestria os velhos fariseus. A sua única queixa: “qualquer católico pode CONFRONTAR direta e desrespeitosamente toda a HIERARQUIA da nossa querida e amada Igreja Católica” (as letras em caixa alta são originais, do texto do próprio bispo), ideia que ele gira durante todo o texto de uma maneira freneticamente repetitiva.

Ele reclama que o padre “vai na linha do ‘negacionismo’, desafia os cientistas e, no mínimo, os chama de mentirosos, caloteiros, de que estão de brincadeira com a vida humana, que não são pessoas dignas de credibilidade”.

Em resumo, o bispo saca apenas o velho sofisma do argumento de autoridade: o padre ousou contrariar os bispos e os cientistas! Que escândalo!

É evidente que tudo isso não passa de mero fingimento e hipocrisia. Em primeiro lugar, porque não há nada mais anti-científico do que exigir uma fé inquestionável na ciência. Isso é loucura. Depois, porque justamente esses bispos foram aqueles que sempre desobedeceram os papas anteriores: será que eles aplicaram o Motu Proprio Summorum Pontificum? Será que obedeceram à Congregação para o Culto Divino, que em 2006 deu o prazo de dois anos para que as traduções da fórmula de consagração do vinho seguissem o texto bíblico e a versão latina, traduzindo “pro multis” por “por muitos” e não “por todos”? A edição brasileira do Missal Romano está para sair e, mais uma vez, eles irão certamente desobedecer. São apenas dois exemplos de pontos muito simples, que deveriam ser prontamente obedecidos por esses que esfregam a sua autoridade na cara dos fieis, exigindo obediência.

O autoritarismo de nossos prelados chegou ao ponto de o próprio Dom Joaquim Mól ter escrito uma postagem no vídeo do padre, dizendo:

“Prezado povo de Deus, essa não é a posição da igreja no Brasil, dada pela CNBB. Procurem ler o pronunciamento da igreja, com as devidas orientações. Essas posições pessoais dividem, é um desserviço. Paz e vacina autorizada pelas autoridades sanitárias para todos”.

A falácia é sempre a mesma: o argumento de autoridade revestido de escândalo fingido.

Mas o que falar, se Papa Bergoglio ficou totalmente calado com a aprovação do aborto na Argentina, com a pior legislação já aprovada sobre o tema no mundo, e, ao mesmo tempo, disse: “eu creio que eticamente todos devam tomar a vacina, é uma opção ética, porque aí se arrisca a saúde, a vida, mas também a vida de outros”?

O que falar se, diante de padres que não celebram sequer usando a casula, o Vaticano resolve mudar o rito de cinzas e instituir a máscara quase como um paramento litúrgico obrigatório?

Mas, o que é pior, como rasgar as vestes diante de um padre que questiona a segurança da vacina no estágio em que se encontra hoje, como se ele estivesse dizendo uma heresia, e não dizer nada diante de homilias verdadeiramente heréticas que se pronunciam continuamente sobre os púlpitos de nossas Igrejas?

A salvação das almas deixou de ser a lei suprema para a hierarquia da Igreja. A lei suprema agora é a salvação da carne, anistiando-se, se necessário for para isso, todos os pecados, todas as abominações, referendando-se todos os dogmas do establishment. A hierarquia católica não está exigindo obediência a si, mas ao seu pontífice máximo, George Soros, a quem eles resolveram obedecer bovinamente, seguindo a subserviência de Jorge Mario Bergoglio.

É evidente que agora toda esta hierarquia usa os pobres apenas como instrumento retórico. Eles passaram para o lado da elite internacional, enquanto os pobres tentam conservar aquelas estruturas primárias que estão ameaçadas: a fé católica e a sua própria família. Foram eles abandonados pelos seus pastores, que resolveram emprestar suas vozes para os lobos em geral — até nas indústrias farmacêuticas.

Os nossos bispos exigem respeito à autoridade que eles mesmos estão destruindo, pois não possuem carisma para falarem de ecologia e saúde pública, de economia e política, e, por isso, assumem este protagonismo como “champanhe de véspera”, caindo no vexame mais patético. As pessoas simplesmente preferem escutar Greta Toumberg, Bill Gates ou qualquer comentarista da Globo News. Se eles falassem de Deus, da doutrina católica, da salvação eterna, seriam ouvidos; mas, como querem falar daquilo para o qual não são competentes, jogam-se a si mesmos na irrelevância.

De um lado, o papa e os bispos não têm falado como católicos e para os católicos; e, de outro, aqueles que eles querem tomar como interlocutores, os ecologistas, as feministas, os tecnólogos, os sanitaristas, já têm os seus pontífices. É por isso que eles entram em desespero, como mostra o artigo de Dom Werlang, eles percebem que não são ouvidos e ficam em pânico, mas a sua vaidade os impede de perceber que os principais culpados disso são eles mesmos.

Santidade, excelências e reverências, parem com essas asneiras, com assuntos que não lhes competem, e voltam a pregar a fé, pois o povo não os aguenta mais!

Tags:

19 Comentários to “Canção Nova sob ataque: heresia contra o “dogma da vacina”.”

  1. Santo Deus, realmente a apostasia dentro da Igreja escancarada.
    Esses Senhores Bispos TLs precisam ser banidos da igreja.
    Vão cuidar das almas, esse artigo Jos mostra a que ponto estamos chegando .
    Vergonhoso!
    Oremos para q Deus

  2. “é bom avisar que ele é bispo, caso contrário, pelas suas imagens na internet pensariam que é um caminhoneiro, cobrador de ônibus, sindicalista etc. Dizemos isso sem qualquer demérito em relação a esses profissionais)” KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

  3. Tudo é uma questão de poder ou não poder.
    Talvez Bergóglio não saiba, mas tudo que é de valor pode ser negociável ou não.
    Deveria saber, seja ele padre, bispo, cardeal ou mesmo papa, pois seria incompreensível algum destes não ter a menor noção disto.
    Ser somente de valor não basta, Bergóglio.
    Existem valores que não podem ser negociáveis, ou por mera impossibilidade física ou por mera impossibilidade moral.
    Por exemplo: o ouro que se encontra enterrado no subsolo em local totalmente desconhecido, seria negociável?
    Não, fisicamente não e não é, por mais que alguns desejassem.
    O amor verdadeiro a Deus é negociável, Bergóglio?
    Os valores da Igreja ou os valores de Cristo, são valores morais e, por isso, são inegociáveis, Bergóglio, a menos que queira negociá-los fundando outra religião.
    “…não posso dizer que entre os dedos de uma mão haja um menos útil do que o outro.”
    Bergóglio, tente matar uma pulga usando somente o dedo mínimo.
    Boa sorte.

  4. A autoridade não se impõe nem decreta… se constrói e conquista aos poucos.

  5. “Prezado povo de Deus, essa não é a posição da igreja no Brasil, dada pela CNBB….”
    É mesmo?
    E, independente do assunto, desde quando a CNBB representa no Brasil a Santa Igreja Católica Apostólica Romana?

  6. Esse Bispo parece mais o Joaquim Teixeira, mas esse ultimo é de direita, conservador e irônico em relação as loucuras do politicamente correto do progressismo e esquerdismo. Logo esse Bispo parece mesmo o que é: um sindicalista.

    Na minha consciência, com toda clareza, eu não creio mais que esses Senhores possuam mais a fé Católica. São apóstatas na acepção do termo, declarados agnósticos modernos, “místicos ateus

  7. Os primeiros e primeiríssimos a desobedecer a Igreja são esses senhores que ingressaram no clero para ter o que comer ou camuflar alguma desordem “afetiva”.

    O “concílio” destruiu a função religiosa do clero. Terminada essa obscura assembleia, o êxodo de padres, religiosos e religiosas foi avassalador. Hoje em dia: quem, dentre esses tipos, acredita realmente na famosa “perdição eterna”…?

    Se a função da Igreja conciliabular deixou de ser a salvação das almas, o que pode ser a vida desses senhores senão o tédio corrosivo e devastador de repetir fórmulas que, para eles, já não têm sentido algum?

    Não é de espantar o que dizem e fazem por aí…Palpiteiros e palpitantes…

    Como exortava o IV Concílio de Latrão: “é melhor haver poucos e bons padres e ter muitos e maus”.

    Comecem a fingir que creem no Evangelho. Quem sabe recebam a graça de o professarem de verdade.

    Respeitem a Igreja. Ninguém aguenta mais essa manipulação toda. Querem um circo? Procurem algum que os aceitem.

    Respeitem o batismo dos leigos que são a imensa maioria da Igreja. Deixem de achar que a Igreja é propriedade e curral de vocês. Tomem vergonha e parem de infernizar a vida dis cristãos.

    Desçam do pedestal. Joguem fora o espelhinho da maquiagem. Cresçam. Virem homens!

    Se o sal não salga…

  8. Em primeiro lugar, qual a jurisdição do senhor responsável pela diocese de Lages (não trato como bispo a quem não merece) pelo padre em questão ou pela Canção Nova? Quem deveria se preocupar com isso é o bispo diocesano do padre.
    Acho muito curioso quando vejo esses discursos ferozes e virulentos desses senhores, pois só mostram os dentes quando se trata de qualquer coisa que remeta ao tradiocionalismo (me lembro de um que chegou a “proibir” em sua diocese a consagração a Nossa Senhora segundo o método de São Luiz… (!)). Agora quando se trata de padres que abrem seus presbitérios para políticos (de esquerda) fazerem campanha, padres com carros do ano ou que saem com aquela famosa “ministra”… aaaaaah… aí esses senhores dormem em berço esplêndido!

  9. Se Fica tão incomodado, escolha uma Foto em que o bispo está de roupas clericais ou litúrgicas. No portal da Diocese de Lages tem. Vê-se também que o Sr não conhece nenhum caminhoneiro, cobrador de ônibus ou sindicalista. Mas captamos a mensagem; é mesmo lamentável. Dito isto, “comprovação científica” (que o reverendo padre leu n’algum tuíte presidencial ou chat bolsoeclesial) é neste momento a aprovação dos testes, resultados e segurança das vacinas pelos órgãos competentes, como a Anvisa, para o Brasil. nem mais, nem menos. Passou disso, é “mimimi”. Tal clérigo deve estar por fora da quantidade de colegas dele que já perderam a vida para o vírus chinês.

    • Com toda certeza, o dizer do padre se refere a autorização da Anvisa, sem a qual nenhuma vacina poderá ser utilizada no país. E este alerta de faz necessário, no momento em que o irresponsável, ditatorial e oportunista governador de SP lidera um movimento para obrigar os brasileiros a serem vacinados com uma vacina, que segundo o próprio Butantã só tem 50,63% de eficácia.

      Tenho 71 anos, portanto já fui vacinado dezenas de vezes inclusive com a vacina da gripe nos últimos 15 anos, estou em quarentena com minha esposa desde 21/03/2020, inclusive não recebendo minha filha na minha casa todo esse tempo, portanto não vou arriscar também minha vida tomando uma vacina sem aprovação para satisfazer o ego e ambição de comunistas.

  10. Um reparo ao texto. Não dá para o bispo Dom Guilherme Werlang rasgar as vestes. Dado o costume, o máximo em relação ao bispo seria escrever ” rasgar a camisa listrada “.

  11. Ao contrário do que diz o referido padre, as vacinas têm eficácia comprovada, SIM! Além de estarem sendo produzidas, a nível internacional, em cooperação com os melhores institutos científicos e universidades do mundo, estão sendo aprovadas por todas as agências sanitárias do planeta, compostas pelos melhores epidemiologistas, infectologistas, virologistas, etc.

    Também não são nocivas à saúde humana. Se é assim, por quê recusar!?!

    VACINA SALVA VIDAS!

    Em tempos de tanta desinformação, e negacionismo anti-cientifico, infelizmente um pronunciamento desses é incoveniente e perigoso, pois induz pessoas a seguirem o mesmo caminho do padre.

  12. É fácil entender a teologia da liberação, na verdade, compreender os comunistas infiltrados que se afirmam democráticos. Ao censurar o religioso que se manifestou sobre a vacina chinesa os comunistas “chulés” se denunciam. A vacina agora é dogma! Na teologia comunista, Cristo não passa de um ser humano com alguns poderes psicográficos, a divindade está na ciência humanista.

  13. Depois da supressão pró “aggiornamento” no Vaticano II do Juramento Antimodernista do caríssimo S Pio X, sobrou, afinal, o quê? Antes, o abaixo, dele:
    “Abraço e sustento com firmeza e sem exceção tudo o que a Igreja formulou e declarou a respeito da doutrina da fé e dos costumes, seja por definição solene ou pelo magistério ordinário, e em particular tudo o que se refere à Santa Igreja de Cristo , os Sacramentos, o Sacrifício da Missa e o Primado do Romano Pontífice.
    No entanto, olhem o seguinte e comparem verificando quanta radical diferença à época do pontificado do papa Paulo VI no V II:
    “Porque a caridade “expulsa o medo” (1 Jo 4,18), e é melhor defender a fé promovendo a doutrina, corrigindo os erros e conduzindo com suavidade os que erram pelo caminho certo. Além disso, o progresso da civilização, cuja importância na esfera religiosa não podemos esquecer, faz com que os fiéis sigam a Igreja de forma mais plena e com mais amor se compreenderem o porquê das determinações e das leis, na medida em que isso seja possível em a esfera da fé e dos costumes ”. Porém, que poderiam dar num torvelinho de ideias, subversão da verdade dos dogmas e, ao invés de ajudar, facilitou interpretações variadas, como sucede hoje em dia na balbúrdia doutrinária anti católicas, das invencionices, atacando a doutrina de 2000 anos na maior naturalidade, como se fosse um magnífico bem em nome de um sedizente progresso – mas para o niilismo e redundando nas ideologias e finalmente, no inferno tudo em nome de um fantasmagórico “progresso”!
    Recordam de D Werlang no meio daquela turma brava na Pastoral da Juventude em Manaus e ele em meio às bandeiras vermelhas e fotos do carniceiro Che Guevara?
    D Werlang era um bispo muito ligado ao MST e para esse deve-se considerar o atenuante de que chegou ao estado no começo do ano, SC, e ele deve estar assustado com o conservadorismo catarinense que elegeu um militar para a presidência e outro para o governo do estado.
    Bolsonaro – 73,83%, enquanto Haddad – 26,17%!
    É o caso da CNBB: essa entidade e seus representantes, hoje pelo socialista D Walmor, não nos representam, pois a Arquidiocese de BH é refúgio, porto seguro de TLs, incl D Hummes, e vi a notícia que pregou retiro para padres dessa arquidiocese! Que retiraço!

  14. A tal da “Siência” (com S mesmo) tornou-se o novo Baal da atualidade. É o novo culto idólatra a que muitos estão se submetendo, trocando Deus, a lógica, a liberdade, e até aquilo que está diante de seus próprios olhos pela mais variadas abominações: idolatria à vacina, à televisão, à NOM, aos bilionários monopolistas (famosos globalistas), à ditaduras sanitaristas e à histeria coletiva. Tudo pronto e “azeitado” pro anticristo chegar e tomar de tudo, num piscar de olhos!

  15. Quando padre José Augusto em omilia alertou contra o PT e a legenda abortista, principal bandeira da esquerda, ninguém levantou socorro ao padre. A canção nova puniu o padre. Pq será ?

  16. Penso que os dirigentes temiam perder a concessão do canal na administração petista.

%d blogueiros gostam disto: