Posts tagged ‘Dom Nelson Westrupp’

2 abril, 2014

Bispo de Santo André também se manifesta contra “Ideologia de Gênero”.

Tendo em vista a pauta da Câmara dos Deputados, que nesta quarta-feira, 26 (26/3/2014), vota o Plano Nacional de Educação (PNE), coloco-me, como brasileiro e cristão, a pedir-vos para assinar uma petição pública contra a ‘ideologia de gênero”, presente na atual versão do Documento que, se aprovado, tornar-se-á parâmetro para o sistema educacional brasileiro.

Devido à pressão popular, a votação do referido documento foi adiada diversas vezes. Tal pressão dá-se devido aos valores antiéticos e morais que a chamada “ideologia de gênero” representa para a sociedade como um todo. Difusa em vários países, chega a vez do Brasil. Seu alcance social e cultural já foi qualificado por alguns como “verdadeira revolução antropológica”. Não se trata apenas de uma simples moda intelectual. Diz respeito, antes de tudo, a um movimento cultural com reflexos na compreensão da família, na esfera política e legislativa, no ensino, na comunicação social e na própria linguagem corrente.

Como tal, a “ideologia de gênero” opõe-se radicalmente à visão bíblica e cristã da pessoa e da sexualidade humana. Refere-se à defesa de um modelo de sexualidade e de família que a sabedoria e a história, não obstante as mutações culturais, nos diferentes contextos sociais e geográficos, consideram apto para exprimir a natureza humana. Tal ideologia não apenas contrasta com a visão bíblica e cristã, mas também com a verdade da pessoa e da sua vocação humana. Prejudica a realização pessoal e, a médio prazo, defrauda a sociedade. Não exprime a verdade da pessoa, mas distorce-a ideologicamente. É importante saber que a palavra gênero substitui – por uma ardilosa e bem planejada manipulação da linguagem – o termo sexo.

Deste modo, o modelo “inovador” proposto para a sociedade brasileira – e esperamos sua manifestação contrária – não existiria mais homem e mulher distintos segundo a natureza, mas, ao contrário, só haveria um ser humano neutro ou indefinido que a sociedade – e não o próprio sujeito – faria ser homem ou mulher, segundo as funções que lhe oferecer.

Nós sempre acreditamos que Deus criou o ser humano como homem e mulher. Portanto, o homem não escolhe ser homem ou mulher, mas o é por natureza. Independentemente das crenças religiosas, este fundamento da sexualidade humana faz parte da humanidade desde sempre, mas hoje já não é aceito como um dado real. Ao contrário, é negado por uma nova interpretação da vida sexual moderna. Ser homem ou mulher não é mais o resultado de uma realidade que nos é dada, mas resultado de uma escolha.

Em uma época que o ser humano se orgulha da preocupação com a natureza, a natureza humana está sob forte ataque. Por isso, prestemos atenção, quão arbitrária, antinatural e anticristã é a ideologia de gênero contida no Plano Nacional de Educação (PNE). Por essa razão, merece a efetiva reação dos cristãos e de todas as pessoas de boa vontade, a fim de exigir que nossos representantes no Congresso Nacional façam, mais uma vez, jus ao encargo de serem nossos representantes e rejeitem, definitivamente, a “ideologia de gênero” em nosso sistema de ensino. Pois, o Congresso Nacional não tem o poder de votar matéria tão importante sem o conhecimento e a aprovação do Povo.

As formas de participação – simples, mas imprescindíveis – são as seguintes:

a) assinatura em uma plataforma específica no http://www.citizengo.org/pt-pt/5312-ideologia-genero-na-educacao-nao-obrigado

b) ligação gratuita pelo  telefone 0800 619 619. Tecla “9” pedindo a rejeição à ideologia de gênero em nosso sistema educacional.

Dom Nelson Westrupp, scj

Bispo de Santo André

Fonte: Diocese de Santo André

22 julho, 2009

Amar ao Homem sobre todas as coisas: “Temos que defender o bem maior”…

“Aquele que o come e o bebe sem distinguir o corpo do Senhor, come e bebe a sua própria condenação. Esta é a razão por que entre vós há muitos adoentados e fracos, e muitos mortos(I Co, 11, 29-30)

Igreja muda ritos para evitar contágio da gripe suína

William Cardoso
Diário do Grande ABC

Dom NelsonA gripe suína ganha força neste inverno e já provoca mudanças até mesmo na Igreja Católica. O bispo da Diocese de Santo André, dom Nelson Westrupp, tomou uma medida inédita até o momento: para evitar o contágio entre fiéis, distribuiu comunicado recomendando que a hóstia não seja entregue na boca, que não se reze o Pai-Nosso de mãos dadas e que se suspenda o abraço da paz durante as missas no Grande ABC.

O contato espontâneo pode ocorrer a partir do momento em que os dedos do padre toquem a saliva de um fiel contaminado, levando até outro durante a comunhão. A oração de mãos dadas também favorece a transmissão do vírus influenza A (H1N1), assim como o abraço efusivo.

A preocupação de dom Nelson aumentou na última semana e a ideia de alertar os católicos durante as missas surgiu de forma espontânea. “Foi algo que brotou do meu coração, como um desejo de colaborar com as pessoas. A intenção é de, sobretudo, ajudar a população”, explicou.

O bispo lembra que as recomendações não alteram a celebração e que tem autoridade suficiente para fazer as modificações na diocese, por não infringir leis universais da Igreja. “São pontos que não vão mudar em nada a substância, a própria essência da missa.”

O líder católico lembra que, durante a gripe espanhola (1918), o interior de igrejas favoreceu a disseminação do vírus, por facilitar a agloremação de multidões em ambiente fechado. Baseado nisto, dom Nelson pode até mesmo solicitar a suspensão das missas em um limite extremo, caso o quadro se torne insustentável. “Temos que defender o bem maior, que é o dom da vida. Foi dado por Deus e podemos louvá-lo também em casa.”

Relutância – As recomendações encontram resistência entre fiéis mais tradicionais. A aposentada Ana Maria de Oliveira, 65 anos, rezava na tarde de ontem na Matriz de São Bernardo e se dizia imune à doença. “Vou continuar a dar o abraço durante a missa. É algo que recebi da minha mãe. Estou protegida.”

Na mesma paróquia, o padre Ervínio Vivian afirmou serem importantes as recomendações e que vai informar aos fiéis, especialmente nas missas dominicais. “As pessoas percebem mudanças no cotidiano. Isso choca e ao mesmo tempo conscientiza.”

O choque visto como positivo por padre Ervínio é motivo de preocupação para o padre Nivaldo Lenzi. Na Catedral de Nossa Senhora do Carmo, em Santo André, ele se absteve de passar recomendações diretamente aos frequentadores da igreja no horário do almoço. Acredita que se pode criar pânico, por isso pretende utilizar pessoas próximas para falar aos congregados. “Temo apavorar a todos. E não se deve perder a alegria da celebração.”

Para dom Nelson, a preocupação é outra. “Temos de ter simplicidade. Não dá para complicar. É algo maior que está em jogo, por isso a importância das recomendações.”

——————————-

C O M U N I C A D O – R E C O M E N D A Ç Ã O

Recomendo aos Padres, Diáconos e Ministros Extraordinários da Sagrada Comunhão que, diante do avanço da gripe suína:

1. A Sagrada Comunhão seja distribuída somente na mão (suspender a comunhão sob duas espécies).

2. Não se reze o Pai-Nosso de mãos dadas.

3. Seja suspenso o abraço da paz.

Colaboremos com a Organização Mundial da Saúde (OMS), orientando os fiéis cristãos no que diz respeito à prevenção da nova gripe.

Conto com sua solidariedade em assunto tão importante.

Um abraço amigo e minha bênção.

Dom Nelson Westrupp, scj
Bispo Diocesano

Fonte: Diocese de Santo André