Insuficiente e medrosa. A nota da CNBB que não mudou nada.

FratresInUnum.com, 10 de fevereiro de 2021 – Ontem, praticamente no mesmo horário em que o CDB fazia o lançamento do seu último vídeo para mostrar aonde são aplicados os fundos da Coleta do Domingo de Ramos, a presidência CNBB lançou uma pálida nota para tentar estancar a hemorragia da polêmica sobre a CF2021.

Na prática, a nota não mudou absolutamente nada. Não houve nenhum pedido de desculpas nem a exclusão dos textos problemáticos nem muito menos a derrogação do Texto Base. Tudo continua igual ao que estava antes.

A única “novidade” da nota foi o fato de que a presidência se esquivou da autoria do texto e jogou a batata quente nas mãos ecumênicas do CONIC, como se este organismo estivesse realmente interessado em conservar a ortodoxia do catolicismo. É como se o STF responsabilizasse o Fernandinho Beira-mar pela interpretação do Código Penal e dissesse em seguida que tem para com ele alguma discordância.

A responsabilização do CONIC, mesmo assim, foi feita de modo tênue e excessivamente cordato, mantendo-se a união de propósitos e a identidade nos objetivos.

Contudo, não foi apenas o CONIC a ser responsabilizado. A presidência responsabiliza os católicos por compreender o texto sem pressupor a linguagem ecumênica, como se a utilização da ideologia de gênero num documento que visa direcionar a CF fosse uma mera questão de vocabulário. Poderia haver algum fingimento mais ostensivo do que este e uma mais vergonhosa ofensa ao povo fiel?

No final do texto, esclarece-se o motivo de tanta mobilização: não se trata de zelo pela doutrina ou amor às almas, mas preocupação com a tal Coleta de Ramos. “Onde está o teu coração…”

Na nota, a Presidência trata a ideologia de gênero como o único problema do texto, deixando de lado questões sumamente importantes: como uma pastora que defende o aborto pode estar na autoria de um texto a ser usado nas paróquias católicas? Como um texto como este apresenta Lutero como se fosse inspirado pelo Espírito Santo? Como se pode sugerir como ação prática que os fiéis visitem um terreiro de candomblé? Como uma feminista radical e defensora do direito ao aborto, Marielle Franco, pode ser apresentada como modelo aos fiéis? E, sobretudo, como eles podem dizer que a doutrina católica sobre o gênero permanece inalterada se eles mesmos não chegaram sequer a suprimir estes números do documento?

Desgraçadamente, a postura da Presidência da CNBB nesta nota foi a de quem disfarçou que não tem nada a ver com o assunto e quis simplesmente garantir o ingresso do suado dinheiro do povo. C’est tout!

Essas pessoas parecem realmente não acreditar na verdade, mas apenas na explicação, na narrativa. Parece que não existem fatos nem coerência entre as coisas, sendo normalíssimo dizer contradições e disfarçar seriedade, torcendo para que todo mundo creia na encenação.

Insuficiente e medrosa, a nota da Presidência da CNBB é apenas uma desconversa opaca, lengalenga de quem sentiu o baque mas quer dar um jeito de sair de fininho.

16 Responses to “Insuficiente e medrosa. A nota da CNBB que não mudou nada.”

  1. A CNBB é um órgão da Igreja que deve se autoexorcisar ou ser banido dos quadros e das opiniões na hierarquia.
    São em sua maioria, quase 200, bispos desqualificados que sempre se elegem com a conivência e omissão dos restantes. Uma instituição comunista , viciada, não católica. Até quando vamos ter que tolerar e conviver com este escárnio depravado??

  2. Pior 😕. Não vão se retratar…
    Melhor mesmo , não dar um centavo, pra essa tal coleta de sempre .
    Nós como Católicos fiéis temos q permanecer firme
    Olha fo um fora e tanto ! Mas graças a Deus muitos Católicos acordando, e não tem como a CNBB tentar sair de fininho…tá feio!
    Parabéns Centro Dom Bosco, parabéns Fratres inumum…por serem nossa voz

  3. A CNBB prova, de fato, que não é mais católica. É simplesmente uma ONG esquerdista como tantas outras, disseminando mentiras e erros crassos de doutrina, fé e moral. Deveria ser extinta para o bem da Igreja.

  4. Quer ver palhaço sem ingresso ou tapar o sol com a peneira? Ambas tarefas difíceis de crer e executar!
    “Contudo, não foi apenas o CONIC a ser responsabilizado. A presidência responsabiliza os católicos por compreender o texto sem pressupor a linguagem ecumênica(sincrética-esquerdista, diluente do autêntico catolicismo de 2000 anos, né CNBB?), como se a utilização da ideologia de gênero(um dos ideais ONU-despopulacionistas dos globalistas é efeminizar os homens e masculinizar as mulheres) num numa farisaica notinha visando direcionar a CF como se fosse uma mera questão de vocabulário”. Poderia haver algum cinismo e fingimento mais ostensivos do que esses e uma mais vergonhosa ofensa ao povo tradicional e fiel à Igreja católica de sempre?
    Olhem aí de novo: “CHAME OS OUTROS DO QUE V É E ACUSE OS OUTROS DO QUE V FAZ”! Lênin.
    Evidente constante nessa nota oca desprovida de convincente conteúdo que o Gramscianismo é patente sob o de sempre: “sutil, lenta e gradativamente” em inserções ideológico-revolucionárias das esquerdas as quais estão são cada vez mais ousadas, petulantes e ascendentes ano a ano, de modo a não causar choques e sobressaltos nos leitores; no entanto, dopando paulatinamente até ao ponto de poder mostrar o que é e a que veio – os adeptos e as esquerdas são insistentes e persistentes – cabendo essa frívola, mesquinha e frustrada notinha uma tentativa de estelionato cabíveis às vermelhas CNBB-TL-PCs-CONIC-e intrusa CNBL e asseclas mais serviçais da Alta Maçonaria-NOM e há um dogma hoje vigente: a CNBB dessa forma não nos representa!
    Quando militante nas redes, frei Clemente Rojão comprovava documentalmente diversos recursos arrecadados no Domingo de Ramos pela CNBB para “evangelização”, mas alimentavam vários grupelhos de esquerda subsidiários dela, caso CEBs, “movimentos sociais” das esquerdas etc.; com certeza, ela era firme subserviente e aliada da maldição e da mega desgraça comunista PT e o Fratres junto conosco muito auxiliou e forçou a desempoleirá-lo à força do poder!

  5. O sindicado dos Bispos defendem “a Outra”, nas feliz palavras de Gustavo Coração já na década de 60 – quando surgiu esse mesmo sindicato. A igreja verdadeira está eclipsada por esse novo corpo que se apossou do magistério há décadas.

    Para esses senhores só realmente mexendo no Bolso e na imagem deles para sentirem o baque. Eu não tenho esperança neles, em sua mudança, em sua conversão.

    Agora um ponto deve ser dito: se vocês entrarem no site da CNBB, a defesa que eles mesmos fazem da campanha da fraternidade e do ecumenismo é citando um concílio ecumênico, todos os Papas de Paulo VI pra cá e documentos oficiais como a encíclica de São João Paulo II “ut uni sit” ( que todos sejam um). Ou seja: católicos de verdade são eles, quem somos nós pra criticar? Quem é o centro Dom Bosco? Quem você pensa que é ferindo a unidade Católica? Mas vejam que não é a Fé Católica que defende, é a “outra”.

  6. Esta CF morreu antes de nascer, foi abortada. A pastora Romi Bencke gosta muito de aborto, deve estar adorando. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  7. Agora eu senti o desespero da CNBdoB: pediu socorro a ninguém menos que o “papa emérito” BENTO XVI, cujo pontificado a conferência ignorava:

    “O que os Papas Francisco, Bento XVI e São João Paulo II disseram sobre a Campanha da Fraternidade em mensagens enviadas à Igreja no Brasil”
    https://www.cnbb.org.br/o-que-os-papas-francisco-bento-xvi-e-sao-joao-paulo-ii-disseram-sobre-a-campanha-da-fraternidade-em-mensagens-enviadas-a-igreja-no-brasil/

  8. “Quando o pastor se torna um lobo, o primeiro dever do rebanho é se defender“(Dom Gueranger)

    Ficamos perplexos e indignados com a nota pífia e superficial da CNBB. Pior. Sinaliza que não haverá RETRATAÇÃO, muito menos PEDIDO DE PERDÃO por parte dos responsáveis para com os católicos. Lamentavelmente, nos últimos anos, a CNBB vem prestando um desserviço ao povo de Deus no Brasil com suas famigeradas Notas Políticas (a última veio da Comissão Justiça e Paz da CNBB pediu o impeachment do presidente cristão Bolsonaro) e Campanhas da Fraternidade que, anualmente, esvaziam o Tempo da Quaresma.

    Venho a público me solidarizar com o “Centro Dom Bosco” e o “Instituto Plinio Corrêa de Oliveira” (dentre outros…) pela corajosa atitude em denunciar a Campanha da Fraternidade-CF/2021, verdadeiro escândalo para a Igreja Católica no Brasil.

    A Campanhas da Fraternidade/21 constituiu evidente afronta à SAGRADA ESCRITURA, à TRADIÇÃO CRISTÃ e ao legítimo MAGISTÉRIO. É inadmissível que o povo católico fique sujeito a atitudes arbitrárias como essa da CNBB que causam indignação, principalmente quando praticadas por “pastores” de quem o povo de Deus espera proteção e segurança e não COOPERAÇÃO PARA O MAL, abusando do poder inato dos líderes religiosos e atos deliberadamente destinados propagar Ideologias anticristãs – pasmem – em textos oficiais da Igreja (Ideologia de Gênero, LGBT…) a humilhar os católicos e ainda que comprometem o relacionamento saudável que deve existir entre a hierarquia da Igreja e as famílias e os movimentos católicos.

    Recorde-se, ainda, que a traição como a de Nestório é rara na Igreja, mas pode acontecer que alguns pastores resolvam manter silêncio por uma razão ou outra em circunstâncias em que a própria religião está em jogo.

    “Maior perseguição à Igreja” não vem de “inimigos de fora, mas nasce do pecado da Igreja” – papa Bento XVI (11/maio/2010)

    Alguém tem dúvidas dessa profecia ? ? ?

  9. A cnbb é vezeira na tática dos 2 passos para frete e 1 para trás. Assim, lentamente, a cnbb vai avançando: 1 passo de cada vez. O objetivo é chegar a Igreja Universal para servir ao globalismo esquerdista, que será tudo, menos Cristã.

  10. Frase da “CARTA ENCÍCLICA
    VERITATIS SPLENDOR”,
    do Sumo Pontífice
    JOÃO PAULO II, a todos os bispos da Igreja Católica sobre algumas questões
    fundamentais do ensinamento moral da Igreja, no capítulo III, 116:

    “Temos o dever, como Bispos, de vigiar a fim de que a Palavra de Deus seja fielmente ensinada. Meus Irmãos no Episcopado, faz parte do nosso ministério pastoral vigiar sobre a transmissão fiel deste ensinamento moral e recorrer às medidas oportunas para que os fiéis sejam preservados de toda a doutrina e teoria a ele contrárias. Nesta tarefa, todos somos ajudados pelos teólogos; mas, as opiniões teológicas não constituem a regra nem a norma do nosso ensinamento. A autoridade deste deriva, com a assistência do Espírito Santo e na comunhão cum Petro et sub Petro, da nossa fidelidade à fé católica recebida dos Apóstolos. Como Bispos, temos a obrigação grave de vigiar pessoalmente por que a «sã doutrina» (1 Tim 1, 10) da fé e da moral seja ensinada nas nossas dioceses.”

  11. A Campanha da Fraternidade, não importa o ano, é e sempre foi mera coleta de dinheiro.
    Os argumentos para tal nunca importaram, na realidade.
    O tema poderia ser qualquer um mas, por razões de coerência, mantinha-se um tema católico cristão em geral.
    Espertamente, a CNBB verificou que, se aumentasse o público, a coleta seria maior e partiu então para estender a campanha às igrejas protestantes.
    Por outro lado, a esquerda sabe que os protestantes são mais avessos à destruição do cristianismo e da família (não estou dizendo que os católicos sejam) coisa que a CNBB já considera algo necessário para que ela e a “Igreja” de Bergoglio se mantenham dentro a Nova Ordem Mundial.
    Da mesma forma o grande núcleo protestante ainda é extremamente conservador assim como a grande maioria do povo brasileiro. Seus votos eleitorais são maciçamente dirigidos à direita. Daí a associação com este tal de CONIC que busca seu espaço comunista dentro das igrejas protestantes.
    Por conseguinte, nada mais justo que tenham realmente muito medo.
    A CNBB sabe que o fracasso seguido da CF secará a fonte que durante anos saciou a sede de poder a ganância dentro desta ONG.

  12. Pio XII não gostava da ideia de Conferências Episcopais. Sabia que elas poderiam ser manipuladas por grupos de pressão em detrimento do poder pessoal dos bispos.

    Mas a questão do magistério dos bispos em suas dioceses, ou melhor, o exercício do tríplice munus episcopal não pode ser objeto de ingerência corporativa. Os bispos, de fato, não são gerentes ou vigários do Papa e muito menos de uma Conferência Nacional. É curioso que o chamado “centralismo romano” dava melhor garantias de liberdade aos bispos que as novidades em voga.

    O enfraquecimento do poder pessoal dos bispos em suas dioceses percebe-se bem pela maneira por que alguns são tratados por Roma desde 2013. Pense-se no caso Livieres: esse bispo parece ter sido imprudente em mais de um ponto, mas nada parece justificar a sua destituição canônica. Pense-se no caso de Dom Antônio de Castro Mayer: Paulo VI o destituiu? Ora Dom Antônio manteve, por exemplo, o uso da liturgia tradicional depois da promulgação da missa reformada… Paulo VI o destituiu? Não. O bispo na sua diocese não é uma peça de xadrez político ou qualquer outro. O seu poder vem diretamente de Cristo, embora lhe seja designada uma igreja particular por “mercê da Sé Apostólica”. Outrora se dizia que uma diocese ficava “viúva” quando seu bispo morria.

    O que é um pontífice? De onde vem essa palavra? Que tipo de “construtor de pontes” é o pontifex? Na antiga Roma, a Roma dos “pagãos”, quando parte do assentamento mais primitivo da Urbe era feito de palafitas, havia a misteriosa figura do “pontifex” que lançava tábuas sobre as águas ligando as palafitas à terra firme onde, dentre outras coisas mais corriqueiras, se sepultavam os mortos, mundo misterioso, numinoso e temido. O pontífice mediava, lançava pontes sobre dois mundos: a terra viventium e a dos mortos e por aí vai uma longa estória…

  13. Todo esse embrólio, da da campanha da Fraternidade herético, retrata muito bem um vídeo de Grande sacerdote, Leão do Nordeste, que tem o nome de Duas Igrejas.
    Pensava eu, que seri algo que estará por vir, mas não, já chegou com força.
    1° sínodo da Amazônia e Pachamama e o 2° o conciliábolo da Conic, junção de todas as heresias protestantes, que nem Lutero, pode imaginar que sua corja estariam tão dentro da Igreja.
    O cismo está em curso a falsa está atacando só não esperava a reação dos fiéis a verdadeira Igreja.

  14. Incrível como as mentes ideológicas contrárias a igreja conseguem propaganda gratuita nas redes sociais e bloggers Conservadores tradicionais! Essa Campanha da Fraternidade jamais será esquecida por tanta propaganda que está sendo feita, mesmo com apontamentos dos grandes erros no Texto-Base! O que não era conhecido por muitos católicos passou a ser e inclusive o texto base foi mais vendido do que se pensa!
    o Boicote a Coleta suscitou dos bispos um ordenamento às paróquias que não distribuam o envelope mas a coleta da missa seja toda ela entregue para a CF 2021. E agora? Como ficarão as paróquias?

  15. Uma coisa deve ser esclarecida. A CNBB não é a Igreja, sua orientações só tem valor de ensinamento quando a unanimidade dos Bispos aceitam e orientam seus fiéis no mesmo argumento. Isso que estamos assistindo é um grupeto querendo falar como Igreja.

Trackbacks

%d blogueiros gostam disto: