Os efeitos históricos das Consagrações a Nossa Senhora feitas pelos pontífices.

Por Antonio Socci | Tradução: FratresInUnum.com, 26 de março de 2022 – Há muitas analogias dramáticas entre os dias em que vivemos e os que antecederam a Primeira Guerra Mundial , que deu origem aos totalitarismos do século XX e da Segunda Guerra Mundial , com os fantasmas que ainda hoje agitam o mundo.

Papa Francisco Fatima

Até cem anos atrás era possível adivinhar que abismo estava prestes a se abrir. Em 29 de julho de 1914 , Winston Churchill escreveu para sua esposa: “Tudo tende para a catástrofe e o colapso (como se) uma onda de loucura atingisse a mente do mundo cristão.”

E o ministro das Relações Exteriores britânico, Edward Gray, em 3 de agosto de 1914 , enquanto decidia entrar na guerra, disse: “As luzes estão se apagando por toda a Europa. Duvido que as veremos acenderem novamente em nossa vida” .

Foi uma carnificina . O Papa Bento XV continuou a implorar o fim do “massacre inútil” . Mas ninguém o ouviu. Como hoje, os poderosos não ouvem o grito idêntico do Papa Francisco , mesmo que arrisquemos uma terceira guerra mundial e um apocalipse nuclear.

As iniciativas e os apelos diplomáticos de Bento XV foram desprezados. Assim, em 5 de maio de 1917, o papa solenemente implorou a Nossa Senhora como “Rainha da Paz” que viesse em socorro da humanidade.

A RESPOSTA

Os poderes mundanos nem perceberam. No entanto, apenas oito dias depois, em 13 de maio de 1917, a Mãe de Deus respondeu verdadeiramente a essa invocação do coração, aparecendo em Fátima , Portugal, país que antigamente era chamado de “Terra de Santa Maria”.

Uma aparição sensacional em que Nossa Senhora dará prova de sua presença no dia 13 de outubro com o milagre do sol , diante de 70 mil pessoas , entre agnósticos e jornalistas leigos que relataram fielmente os acontecimentos sensacionais.

Nossa Senhora escolheu o lugar mais miserável e remoto e as pessoas mais irrelevantes, crianças pobres e analfabetas. A eles, às suas orações (a recitação diária do rosário) e aos seus sacrifícios, Nossa Senhora atribuiu o incrível poder de encurtar a guerra em curso . Seu “exército” para mudar o curso da história era composto por três crianças pobres.

Loucura? Sim, a loucura do cristianismo para o qual o verdadeiro protagonista da história não é o poderoso, mas o mendigo: a oração e o sacrifício dos humildes.

Além disso, Nossa Senhora confia uma extraordinária mensagem profética às três crianças : ela anuncia o que aconteceria pouco depois (a revolução bolchevique na Rússia) e prevê as consequências catastróficas que, no entanto – atenção – Pedro e a Igreja poderão evitar.

De fato, ao Papa, em união com todos os bispos, Nossa Senhora pedirá para consagrar a Rússia ao seu Imaculado Coração para salvar o mundo das forças do mal que de outra forma causarão perseguição à Igreja e terríveis sofrimentos à humanidade.

Aqueles que não são cristãos vão sorrir para isso. Mas o fato de as profecias de Nossa Senhora em Fátima se terem concretizado deve encorajar a reflexão .

O Papa Francisco aceitou o convite dos bispos ucranianos, consagrando (com o mundo) a Rússia e a Ucrânia ao Imaculado Coração de Maria, como Nossa Senhora havia pedido em Fátima e o faz hoje, 25 de março, festa da Anunciação, para pedir o dom da paz do Príncipe da Paz que veio ao mundo pelo sim de Maria.

Não é um gesto de magia, mas de fé, amor e esperança . Não é possível dizer o que pode acontecer depois desta consagração, porque não se pode entrar na liberdade soberana de Deus. Mas os cristãos estão certos de que o ato do Vigário de Cristo trará, de formas misteriosas, grandes graças à Ucrânia, à Rússia e ao mundo, nas formas e nos tempos que só Deus conhece.

PIO XII E O AMARELO DE STALIN

Podemos reconhecer a ação da Providência no mundo, mas precisamos de um olhar profundo porque é discreto: Deus respeita a liberdade humana, quer deixar ao homem o mérito de reconhecer a verdade, por isso – disse Pascal – colocou no mundo luz suficiente para quem quer ver e deixou sombra suficiente para quem não quer ver .

Após as consagrações anteriores, de fato, pode-se vislumbrar uma mão providencial que dirigiu certas passagens históricas.

Alguns exemplos. Tendo verificado o que Nossa Senhora profetizou em Fátima, Pio XII , no auge da Segunda Guerra Mundial, fez a consagração em 31 de outubro de 1942 , mas por razões diplomáticas e políticas a Rússia não foi nomeada explicitamente . A vidente de Fátima, Irmã Lúcia , fez saber que, no entanto, “o Bom Deus já me mostrou a sua satisfação com o ato, embora incompleto no que diz respeito ao seu desejo, realizado pelo Santo Padre e por muitos bispos. Por isso, ele promete acabar com a guerra em breve. A conversão da Rússia (no entanto) não é para agora”.

De fato, há quem tenha notado que imediatamente após a consagração, em poucos dias, ocorreram eventos inesperados e sensacionais : em 4 de novembro a derrota do Eixo em El Alamein, em 8 de novembro o desembarque dos anglo-americanos na África do Norte e em 2 de fevereiro de 1943, a capitulação alemã a Stalingrado. Parece que Churchill comentou: “a roda do destino girou”. A guerra terminou mais cedo do que a previsão sombria.

Em maio de 1952, em nova aparição à Irmã Lúcia, Nossa Senhora exortou “à consagração da Rússia ao meu Imaculado Coração” , sem a qual “a Rússia não poderá se converter, nem o mundo terá paz”.

Pio XII, em 7 de julho de 1952, publicou a Carta Apostólica aos povos da Rússia “Sacro Vergente Anno” e finalmente consagrou a Rússia ao Imaculado Coração de Maria , mas não houve a união dos bispos de todo o mundo neste ato. A conversão da Rússia não ocorreu, mas, mais uma vez – se olharmos para os fatos -, pode-se dizer que ocorreram graças extraordinárias.

Dois insuspeitos historiadores seculares como Nekric e Geller , em sua “História da URSS” , escrevem: “O discurso proferido por Stalin no 19º Congresso, em 14 de outubro de 1952 , foi dedicado à motivação ideológica da iminente ofensiva na Europa Ocidental … a chegada ao poder dos partidos comunistas… Stalin queria testemunhar a transformação soviética da Europa ao longo de sua vida. Uma nova guerra estava sendo preparada, mas a história tinha uma mão nela. No final de fevereiro de 1953… Stalin foi subitamente atingido por uma hemorragia cerebral. No dia 5 de março ele morreu ”.

Tudo isso aconteceu dentro de oito meses da consagração da Rússia. Quem nos salvou daquela planejada invasão soviética e da guerra mundial? Talvez – como diz Nossa Senhora – aquele que “derruba os poderosos de seus tronos e levanta os humildes” ?

GUERRA ATÔMICA

João Paulo II terá uma relação especial com Nossa Senhora de Fátima. Na sua percepção apocalíptica daqueles anos, apela três vezes a Nossa Senhora: em 1981, com um ato de entrega, depois, em 1982 e 1984 , com consagrações solenes ao seu Imaculado Coração .

Mas mesmo nesses dois casos nem todos os pedidos de Nossa Senhora são atendidos porque a Rússia não foi explicitamente mencionada (e poucos bispos participaram desse ato). No entanto, a resposta ainda foi uma abundância de graças .

Os anos 1982-1984 são cruciais. Em tempos posteriores descobrimos que, naqueles meses, arriscamos – e muitas vezes – ao apocalipse nuclear . Na verdade, foi um período de tensão leste-oeste muito alta. O presidente dos EUA foi Reagan. O líder soviético era Andropov, que estava convencido de que os americanos estavam se preparando para o ataque nuclear lançando o primeiro golpe.

Neste contexto , ocorre uma série de acidentes extremamente perigosos que se aproximam da catástrofe . Como o episódio de 26 de setembro de 1983, quando o tenente-coronel do exército soviético Stanislav Petrov recebeu relatórios de satélites de cinco mísseis intercontinentais que partiram de Montana. Em questão de segundos ele teve que decidir: guerra nuclear ou não? Alguém iluminou sua mente e ele adivinhou que não era um ataque, mas poderia ser um erro técnico. Então ele não ativou o procedimento. Ele viu certo e a humanidade foi salva. Por acaso… ou pela intervenção do Céu?

Apenas dois meses depois, entre 2 e 11 de novembro de 1983, repetiu-se o “milagre” do exercício secreto com o qual a OTAN simulou um ataque nuclear com o codinome “Skilled Archer”.

Mas a tensão crescia cada vez mais. Neste contexto, a 25 de Março de 1984 , João Paulo II, na Basílica de São Pedro em frente à imagem de Nossa Senhora de Fátima, cumpre a consagração dizendo entre outras coisas: ” Da guerra nuclear, da autodestruição incalculável, de todos os tipo de guerra, livrai-nos!”

A Irmã Lúcia, anos depois – graças a uma aparição que teve em 1985 – afirmará que esta consagração de 1984 salvou o mundo de uma guerra que teria estourado em 1985 .

É verdade? O que a história diz? No Kremlin, Cernenko sucede Andropov em fevereiro de 1984. A crise do Euromíssil está em andamento . Segundo os historiadores, o confronto OTAN-Pacto de Varsóvia atinge seu clímax . A URSS está em grave crise, não resiste ao desafio do escudo espacial de Reagan.

Diante do colapso econômico e da vulnerabilidade militar do Kremlin, avalia-se a possibilidade de um ataque “preventivo” ao Ocidente . O general Akhromejev afirmou que 1984 foi de fato o ano mais perigoso.

E em 25 de março de 1984, o Papa faz a consagração . Em julho , quase de repente, o Kremlin descarta a hipótese de guerra , abrindo caminho, em março de 1985, para Gorbachev e sua tentativa de reforma. Por quê?

Anos mais tarde, descobriu -se que ele pode ter causado esse avanço salvador. Alberto Leoni , especialista em história militar, relatou o “acidente” que desgastou o potencial militar soviético em 1984: a explosão do arsenal de Severomorsk no Mar do Norte. “Sem aquele aparato de mísseis que controlava o Atlântico”, explica Leoni, “a URSS não tinha mais esperança de vitória. Para isso a opção militar foi cancelada” .

Esse acontecimento decisivo ocorreu dois meses depois da solene Consagração, precisamente a 13 de Maio de 1984, aniversário e festa de Nossa Senhora de Fátima e do atentado ao Papa . Uma coincidência impressionante.

Mas aquilo foi só o inicio. A Irmã Lúcia dirá dessa consagração: “Olhe para o Oriente. A resposta foi vista!”. De fato, em 1989 aconteceu o impensável: o comunismo entrou em colapso.

Deixe-me ser claro, há razões históricas para este colapso. Mas todos acreditavam que um regime como o soviético teria agonizado por muito mais tempo e só terminaria de forma traumática e violenta. Talvez com uma guerra.

Em vez disso , ele implodiu sobre si mesmo em poucos meses e – isso é “milagroso” – sem uma única vítima . Inimaginável para aquele império comunista.

Alguém discretamente deixou a “assinatura” daquele milagre. Porque a liquidação oficial da URSS ocorreu em 1991: 8 de dezembro, festa da Imaculada Conceição. A promessa de Nossa Senhora em Fátima tinha sido esta: “por fim o meu Imaculado Coração triunfará”.

Não somente. Depois de mais de 70 anos a bandeira vermelha com foice e martelo é baixada pelo Kremlin (substituída pela antiga bandeira russa), em 25 de dezembro de 1991 , dia do Natal da Igreja Católica.

Não foi a “conversão da Rússia” prometida em Fátima, mas a liberdade religiosa e uma certa democracia certamente voltaram à terra de Solzhenitsyn .

O PRESENTE DRAMÁTICO

Infelizmente hoje, devido a uma série desastrosa de erros (também por parte do Ocidente), a história voltou atrás. A involução autoritária se acentuou com a invasão russa da Ucrânia, decidida por uma classe dominante que vem do passado soviético.

Estamos mais uma vez com uma guerra no coração da Europa, a um passo de um possível conflito mundial .

Por isso, o Papa Francisco volta a implorar a Nossa Senhora com uma solene e explícita consagração da Rússia e da Ucrânia, juntamente com todos os bispos . Ele implora de coração: ” Vós, estrela do mar, não nos deixeis naufragar na tempestade da guerra”.

Até a história nos ensina a confiar na humilde e mansa Mãe de Jesus. Há alguns anos, a “National Geographic” dedicou-lhe uma capa com um título significativo: “Maria. A mulher mais poderosa do mundo”. Para milhões de cristãos, é assim, mesmo.

15 comentários sobre “Os efeitos históricos das Consagrações a Nossa Senhora feitas pelos pontífices.

  1. Texto interessante. Parece que há um problema no texto em espanhol da ultima consagração pelo Papa Francisco pelo menos ( vejam em Português): Nele o titulo Rainha do Céu e’ trocado por “Terra do Céu” ou algo parecido. Não sei… mas gostaria que a consagração tivesse sido feita ao “pé da letra”.

    Curtir

    1. “Quando não temos certeza do sentido das palavras de alguém, julguemos os factos pelo lado mais caridoso”.
      esta explicação parece-me bastante plausível:
      https://www.lifesitenews.com/blogs/why-our-lady-can-be-called-the-earth-of-heaven/

      Mesmo não apreciando as “obras” do Papa Francisco, penso que esta Consagração tem sido motivo de especulações desnecessárias. O que está feito está feito. Deixem Deus actuar e julgar. A História nos dirá se valeu ou não…Como alguém comentou atrás: “já é birra e só birra”

      Curtir

    2. Depois da “caridade” de Traditiones Custodies e da Pachamama (Mae terra) , nem tudo pode ser birra ( alias, comentario pueril) com este Papa Maria Ribeiro. Taylor Marshall ja destruiu os argumentos do lifesite news , Maria nunca foi chamada assim.

      Curtir

  2. Será que léo boff participou da escrita desse ato de consagração? Penso que essa guerra já trouxe um ótimo resultado: me parece que pedro voltou a ser Pedro.

    Curtir

    1. Prezado Sr. Johann Martendahl, ofereço-lhe mais um comentário (pueril??, não importa)

      https://infovaticana.com/2022/03/25/una-oracion-desde-el-corazon-de-la-gran-tradicion-mariana/

      Tú, «tierra del Cielo», devuelves la concordia de Dios al mundo. La expresión «tierra del Cielo» está tomada de un himno monástico bizantino-eslavo, y poéticamente significa la unión entre el cielo y la tierra que podemos contemplar en María elevada al Cielo también con su cuerpo.

      Se confia mais em Taylor Marshall?! O Sr é quem sabe…
      Mas cuidado porque estamos a tratar de um assunto sério demais para ficarmos aqui “de birra”

      Curtir

  3. Muito lúcido e erudito o artigo do autor. Porém, erra pela falta de imparcialidade. O ponto de vista do autor é tendencioso e viciado.
    Não se trata de inocentar a Rússia de seus “erros”, que também são cometidos por muitos países tradicionalmente inimigos ou rivalizados com a Rússia. Entretanto, a causa e o motivo para essas grandes guerras envolvendo a Rússia são os “pecados” e “crimes” do mundo, especialmente do “mundo católico”, que aderiu ao neopaganismo ocidental. Tudo o mais (guerras, erros da Rússia, fome, peste, morte de inocentes etc) é consequência disso e também torna o cenário ainda pior.
    Na minha opinião, o ocidente católico, a Igreja e todo o mundo ocidental não vão se livrar de guerras terríveis (inclusive com a possibilidade de a Rússia lutar contra eles) enquanto não pararem de pecar, isto é, enquanto não eliminarem as suas Estruturas de Pecado, que já em 1917 foram objeto de Reclamação do Céu. Existem pecados que bradam aos céus!!! Simplesmente não podem continuar no mundo. Jacinta e toda a Mensagem de Fátima disse que as Guerras eram castigos pelos pecados e crimes do mundo (assim foram as duas Grandes Guerras Mundiais, castigos; assim foi a Guerra Civil Espanhola, castigo). Podemos acrescentar que são castigos especialmente para os ambientes e nações católicas. Nossa Senhora disse claramente que já não estava mais conseguindo suster o Braço de Seu Divino Filho.
    Então, cá pra nós, essa história – de alguns – de que Deus vai sempre livrar o mundo da guerra e da ameaça russa, continuando nós no pecado e no paganismo, é conversa fiada, é papo de quem não quer se emendar, não quer eliminar as estruturas de pecado do ocidente e do mundo inteiro, e, mais, quem sabe seja alguém que lucra com o paganismo hodierno!? Se não se emendarem (nós todos), virá o castigo, por meio das guerras etc.
    O mundanismo na Igreja Conciliar só piora as coisas.
    ————
    Ainda, até onde sei, os únicos três países mencionados na Mensagem de Fátima são três: Rússia, Espanha e Portugal. Para cada um deles fora prometido algo, e cada um deles tem um papel no contexto todo. O resto é resto. Não adianta querer forçar a Mensagem. A Rússia, que é o desejo do Imaculado Coração de Maria; a Espanha que seria o primeiro país católico a ser castigado; Portugal que também seria castigado e conservaria o Dogma da Fé (parte misteriosa que não sei bem o que significa). O resto é resto.
    Se tiver algum outro país citado na Mensagem de Fátima de 1917 e transmitida pelas três crianças, por favor, tenham a caridade de mencionarem aqui no site, pois será bom para todos nós sabermos, com certeza, quais os países foram escolhidos pelo céu no que se refere ao conteúdo desta Mensagem e aos acontecimentos profetizados.

    Curtir

  4. Sobre a validade da consagração no sentido de ter atendido ao que foi pedido por Nossa Senhora, não tem o que fazer. Cuidado para não haver mais divisão, agora: católicos tradicionais de um lado afirmando que foi válida e de outro afirmando que não foi. Só nos resta esperar que Deus faça algo. Vamos aguardar e continuar nossas orações e cumprir nossos deveres de estado.

    Curtir

  5. Quanto a Consagração da Rússia e da Ucrânia ao Imaculado Coração de Maria pelo Papa Francisco: que bom que ela foi feita. Trará frutos. Com certeza agradou a Deus pois Ele é misericordiosíssimo. É muito melhor para a humanidade que ela tenha sido feito do que se não tivesse sido feita.

    Entretanto, basta estudar a mensagem de Fátima para perceber que não foi isso que Nossa Senhora pediu em 1917. E enquanto não for feito o que Nossa Senhora pediu em 1917 não será concedido a humanidade os benefícios prometidos em 1917. E ponto.

    Existem outros aspectos importantes na mensagem de Fátima que nós devemos prestar atenção porque dizem respeito a nós: A oração diária do Terço e a Devoção dos Cinco Primeiros Sábados. Da mesma forma que a cúpula da Igreja falhou no passado em não cumprir a Consagração da Rússia ao Imaculado Coração de Maria como Nossa Senhora pediu em Fátima em 1917 (e a inclusão da Ucrânia nesta Consagração de ontem indica que continua falhando) também nós da base da Igreja falhamos no passado e no presente em não rezarmos como Nossa Senhora pediu. E disso veio as nossas falhas e omissões em não lutarmos contra todos os pecados que inundam e emporcalham nossas sociedades e comunidades mesmo as mais “católicas” do mundo.

    Então, temos o direito de, respeitosa e filialmente, criticarmos o Papa, inclusive pelas falhas nesta Consagração mas temos o dever de olharmos para nós mesmos e procurarmos modificar e melhorar o que é nossa obrigação e por fim temos a esperança de confiar sempre na misericórdia de Nosso Deus Uno e Trino e em Nossa Amorosíssima Mãe Celeste que nunca nos abandonou mesmo que nossos pecados cubram a terra e nos fazem merecedores de muitos castigos.

    Curtir

  6. “Julguemos pelo lado mais caridoso”. Talvez melhor julgar pelo lado mais logico: Foi um ato politico: Francisco, O Caridoso, aproveitou para fazer a sua contribuicao a causa da Ucrania. Mais um “show’ midiatico. Sera que ele realmente acredita em Fatima depois das perseguicoes e escandalos que causou?

    Curtir

    1. Não cabe a nós julgar se Francisco acredita ou não em Fátima. Afinal, em princípio seria de supor que sim, caso contrário jamais teria feito alguma consagração.
      Pelo que sabemos muito bem, Francisco antes de ser papa é um homem tal qual qualquer um de nós, pecador e também certamente com virtudes.
      Devemos então vê-lo temeroso a Deus e ao Poder Divino, sabedor de que somente Ele irá julgá-lo.
      Assim nossas opiniões a este respeito nada valem e devemos todos nos abster de emiti-las.

      Curtir

    1. Uai! Ele não pode ter mudado de ideia? Bendito seja Deus!
      Uma graça essa gente que tripudia e zomba de quem se arrepende, viu… O nome disso é soberba.

      Curtir

  7. O problema é que Francisco gosta de inventar nomes e vai saber Deus o porque. De fato ele usou um nome que eu nunca ouvi ninguém chamar a Santa Mãe de Deus. Se de fato Deus acolheu a súplica, vamos aguardar os rumos que o mundo irá seguir e façamos a nossa parte, oremos por tudo isso e esperemos a consolação de Deus para os nosso dias.

    Curtir

Os comentários estão desativados.