A obrigação de ser esquerdista.

Por FratresInUnum.com, 6 de setembro de 2021 — O ódio do clero esquerdista contra os católicos conservadores já ultrapassou o limite do escândalo e tornou-se perseguição fanática. O monopólio do microfone é o meio pelo qual bispos e padres petistas destilam toda a sua intolerância sobre o povo em pleno altar. Hoje é quase insuportável ir a certas igrejas ou escutar determinados sermões: o clássico isentismo clerical deu lugar à mais escancarada propaganda política.

12970871_1227283183963726_7760508826080064482_o

Pelas redes sociais, leigos são atacados por padres que, em seu descontrole, perdem completamente a compostura e passam à explícita hostilização, ao ódio declarado.

Fenômenos de histeria podem ser facilmente observados através das reações de pânico que certos eclesiásticos demonstram em relação à pessoa do presidente da república. O respeito que tanto se pedia a quem “democraticamente eleito” foi sepultado nos tempos de Dilma Rousseff. Os únicos poderes que merecem proteção são o legislativo e o judicionário – ao executivo, a agressão é livre. Implicância infantil e raivosa, publicamente declarada, muitas vezes gratuita, reproduzindo falsificações da mídia e de toda a esquerda pirracenta.

Quem não sabe que os esquerdistas não admitem que ninguém esteja no poder, exceto eles? Os gritos de “fora Temer” antecederam muito ao “ele não”. Trata-se de birra pura e simples, mas que se tornou totalmente descontrolada, acelerada pelo ódio e também pelo medo.

O católico que defende os valores cristãos não se sente representado justamente por aqueles que se opõem a esses valores de maneira explícita. Como é possível concordar com políticos que defendem agendas incompatíveis com o catolicismo? Bolsonaro está longe de ser um presidente perfeito, mas é inegável que, dos que aí estão, desagrada e muito o establishment. O clero progressista finge que os partidos de esquerda são cristãos e os defende como se fossem arautos de uma nova cristandade.

Enquanto isso, os católicos permanecem desorientados e envergonhados. Padres e bispos de boa orientação permanecem inibidos, ao passo que os seus colegas comunistas difundem a ideologia do partidão a peito aberto, sem nenhum escrúpulo ou vergonha.

Massacrados, aturdidos, vexados, os católicos não se sentem representados pela sua própria religião e são recebidos de braços abertos por pastores pentecostais, com os quais compartilham a mesma cosmovisão. É preciso ser adivinho para perceber onde tudo isso vai terminar?

A Igreja de partido único, que adotou como único dogma a infalibilidade esquerdista, está perdendo completamente a sua credibilidade e, pela sua inflexibilidade, também está perdendo os fiéis.

Virou obrigatório ser esquerdista na Igreja Católica do Brasil. Não se admite a mínima variação à direita. E, na dúvida, os pastores não duvidam em sacrificar os fiéis. Todos são obrigados a engolir esquerdismo por todos os lados e professar os valores de esquerda de maneira explícita para ter aceitação e uma vida pacífica. O simples silêncio não basta, muito menos se tolera a militância oposta. É preciso pregar à esquerda, militar à esquerda, defender as bandeiras à esquerda para não ser cancelado por padres e bispos.

Obviamente, o cancelamento não se dá de maneira tão ideologicamente direta. Para justificá-lo, é preciso antes identificar mentirosamente o direitismo com o extremismo, com o nazismo, com o fascismo, com o supremacismo, com o racismo etc., para, então, tornar óbvio que é necessário fazer uma lavagem cerebral em quem pense diferente deles, ainda que os verdadeiros autoritários e ditadores estejam do lado que eles mesmos defendem.

O delírio dessas mentes chega a ser espetaculoso. Como podem inverter de tal modo a percepção da realidade? De certo modo, os bons e perseverantes fiéis compreendem que estes senhores são vítimas de algum tipo de psicopatologia e que não conseguem perceber as coisas de maneira diferente, que sofrem muito por causa dos monstros que eles mesmos concebem em sua imaginação celerada e que suas reações de ódio são profundamente agravadas pelo estímulo que atualmente recebem de autoridades na Igreja que pensam como eles e legitimam e até respaldam a sua reação histérica.

Contudo, é doloroso demais vermos um espetáculo tão desolador. O povo brasileiro entende muito bem o que está acontecendo, quem são os verdadeiros autoritários, onde está havendo abuso de poder e demanda uma reação pontual contra tais atrocidades. Enquanto isso, os seus pastores celerados se colocam ao lado dessa elite maligna e se posicionam justamente contra o povo e os pobres, fazendo com que eles tenham de apanhar dos dois lados.

Como foi possível chegarmos a este ponto? Foram décadas de doutrinação marxista nos seminários e congregações religiosas, décadas de lavagem cerebral no clero. Como prospectava Gramsci, a revolução cultural conseguiu transformar o marxismo num poder onipresente, que condiciona todo o modo de pensar. Mesmo que o PT esteja publicamente destruído e o Lula não consiga mais sequer andar com tranquilidade no nordeste, o petismo igrejeiro continua em pé, pois é fruto do fanatismo religioso e da manipulação emocional e psicológica.

Quando teremos o dia de independência da Igreja Católica no Brasil? Não sabemos. Mas, até lá, precisamos continuar firmes, pois o mal está intimamente instalado nas mentes dos nossos líderes e teremos de ser fortes para suportarmos o fardo de sermos odiados, como dizia Nosso Senhor, pelos nossos próprios pais.

18 Comentários to “A obrigação de ser esquerdista.”

  1. O vice de Bolsonaro é maçom, assim como é maçom o vice de Dilma Rousseff, que acabou assumindo a presidência. Essa análise da destruição da igreja católica não menciona nenhuma vez a palavra maçonaria. Vários pastores pentencostais são maçons. Há literatura sobre como a maçonaria financiou o crescimento de igrejas pentencostais na América do Sul. Infelizmente, o pensamento de Olavo de Carvalho continua predominante na direita brasileira. A maçonaria é muito mais nociva do que o PT, até por que a esquerda existe graças à maçonaria. Mas quem lê somente Olavo de Carvalho jamais vai tomar conhecimento disso e vai travar uma batalha inglória contra um espantalho enquanto o verdadeiro inimigo já tomou conta de Roma. Que saudade de Orlando Fedeli. Ele faz muita falta.

    • >>>Que saudade de Orlando Fedeli. Ele faz muita falta.
      Nenhuma, de pedantes e palpiteiros o Brasil está cheio, e de espíritos de rebeldia e insensatez também, ainda mais de doutores das leis com seus fatwas “católicos”.
      Pelos frutos se conhece a árvore, não por menos, a árvore de Carvalho deu fruto nenhum, nem parece ser árvore, mas a de Fedeli deu apenas frutos podres de destruir os estômagos e torcer os narizes; e no fim, ao menos não se pode dizer que os olavistas estão, como os fedelistas, a disputar os ossos de seu autoproclamado santo redentor com a fúria que faria invejar revolucionários franceses.

      Falou de maçonaria, mas diz, a quem reclamar e a quem apontar? Maçonaria é, então, um vulto na neblina.
      De que adianta apontar para a neblina e dizer: há alguém espreitando, ataque-o — e quando invadem a neblina já não sabem por onde anda o vulto pois de agora há os inúmeros que adentraram na neblina? Assim só haverá fogo-amigo.
      A esquerda, mui pública, não jaz na neblina, mas está bem nas tuas costas, esfaqueando-te já há uns dias; pouco importa quem está pelo fim dos fios a controlar a marionete, se atiram uma flecha na tua perna, o que faz? Retira-a ou pergunta antes quem foi que atirou, ou pior, vai a casa do desafeto perguntar se foi ele, com a flecha ainda em corpo?

      Você, Francisco, deixou cair teu ressentimento, está claro que pouco se importa com ferida alguma, quer é ter com teus inimigos, com quem vive debaixo da tua cama.
      E antes que projete teus fantasmas em mim, saiba que pouco tenho com os citados e com movimentos políticos, tive três gerações seguidas de ancestrais perseguidos politicamente, tenho muito pouco interesse e nenhuma fidelidade política ou filosófica; não tenho homens de homens por senhores e reis.

    • Para ser bem sincero, não vejo grau de nocividade maior ou menor em qualquer destas denominações, todas perigosíssimas dentro das suas atividades expecificas e mais, todas anticristãs e, quando assim não se classificam são falsas ou em busca do disfarce:
      maçonaria, esquerda, comunismo, nazismo, petismo, psolismo, maoismo, leninismo, stalinismo, socialismo, fascismo, satanismo, globalismo, enfim poderia aqui ficar o dia todo desfiando o que ainda falta.
      Discussão inútil qual anticristo é o pior.

  2. Esse artigo vem de encontro a todos nós!
    Expressando o mais profundo de nossos sentimentos…
    Da uma tristeza imensa ver um Bispo como o de Minas Gerais presidente da CNBB Dom Valmor falar tanta besteira para 7 de setembro , q chega ser patético!
    Vemos como bem disse o artigo uma igreja totalmente fora dos padrões da cristandade!
    Mas isso tem parte também de quem está na Catedra de São Pedro, realmente está uma bagunça!
    Q nosso Senhor nos ajude a permanecermos fiéis …pois quem permanecer fiel até o fim será salvo !
    Parabéns pelo artigo !
    Não podemos nos calar !!!

  3. É fácil resolver essa questão. É só escolher onde ir. Fugir dessa peste. Deixe que bispos e padres vermelhos e de passeata rumem ao inferno individualmente ou em bando. E aguardar o cumprimento da promessa de Nosso Senhor: “As portas do inferno não prevalecerão”.

  4. Precisamos odiar: o ódio é a base do comunismo – Lênin
    O comunismo não é amor: é ódio aos adversários – Mao
    À realidade, o que o antônimo do amor é o ódio, esse pertence unicamente a Satanás e seus asseclas, hoje em dia perceptivelmente notável em determinadas homilias que mais pareciam comícios de comunistas interessados em se elegerem, tentando ludibriar as multidões com vãs promessas – como lhes é de praxe!
    Embora essa verborragia, tendo base como base os quase 14 anos da quadrilha do PT, cujo líder nem se arrisca ir às ruas, senão acompanhado de muitos de seus cupinchas – como se o povo nada soubesse também da misérrima Cuba após 60 anos de comunismo e a ex opulenta Venezuela, hoje sob as patas de um marxista, enquanto isso, sua população num estado tal de miserabilidade, necessitando se lançar nas cidades nos aterros sanitários para tentarem saciar a fome que os oprime!
    Note-se também, inclusive dentro da Igreja, desde o topo da mais Alta Hierarquia, há defensores a unhas e dentes a cartilha ideológica esquerdista em palavras e obras, em virtude das quais vicejam e geram frutos putrefatos, por o mundo haver abandonado ao Senhor Deus e adotado o diabo e suas hordas – e representando aqueles descerebrados mentais vermelhos!
    E o resultado não poderia redundar noutro senão o caos como merecido castigo, o qual ostensivamente presenciamos em que o mundo se encontra em constante estado de profunda degradação espiritual, moral e ética, inclusive alimentar, por adoção das ideologias da obstinada Escola de Frankfurt e dos (des) ensinamentos do capcioso e relativista Antonio Gramsci e adjuntos conspiradores contra a Igreja, vassalos e subservientes da maçonaria-Nova Ordem Mundial-Great Reset, enquanto o povo já poderia estar bebendo do Cálice da Ira do Senhor Deus!
    *”porque meu povo se perde por falta de conhecimento; por teres rejeitado a instrução, excluir-te-ei de meu sacerdócio; já que esqueceste a lei de teu Deus, também eu me esquecerei dos teus filhos”. Os 4,6.
    Por fim, meu Coração Imaculado triunfará!
    *claret.org. br/biblia

    • Faltou o mais importante, o essencial complemento da meia frase acima: “Precisamos odiar: o ódio é a base do comunismo. As crianças devem ser ensinadas a odiarem a seus pais se não forem comunistas”.

  5. Na realidade os padrecos comunistas estão demonstrando apenas o desespero de quem perde o espaço que tinha antes.
    A Igreja comunista desaba a olhos vistos tal qual o PT desabou na corrupção que não mais se esconde.
    Desnecessário ver em Bergoglio o mesmo desespero, porém camuflado como é de seu feitio.
    As orações apenas surtem o seu efeito e ninguém consegue orar com ódio no peito ou no coração, daí a derrota que se avisinha para eles.
    Pior ainda com a popularidade crescente do presidente e, como veremos proximamente, mais ainda, a revolta dos padrecos, dos falsos padres, dos padres auto-excomungados pois católicos não são e jamais serão.
    Suas igrejas estão esvaziando, suas coletas à mingua, as receitas um desastre e, sem dinheiro, tal como a TV Globo, ninguém resiste muito tempo. Talvez recebam algum aporte do Banco do Vaticano.
    Sugiro até que retirem das contas de Lula da silva que, sabidamente vai a mais de 200 milhões de dólares. O cachaceiro até deve concordar, claro, talvez quem sabe uns 10%.
    Talvez compense.

  6. Me deixa consternado a convicção de alguns clérigos (e nem julgo a intenção) que facilmente identificam o evangelho com o pensamento de esquerda. Tanto desconhecem o evangelho, como desconhecem o que anima a visão de esquerda.

  7. A sensação de estar continuamente sendo enganado por aqueles a quem se deveria recorrer como pastores e mestres é terrível, uma verdadeira luta espiritual!

  8. Qualquer semelhança com o período da Constituição Civil do Clero não é mera coincidência; resta saber se Bolsonaro, o católico de mil confissões, será nosso Napoleão tupiniquim, as muitas “esposas” ele já tem.

    • Não há como ele ser o Napoleão dessas terras, porque o clero atual já passou da fase liberal tem muito tempo já no pós concílio, bem diferente do clero refratário na revolução onde isso foi novidade. Os católicos militarem no liberalismo frente ao comunismo com a desculpa do “mal menor” é o fim da picada. Um princípio mau não se torna bom porque o outro comparado a ele é pior. É apenas tolerável.

  9. Fake News, propagar nas redes o ódio e parecidos basta apenas discordar das esquerdas: aí sim, é discurso de ódio, intolerância, ser medieval e substantivos iguais!

    • A esquerda é o mal.
      O comunismo é o mal.
      A partir daí, conclui-se justamente que odiar o mal está correto pois amá-lo não é possível.
      Ama-se o bem e odeia-se o mal.
      Este é o único ódio aceitável.
      Quem inverte isto está errado e certamente ninguém aqui irá concordar com a inversão.
      Por outro lado, e que fique bem claro, Odiar o mal não significa odiar pessoas e parece que o comentarista confunde situações e não mostra capacidade de fazer as corretas distinções.
      Espero que entenda, pois.

  10. Não existe presidente perfeito. Bolsonaro, dentre as inúmeras qualidade e defeitos que tem, permanece católico. Tem apoio dos protestantes e judeus. David não era perfeito, Salomão não era perfeito, Moisés não era perfeito, Bergóglio é uma desgraça completa. Os desígnios de Deus são insondáveis.

    • Exatamente. Bolsonaro não é perfeito e não existe ser humano perfeito.
      A perfeição só em Deus.
      O que todos os brasileiros que votam, sem exceção, devem entender é que não pode mais haver no Brasil governos de esquerda, nem disfarçado.
      Ora, na hipótese do próximo pleito restar Bolsonaro e mais um de esquerda, o voto tem que ser para Bolsonaro, mesmo que seja para vê-lo sentado diarimente na rampa do Planalto, numa poltrona, ouvindo radinho de pilha (daqueles bem antigos, se é que ainda existe) o dia todo.
      Melhor que termos patifes governando a enviar o nosso dinheiro para os seus bolsos quando não para outros países ou entregando a nossa pátria a regimes comunistas chineses.

  11. Temos visto mais de uma pessoa, que está furiosa com o presidente por sua suposta negligência durante a pandemia, agora querer lhe imputar a inflação e o desemprego. Quando lembramos que não foi ele que disse que o mais importante era salvar vidas e a economia a gente vê depois, elas contra-atacam, sempre superlativas, dizendo que o presidente e a família são os maiores corruptos do país. Quando dizemos que o PT sempre cobrou considerável porcentagem do salário de todos os filiados ao partido que estivessem em cargo público, oficializando a “rachadinha”, elas dizem que não querem nem Lula, nem Bolsonaro, abrindo caminho para a terceira via. Mesmo quando argumentamos que candidatos de quaisquer outros partidos continuarão, ainda que de forma mais lenta, o caminho do país para a revolução, elas recolhem a agressividade acusatória, mas dizem que não querem mais falar sobre o assunto. Parece que todas intuem que seu equilíbrio mental está em risco com tantos estímulos contraditórios à moda MK-Ultra entre o que explicamos e o que a grande mídia informa. O caminho está aberto para essa terceira via, e li que nos EUA farão uma campanha maciça para o candidato maçom Sérgio Moro. Os conservadores precisam encontrar uma opção ao presidente Bolsonaro, porque é muito difícil convencer as pessoas que ele buscou a melhor alternativa na pandemia e que o número de mortes foi manipulado e superestimado. Isso só aconteceria se as pessoas começassem a ver parentes ou próximos morrendo ou ficando com sequelas da vacina, o que não será possível comprovar a curto prazo, e a médio e longo prazo não serão associadas a ela.

  12. Muitos ateus da KGB se infiltraram no clero católico para instrumentalizar e desmoralizar a Igreja Católica.