Cardeal Marx celebra missa LGBT com o nihil obstat do Papa Francisco

FratresInUnum.com, 23 de junho de 2022 – Entrevista traduzida ao espanhol por Secretum Meum Mihi – O Cardeal Alemão Reinhard Marx, um dos mais progressistas de todo o mundo, concedeu uma entrevista péssima ao jornal italiano La Stampa em que toca diversos temas importantes, como o dos homossexuais na Igreja.

O Card. Marx flexiona, como esperado, o tema do celibato sacerdotal, que poderia ser opcional; diz que as mulheres precisam participar do governo da Igreja; também afirma a necessidade de uma mudança de compreensão na moral sexual (afirma categoricamente que o sexo não é apenas para a procriação, mas sobretudo para a relação); diz que o problema dos abusos sexuais é que são abusos de poder, de um superior religioso sobre um subordinado; condena o apoio do patriarca Kyril à guerra contra a Ucrânia como “incompreensível e insuportável”; e almeja a “desclericalização da Cúria romana”.

Quanto ao tema dos homossexuais, faz uma revelação desconcertante: celebrou-lhes uma missa com a aprovação do Papa Francisco. Ele ainda faz afirmações chocantes, como a necessidade de “abençoar” as uniões entre homossexuais para incentivá-los:

“Recentemente fui convidado para uma missa católica organizada por pessoas LGBTQ+ em Munique. Eu celebrei pelo vigésimo aniversário dessas missas. Fiz isso depois de ter informado o Papa. Ele queria dar um sinal: ‘Você faz parte da Igreja’. A orientação sexual não pode e não deve levar à exclusão da Igreja. Não é possível! Casais homossexuais também vivem sua própria relação com amor: então, por que não dizer a esses casais ‘que Deus esteja com você em seu caminho’ como um incentivo? Basicamente, estamos falando de uma bênção, não do sacramento do matrimônio. Uma vez, expressei-me assim e tive um pouco de dor de cabeça… O centro dos casais, homossexuais ou não homossexuais, não é o sexo: está representado pelo desejo de transcorrer a vida juntos, de amor, de confiança recíproca, de fidelidade até a morte. Portanto, não posso dizer que tudo isso é pecado. Claro, a discussão sobre isso é muito emocional. De vez em quando me surpreende que esse argumento ainda encontre tanta resistência”.

Card. Marx.

A entrevista inteira pode ser lida em espanhol no site Secretum Meum Mihi.

Entrevista em italiano do Card. Marx.

Entrevista do Card. Müller ao Life Site News: “Não é a adulação do papa que torna o papado grande”

FratresInUnum.com, 23 de junho de 2022 – Entrevista concedida ao LifeSiteNews – Abaixo, compartilhamos o link de uma importante entrevista concedida pelo Card. Gerhard Müller ao LifeSiteNews. Como a entrevista é longa, apresentamos apenas um resumo. Caso o leitor queira, pode acessar o original inglês ou a tradução italiana (eventualmente valendo-se de um tradutor automático da internet).

O Card. Müller começa dizendo que ninguém sabe ao certo o que está acontecendo em Roma nem as motivações do próximo Consistório em pleno mês de agosto, num calor romano insuportável. Ele afirma que, como teólogo, é terminantemente contra a renúncia dos papas, porque são um grande mal para a Igreja.

Afirma que as últimas nomeações de cardeais são inexplicáveis e que a missão dos bispos é defender a doutrina da fé e não colocá-la à disposição de suas preferências políticas. Diz que o padre James Martin, jesuíta, é herege por defender a justificação doutrinal da homossexualidade.

A frase mais forte da entrevista é a que segue:

Como teólogo católico, bispo e cardeal, estou absolutamente do lado do Papa, da instituição papal. Mas isso não significa que deva justificar tudo o que está acontecendo, porque no passado alguns grandes teólogos, como Santo Agostinho, criticaram algumas ações e palavras dos papas da época. Não é a adulação do papa que torna o papado grande na Igreja.

Card. Gerhard Müller
Entrevista do Card. Müller ao LifeSiteNews

Papa Francisco: Renúncia? Nem passa pela minha cabeça.

FratresInUnum.com, 22 de junho de 2022 – Com informações de InfoCatólica – O Papa Francisco confessou aos bispos brasileiros que não passa pela sua cabeça renunciar como dizem alguns meios de comunicação e  que quer continuar sua missão “enquanto Deus permitir “.

O arcebispo de Porto Velho, Roque Paloschi, assegurou ao Vatican.news que Francisco lhe disse “que tem muitos desafios, mas que o que aparece na imprensa (referindo-se à sua possível demissão) não passa pela sua cabeça”, quando a questão de sua saúde foi abordado durante o encontro desta segunda-feira com o grupo de bispos brasileiros em visita ‘ad limina

Dom Lúcio Nicoletto, administrador diocesano de Roraima, acrescentou que viram Francisco com uma evidente “fragilidade”, mas “também com uma força muito grande” . A força do Papa dá força a muitas pessoas: “Às vezes até temos vergonha de estar lá e reclamar de tantas coisas, e depois olhamos para o Papa com toda a sua vitalidade”.

Papa Francisco recebe um cocar dos bispos em visita “ad limina“.

“Bênção de união homossexual” na arquidiocese de Bolonha. O mentiroso “desmentido” do Card. Zuppi.

FratresInUnum.com, 22 de junho de 2022 – Com informações de NBQ – Em 11 de junho aconteceu, na cidade de Buldrio, na arquidiocese de Bolonha uma “cerimônia” um tanto pitoresca, de “bênção” de um casal homossexual. As fotos não deixam dúvida de que aquilo foi uma cerimônia que emularia, ainda que não de modo ritualmente pleno, uma espécie de casamento.

Foto da dupla homossexual durante a carimônia

Acontece que o presidente da Conferência Episcopal Italiana é ninguém menos que o papável Card. Zuppi, arcebispo de Bolonha, o qual, após a repercussão negativa e escandalosa do fato, mandou que a Secretaria de Comunicação da Arquidiocese emitisse uma nota negando que houvesse, de fato, uma bênção da dupla, mas apenas que a mesma estava presente na celebração.

Em comunicação aos seus amigos, Pietro e Giacomo, os dois rapazes, convidaram todos para assistirem a sua celebração de casamento civil, que seria seguida de uma “Missa de Ação de Graças pela sua união” (sic!).

O jogo de palavras utilizado pela Arquidiocese de Bolonha não consegue, porém, negar o fato manifesto: a ação celebrativa se destinava a legitimar aquela união, contrariando frontalmente o ensinamento da Igreja. Infelizmente, trata-se de promover a revolução antropológica mantendo as aparências de uma suposta sintonia com o magistério católico.

Vários sacerdotes concelebrando o momento de “Ação de graças” pela união dos dois homossexuais.

Os “noivos” saindo da Igreja de mãos dadas, com a recepção de bolinhas de sabão.

Padre mantinha relações sexuais com enfermeiro no Instituto Bíblico em Brasília

FratresInUnum.com, 22 de junho de 2022 – Metrópoles – O jornal Metrópoles revela detalhes de uma grave denúncia feita por um funcionário do Instituto Bíblico de Brasília, que teria cedido às investidas do Pe. Brás Costa a manter relações sexuais. Tudo começou com uma abordagem indireta: elogios ao seu porte atlético e carícias físicas, até chegar, aos poucos, às partes íntimas. Como poderia perder o emprego, o enfermeiro, que é bissexual, acabou cedendo, o que o destruiu psicologicamente.

O arcebispo de Brasília, amigo pessoal do Papa Francisco, enviou nota ao jornal dizendo que o referido sacerdote pertence à diocese de Lugano, na Suíça, à qual cabe o dever de tocar adiante o processo canônico por abuso sexual e de autoridade (tendo em vista as rígidas normas canônicas atuais) e que determinou a sua não permanência no território da arquidiocese; ademais, orientou o jovem enfermeiro assediado a que procure a justiça civil a fim de obter respostas às suas demandas de justiça.

A reportagem traz as conversas de WhatsApp gravadas que provam os abusos.

Uma das fotografias do Padre assediador publicada pelo Metrópoles

Papa Francisco com cocar indígena mais arcaico que as rendas da vovó

FratresInUnum.com, 20 de junho de 2022 – com informações de UOL – Na série de visitas Ad Limina, o Papa recebeu bispos da região amazônica que lhe entregaram um relatório do CIMI e um cocar, que o Pontífice orgulhosamente ostentou, mais arcaico que as rendinhas da vovó e os barretes sacerdotais.

Papa Francisco com cocar

[Vídeo] Mons. Gänswein chora diante das câmeras ao falar sobre as consequências da renúncia de Bento XVI

FratresInUnum.com, 20 de junho de 2022 – Com informações de GlóriaTV – O arcebispo Georg Gänswein fez um discurso em uma jornada da Fundação Joseph Ratzinger/Papa Bento XVI no Palácio Nymphenburg, em Munique, em 18 de junho, para marcar o 95º aniversário de Bento XVI.

Ele foi precedido por um discurso do núncio apostólico na Alemanha, Nikola Eterovic. Significativamente, o cardeal Marx, de Munique, estava ausente. A fala de Gänswein foi conforme o planejado, até que ele começou a falar sobre a renúncia de Bento XVI e as sua consequências, dizendo o seguinte:

“Eu nunca teria acreditado que o último trecho da estrada, do Monastério Mater Ecclesiæ até a porta do céu de São Pedro…” – Ele não conseguiu terminar a frase, porque de repente começou a chorar e teve que interromper sua fala por 22 segundos.

Então ele retomou: “até a porta celestial de São Pedro fosse tão longo” – e chorou novamente por 20 segundos. “Isso é o que Bento XVI me confiou com seu bom humor”, acrescentou. Tendo novamente que interromper por 22 segundos. Isso tudo foi logo seguido por outra interrupção de 15 segundos, até que Gänswein pudesse terminar seu discurso.

[Realmente: a situação da Igreja é triste, depois da renúncia de Bento XVI. Como diz o profeta Jeremias: “Chora e chora de noite, e as suas lágrimas lhe correm pelas faces; não tem quem a console entre todos os que a amavam; todos os seus amigos procederam perfidamente contra ela, tornaram-se seus inimigos” (Lm 1,2)].

Gänswein chora!

Cantor católico carismático se declara homossexual

FratresInUnum.com, 18 de junho de 2022 – Gil Monteiro, cantor muito conhecido nos meios carismáticos (confessamos que não o conhecíamos até agora), veio à público, em LIVE divulgada em seu próprio perfil do instagram, declarar que é homossexual e que vive “casado” com um homem há cinco anos.

Perguntado se recebia a Santa Comunhão, o cantor declarou: “sim, comungo. Doutrina: sigo o pensamento de S. Tomás, resumido nessa frase, aqui em baixo: qualquer pessoa a quem as autoridades eclesiásticas, na ignorância dos fatos verdadeiros, impuserem uma exigência que afronte contra a sua consciência limpa (,) pereça em excomunhão, em vez de violar a sua consciência”.

A frase não fala, efetivamente sobre a licitude de receber a Santa Comunhão, mas fala de alguém que está com consciência erroneamente invencível e que se coloca numa situação em que precise violá-la para não ser excomungado. Entretanto, o argumento não serve para o caso, pois ninguém com consciência invencível pode se declarar como tal em seu próprio favor (isso já demonstraria que está de má consciência), ainda mais em assunto tão explícito na Sagrada Escritura, na Tradição e no Magistério da Santa Igreja.

Acerca da Santa Comunhão, a doutrina de S. Tomás é clara: “quem quer que receba este sacramento (da Comunhão) em pecado mortal… incorre em sacrilégio como violador do sacramento e, por conseguinte, peca mortalmente” (Suma Teológica, III, q. 80, a. 4, resposta).

Quanto aos atos sexuais com pessoas do mesmo sexo, ensina São Tomás: “existe uma espécie de luxúria na qual há uma razão de torpeza que faz com que o ato venéreo seja mau… porque se opõe à ordem natural do ato venéreo apropriado à espécie humana…, como o coito com o sexo indevido, tanto de homem com homem quanto de mulher com mulher” (Suma Teológica, II-II, q. 154, a. 11, resposta).

É bastante lamentável que tais manifestações públicas são destinadas a incentivar o pecado e a sua normalização. Muitos acabam por considerar tudo prestigioso e acabam por abandonar o esforço por comportar-se segundo as exigências da santidade cristã.

“Francisco NÃO está pensando em renunciar”, para ele “a Igreja está 200 anos atrás”. Indiscrições do antigo secretário do Papa.

FratresInUnum.com, 17 de junho de 2022 – GloriaTV – “Francisco não está pensando em renunciar”, escreve o padre Guillermo Marcó, ex-secretário do cardeal Bergoglio, em InfoBae.com (12 de junho).

Francisco liga para Marcó todo dia 29 de janeiro para comemorar seu aniversário: “Ele reserva um tempo para conversar, não apenas para dizer olá”.

Com as dificuldades de Francisco para caminhar tudo leva mais tempo, “mas ele faz tudo sozinho”, e reservou uma hora e meia do seu tempo para a recente visita de Marcó a Santa Marta.

Atualmente, Francisco está lendo “La Chiesa che verrà”, um livro-entrevista com o falecido cardeal de Milão, Martini (+2012), um dos principais arquitetos da atual queda da Igreja na Itália.

É assim que InfoBae.com coloca: Francisco “está lendo um livro sobre a Igreja, a última entrevista com o Cardeal Martini, ele diz que a Igreja está 200 anos atrás”. A redação em espanhol sugere que Francisco adotou a tese de Martini.

Francisco está “cheio de projetos” e “em nenhum momento, comigo, levantou a possibilidade de demissão”, escreve Marcó.

A questão de viajar para a África ele deixou nas mãos de seu médico, que disse não. Marcó: “Francisco se exercita diariamente e está melhorando aos poucos” e essa viagem teria “interrompido seu tratamento”.

Guillermo Marcó, antigo secretário do Card. Bergoglio

Opção preferencial por heterodoxos.

FratresInUnum.com, 16 de junho de 2022: O bispo emérito Dom Luc Van Looy, da Bélgica, pediu ao Papa que não o torne cardeal. No país baixo, a notícia de sua nomeação ao colégio cardinalício causou furor: Van Looy nada fez, por anos, para evitar abusos infantis. O bispo é um ferrenho progressista e grande inimigo da missa tradicional. Francisco aceitou o pedido.