Posts tagged ‘Atualidades’

18 janeiro, 2019

O pontificado de Francisco agoniza.

A falência parece irremediável. Não bastasse o pífio número de fiéis, que minguam nas audiências em geral na Praça de São Pedro, na Jornada pela Vida, na Abertura do Jubileu, no Encontro Mundial das Famílias, nas viagens apostólicas (especialmente aquela ao Chile), agora é a Jornada Mundial da Juventude — cujo ápice de público no Rio, em 2013, marcou o início do pontificado de Francisco — que sucumbe ao desânimo e perplexidade do trágico reinado do pontífice argentino.

De acordo com o jornalista e correspondente americano no Vaticano, Francis Rocca, o porta voz da Santa Sé declarou que somente 150 mil jovens de inscreveram para a próxima JMJ, que ocorrerá no Panamá, de um total de 700 mil lugares disponíveis.

Zero autocrítica: a razão seria, veja lá, o fato de não ser período de férias de verão na Europa…

22 dezembro, 2018

Coluna do Padre Élcio: Crítica da Escola Comunista.

Por Padre Élcio Murucci, 22 de dezembro de 2018 – FratresInUnum.com

Ao tratarmos de pedagogia comunista, reportamo-nos ao regime soviético. Pode parecer fora de propósito em considerando a queda da URSS e sua transformação. Houve, na verdade a chamada “PERESTROIKA” que quer dizer no nosso idioma, “REESTRUTURAÇÃO”. Entretanto, malgrado ela, os princípios de doutrinação comunista permanecem os mesmos em todos os países, apenas com alguns ziguezagues para jogar areia nos olhos dos cristãos. Aliás realizam-se em todo orbe as predições de Nossa Senhora em Fátima no mês de julho de 1917: “Se não atenderem aos meus pedidos a Rússia espalhará seus erros pelo mundo”. E quais são os erros da Rússia? É toda a ideologia comunista. Aliás o próprio Gorbachev explicou a “PERESTROIKA” com muita clareza: “o fim da Perestroika é restaurar teórica e praticamente a concepção leninista do socialismo” (Le Figaro, 01/07/88). e  disse mais: “Buscamos no Socialismo, não fora dele, a resposta a todas as perguntas que surgem… Todas as esperanças de que passaremos para o outro lado, são irrealistas e fúteis” (Extraído de seu livro “PERESTOIKA” editado pela Editora Best Seller); e no discurso feito para celebrar os 70 anos da Revolução Bolchevista, disse: “Em outubro de 1917, nos apartamos do velho mundo, rechaçando-o de uma vez por todas. Estamos nos movendo para um novo mundo, o mundo do comunismo. E nunca nos apartaremos desse caminho”.  De fato, os comunistas em sendo ateus, não têm outra direção a tomar. O comunismo é um fruto venenoso que pode mudar a casca, mas a substância será sempre a mesma.

Antônio Gramsci, que teve decisiva influência comunista na educação no Brasil, seguiu, mais ou menos, os mesmos princípios de Lenine, que, quanto à educação, se resumem nesta frase: “As ideias são mais letais que as armas” (Lenine). Gramsci, também intentou implementar a “REVOLUÇÃO CULTURAL”.  E ensinou que era necessário atacar as mentes, destruir a cultura burguesa vigente em quase todo mundo. E o grandemeio para tanto seria tomar conta da Mídia, das escolas e  universidades. E Paulo Freire, Socialista que era, andou na mesma linha,  embora um tanto mais disfarçadamente. O socialista está na mesma procissão que se dirige ao templo do “Sem Deus”. Passemos, então, à crítica da educação soviética, embora o façamos de maneira bem sucinta, mesmo porque pela simples exposição que dela já fizemos em artigos anteriores, suas bases se mostram por si mesmas, de todo inconsistentes. Historicamente é demonstrado o fracasso do comunismo tanto na economia como na educação; em sendo ateu na
essência, devemos afirmar “a priori” que nunca vai dar certo seja em que aspecto for, porque sem Deus nada pode dar certo. E, como já vimos, estas bases filosóficas da pedagogia soviética: o materialismo econômico, o ateísmo, o imoralismo de parceria com a insana pretensão da nova cultura proletária, tudo isto já se mostrou um fracasso total.  Aliás, pelos frutos se conhece a árvore, e uma árvore má não pode dar bons frutos. Assim os resultados práticos bem têm demonstrado o caráter insubsistente da pedagogia soviética.

Tristão de Ataíde (falecido em 1983) documentou o seguinte: “A mais recente reforma pedagógica soviética, que entrou em vigor em janeiro de 1936, veio reforçar uma tendência anti-libertária e disciplinadora, abandonando as fantasias introduzidas pela Revolução e voltando ao passado”. Os próprios comunistas perceberam que os resultados da ideologia comunista não eram satisfatórios. Sob este prisma, fazia-se mister, outrossim, uma reestruturação. Mas escreveu Miliero: “O exemplo russo foi terrível. Sob a capa de uma mística revolucionária, sob a máscara de um ideal, os bolchevistas aprofundaram até os extremos limites o materialismo do Velho Mundo, e em lugar de realizar a libertação dos homens, eles os encadearam mais estreitamente do que nunca”. E a árvore má continuou dando maus frutos. Pois, Ledit denunciou o seguinte: “A ‘Correspondência Internacional’ publicou a 11 de junho de 1938 um artigo ajuste de contas com quase todos os grandes diários comunistas do mundo, por sua falta de “docilidade” em seguir a linha do PRAVDA”…

Basta um resumo da doutrinação comunista para um cristão impugná-la e incontinente e totalmente a rejeitar. Eis este resumo: Os comunistas ignoram os princípios sociais do Cristianismo e a doutrina social da Igreja, e como Marx, atacam-na, como se os proletários, na doutrina da Igreja, apenas houvessem de cultivar as virtudes do desprezo de si, obediência servil, levando à pusilanimidade, esperando só no céu a recompensa dos maus tratos aqui sofridos e forçosamente impostos.

– Desconhecem, assim, que a Igreja tem uma palavra justa e severa para o opressor dos direitos dos pobres, fala em caridade social e também em justiça social, lembra a patrões e a operários seus deveres gravíssimos, e suas mútuas responsabilidades, propõe a verdadeira “racionalização cristã” da economia tão desorientada. A Igreja sempre lembrou que a prosperidade de todos e de cada um exige que a luta de classes seja substituída por uma colaboração cordial, na justiça, na caridade e na dignidade, agrupando-se os homens, não segundo a posição que eles ocupam quanto ao proveito do trabalho, mas segundo as diversas modalidades da atividade social. A seu tempo, se Deus quiser transcreveremos encíclicas papais que falam a respeito.

Para terminar não poderia deixar de citar um texto da Encíclica “Divini illius Magistri” de Pio XI: “Infelizmente com o significado óbvio das expressões, e com o mesmo fato, pretendem muitos subtrair a educação a toda a dependência da Lei divina. Por isso, em nossos dias se dá o caso, realmente bastante estranho, de educadores e filósofos que se afadigam à procura de um Código moral e universal de educação, como se não existisse nem o Decálogo, nem a Lei Evangélica, nem tão pouco a Lei natural, esculpida por Deus no coração do homem, promulgada pela reta razão, codificada com revelação positiva pelo mesmo Deus no Decálogo. E da mesma forma, costumam tais inovadores, como por desprezo, denominar “heterônoma”, “passiva”, “atrasada” a educação cristã, porque esta se funda na autoridade divina e na sua santa lei”.

E Pio XI nem está falando contra a educação comunista, mas numa educação ateísta prática que já preparava o caminho para a doutrinação ateia dos comunistas na escola.

Caríssimos, ao terminarem de ler este artigo, continuem meditando nesta frase de Humberto de Campos: “Se me perguntasse um pai, como deveria iniciar a educação de seu filho, eu lhe diria que começasse juntando-lhe as mãos pequenas todas as noites, antes de dormir, numa oração singela e cristã! Amém!

Tags:
15 dezembro, 2018

Coluna do Padre Élcio: Escola comunista – viveiro de revolução pela luta de classes.

Por Padre Élcio Murucci – FratresInUnum.com, 15 de dezembro de 2018

Assim o comunista Pinkevith definiu a pedagogia: “Não é a pedagogia a ciência que concorre para o desenvolvimento da criança mas é a teoria da instrução e da educação das massas populares, na época da grande luta e da grande edificação no sentido dos interesses do proletariado revolucionário”. Queria ele dizer que a finalidade da pedagogia soviética seria fazer da escola um instrumento capaz de instituir a completa luta de classes e assim estabelecer as bases do comunismo.

escola comunistaKrupskaia (viúva de Lenine) exigia que o professor comunista fosse assim: “um coletivista socialista que conheça a organização e a força das massas; um pioneiro da educação comunista que não só organize os estudos, mas que trabalhe e viva com as crianças afim de nelas intensificar a mentalidade comunista; um politécnico, não imbuído da cultura liberal burguesa, mas da cultura do trabalho. Além disso  – continua esta tristemente célebre comunista  –  cumpre que o mestre seja um apóstolo do comunismo, empregando neste sentido toda a sua influência, assim formando a vontade e o sentimento dos educandos.

Educar, em suma, é formar a mentalidade comunista. Ensinemos nossos alunos a odiar nossos inimigos. Nós, futuros mestres, que deveremos educar as novas gerações no espírito do comunismo, infundiremos nas crianças, grande ódio para com todos os inimigos da classe proletária, e um infinito amor à nossa Pátria [URSS], ao partido comunista e ao Grande Stalin” (“Pela Educação Comunista”, junho de 1937).

Do que acabamos de ler, conclui-se sem sombra de dúvida, que o programa do partido comunista russo (e não mudou) tem como objetivo básico, fundamental que a escola prepare uma geração capaz de implantar o comunismo. Aliás é o que lemos no próprio Programa do Partido Comunista: “A escola deve transformar-se em instrumento para a mudança comunista da sociedade. Ela deve ser o guia na influência ideológica, organizadora e educadora do proletariado, para que as camadas semi ou não proletárias, que o comunismo venha afinal a realizar-se”. Daí dizer também o comunista Melnikov: “Assim como ao regime econômico burguês correspondia uma cultura burguesa, assim ao regime coletivista há de corresponder uma nova cultura apropriada ao novo estado social, uma cultura do trabalho, que produzirá também um novo tipo de homem. Para tanto, pois, os esforços: a reeducação dos adultos, dos adolescentes, das crianças, é o PRIMEIRO [destaque meu] dos êxitos políticos e econômicos; ela há de transfigurar a nossa vida”.

Caríssimos, os comunistas lutam contra a Religião e a família. Quando tudo fazem para separar os filhos dos pais, é com dupla finalidade: destruir a família, e colocar as crianças fora da influência educadora de seus pais, deixando-as a mercê dos doutrinadores comunistas, escravizados a aprenderem só o lado comunista da moeda. Socialistas avançados (=comunistas) como Vandervelde e Vesinier, ensinaram descaradamente que os pais não têm direito algum sobre os filhos, que obediência traz desigualdade e isto, segundo os comunistas é mau. Ensinaram atrevidamente que é preciso negar Deus, destruir a família e o direito de propriedade particular. Os comunistas ensinam às crianças que elas pertencem exclusivamente ao Estado.

A explicação do afã dos comunistas em implantar no mundo o divórcio é porque, além de desfazer a família, acarretar, outrossim, o abandono das crianças. O fato de os professores comunistas estarem preocupados unicamente em formar comunistas, pouco se dedicam a transmitir as ciências.  Talvez aí achamos a explicação pela má qualidade do ensino hoje no Brasil.

Caríssimos, tudo o que é próprio do Comunismo assume particular relevo na escola: a concepção materialista da vida, a economia dirigida, a ilusão de que podem os homens ser governados por um montão de decretos, o brutal contraste entre a realidade e um ideal inadmissível.

Na verdade, esta sociedade sem classes pregada pelos professores  comunistas é uma utopia. Mas deixemos para o próximo artigo, a crítica da pedagogia comunista.

Ó Jesus, que demonstrastes uma predileção toda especial pelas crianças, defendei-as do comunismo! Amém!

Tags:
14 dezembro, 2018

Vaticano e Brasil, lados opostos.

O Vaticano apoia pacto global que prevê livre acesso ao aborto.

O Vaticano declarou seu entusiasmado apoio ao Global Compact elaborado pela ONU, que transforma a livre imigração em “direito fundamental”, como não podia ser menos considerado o entusiasmo imigracionista da hierarquia moderna. O problema é que o pacto internacional prevê garantir ‘direito reprodutivos’ e livre acesso ao aborto e traz numerosos pontos da agenda LGBT. 

Parece lógico que, dada a rotineira insistência de Sua Santidade em defender a imigração massiva da África para a Europa, sem distinção entre [imigração] legal e ilegal, refugiados e imigrantes econômicos, nem restrição de número, a Santa Sé abraçará com entusiasmo o Pacto Global que a ONU apresentou e que representa a maior e mais explícita ofensiva contra o direito dos Estados de controlarem suas fronteiras. De fato, o texto repete a palavra ‘direitos’ por 112 vezes, a maioria para expressar um suposto direito humano de migrar de qualquer país para outro.

Há muitos aspectos pelo qual esse entusiástico apoio se mostra preocupando, e não só porque representa um distanciamento da postura tradicional da Igreja quanto aos direitos dos Estados. De fato, o governo do país que dentro do qual fica o Estado vaticano já expressou sua decisão de não aderir ao Pacto, representando, ao fazê-lo, uma maioria de católicos italianos. Realmente, não são poucos nem irrelevantes os países que já se pronunciaram contra o pacto, como Estados Unidos e, na própria União Europeia, Hungria e Polônia.

Mas nada disso, nem sequer o fato de que o cumprimento do Pacto prevê que se relativize a liberdade de expressão no que diz respeito à imigração, tornando passível de punição toda crítica, é o mais preocupante. Preocupa, todavia, o fato de que o confuso texto contenha referências aos ‘direitos reprodutivos’ dos imigrantes, incluindo o fácil acesso ao aborto, e a outras disposições impostas pelo ‘lobby LGBT’.

O Vaticano, como não podia deixar de ser, apresentou “reservas e comentários” sobre as partes do pacto que incluem a distribuição de preservativos e os “serviços de saúde reprodutiva e sexual”, que incluiriam o aborto. A Santa Sé assinalou que essas previsões “não representam uma linguagem de consenso na comunidade internacional, nem estão em conformidade com os princípios católicos”. Ainda assim, o Vaticano brada entusiasticamente pela adoção por parte de todos os Estados do texto elaborado pela ONU.

Estamos novamente a ponto de cair na armadilha da ‘túnica inconsútil’? Os católicos serão animados de novo a não serem “obcecados” pelas políticas da vida e família? Quando, no início de seu pontificado, Francisco surpreendeu aos fieis com essa recomendação, buscamos um meio para justificá-la. É óbvio que a Igreja compartilha, com os seguidores da Lei Natural, a defesa da família e da vida, e que nem a defeisa da vida desde a concepção à morte natural, nem a oposição ao chamado ‘matrimônio homossexual’ eram questões especificamente católicas. A missão primordial da Igreja é pregar a salvação e a mensagem de Cristo. As consequências morais desta mensagem se deduzem dela mesma.

Mas o que temos visto nos anos seguintes é que, se há assuntos alheios ao núcleo da fé com os quais se deve obcecar, são as mudanças climáticas ou a imigração massiva; assuntos, ademais, que só duvidosamente podem ser deduzidos na concretização dos princípios cristãos e que, em certo caso, supõem um distanciamento da postura tradicional.

* * *

Brasil não assinará Pacto de Migração da ONU, afirma chanceler de Bolsonaro

Caneta – O futuro Ministro das Relações Exteriores no governo de Jair Bolsonaro, Ernesto Araújo, anunciou nesta segunda-feira (10) que o Brasil não assinará o Pacto Global de Migração da ONU.

Segundo o chanceler, o pacto é “um instrumento inadequado para lidar com o problema”, dado que “a imigração não deve ser tratada como questão global, mas sim de acordo com a realidade e a soberania de cada país”.

Outros dez países se recusaram a assinar o Pacto: Áustria, Austrália, Chile, Eslováquia, Estados Unidos, Hungria, Letônia, Polônia, República Checa e República Dominicana.

Ernesto Araújo também afirmou que o governo continuará recebendo os venezuelanos, mas trabalhará para que a democracia seja restaurada naquele país.

Tags:
8 dezembro, 2018

Coluna do Padre Élcio: Escopo precípuo da educação para os comunistas.

Por Padre Élcio Murucci – FratresInUnum.com, 8 de dezembro de 2018

Lenine já decretava alto e bom som: “A escola soviética não é neutra, como as hipócritas escolas burguesas; ela é ateia e a ideologia do comunismo ateu não deve ser ministrada aos educandos apenas especulativamente, mas de maneira que possam dirigir por ela todas as próprias atividades”. E em 1930 se fundou em Leningrado uma “Universidade anti-religiosa para crianças”.

educacaoDevemos dizer em poucas palavras: As escolas soviéticas são a concretização da filosofia materialista e inimiga de Deus, e, portanto,  precisamente o contrário da pedagogia cristã. Se, de um lado, o Cristianismo reclama todas as atividades para a construção da Cidade de Deus, o comunismo, por outro lado completamente contrário, exige a concentração de todos os esforços e aptidões para a constituição do reino terrestre e materialista. O Cristianismo tudo reduz, corpo, trabalho, etc., ao espiritual, já o comunismo tudo faz centralizado na matéria.

Os comunistas fazem da escola um viveiro de propaganda anti-religiosa. Vejam: A 04 de agosto de 1937, queixava-se um Decreto do Comissariado da Instrução Pública: “os resultados do ano escolar demonstram que, embora haja algumas exceções, não lograram os mestres vincular o ensino à educação política dos alunos… Durante o ano, pouco se fez para ilustrar os estudantes acerca da nova Constituição Staliniana que dá a maior importância à educação comunista das crianças… Particularmente se notou quase total ausência de educação anti-religiosa. É perigosa entretanto a opinião segundo a qual a educação anti-religiosa constitui uma etapa já passada…”

Disto vemos claramente duas coisas: primeiro, o porquê de tanto ódio que os esquerdistas estão demonstrando contra o projeto da “ESCOLA SEM PARTIDO”; e segundo, nós cristãos devemos lutar com todas as forças e sem esmorecer, pelas escolas sem doutrinação partidária. Estando as coisas como estão, podemos dizer que o ideal será que, tenhamos grandes pedagogos cristãos e que cheguem um dia a ser grande maioria; mas isto demandará muito tempo porque, infelizmente, o Brasil já está totalmente impregnado do veneno comunista. Nem o regime militar impediu tal desgraça.  Mas se os comunistas trabalharam até agora para que as escolas fossem viveiros de ateus, é mister que, sem demora, os anti-comunistas façam das escolas viveiros de verdadeiros patriotas e, para tanto, é preciso que tenham Deus no coração. Do contrário, todos os outros esforços serão fadados ao fracasso.  Os que são contra o projeto de Lei da Escola sem Partido negam que haja doutrinação comunista nas escolas. Então, é preciso que as autoridades competentes vigiem para que isto realmente não aconteça. Os cristãos não devem medir esforços, devem empregar todos os meios, máxime as redes sociais para fazer uma higiene mental como vacina contra a “meningite” comunista; é preciso proteger os cérebros das crianças, adolescentes e jovens trocando as membranas infeccionadas pelos esquerdistas. O governo, agora anti-comunista, graças a Deus, deve facilitar e até incentivar para que haja mais escolas particulares verdadeiramente cristãs. Um ponto importantíssimo (mas que nem Bolsonaro, pelo menos por enquanto, não concorda, é, porém doutrina tradicional da Igreja, reafirmada por Paulo VI, na Encíclica “Humanae Vitae”): que as famílias católicas não evitem filhos; e quando for de fato necessário, sejam empregados só meios naturais, como o método de Ogino-Knaus. Precisamos de famílias verdadeiramente católicas numerosas! Devemos desejar ardentemente que os filhos das famílias cristãs a partir de agora aqui no Brasil  cresçam revestidos de Jesus Cristo. Aí está a solução! Não tenhamos medo de dizê-lo; nem muito menos, pusilanimidade em fazê-lo!

Mas continuemos com a descrição da escola comunista. Mostrando os fins gerais da escola soviética, dizia o comunista Zinoviev: “transformar a escola que é arma de dominação burguesa, em arma de destruição da desigualdade das classes sociais, em arma da construção comunista da sociedade”.  E vejam o que disse o próprio Lenine: “A menor atividade da escola, cada passo da educação, no aprendizado, na instrução, devem estar indissoluvelmente ligados à luta dos explorados contra os exploradores”.  E Paulo Freire deixou transparecer seu preconceito contra os que ele considerava “opressores”: “Seria uma atitude ingênua esperar que as classes dominantes desenvolvessem uma forma de educação que proporcionasse à classes dominadas perceber as injustiças sociais de maneira crítica”. Na verdade, porém, para os comunistas sim,  o papel fundamental da escola  é formar o futuro lutador do comunismo, o construtor do novo regime. Os comunistas lutam para que a  escola faça todo o possível para armar o aluno com a ciência, os processos e os hábitos que lhe facultem cumprir sua missão de revolucionário. Portanto, para os comunistas a escola deve ser a arma ideológica da revolução, da luta de classes.

Não posso deixar de citar a alta ilustração sobre o tema, feita pelo Papa Pio XI na “Divini Redemptoris”: “Insistindo sobre o aspecto dialético de seu materialismo, os comunistas pretendem que o conflito que leva o mundo até a síntese final, pode ser acelerado pelos homens. Daí o esforçarem-se por fazer mais agudos os antagonismos que surgem entre as diversas classes sociais; e a luta de classes, com os seus ódios e destruições, adquire o aspecto de uma cruzada pelo progresso da humanidade”.

Os romanos diziam: “Maxima debetur puero reverentia”: o máximo respeito se deve à criança. Mas os professores comunistas, ali dentro das quatro paredes da sala de uma escola, geralmente longe da vigilância dos pais, procuram fazer uma lavagem cerebral que consiste em tirar Deus e, em seu lugar colocar a pura matéria nas mentes pueris e juvenis. S. Paulo diz que não podemos dar lugar ao demônio. O mesmo devemos dizer dos esquerdistas. Caríssimos, vemos que também no Brasil se realizou esta profecia de Nossa Senhora em Fátima, profecia esta feita no mês de julho de 1917: “Se não atenderam aos meus pedidos a Rússia espalhará seus erros pelo mundo”. E qual é o erro da Rússia? É a doutrina comunista. Os esquerdistas se infiltram na Hierarquia da Igreja, na Política, e até nos Exércitos, e vão envenenando e manobrando as mentes, especialmente nas escolas. Fidel Castro implantou a revolução comunista em Cuba com a colaboração de católicos, católicos estes animados por Padres. O mesmo vem acontecendo no Brasil e esperamos que o nosso povo cristão tenha aberto de vez os olhos contra os teólogos da Libertação e as CEBs. E nunca percamos de vista que os comunistas têm uma ousadia e tenacidade verdadeiramente diabólicas.

Meditemos este fato contado pelo então Padre Fernando Arêas Rifan no seu livro “QUER AGRADE QUER DESAGRADE”:

“Certa vez, em Turim, numa reunião de círculos católicos, se discutia por que razão os Partidos comunistas cresciam e progrediam tanto, ao passo que os Partidos católicos se enfraqueciam. Depois de muitas opiniões, um senhor, que tinha sido militante comunista e se convertera ao catolicismo, levantou-se para falar, dizendo que sabia perfeitamente e por experiência a causa daquela diferença: ‘É porque nós comunistas falávamos a mentira, mas com toda a desfaçatez e coragem como se estivéssemos falando a verdade; e os católicos falam a verdade, mas com um medo terrível como se estivessem falando a mentira!’

Hoje, graças a Deus, as redes sociais (graças à Internet bem empregada) estão fazendo a diferença! Quantas grandes inteligências, das quais, algumas mesmo exponenciais da Direita, estão mostrando com clareza e destemor, as falácias dos políticos comunistas! Vejo isto com grande alegria na alma, e uma chama viva de esperança  certamente se acende em nossos peitos: o nosso Brasil não será mais maculado pelo vermelho comunista!

Caríssimos, peçamos a Deus a grande graça de termos professores que amem a Deus e assim, só com o seu bom exemplo já serão nas salas de aula, o bom odor de Jesus Cristo! Amém!

Tags:
6 dezembro, 2018

Triste ironia.

Por Padre Élcio Murucci, 6 de dezembro de 2018 | FratresInUnum.com

O Filho de Deus desceu dos Céus à terra para nos libertar do pecado e nos dar a Sua graça que nos garante a Salvação eterna. Nosso Senhor Jesus nasceu para morrer por nós. Os “teólogos” comunistas da “Teologia” da Libertação, dizem que Jesus veio para libertar os pobres, os oprimidos pelos poderosos capitalistas.

As-Três-Cruzes-detalhe-–-Vincenzo-Foppa-séc.-XV.-Museus-Diocesano-de-Milão-Itália.

O Senhor crucificado entre dois ladrões.

Por uma triste ironia ou, melhor dizendo, por uma rígida lógica comunista, o STF na maioria de seus componentes vota a favor do indulto de Natal de Michel Temer, indulto este em total contraste com a finalidade da vinda de Jesus ao mundo. “Ele (o Verbo) estava no mundo, e o mundo foi feito por ele, e o mundo não o conheceu. Veio para o que era seu e os seus não o receberam” (S. João I, 10). Jesus Cristo escolhe na verdade, como primeiros adoradores os pobres, ou seja, os pastores de Belém. Mas chama também os ricos, os reis do Oriente. Já no Antigo Testamento Deus concedeu riquezas a muitos homens santos, inclusive ao próprio Patriarca de Seu Povo, Abraão. Portanto, Deus não exclui os ricos do Reino do Céu. Exclui sim os ladrões não arrependidos, ladrões estes de que classe econômica forem. Jesus fora crucificado entre dois ladrões, mas só perdoou o que se arrependeu. Jesus veio para salvar o que estava perdido. Por exemplo Zaqueu estava perdido, porque adquiriu riquezas roubando. Mas ele se arrependeu e recebendo Jesus em sua casa, prometeu que repararia toda sua vida de corrupção, retribuindo quatro vezes mais o que tinha defraudado. Aí, e só então, Jesus disse-lhe: “Hoje entrou a salvação em tua casa”. Ao entrar na casa de Zaqueu, Jesus não disse: “eis que a salvação entra em tua casa!”. Não! Só o disse quando Zaqueu arrependido promete reparar sua vida corrupta.

Pois bem, libertar ladrões, e não qualquer ladrõezinhos, mas corruptos condenados pela bendita Lava Jato e outras operações, por somas mi e até bilionárias, é algo que entristece as pessoas de bem. Porque, como disse o digníssimo ministro do Supremo o Sr. Roberto Barroso: ‘CORRUPÇÃO MATA”. Quero dar um exemplo: Sou aqui do Estado do Rio de Janeiro, e quero dizer que as roubalheiras de Cabral e Cia, causaram inúmeras mortes de inocentes. Não havia dinheiro para infra-estrutura e muitos morreram por epidemias, a polícia não tinha recursos para devidamente enfrentar bandidos armados, às vezes melhor que os policiais; e estes temem mais os capas pretas que os bandidos; muitos acidentes fatais por causa do estado precaríssimo de muitos asfaltos, muitos pessoas conhecidas, inclusive paroquianos meus, morreram em filas do SUS, e pior, muitos morreram por falta de hospital, de medicamentos, em muitos hospitais não havia leitos suficientes, etc. Agora, basta transferir este exemplo para todo o nosso continental país. É uma lástima!

Eis a triste ironia: Jesus passou fazendo o bem, curando os doentes e até restituindo a vida aos mortos. E o STF aprova (com duas honrosas exceções) o indulto de NATAL para corruptos presos. Caríssimos, sabem o que estes homens irresponsáveis fizeram: Foi-lhes perguntado por Pilatos (Michel Temer): A quem quereis que vos solte no aniversário de Jesus:  Jesus que foi preso e condenado por ter feito o bem, ou Barrabás que fora ladrão e assassino? STF! a quem quereis que vos solte: a Jesus que deu a vida aos mortos, ou a Barrabás que deu a morte aos vivos? Todos responderam (com exceção de dois): no Natal de Jesus, como presente, que Ele seja condenado nas pessoas de classe média, média alta e alta, mortas por bandidos (indiretamente e só por isso não são considerados crimes hediondos); e também nas pessoas dos pobres que morreram por causa da corrupção e que Barrabás, ladrão e assassino, seja livre da cadeia, nas pessoas dos corruptos! Pode haver decisão mais insensata, fatídica e imoral do que esta?!

Seria de muito melhor alvitre que todos os políticos, desde o Presidente até os vereadores, todos os magistrados do STF fizessem uma redução nos seus salários em 30%,  pelo menos no mês de dezembro e este montante fosse destinado pelo Presidente a pagar o 13º da bolsa família para que os mais pobres pudessem celebrar com mais alegria o Santo Natal. Pois, Jesus que era rico, se fez pobre para nos enriquecer com as verdadeiras riquezas celestiais. Magistrados, pelo menos, granjeai riquezas nos tabernáculos eternos ajudando os pobres e não os ricos corruptos; e não queirais ainda mais empurrar os corruptos para o inferno. Se ainda disto não tomaram consciência, fiquem sabendo que, pelo menos diante de Deus, serão também responsáveis pelas mortes decorrentes da corrupção. Meditem nisto e voltem atrás enquanto é tempo.

Tags:
2 dezembro, 2018

Foto da semana.

Jair-Bolsonaro-no-Santuário-de-Aparecida-8

Aparecida, SP, 30 de novembro de 2018: O presidente eleito Jair Messias Bolsonaro visita a imagem de Nossa Senhora Aparecida, no Santuário Nacional.

Tags:
1 dezembro, 2018

Coluna do Padre Élcio: Os Ardis da Seita Comunista na Educação.

Por Padre Élcio Murucci – FratresInUnum.com, 1 de dezembro de 2018

O que tudo comanda são as ideias. Ao modo de pensar e de crer corresponde o modo de agir. Assim, dentro da mesma lógica, devemos dizer que o problema moral está em dependência rigorosa do problema religioso. Ora, para a seita comunista que é ateia, visceralmente materialista, não há moral e a religião é farsa. Para um ateu é legítimo tudo o que venha contribuir para seus ideais materialistas. Se não há Deus, não há mandamentos, leis de Deus. Portanto, roubar, matar, mentir são coisas legítimas.

Crucifixo-em-sala-de-aulaDaí, antes de implantar o regime, isto é, a ditadura comunista num país, é mister, segundo seus corifeus, primeiro fazer uma lavagem cerebral nas crianças, adolescentes, jovens nas escolas, faculdades e universidades.  Aniquilar neles todo sentimento religioso, pervertendo até as noções e instituições mais naturais. Se a Religião, para os comunistas, é o ópio do povo, na verdade, eles fazem do materialismo, da corrupção, o ópio das massas. E como fazem isto?  Devemos reconhecer que o desregramento moral que hoje assola o mundo, é fruto e fase final do trabalho de séculos: a revolução do homem contra Deus, do homem que se quis se colocar no lugar de Deus. Isto teve início com o humanismo. Seu fim foi  banir por completo e por fim destruir absolutamente o sobrenatural, o divino. Ora, o homem afastado de Deus e negando a Deus, sente-se livre de todo jugo e fora do domínio de toda a lei. O “eu” passa a ocupar o lugar de Deus. O homem, doutrinado no puro materialismo, inchado de soberba e alucinado por si mesmo, diviniza a própria raça humana.

Entrincheira-se nas espaldas do mais surdo egoísmo. E como disse Anile: “Quando a caridade começa a faltar, começam as grandes revoluções a preparar-se”. Assim, reduzida a existência humana aos limites restritos do tempo, eliminada a visão do transcendente, afirmou-se, por rígida lógica, o princípio hedonista da vida. Na verdade, para que estabelecer um limite ao gozo, para que opor um freio aos instintos do coração e da carne, para que aceitar a dor, para que fazer renúncias e sacrifícios como ensinou Cristo? Donde, as mentes foram sofrendo uma mutação ideológica inadvertida: a moral humana passou a parecer anti-humana e ilógica. Só o paganismo, imoralíssimo na sua essência, pareceu aceitável. E hoje vemos este triste quadro: aqueles que continuam a viver e a regular-se pelos velhos (e sempre novos) princípios são acoimados de homens fora do seu tempo. Verdadeiramente, quando o homem se afasta de Deus, desonra-se e perece miseravelmente.

É o que vemos em todas os países em que os comunistas implantaram sua ditadura. Depois do humanismo, o comunismo encontrou o terreno fértil para banir Deus das mentes, e afirmar que Deus simplesmente não existe. Só existe a evolução da matéria. E assim, após a primeira guerra mundial, passando pela segunda até os dias atuais,  o que vemos?  E por que damos como parâmetro das subseqüentes considerações as duas guerras mundiais? Porque elas já foram castigos dos pecados da humanidade, como explicou Nossa Senhora em Fátima. E o comunismo seria o maior castigo.

Vamos descrevê-lo em poucas palavras:

A maioria dos homens não leva mais em conta as leis morais e assim cooperam para a descristianização da sociedade. Quem não vê que os maus costumes, quer em público quer na vida particular, ultrapassam todas as medidas? A família cristã está sendo destruída. O lar doméstico, com raras exceções, converteu-se num foco de infecção que corrói, como gangrena oculta, todo o organismo da sociedade.  Mas é nas escolas e universidades que é inoculado o veneno do comunismo ateu. As quatro paredes da casa impedem por vezes que se veja por fora o véu de ignomínia que a cobre. Nas escolas, mais ainda. Ali reina a escravidão mais desumana que é a lavagem cerebral comunista. Poucas são as exceções. Esta podridão tanto familiar como escolar é mortal, porque, mais cedo ou mais tarde, supura para fora e concorre inevitavelmente para contaminar a vida pública. E os sinais dessa contaminação já estão à vista de todos os que querem ver. Infelizmente, digo com lágrimas, os comunistas conseguiram o que eles acham ser a facada mortal na Igreja: um papa que os favoreça.  Mas Jesus (que livrou Jair Messias Bolsonaro da morte), dela não livrará a Sua Esposa Mística, a Santa Madre Igreja?! Claro que sim! “As portas do inferno nunca prevalecerão contra ela” (S. Mateus XVI, 18). Por isso, hoje já não há nada que se oponha à satisfação das próprias ambições e dos apetites carnais mais abjetos. Procura-se o prazer, sem quaisquer preocupações de evitar ao menos o escândalo, porque este, terrível e assustadoramente está escancarado no seio da hierarquia da própria Igreja: corrupção no que tange à dinheiro; corrupção atinente aos costumes.

Chegou-se ao auge da abominação e da iniquidade, quando vemos países fazendo leis contra as leis de Deus. E a grande mídia (com poucas exceções), são os veículos do comunismo e assim da perversidade. A consciência pública  já não se escandaliza. E é assim que os comunistas acham o caminho aberto para todos os enganos, para todas as fraudes, para todas as trapaças, para todas as mentiras que compõem a intriga da convivência social dos nossos dias. Daí estamos vendo através da abençoada Lava Jato e em breve, com certeza, vê-lo-emos na abertura da caixa preta do BNDES, o furto organizado com a astúcia mais requintada, com o propósito perverso de explorar a ignorância de milhões de  brasileiros que pelo voto colocaram políticos esquerdistas no poder.

Caríssimos, o único caminho de salvação, no meio de tanta confusão, entre tantas dores e tanta decadência moral, é o regresso ao Evangelho. Isto significa: aproximação de Nosso Senhor Jesus Cristo e, portanto, regresso aos conceitos cristãos da vida. Escrevi pensando mais no Brasil, mas, na verdade, é todo o mundo que é preciso refazer desde os alicerces;  é preciso CONVERSÃO, é preciso transformar o homem de selvagem que se tornou, em humano; mais, de humano em divino, segundo o Coração de Deus. Amém!

PS: Se Deus assim o permitir e o “FRATRES IN UNUM” assim achar por bem,  escreverei, durante este ano litúrgico de 2019, artigos contra o comunismo e o socialismo.  Para tanto peço as luzes do Divino Espírito Santo; imploro também as orações de meus caríssimos leitores.

23 novembro, 2018

Força, Gercione!

Mensagem de nossa caríssima colaboradora Gercione Lima.

Caros amigos!

gercioneMais do que nunca preciso de suas orações. Ontem na minha visita à oncologista tive péssimas notícias. O tratamento que eu vinha fazendo há mais de um ano e que mantinha  o câncer em regressão simplesmente parou de funcionar. Minha mais recente tomografia mostra o surgimento de vários outros depósitos de carcinoma e os dois nódulos que eram mais resistentes ao tratamento tiveram um crescimento triplicado.

O resultado disso é que terei que iniciar um novo tratamento em caráter experimental.

Sinto que há cada dia que passa vão diminuindo minhas opções. Carboplatina/Taxol foi meu primeiro tratamento, mas me tornei resistente e não pode ser mais usado, assim como o Caelix/Doxil e agora o Taxol/AZD que durou por mais de um ano.

As células cancerígenas se tornaram resistentes a esses tratamentos e agora me restam como tratamentos-padrão, Gemcitabine/Avastin e Topotecan/Avastin.

O problema é que esses tratamentos-padrão tem um índice muito baixo de sucesso para o meu tipo de câncer.

Eis porque terei que tomar a via mais arriscada dos clinical trials.

O próximo tratamento que me foi oferecido é uma combinação de Imunoterapia com outro medicamento já aprovado para câncer de bexiga, mas que ainda não foi testado para câncer de ovário.

Caso eu faça esse tratamento, desde já adianto que será muito doloroso e complicado, comportando várias internações. Que Deus me dê forças pois não vou mentir, no momento atual meu estado de espírito não é dos melhores.

Orem por mim para que eu seja digna de alcançar as promessas de Cristo.

Que Deus abençoe a todos!

Gercione

Tags:
18 novembro, 2018

Foto da semana.

Foto de bispo abençoando padre com ebola comove redes sociais – Congo enfrenta novo surto da doença mortífera e a Igreja age para prestar auxílio à população

Por Aleteia, 06 de junho de 2018 – Chamou a atenção nas redes sociais, entre o fim de maio e o começo deste mês, uma imagem que veio da República Democrática do Congo, na África: ela mostra o arcebispo coadjutor da capital do país, Kinshasa, dom Fridolin Ambongo Besungu, dando a bênção ao pe. Lucien Ambunga, contagiado pelo vírus do ebola depois de atender um homem que agonizava pela mesma doença.

O pe. Ambunga pertence à Congregação da Missão e é pároco em Itipo, na diocese de Mbandaka-Bikoro, norte do país. Após uma quarentena em que precisou ficar hospitalizado, ele recebeu alta no dia 26 de maio.

A foto é anterior à alta e mostra o padre ainda doente, recebendo o apoio do bispo. Publicada no Twitter em 24 de maio pelo usuário Katako Arnold, a imagem foi repostada e compartilhada por centenas de outros internautas. Muitos deles ofereceram orações pela recuperação do sacerdote e postaram comentários como:

“Que Deus o ajude, porque ele foi compassivo com os doentes” (Jeanpierre Mbanga)

“[Que ele] seja curado em nome de Jesus, que lhe permita continuar servindo à humanidade, ao povo de Deus” (Oressoh)

“Esta é a igreja na África. Sem dúvidas é cheia de fé, dependente de Deus, humilde e deseja seguir Jesus” (Obianuju Ekeocha, líder pró-vida).

Surto alarmante de ebola urbano

O ebola causa febre, dores musculares, vômito, diarreia e pode levar a hemorragias. Doença grave, é fatal quando não tratada. A transmissão ocorre por animais selvagens e se propaga de pessoa para pessoa, podendo facilmente se transformar em epidemia.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) confirmou no início de maio um novo surto de ebola na República Democrática do Congo.

Rose Mkunu, médica da Cáritas Congo em Mbandaka, declarou à agência vaticana Fides:

“A situação é alarmante porque é uma epidemia urbana, diferente das anteriores. A Cáritas está fazendo todo o possível para conscientizar e informar os líderes comunitários e religiosos a respeito da doença, sobre como se proteger e prevenir o contágio, mas temos recursos limitados”.

O presidente da Conferência Episcopal do Congo, dom Marcel Utembi Tapa, também afirmou:

“Devido à natureza da doença e à falta de informação, teme-se o risco da sua propagação numa cidade de 1,2 milhão de habitantes e nas cidades vizinhas”.

No entanto, dom Utembi pediu aos fiéis para “não cederem ao medo nem à estigmatização, que podem impedir a resposta à epidemia”.

______

Com informações das agências Fides e ACI Digital

Tags: