Cardeal Braz de Aviz: “O Papa está preocupado por algumas posições tradicionalistas na vida consagrada”.

Por FratresInUnum.com, 20 de abril de 2021 – Numa live dirigida a religiosos espanhóis, o Prefeito da Congregação dos Religiosos, o cardeal brasileiro João Braz de Aviz, disse, sem meias palavras:

“O seguimento de Cristo é a nossa regra suprema. Hoje estivemos com o Santo Padre, e o Papa está preocupado por algumas posições tradicionalistas, também no seio da vida religiosa”.

A queixa, francamente, tem um tom de piada! Enquanto a maior parte da vida religiosa está se desfazendo, a preocupação do Papa, segundo o purpurado, é justamente com aquela parte que está dando certo, que são os religiosos conservadores. A preocupação, no caso, deveria ser com essas Congregações imensamente ricas, mas que são constituídas por freiras solteironas, tão burguesas quanto amargas, ou por frades que vivem em conventos luxuosos e saem às noites para passear por lugares pouco ortodoxos a fim de esbanjar um pouco seus modos de playboys.

Cardeal João Braz de Avis, o representante brasileiro no consistório de hoje.

Cardeal João Braz de Avis.

A vida religiosa foi uma das piores vítimas do fantasma conciliar. Basta ver o que eram as Congregações antes e depois do Vaticano II. Se o Papa tivesse um pouco de auto-crítica, começaria a ver isso dentro de sua própria casa, a Companhia de Jesus, que está em franca decadência vocacional e, como a maior parte das congregações, tem a imensa maioria de seus membros na terceira idade.

Mas, não. Em uma mensagem de vídeo enviada ao mesmo evento, Francisco se queixou: “É triste ver como alguns institutos, para alcançar uma cerca segurança, para poder ter o controle, tenham caído em ideologias de qualquer tendência, de esquerda, de direita, de centro, de qualquer tendência”, como se os jesuítas não tivessem feito exatamente isso, a diluição do seu carisma na mais vergonhosa militância da esquerda internacional.

O Papa Francisco continuou como o seu chamado ao aggiornamento, dizendo que “quando um instituto reformula o carisma numa ideologia, perde a sua identidade, perde a sua fecundidade. Manter vivo o carisma fundacional é mantê-lo em caminho de crescimento, em diálogo com aquilo que o Espírito nos está dizendo na história dos tempos e dos lugares, em diversas épocas, em diferentes situações”.

Em outras palavras, manter-se fiel ao carisma fundacional tal como saído das mãos do fundador é, para Francisco, uma ideologia. E o único modo para não cair nisso é o que ele chama de “contato com a realidade”, bem ao estilo jesuítico: “não se percam em formalismos, em ideologias, em medos, em diálogos consigo mesmos e não com o Espírito Santo. Não tenham medo dos limites! Não tenham medo das fronteiras! Não tenham medo das periferias!”

Na verdade, tudo isso não passa deste complexo de traição que sofre a Companhia de Jesus depois de ter traído o seu Santo Fundador. João Paulo II quis suprimi-la novamente, justamente porque se tinha tornado um foco de irradiação de tudo que não presta na Igreja, mas teve de voltar atrás graças à mediação dos bispos espanhóis. Contudo, apesar de sua intervenção forte, o Papa polonês não conseguiu reverter aquilo que se tinha tornado irremediável. Depois da famosa 32ª. Congregação Geral, convocada pelo Pe. Pedro Arrupe, a traição ao carisma fundacional estava consumada e a Companhia não voltaria mais atrás.

Desde então, ser fiel a um carisma original, aprovado pela Igreja, passou a ser visto como algo ruim e restritivo, formalista e rígido. A nova norma é adaptar-se ao momento novo, às ideologias que estão em voga (cuidadosamente não chamadas de ideologias, mas de “realidade”). A fidelidade passou a ser interpretada como conservadorismo intransigente e os seus protagonistas passaram a ser perseguidos, pois a lei, por incrível que pareça, é destruir a vida religiosa, mesmo.

Enquanto isso, há muitas congregações que ainda estão de pé por causa de alguns bons padres e freiras tradicionais, que conseguem atrair alguma vocação, enquanto os velhos progressistas, decrépitos e derrotados, já não conseguem atrair sobre si sequer as moscas.

Talvez o Cardeal Braz de Aviz poderia acenar ao Papa que seria mais interessante preocupar-se com outros problemas mais importantes, como o alcoolismo de certos clérigos ou outras perversões menos nomeáveis, ao invés de oprimir a parte sadia da Igreja. Essas ameaças veladas são demonstração de uma fraqueza não mais dissimulável, a fraqueza da esterilidade do clero progressista, que relegou populações inteiras à descrença e que destruiu instituições veneráveis na estrutura da Igreja.

21 Comentários to “Cardeal Braz de Aviz: “O Papa está preocupado por algumas posições tradicionalistas na vida consagrada”.”

  1. Tempos bons dos Jesuítas verdadeiros seguidores de Sto Ignacio. COLEGIO DE SAO LILUIZ DE ITÚ ONDE MEU SAUDOSO PAE FOI ALUNO DO COLEGIO S.LUIZ DE SAO PAULO ONDE TODOS MEUS IRMAOS PRIMOS ESTUDARAM.

  2. De fato é muito triste perceber as inversões de valores que adentraram às Igrejas. Confunde-se o ir pelo mundo e pregai a palavra a toda criatura a sair pelo mundo e permitir que o mundo transforme a Igreja a sua imagem e semelhança. Temos que ser agentes transformadores do mundo e não agentes transformados pelo mundo.

  3. Este Cardeal está a cara do finado Zacarias, de “Os Trapalhões”. Que alma desgraçada!

  4. No pontificado que transpareceria algo de anuência às esquerdas do papa Francisco, a tudo quanto seja da Igreja católica Apostólica Romana tende-se extirpar, a qual viveu o carisma de manter a tradição como base na fé anterior, inclusive apegada à redação e ao conteúdo das Sagradas Escrituras tradicionais anexas à Tradição por 2000 anos, aprovadas por tantas dezenas de ótimos papas, inumeráveis santos, está sendo posta de lado e injustificadamente tachadas de ideologia!
    Aliás, ideologia é um conjunto de ideias pretendendo explicar a realidade e as transformações sociais com base de acordo com os tempos e conveniências – sempre beneficiando a grupos que se isolam e querem exercer o poder, da mesma forma como são dos malfazejos maus elementos dos partidos socialistas e comunistas, sendo sinônimo de doutrina ou ideário que, em geral, tem a função de orientar a ação social de indivíduos e de grupos – normalmente para a dominação e escravização!
    Dessa forma praticada nesse turbulento e repleto mundo atual de traições intermediadas por aparentes cativantes anúncios de promessas, caso dos PCs, como por ex,, de comportarem-se como os “protetores do pobres”, enquanto, ao inverso, são escravizadores dos que os postam no poder, foi o caso dos endiabrados e fraudulentos PCs, o PSDB e idem satânico PT!
    Não se pode humanamente medir o teor de conversões e males que nos adviriam se não fossem as preces dos tradicionais e/ou enclausurados por amor a Senhor Deus e ao próximo necessitado, tendo-se impressão de agirem em vida reclusos ou sempre em preces cometendo crimes!
    Padre P Arrupe, superior jesuíta, dirigia-se sempre à Russia comunista; que lhe aproveitavam os serviçais da maçonaria de conveniente à Igreja para que um dos líderes dela sempre os visitasse? Senão uma impressão de tramas, ou versando sobre a subversão dos jesuítas, atualmente boa ou maior parte deles se encontrariam nas MATERIAL-ATEÍSTAS E ANTICRISTÃS IDEOLOGIAS sem os acusar o papa Francisco de anticristãos, mas, atribuídas às Congregações tradicionais, parecendo-se prejudiciais à Igreja!

  5. O objetivo de muitos bispos, cardeais e religiosos inclusive na mais alta hierarquia da Igreja é afastar o Catolicismo de Cristo. O preocupação imediata deles não são os “tradicionalistas” como ele chamam, é o próprio Cristo.

  6. Especificamente esse Cardeal tem aversão a toda e qualquer congregação religiosa que guarde o minimo da fé Católica tradicional. Digo sem medo pois já fui religioso em uma congregação que este Cardeal tem por ela asco! Outra congregação, também com um viés mais conservador, também não guarda a estima de tal Cardeal e isso me foi confessado por um Padre [desta mesma congregação] que também presenciou hostilidades vindas desta Eminentíssimo autoridade.
    Enfim, é triste e lamentável o que vivemos hoje no seio da Igreja.

  7. O texto do Fratres é tão claro e direto que eu nada poderia acrescentar. Apenas poderia comentar sobre três coisas que me ocorrerem lendo esse texto:
    1 – Não aparece nenhum cardeal para dizer que o papa está preocupado com as ideologias do clero alemão;
    2 – Histórias sobre uma certa eleição papal e uma certa Máfia de Saint Gallen tornam-se menos estranhas em progressão geométrica e velocidade acelerada;
    3 – Por algum motivo lembrei-me do dito: ‘Enquanto Roma pega fogo, Nero toca harpa’.

  8. CAROS FRATRES

    E as mudanças seguem a passos largos. E sempre para frente e nunca para trás como queremos nós. Nós queremos voltar e eles querem avançar.

    Isso lembra a briga de Heráclito e Parmênides na Filosofia.

    Mas Santo Ambrósio dizia que o mundo é uma arena e não uma cadeira de balanço. Portanto temos que lutar, e vamos lutar com o Santo Rosário nas mãos até o último homem,

    Mas confesso que já joguei a toalha. O Tradicionalismo e o Conservadorismo estão perdendo no mundo inteiro em todas as áreas e perdendo feio. O Ratzinger se foi, o Trump já se foi, o Bolsonaro vai também cair, aliás já despencou e seremos poucos soldados afiando nossas gadanhas e espadas para a luta final.

    Erramos ou foram eles que acertaram? Por via das dúvidas vou começar ler o catecismo dos modernistas.

  9. “O Espírito sopra onde quer”. A não ser, evidentemente, que sopre ventos de tradição. Há que ouvir os jovens, os leigos, as comunidades, o Zeitgeist – a não ser que soem sinfônicos com os mil e novecentos anos de cristianismo. Há que ser maleável com as formais locais – a não ser que se amoldem às pegadas de santos fundadores, confessores ou mártires cujos nomes estampam suas placas e cujo sangue pagou por suas terras e paredes (aquelas não demolidas para dar vez a concreto e vidro modernistas).

    Sim, sim. É a democracia que ingressa na Igreja – mas à cubana, à soviética, à Comissariado Europeu: tudo é lícito ao povo, desde que queira como quer o soberano. O povo é um pretexto pinçado à conveniência. “O povo sou eu”, “está no tempo o que eu quiser que esteja”.

  10. Até 1962, a Igreja, apesar dos pesares, isto é, apesar dos jesuítas e dominicanos franceses, da KGB, da CIA, da Ônus, do clero holandês e do alemão, a Igreja funcionava: convertia anualmente milhares de milhares de protestantes nos Estados Unidos, fazia com que ao menos 40% dos franceses fossem à missa dominical, os seminários e conventos estavam bem etc etc etc.

    Daí, “de repente não mais que de repente”, como dizia certo cachaceiro brasílico, veio a dança do padre Pinto, veio a santaceia do “fruto da terra e do trabalho do homem”(palavras arrogantes, presunçosas e vazias), veio a reabilitação de Judas na pornografia do Bestemiatore Romano (Semana Santa 2021), precedida esta, porém, da gaia pintura cor de Paglia na parece da catedral conspurcada, veio também Ferrabrás de Aniz com sua peruca chanel-gracinha cor de galinha preta de despacho ecumênico à beira rio (tanto faz).

    Quem se aventura em embarcar na arrombada canoa da pachamamma?

    Notem que o conciliábulo do padre Pinto das candeias tornou inútil a igreja. Igreja pra quê?

    O ser humano busca naturalmente alguma coerência, exceto o clero conciliabular.

    “Prefiro ser essa esquizofrenia ambulante do que ter aquela doutrina tão certa sobre tudo” 🐩🐩🐩

  11. Quando crescentes multidões de jovens a quem omitidas as antigas formas redescobrem-nas contra toda a probabilidade e depositam nelas suas esperanças e sua conversão, que é que nos diz O Tempo? Não o deveríamos ouvir, Cardeal?

    Mas, para ouvir ativamente, há que tirar os tampões. Para ver, há que afastar dos olhos as escamas. Para constatar o real, há que abrir mão das pretensões sessentistas e humildemente admiti-las desmentidas em suas previsões, fracassadas em suas provisões. Abri-vos ao Espírito, ó eminentíssimo e reverendíssimo. Navegai os ventos dessas comunidades locais!

  12. Interessantíssimo! Eu não sabia que João Paulo II tentou dissolver a (des) Ordem Jesuíta! Ponto meu para o finado papa pop, esteja ele onde estiver! Imagino que a Companhia “de Jesus” não estava batendo a meta $$ do que outras congregações conservadoras pero no trads repassavam ao Óbolo de São Pedro: Opus JuDei, Legionários do Calígula Maciel, Arautos do Joãozinho.

    No mais, o jesuíta pontifício está sendo bem coeso no que quer, pois a intenção é destruir a vida religiosa, para depois destruir a Igreja.

  13. Era esperado…basta lembrar dos Franciscanos da Imaculada. As comunidades que se “regularizaram” com a Santa Sé podem colocar suas barbas de molho e trilhar as orientações de “fraternidade, felicidade, tolerância, ecumenismo, etc. Fechamentos de conventos seculares devido a falta de vocações para vida contemplativa. Ou absorção, junção de conventos com a desculpa de que agora será tolerado no mínimo 5 membros. Aqui no Brasil teve a transferência de um mosteiro redentorista da regra primitiva ( clausura, liturgia em latim, regra primitiva, modas e costumes tradicionais) assistida por um grupo também de rito tradicional em plena comunhão com Roma. Tal ordem já teria vindo para Campos fugindo das reformas conciliares. Agora deixou seu exílio. Vamos ver até onde vai ser respeitado sua tradição de vida primitiva. Infelizmente reduziu a questão religiosa em mera questão de costumes, de ritos externos; quando sabemos que na verdade é questão de Fé.

  14. É bastante natural na verdade…
    Se, como temos visto, a preocupação do Papa é “coroar” a decadência pós conciliar, é natural que se preocupe com o pouco que sobrou da Igreja… Uma fagulha de tradição é suficiente para ameaçar todo o “plano”….

  15. A mesma perseguição de sempre aos poucos religiosos ainda católicos. Como todo modernista, tenta ressignificar as palavras para transmitir disfarçadamente duas heresias. Ademais, eu não acredito em cardeais que pintam o cabelo, fazem as unhas e têm vozes e trejeitos efeminados.

  16. Depois que Bergoglio afirmou categoricamente que a Palavra de Deus é mutável, tudo o mais que afirma coaduna-se perfeitamente com o seu pensamento.
    “…Não tenham medo dos limites!…”
    Ora, onde estão os limites senão na consciência do pecado?
    Por conseguinte, sua orientação agora está mais clara que nunca:
    “NÃO TENHAM MEDO DO PECADO!”

  17. Lendo essas notícias me pergunto: será o que o Anti-cristo já nasceu? Quantos anos ele tem hoje? 5? 10? 18? 21? 30? Será que ele aguardará ter 33 anos, parodiando o Cristo, para iniciar sua vida pública? De todo modo, é sabido que ele será desejado, aclamado, que os judeus o elegerão como líder e que as nações o aceitarão. Para tanto, é preciso criar um caos e uma situação onde ele seja uma resposta. “Mas bem vos conheço, que não tendes em vós o amor de Deus. Eu vim em nome de meu Pai, e não me aceitais; se outro vier em seu próprio nome, a esse aceitareis. Como podeis vós crer, recebendo honra uns dos outros, e não buscando a honra que vem só de Deus?” ( João 5, 42-45)

    E que temos horríveis onde de algum modo, aguardamos a vinda da antítese do verbo Divino, pois já presenciamos situações onde gritamos como Madalena: “Levaram meu Senhor e não sei onde o puseram!”. Que situação clamorosa essa da Igreja! Nossos líderes estão cegos, guiando outros cegos.

  18. Vou praticamente repetir o comentário que fiz em um post de algumas semanas atrás: por que essa preocupação quase patológica com os supostos conservadores, sendo que eles mesmos não cansam de dizer que são uma minoria?
    Por que dom Aniz (que segue com suas madeixas pretinhas apesar da veneranda idade) não se preocupa com os religiosos que fazem voto de pobreza, mas não abrem mão de um carro do ano? Ou daqueles que fazem voto de castidade, mas não conseguem ficar sem a companhia de uma bela moça (ou moço)?
    Sugeriria que o nobre cardeal desse uma olhadinha no que se passa nos corredores de certos conventos e casas religiosas aqui no Brasil, sobretudo de jesuítas e franciscanos: os cofres estão cheios, mas as virtudes estão vazias.
    Depois esses senhores que vivem encastelados em luxosos apartamentos vaticanos, não entendem o motivo da agonia da vida religiosa em praticamente todo o mundo.

  19. Uma lástima saber que esse cardeal-carrasco tenha sido colocado nesse cargo pelo Bento XVI. Certamente uma mancha no virtuoso pontificado desse papa

  20. Os jesuítas, desde o inicio, desde sua fundação, já carregavam o peso da subversão; está mais no que na hora de parar com essa adulação desnecessária, fizeram muito bem à Cristo, só não nos esquecemos dos males, que são bem maiores.

  21. Infelizmente os PROBLEMAS DA SANTA IGREJA FAZ TEMPO QUE JÁ NÃO DEVE SE POSTERGAR A TOMA DE DESIÇÕES PARA COMBATIR E ERRADICAR AS PRATICAS ABOMINAVELS QUE SE PRETENDE ESCONDER ABAIXO O TAPETE… OU COMO SEGREDO A VOCES. EM FIM.
    AS COMUNIDADES SADIAS TEMOS QUE APOIAR & COMBATER ATÉ SUPRIMIR A PRATICAS TOXICAS DOS INVASORES SEUDOS CATÓLICOS.
    ESTOU EM ORAÇÃO COM EXTREMA CERTEZA QUE AS PORTAS DO INFERNO NÃO PREVALECERÃO A SANTA IGREJA PORQUE O PRÓPRIO JESÚS-CHRISTO O PROMETEOU.
    DESEJO COM TODO MEU COROAÇÃO QUE NOSSA SENHORA LIMPE SUA CASA.
    ELA É MÃE DA SANTA IGREJA.
    AMÈM ALELUIA FIAT!