Ditadura soviética na Igreja? A espionagem de Bergoglio.

Por FratresInUnum.com, 7 de agosto de 2021 – Não existe ditadura sem um potente serviço de espionagem; e não poderia ser diferente no bergolioperonismo. Agora, depois de derrogar autoritariamente as disposições tomadas por Bento XVI acerca da Missa de Sempre – pior: enquanto ele ainda vive –, chegam vozes de que está armando uma central de espionagem eclesiástica.

As informações chegam do LifeSiteNews. “Em conversas com diferentes fontes – todos especialistas vaticanos ou membros do Vaticano que quiseram permanecer anônimos – LifeSite foi informado de que o Papa Francisco pretende levar à prática o seu Motu Proprio Traditiones Custodes, destinado essencialmente a suprimir a Missa latina tradicional, servindo-se de um sistema de espionagem e sobretudo do chefe da Congregação dos religiosos, o cardeal João Braz de Aviz. Braz de Aviz traz consigo uma história de dura perseguição para com comunidades religiosas orientadas à tradição, em particular os Franciscanos da Imaculada”.

Duas fontes disseram que o papa usará um “sistema de espionagem” ou uma “rede de espionagem”: “Usarão o sistema de espionagem. Por todos os lados existem os demasiadamente zelosos que referirão a Roma que se celebra o rito antigo neste ou naquele lugar ou que acusarão aqueles bispos que não intervêm”. “As informações recolhidas por estes ‘espiões’, prosseguiu a fonte, serão utilizadas contra aqueles bispos que já são considerados antipáticos”.

Uma das fontes afirmou: “Penso que o papa punirá da maneira possível qualquer bispo que o desafiar diretamente. Ele usou as suas redes de espionagem com bons resultados durante toda a sua carreira, sem jamais parar”. “Esta mesma fonte pensa que o papa poderia também usar as acusações de acobertamento de abusos sexuais como instrumento para fazer calar os bispos resistentes”.

“Um observador vaticano disse que, por hora, durante o verão (europeu) ‘não acontecerá nada’ e que será difícil dizer que coisa acontecerá. Mas é claro que ‘o Vaticano é um regime e é obvio que Bergoglio queira eliminar a Missa traducional’. Este papa, prosseguiu a fonte, ‘tem um ódio ideológico profundamente radicado’ contra essa Missa, e é ‘um homem de poder agressivamente autocrático, que não aceita oposição”.

Todas essas informações mostram o caráter verdadeiramente despótico de Francisco. O qual, de resto, já é abundantemente conhecido por todos. Contudo, a informação nos parece bastante exagerada e propositalmente plantada para inibir a resistência, a fim de que a própria militância católica desista de lutar, caindo na paranoia persecutória.

É verdade que Francisco é um déspota. É verdade que ele detesta qualquer coisa que seja católica e tradicional. É verdade que ele escreveu este Motu Proprio com a intenção de exterminar completamente a Missa de Sempre. Mas não é verdade que ele tenha tanto poder assim. Ele age mais pela imposição do medo do que pela realidade da sua própria força.

Todas as agendas que ele tem perseguido desde o primeiro dia do seu pontificado fracassaram exemplarmente. Ele não teve coragem nem de dizer claramente que queria mudar a disciplina acerca da Sagrada Comunhão para os recasados; teve que colocá-lo criptograficamente numa nota de rodapé, disposto a sair correndo quando qualquer um lhe perguntasse algo mais explícito (os dubia não foram respondidos até hoje, ato que mostra muito da sua covardia). O mesmo aconteceu com os viri probati do Sínodo da Amazônia, com as diaconisas da comissão que ele montou, com a intercomunhão para os luteranos etc. etc.

Francisco foi feito de trouxa no Chile, saiu defendendo um pedófilo e depois descobriu que foi enganado. E nem precisamos falar sobre o affaire de Becciu ou sobre a esquisitíssima visita apostólica que ele ordenou na Congregação para o Clero, dando uma saída desonrosa para um de seus maiores apoiadores, o cardeal Stella. O seu pontificado termina com uma imensa marca de fracasso, ainda mais aprofundado pela pandemia, que terminou de relegar ao vazio todo o seu inócuo magistério.

É verdade que, entre um e outro copo de Whisky, o cardeal Aviz suprima alguma congregação, mas isso pode acontecer com qualquer instituto religioso – ao menos com os pobres, pois há certas instituições ricas por aí que nem visita apostólica consegue abalar. Tudo é questão de coragem e de postura! – E, é claro, de alguns presentinhos de grife e de alguns envelopes recheados de generosidade.

Se naqueles anos de chumbo de Paulo VI teve padre que enfrentou a oposição e continuou celebrando a Missa de Sempre até hoje, por que, agora, com a autoridade erodida de Francisco, a coisa seria diferente?… Essas fofocas vaticanas parecem mais hipérboles destinadas a provocar retração do que qualquer coisa de séria. Não porque Francisco não o queira, mas simplesmente porque não o pode: ele está com o intestino costurado por uma cirurgia, está velho e nem a sua ruindade pode reverter nada disso. O que ele fez foi assinar um papel, que nem foi ele sequer que escreveu, cheio de coisas contraditórias e inobserváveis, e o máximo que terá são futricas de efeminados mexeriqueiros que abundam pelas conferências episcopais a cuidar da vida das outras e liturgistas lunáticos a cuspir regras pelas sacristias. C’est tout!

A União Soviética tinha exército, tinha dinheiro, tinha um serviço secreto de verdade. Bergoglio tem um Vaticano falido e desmoralizado, com oficiais que estão querendo pegar parceiros homossexuais através de aplicativo de paquera gay, e um monte de velho progressista disperso. Talvez haja alguma punição exemplar aqui ou ali, mas não há fôlego para tanta intervenção. Os dias de glória deste pontificado ficaram no passado, muito no passado!

Os padres que continuem em santa paz celebrando a sua Missa, os bispos que permaneçam estáticos em sua desimportância, e tudo seguirá “como dantes no quartel de Abranches”.

16 Comentários to “Ditadura soviética na Igreja? A espionagem de Bergoglio.”

  1. Vamos ver o que fará quando praticamente todos os bispos permitirem a Missa Tradicional…

  2. Parabéns Fratres! Excelente artigo!
    Só precisamos dar tempo ao tempo, logo, o Papa atual não estará mais entre nós.
    Rezemos para que tenhamos um bom Papa no futuro!

  3. Se o papa Francisco não está a serviço da Igreja, o que tem indicado, é denunciado pelos seus comportamentospró esquerdas-diabolismo, com solidificadas bases por bispos super confiáveis, como D Viganò, D Scheider, Cardeal D Burke, Rob Mutsaerts, Samborn etc – ele mesmo diz que “nunca fui de direita” e vemo-lo coladinho com as esquerdas, tipo Xi Li Ping e outras escórias da humanidade martelo e foice como os mafiosos e canalhas Maduro, Lula(Dilma, seu poste), Ortega, Fidel Castro-Raúl Castro etc, vermelhos, da bandeira vermelha que representa o sangue do adversários e aestrela vermelha de ponta que é o pentagrama satânico – precisa explicar mais?!
    É bem possível, senão garantido, que já teria montado um serviço especial de espionagem pró globalistas-maçonaria, tanto da externa e mais influente, como pela Maçonaria Eclesiástica, vassala dessa, não duvido, pois os países comunistas que são associados com a maçonaria são grandiosos experts em espionagem pessoais e de roubos de dados técnicos, já que a moralidade deles é a amoralidade, além de que comunismo-socialismo e satanismo são a mesma coisa – farinhas do mesmo saco – caso do maligno PSDB e do endiabrado mega punguista PT!
    Aliás, quem apóia, propaga ou vota em candidatos ou em partidos comunistas, pelos 10 últimos papas ante Vaticano II fica automaticamente excomungado latae sententiae, por serem material-ateístas e assumidos abortistas caso dos comunistas padres da TL, subservientes da NOM, também pregadores de ideologias niilistas marxistas, condutoras para o inferno dos que cairem nas redes desses demônios antropomorfizados – que não seja v que lê e guarda as advertências do fratres!

  4. Tenho 42 anos e nasci na igreja “moderna”, mas seus textos me ajudaram a descobrir a Igreja Eterna. Gosto muito da forma ponderada e inteligente como o senhor aborda esses temas tão relevantes. Sou um homem sem estudos e conhecimentos sobre a doutrina católica “de sempre”. Moro próximo a Campos (RJ), e procurei ir a missa dos padres da Administração Apostólica, a missa de sempre. Fui me aconselhar com um deles, mas saí um pouco decepcionado. Quando falei sobre minhas angustias, meus problemas de consciência, ele insinuou que tais problemas eram sem razão. Mas eu não consigo deixar de pensar nestas coisas. Pelos frutos se conhece a árvore, e parece que os frutos de Francisco não são bons, logo seria ele verdadeira católico? Sei que alguém pode ser católico, e falhar, mas ele não parece católico, pelas suas palavras e obras. Caso não seja, devemos honrá-lo como papa, já que para ser papa, é preciso ter a Fé católica? Odeio fingimento, como Eleazar no livro de Macabeus. Não estou preocupado com rótulos, mas com ações. Deveria eu assistir uma missa (independente do rito celebrado) rezada em comunhão com esse senhor argentino? Deveria eu dar dinheiro (dízimo, ofertas, etc.) que ao fim e ao cabo, de alguma forma, chegará nos bolsos de inimigos da Fé? Deveria eu ajudar a sustentar o sinédrio que lançou Nosso Senhor nos braços da morte? Essas e outras questões me angustiam sobremaneira, e não tenho respostas para tais questões. E, ao que parece, existe poucos lugares onde posso me aconselhar, sendo seu site um deles. Obrigado por seu esforço irmão, que Nosso Senhor e sua mãe Santíssima o abençoe sempre, e o leve para o céu. Mas não agora, pois há muito trabalho ainda por fazer…Pax Dominus.

    • Vanderlei: acho-o otimamente intencionado, mas procure 1, 2 ou até 3 padres ou mais, até que encontre um que compreenda bem seus anseios e necessidades espirituais e sanar-lhe as dúvidas, por sinal, demasiado justas.
      Há padres que são quase zero em direções espirituais e não é tão simples encontrá-los; talvez, entre os mais experientes no múnus sacerdotal e atenciosos, ou entre os mais idosos, v possa encontrar um e que seja conservador – isso é muito importante, não os do tipo Pe Fabio de Melo da “evolução do dogma”, cujas “direções espirituais” mais se parecem de consultório psicológico!
      Procure saber entre conhecidos se sabe de algum sacerdote com que faça direções espirituais, é outro caminho, pois nem todos possuem o especialíssimo dom do discernimento de entender de assuntos que requerem perspicácia, sabedoria e ciência espirituais – não desanime!
      Reflita isso para seu ânimo: “Pedi e se vos dará. Buscai e achareis. Batei e vos será aberto. Porque todo aquele que pede, recebe. Quem busca, acha. A quem bate, abrir-se-á. Quem dentre vós dará uma pedra a seu filho, se este lhe pedir pão? E, se lhe pedir um peixe, dar-lhe-á uma serpente? Se vós, pois, que sois maus, sabeis dar boas coisas a vossos filhos, quanto mais vosso Pai celeste dará boas coisas aos que lhe pedirem” – Mt 7 7-11.
      claret.org.br/biblia

    • Procure o priorado da FSSPX na região. Eles estão em Arraial Novo / Varre-e-sai e, creio, também em Campos.

    • Tem o Padre Élcio Murucci, de Varressai, interior do RJ. Excelente padre.

    • Caro irmão Vanderlei ! eu me identifiquei muito com suas palavras. Saiba que não está sozinho. Suas dúvidas são também minhas dúvidas. Tenho 58 anos e moro em Brasília. Peçamos ao espirito Santo para se dignar nos iluminar nessa caminhada , procurando a Verdade em meio a tanta confusão. Um abraço.

  5. Sabe, embora não seja nada propício, e até mesmo uma analogia muito grosseira, pensei aqui em uma música que ouvia bem no passado: “Apesar de você”.
    Apesar desse Moto Prórpio, a liturgia de sempre voltará ser livre antes do que muita gente pensa.

  6. O Faraó e suas Mummes vão precisar de muitos olhos de Horus pra espionar.

    • Muito obrigado, Pw, pela lindíssima postagem. Gosto muito de óperas. Assisti várias montagens de Aída. Essa eu não conhecia, pena que não foi indicado aí qual é a fonte. Aída é uma linda historia de amor, ambientada no Egito. Foi composta por Verdi para comemorar a inauguração do Canal de Suez. Coloca no palco o enredo do amor profundo e proibido, diante de ciúmes e intrigas palacianas. No meu modo de interpretar a arte, essa ópera pode ser uma representação do atual quadro de nossa História Eclesiástica. O amor profundo de Jesus Cristo pela sua amada Igreja vem atraindo intrigas e ciúmes de certas correntes palacianas que teimam em não acolher o que o Espírito diz à Igreja nestes tempos atuais: a necessidade de adaptar-se às novas urgências pastorais. Pela nossa fé e esperança cristã, o final será diferente da ópera… Há anos que visito esse blog para visualizar as intrigas palacianas e tentar entender o que pensam os opositores da Igreja. Pela primeira vez vi uma postagem bonita. Se possível, me envie aqui a fonte dessa belíssima interpretação de Aída.

    • Prezado GM,

      Reza a lenda que quem gosta de Puccini não morre de amores por Verdi… Este é meu caso. Em Verdi tudo acaba em fanfarra, não é mesmo…? Há quem goste… Mas reconheço que o último Verdi, o de Falstaff, é diferente. Ah! Se o Marques de Sade tornasse da sepultura e virasse libretista hoje, teria muito a aprender com a aflicêta clerossáunica…

      Dito isso, GM, dissinto do seu modo idílico de ler a crônica eclesiástica. Suas palavras melífluas acerca do sacro esponsal do Senhor com sua Igreja não podem se aplicar ao delírio megalomaníaco de quantos querem melhorar Evangelho (!), expondo-se ao mais furbesco ridículo fanfarresco…

      De fato, o Espírito Santo não pode aprovar aquilo que Ele mesmo reprovou severamente no passado…Se assim o fosse, não poderia se dizer Santo, mas sádico. Pois teria onerado as consciências com fardos inúteis, esquecendo-as nesse massacre plurissecular até o advento do Faraó Bergoglio e suas faroetes que namoram no elevador. Ou teria a Igreja, burra e surda, contrariado o Espírito Santo impondo fardos inúteis ao universo mundo…? Se o fez ontem, por quê não hoje e amanhã…? Ora, nem as marchinhas de Verdi dariam conta desse libretto atrapalhado…

      Perdoe-me dizer-lhe, GM, mas a sua masoquista tese é mesmo insustentável. Procure se distrair um pouco dessa doutrinação canhestra a que V parece ter sido submetido.

      E o que o Espírito Santo se compadeça de todos e todas…

  7. Vá à Igreja e comungue sempre; esqueça o faraó Bergoglio, pois o que mais interessa, em toda missa, é a consagração. Se ele é citado ou não no Cânon, tanto faz. Quando do Grande Cisma do Ocidente, havia santos seguindo o homem errado. Apenas um futuro e legítimo papa poderá definir qual era a situação canônica do Faraó Bergoglio.
    Não alimenté escrúpulos desnecessários.

  8. Aguardo o dia em que o mesmo seja usado para combater os incontáveis desgraçados que, em pecado e sem disciplina, comem e bebem de Nosso Senhor.
    Nouvelle Compagnie du Saint-Sacrement, aqui vamos nós, mas só no mundo dos travesseiros.