Posts tagged ‘Cardeal Lehmann’

15 junho, 2013

Cardeal Lehmann critica aumento das celebrações no “Rito Tridentino”.

Colônia (KNA). Por ocasião do “Congresso Eucarístico” dos católicos alemães em Colônia, o Cardeal Karl Lehmann, de Mainz, voltou a se manifestar contra o aumento das celebrações da missa em latim no “Rito Tridentino”.

“Tenho a impressão de que todo o entusiasmo pelo latim tem muito a ver com prestígio e falsas pretensões de uma suposta elite cultural”, disse o Bispo de Mainz ao “Kölner Stadt-Anzeiger. Ele sempre considerou essas motivações com mais ceticismo, disse o Cardeal.

[…] Em sua opinião “uma sobreposição mais forte das duas formas litúrgicas hoje em dia não é útil, também porque não cresce a partir de baixo”, disse Lehman. “A tendência está mais na direção da Missa renovada”.

31 maio, 2011

Para o Cardeal Lehmann, crisma no rito antigo é “tolice”.

Rorate-Caeli – Do Cadeal Lehmann, 75, Bispo de Mainz, ao ser indagado por um leitor do Allgemeine Zeitung, após a Instrução Universae Ecclesiae (relatado pelo Kath.net):

Confirmação no rito antigo? “Eu não a farei, eles que procurem outro lugar.”

Mainz (kath.net) – “Eu acredito que é uma tolice as pessoas quererem uma Confirmação de acordo com o rito antigo”, respondeu o Cardeal Karl Lehmann, Bispo de Mainz, à pergunta de um leitor do fórum do “Allgemeine Zeitung”.

Todavia, ele não rejeitou completamente a Missa na forma extraordinária: “há em nossa diocese, ao todo, cinco ou seis grupos com a oportunidade de celebrá-la,” disse o Cardeal ao jornal. Porém, Crisma de acordo com o rito antigo ? “Eu não a farei, eles que procurem outro lugar.”

29 agosto, 2009

Liberdade, Igualdade e Fraternidade – Católicos preferem: Fé, Esperança e Caridade.

Palavras do arcebispo de Mainz, Cardeal Karl Lehmann, à FR-Online:

Cardeal Lehmann no carnaval de MainzA SSPX é altamente fragmentada, um balaio para todo tipo de gente desapontada e frustrada: alguns não chegam a termo com a modernidade, outros com a Revolução Francesa, outros com a liberdade religiosa, outros ainda com as reformas litúrgicas da década de 60. Alguns deles poderão voltar. Mas há aqueles que não se convencem – como o caso do negador do holocausto Richard Williamson mostra. Para eles, existe apenas um modo. […] [Q]uando certas pessoas da SSPX não se ajustam ao esquema, certamente vem o pedido por excomunhão. Então, de repente uma nova Inquisição também não seria ruim. Geralmente esse não é o meu estilo. Se a SSPX continuar a se comportar imprudentemente e a brincar com o Papa e a Cúria, devemos realmente dizer que eles não pertencem à nossa comunidade. Mas com certeza não simplesmente com os velhos instrumentos.

Na fina ironia de Chris Gillibrand, que se aplique então os princípios da Revolução Francesa à Missa Tradicional! Liberdade para a Missa Gregoriana; Igualdade entre as “formas ordinária e extraordinária”; e, enfim, Fraternidade para com os sacerdotes e fiéis que a amam.

15 agosto, 2009

Finlândia: ordenação episcopal em ‘catedral’ Protestante.

Mons. Teemu Sippo(Kreuz.net) Em meados de junho, o Papa Bento XVI elevou o liberal padre de gravata, Pe. Teemu Sippo (62), [ndt: membro da Congregação dos Padres do Sagrado Coração de Jesus) à dignidade de novo bispo de Helsinque.

Isso foi um choque terrível para os círculos católicos na Finlândia.

Já em sua primeira conferência de imprensa, Mons. Sippo convidou luteranos – especialmente aqueles que são casados com católicos, a receber a Santa Comunhão.

Em um artigo no semanário luterano “Kotimaa” um tal Veli Jaakko Franzi informou que como católico finlandês ele teria recebido a permissão de Mons. Sippo – quando ele ainda era administrador diocesano – para participar regularmente de uma celebração eucarística inválida na comunidade evangélica luterana da Finlândia.

O sítio finlandês liberal ‘Katkirkko’ descreve o recém nomeado bispo como um “novo Lutero”.

O sítio na Internet está estreitamente relacionado ao movimento inimigo da Fé “Nós Somos Igreja”.

Mons. Sippo será consagrado bispo no dia 5 de setembro pelo bispo liberal de Mainz, Cardeal Karl Lehmann. Ele está vinculado ao mesmo há anos.

Segundo relato do jornal diocesano católico “Fides”, o Cardeal fará a consagração episcopal de maneira reveladora na catedral luterana da cidade de Turku – 165 quilômetros a oeste de Helsinque.

No ‘Fides’ Mons. Sippo representou um ecumenismo indiferente.

Com inspiração divina nacionalista ele esclareceu que o idioma litúrgico em sua diocese seria o “finlandês”. Como “riqueza da Igreja”, invés dele descrever algo como o Sacramento do Altar, ele mencionou “as diferentes nacionalidades em nossa diocese”.

Ele explicou que as Santas Missas na diocese devem ser celebradas em finlandês e sueco.

Até hoje existe uma celebração eucarística da Missa Nova em latim na igreja da catedral de Helsinque.

A Missa Antiga também será celebrada regularmente a um grupo significativo de fiéis.

Contudo, parece que o Mons. Sippo simplesmente ignora as missas no idioma internacional da Igreja.

2 fevereiro, 2009

B’Nai B’rith, Modernistas, Protestantes: Todos contra o Papa.

Link para o originalOs restos do assunto SSPX continuam a despencar sobre o Vaticano. Vários itens durante o fim de semana mostraram a que confusão se pode chegar quando o Vaticano faz mal sua apresentação de uma decisão potencialmente controversa.

  • Uma manifestação contra Williamson na nunciatura do Vaticano em Paris por várias dúzias de manifestantes Judeus no domingo. A foto da Reuteurs abaixo por Mal Langsdon mostra um homem segurando uma caricatura do diário de Paris Le Monde na qual dois bispos da SSPX dizem num simulado Latim: “As câmaras de gás não existem”. O Papa Bento segura uma capa que diz: “Abaixo com o Vaticano II” e comenta: “Contanto que eles não digam isso em Hebraico, não vou dizer nada”. Haverá mais disso em outros lugares?

Judeus protestam em frente à nunciatura apostólica em Paris.

  • Críticas do Vaticano por estragar suas relações públicas. Torna-se tendência Católica, mesmo com a RádioVaticana (o Serviço Alemão diz: “Essa coincidência entre o levantamento das excomunhões e a negação do Holocausto por Dom Williamson foi fatal. Simplesmente fatal”) e o aliado próximo de Bento, o Cardeal de Viena Christoph Schönborn lamentou abertamente sobre isso. Como o veterano observador Vaticano John Allen escreveu: “A forma com que essa decisão foi comunicada foi um erro colossal; e daqueles que são francamente difíceis de entender ou desculpar”. O Cardeal Karl Lehmann de Mainz criticou abertamente o Cardeal Darío Castrillón Hoyos – chefe do escritório que lida com a SSPX – por não fazer seu dever de casa sobre as posições controversas de Williamson.
  • Preocupações sobre um padrão nas declarações controversas de Bento: Como Charlotte Knobloch, chefe do Conselho Central de Judeus na Alemanha, disse: “Ouvimos o discurso do Papa sobre os muçulmanos em Regensburg, outra afirmação sobre julgar as igrejas Protestantes, depois sobre evangelizar os Judeus, a antiga Missa em Latim, e agora a reabilitação de um negador do Holocausto. Não penso que isso seja uma coincidência. O Papa é um homem altamente educado. Ele diz o que está sendo pensado na Igreja”.

[…]