Bispo auxiliar de Belo Horizonte: “Ressuscitou na memória de seus seguidores”.

25 comentários sobre “Bispo auxiliar de Belo Horizonte: “Ressuscitou na memória de seus seguidores”.

    1. Diz a lenda que existe uma espécie de votação secreta dos padres da diocese para escolherem o novo bispo. Pelo menos aqui em São Carlos existe isso.

      Curtir

  1. Quando aqui no Brasil se fala em “fascistas” ou em “comunistas”, eu e todo mundo já sabemos a quem se está referindo. É uma vergonha instrumentalizar a religião católica e verdadeira, e as massas boloradas de gente ímpia, para interesses políticos, econômicos e culturais (massa de manobra) – gente sem dignidade e reduzida a gado, principalmente quando bispos e padres ditos “católicos” atuam como cabos eleitorais de gente abominável e inimiga da religião católica.

    Com certeza, se a Ditadura do Estado Novo, de Getúlio Vargas, grande estadista brasileiro, pudesse salvar o país deste caos, eu seria o primeiro a apoiar. Tempos idos e atual realidade infernal, melhor é a Constituição Federal de 1988. Seria boa ideia um Projeto de Lei para proibir Lideranças Religiosas de ocuparem cargos públicos ou apoiarem candidatos específicos. Porque, se a Religião tem se transformado em Política, por outro lado, a política brasileira se transformou em religião e fanatismo, infelizmente, e isto não pode continuar. Alguns órgãos públicos já estão de olho nessa perversão vergonhosa e geral. Não é admissível uma Autoridade Pública comprometida com uma religião específica e com os interesses de apenas um grupo de nacionais, sem compromisso com o bem comum de todo o país. A realidade é que o Estado é laico, logo não pode ser fanático dessa ou daquela ideologia ou doutrina. Agora, se vai eliminar a laicidade do Estado, então teremos guerra. É desejável evitar isto. Política é política; não é Religião.

    Curtir

    1. Sim, Getúlio, o ladrão de propriedades da Igreja e expulsor-mor de consagrados… É disso que a Igreja precisa!
      Ó laico, estado laico, laico—ordinário—mas não no sentido ordinário da palavra.

      Curtir

    2. Politica sem o politico não existe. Político é uma pessoa que representa outras pessoas. Pessoas tem suas convicções morais e religiosas, assim mesmo que as pessoas vivam em estado laico, a maquina estatal é movida por estas pessoas com convicções morais e religiosas. Portanto, estado laico é apenas um jogo semântico, pois o estado é constituído de pessoas, de outro modo não existe, e as pessoas em geral tem religião.

      Curtir

    3. Prezada Maria saad,

      Não é que a formulação de seu comentário esteja errada, mas na realidade e na prática não é “bem assim” como vc diz e escreveu.

      Uma Pessoa Física (ou natural) é uma pessoa; já uma Pessoa Física no exercício de um Ofício é outra pessoa, normalmente uma Pessoa Jurídica (ou instituição).

      Já exerci cargo público, já há bastante tempo, e conheço pessoas que também exerceram. Política não é assim como a senhora descreveu. Pessoas que ocupam cargos públicos estão sujeitas à Lei Civil, mais do que à Religião. Quem não sabe separar atributos pessoais e subjetivos de atributos institucionais e públicos, não pode exercer função pública; não deveria nem mesmo pensar ingressar na Política. Obviamente, se um católico acha impossível ser verdadeiro católico ou agir corretamente e, ao mesmo tempo, ser titular de um cargo público, então este católico nem buscará ingressar em tal função – passará longe.

      Para ajudar a clarificar, na Contabilidade existe o Princípio das Entidades, segundo o qual uma Pessoa Física é necessariamente distinta de uma Pessoa Jurídica, ainda que esta última [Pessoa Jurídica] não seja propriamente uma sociedade (ou conjunto de pessoas físicas).

      Infelizmente, só vi seu comentário agora.

      Att,

      Curtir

  2. “12.Ora, se se prega que Jesus ressuscitou dentre os mortos, como dizem alguns de vós que não há ressurreição de mortos? 13.Se não há ressurreição de mortos, nem Cristo ressuscitou. 14.Se Cristo não ressuscitou, é vã a nossa pregação, e também é vã a vossa fé.” I Coríntios, 15

    Curtir

  3. Esse senhor (que me recuso a tratar como bispo católico) ter suas preferências políticas não me importa nem um pouco. Mas esse linguajar agressivo e vulgar que há tempos ele utiliza, como se fosse presidente de DCE ou líder sindical, é totalmente inadequado para alguém que diz ser ministro ordenado católico romano.

    Curtir

    1. Pior ainda… Uma vez sagrado bispo, torna-se um sucessor dos apóstolos, deveria também que imitá-los. Que trágica degenerescência!!! Sigo orando e amando, esperando que a Divina Providência e Misericórdia os liberte. Onde o pecado for abundante, superabunde a graça. Tende compaixão de mim, Senhor.

      Curtido por 1 pessoa

    2. Prezada Flávia
      Infelizmente é um digno sucessor de Judas, que roubava a bolsa (cf. Jo XII,6), negocia a prisão de Jesus por 30 moedas e beija o Divino Mestre esperando dele uma atitude revolucionária.
      Nossas orações pela conversão do senhor prelado, que não tenha o mesmo destino do nefando Iscariotes.

      Curtir

  4. Lamentável que um bispo católico faça um comentário teologicamente duvidoso, para não dizer materialmente herético (formalmente ou não, não ouso dizê-lo: Deus conhece a consciência dele), e justamente em relação ao dogma central da fé. Além disso, que noção tem ele a respeito de fascismo, para encontrá-lo vinte séculos antes e em situações históricas completamente diferentes das que levariam ao surgimento daquele movimento totalitário? Quase nenhuma. “Fascismo” em sua boca é palavra-ônibus, ou seja, serve para rotular qualquer inimigo, mais ou menos como fazem as crianças ao excluírem um coleguinha da brincadeira, chamando-o de “bobo, chato, feio”. Seu comentário são palavras ao vento, destinadas a levar consigo os incautos sabe Deus para onde. Certamente não para uma celebração frutuosa da Semana Santa.

    Curtir

  5. O papel do Bispo (e o nosso também) é anunciar o Evangelho e denunciar o mal. Se o governo atual é o mal em forma de gente, vamos denunciá-lo, mas se os governos do passado também foram indgnos, é nosso dever recordar isso claramente e denunciar também, porque senão fica parecendo campanha política em que só meu é bonzinho e o do outro é o cão, é a besta, é o diabo.

    Curtir

  6. Antigamente, quando se queria apontar alguém como pedante se dizia: esse daí quer ensinar o vigário a rezar a missa. Hoje em dia os bispos, meu Deus, os bispos, não conhecem o Creio… Não conhecem o básico da fé… coisas que crianças de 10 anos teriam obrigação de saber antes de receber a Primeira Comunhão um bispo não consegue proferir num tuíte…. Tá brabo.

    Enfim, para Dom Vicente dois caminhos: ou saia do armário, jogue sua batina para as urtigas e se assuma logo um comunistão raiz para poder viver seus delírios revolucionários ou… ou… ou… se converta a verdadeira fé. Lembre-se que os mornos, ah os mornos… serão vomitados.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Ah, ele conhece o básico da fé sim, só não acredita. A crença dele é outra, é vermelha e não é cristã. Ele está lá para ocupar um espaço, para confundir com a sua pele de cordeiro e porque no mundo aqui fora ele teria que trabalhar duro para viver. Ele não é morno, ele é totalmente frio.

      Curtir

  7. Se o bispo citado, não tivesse divulgação dos sites católicos tradicionais, ele seria lembrado? Os Hereges, dentro e os que estão fora da Igreja, os esquerdistas, conseguem público, justamente com esse tipo de atitude da nossa parte. Quanto mais “divulga-se” os seus feitos, mas eles crescem em visualizações! Eles lançam um argumento contrário à fé, pois sabem que serão “combatidos”, mas na verdade são promovidos pelos que os combetem!

    Curtir

    1. Se não são combatidos, muitos vão achando que isso é normal. Daqui a pouco vão acreditar que já existia fascismo na Palestina no primeiro século.

      Curtido por 1 pessoa

  8. Não muito raramente me pego pensando de como a Arquidiocese de Belo Horizonte se tornou uma espécie de “deposito” de Bispos totalmente ineptos? Não raramente quando uma patacoada destas se torna pública ela tem a autoria de um dos Bispos Auxiliares de BH, talvez a Santa Sé não nutra muita simpatia por BH e “castigue” a Arquidiocese com a nata dos piores Bispos possíveis.

    Esta junção de Bispos ruins leva ao mineiro a um estado enorme de apreensão cada vez que um Bispo Diocesano se aproxima da renuncia, vem logo na nossa mente o temor: E se Roma mandar pra cá um dos auxiliares de BH? Meu Deus!!! E este temor ficara ainda mais acentuado com a nova forma de escolha dos Bispos, vai chover Bispo TL de Bagé a Belém e o “efeito colateral” do Pontificado de Francisco será sentido por décadas. As vezes eu me sinto inclinado a acreditar que este desastroso pontificado bergoliano é um castigo imposto aos Católicos por nossa fraqueza na fé.

    Curtir

  9. O Sr. Bispo redentorista teve um irmão que deixou o ministério… redentorista como ele.
    Perguntem-no quanto ganha por ser Bispo Auxiliar de BH. Talvez os senhores se surpreendam com o valor e entendam que vale mais a pena ser Bispo Auxiliar do qie esquerdista. Ele joga nos dois lados e portanto é Bispo e esquerdista.

    Curtir

  10. A seguida designação de bispos esquerdistas para BH provavelmente faz parte de uma estratégia de destruir a famosa tradicional família mineira. Onde houver um ambiente de tradição cristã, será atacado metodicamente pela Hierarquia progressista.

    Curtir

  11. Não está evidente que esse homem pouco fez da ressurreição?
    Ressuscitar na memória, isso soa terrivelmente com uma ressurreição docetica, uma ressureição subjetiva-experimentada, e não uma ressureição real, carnal.

    Já não era coisa de dizer em outro tempo, imagine agora!

    Curtir

Os comentários estão desativados.