O verdadeiro grito dos excluídos.

Por FratresInUnum.com, 8 de setembro de 2021 — “A democracia é o consenso das cúpulas a ser acatado bovinamente pelo povo”. É esta a ideia que povoa a mente dos donos do poder. Eles não se conformam com o fato de que o povo queira se autodeterminar e, por isso, tentam suprimir inteiramente a existência política da população.

Nossa Senhora Aparecida, Rainha do Brasil

Como é possível que cadeias de televisão divulguem imagens de manifestações multitudinárias e coloquem, como legenda, que as mesmas são antidemocráticas? Se a democracia é, por definição, o governo do povo, o “lapso” só se justificaria pela existência de outra noção subjacente, por uma compreensão que delete a existência do povo e a substitua pelo mero consenso institucional de uma elite coesa. É disso que se trata!

Hoje, o poder da mídia foi definitivamente desmoralizado pelo povo. Ninguém mais acredita em nenhum desses desinformadores, que demonstraram ser apenas um órgão de informação do establishment para si mesmo. O presidente vem ao público pedir que os ministros do STF respeitem a constituição da qual são nomeados guardiães e é acusado de desrespeitar essa mesma constituição que ele está defendendo. Como é possível levar a sério este tipo de acusação?

A esquerda está acuada, já perdeu toda a credibilidade que lhe outorgava a mídia. Eles não têm mais nada, o povo desmantelou a farsa de democracia que eles insistiam em encenar. Agora, está mais fácil do que nunca perceber qual é a vontade verdadeiramente democrática!

Ontem, 7 de setembro de 2021, o Brasil testemunhou o verdadeiro “grito dos excluídos”. Não, não é este convocado pela CNBB, que pretende dar voz à revolução comunista. A iniciativa, como todos os anos, é fútil, é falida, é fracassada e é péssima. Este ano, chegou-se a incluir entre os contemplados “travestis, transexuais e religiões indígenas”.

O verdadeiro excluído, o banido, o relegado à inexistência é o povo brasileiro, a nossa brava gente, batalhadora, sofrida, cristã, raiz, conservadora. Eles são aqueles que sofrem preconceito, que são chamados de ignorantes, que são xingados de “gado” e, isso, por aqueles que vivem às suas custas e por muitos que deveriam pastoreá-los amorosamente.

A CNBB, como sempre, prefere ficar ao lado das cúpulas, da oficialidade chique e da classe intelectualizada das universidades esquerdistas. Essa instituição nunca esteve ao lado dos pobres nem da verdadeira luta pela libertação, sempre serviu-se do povo para emplacar o seu próprio projeto de uma “cristandade socialista”, algo como um círculo quadrado, em que seus prelados exerceriam o seu tão sonhado papel político.

Desdenhado por seus pastores, esnobado por aqueles que deveriam dar a vida para defendê-lo, o povo não tem para onde correr senão para os braços dos pastores pentecostais, cuja convocação para as manifestações de ontem foi imensamente bem-sucedida — o balde de água fria de Dom Walmor só foi notado pelos seus pares e não teve efeito algum, a não ser virar meme em grupos de WhatsApp.

A interface religiosa do evento de ontem mostra que a Igreja no Brasil fez a escolha de posicionar-se contra o seu povo e a favor dos seus opressores, o que redundará em grande deserção por parte dos fieis e na suicida atitude de atirar-se ela mesma no abismo da irrelevância. O povo não apenas desautorizou a mídia e as instituições da república a fingirem democracia, mas também mostrou que não é ingênuo quando o assunto é mexer com a sua fé em Jesus Cristo, mesmo quando isso supõe jogar no ostracismo os representantes da sua religião. “Deus, pátria e família” infelizmente não incluem mais a hierarquia católica, que preferiu dedicar-se a “ecologia, feminismo e revolução”.

Se o amor à verdade não os movesse à conversão, ao menos o medo de perder fiéis deveria movê-los, não fosse o seu fanatismo político a cegá-los de modo tão radical e obstinado. Nos próximos dias, certamente a CNBB lançará alguma nota manifestando de maneira ainda mais clara o seu distanciamento das ações mais incisivas solicitadas pelo povo ao presidente da república; e, mais uma vez, ninguém se importará: eles já se consagraram na posição do mais absoluto descrédito!

Tags:

15 Comentários to “O verdadeiro grito dos excluídos.”

  1. Parabéns. Que texto! Um dos melhores que já li por aqui. Expõe em palavras o que grita o coração. Estamos como ovelhas sem pastor.

  2. Não me cansarei de repetir:
    A CNBB é uma seita messiânica e milenarista.

  3. O verdadeiro e legítimo grito dos excluídos acontecerá quando estiverem condenados ao inferno, esse sim, justifica-se por considerarem-se como merecedores, pois normalmente o termo “excluídos” nesse mundo composto quase apenas de fariseus e hipócritas referem-se, segundo a míope visão das esquerdas, àqueles grupos de pessoas incautas que se deixaram subverter por suas vãs e falsárias promessas e as ajudaram a se apossar via trapaças do poder e, depois de formalmente empossadas e com todo sob seu controle,, retribuir-lhes-ão com o mais aviltante escravagismo, inclusive locando os cidadãos pertencentes ao Estado, recebendo apenas 10 a 20% do salario, como o foi aqui ao Brasil!
    Desnecessitamos de um clássico exemplo nos dias de hoje, quando da pré instalação do infernal comunismo em Cuba ilha-prisão, a qual, por sinal, é um regime muito querido ao cangaceiro Lulampião e aliados cupinchas beneficiários no Brasil do esquema de pilhagens, enquanto o povo daquele país, após mais de 60 anos de comunismo está na mais absoluta penúria geral, pois o comunismo é o distribuidor mundial e oficial do igualitarismo da miséria! Enquanto isso. aqueles sadicamente desviaram as mentes dos desprevenidos que lhes fizeram sentir estarem amordaçados pelos “capitalistas e imperialistas” americanos e eles, “gentil e desinteressadamente” tentavam livrá-los desses infames agressores dos mais empobrecidos; propunham-nos libertarem de uma vez por todas da incomensurável escravização desses malvados opressores dos trabalhadores!
    Quanto safadeza, vagabundagem desses descarados bandidos aves-de-rapina dos PTs cubano e brasileiro! São daqueles que assaltam e vão à delegacia registrarem denúncia que foram furtados – até que se descubra a verdade e esses denunciantes, após serem descobertos, são os envolvidos e verdadeiros ladrões!
    Só havia um enigmático problema na surdina: além de material-ateístas, os que tomaram o poder em Cuba eram à verdade os imperialistas e capitalistas de Estado e aliados aos mais enriquecidos da nação que mantinham esses mandriões na mordomia, vivendo em resorts – em nada difere daqui!
    Não é o caso da OAS, Odebrecht e diversos mais subsidiários dessa súcia envolvidos?

  4. kkkkkkk vocês são doentes! Só pode, né?!
    Arrogantes se achando a “voz que clama no deserto’! Coitadinhos…
    A cúpula que tende a manipular gente como fosse gado é a política de extrema direita, pois até muiitos de direita já nem reconhecem mais esse idiota com faixa de presidente.

    Podem fundar uma Igreja Conservadora ao vosso modo, pois a Igreja Católica Apostólica Romana não se dobra ao vosso proceder. O choro é livre, rapaziada!

    VOCÊS NÃO SÃO A IGREJA. VOCÊS NÃO FALAM PELA IGREJA.
    E isso basta!

    Enquanto usam as redes sociais para denegrir nossa conferência espiscopal, nas bases, nosso povo sabe em quem confiar: no papa Francisco, em seus Bispos, na CNBB!
    O povo de Deus simples e humilde espalhado em nosso imenso Brasil não cai nesse discurso de vocês!
    Viva o Papa Francisco!
    Viva a CNBB!
    Viva o Concílio Vaticano II !

    • Mais um coitado de um padre papista devoto de Francisco e da CNBB das esquerdas caiu na arapuca que elas armaram, ele entrou para comer a isca e ficou preso!

    • “O verdadeiro excluído, o banido, o relegado à inexistência é o povo brasileiro, a nossa brava gente, batalhadora, sofrida, cristã, raiz, conservadora. Eles são aqueles que sofrem preconceito, que são chamados de ignorantes, que são xingados de “gado” e, isso, por aqueles que vivem às suas custas e por muitos que deveriam pastoreá-los amorosamente.”

    • Ô Padre Ademar, suas palavras foram no sentido de correção a esses “doentes” a quem o senhor começou caçoando com o kkkkkk? E depois aplicou um “arrogantes” e mais expressões de desprezo, além de desautorizar de “ser” e “falar” pela Igreja. Esse desprezo por acaso o senhor sente pelos milhões de brasileiros que foram às ruas no dia 7 de setembro? São gado e não o povo de Deus? O senhor é Padre mesmo? Segue D. Casaldaliga (de terrível memória) e outros bispos comunistas da CNBB? Não consegue argumentar sem ofender? Quem é o Bispo que o autoriza a escrever com tanto ódio e desprezo?

    • Doente

    • é de se esperar de quem vai na igreja de um Deus que não existe, comer ‘pão partilhado’, arrancar os cabelos por um pontificado falido de 8 anos e um concílio de pouco mais de 50.

      Bento XVI falou pela igreja! São João Paulo II falou pela igreja ! todos os 263 antecessores falaram pela igreja ! e fizeram vossos ouvidos arder com verdades que não podiam suportar !

      Eles tem o nosso respaldo!
      o engodo nojento que vocês criaram não !

      o povo simples e humilde de cuba também não cai no vosso discursinho !
      também o povo da venezuela, da argentina, da coréia do norte………

    • Que linguajar chulo, Padre! Desculpa, mas essa linguagem de boteco não fica bem na boca de um clérigo, por mais vaticanosegundista que ele seja.

      De padres desvairados, livrai-nos, Senhor.

    • Fratres, esse comentário passou sem problemas na moderação? Já vi comentários discordando das opiniões do blog e da grande parte dos leitores, mas um comentário tão baixo e virulento como esse me chamou a atenção ter passado.

    • Viva Cristo Rei!!!

    • Sua fala me lembra o último pároco que tive, homem sem caráter, de fala fria, sem amor e zelo pelo povo de Deus. Muito me decepciona um padre falar desse jeito, sofremos muito nas mãos de um louco egocêntrico, que dizia ser padre. Nos resta confiar sempre em nosso Deus e pedir seu socorro!!

  5. A coisa é muito mais complexa e séria do que se possa imaginar.
    Na realidade, ao plano de exclusão é total.
    A Nova Ordem Mundial, sob o comando dos grandes conglomerados financeiros e megabilionários, leia-se também ONU e União Europeia, pretende muito mais.
    Para proteção das grandes fortunas e do controle mundial eles querem:
    1. A exclusão de países. Conceitos como pátria e família têm que ser excluídos definitivamente.Países grandes como EUA, Rússia, China, Canadá, Brasil etc. serão picados paulatinamente e em ordem de poder. Floresta amazônica? Babau.
    2. A exclusão de povos, como consequência. Nada mais de americanos, brasileiros, espanhóis, chineses, japoneses etc. Pretendem acabar definitivamente com os gentílicos.
    3. A exclusão das religiões. Todas sem exceção deverão ser extintas. A ciência será a religião. Nada de cristãos, muçulmanos, judeus, budistas, taoistas, confucionista etc.
    4. A exclusão do indivíduo. O ser humano como indivíduo deverá não mais existir, somente para as mínimas necessidades básicas como será no futuro, um tablete de ração individual e coisas do gênero a serem dadas a cada um. Mais nada. Se alguém quiser algum direito deverá estar associado a algum grupo similar em necesssidades e desejos, caso contrário simplesmente não existirá.
    5. A exclusão das aposentadorias. Com mais de 60 anos, todos serão considerados doentes e estarão às portas da eutanásia e para lá sendo encaminhados ao primeiro sintoma de doença grave. Um apendicite poderá ser uma condenação à morte. AS aposentadorias serão substituídas por rações alimentícias, bem como as roupas padronizadas, tipo jeans de uso geral (entendem agora porque todo mundo usa jeans? Coisa antiga…), sapatos etc.
    6. A exclusão das propriedades. Ninguém terá direito a nada, exceto, claro os megabilionários, donos do poder e de suas instituições, coisa que já existe hoje. A casa onde cada um viverá será uma comunidade. Sorte quem tiver um quarto individual. Casa própria? Esquecam.
    7. A exclusão do dinheiro como papel-moeda. Este não existirá mais. Se o indivíduo não fizer parte do esquema, do controle individual não terá acesso a contas bancárias, que por sua vez serão reduzidas e concedidas a determinadas castas da sociedade, segundo determinados critérios. Óbvio que se o indivíduo alimenta-se com ração e veste-se padronizadamente recebendo também medicações gratuitas do Estado etc., para que vai querer dinheiro? Esta é a ideia.
    8. Carro de passeio? Esqueçam. Somente para determinadas castas e sob controle estrito do Estado. Razão? simples e todos já conhecem hoje: a poluição.
    Ah, mas e o carro elétrico? Pergunta inocente, pois. A poluição, as “mudanças climáticas”, coronasvirus e outros mais que irão aparecer bem como outros “motivos” estarão sempre na pauta para impedir ou racionalizar, eliminando desejos e direitos. Simples.Todos acharão sempre que “é razoável”.

    Acabou? É só isto? Não. claro que não.
    Todos podemos imaginar que coisas mais temos, apreciamos, gostamos de fazer e que desaparecerão dos nossos direitos como água que escorre entre os dedos e acrescentar aqui. Façam a lista em suas casas.
    Não pensem, por outro lado, que isto será implementado amanhã e que todos irão acordar sob este regime. Claro que não. Levará tempo e poderá estar assim em 10 anos no máximo, talvez menos, quem sabe?
    Mas já começou e alguns ainda nem perceberam. Acho que não necessito dar exemplos mas vou dar um: você usa máscara para se proteger?
    Usa, né?
    É razoável.

  6. Pobre padre (com p minúsculo mesmo) Ademar Correia! Sua histeria ufanista é proporcional ao fracasso da sua seita CNBB! O povo confia no Papa esquerdista e na CNBBdoB? Me explique as igrejas vazias, perdendo em público para qualquer seitinha neopentecostal! Porque apelam tanto para campanhas do dizimista, cada vez mais vergonhosas? Parece que é para compensar o público que perderam, o que fez a arrecadação despencar. Já vi paróquia de múmias esquerdistas como vc em que não tem ninguém para cantar na missa mais, e estão tocando mp3 para acompanhar a missa. A quem vc acha que engana, modernista fracassado? O público de suas missas shows é todo de cabelo branco, está decrepito com o pé na cova igual seu clero, por mais que vcs falem tanto em atrair jovens com sua mundanização da Igreja. Enquanto isso, nas missas tridentinas, os jovens são maioria. Morra de inveja, estribuche de ódio, víbora modernista!