Padre ortodoxo em protesto incomoda Papa em visita à Grécia.

Por The Independent: O papa Francisco foi interpelado por um padre ortodoxo grego idoso no sábado ao chegar para um encontro com o chefe da Igreja Ortodoxa do país, evidência da desconfiança persistente entre alguns ortodoxos e católicos 1.200 anos depois que o cristianismo foi dividido ao meio.

“Papa, você é um herege!” o padre gritou três vezes quando Francisco chegou à residência do arcebispo Ieronymos na capital grega de Atenas. O manifestante caiu no chão quando a polícia o levou embora, e Francisco pareceu não notar quando ele entrou na residência para seu encontro privado com o Líder ortodoxo.

O incidente ocorreu após pequenos protestos contra o papa em sua parada anterior, a ilha de Chipre, que também é predominantemente cristã ortodoxa.

Durante a viagem de Francisco, os líderes de duas igrejas renovaram a promessa de superar séculos de desconfiança e competição por influência. Em contraste com o padre solitário e intrometido, Ieronymos acolheu Francisco “com um sentimento de honra e fraternidade”.

A visita de Estado de Francisco à Grécia ocorre 20 anos depois de São João Paulo II ter feito a primeira visita desse tipo desde o Grande Cisma, e aproveitou a ocasião para se desculpar pelos pecados “por ação ou omissão” cometidos pelos católicos contra os ortodoxos ao longo dos séculos.

Francisco renovou o pedido de desculpas no sábado diante de Ieronymos e outros prelados ortodoxos, dizendo que estava envergonhado pelas ações dos católicos que, por causa de uma “sede de vantagem e poder, debilitaram gravemente nossa comunhão”.

Católicos e ortodoxos se dividem por causa de uma série de questões, incluindo a primazia do papa.

Ieronymos, por sua vez, disse a Francisco no sábado que compartilhava a visão do papa de criar laços fortes para enfrentar os desafios globais como a crise migratória e as mudanças climáticas.

15 Comentários to “Padre ortodoxo em protesto incomoda Papa em visita à Grécia.”

  1. O incômodo de Francisco não terminou aí: Antonio Socci noticiou que o líder ortodoxo do Chipre pediu que em reunião privada com o Papa que ele “imite Ratzinger e nos ajude com a Turquia”… O ecumenismo não é só sorrisos.

  2. Aqui está o vídeo se quiser complementar o artigo com imagens.

    • “O manifestante caiu no chão quando a polícia o levou embora, e Francisco pareceu não notar quando ele entrou na residência para seu encontro privado com o Líder ortodoxo.”

      Pelo vídeo, parece que o Papa já havia entrado…

  3. A heresia de Bergoglio começa indubitavelmente com a sua declaração que Deus é mutável.
    A partir daí, não há mais como fugir.
    Claro, a afirmação girou o mundo e os ortodoxos não são surdos e tampouco cegos.
    Ainda veremos os ortodoxos salvando a unidade da Igreja Católica APOSTÓLICA Romana e cobrindo com cal a Igreja Sinodal de Bergoglio.
    Não foi por menos que Fátima pediu a consagração de seu Coração Imaculado à Rússia.

  4. Dizem que depois que inventaram a palavra desculpa, ficou fácik magoar as pessoas. Enfim, quando se vai confessar, segundo o Catecismo da Igreja Católica, é necessário fazer um bom exame de consciência desde a última confissão; arrependimento firme,sincero; firme propósito de não voltar a cometer; confessar, falar ao padre, de modo preciso os pecado, número, etc; cumprir a penitência. Trazendo para a nossa vida prática, é claro que tais requisitos não são comuns. Ofende alguém, tenho que saber como ofendi, de fato estar arrependido do que fiz a pessoa, etc. Agora essa coisa de “pedi(mos) desculpas, perdão aos nosso irmão por atos tais( bem generalizados e pronto. É discurso de político para engambelar pessoas intruídas ou não. No caso em matéria de Doutrina e Fé, tais atos podem levar as pessoas a permanecerem em erro, pecado, heresia, excomunhão com a Deus. Para um leigo, isso é grave e para uma autoridade que tem a responsabilidade de pregar a Verdade, é mais grave ainda. Mas uma vez, o respeito humano, o politicamente correto, a diplomacia do bem conviver, leva a afastar de Deus.

    • Esse pedido de desculpas se deveu, no caso de São João Paulo II), não a questões de doutrina ou a politicalhas rasteiras, mas a uma sincera compreensão de que os erros humanos foram cometidos por ambas as partes e que isso trouxe dor e sofrimento a pessoas inocentes, todas elas filhas de Deus. A gravidade dos atos dos altos hierarcas se reflete em instância máxima no mal que podem acometer aos fiéis simples, que são inocentes dos erros desses prelados. Essa separação é essencial, do contrário, choverão “doutores excomunicantes” (como se já não houvesse o suficiente).

  5. A “crise migratória e as mudanças climáticas”! Já agora, por que não falam da intolerância ao glúten?

  6. Os cismaticos são parte do erro que o Vaticano 2 abraçou. As únicas vítimas de Bergoglio são os católicos tradicionais.

    • Não existe católico tradicional, já disse isto aqui e repito. Quem não segue a tradição apostólica simplesmente não é católico, não passa de algo amorfo, sem sentido, discrepante e muitas vezes herético.

  7. Discordo do papa Francisco de se manter constantemente pedindo tantas diversas desculpas, inclusive aos cismáticos gregos “ortodoxos”, quando, à realidade, no ano de 1054, Miguel Cerulário, talvez teria sido por despeito, não se interessou mais em se submeter ao papa de Roma com único chefe da Igreja católica Apostólica Romana, conforme a tradição de São Pedro ter a sua sede em Roma e nessa cidade ser crucificado de cabeça para baixo e ali enterrado!
    A mesma situação ocorre como em relação aos nomeados de gays, como como se outrora a Igreja católica os discriminasse, como pessoas portadoras desse problema de atração por homens; no entanto, ela reprime até hoje são seus procedimentos sodômicos, pederásticos, comportamentos que são incompatíveis com a fé cristã de ontem, de hoje e por todo o sempre, enquanto a Igreja existir nesse mundo, embora o papa Francisco admita uniões civis desses!
    Por acaso, as relativistas seitas protestantes, os ortodoxos e gays vieram a público alguma vez desculparem de seus erros? Apenas a Igreja católica é a culpada – qual é a deles?
    Além disso, “diálogo” hoje em dia significa “não adesão ao apostolado de conversão”!

  8. Prezado Ferretti, aqui é Georges-François SASSINE.
    O cisma ocorreu em 1054 e foi ratificado (ou seja, plenamente efetivo) somente após a união de Florença ter falhado, no fim do século XV.
    Assim, são quase 600 ou quase 1000 anos de cisma, dependendo da perspectiva.
    Ao se considerar 1200 anos (ou mais), joga-se o Segundo Concílio de Nicéia (contra a heresia iconoclasta) e São João Damasceno (doutor da Igreja) no caldeirão do cisma.
    Por favor, retifique assim que possível.

  9. O papa Francisco deu-se mal em sua visita à Grécia a Jerônimo II e Cristóforo II, em que haveria como principal intuito estimular o “ecumenismo” – se é que foi de fato com essa a principal intenção, o que não é improvável. No entanto, os atuais patriarcas cismáticos ortodoxos gregos rejeitaram uma concelebração ecumênica; noutras palavras, voltará para Roma o papa Francisco de mãos vazias e frustrado de seus eventuais planos ecumenistas!
    Dessa forma, entre esses, nenhuma oração “ecumênica” foi proferida e os eventuais sonhos do papa Francisco desvanceram-se como fumaça exposta ao ar!
    Os greco-ortodoxos cismáticos desinteressaram-se por uma celebração ecumênica com o papa católico romano Francisco, afirmou o arcebispo católico de Atenas, Theodoros Kontidis SJ, 65, ao site Aleteia.org no dia 03 de dezembro do corrente ano 2021.
    Ele esclarece que, para eles, uma oração em comum, no entender dos cismáticos, significa plena unidade, e eles não desejaram compartilhar dela de forma alguma!
    Assim sendo, já que não existem coexistências pacíficas em todos os pontos de vista, não pode haver acordo, sendo cada um em separado realizando seu culto particular, embora juntos e, manter-se nesse modelo de procedimento, não passaria de uma imensa dissimulação de verdadeira unidade, ou seja, de parte dos cismáticos a rejeição de Roma como Igreja-Mãe de todas as outras, inclusive dos patriarcas, e tal concepção persiste inaceitável.
    Como não há acordo em todos os pontos doutrinários e de comando, os cismáticos julgam que não se pode dissimular para o público como que num teatro, porque as diferenças contundentes entre ambas permanecem inalteradas!
    No entanto, é bom que os cismáticos saibam, aprendam e apreendam: ex Ecclesiam nulla salus!

    • Esta é a explicação política dos ortodoxos.
      Todavia há mais entulho debaixo do tapete de Bergoglio e no qual a Grécia Ortodoxa não está disposta a colocar as suas pás.
      Os ortodoxos não aceitam, além do ecumenismo, o VaticONU, com Bergoglio dizendo amém à OMS e demais líderes desta instituição e da ONU e seguindo a cartilha da Nova Ordem Mundial ou do Grande Reset de Klaus Scwab.
      Para culminar, Reiner Fuellmich, um advogado alemão dos mais poderosos da Europa, abriu um processo na justiça do Canadá, contra a OMS e o Grupo Davos liderado por Klaus Schwab por crimes contra a humanidade.
      Encabeça a lista de réus o papa Francisco.
      O documento oficial do STJ do Canadá, em inglês, pode ser encontrado em:

      Clique para acessar o Covid-lawsuit-Filed-in-Canada.pdf

      Claro que a mídia controlada certamente nada fala a respeito.
      Boa leitura a todos.

%d blogueiros gostam disto: