Não, o Papa Francisco não cancelou um encontro com o presidente Biden.

Por Joshua J. McElwee, National Catholic Register, 15 de junho de 2021 | Tradução: FratresInUnum.comO Papa Francisco não se encontrou com o presidente dos EUA, Joe Biden, hoje, 15 de junho. Apesar de relatos da mídia conservadora em sentido contrário, sequer parece que o papa planejou fazê-lo.

Biden está na Europa desde 9 de junho para sua primeira viagem ao exterior como presidente, participando de uma cúpula de líderes do G7 na Grã-Bretanha no fim de semana, antes de participar de reuniões com oficiais da Otan e da União Europeia em Bruxelas, Bélgica, de 14 a 15 de junho.

O então vice-presidente dos EUA, Joe Biden, encontra o Papa Francisco depois que os dois líderes falaram em uma conferência sobre pesquisa com células-tronco adultas no Vaticano, em 29 de abril de 2016, foto de arquivo. (CNS / Paul Haring)

Durante a tarde de 15 de junho, o presidente deveria viajar a Genebra, na Suíça, para um encontro bastante aguardado, no dia seguinte, com o presidente russo Vladimir Putin.

Segundo a Catholic News Agency – CNA [no Brasil, ACI Digital], de propriedade da EWTN, Biden faria uma parada rápida em Roma para se encontrar com Francisco no caminho de Bruxelas para Genebra. Alguns problemas imediatos com essa história: Roma não está no caminho para Genebra (fica a cerca de 885 quilômetros mais ao sul). E não há sequer uma única evidência que demonstre que tal encontro alguma vez esteve na ordem do dia.

CNA originalmente relatou sobre a possibilidade de um encontro Biden-Francisco  em 3 de junho , citando fontes não identificadas do Vaticano. O veículo dobrou a história em 14 de junho, relatando  em um artigo sem um autor nomeado  que o encontro aconteceria em 15 de junho, mas Francisco teria rejeitado os planos de celebrar a missa com Biden, um católico.

Mais problemas: no meio da manhã em Roma, nenhum encontro havia acontecido. O tráfego de pedestres na Via della Conciliazione, a rua que leva ao Vaticano, não foi bloqueado por segurança, como quase sempre acontece quando visitantes importantes visitam o papa (quando o presidente Donald Trump conheceu Francisco, em 2017, barricadas foram erguidas para bloquear os quarteirões do Vaticano.) 

Ao meio-dia, Emily Zeeberg, oficial de relações públicas da embaixada dos Estados Unidos na Santa Sé, disse ao NCR: “O presidente Biden não tem planos de visitar Roma ou a Cidade do Vaticano esta semana”. O arcebispo Paul Gallagher, ministro das Relações Exteriores do Vaticano, também disse ao NCR que “não tinha conhecimento” dos planos para tal encontro entre Biden e Francisco.

A programação oficial do presidente para 15 de junho certamente não deixava muito espaço para improvisações. Ele deveria ter encontros privados com o rei e o primeiro-ministro da Bélgica e com os presidentes do Conselho e da Comissão Europeia, antes de ir a Genebra para encontros com o presidente da Confederação Suíça. 

O sentimento entre outras fontes do Vaticano e de autoridades americanas em Roma sobre os relatos de uma visita de Biden era algo como o emoji de “encolher os ombros”. Por que Biden viria agora, especialmente quando ele já deve viajar a Roma em outubro para participar de uma cúpula dos líderes do G20?

As reuniões papais demoram a ser preparadas e Biden ainda nem nomeou um embaixador dos Estados Unidos junto à Santa Sé.

Claro, os relatos sem fontes da reunião presidencial não ocorrida com Francisco surgiram enquanto o catolicismo de Biden estava sob os holofotes nacionais. Os bispos dos Estados Unidos estão se preparando para realizar uma reunião virtual, de 16 a 18 de junho, na qual  discutirão  um documento sobre se políticos católicos pró-escolha [ndt: isto é, favoráveis ao aborto] como Biden devem receber a comunhão.

Pode-se notar que a matéria de 14 de junho da CNA alegando que Francisco cancelou os planos de celebrar a missa com Biden foi elogiada em um e-mail para jornalistas enviado pelo Instituto Bento XVI, uma organização com sede em São Francisco, que nas últimas semanas tem divulgado comunicados de imprensa do Arcebispo Salvatore Cordileone.

Cordileone, arcebispo de São Francisco desde 2012, está entre os membros da Conferência Episcopal dos Estados Unidos que lideram os trabalhos sobre o novo documento sobre políticos católicos pró-escolha, mesmo depois que o chefe da congregação doutrinária do Vaticano pediu aos prelados que  procedessem com cautela  no plano .

Em um comunicado de 26 de maio divulgado pelo Instituto Bento XVI, Cordileone disse ter ficado “profundamente entristecido” por outros bispos que sugeriram que a conferência poderia adiar o plano, dadas as preocupações do Vaticano.

Na tarde de 15 de junho, a CNA corrigiu sua matéria sobre a missa papal supostamente planejada de Biden. A reportagem, disseram, foi feita “erroneamente”. 

Tags:

2 Comentários to “Não, o Papa Francisco não cancelou um encontro com o presidente Biden.”

  1. Hum…. mentira, pra enganar o povo !
    Realmente isso e maligno…
    Tempos difíceis !
    Suspeitei desde sempre!

  2. Dar a S Comunhão a Biden é profanação desse Augusto Mistério!
    “Não lanceis aos cães as coisas santas, não atireis aos porcos as vossas pérolas, para que não as calquem com os seus pés, e, voltando-se contra vós, vos despedacem”. Mt 7,6.
    Os encontros programados ou não entre quem deseja se passar por católico, o genocida Joe Biden e pró esquerdas-maçonaria, elas essencialmente abortistas, nada há impedindo uma amistosa e producente reunião entre esses dois líderes afinados no esquerdismo, caso do papa Francisco que os apóia, como antevimos em calorosas recepções aos perversos vermelhos, como aos cocaleiro Evo Morales, Dõ Ratão Lula, Mujica da maconha-marijuana e a outros comuno-esquerdistas.
    Assim, igualmente procede com apoiadores e abortistas profissionais e com mais de 10 000 macabros procedimentos extratores de nascituros do seio das mães executados por Emma Bonnino, a qual ele apresentou como “mulher de valor”! Por outro lado, está em partes contestado por alguns cardeais, bispos, vários sacerdotes e diversos leigos, o pontífice papa Francisco, bem desacreditado por diversos ou muitos laicos bem informados; doutro lado, colocado como protetor mundial dos muçulmanos da facção sunita em constantes guerras mortais com os xiitas, laureado com esse título por Ahmed Al Tayyeb, Imã da mesquita sunita de El Azhar, do Egito.
    Note-se que o “católico” Biden foi posto na presidência pelos globalistas para Trump não continuar no poder, e a deposição dele foi fraudulenta e vista por muitos, ação cabível normalmente aos tresloucados e material-ateístas comunistas, para os quais “todos os meios justificam os fins” – além de mais falcatruas de mentecaptos, inerentes aos desatinados e lunáticos adeptos das ideologias marxistas, os martelo e foice e simpatizantes dos diabólicos comunistas da elite com seus capachos mortadelas!
    Os 10 últimos papas ante Vaticano II sumariamente excomungaram latae sententiae os comunistas, eleitores e ainda extensiva a apoiadores e propagadores do comunismo!