Como o “Lobby Gay” enganou Francisco e o levou a cometer seu primeiro grande erro.

Da reportagem de capa de Sandro Magister para o semanário italiano L’Espresso:

“Na cúria fala-se de um ‘lobby gay’. E é verdade, ele está lá. Vamos ver o que podemos fazer”, disse Francisco em 6 de junho ao receber em audiência religiosos da América Latina.

E ainda: “Não é fácil. Aqui há muitos ‘patrões’ do Papa com grande antiguidade de serviço”, ele confidenciou há alguns dias com seu amigo argentino e ex-aluno Jorge Milia.

Com efeito, alguns desses ‘patrões’ lançaram contra Jorge Mario Bergoglio a enganação mais cruel e sutil desde que foi eleito Papa.

Mantiveram ocultas importantes informações que, tivesse ele tomado conhecimento antes, não teria nomeado Monsenhor Battista Ricca “prelado” do Instituto para as Obras de Religião.

Ricca, 57, originalmente da diocese de Brescia, vem de uma carreira diplomática. Ele atuou por 15 anos nas nunciaturas de vários países, antes de ser chamado de volta para o Vaticano, para a secretaria de Estado. Mas ele ganhou a confiança de Bergoglio de outra maneira, inicialmente como diretor da residência na Via della Scrofa em que o arcebispo de Buenos Aires ficou durante suas visitas a Roma, e agora também como diretor da Domus Sanctae Marthae em que Francisco escolheu para viver como Papa.

Apenas uma semana após a nomeação do “prelado”, no entanto, no mesmo dia em que ele estava reunido com os núncios apostólicos que vieram a Roma de todas as partes do mundo, o Papa tomou ciência, a partir de várias fontes, de alguns episódios do passado de Ricca até então desconhecidos para ele, e capazes de trazer sérios danos para o próprio Papa e sua intenção de reforma.

O buraco negro na história pessoal de Ricca é o período que passou no Uruguai, em Montevidéu, no litoral norte do Rio de la Plata, perto de Buenos Aires.

Ricca chegou a esta nunciatura em 1999, quando o mandato do núncio Francesco De Nittis estava chegando ao fim. Anteriormente, ele havia servido em missões diplomáticas do Congo, Argélia, Colômbia e, finalmente, Suíça.

Aqui, em Berna, ele conheceu e se tornou amigo de um capitão do exército suíço, Patrick Haari. Os dois chegaram no Uruguai juntos. E Ricca pediu que a seu amigo fosse concedido uma função e uma residência na nunciatura.

O novo núncio, Janusz Bolonek da Polônia, que chegou em Montevidéu no início de 2000, também achou aquele “ménage” imediatamente intolerável, e informou as autoridades do Vaticano sobre o assunto, insistindo repetidamente a Haari para que ele saísse. Mas não adiantou, dadas as suas ligações com Ricca.

No início de 2001, Ricca também se machucou por causa de sua conduta imprudente. Um dia, depois de ter ido, como em outras ocasiões – apesar dos avisos que recebeu – a Bulevar Artigas, para um lugar de encontro de homossexuais, ele foi espancado e teve que chamar alguns padres para levá-lo de volta para a nunciatura, com o rosto inchado.

Ricca, arrastando os calcanhares, foi transferido para a nunciatura de Trinidad e Tobago, onde permaneceu até 2004. Lá também ele se desentendeu com o núncio. Finalmente, foi chamado para o Vaticano e retirado de serviço diplomático nos países.

Quanto à Haari, no processo de deixar a nunciatura ele exigiu que algumas de suas bagagens fossem enviadas para o Vaticano como bagagem diplomática, para o endereço de Monsenhor Ricca. O núncio Bolonek recusou, e a bagagem acabou em um prédio fora da nunciatura, onde permaneceu por alguns anos, até que, de Roma, Ricca disse que não queria ter nada a ver com isso.

Quando a bagagem foi aberta para se livrar de seu conteúdo – como decidido pelo núncio Bolonek – uma pistola foi encontrada nele, a qual foi entregue às autoridades uruguaias, e, além de objetos pessoais, uma enorme quantidade de preservativos e material pornográfico.

No Vaticano há alguns que promoveram ativamente esta operação de acobertamento. Bloqueando as investigações, da época dos fatos até hoje. Escondendo os relatórios do núncio. Mantendo o dossiê pessoal de Ricca imaculado. Dessa forma, eles facilitaram uma prestigiada carreira nova para Ricca.

Após o seu regresso a Roma, o monsenhor foi integrado no corpo diplomático a serviço da Secretaria de Estado: inicialmente, a partir de 2005, na primeira seção, a de assuntos gerais; e, depois, a partir de 2008, na segunda seção, a de relações com os países; e, novamente, a partir de 2012, na primeira seção, com uma posição de nível superior, o de conselheiro de nunciatura de primeira classe.

Além disso, a partir de 2006, foi confiada a Mons. Ricca a direção primeiro de um, depois de dois, e, finalmente, de três residências para os cardeais, bispos e padres que visitam Roma, incluindo a de Santa Marta. E isso permitiu-lhe tecer uma intrincada rede de relações com os níveis mais altos da hierarquia católica em todo o mundo.

A nomeação como “prelado” do IOR era para Ricca o coroamento desta sua segunda carreira.

(C) Rorate-Caeli
(C) L’espresso.it – Sandro Magister

Traduzido de: Rorate-Caeli

Artigo original: Sandro Magister – L’Espresso

Tradução: Igreja Militante

31 Comentários to “Como o “Lobby Gay” enganou Francisco e o levou a cometer seu primeiro grande erro.”

  1. Como diria a bruxa do 71 … “é você Satanás ?”

  2. Dá tristeza ao ler, para não dizer mais. Esperamos do Papa energia para erradicar toda vergonha e carreirismo. Aliás, impressionante como o carreirismo pode vir no lastros dos desvios, e se aproveitar deles….

  3. Antes de morrer, eu gostaria de desvendar um mistério: o que impediu ou impede alguns Papas de demitir, imediatamente, tais pessoas, assim que sabem, com certeza documentada, que elas praticam sexo anal na Nunciatura, guardam armas, material pornográfico,participam de farras nas ruas, levam surras homéricas dos marginais com os quais se juntam?Seria para “manter a imagem”do Corpo Diplomático do Vaticano? Mas que imagem?E, além disso, sendo o Soberano do Vaticano o Bispo de Roma, o bem das almas deverá estar infinitamente acima de qualquer outra consideração.

  4. Este não é meu mundo, já disse Nosso Senhor. Neste mundo os homens fazem tudo para subir. Até dentro da Igreja. E das artimanhas do poder conseguem até a serem “patrões” do Papa. Tudo pela vaidade. “Vaidade das Vaidades. Tudo é vaidade.”

  5. É esse tipo de embaraço que costuma acontecer a quem tem estilo “emancipado”. Se não tivesse escolhido morar em Santa Martha, isso não teria acontecido. Pelos vistos, a única reforma que vai haver no Vaticano é a da liturgia: reforma da “reforma da reforma” litúrgica.

  6. Se fosse na época da Inquisição “monsenhor” Battista Ricca acabaria na fogueira.

  7. Aos poucos, vou entendendo o que realmente levou o Papa Bento XVI renunciar: uma Cúria suja e ingovernável. Não sei onde li, ou de quem escutei, ter, o Papa João Paulo II, pedido, ao então Cardeal Ratzinger, que governasse a Igreja, porque ele não havia conseguido-o.
    De início, julguei ser boatos maledicentes, mas, agora, começa a fazer sentido.
    Bagunça na Cúria: homossexualismo, corrupção no IOR, insubordinação, conspiração e deslealdade contra o Sumo Pontífice. Eis a suma de desordens causadas pela perda da Fé (o Modernismo); pelo visto, os que defendem a tese de que “o 3º Segredo de Fátima” não foi totalmente revelado, ganham credibilidade.
    “Não há nada de oculto que não venha a ser revelado”.

  8. Como o Papa irá ter força para lutar contra esse tipo de coisa e ainda ser violentamente atacado pelos ateus? Se os católicos fosse mais unidos entorno de nosso santo Papa com certeza o processo de secularização da igreja seria, pelo menos, mais lento, pois teríamos energia circulando.

  9. Há maus elementos dentro da Igreja sendo usados por satanás para destruí-la. Vai caber ao Papa Francisco muita força e coragem para afastar de lá estes que se fingem anjos, mas são o próprio demônio. Jesus disse que no final dos tempos isto aconteceria, e Nossa Senhora vem pedindo muitas orações para que o Papa tenha força, pois ele vai sofrer muito.
    Já está dando para entender o porque da renúncia de Bento XVI.

  10. FRATRES;
    Uma vez mais lhes pergunto: mas para quê tanto escândalo?
    Afinal, trata-se daqueles que são “tutti buona gente!”
    Daí, quando faço aquela “perguntinha incômoda”, tem muita gente por aqui que fica ressentida:
    ESSA IGREJA CONCILIAR É SÉRIA?
    Ui, ui, uiiiiiiiiiiiiiiiii…
    Liga não, afinal, “Deus é Dez!”
    Bom final de semana a todos!

  11. Lamentável…será depois de passar por tantas nunciaturas,nenhum núncio deu “fecha” nele, para realmente saber como é a sua conduta moral e reportá-las.

  12. N adianta cobrar nada do papa SE N REZAR POR ELE! Além do mais, em nossas famílias há muita sujeira e n seria diferente na hierarquia da Igreja. O que resta a fazer É REZAR pelo papa. E n esquecer o disse a Maria Santíssima: Os sacerdotes, ministros de meu Filho, pela sua má vida, sua irreverência e impiedade na celebração dos santos mistérios, pelo amor do dinheiro, das honrarias e dos prazeres, tornaram-se cloacas de impureza.
    http://aparicaodelasalette.blogspot.com.br/2009/04/inicio-do-segredo-decadencia-do-clero.html

  13. A estrutura da Igreja não é democrática. A estrutura da Igreja é monárquica. O Papa é o rei, pois é o representante do Rei que é Deus. Daí eu não entendo muito quando dizem que o Papa estava cercado de gente suja e má e por isso não conseguiu governar. Ele não tá amarrado como nos governos presidencialistas e parlamentaristas, ele manda e pronto. Porque Bento XVI não mandou tudo que podia eu não sei. Por que não botou pra correr os que não prestavam, não sei. Mas que o democrático papa Francisco vá fazê-lo, duvido muito.

  14. É muita podridão junta. Até pra se ler esses artigos sobre os fatos ocorridos na cúria é preciso ter um pregador de roupa preso no nariz.

  15. Realmente só nos resta a promessa de Jesus. Senão, seria o caso de dizer a famosa frase: “O último a sair apague a luz”. Essas pessoas não acreditam mais em nada. E mais. São autênticos criminosos travestidos de homens da Igreja. O pior é que o mal por eles praticado cresce em progressão geométrica, em decorrência da ascensão deles junto ao Estado do Vaticano. Mafiosos, patifes, demônios.

  16. Sr. Ferretti, peço, por favor, excluir a minha postagem anterior e substitui-la por esta. Obrigado.

    “o que impediu ou impede alguns Papas de demitir, imediatamente, tais pessoas…”?
    Uma resposta possível: medo de que aconteça com eles o que aconteceu com João Paulo I, que pretendia mexer no IOR e expulsar os maçons do Vaticano. Resultado: não chegou nem a dar o primeiro passo, quando foi surpreendido por uma morte “repentina” e “totalmente natural”.
    Não, o Papa Francisco não vai meter a mão nessa cumbuca cheia de vespas venenosas. Ou seja, ele não vai bater de frente com essa gente que ele sabe que é muito poderosa e muito perigosa. Só Deus mesmo para resolver.
    Por isso, é preciso fazer só duas coisas: rezar e fazer penitência pelo Papa.

  17. Prezada SOROR Ana Maria Nunes;
    Tenho observado que ultimamente seus comentários estão muito “suaves”.
    Parece-me que você está ficando “muito adocicada” com aquela gente apóstata lá de Roma…
    Serão os “ares acordistas” soprando por aí?
    Espero que não!
    Abraços e reze por nós!
    Em Cristo;

    Helena e Felipe.

  18. Felipe Leão, n faço parte de acordo algum. Perto de mim não sopra nenhum vento que n seja amor e fidelidade a Sã Doutrina. Continuo com os mesmos pensamentos, a diferença nos meus comentários chama-se: meu confessor. Um confessor é necessário na vida de um Católico e somente com ajuda de um pode-se encontrar equilíbrio e aprimorar as virtudes.

    O meu confessor leva a sério o que disse Jesus a Pedro, logo a seus ajudantes tb: apascenta as minha ovelhas. Nunca deixei de crer que havia um papa e sempre achei que há presença real em algumas missas novas. Quando Roma ou qualquer um da hierarquia fizer algo que preste, serão defendidos por mim.

    Agora quanto a ser adocicada sempre fui um amor, simpática, alegre kkk quem me conhece sabe disso, mas eu vivia em más companhias virtuais e n tinha limite na minha coragem, coisa que aprendi com a moderação do senhor Ferretti tb. Continuo apóstola do turíbulo e pago geral se achar que devo, mas n vou perder a minha alma com julgamentos de intenções coisa que aprendi no submundo da tradição!

    Reze por vcs e todos dos comentários sempre. abraços

  19. Eu quis dizer: REZO por vcs e todos dos comentários sempre.

  20. Ana Maria deve seguir seu confessor.Ou mudar de diretor espiritual( lembram-se da expressão?), se o Espírito Santo puder faze-la ver que o atual não é o melhor.
    Caso seja esta a hipótese, que não faço, não adoto nem sugiro.
    Só um comentário sobre direção espiritual.
    Fiquei intrigado com uma expressão: “submundo da tradição”.
    O que é isto?
    Será aquilo que foi passando de um Monsehor a outro, sub( quer dizer, por baixo), formando o que o atual Papa chamou “lobby gay”? Terá algo a ver com recentes livros que li sobre as tradições de se receber, “por fora”, comissões sobre compras que o Vaticano faz?
    Ou sobre o envenenamento do Papa João Paulo I?
    Todos erramos, e pode ocorrer que alguém considere que é TRADIÇÃO aquilo que é apenas algo repetido há muito tempo.
    Mas acho que Ana Maria sabe o sentido que, há séculos, a Igreja dá às palavras TRADIÇÃO e ESCRITURAS.
    Na TRADIÇÃO a sub-stância , o sub-mundo é o Espírito Santo.
    Nas “tradições”, ou traições, iniciadas há cinquenta, cem anos ou pouco mais, pode ser que haja submundo no sentido que a Irmã insinuou.
    Um dia gostaria de ler um esclarecimento dela.
    Certamente me ajudaria a compreender melhor.

  21. Lamartine Hollanda Junior, o submundo da tradição é formado por tradicionalistas virtuais. Gente que n vai à Missa, n frequenta sacramentos, n reza o terço, vive na vida real em total contradição com a vida virtual e pagam de santo (A) na net. É sobre isso que falei, nada mais que isso. abraços

  22. Cara SOROR Ana Maria;
    Agradecemos as Orações, minha esposa e eu, bem como nossos filhinhos.
    Quanto ao que denominei “adocicada” seria porque a defesa da hierarquia romana e seus deslizes foi justamente uma mudança nos comentários.
    Temos também nosso confessor, por sinal, um Sacerdote, muito santo, piedoso e extremamente sério em relação à Doutrina, tendo sido Ordenado pelo “Atanásio do séc. XX”, ou seja, Mons. Marcel Lefebvre.
    Procuramos estudar muito o catecismo de São Pio X, já que tanto minha esposa tanto quanto eu, somos provenientes do Judaísmo, somos frutos da Conversão.
    Tive a Graça de conhecer e ter estado várias vezes com Monsenhor Lefebvre, e de ter sido Crismado por ele, porém, a Helena converteu-se quando nos conhecemos e começamos a namorar, ainda nos tempos da Residência Médica.
    Conhecemos alguns bons padres, conciliares, que também são pessoas muito idôneas, buscam a santidade e levam muitas almas para junto do Coração de Jesus.
    Também acredito que exista a Presença Real, ainda que seja na missa inventada pelo concílio, todavia, prezada Ana, não frequento a igreja conciliar, tampouco minha Família. Nós não admitimos a “substituição” da Missa por essa “celebração antropocêntrica” de gosto luterano/maçônico.
    Nós respeitamos os conciliares, porém, na maioria das vezes, eles não nos respeitam.
    Para eles, nós que guardamos a Sagrada Tradição, somos como que párias. Somos os excomungados.
    Ainda que, para aqueles que conhecem a Doutrina Católica, essa suposta “excomunhão” lançada valha tanto quanto “uma excomunhão” lançada pelo Dalai Lama…
    Como profissional da saúde, várias vezes tenho encontrado dificuldades para o livre exercício de minha consciência Católica, e o pior, em uma instituição de saúde que se intitula “Católica” e, tristemente é “coordenado” por algumas senhoras que se intitulam “religiosas”, as quais não são nenhum exemplo de vida fraterna, caritativa e muito menos Católica…
    E o mais triste é que o discurso, “afinado com a teologia da libertação” sempre falam do pobre, entretanto, na realidade hospitalar na qual estão inseridas essas senhoras, a prática é inexistente…
    Portanto, ainda que muitos da igreja conciliar sejam “bem intencionados”, a grande maioria se distanciou da Verdade, da única Verdade que existe: a Santa Igreja Católica!
    Ficamos muito felizes que você esteja recebendo os Santos Sacramentos por meio de um bom e santo Sacerdote, porém, cara Ana, cuidado para que nos conselhos, não acabem por adormecer sua consciência Católica, firme e forte, como sempre demonstrou aqui, neste “nosso Blog”.
    Quanto a aprender com o Ferretti, isso todos nós aprendemos, porém, o aprendizado é muito longo e, nosso “Professor” e “Moderador”, Ferretti, é muito paciente, uma vez que, quase sempre meus comentários são retidos, devido às minhas ácidas críticas.
    Uma vez mais, agradecemos e novamente nos recomendamos às suas Orações, ainda mais que, ao que tudo indica, receberemos mais um bebê, completando o quarto filho, já que até agora, Nosso Senhor nos concedeu três lindas crianças, dois meninos e uma menina!
    Peço que reze para que a Igreja possa se reerguer desse abismo no qual se encontra caindo dia a dia, com escândalos, apostasias e heresias!
    Para que por intercessão do Imaculado e Doloroso Coração de Maria, o Reinado de Cristo seja estabelecido em Sua Igreja, e que possamos nos ver realmente livres de todos esses males que têm abalado nossa Santa Mãe, a Igreja.
    Que Deus nos conceda um Papa, Santo e que esteja disposto a Restaurar a Igreja, extirpando todas essas malditas heresias trazidas pelo maldito concílio.
    Rezemos, cara amiga e irmã, rezemos muito e nos formemos!
    Somente com muita Oração e uma formação firme, resistiremos à essa triste noite pela qual passa nossa Mãe, a Igreja Católica, traída desde as mais altas posições, lançada ao lodaçal da apostasia e da infidelidade, tal qual a antiga Israel!
    Peçamos que Deus nos envie muita coragem, já que Jeremias e Elias, Mons. Lefebvre e Dom Antônio de Castro Mayer, já nos deram seu Testemunho, anunciando a Verdade Eterna e denunciando a mentira e as heresias!
    Rezemos!
    Contando com suas Orações, seus amigos (ainda que virtuais) e irmãos em Nosso Senhor Jesus Cristo, Rei do Universo:

    Helena e Felipe Leão.

  23. Agradeço a Ana Maria sua nova postagem, que começa citando meu nome.Eu não chamaria o que ela descreve de “submundo da tradição”.E fico pensando os objetivos e concretos, empíricos, métodos que ela usa para dignosticar esta doença religiosa/moral/psicológica nas pessoas. Eu conheci e conheço gente que me pareceu hipócrita, confusa, contriditória, em todos os grupos de pensamento/ação neste mundo.Não sei quem faz pose na internet ou quem não faz( não possuo o dom do discernimento dos espíritos).cnheço, para ficar somente nas nossas imediações, “católicos inclusivos” que são extremamente tolerantes com homossexuais e prostitutas, compreendem e “acolhem”mulheres que abortaram seus filhos, mas são fanaticamente condenadores de freiras, frades, “beatas”, “carolas”, mártires católicos dedicados em África e Asia, etc.
    Fui dirigente da Juventude Univesitária Católica( Ação Católica, recordam?), convivi com católicos ditos de esquerda, de direita, etc, Congregados Marianos, pessoas da TFP, inclusive meu amigo Dr. Plinio Correa de Oliveira, Monsenhor Cardin( Padre belga, operário, que criou a Juventude Operária Católica), freiras das “Comunidades Eclesiais de Base”( tendo tratado algumas delas), “freiras”que MILITAVAM a favor da ideia de que uma mãe favelada que “vê”que não pode dar a seu futuro filho casa e roupas boas, deve MATA-LO( não sei como ela conciliava seu desespero socio economicista com a ideia de que há um Deus e uma vida eterna, onde ter ou não um par de tenis não quer dizer nada), etc, etc.
    Mas não consegui desenvolver este dom de ver quem é fingido ou não, quem está só posando, quem vive o drama da talvez essencial contradição humana. E olha que algumas destas pessoas eu as via por dentro, porque as escutava, como clientes psicoteráticos ou, em alguns casos, como “militantes católicos”de vários e diferentes grupos.Também tenho uma bem menor experiência com budistas, taoistas e muçulmanos, assim como judeus.Isto principalmente no Brasil, mas também na Europa, em Ghana, na Tailândia, na Albânia( que é Europa), Argentina, Uruguai, Equador, Venezuela.Possivelmente, não consegui a “visão mística”do interior delas porque sou muito egocêntrico e vaidoso.Vejam como vou enumerando que sou isto, que sou aquilo, que fiz isto, que fiz aquilo…Por que tanta vaidade, se vou morrer talvez hoje ou, se não, seguro que não chegarei aos 100 anos? E se chegar, o que isto significaria, diante dos infinitos séculos que estarão por vir? Por outro lado, tenho uma “maluquice”.Às vezes, acredito que todo momento tem um que de eternidade.Acredito que, de cada ponto numa série infinita, derivam infinitas cadeias laterais de números imaginários e complexos( número real_ imaginário.Ver Matemática).Fico querendo acreditar que uma samaritana( hereje) junto de um poço pode ser a primeira que ouviu Jesus se proclamar Cristo Rei.Penso no hereje( Samaritano) da parábola do Bom Samaritano. Penso que Judas viabilizou o Calvário. O verdadeiro filósofo não trabalha senão para morrer, dizia Platão( filo = amigo , da sofia = sabedoria ). Daqui a uns dias, saberei se a Sabedoria é muito quente, aprazível, cíclica, ou terrivelmente silenciosa e escura, um sssssssssss que nem pode parar porque nem sequer está ocorrendo.Neste momento, penso que Ana Maria pode me trazer alguma luz ou, quem sabe, eu a ela, ou nós dois aos outros. MEUS CUMPRIMENTOS A HELENA E FELIPE LEÃO.
    Comrpeendo no plano da lógica, o caminho que vai dos Filhos da Aliança aos Filhos de D’us e Irmãos de Cristo. No plano da existência concreta de cada um de nós, não comento agora.

  24. Pequena correção.No meu texto imediatamente anterior, o correto não é como está ( número real_ imaginário) mas sim, “numero real+ imaginário”. Ou seja, um número complexo é aquele resultante da soma de um número real com um número imaginário, no sentido estrito que a matemática significa com as expressões “número real ” e “número imaginário”.

  25. Prezado FRATER Lamartine Hollanda Jr.
    Agradeço as palavras a nós dirigidas, pedindo suas Orações para nossa Família!
    Quanto a nossa SOROR Ana Maria, posso dizer que a “conheço virtualmente”, através de seus bons comentários neste “nosso Blog”.
    Sempre pareceu-me corajosa e firme, típico das Santas Mulheres, tais como Rute e Ester, cuja Fé no Deus Altíssimo se mostrou extremamente sólida.
    Acredito também que sou um pecador, limitado, repleto de imperfeições, porém, que busco realizar a Santíssima Vontade de Deus.
    Já tive a Graça de nascer num lar Católico, visto que foi meu avô paterno quem se Converteu, trazendo para seus três filhos esse infinito Tesouro, a mais rica herança que alguém pode dar: a Salvação em Cristo, nosso Senhor e Rei Eterno.
    Também minha mãe é de ascendência hebraica, porém, a Conversão remonta a meados do séc. XIX, ainda em Portugal, eram “judeus marranos”.
    Quando conheci minha esposa, fiquei fascinado pela sua inteligência, sua amabilidade e sua beleza, porém, notava que lhe faltava “algo essencial”: conhecer o Messias.
    Tive a grande alegria de ser correspondido em meus sentimentos e desde então, mais com testemunho de que com palavras, e graças à ajuda de um Professor Católico, que tive na Universidade (USP Pinheiros), e duas grandes amigas, graças a muito jejum e penitência, consegui trazer à nossa Santa Fé, minha amada e sua mãe, uma pessoa encantadora e maravilhosa, a qual tenho como uma segunda mãe!
    O mais interessante é que um padre conciliar disse à minha sogra que não seria necessário que ela e minha amada Helena recebessem o Batismo, já que elas eram filhas da Promessa.
    Melhor foi a resposta de minha sogra: “a Promessa se realiza em Jesus Cristo, o Messias esperado por Israel e, a Igreja é o novo Israel, como fora prometido pelo Altíssimo a meu Pai Abraão ‘ terás um descendência mais numerosa que as estrelas do céu e que as areias do deserto.’!”
    Assim que essa neo igreja, em nome de seu nefasto ecumenismo, nascido no maldito concílio, entende: não se faz mais necessária a Conversão, o Batismo e entregar-se ao Cristo!
    Quanto ao que nossa amiga Ana Maria se refere aos comentários de muitos FRATRES, caro Sr. Lamartine, deve-se a que muitos não têm a mesma coragem que o Sr. e ela possuem, já que muitos acabam por frequentar a igreja conciliar, visto a falta de Sacerdotes que ofereçam o Santo Sacrifício da Cruz. Acabam por temer certas reações, ou mesmo de se sentirem “infiéis”, por criticarem essas ou aquelas posturas.
    Nosso “trabalho” é fazer que mais e mais pessoas conheçam a Verdade Católica, não esse arremedo de fantasias antropocêntricas ensinadas pela malfadada igreja conciliar.
    E isso estamos conseguindo, dia a dia, graças a pessoas, tais quais o Ferretti, nosso Moderador, o qual possibilita que muitos tenham acesso às notícias e a comentários de pessoas tão cultas e bem preparadas como o Sr. e grande parte dos comentadores deste “nosso Blog”.
    Enfim, uma vez mais, agradeço ao Sr. suas palavras, pois realmente buscamos viver intensamente nossa Santa Fé, aqui em nossa Família, e para que sejamos cada vez mais fortes, contamos com as Orações de pessoas como o Sr.
    Dediquemo-nos à Oração e ao Estudo de nossa Santa Fé!
    Somente assim teremos forças para enfrentar os inimigos da Deus e de Sua Santa Igreja.
    Confiemos muito na intercessão valiosa da Santíssima Virgem, pois tal qual foi Prometido no Livro do Gênesis: IPSA CONTERET, ou seja, “Ela esmagará”, que fora o lema Episcopal do Grande Leão de Campos: Dom Antônio de Castro Mayer.
    Rezemos, nos formemos e Guardemos nossa Santa FÉ!
    Afinal, somos o “pequeno resto de Israel”, já Profetizado por Jeremias e Isaías!
    Ao Sr., caro Lamartine, e à sua Família, meus cumprimentos e a certeza de que estarão em nossas Orações!
    Lutemos, tal qual os heroicos Cristeros, ainda que a hierarquia atual prefira para todos nós um “modus morriendi”, como no México, sempre em nome das “boas relações institucionais” e do “bom mocismo”.
    Viva Cristo Rei!
    Com nossa gratidão, os amigos (ainda que virtuais) e irmãos em Nosso Senhor Jesus Cristo:

    Helena e Felipe Leão.

  26. Lamartine Hollanda Junior, falo do que vivi. Se vc aceita ou n o que eu disse a mim pouco importa.

  27. Felipe Leão, ninguém calará a minha consciência ou vc me verá defender erro de Roma ou o lixo CVII. De nada adianta grande demonstração de Fé aqui no Fratres e perder a alma por estar em companhia de submundo virtual. Cansei dessa gente hipócrita que n reza, vive no pecado e paga de santa. Estou cuidando da minha alma. Coisa que os trads virtuais n fazem.
    Tb tenho bons livros, Felipe. Mas entendi que eles n valem nada se eu n for humilde para ajudar a quem n tem os mesmos livros.
    Deus abençoe e guarde sua família e vc!
    Que Viva Cristo Rei!
    abraço

  28. Caros Felipe Leão e Ana Maria:obrigado por prestarem atenção ao que escrevi. Felipe e sua esposa sào grande exemplo de vida.Como tenho 77 anos, tive a sorte de conhecer, e conversar pessoalmente, com Plinio Correa de Oliveira, e conhecer, muito bem, o pensamento de D.Antonio de Castro Meyer.Acredito que, algum dia, poderei conversar melhor com Felipe.Achei interessante a ideia do Padre que ele citou, em relação ao batismo de sua esposa e sua sogra: quem é judeu, não precisa de batismo!Falta-me ânimo para expor agora tudo quanto me vem, diante de afirmações deste tipo.
    A minha irmã Ana Maria está muito doce em suas palavras. Pena somente que a ela não importe o que eu pense a respeito das ideias dela sobre a falsidade e a hipocrisia que ela consegue ver em tanta gente. Vai ver que é verdade. Para mim, é bem difícil “ver”que alguém faz pose de bom somente diante do computador. Pode ser, é uma hipótese viável. O problema é poder reconhecer EM QUEM ela ocorre, e QUANDO está ocorrendo. Como aqui não é confessionário, não vejo conveniência em falar de minhas possíveis grandes faltas. Nem expor dúvidas teológicas, filosóficas e históricas além de exegéticas. Estamos todos de acordo que não há Igreja Católica sem Jesus, sem adesão ao Credo, sem amor, sem “seja o teu sim, sim, seja o teu não, não. Ninguém pode servir a dois senhores”.Posso estar errado( o Papa, que foi escolhido pelo Espírito Santo, usou aqui no Brasil certas palavras que, no contexto, ensinam o que não é católico.Fez práticas, e omissões, idem.Fico um tanto desorientado), mas só consigo entender a altíssima conveniência de uma prática e uma doutrinação dentro do que se tem chamado, um tanto pejorativamente, uma posição conservadora católica. Sou do tempo da Missa rezada em latim.Sei boa parte dela de cor( a Missa de Sempre).Acredito no enorme valor de se falar bem claro que se é contra assassinatos de crianças inocentes, que se deve deixar claro que homossexualismo é doença mental, adquirida e curável, sendo também um problema moral, religioso e um tremendo mau gosto.Tenho uma convicção como se fosse evidência que qualquer arrogância e soberba é pura tolice, e que basta ter bom senso, perceber a propria transitoriedade, para que não se consiga ser senão humilde.
    Nada do que sejamos, nada do que fizermos, pode ser mérito primário nosso. Somos meros bruxoleios de vagalumes cósmicos( sem Nova Era! ).

  29. FRATRER Lamartine Hollanda Jr.
    Muito obrigado pelas palavras e pelas Orações!
    Minha Família e eu também rezamos pelo Sr. e pelos seus!
    Espero ter a oportunidade de nos “falarmos”, ainda que seja virtualmente, como agora o fazemos, graças a este “nosso Blog”!
    Fico contente que o Sr. tenha conhecido Dom Mayer. Também tive a oportunidade de vê-lo algumas vezes, entre as quais, na Sagração em Ecône, no já distante 1988!
    Quanto ao que o tal padre disse à minha sogra, e muito do que ouço, relevemos e tenhamos como um claro e triste exemplo da “auto-demolição” da Igreja, iniciada pelo infame concílio.
    Creio que o Sr., pela experiência de vida e profissional, que pelo jeito, devemos ser colegas de Medicina, o Sr. tem muito a falar e evidentemente a ensinar. Será uma grande alegria!
    Quanto ao sr. PLínio, não o conheci, tampouco meus pais, visto que, destarte, não posso tecer nenhum comentário a respeito deste cavalheiro.
    Tampouco li, ou tenha algum interesse de ler, qualquer obra deste sr., entretanto, já ouvi falar, porém, como descendente de Hebreus e Republicano, não tenho afinidade com os ideais do referido autor.
    Uma vez mais, agradeço às palavras e às Orações e tenho certo que seus comentários são sempre de muito equilíbrio, onde se percebe sua vasta cultura e sua vivência!
    Obrigado, reze por nós, Paz e Bem!
    Com nossos agradecimentos sinceros:
    Helena e Felipe Leão.

  30. Caro Colega Felipe: Sim , sou médico, especialista em Psiquiatria, Cremepe 915( sim, 915. Número pequeno, dos iniciais que se registraram aqui em Pernambuco).Quanto ao grande pensador católico Plinio Correa, sugiro ler dele Revolução e Contra Revolução, e Baldeacão Ideológica Inadvertida e Diálogo. São Tomás considerava que poderiam haver três formas aceitáveis de organização social, a monárquica, a republicana e a aristocrática.E preferia a monárquica. Sobre o Dr.Plínio, muito foi dito de exagero.Sem entrar em detalhes, reconheço que, frequentemente, sinto dificuldade de aceitar o modo categórico como seguidores dele falam, mas não encontro, formalmente, nada herético no que ele dizia, e mesmo seus seguidores.O fato de você e eu termos ancestrais hebreus( Sefardis,no meu caso) e o conhecimento que talvez você tenha de modos devocionais e alimentares( e eu também, por imersão durante bastante tempo), não deve impedir de ter a mente aberta para o que Dr. Plinio escrevia e falava.Ele sempre tratava de coisas que estavam muito acima de circunstâncias existenciais/históricas apenas.

  31. Caro Colega Lamartine;
    Agradeço a gentileza na resposta.
    Estamos em áreas afins, uma vez que sou Neurologista.
    Tenho 37 anos, casado, pai de três lindos filhinhos e em breve, com a graça de Deus, teremos mais um, já que temos um bebê a caminho!
    Minha esposa também é nossa colega, na área da Pediatria.
    Apesar de anticonciliaristas, ficamos encantados com a simpatia e simplicidade do Papa Francisco e pedimos que o Bom Deus possa protegê-lo e inspirá-lo para que possa governar a Igreja com Prudência e Santidade, efetuando uma verdadeira “Reforma da Reforma”…
    Já que tanto vimos o Papa no Rio de Janeiro, digo, tal qual dizia aquele samba enredo: “sonhar não custa nada…”
    Já que ele está a limpar a “cúria espúria”, poderia efetuar também uma limpeza no “serpentário” da cãoferrância episcaopau brasuca…
    Difícil, mas, para Deus, nada é impossível!
    Quanto à referência política que o Colega fez, entendo que a Monarquia fora um excelente modelo, especialmente na época dos pequenos estados, na velha Europa.
    Porém, acredito que a República seja uma forma mais interessante, porém, com algumas características que infelizmente, em nosso país necessitariam de ser implantadas, a começar pela não reeleição.
    Acredito que o II Império foi o momento em que nosso país viveu uma “democracia coroada”, porém, devido à sábia maneira de D. Pedro II governar.
    Tenho grande admiração pela figura forte e bondosa de nossa Regente, a Princesa Isabel, sua Fé inquebrantável e sua simplicidade e humildade.
    Porém, acredito que em nosso país, tal modelo não mais funcionaria, devido a inúmeros problemas sócio-políticos marcadamente brasileiros.
    Entretanto, caro Colega, não tenho formação acadêmica para discutir história ou filosofia política, e este “nosso Blog” também não seria o espaço adequado para tal.
    Mas mesmo assim, ressalto minha opção política, sou Republicano.
    Ademais, como o caro Colega ressaltou ter ascendência Hebraica Sefardi, temos muitos hábitos hebraicos em casa, principalmente no que se refere à higiene e à alimentação.
    Tal qual imigrantes de outras origens, também nossa Família mantém suas Raízes e nossa Cultura Hebraica. Esse é um tesouro e uma alegria que temos: somos Filhos da Promessa!
    Temos muitos costumes dos Hebreus da Europa central, bem como hábitos Sefardis, uma vez que, tal como o Colega, minha mãe também descende de “marranos” (ela também é nossa Colega, da área da Obstetrícia).
    Ainda mantemos a marca da Aliança dos Filhos da Promessa, tanto em meus dois filhos, quanto em meu sobrinho, os quais a receberam de meu pai, costume Hebreu, sendo ele o Patriarca (também meu pai é Colega, da área da Cardiologia).
    Quanto à alimentação, apesar dos cuidados da Helena, uma vez que vivemos no interior, em uma Fazenda, com duas excelentes cozinheiras, ambas mineiras, comemos de tudo, como nos ensinam os Santos Apóstolos Pedro e Paulo, já que tudo provém de Deus!
    Porém, temos algumas reservas alimentares, já que herdamos muito de nossa Cultura Semita, como o Colega também deve tê-las.
    Quanto ao referido autor, o qual percebo sua admiração, não posso tecer nenhum comentário a respeito da pessoa dele, já que não o conheci.
    Quanto aos seus escritos, agradeço a indicação dos livros, porém, informo minhas reservas quanto aos mesmos, visto uma forte proximidade do referido autor com ideias não muito simpáticas a nós, Filhos dos Hebreus.
    Peço-lhe desculpas pela longa resposta, bem como pelas ácidas críticas, porém, tenho certo que entenda que através do humor, ainda que escrachado, criticamos e somos facilmente entendidos.
    Velhas lições das Ciências Médicas, rsrsrsrsrs.
    Fico muito agradecido pela amizade e pelas palavras, ofertando minha gratidão e minhas Orações, bem como de minha Família.
    Recomendo-me às suas Orações, bem como minha Família e amigos.
    Que a Virgem Imaculada, a Senhora do Monte Carmelo, possa sempre cobri-lo com Seu Manto e leva-lo sempre aos braços do Divino Salvador!
    Com minha admiração, meu carinho e minhas estimas, saudações em Cristo;
    Dos irmãos na mesma Fé, nas mesmas origens, colegas e amigos:

    Helena e Felipe.