O ponto era quando isso iria acontecer, não se aconteceria.

Por Chiesa e post concilio | Tradução: FratresInUnum.com, 25 de agosto de 2021 — O ponto era quando isso iria acontecer, não se aconteceria. O que será anunciado e referido em seguida se liga à novena iniciada pelos Superiores da FSSP (Fraternidade Sacerdotal São Pedro) da qual falamos anteriormente: Traditionis Custodes é apenas a “sacudida premonitória” do terremoto que vai acontecer? Estamos na parte da aplicação do Motu Proprio.

As comunidades “Ecclesia Dei” ou fraternidades ligadas à missa antiga foram convocadas a Roma para setembro que vem. E isso diz respeito à FSSP (Fraternidade Sacerdotal São Pedro), ao ICRSS (Instituto Cristo Rei) e ao IBP (Instituto do Bom Pastor). Há preocupação entre os fiéis da tradição por aquilo que poderia ser o próximo passa depois da devastação de Traditionis Custodes, cujas disposições deixam abertas muitas interrogações.

Declarações de observadores americanos sobre a situação: “alguém podia pensar que tudo se terminaria com Traditionis Custodes? Lembram dos Franciscanos da Imaculada? Ninguém tomou publicamente a sua defesa. Provavelmente, o Papa sabe que lhe resta pouco tempo e não quer desperdiçá-lo”.

Em relação aos interpelados (os Institutos tradicionalistas): “Terão perdido a espinha dorsal ou terão coragem de defender o ensinamento constante da Santa Igreja Católica e Apostólica, também sob a ameaça de sanção? Continuarão a combater o bom combate?”.

Nota do FratresInUnum: Será que a Administração Apostólica São João Maria Vianney passará ilesa? (Tomara que sim!) Caso haja restrições, Dom Rifan irá ceder ou voltará à resistência, reconhecendo que toda a sua política de diplomacia fracassou? Quem viver, verá!

19 Comentários to “O ponto era quando isso iria acontecer, não se aconteceria.”

  1. Ora, Fratres… O que é isso?
    Se a ADM Apostatólica não for chamada para “o Tribunal” estará claríssimo que ela já está dentro dos parâmetros de “Traditionis Custodes” há muito! Desde que nasceu!

  2. Penso que Francisco não vai nem querer ver a cara dessa gentalha do latim, que ele odeia. Creio que serão recebidos por Braz de Avis, que dará algum aviso, sem pedir opinião de ninguém. Sei lá, estou otimista! Os padres católicos não serão executados, queimados, decapitados, nada – se Bergoglio e sua corte dispusessem desses métodos do passado, os usariam à larga! – só perderão o emprego! Que se unam numa resistência legítima sem pensar no que vão comer ou o que vão vestir.

    Respondendo à pergunta: dom Fernando Rifan voltaria à tradição e às 63 razões sem problema algum, ele é maleável. Especialmente se ele enxergar vantagem nisso.

  3. MUITOS rosários precisam ser rezados…

    • Aceitar o Concílio Vaticano II e a Missa Nova eram princípios inegociáveis para qualquer padre com um mínimo de discernimento.
      No entanto, os movimentos Ecclesia Dei com maior ou menor boa vontade, admitiram esses princípios.
      Agora digam lá: depois da confissão expressa na Traditionis Custodiae, alguém aqui acha mesmo que Bergoglio permitirá que padres sobre sua sombra TOLEREM o Concílio e a Missa Nova?
      Não é preciso ser clarividente para saber que serão forçados a birritualidade, serão forçados a utilizar textos aprovados pelas conferências episcopais, talvez proíbam Cappas Magnas e outros “símbolos” de pompa e “triunfalismo”, e outras medidas caridosamente obrigatórias no sentido mais reformista possível.
      A Fé nunca poderia ter sido usada como moeda de troca.
      Obediência só é virtude quando não é ordenada para o pecado.
      Espero que o comportamento desses padres seja monolítico e rejeite frontalmente qualquer mínima exigência vinda de D. Avis. É o mínimo que poderão fazer para não prevaricar de vez.

  4. acho que vão ser misericordiados. Não creio que o pessoal do IBP vá abandonar a Missa Tridentina. Veremos no que dá…

  5. Eu fico pensando: Dom Fernando Rifan já tem 71 anos de idade e daqui a quatro anos se torna emérito. Pela lógica, deveria suceder-lhe o Mons. José de Matos, Vigário Geral da Administração, como Administrador Apostólico.
    Na ruptura de Dom Lefevbre com a Sagração dos quatro bispos e depois, na sagração de Dom Licínio Rangel, a ideia era ter bispos tradicionais para ordenar padres para celebrar a Missa Tridentina e adiministrar os sacramentos segundo o rito antigo. Pois é, quando Dom Rifan ficar emérito, a Santa Sé vai nomear bispo o seu sucessor? Ou vai confirmar o Monsenhor José de Matos no cargo ou algum outro padre da Administração Apostólica no ofício?
    De repente, pode vir nomeado um bispo vindo de uma das tantas dioceses ou arquidioceses do Brasil que nunca celebrou e nem sabe celebrar a missa tridentina, (como acontece com o Ordinariato para os fiéis de rito oriental sem ordinário próprio, cujo ordinário é o Arcebispo de Belo Horizonte). A Santa Sé pode nomear um para administrador um bispo que não goste da rito romano tradicional, que exija ao seminário da administração que os seminaristas recebam os ministérios ao invés das ordens menores, que não usem batina, que exija que a Missa nova seja celebrada em todas as igrejas da administração. E que por fim, siga a instrução vinda de cima de trabalhar na extinção da Administração Apostólica e acabe por conduzir tudo para uma reintegração do que sobrar na Diocese de Campos dos Goytacazes.
    “Ah, mas os estatutos da Administração Apostólica não prevê tal possibilidade…” Pois, é neste caso a Santa Sé nomeia um visitador e bem, já se sabe, né.

    Eu penso que seja possível….

    Os tempos são obscuros…

    • Acho que a questão da sucessão de Dom Rifan vai depender muito de quem seja o Papa no momento… mas deve ser pouco provável que escolham um administrador apostólico que não pertença ao clero da Administração. Agora se esse administrador terá o caráter episcopal aí é outra história… só ver o que aconteceu com o Opus Dei…

    • Eles podem colocar o Bispo de Campos para mandar na Administração Apostólica. Aí resolvem a questão polêmica de dois bispos mandando em grupos diferentes na Diocese de Campos.

    • Eu não duvidaria que fosse nomeado “bispo” responsável para lidar com a Adm um “Dom Leonardo Boff”…

      A grande questão das sagrações de 1988 era justamente essa: D. Lefebvre sabia muito bem que, após sua morte, os padres cairiam sob autoridade de algum bispo não simpático e que, com seu báculo, esmagaria a obra em vez de pastorear. Já vimos isso em Campos, na sucessão de D. Antônio, em Ciudad del Este na remoção de D. Rogélio Plano, nos Franciscanos da Imaculada.
      Esperamos que o desejado por D. Lefebvre em 1988 aconteça: Haverá um Santo Padre, segundo o coração de Deus, sob o qual vós (os 4 bispos lá sagrados: D. Fellay, D. Tissier, D. Galarreta e D. Williamson) depositareis vosso episcopado.
      Orate, fratres…

  6. Provavelmente Bergoglio vai exigir que os membros desses institutos convocados passem a celebrar publicamente também a missa nova, pelo menos uma vez por semana, sob pena de expulsão do instituto.
    Deus lhes dê forças para resistir!

  7. Os bispos D Rene Henry Gracida – 95 anos, EUA e D Jan Pavel Lenga, arcebispo emérito do Casaquistão irreconheceriam ao nomeado ainda de papa Francisco de não o ser; aquele desde 2014, salvo engano, manifestou-se nesse sentido, após o lapso verbal ou proposital de D Daneells sobre a conspiração da Mafia de Saint Gallen para destituirem o papa Bento XVI do pontificado; ainda duvidou mesmo da eleição a papa do Cardeal Bergoglio como válida, considerando tornar-se papa emérito forçadamente – teria avaliado. Suporia-se obra da maçonaria ocultista e aliada à idem Maçonaria Eclesiástica.
    Aliás, D Gracida foi visitado pelo ator Mel Gibson para apoiá-lo, indo à sua residência.
    Aparentaria ser um exacerbado anti tradicional e inimigo da Missa de S Pio V, liturgia legítima celebrada em relação ao Novus Ordo V II adiante, dando suporte a uma Igreja que não mais usaria de severidade de outrora, mas de misericórdia e, quando cardeal, havia uma foto tomando parte de festejos de Hanukká numa sinagoga e mesmo, quando após uma Missa, permitiu uma dança de tango no presbitério e ele atrás do altar, todavia retirados do YOUTUBE…

  8. Eles não combatem! Estão combatendo o quê???
    É uma ilusão! Não podem reclamar de uma Amoris Letitia, nem de uma Fratelis Tutti, nem de um Sínodo da Amazônia e nem mesmo dessa Traditiones Custodis. Ao se utilizarem das belas igrejas para celebrar a Missa, ficam impedidos de combater às claras toda desordem que assola o Corpo de Cristo. Não é só pela Missa…

  9. Caros Fratres;

    Aqueles Sacerdotes que passamos por tais problemas no passado imaginamos que, muito provavelmente, a grande maioria dessa gente concordará com as determinações da Cúria, por obediência, não por interesse…
    É difícil julgá-los, caros Fratres, pois, perderiam seus templos, conforto e a ilusão de que continuariam em comunhão com Roma.
    Contudo, parece que se olvidaram que devemos servir ao Bom Deus e desprezar os senhores do mundo!
    Passei por perseguições, sei o quanto é doloroso, mas, nunca compactuei com essa nova religião conciliar. Nunca vendi minha alma e tampouco minha consciência e vocação!
    Nunca alimentei a ilusão de que essa nova igreja, nascida no concílio, era a mesma Igreja fundada por Nosso Senhor sobre a Rocha. Porém, nunca nos esqueçamos das Promessas de Cristo e da Santíssima Virgem:
    “As portas do inferno nunca prevalecerão…”
    E
    “(…) Por fim, o Meu Imaculado Coração triunfará!”
    Que o Bom Deus tenha misericórdia de nós!
    Imaculado e Doloroso Coração de Maria, rogai por nós!

    • Ao muito benvindo ao site fratres de nossa e minha partes, enriquecendo-o sempre com suas palavras e observações acerca da autêntica e confiável fé cristã tradicional, Revmo Pe José Antônio, até a Jesus na Última Ceia teriam-nO corrigido no Vaticano II, dentre mais supressões imprescindíveis, como as preces leoninas e mais notórias diferenças; confiramo-lo no mais negativo: Hic est enim calix sanguinis mei, novi et aeterni testamenti: mysterium fidei: qui pro vobis et pro MULTIS effundetur in remissionem peccatorum”
      E hoje? Traduzindo para o latim é “PRO OMNIBUS”!
      O “pro multis”, dentre mais, significaria que nem todos se lavariam no Preciosíssimo Sangue do Cordeiro para terem alvas suas vestes!
      E nesse caso, errara Jesus, sucedendo isso logo à consagração do vinho para o sangue de Cristo? Ante V II estaria errado e esperavam os reformadores litúrgicos à la Dom Bugnini das Lojas P2 da vida?
      Peço-lhe suas preciosas bênçãos, preces e intercessões!

    • Caro Pe. José Antônio

      Rogando sua benção, coloco sua vida sacerdotal, e de todos os padres que sofrem nesse momento por amor à Santa Igreja, nas orações deste pobre pecador. Deus há de recompensá-los com o cêntuplo!

  10. Olha, com relação à Administração Apostólica,

    Eu não vejo clima nenhum para resistência ao um falso e ilegítimo pontificado, porque as pessoas que são contrárias ao progressismo ou já morreram ou estão muito idosas, com o pé na cova já (para morrerem fisicamente).

    A população católica tradicionalista do território de Campos não é em sua maioria pessoas que estudam ou lêem muito sobre teologia e religião católica; são pessoas que trabalham o dia inteiro e são economicamente exploradas pelos senhores do mundo. Essas pessoas chegam em casa cansadas e não vão querer se indispor com um Bispo ou com um padre que batiza seus filhos.

    Imagina só! Você já tem as perseguições do mundo consumista e capitalista. Você vai atrás de mais perseguição dentro da Paróquia, para os outros rirem ou debocharem de você?

    Somente uma Fé verdadeira aguenta tais situações e resiste quando a Fé manda resistir e desobedecer. Como disse, essas pessoas já morreram ou já estão com o pé na cova. O erro foi terem estabelecido e mantido contato com a Roma herética progressista/modernista.

    Eu diria: Quando alguém te criticar por ser rigoroso ou rigorista, então você deve se tornar ainda mais rigoroso e bravo.

    O sal foi feito para salgar e a luz para iluminar. Se o sal não salga e a luz não ilumina, já não servem absolutamente para nada.

    Você tem que escolher: ou você está com o mundo, ou você está com a sua religião.

  11. Com o Motu Proprio “Traditionis Custodes”, as comunidade da extinta Ecclesia Dei (FSSP, IBP, ICRSS), toleradas para destruir a FSSPX, mas sem sucesso, provam agora o seu próprio veneno: 1- O da traição a Tradição; 2 – Os frutos do compromisso com Roma Conciliar.

  12. Francisco tira o pão e depois vem com as migalhas. Esperto que só ele, não quis uma “rebelião”, na mão, agora ele vem com uma “diplomacia” ou “bandeira de paz”, não acredito nas boas intenções de Sua Santidade.

%d blogueiros gostam disto: