Posts tagged ‘CNBB’

20 outubro, 2017

Nota de repúdio dos bispos do Regional CNBB NE1-Ceará diante do escárnio público contra os símbolos sagrados.

Fonte: Arquidiocese de Fortaleza

Nós, bispos do Regional CNBB NE1-Ceará, reunidos em Conselho Episcopal Regional, manifestamos a nossa indignação e repúdio diante do escárnio público contra os nossos símbolos mais sagrados (Crucifixo, hóstia, imagem da Padroeira do Brasil) e contra valores fundamentais da vida humana. Ataques violentos e explícitos à família e à religião cristã têm sido feitos através de espetáculos de péssima qualidade que visam à apologia de práticas de sexualidade pervertida e anormal.

A Igreja não prega nem defende discriminação ou preconceito de qualquer natureza. Mas, comprometida com a verdade, defende e promove os valores humanos e cristãos, cumprindo assim, as exigências do Evangelho de Cristo.

Seríamos ingênuos ao pensar que esses últimos episódios (Exposição Queermuseu no Santander Cultural em Porto Alegre – RS, o artista nu que rala a imagem de Nossa Senhora Aparecida durante ‘perfomance’, em Brasília), dada à sua natureza e à evidência dos seus objetivos, não são apenas verdadeiros crimes de vilipêndio, o que já seria muito grave, pois o próprio Código penal os tipifica assim (Artigo 208). Trata-se de um verdadeiro projeto estrutural, profundo e nefasto, de desmonte dos nossos mais preciosos valores humanos e cristãos, através da banalização do matrimônio, da ideologia de gênero, da legalização do aborto, da liberação das drogas, da relativização dos valores morais nascidos do Evangelho e ensinados pelo Magistério da Igreja.

Por isso, denunciamos e repudiamos:

O “ataque explícito” aos valores humanos e cristãos da imensa maioria do povo brasileiro. Pois em nome de uma “liberdade” de imprensa, cultural, intelectual, artística impõe o desejo de uma minoria a toda uma coletividade.

O incentivo, patrocínio, promoção e “doutrinação”em massa, realizada diuturnamente em novelas, programas de “entretenimento” e da imposição ilegal, por órgãos governamentais e organizações não-governamentais, muitas destas de âmbito internacional;

A colonização ideológica, como alerta o Santo Padre, o papa Francisco: “Na Europa, nos Estados Unidos, na América Latina, na Africa, em alguns países da Ásia, existem verdadeiras colonizações ideológicas. E uma delas – digo-a claramente por nome e sobrenome” – é a ideologia de gênero (gender). Hoje às crianças às crianças -, na escola, ensina-se isto. O sexo, cada um pode escolhê-lo. E por que ensinam isto? Porque os livros são os das pessoas e instituições que lhes dão dinheiro”(Discurso aos Bispos da Polônia, 27.08.2015).

Portanto, convocamos todos os cristãos e pessoas de boa vontade a resistirem e protestarem contra todas as formas de destruição dos valores cristãos e da família, fazendo chegar a expressão do seu repúdio e indignação aos patrocinadores de tais campanhas e aos meios de comunicação que as veiculam.

Acreditamos numa sociedade justa e fraterna, possível apenas no compromisso com a vida, e vida em plenitude (Jo 10,10).

Que Deus nos fortaleça nessa árdua tarefa e a Querida Mãe Aparecida continue a interceder por todos nós.

Fortaleza, 18 de outubro de 2017

Dom José Antonio Aparecido Tosi Marques
Arcebispo da Arquidiocese de Fortaleza – CE

Dom Rosalvo Cordeiro de Lima
Bispo Auxiliar da Arquidiocese de Fortaleza – CE

Dom Ailton Menegussi
Bispo da Diocese de Crateús-CE

Dom Gilberto Pastana de Oliveira
Bispo da Diocese de Crato – CE

Dom Edson de Castro Homem
Bispo da Diocese de Iguatu – CE

Dom Antônio Roberto Cavuto
Bispo da Diocese de Itapipoca – CE

Dom André Vital Félix da Silva
Bispo de da Diocese Limoeiro do Norte

Dom Angelo Pignoli
Bispo da Diocese de Quixadá – CE

Dom José Luiz Gomes de Vasconcelos
Bispo da Diocese de Sobral – CE

Dom Francisco Edimilson Neves Ferreira
Bispo da Diocese de Tianguá – CE

Segue carta em PDF com as assinaturas dos Bispos: Nota CONSER out – 17

Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB)
Regional Nordeste 1
Rua Felino Barroso, 405
Fátima- 60050-130- Fortaleza – Ceará –
Caixa Postal, 126 – CEP 60001-970
Fone: – (85) 3252.4046
Site: http://www.cnbbne1.org.br
E-mail: cnbbne1@veloxmail.com.br

Tags:
18 outubro, 2017

Editorial: Tradicionalistas na mira. O bullying da CNBB.

Por FratresInUnum.com – 18 de outubro de 2017.

Notícias correm de que está para explodir uma ofensiva do episcopado brasileiro para enfrentar a onda de tradicionalismo que percorre toda a nação.

cnbb-destaque1556054126.jpg

Projeto faraônico na nova sede da CNBB: “Onde está o teu tesouro, aí está o teu coração”.

Uma reedição libertadora da inquisição? Uma caça às bruxas? Uma versão tupiniquim da Ku Klux Klan? Nada disso! Apenas a velha presunção cnbbista de se achar o centro do universo.

Não percebem os senhores bispos que se reduziram a um gueto grotesco, autorreferencial e inexpressivo.

Quem se importa com as posições da CNBB?

O povo brasileiro sequer toma conhecimento daquilo que diz e pensa o referido sindicato e, solenemente, segue o caminho oposto. Os fiascos dos últimos anos o comprovam retumbantemente.

O máximo que as excelências conseguirão é promover um bullying aos católicos tradicionais, como se os mesmos já não estivessem há décadas a suportar heroicamente o vexame de um desrespeito que produziu neles o calo de uma insensibilidade soberana, que ridicularização alguma poderá sensibilizar.

Em sua total irrelevância e incapacidade de incidir sobre quem quer que seja, os bispos brasileiros apenas encorajarão mais ainda aqueles que pensam combater. Os tradicionalistas se multiplicarão por todos os lados, exponencialmente, e serão o pesadelo de todas as suas noites. Expulsarão seminaristas considerados conservadores sem perceberem que estão ordenando outros que, fingindo-se de modernos, são mais tradicionais que os primeiros.

Arquidiocese de Niterói: “A Igreja nunca esteve tão bem”, por isso não há mais nada com o que se preocupar. Fiéis agora aguardam notas pedindo fidelidade também ao Concílio de Trento e Vaticano I.

A doença do episcopado nacional é endêmica e chama-se complexo de superioridade. Tais quais faraós superexaltados, acham-se eles tão acima de todos que se dão ao luxo de não trafegarem entre seu clero e seus seminaristas. Ordenam desconhecidos que continuarão a serem desconhecidos e as surpresas não cessarão de aparecer.

O cúmulo da contradição é que eles, em sua fobia contra véus, batinas e similares, se dão a perseguir os verdadeiros católicos enquanto clérigos apodrecem no concubinato, na homossexualidade (para não falar dos casos de transexualidade mal-disfarçada) e no roubo.

O povo não é tão estúpido quanto pôde ter sido um dia e não se dobrará a esses caprichos da hipocrisia episcopal brasileira. O desprestígio da CNBB é irreversível, pois a mediocridade de seus sindicalizados não cessa de o corroborar com um sublinhado incessantemente repetido.

A impressão que os senhores bispos têm de sua própria legitimidade está nos aplausos que trocam entre si, exatamente como nos bandos de bullying, em que a mútua confirmação referenda a sensação de vitória e superioridade. Nada tão pouco convincente.

Enquanto não chegam dias melhores para a pobre Igreja de Deus, resistamos, superando a cada dia este tempo de prova. E não nos impressionemos com o bullying. Coloquemos ante eles um espelho para que percebam sua própria comicidade.

Tags: ,
20 setembro, 2017

Editorial: CNBB e a “Igreja de entradas”.

Por FratresInUnum.com – 20 de setembro de 2017

Em sua recente viagem à Colômbia, Papa Francisco dirigiu contundentes palavras à diretoria do CELAM (Conselho Episcopal Latino-Americano), nas quais reapresentou de modo forte o seu modelo de Igreja em saída.

“Muito se falou sobre a Igreja em estado permanente de missão. Sair, partir com Jesus é a condição desta realidade. (…) Trata-se de ir dia após dia trabalhar no campo, lá onde vive o Povo de Deus que vos foi confiado. Não é lícito deixar-nos paralisar pelo ar condicionado dos escritórios, pelas estatísticas e pelas estratégias abstratas. É necessário dirigir-se à pessoa na sua situação concreta; não podemos afastar o olhar dela. A missão realiza-se num corpo a corpo”.

coleta-1200x762_c

Enquanto isso, porém, a CNBB lançava a sua campanha para arrecadação de dinheiro em prol da reforma de sua sede, em Brasília. Papa Francisco prega uma Igreja em saída, mas a CNBB prefere as entradas das Igrejas: com a coleta nacional, todas as ofertas de todas as comunidades católicas realizadas nas celebrações do domingo, 10 de setembro passado, foram totalmente destinadas a esta finalidade.

De norte a sul, os bispos mais afoitos para conseguirem uma promoção a patentes maiores, mobilizam-se para mostrar serviço.

Já há algum tempo que alguns bispos tentam empurrar em todas as comunidades o livreto “Igreja em oração”, que as Edições CNBB lançaram em concorrência com a “Liturgia Diária”, da editora Paulus, e com o “Deus conosco”, da editora Santuário. Em termos de mercado, é impressionante como, a despeito de seu discurso socialista, a CNBB se engaja nas violentas leis da concorrência capitalista!

Por praticamente todas as dioceses do Brasil, aliás, as mitras diocesanas cada dia mais se assemelham ao departamento financeiro de verdadeiras empresas multinacionais. Só pensam em dinheiro, só falam em dinheiro, só punem por dinheiro! Não existe mais moral, nem doutrina. Existe apenas Mamon!

Uma fonte que trabalha numa determinada Cúria Diocesana referiu à nossa equipe que nunca se viu tanto controle financeiro e que o próprio clero se sente sufocado com o absurdo de tanta voracidade econômica. “As paróquias estão se tornando uma espécie de caça-níqueis”, disse-nos.

Ele mesmo nos contava de um bispo bastante panfletário, do interior do Estado do Rio de Janeiro, que cobra espórtulas de cada crismando e até das crianças para as quais administra a Primeira Comunhão. Boatos?! Tomara!

É espantoso que alguns prelados sejam tão ávidos por dinheiro com a desculpa de construirem catedrais horripilantes e, mais ainda, que tenham horror a qualquer coisa que lembre a tradição da Igreja, mas fiquem excitados com cultos ecumênicos e palestras em lojas maçônicas. Se bem que os maçons têm muito dinheiro…

Longe de nós imaginar que a nunciatura apostólica considere o montante das contas das dioceses como critério para promoções episcopais! Tampouco imaginamos nossos veneráveis bispos se exibindo mutuamente ao descortinarem os saldos de suas dioceses. Seria vergonhoso, seria digno de Judas, que se perdeu por causa de umas moedas de prata (no idioma de Francisco, chama-se o dinheiro de la plata). Mas os nossos sucessores dos apóstolos não são, em definitivo, sucessores de Judas. Seria absurdo!

Francisco, aliás, dizia ao CELAM: “a Igreja também não pode ser reduzida a uma organização dirigida, com modernos critérios empresariais, por uma casta clerical”.

Nossa referida fonte dizia que ouviu de um bispo que “a desgraça do Papa Francisco são os padres jovens, todos conservadores”.

Não! Definitivamente, não! A desgraça do Papa que queria “uma Igreja pobre e para os pobres” são os seus defensores mais apaixonados, que o desmentem com suas atitudes.

Alguém crê, seriamente, que nosso episcopado esteja preocupado com a conversão de alguém a Deus, com a evangelização corpo-a-corpo, com a acolhida de casais feridos, mesmo a destes recasados que tanto defendem? Na Alemanha, pelo menos (e desgraçadamente), os bispos querem angariar o dízimo dos adúlteros. No Brasil, como o mesmo não é diretamente tributado pelo governo do salário e repassado para a Conferência Episcopal, seria o sacrilégio o único interesse?

Papa Bergoglio auspicia uma Igreja em saída, mas os bispos não crêem nisso, eles creem numa Igreja de entradas.

Entendemos agora por que o projeto de Francisco já nasceu fracassado e permanecerá exatamente assim para sempre? Ninguém crê nele. Todos sabem que se trata apenas de um discurso, um grande teatro!

Tags:
27 abril, 2017

#EndireitaCNBB! Greve geral? Só em Aparecida.

Começou a 55ª Assembléia-geral dos bispos da CNBB. O clima panfletário e viúvo-petista está em alta. Aborto, células-tronco, ideologia de gênero, casamento gay, nada disso, durante os governos petistas, mereceu tamanha mobilização de bispos que agora, individualmente, urgem com os fiéis para aderirem à tal “greve geral” de amanhã. Até batina colocam nessa hora!

endireitacnbb

O secretário-geral, Dom Leonardo Ulrich Steiner, garantiu, anteontem, o apoio da Conferência Episcopal à greve geral convocada pela CUT e sindicatos. Durante o governo Dilma, a CNBB ficou comportada, calada, tranquila. Agora, não consegue mais esconder a amargura do próprio petismo e sai do armário. Em tempos de Lava Jato, a cúpula da Conferência dos Bispos do Brasil parece, mais uma vez, fazer sua opção preferencial pelos PT. E os bons bispos, aceitarão tudo isso passivamente?

Em plena comunhão com nossos bispos, conclamamos nossos leitores a mandarem o seu recado, como pede a imagem acima.

O esquerdismo da Igreja no Brasil tem que acabar!

Defendemos a greve geral somente em Aparecida, para funcionários do Santuário Nacional e da organização da Assembléia Geral dos Bispos, bem como empregados (seguranças, cozinheiras, faxineiras, etc) dos hóteis em que os bispos estão hospedados, das TVs católicas que fazem cobertura do evento, etc.

Manifeste-se pelas redes sociais. Use a hashtag #55AGCNBB e diga:

#EndireitaCNBB

#CNBdoB

#NãoÀGreve

#ForaCUT

#ForaPT

#LulaNaCadeia

#ForaTL

Tags:
20 março, 2017

Continua a zona em Itaquera.

Imagem do folheto do “Memorial do Senhor” celebrado ontem na paróquia Nossa Senhora do Carmo, onde Padre Paulo Sérgio Bezerra continua firme e forte como pároco, sob o olhar complacente do bispo diocesano, Dom Manuel Parrado Carral.

Já que as autoridades se omitem vergonhosamente, e a informação do contato é pública, envie seu repúdio diretamente à paróquia e ao padre Paulo Bezerra:

Whatsapp: 11 – 987352207 e 11 – 947162931

1 fevereiro, 2017

Em carta a Temer, presidente da CNBB sugere indicação de Ives Gandra Filho para o STF.

Por Painel – Folha de São Paulo: Abençoado seja Presidente da CNBB, o cardeal Sergio da Rocha enviou carta a Temer recomendando a indicação de Ives Gandra Martins Filho para o STF. Os arcebispos dom Odilo Scherer e dom Orani Tempesta também manifestaram apoio ao jurista.

Em nome da fé No texto, Rocha diz que “a população brasileira, majoritariamente cristã”, encontrará em Gandra Filho “um referencial seguro para a interpretação e a aplicação da Constituição, assegurando os direitos fundamentais da pessoa humana”.

Tags:
29 dezembro, 2016

Cegueira total.

​”Se o nosso Evangelho ainda estiver encoberto, está encoberto para aqueles que se perdem, para os incrédulos, cujas inteligências o deus deste mundo obcecou a tal ponto que não percebem a luz do Evangelho” (2 Cor. 4-4).

Palavras de São Paulo que sintetizam bem a cegueira do triste secretário geral da CNBB, Dom Leonardo Steiner, em entrevista à Folha de São Paulo.

Tags:
1 dezembro, 2016

CNBB emite nota contra o aborto diante da decisão do STF.

Por CNBB – Os bispos conclamam as comunidades a se manifestarem publicamente em defesa da vida

Nesta quinta-feira, 01 de dezembro, a presidência da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) apresenta nota oficial na qual reafirma a posição da Igreja de “defesa da integralidade, inviolabilidade e dignidade da vida humana, desde a sua concepção até a morte natural”.

Os bispos reafirmam também “incondicional posição em defesa da vida humana, condenando toda e qualquer tentativa de liberação e descriminalização da prática do aborto. Conclamamos nossas comunidades a rezarem e a se manifestarem publicamente em defesa da vida humana, desde a sua concepção”.

Leia a Nota:

NOTA DA CNBB EM DEFESA DA VIDA

“Propus a vida e a morte; escolhe, pois, a vida ” (cf. Dt. 30,19)

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – CNBB, por meio de sua Presidência, manifesta sua posição em defesa da integralidade, inviolabilidade e dignidade da vida humana, desde a sua concepção até a morte natural (cf. Constituição Federal, art. 1°, III; 3°, IV e 5°, caput).

A CNBB respeita e defende a autonomia dos Poderes da República. Reconhece a importância fundamental que o Supremo Tribunal Federal (STF) desempenha na guarda da Constituição da República, particularmente no momento difícil que atravessa a nação brasileira. Discorda, contudo, da forma com que o aborto foi tratado num julgamento de Habeas Corpus, no STF.

Reafirmamos nossa incondicional posição em defesa da vida humana, condenando toda e qualquer tentativa de liberação e descriminalização da prática do aborto.

Conclamamos nossas comunidades a rezarem e a se manifestarem publicamente em defesa da vida humana, desde a sua concepção.

Nossa Senhora, Mãe de Jesus e nossa Mãe, interceda por nós, particularmente pelos nascituros.

Brasília, 1º de dezembro de 2016

Cardeal Sergio da Rocha
Arcebispo de Brasília-DF
Presidente da CNBB

Dom Murilo S. R. Krieger
Arcebispo de São Salvador-BA
Vice-Presidente da CNBB

Dom Leonardo Ulrich Steiner
Bispo Auxiliar de Brasília-DF
Secretário-Geral da CNBB

Tags:
1 dezembro, 2016

À espera de um milagre.

Por FratresInUnum.com: Esperamos todo um dia, longo e inteiro dia, aguardando um comunicado, uma mísera nota da CNBB se indignando com a decisão abominável do STF da última terça-feira (29). Em vão.

No mesmíssimo dia, a CNBB foi ágil o bastante para lamentar a tragédia do vôo da Colômbia e manifestar seu “veemente repúdio à anistia do caixa dois”.

Abaixo, imagem do site da CNBB neste instante (1 de dezembro de 2016, às 8:04).

cnbb1

Tags:
21 novembro, 2016

Coluna de O Globo: “A CNBB confunde os católicos”.

Por Eurico Borba, O Globo, 21 de novembro de 2016 – A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) divulgou nota em outubro criticando fortemente a PEC que trata de estabelecer um teto para as despesas do governo federal. A referida proposta de emenda constitucional está sendo duramente combatida pelo PT e alguns outros poucos partidos de uma esquerda ultrapassada.

Ao apoiar, anos atrás, o PT que começava a se insinuar como sendo o único porta-voz da justiça social, da política sadia e da moralidade pública, parte da Igreja acreditou e induziu milhões de fiéis a aceitarem aquela proposta, ajudando o partido e o seu líder a chegarem ao poder em 2003.

Agora, vamos sofrer por décadas com as consequências das erradas decisões sociais, políticas e econômicas. O Brasil foi destroçado — só os despreparados intelectualmente e os irresponsáveis se recusam a aceitar a evidência dos fatos e das estatísticas.

Os leigos fazem política, cuidam da economia e do funcionamento da sociedade — a Igreja indica os caminhos para a observância do Evangelho e da lei natural. A Igreja, com a sua doutrina social, cada vez mais explicitada desde a encíclica “Rerum Novarum”, de 1891, aconselha os grandes princípios da moral e da justiça social, mas não faz nem pode fazer opções políticas partidárias. Não é esta a sua missão. São várias as indicações do magistério oficial desde o Concílio Vaticano II na constituição pastoral “Gaudium et Spes” (1965, nº 76) e nas encíclicas “Octogesima Adveniens” (1981, nº 48), “Sollicitudo Rei Socialis” (1987, nº 41) e “Centesimus Annus” (1991, nº 43).

Parte da atual liderança da Igreja Católica, numa manifestação equivocada e indevida, passa a criticar os esforços que o atual governo está fazendo para tentar salvar o salvável, evitando que o povo mais humilde venha a sofrer ainda mais com o desemprego, com o não pagamento de salários e de aposentadorias dos funcionários públicos, o que já está acontecendo em alguns estados, com a insegurança pública, com a educação de má qualidade, com a saúde publica precária, com o meio ambiente em acentuado processo de deterioração.

O PT começa a se aproveitar — principalmente pela internet — da ingenuidade de alguns membros da Igreja, tentando se reerguer depois da recente fragorosa derrota eleitoral em todo o Brasil. O eleitorado sofrido e enganado não se esqueceu dos processos de corrupção a que as lideranças do PT respondem. A Igreja Católica vai se juntar a este bando e, mais uma vez, colaborar com o erro e a mentira?

Por que os senhores bispos não pedem o aconselhamento dos cientistas sociais das universidades católicas? Os professores das universidades católicas estão a serviço das elites? As universidades católicas não estariam habilitadas para assessorar a Igreja? Breve vamos enfrentar as imprescindíveis reformas da Previdência Social, política e trabalhista. A Igreja também vai se intrometer, dando palpites sobre detalhes técnicos que envolvem cálculo atuarial, demografia, economia etc.? Voltará a insinuar que os “maus” que agora assumiram o poder estão maltratando e explorando os trabalhadores mais humildes e pobres?

Os senhores bispos nunca foram veementes na condenação da incompetência e da corrupção que grassava no Estado brasileiro. Parecem não entender nem perceber a gravidade da crise nacional. Por favor, não se manifestem sobre detalhes técnicos de como proceder — este é o papel dos leigos comprometidos com sua fé. Não contribuam, com suas proclamações equivocadas, para aumentar a confusão do povo de Deus, fazendo crescer a impressão de que somos uma Igreja decadente.

Eurico Borba é escritor e foi presidente do IBGE.

Tags: