Bombástico! Antigo núncio nos EUA: “Papa Francisco sabia de tudo. Ele deve renunciar”.

Por Rorate Caeli, 26 de agosto de 2018 | Tradução: FratresInUnum.com


“Il papa si deve dimittere.” — O Papa deve se demitir,

São essas as palavras explosivas do antigo núncio apostólico (embaixador papal) nos Estados Unidos, de 2011 a 2016, o Arcebispo Carlo Maria Viganò.

Sua entrevista segue a publicação de seu explosivo testemunho escrito (leia íntegra aqui – tradução para o português sendo providenciada, se leitores puderem nos ajudar, enviem a tradução para fratresinunum@gmail.com) sobre como a máfia homossexual governa o Vaticano e ocupa os postos mais importantes nos EUA. Ela também trata de como Bento XVI tentou punir o ex-Cardeal McCarrick — e como o Papa Francisco, e o Cardeal Wuerl, embora cientes das sanções e razões, promoveram-no e honraram-no.

A passagem mais grave é a seguinte:

“Minha consciência exige que também revele fatos que experimentei pessoalmente, a respeito do Papa Francisco, que possuem dramático significado, que, como bispo, compartilhando a responsabilidade colegial por todos os bispos na Igreja universal, não me permitem ficar em silêncio, e eu declaro aqui, pronto a reafirmar tudo sob juramento, tomando a Deus como minha testemunha.

 

Nos últimos meses de seu pontificado, Bento XVI convocou um encontro de todos os núncios apostólicos em Roma, como Paulo VI e S. João Paulo II fizeram em diversas ocasiões. A data definida para a audiência com o Papa era sexta-feira, 21 de junho de 2013. O Papa Francisco manteve este compromisso marcado por seu predecessor. Claro, eu também vim a Roma, de Washington. Era meu primeiro encontro com o novo papa, eleito há apenas três meses, após a renúncia do Papa Bento.

Na manhã de quinta-feira, 20 de junho de 2013, fui à Casa Santa Marta para me juntar a meus colegas que estavam se hospedando lá. Tão logo adentrei o saguão, encontrei o Cardeal McCarrick, que vestia sua batina púrpura. Cumprimentei-o respeitosamente, como sempre fiz. Ele imediatamente me disse, em um tom tanto ambíguo como triunfante: “O Papa me recebeu ontem, amanhã irei para a China”.

À época, eu nada sabia acerca da sua longa amizade com o Cardeal Bergoglio e do papel importante que ele teve em sua recente eleição, como McCarrick mesmo revelaria em uma conferência na Villanova University e em uma entrevista ao National Catholic Reporter. Sequer havia pensado no fato de ele ter participado nos encontros preliminares ao conclave, e no papel que ele pôde desempenhar enquanto cardeal eleitor em 2005. Portanto, eu não compreendi imediatamente o significado da mensagem criptografada que McCarrick me comunicou, mas isso se tornaria claro para mim nos dias seguintes.

No dia posterior, ocorreu a audiência com o Papa Francisco. Após o seu discurso, que foi parcialmente lido e parcialmente improvisado, o Papa desejou cumprimentar todos os núncios, um a um. Em uma fila única, lembrei-me que estava entre os últimos. Quando chegou minha vez, somente tive tempo de dizer-lhe: “Sou o núncio nos Estados Unidos”. Ele imediatamente me atacou em um tom de reprovação, usando estas palavras: “Os bispos nos Estados Unidos não devem ser ideologizados! Devem ser pastores!”. Evidentemente, eu não estava em condições de pedir explicações sobre o significado de suas palavras e a maneira agressiva com que ele me repreendeu. Eu tinha em mão um livro em português que o Cardeal O’Malley enviou por mim ao Papa alguns dias antes, dizendo-me “então, ele poderá estudar seu português antes de ir ao Rio para a Jornada Mundial da Juventude”. Entreguei-lhe imediatamente e então me livrei daquela situação extremamente desconcertante e embaraçosa.

Ao fim da audiência, o Papa anunciou: “Àqueles que ainda estiverem em Roma no próximo domingo, convido-os a concelebrar comigo na Casa Santa Marta”. Eu, naturalmente, pensei em ficar para esclarecer, o quanto antes, tudo o que o Papa quis me dizer.

No domingo, 23 de junho, antes da concelebração com o Papa, perguntei a Mons. Ricca, que, como pessoa a cargo da casa, ajudava-nos a nos paramentar, se ele poderia pedir ao Papa para me receber por algum tempo durante a semana seguinte. Como poderia eu retornar a Washington sem esclarecer o que o Papa queria de mim? Ao fim da missa, enquanto o Papa cumprimentava alguns poucos leigos presentes, Mons. Fabian Pedacchio, seu secretário argentino, veio a mim e disse: “O Papa me pediu para perguntar se o senhor está livre agora!”. Naturalmente, respondi que estava à disposição do Papa e que o agradecia por me receber imediatamente. O Papa me levou ao primeiro andar em seu apartamento e disse: “Temos 40 minutos antes do Angelus”.

Iniciei a conversa, perguntando ao Papa o que ele quis me dizer com as palavras que me dirigiu quando o cumprimentei na última sexta-feira. E o Papa, de forma muito diferente, amigavelmente, em um tom quase afetuoso, disse-me: “Sim, os bispos nos Estados Unidos não devem ser ideologizados, não devem ser direitistas como o Arcebispo da Filadélfia (o Papa não me disse o nome do Arcebispo), devem ser pastores; e não devem ser esquerdistas — e ele acrescentou, levantando os dois braços — e, quando digo esquerdista, quero dizer homossexual”. Claro, a lógica da correlação entre ser esquerdista e ser homossexual me escapou, mas não acrescentei nada.

Imediatamente depois, o Papa me perguntou, de forma capciosa: “Como é a vida do Cardeal McCarrick?” Respondi-lhe com total franqueza e, se preferir, com grande ingenuidade:  “Santo Padre, não sei se o senhor conhece o Cardeal McCarrick, mas, se perguntar à Congregação para os Bispos, há um dossiê dessa grossura a respeito dele. Ele corrompeu gerações de seminaristas e padres e o Papa Bento ordenou-lhe que se retirasse para uma vida de oração e penitência”. O Papa não fez o menor comentário sobre essas palavras gravíssimas e não demonstrou nenhuma expressão de surpresa em sua face, como se já soubesse do assunto por algum tempo, e imediatamente mudou de Dtema. Mas, então, qual era o propósito do Papa em me perguntar: “Como é a vida do Cardeal McCarrick?” Ele claramente queria saber se eu era um aliado de McCarrick ou não.

De volta a Washington, tudo ficou muito claro para mim, graças também a um novo fato ocorrido pouco após o meu encontro com o Papa Francisco. Quando o novo bispo Mark Seitz tomou posse na diocese de El Paso, em 9 de julho de 2013, enviei o primeiro conselheiro [da nunciatura], Mons. Jean-François Lantheaume, enquanto fui a Dallas, no mesmo dia, para um encontro internacional sobre bioética. Quando voltei, Mons. Lantheaume disse-me que em El Paso ele encontrara o Cardeal McCarrick que, tomando-lhe de lado, disse-lhe quase as mesmas palavras que o Papa me dissera em Roma: “os bispos nos Estados Unidos não devem ser ideologizados, não devem ser de direita, devem ser pastores…”. Eu estava atônito! Era claro, portanto, que as palavras de repreensão que o Papa Francisco me dirigiu naquele 21 de junho de 2013 foram colocadas em sua boca no dia anterior pelo Cardeal McCarrick. Também a menção do Papa “a não serem como o Arcebispo de Filadélfia” poderia ser traçada a McCarrick, pois houve um duro desentendimento entre os dois a respeito da admissão à Comunhão de políticos pró-aborto. Em sua comunicação com os bispos, McCarrick manipulou a carta do então Cardeal Ratzinger, que proibia administrar-lhes a Comunhão. De fato, eu também sabia como certos Cardeais, como Mahony, Levada e Wuerl, eram muito próxims de McCarrick; eles se opuseram às mais recentes nomeações feitas pelo Papa Bento, para importantes postos como Filadélfia, Baltimore, Denver e São Francisco.

Não satisfeito com a cilada que me armara no dia 23 de junho de 2013, quando me perguntou sobre McCarrick, apenas poucos meses depois, na audiência que me concedeu em 10 de outubro de 2013, o Papa Francisco armou uma outra para mim, dessa vez sobre um outro protegido seu, Cardeal Donald Wuerl. Ele me perguntou: “Como é o Cardeal Wuerl, ele é bom ou ruim?” Respondi: “Santo Padre, não lhe direi se ele é bom ou ruim, mas lhe contarei dois casos”. São os que citei acima, que diz respeito à falta de cuidad pastoral de Wuerl a respeito dos aberrantes desvios da Georgetown University e o convite da Arquidiocese de Washington a jovens aspirantes aos sacerdócio para se encontrarem com o Cardeal McCarrick! Novamente, o Papa não demonstrou nenhuma reação.

Era também claro para mim, desde a eleição do Papa Francisco, que McCarrick, agora livre de todos as restrições, sentiu-se à vontade para viajar continuamente, dar conferências e entrevistas. Em um esforço conjunto com o Cardeal Rodriguez Maradiaga, ele se tornou o “fazedor de reis” para as nomeações na Cúria e nos Estados Unidos, e o conselheiro mais ouvido no Vaticano para as relações com a administração Obama. É isso que explica a substituição do Papa, na Congregação para os Bispos, de Burke por Wuerl, e a nomeação imediata de Cupich após este ser feito cardeal. Com essas nomeações, a Nunciatura em Washington estava era fora de cena no que diz respeito à nomeação de bispos. Além disso, ele nomeou o brasileiro Ilson de Jesus Montanari — um grande amigo de seu secretário pessoal, o argentino Fabian Pedaccio — como Secretário da mesma Congregação para os Bispos e Secretário do Colégio de Cardeais, promovendo-lhe em uma única canetada de simples oficial de departamento a Arcebispo Secretário. Algo sem precedentes para uma posição tão importante! As nomeações de Blase Cupich para Chicago e Joseph W. Tobin para Newark foram orquestradas por McCarrick, Maradiaga e Wuerl, reunidos por um iníquo pacto de abusos pelo primeiro, e ao menos por acobertamentos pelos outros dois. Os nomes dos designados não estavam entre os apresentados pela Nunciatura para Chicago e Newark.

A respeito de Cupich, não se pode deixar de notar sua ostensiva arrogância e a insolência com que ele nega a evidência que agora é óbvia a todos: que 80% dos abusos reconhecidos foram cometidos contra jovens por homossexuais que possuíam relação de autoridade com as vítimas. Durante a conferência que ele deu quando tomou posse da Sé de Chicago, na qual eu estava presente como representante do Papa, Cupich fez um gracejo dizendo que ninguém, certamente, esperasse que o novo arcebispo andasse sobre as águas. Talvez seria suficiente para ele poder manter seus pés no chão e não tentar virar a realidade de cabeça para baixo, cego por sua ideologia pro-gay, como ele afirmou recentemente em uma entrevista para a revista America. Louvando sua própria experiência no assunto, tendo sido Presidente do Comitê para Proteção de Crianças e Jovens da Conferência Episcopal dos Estados Unidos, ele afirmou que o principal problema da crise de abusos sexuais pelo clero não era a homossexualidade, e que afirmá-lo é só uma forma de desviar a atenção para o problema real, que é o clericalismo. Para confirmar sua tese, Cupich “estranhamente” fez referência aos resultados de uma pesquisa realizada no ápice da crise de abuso de menores, no início dos anos 2000, enquanto ele “candidamente” ignorava que os resultados daquela investigação foram totalmente negados pelas pesquisas independentes feitas pelo John Jay College of Criminal Justice em 2004 e 2011, que concluíram que, nos casos de abuso sexual, 81% das vítimas eram homens. De fato, o Padre Hans Zollner, S.J., Vice-Reitor da Pontifícia Universidade Gregoriana, Presidente do Centro para a Proteção da Criança e membro da Comissão Pontifícia para a Proteção de Menores, recentemente afirmou ao jornal La Stampa que “na maior parte dos casos trata-se de uma questão de abuso homossexual”. A nomeação de McElroy em San Diego foi orquestrada desde cima, com uma ordem criptografada peremptória para mim, enquanto núncio, feita pelo Cardeal Parolin: “Reserve a Sé de San Diego para McElroy”. McElroy também estava ciente dos abusos de McCarrick, como pode ser visto pela carta enviada a ele por Richard Sipe, em 28 de julho de 2016.

Esses personagens estão proximamente associados com indivíduos pertencentes, em particular, à ala desviada da Sociedade de Jesus, infelizmente, hoje, a maioria, que já havia sido uma causa de séria preocupação a Paulo VI e seus sucessores. Devemos apenas considerar o Padre Robert Drinan, SJ, eleito quatro vezes para a Câmara dos Representantes [parte do Congresso americano], um grande apoiador do aborto; ou Padre Vincent O’Keefe, SJ, um dos principais promotores da The Land O’Lakes Statement de 1967, que seriamente comprometeu a identidade católica das universidades e colégios nos Estados Unidos. Deve-se notar que McCarrick, então presidente da Universidade Católica de Puerto Rico, também participou naquela nefasta iniciativa que foi tão danosa à formação das consciências da juventude americana, muito próximo, como era, da ala desviada dos jesuítas. Padre James Martin, S.J., aclamado pelas pessoas citadas acima, em particular por Cupich, Tobin, Farrell e McElroy, nomeado consultor do Secretariado para as Comunicações, conhecido ativista que promove a agenda LGBT, escolhido para corromper os jovens que em breve estarão se reunindo em Dublin para o Encontro Mundial das Famílias, não é nada mais que um triste e recente exemplo daquela desviada ala da Sociedade de Jesus.

O Papa Francisco repetidamente pediu por total transparência na Igreja e, aos bispos e fiéis, que agissem com parrhesia. Os fiéis por todo o mundo também pedem isso a ele, de maneira exemplar. Ele deve honestamente afirmar quando ele tomou conhecimento dos crimes cometidos por McCarrick, que abusou de sua autoridade sobre seminaristas e padres.

Em todo caso, o Papa soube disso por mim, em 23 de junho de 2013, e continuou a acobertá-lo. Ele não levou em consideração as sanções que o Papa Bento impôs a McCarrick e lhe fez um conselheiro de confiança, juntamente com Maradiaga.

Este último é tão confiante da proteção do Papa que ele pode descartar como “fofoca” o doloroso apelo de diversos de seus seminaristas que tiveram coragem para escrever-lhe, após vários terem tentando suicídio por conta do abuso homossexual no seminário.

Agora, os fiéis compreenderam a estratégia de Maradiaga: insulte as vítimas para se salvar a si mesmo, minta para o amargo fim de acobertar um abismo de abuso de poder, de má gestão na administração dos bens da Igreja, e desastres financeiros mesmo contra amigos próximos, como no caso do Embaixador de Honduras, Alejandro Valladares, ex decano do Corpo Diplomático da Santa Sé.

No caso do ex bispo auxiliar Juan José Pineda, após um artigo publicado no semanário italiano L’Espresso no último mês de fevereiro, Maradiaga afirmou ao jornal Avvenire: “Foi meu bispo auxiliar Pineda que pediu por uma visitação, a fim de ‘limpar’ seu nome após ter sido submetido a tanta calúnia”. Agora, acerca de Pinada, o único fato que foi feito público foi de que sua renúncia foi aceita, fazendo, assim, toda responsabilidade dele e de Maradiaga desaparecer. Em nome da transparência tão louvada pelo Papa, o relatório do Visitador, o bispo argentino Alcides Casaretto, entregue mais de um ano atrás diretamente ao Papa, deveria ser publicado. Finalmente, a recente nomeação como Substituto [da Secretaria de Estado] do Arcebispo Edgar Peña Parra também tem relação com Honduras, isto é, com Maradiaga. De 2003 a 2007, Peña Parra trabalhou como Conselheiro na nunciatura de Tegucigalpa. Como delegado das Representações Pontifícias, eu recebi preocupantes informações a respeito dele.

Em Honduras, um escândalo tão grande como o ocorrido no Chile está para se repetir. O Papa defende o seu homem, o Cardeal Rodriguez Maradiaga, até o fim, como fez com o bispo chileno Juan de la Cruz Barros, que ele mesmo nomeou bispo de Osorno contra o conselho dos bispos chilenos. Primeiro, ele insultou as vítimas de abuso. Depois, somente quando foi forçado pela mídia, e por uma revolta das vítimas e dos fiéis chilenos, ele reconheceu seus erros e pediu desculpas, enquanto afirmava ter sido mal informado, causando uma situação desastrosa para a Igreja no Chila, mas continuando a proteger os dois cardeais chilenos, Errazuriz and Ezzati.

Mesmo no trágico caso de McCarrick, o comportamento do Papa não foi diferente. Ele sabia pelo menos desde 23 de junho de 2013 que McCarrick era um predador em série. Embora soubesse que era um homem corrupto, ele o acobertou até o fim; de fato, ele fez dos conselheiros de McCarrick seus, que, certamente, não foi inspirado por intenções sadias e pelo amor à Igreja. Apenas quando foi forçado pelas denúncias de abusos de menores, novamente por conta da atenção da mídia, ele agiu acerca de McCarrick para salvar sua própria imagem na imprensa.

Agora, nos Estados Unidos, um coro de vozes está se levantando, especialmente dos leigos, e recentemente unidas a de diversos bispos e padres, pedindo que todos aqueles que, por silêncio, acobertaram o comportamento criminoso de McCarrick, ou que se usaram dele para promover suas carreiras e intenções, ambições e poderes na Igreja, renunciem

Mas isso não será suficiente para curar uma situação de comportamento imoral extremamente grave pelo clero: bispos e padres. Um tempo de conversão e penitência deve ser proclamado. A virtude da castidade deve ser redescoberta no clero e nos seminários. A corrupção no mau uso dos recursos da Igreja e das ofertas dos fiéis deve ser combatida. A gravidade do comportamento homossexual deve ser denunciada. As redes homossexuais presentes na Igreja devem ser erradicadas, como Janet Smith, Professor de Teologia Moral no Seminário Maior do Sagrado Coração em Detroit, recentemente escreveu: “O problema do abuso do clero não pode ser simplesmente resolvido pela renúncia de alguns bispos, e menos ainda com diretrizes burocráticas. O problema mais profundo está nas redes homossexuais dentro do clero que devem ser erradicadas”. Essas redes homossexuais, agora difundidas em muitas dioceses, seminários, ordens religiosas, etc, agem sob a ocultação de segredos e mentiras com o poder de tentáculos de um polvo, e estrangulam vítimas inocentes e vocações sacerdotais, e estão estrangulando a Igreja inteira. Eu imploro a todos, especialmente aos bispos, que levantem suas vozes a fim de abater essa conspiração de silêncio que está tão disseminada, e a relatar os casos de abuso que souberem à mídia e às autoridades civis.

* * *

Francisco não deveriam estar se exibindo agora em Dublin: deveria estar assinando sua carta de renúncia. Ele se demonstrou absolutamente comprometido com a máfia pecaminosa que, liderada por conhecidos promotores do homossexualismo, tais como Dannels e posteriormente aderida por Bertone, elegeram-no. A presença de Bergoglio no topo da Igreja é uma indelével marca de vergonha e desonra.

Indelével, mas não inconsertável: Fora agora!

53 Comentários to “Bombástico! Antigo núncio nos EUA: “Papa Francisco sabia de tudo. Ele deve renunciar”.”

  1. Ou o ex-núncio ficou louco e elaborou uma enorme mentira ou, se for verdade, vai explodir com o que resta!

    Isto é gravíssimo. Não há volta a dar. Só vejo uma solução: uma investigação independente e, confirmando-se isto, haver uma demissão em massa dos acusados e, claro, também do próprio Papa e serem todos os implicados entregues à justiça.

    Vale a pena esperar uma declaração oficial ou desmentido do Vaticano? Repito, isto é grave, gravíssimo! Tanto a acusação como, pior ainda, se foi mesmo assim!

    Desesperança, desconfiança, total descredibildade, nojo e completa vergonha: é isto que se sentir em relação à Igreja católica no seu estado atual, que está a ruir a olhos vistos. E ainda bem. Que caia quem tiver de cair, se for preciso a Igreja inteira!

  2. Uma Lava-Jato em paróquias e dioceses ajudaria muito também a combater o terrível lobby gay e a prepotência de muitos que ocupam hoje altos postos, e tudo fazem para minar as verdadeiras vocações sacerdotais e leigas. A hora da verdade chegará, e o joio exposto mostrará que não era trigo. Pois os melhores trigos hoje no seio da Igreja estão sufocados por muito joio. A hora da verdade chegará e mostrará, quem é quem, de fato, e de que lado estão. Os verdadeiros evangelizadores tem muita dificuldade de encontrar espaço nas estruturas da Igreja, o que causa muito sofrimento, mas que perseveram com heroísmo até, mas com muito sofrimento”A corrupção no mau uso dos recursos da Igreja e das ofertas dos fiéis deve ser combatida.”

    • Queridos e amados irmãos meus cristãos, verdadeiros seguidores de Jesus Cristo. O que nós devemos fazer nesse momento é rezar muito pelo Papa Francisco que no momento é o representante de Jesus Cristo neste mundo na sua igreja, nós cristãos sabemos que a nossa igreja é Una Santa católica e Apostólica é dirigida e guiada pelo Espírito Santo ela é um corpo cuja cabeça é o próprio fundador Jesus Cristo portanto confiemos em Deus e deixemos o nosso Papa trabalhar apenas rezemos muito por ele. Sabemos que existem movimento, oculto Que querem derrubar e destruir a igreja a partir do seu interior Com certeza tem gente dentro da igreja muito interessada nisto. Portanto como somos apenas humanos não conseguimos enxergar tudo mas Deus é quem dirige essa igreja rezemos e deixemos que o Espírito Santo faça façamos como Maria Santíssima “faça-se” em nossa igreja. Confiemos seguramente no Espírito Santo que dirige a nossa igreja através do Papa Francisco não tenhamos medo de confiar em nossa igreja pois ela é Una Santa católica e Apostólica dirigida e guiada pelo próprio fundador Jesus Cristo através do seu Espírito Santo!!

    • Parabéns, professor. É isso mesmo que precisa acontecer.

  3. Melhor não seria, sendo fato se suceder o acima: coagido pelos fatos e sem saída, o papa Francisco obrigou-se a renunciar?
    No comentario anterior, escrevi: “Demasiado lamentável, D Robert Morlino que agora, apenas depois de tantos anos nos apareçam alguns raros bispos em contrario publicamente ao papa Francisco, dispersos, pois os aguerridos no sentido estrito da palavra, como D Athanasius Schneider desde tempos atrás são tão raros quase inexistentes e, para se se chegar à dimensão dessa conclusão, aqui, por ex., no Brasil, entre varias centenas conhecidos, apenas D Aldo Pagotto, mesmo assim foi caluniado, destituído das funções episcopais – houve retratação da acusadora – no entanto, já havia sido “premiado”, caso irreversível!
    Em ano apenas de pontificado, os acontecimentos são tão abundantes que não é possível tratá-los todos no marco necessariamente restrito ao post e, ao mesmo tempo, não é tarefa simples limitar-se a escolher simplesmente os preocupantes, já que tantos são portadores de uma carga simbólica que os tornaria estranhos aos olhos do observador atento, indicando uma situação eclesial sem precedentes na história da Igreja, gerariam perplexidade e confusão aos menos esclarecidos pelas ambiguidades contidas e reformulações sofisticadas e engenhosas dos textos”, hoje acrescentando, conduzindo a todos à religião Novus Ordo Mundialista, a preferida e projetada pelos globalistas-maçonaria, a dos carbonarios Vindice e Nubius!
    Aguardemos os próximos lances de acusarem, se se demitir, de golpistas, caso CNBB e mais inimigos da Igreja tradicional!

  4. A diretriz oculta no seio do clero, e que envolve também religiosos consagrados, é a de encobrir criminosos sexuais, com a desculpa da compaixão, misericórdia, perdão. Enquanto isso, as vítimas precisam batalhar por anos e décadas para conseguirem uma mísera indenização, isso quando conseguem (no Brasil isso nunca aconteceu).

  5. O que me chamou a atenção é exatamente este trecho:

    [i]”Louvando sua própria experiência no assunto, tendo sido Presidente do Comitê para Proteção de Crianças e Jovens da Conferência Episcopal dos Estados Unidos, ele afirmou que o principal problema da crise de abusos sexuais pelo clero não era a homossexualidade, e que afirmá-lo é só uma forma de desviar a atenção para o problema real, que é o [b]clericalismo[/b].”[/i]

    Agora vejamos a carta do papa Francisco ao povo de Deus

    [i]”Isto se manifesta claramente num modo anômalo de entender a autoridade na Igreja – tão comum em muitas comunidades onde ocorreram as condutas de abuso sexual, de poder e de consciência – como é o [b]clericalismo[/b], aquela «atitude que não só anula a personalidade dos cristãos, mas tende também a diminuir e a subestimar a graça batismal que o Espírito Santo pôs no coração do nosso povo»[3]. O [b]clericalismo[/b], favorecido tanto pelos próprios sacerdotes como pelos leigos, gera uma ruptura no corpo eclesial que beneficia e ajuda a perpetuar muitos dos males que denunciamos hoje. Dizer não ao abuso, é dizer energicamente não a qualquer forma de [b]clericalismo[/b].”[i]

    Por isso que eu achei que tinha algo estranho nesta carta do papa Francisco e confirma o que o núncio está dizendo.

  6. Caramba, a notícia já saiu nos jornais. Que tristeza!

  7. Durante a leitura dessa publicação, tem-se a impressão de que foi aberta a “caixa preta” vaticana. Testemunho fidedigno desvenda cenas infames da corte de Francisco Bórgia. A Virgem de La Salette chora copiosamente…
    .
    RENÚNCIA JÁ!
    .
    É este um brado revolucionário ou contrarrevolucionário? A continuidade do atual pontificado não seria um mal menor do que o imenso desgaste da saída do Pontífice reinante agravado pelo acúmulo de duas renúncias papais sucessivas? Não seria mero paliativo a substituição de personagens orquestrada pela mesma estrutura de poder corrupta?
    .
    Se as prostitutas adentraram a casa de família, a primeira providência é fazê-las sair, ainda que aos gritos, mesmo que saim até pelas janelas. Depois vai se cuidar da limpeza da casa e da reforma dos filhos.

  8. Meu Deus!

    Rezemos o Rosário.

  9. Depois do escândalo do vatileaks, esse é o mais grave na Igreja nos últimos séculos! Agora, mais do que nunca, fica claro o motivo da renúncia de Bento XVI: o poderio do Bertone e outros cardeais acobertando o “lobby gay” dentro não só da Cúria romana, mas de inúmeras dioceses. Chega a doer a cabeça ao ler esse relato espantoso, é nauseante. Eis o tempo de conversão e penitência!

  10. Querido irmão, vc é cristão mesmo? Confia em Jesus Cristo? Vc o segue? Então confie na sua Igreja q porventura levará mto tombo como Jesus levou, mtas intrigas conversas e acusações como JESUS levou. Nossa Igreja é Santa pq e dirigida e guiada pelo Espírito Santo e pecadora pq seu corpo é formado por nós relis pecadores. Apenas rezemos pelo Papa pra q ele seja firme na Fe, na Esperança e sobretudo na caridade. Confiemos na ação do Espírito Santo q dirige a Igreja através dele. O Espírito Santo jamais deixará a sua Igreja sucumbir. A verdade virá a tona. O Papa tá agindo com prudência pois os movimentos contrários são devidamente fortes também no poder de desmandos e no poder dinheiro.
    Sossegue seu coração e reze mto pelo Papa. Nao comente coisas inconciente mas q dao mta força aos inimigos! Ou estamos com Cristo dentro de sua Igreja, ou estamos fora dela e contra o proprio Cristo.

  11. Gravíssimo, está sendo publicado nos principais portais de notícias do mundo, inclusive na Reuters. https://www.reuters.com/article/us-pope-ireland-abuse/former-top-vatican-official-says-pope-should-resign-over-abuse-crisis-idUSKCN1LB08Q

  12. ESCÂNDALO, DESOLAÇÃO, RUÍNA!! Ao ler tão grave declaração, não posso deixar de pensar no sonho de Inocêncio III, em que São Francisco, sozinho, impedia o colapso do edifício da Santa Igreja. Pois que hoje, por infelicidade, testemunhamos a hedionda artimanha satânica que coloca um homem sob o onomástico do grande santo em posição apta a literalmente demolir, com a fúria dos demônios, os pilares do Templo do Senhor. Este horror inenarrável certamente clama aos céus!! Vinde, justiça perfeita! Venite, Dominus Jesus!! FORA Francisco, o celerado, e sua indigna corte! SUPRESSÃO imediata da corrompida Companhia de Jesus, berço de apóstatas!!

  13. O que acontecerá com o ex-núncio? Será demolido pela fábrica de difamação e terá sua moral assassinada pelo Vaticano. Dirão que foi afastado do poder e que, como queria ter poder, esperneia e derrama mentiras sobre o humilde, santo em vida, SS São Francisco Magno. Tentarão virar a mesa e transformar o acusador em acusado. O primeiro tiro virá da Secretaria de Comunicação, o segundo da de Estado e, por fim, do próprio Papa em alguma homilia ou angelus. Também arrumarão algum cardeal progressista para insultar-lhe a honra.

    Que este é, desgraçadamente, o Papa dos homossexuais, não há dúvidas. Desde o seu “quem sou eu para julgar” até a promoção de prelados notoriamente gays, Francisco é o papa dos sonhos e a materialização de anos de trabalho do “círculo rosa” do Vaticano e das grandes dioceses do mundo.

    Ele não renunciará. Se a água começar a subir, Francisco irá avançar a sua marcha revolucionária com mais velocidade, “sabendo que pouco tempo lhe resta”. Uma renúncia só viria, penso eu, com prova irrefutável e material da sua cumplicidade nos casos apresentados pelo Núncio.

    Podemos rezar, entretanto, por uma onda purificadora. Que ela engula as dioceses e pastores corruptos nos EUA, Chile, Honduras, Argentina e, por que não?, Brasil! Quem sabe essas águas não lavem o trono de Pedro, atualmente coberto de corrupção, orgulho e soberba.

  14. Corajoso e destemido testemunho de Dom Viganó. Já sabíamos que Martini e Daneels, desde Milâo e Bruxelas, arquitetaram o cipoal de intrigas e conjuras de Saint Galeen, que elegeu Bergoglio no estranho conclave de 2013. Agora, o escândalo infamante que alia a poderosa máfia gay vaticana aos eleitores esquerdistas. Parece ficar claro quais eram as poderosas forças aliadas para obter a inesperada renúncia de Bento XVI e colocar o jesuíta Bergoglio à frente da Igreja de Cristo. Ultrajante!!

  15. Ou o corpo místico de Jesus , a igreja, está com Ele,ou esta contra.
    Tem provas ? Ou eh apenas um possível boato ? Mesmo assim, quando tem algo terrível na sua família, o que vc faz ? Manda o pai e mãe embora, ou resolve a situação ?
    Quem eh cristão e católico apostólico romano, deve acreditar no que eh comprovado, e tentar sempre pensar o que Jesus Cristo faria, em seu lugar. Iria julgar sem ouvir o outro lado ? Iria pedir pra você atacar a primeira pedra? Ou iria pedir a renúncia do papa e alastrar uma crise em sua igreja. Tem gente que parece torcer contra a igreja. Sejamos unidos e sempre orando para o Santo Papa, e que tudo seja esclarecido . In domina.

    • Caríssimo Pe. Tutola. Jesus Cristo não precisava nem “ouvir o outro lado” para julgar com imparcialidade. Porém nós, seres miseráveis não somos deuses, no entanto é urgentíssimo actuar, perante tanta injustiça, sobretudo porque há centenas de pessoas que já sofreram demasiado, por causa de tudo isto, não é verdade?! E porquê?! Caro Pe.? por receio de que fosse uma “calúnia”, ou “boato”. Porque conseguir as “provas”, como o senhor fala, não é tarefa fácil, principalmente na existência de “redes”, como na máfia. Quem “abre o bico” ou “põe a boca no trombone”, (como se diz no Brasil), está sujeito a ficar sem cabeça, ou, na melhor da hipóteses, ficar reduzido a um mero “cura de interior”. Portanto, hoje, quem tem o sentido de pertença a Esta Querida Igreja Católica, será aquele que não se coloca na posição da “apostasia do silêncio”. Caso contrário a “purificação desta lepra”, nunca termina. Estes clérigos, falam e denunciam, até tarde demais. Será possível que um bispo diga tantas “mentiras”, pondo Deus como sua testemunha?! Será possível?! Caso seja 2falsa” a sua denúncia, então a Igreja Católica está muito mais podre do que se possa imagina?! O senhor bem sabe que não se trata aqui de “primeira pedra”! Pensar isso é pura ingenuidade.Trata-se tão só de pessoas pertinazes, no erro que cometeram crimes, atrás de crimes… Estar sempre a citar as Escrituras para encobrir pedófilos estamos nós saturados. Há muitas vítimas pelo meio desta enxurrada de horrores. Basta. Rezar sim. Fazer penitência sim. Fazer jejum sim… Cruzar os braços não… Não é hora de cruzar braços. Há que dizer a verdade, na caridade… Até por respeito a Bento XVI, é necessário fazer justiça. Porque tem sofrido tudo em silêncio, não concorda?!
      Há apenas um ponto que concordo consigo: Talvez obrigar o Papa a resignar, não será a hora…AINDA…

    • Caríssimo Sr. Pe. Tutola. Não é meu costume proceder assim, mas neste caso vou fazer como Sua Santidade: “os factos falarão por si mesmos”, isto é…caso não se lembrem de colocar o Arcebispo Carlo Maria Viganò no hospício ou de o perseguirem, por outros meios. Porque uma coisa é certa…caso duvide deste prelado vou duvidar 100 vezes mais da unisinos…fiquei até decepcionada. Por outro lado, nem vou aqui falar o que penso, pelo receio de ser indelicada com o senhor…coisa que não perdoaria a mim própria…

    • Caro Pe. Tutola, paz e bem!
      Sugiro que você veja o caso da arquidiocese de Belo Horizonte-MG, há muitas denúncias abafadas e escândalos homossexuais envolvendo a própria cúpula da Arquidiocese. Meu filho estudou no colégio Loyola (dos jesuítas de BH), nas aulas de teologias (alunos adolescentes- 2º ano do ensino médio) divulgava-se propaganda gay (filmes, júri gay…). Eu fiz a denúncia para o reitor do colégio (pe. jesuita). Simplesmente, ele arquivou a minha denúncia. Mais tarde, tomei conhecimento que ele abandonou os jesuítas e assumiu a sua homossexualidade. Moral: denunciei ao lobo vestido de cordeiro. Jamais colocaria meus filhos num colégio jesuíta novamente. Mas, a verdade está vindo à tona, doa a quem doer, custe o que custar. Fora lobby gay da Igreja Católica!

    • Tem gente que parece torcer pelo maligno dentro da Igreja!!!
      Se até anjos do Céu caíram e no seio do Apóstolos escolhidos havia se infiltrado um Demônio, quanto mais no seio da Igreja:

      “Jesus acrescentou: Não vos escolhi eu todos os doze? Contudo, um de vós é um demônio!…” (São João, 6 – 70)

      “Assim como houve entre o povo falsos profetas, assim também haverá entre vós falsos doutores que introduzirão disfarçadamente seitas perniciosas. Eles, renegando assim o Senhor que os resgatou, atrairão sobre si uma ruína repentina. 2.Muitos os seguirão nas suas desordens e serão deste modo a causa de o caminho da verdade ser caluniado.” (II São Pedro, 2:1,2)

      “Antes da vinda de Cristo, a Igreja deverá passar por uma prova final, que abalará a fé de numerosos crentes. A perseguição, que acompanha a sua peregrinação na Terra, porá a descoberto o «mistério da iniquidade», sob a forma duma impostura religiosa, que trará aos homens uma solução aparente para os seus problemas, à custa da apostasia da verdade. A suprema impostura religiosa é a do Anticristo, isto é, dum pseudo-messianismo em que o homem se glorifica a si mesmo, substituindo-se a Deus e ao Messias Encarnado.” (CIC 675)

    • Caro padre, a sua benção!
      Com a máxima vênia permita me dizer lhe que o site “unisinos”, que vossa reverência usou como fonte, é de linha teológica que “flerta” com a famigerada teologia da libertação.
      Portanto, usar um site que tem uma “queda” pela teologia já repudiada é temerário.
      Rezemos para que a Sempre Virgem Santíssima nos dê a direção a seguir!

  16. “Minha consciência exige que também revele fatos que experimentei pessoalmente, a respeito do Papa Francisco, que possuem dramático significado, que, como bispo, compartilhando a responsabilidade colegial por todos os bispos na Igreja universal, não me permitem ficar em silêncio, e eu declaro aqui, pronto a reafirmar tudo sob juramento, tomando a Deus como minha testemunha”.

    Acusação esta do Arcebispo Viganò contra um papa, acusação pública e gravíssima feita com juramento, tomando a Deus como testemunha, com certeza irá dar ânimo a outros bispos, que tiverem conhecimento de fatos similares, a fazer o mesmo. E aí, se o papa não puder provar que é inocente em tudo isto, terá que renunciar, pois, sendo tudo verdade, ele seria senão o Anti-cristo, ao menos, com certeza um seu precursor.

    Já foi solicitado a dar explicações sobre afirmações ambíguas que podem ser entendidas como heréticas; já foi acusado de verdadeiras heresias; e Francisco simplesmente ignorou tudo mais se preocupando em dar apoio a comunistas. E agora mais estas acusações!

    A situação da Igreja é gravíssima, talvez mais do que no tempo de Santa Catarina de Sena! E, nesta situação tão lastimosa e grave da Igreja, os bispos que se omitirem e não seguirem as exigências de suas consciências, darão contas severíssimas a Deus.

    Caríssimos, mas a Igreja é divina! Rezemos e façamos penitência primeiramente pelos nossos pecados pessoais, depois pelos de todo Clero e de todo povo.

    JESUS, HÓSTIA SANTA! CONVERTEI OS PECADORES!

  17. Só para “completar”. Foi confirmada a notícia que o SS Francisco Magno, o Humilde, apontou o cardeal Joseph Tobin como membro do Sínodo para a….JUVENTUDE! O cardeal foi nomeado pelo próprio papa, não tendo sido escolhido pelos demais bispos americanos. Alguém mais duvida das palavras de Vigano?
    A comitiva americana para o Sínodo será composta por 5 bispos (6 com Tobin), entre eles o “arcebispo da Filadélfia” mencionado no texto como um mau exemplo de bispo na opinião de Francisco (ou seja, um ótimo bispo para Igreja).
    Francisco não para por nada!

    Fonte: http://www.ncregister.com/daily-news/usccb-cardinal-tobin-appointed-to-youth-synod

    Lembrando…
    ([…]As nomeações de Blase Cupich para Chicago e Joseph W. Tobin para Newark foram orquestradas por McCarrick, Maradiaga e Wuerl, reunidos por um iníquo pacto de abusos pelo primeiro, e ao menos por acobertamentos pelos outros dois. Os nomes dos designados não estavam entre os apresentados pela Nunciatura para Chicago e Newark.)

  18. A única solução é o GRANDE ALERTA, do qual ninguém fala neste site. Precisamos abrir os olhos mais que rapidamente, porque nestes 15 minutos muitos sucumbirão para sempre.

  19. O que é que isto vai dar? O papa vai fzer-se de cego, surdo e mudo, depois daqui a alguns meses quando tudo esfriar, o Arcebispo Carlo Maria Viganò será substituido por um da pandilha com os agradecimentos do papa.

  20. E quanto a esse brasileiro, Arcebispo Montanari, citado na denúncia de Viganó que, de forma suspeita, ascendeu tanto na hierarquia da Igreja; temos alguma informação sobre ele?

    “Além disso, ele nomeou o brasileiro Ilson de Jesus Montanari — um grande amigo de seu secretário pessoal, o argentino Fabian Pedaccio — como Secretário da mesma Congregação para os Bispos e Secretário do Colégio de Cardeais, promovendo-lhe em uma única canetada de simples oficial de departamento a Arcebispo Secretário. Algo sem precedentes para uma posição tão importante!”

  21. Sinal dos tempos!

  22. Todos esses terríveis fatos trazidos à baila pela Divina Providência nos últimos dias é uma aviso e, ao mesmo tempo, um chamado de Deus Todo Poderoso para que volvamos imediatamente à Tradição, ab-rogando o último concílio, de modo a restaurar as estruturas da Santa Madre Igreja.
    Sem mais…

  23. Começa a fazer grande sentido o iminente cumprimento da tragédia anunciada por Nossa Senhora em Fátima por meio de uma visão profética testemunhada pelas crianças videntes a respeito de um bispo vestido de branco (o papa) que será fuzilado no cume de um monte por um grupo de soldados, e na sequência serão assassinados cardeais, bispos, padres, religiosos e senhores e senhoras distintas. Tudo isso em meio a uma cidade em ruínas e repletas de cadáveres por todos os lados. Essa visão significa a purificação da Igreja que, dada a gravidade do caso, só poderá se concretizar por meio do derramamento de sangue.
    A causa de tudo isso Nossa Senhora também revelou na parte do segredo que a dupla Bertone/Sodano astuciosamente ocultou. Mas em La Salette, Nossa Senhora deu uma grande pista quando afirmou categoricamente: “Roma perderá a fé e se tornará sede do anticristo”.
    Todos esses emaranhados de escândalos envolvendo o papa e a alta hierarquia da Igreja é um forte indício de que a fé está, pelo menos, terrivelmente abalada em Roma.
    Não obstante a gravidade da atual situação, a Igreja não pode ser destruída, pois é uma instituição divina e as portas dos infernos não prevalecerão contra ela. Isso ocorre porque a fé da Igreja permanece inabalável num pequeno resto fiel.

  24. “Assim que percebi que não estavam se portando de acordo com a verdade do Evangelho, repreendi a Pedro, DIANTE DE TODOS” (Epístola aos Gálatas, II).

    Sem mais.

  25. Na minha opinião, perante acusações tão graves, esta reação do @Pontifex é como que um assumir de culpa:

    “[As alegações] falam por si mesmas. Não direi uma só palavra. Li essa declaração esta manhã. E devo dizer o seguinte: leiam o documento com cuidado e julguem por vós mesmos”.

    http://rr.sapo.pt/noticia/122710/papa-nao-dira-uma-palavra-sobre-alegacoes-de-encobrimento-de-abusos?utm_medium=rss

  26. Vejamos como a mídia irá reagir a esse escândalo. No tempo do papa São João Paulo II eles se voltaram furiosos contra o papa por causa do escândalo do padre Maciel (na verdade, porque odiavam a defesa que JPII fazia da vida e da família). Agora que as acusações falam em uma liga de clérigos homossexuais predadores, o mais provável é que minimizem, silenciem ou tratem o assunto “como assunto interno da Igreja”. Dizem que nos EUA os canais de esquerda emudeceram como nunca antes visto. Aqui não deve ser diferente, uma vez que falar sobre o relatório implica necessariamente em relacionar o lobby homossexual com 80% dos casos de pedofilia e abusos.

  27. Não adianta padres e leigos esconderem a cabeça num buraco do chão e não quererem abrir os olhos para a triste realidade. Nem adianta fazerem malabarismos retóricos e sofísticos para desacreditar a pessoa e os fatos narrados pelo arcebispo Viganò. Soou um gongo da história neste dia! Deu-se um fato de alto significado! É preciso ver de frente e a fundo a gravíssima situação. E depois olhar verticalmente para subir até Nosso Senhor e Nossa Senhora. Por isso foram importantes as palavras do lúcido sacerdote Padre Elcio Murucci. Cada palavra dele foi calibrada e sopesada para estar sob a medida exata de acordo com o pensamento católico tradicional. E por isso merecem ser meditadas.

    – Obrigado, padre Elcio, por pastorear o pequeno rebanho do Senhor em momento tão dramático da história da Igreja..

  28. Vixi: a casa caiu!!!

  29. “ATTRITUS EST PROPTER SCELERA NOSTRA”. “Foi despedaçado por causa dos nossos crimes”. (Isaías, 53, 5).
    O Governador romano, surpreendido pela escolha que fizeram, condena o Salvador a uma cruel flagelação, julgando assim pacificar pela efusão de Seu Sangue, o furor de Seus inimigos.
    Apenas foi proferida esta iníqua sentença, os algozes e os soldados se apoderam da Vítima Santa. Despem Jesus de Seus vestidos. Prendem-no à uma coluna e com toda força e brutalidade fazem voar a sua carne em pedaços e jorrar seu sangue na terra, com fortes e repetidos golpes dos azorragues.
    Ó Céus! Que confusão para o Deus que cobre a terra de nuvens, o firmamento de glória, que reveste os pássaros de sua plumagem, as flores de seu esmalte, os lírios dos campos de sua candura… ver-se exposto no estado de nudez à vistas impuras. Porém, os seus verdugos não estão ainda saciados; eles tecem uma coroa de espinhos, e com ela cingem a cabeça do Filho de Deus; estendem sobre os Seus ombros um andrajo de púrpura. Colocam em Suas mãos uma cana, para deste modo, irrisoriamente representarem a Sua Divina Realeza. Depois de O terem assim preparado, como um rei de teatro, ajoelham-se diante d’Ele por escárnio; cobrem a Sua Face de escarros. E Pilatos, vendo Jesus assim maltratado, julgou que mostrando-O ao povo excitaria compaixão. E foi assim flagelado e desfigurado que Pilatos o designou à piedade da multidão: “Ecce Homo!” Eis o homem!
    Eis o homem que curou os vossos doentes, ressuscitou os vossos mortos! Ainda não O maltratastes bastante?!
    Ah! estas expressões são dirigidas agora a todos os pecadores: “Ecce Homo!” Mundanos, diante de um Deus açoitado e coroado de espinhos para pagar a vossa moleza e a vossa sensualidade: É uma ingratidão, é uma tirania, permanecerdes afogados no seio do luxo, da volúpia e de tantos prazeres criminosos!…
    “Ecce Homo!” Este quadro, primeiramente é para vós cardeais, bispos, padres que renegaram e renegam a Jesus, quebrando o voto solene de castidade perfeita, com pecados que bradam aos céus, e, em se tratando de pedofilia, a não se converterem e passarem a fazer penitências até a morte, melhor fora que amarrassem uma pedra de moinho ao pescoço e se lançassem ao fundo do mar.
    “Ecce Homo!” Este quadro é para vós, pais e mães de família, que tendes à vossa guarda a candura virginal das vossas filhas! Filhas abandonadas a todos os perigos da sua inexperiência e da maldade dos homens, com estas vestes imorais e indecentes com que as vestis, ou melhor, as deixais de vestir.
    “Ecce Homo!” Este quadro é para vós, senhoras levianas e vaidosas, que não chegais a convencer-vos de que os requintes ridículos da moda visam de perto o desprestígio da mulher cristã.
    Minha alma, enquanto Jesus era flagelado e coroado de espinhos, ultrajado e cuspido, Ele pensava em ti e oferecia a Deus Pai seus acerbos martírios para livrar-te dos flagelos eternos do inferno. Jesus pensava na sua Igreja, cujos filhos e ministros corruptos, libidinosos também a flagelariam, escarneceriam, coroariam de espinhos, cobririam sua santa face com os escarros nojentos da impureza.
    Ó Deus de amor, como pude eu viver tantos anos sem Vos amar! Ó chagas de Jesus, feri-me de amor para com Deus que tanto me amou. Ó Maria Santíssima, Mãe da graça, alcançai-me este amor! Amém!

  30. O sacerdócio na Antiga Lei era apenas figura do sacerdócio deixado por Nosso Senhor Jesus na Sua Igreja. O que a Sagrada Escritura diz dos sacerdotes no Antigo Testamento muitas vezes se aplica também aos do Novo Testamento e, às vezes, até com mais propriedade.
    Consideremos algumas passagens das Sagradas Escrituras: “Ouvi isto, ó sacerdotes, e tu, ó casa de Israel, ouve com atenção; escuta, ó casa real, porque sobre vós se vai exercer o juízo, pois, devendo ser sentinela, lhe tendes armado laços e sido para ele como uma rede estendida sobre o monte Tabor” (Oséias V, 1). Oh! Sacerdote de Jesus Cristo, oh! Pastor de almas, que terrível juízo sofrereis um dia! Oh! Eclesiásticos que escandalizais! Então vós, que sois os protetores natos da inocência, armais-lhe laços? Estendeis as vossas abomináveis redes sobre o mesmo Tabor, sobre esse monte santificado por tantos e tão veneráveis mistérios.
    “O meu povo tornou-se um rebanho perdido; os seus pastores enganaram-nos e fizeram-nos andar desgarrados pelos montes; dos montes passaram aos outeiros e esqueceram-se do lugar do seu repouso” (Jeremias L, 6).
    Assim, o mais terrível flagelo que Deus podia empregar para punir uma paróquia, uma diocese, uma província, um país e até todo orbe, seria permitir que lhes fossem enviados pastores escandalosos. Eis o que Deus mesmo diz por um profeta: Como castigarei os pecadores obstinados? Que novo golpe lhes infligirá a minha justiça indignada? Eis o castigo: “Os seus pastores enganaram-nos…” (Jeremias citado acima).
    Observemos que os Pastores na Igreja podem escandalizar também por omissão. Eis o que diz a Bíblia sobre eles: “As suas sentinelas estão todas cegas, todas se mostraram ignorantes; são cães mudos, que não podem ladrar, que vêem coisas vãs, que dormem, e que amam os sonhos. E estes cães tão sem-vergonha não podem saciar-se; os mesmos pastores não têm nenhuma inteligência; todos declinaram para o seu caminho, cada um para sua avareza, desde o mais alto até o mais baixo” (Isaías LVI, 10 e 11). E logo em seguida o profeta acrescenta: “O justo perece, e não há quem lhe dê atenção…” (Isaías LVII, 1).
    Caríssimos, temos que rezar muito e fazer penitências pelos eclesiásticos desde “o mais alto até o mais baixo”.

  31. Lembrando que dom Viganó foi “premiado” por Bento XVI com a Nunciatura em Washington quando o arcebispo denunciava os escândalos financeiros do Vaticano, cujo pivô era o cardeal Bertone. Instado pela própria consciência, como afirma na carta explosiva, dom Viganó volta a chacoalhar a Cristandade com essa bomba. Se o Cardeal Burke é o “Sergio Moro da Igreja”, com Carlo Maria Viganó deve ser uma Janaína Paschoal.

    O Santo Padre falou algumas vezes em renunciar. Não vejo hora melhor que esta. Todavia, Bergoglio é um homem alucinado pelo poder, acho difícil ele cumprir com isto.

  32. Caríssimos e amados fiéis em Nosso Senhor Jesus Cristo! Creio ter chegada a hora azada de mostrar que Bergoglio não chegou ao Trono de Pedro por acaso. Eis o complô: PAPÉIS SECRETOS DA ALTA VENDA DOS CARBONÁRIOS (Maçonaria): [apenas alguns excertos]

    “O trabalho que vamos empreender não é obra de um dia, nem de um mês, nem de um ano; pode durar vários anos, talvez um século; mas em nossas fileiras o soldado morre, mas a luta continua… O que devemos pedir, e o que devemos procurar e esperar, como os judeus esperam o Messias, é um papa de acordo com nossas necessidades (…)

    Assim podemos marchar com mais segurança ao assalto da Igreja do que com as liberalidades de nossos irmãos da França e mesmo da Inglaterra. Quereis saber a razão? Com ele já não precisaremos, para destruir a rocha sobre a qual Deus edificou sua Igreja, do vinagre mistificador nem da pólvora do canhão; já não precisaremos nem de nossos braços. Teremos o dedo do sucessor de Pedro comprometido com a conspiração, e nesta cruzada este dedo vale mais do que todos os Urbano II e todos os São Bernardos da Cristandade.

    Não temos dúvida que chegaremos a este resultado de nossos esforços, mas quando e como? A incógnita continua sem solução. Entretanto como nada nos deve separar do plano traçado, ao contrário, tudo deve tender para ele, como se desde amanhã o êxito viesse coroar a obra apenas esboçada, queremos com esta instrução, que para os simples iniciados permanecerá secreta, dar aos encarregados da Suprema Venda conselhos que deverão inculcar a todos os irmãos, sob a forma de ensinamento ou de memorandos (…).

    Para assegurarmos um Papa nas devidas proporções, devemos inicialmente preparar para este Papa uma geração digna do reino que sonhamos. Deixai de lado a velhice e a idade madura, procurai a juventude e se possível até as crianças (…)

    Esta reputação fará chegar nossas doutrinas tanto ao meio do clero jovem, como no interior dos conventos. Dentro de alguns anos este clero jovem terá forçosamente ocupado todas as funções; será quem governa, administra, julga, forma o conselho soberano e será chamado para eleger o Pontífice que terá que reinar, e este pontífice como a maioria de seus contemporâneos, estará necessariamente mais ou menos imbuído dos princípios italianos e humanitários que começaremos a pôr em circulação. É um pequeno grão de mostarda que confiamos à terra; mas o sol da justiça o fará crescer até o mais alto poder, e um dia vereis a abundância de grãos que produzirá este grãozinho.

    Na rota que indicamos a nossos irmãos, há grandes obstáculos que teremos de vencer, e muitas dificuldades a superar. Triunfaremos graças à experiência e perspicácia; mas a meta é tão brilhante que devemos içar todas as velas para alcançá-la. Quereis revolucionar a Itália? Procurai o Papa de que acabamos de pintar o retrato. Se quereis estabelecer o reino dos eleitos sobre o trono da prostituta Babilônia, que o clero marche sob vosso estandarte, acreditando ir sempre atrás das bandeiras das Chaves apostólicas. Se quereis fazer desaparecer o último vestígio dos tiranos e opressores, lançai vossas redes como Simão Bar-Jona; lançai-as não no fundo do mar, mas no fundo das sacristias, dos seminários, e dos conventos; e se não demorais, vos prometemos uma pesca mais milagrosa que a deles. O pescador de peixes se converteu em pescador de homens, vós os rodeareis de amigos junto à Cátedra Apostólica. Vós havereis pregado uma revolução em tiara e pluvial, marchando com a cruz e o estandarte, uma revolução que não precisará mais do que uma fagulha para incendiar os quatro cantos do mundo”.

    Um extrato da carta de “Núbius” a “Volpe” de 3 de Abril de 1824: “Foi posto sobre nossos ombros uma pesada carga, querido Volpe. Devemos tornar imoral a educação da Igreja, devemos chegar por pequenos meios mal definidos porém bem graduados, ao triunfo da ideia revolucionária graças a um papa. Marchamos ainda tateando neste projeto que sempre me pareceu sobre-humano (…). [Nota minha: sobre-humano=diabólico]. (Extraído das obras de Mons. Delassus – vale a pena adquirir e ler as obras deste célebre autor!).

    EIS AGORA ALGUMAS PROFECIAS DO CÔNEGO ROCA (1830-1893) Fez algumas profecias, que indubitavelmente foram inspiradas pelo demônio, com permissão de Deus para nossa advertência: “A nova Igreja, diz ele, que certamente não poderá guardar nada do ensino e da forma primitiva da antiga Igreja, receberá entretanto a bênção e a jurisdição canônica de Roma”… “O culto divino tal como rege a liturgia, o cerimonial, o ritual, as prescrições da Igreja romana, sofrerão uma transformação após um concílio ecumênico(…) “Sairá dele algo que encherá o mundo de estupor e o porá de joelhos ante seu Redentor: a demonstração do perfeito acordo entre o idealismo da civilização moderna e o idealismo de Cristo e de seu Evangelho. Será a consagração da Nova Ordem Social e solene batismo da civilização moderna”(…) “Prepara-se um sacrifício que apresentará uma penitência solene (…) “O Papa cairá, morrerá sob o punhal sagrado forjado pelos Padres do último concílio. O César pontifical é a hóstia preparada para o sacrifício” (…) Por fim Roca fala dos novos sacerdotes que aparecerão, chamando-os de “progressistas”; fala da supressão da batina, do casamento de sacerdotes… muitas outras profecias! Caríssimos, vale notificar a todos que este fatídico Cônego Roca foi excomungado pela Santa Madre Igreja.

  33. “Plano sobre-humano” diz um dos maiores chefes da Maçonaria, Nubius. É aquele mesmo que Nosso Senhor Jesus Cristo chamou de “espírito imundo”, “príncipe do mundo”, “satanás”, “o invejoso e homicida desde o início do mundo”. Aquele mesmo que São Pedro chama de “leão rugidor que procura nos devorar”; aquele mesmo que São Paulo diz estar voando pelos ares. É aquele mesmo que São João Evangelista no Apocalipse chama de: “dragão” e “antiga serpente”. É aquele que a “New Age – Nova Era tem como chefe e é chamado pelo nome de “Maitreya” e que habita em “Scambaía”.(=”Cidade” de Lúcifer). É justamente aquele que a Maçonaria no seu “CATECISMO DO MESTRE” (um livro oficial maçônico) honra com a seguinte oração: “Vem, Satanás, o proscrito dos padres, o abençoado do meu coração”.

    Eis apenas alguns fatos históricos:

    “Em 1893, na inauguração da estátua de Garibaldi (maçom grau 33, aquele mesmo que tomou da Igreja os Estados Pontifícios) o coro (de maçons) entoou um hino em que se dizia: “Ele passa, ó jovens, Satanás, o grande”… Nós vos saudamos, ó Satanás, ó Rebelião, ó Força vitoriosa da Razão!” (Livro “As Seitas Secretas” – Livraria Católica, Juiz de Fora – 1931 escrito pelo Padre Teófilo Dutra).

    Vou transcrever deste mesmo Livro do Padre Teófilo Dutra apenas dois, dos muitos fatos que conta.

    “Em 1893, o palácio Borguese, em Roma, foi alugado ao Grande Oriente da Itália. Dois anos depois, ex vi de uma cláusula do contrato, foi a maçonaria intimada para desocupá-lo. A este respeito o “Corriere Nazionale” publicou o seguinte: “O encarregado dos negócios da família Borguese indo visitar os compartimentos, afim de pô-los em ordem para poderem ser ocupados por D. Scipion Borguese e pela duquesa de Ferrari, encontrou uma sala fechada, e que só foi aberta sob ameaça de ser arrombada pela força pública. “Tinha sido transformada em Templo Satânico. As paredes estavam cobertas com damasco preto e vermelho; o fundo ostentava um pano rico sobre o qual se via a figura de lúcifer, tendo na frente um altar; estavam espalhados por diversas partes triângulos e outros emblemas maçônicos; ao redor estavam dispostas em ordem magníficas cadeiras, tendo cada uma no cimo de seu espaldar um olho transparente; no meio erigia-se um rico trono”.

    O Padre Teófilo Dutra conta um outro fato do qual diz ter sido quase testemunha: “No ano em fui para Paris, diz o Padre Teófilo, ali se achava como membro de uma comunidade religiosa um moço que havia trocado o avental dos filhos de satanás pela roupeta dos filhos de Deus. Deu-se o caso da seguinte maneira:

    “Fazia as conferências quaresmais de Notre Dame o conhecido orador Padre Monsabré (era afamado mundialmente). Um dia, ao sair da Igreja, apresentou-se-lhe o referido mancebo, que o saudou respeitosamente e lhe disse: Sr. Padre, assisti hoje à sua prédica e fiquei com ela grandemente impressionado. Falando V. Revma sobre o Sinal da Cruz, disse que à sua vista foge o demônio espavorido. Eu quisera que V. Revma verificasse este fato em minha presença. ” – Como? contraveio Monsabré, se ele é espírito e neste mundo não estamos em condições de ver os espíritos? Nem a nossa alma podemos aqui vê-la. ” – Sr. Padre, tornou o desconhecido, eu sou maçom, e na Loja que frequento ele aparece em algumas sessões solenes. Digo-lhe isto reservadamente. Se V. Revma lá for e o fizer fugir com o sinal da cruz, far-me-á um grande favor. ” – Isto é que é de todo impossível, respondeu Monsabré; os maçons não permitem profanos em suas sessões e muito menos a mim que, além de profano, sou sacerdote e, além de sacerdote, frade.” ” – Eu me encarrego de levá-lo lá, insistiu o moço, e lhe dou caução de não correr perigo algum.

    ” – Como já disse, concluiu o pregador, sou religioso, tenho no convento um superior, sem cuja lecença nada posso prometer. O sr. venha ao convento qualquer dia buscar a resposta”.

    “Com efeito, algum tempo depois apareceu no convento o tal jovem, ao qual Monsabré comunicou que o superior lhe permitira ir com ele à Loja, mediante certas condições. O moço retirou-se contente, prometendo reaparecer no dia da sessão solene.

    “No dia marcado, satisfeitas as condições, saíram ambos juntos, e o rapaz, que conhecia perfeitamente o casarão com todos os seus esconderijos, levou o Padre para um desvão donde avistavam a sala da sessões, e onde por ninguém eram vistos.

    “Em se aproximando a hora da sessão, iam chegando os membros da Loja e tomando assento nas cadeiras colocadas em ordem. No meio da sala via-se um sofá que, justo na hora, depois de algumas cerimônias maçônicas, foi ocupado pelo chefe infernal. Ao vê-lo, Monsabré tomou o seu crucifixo, e com ele fez uma cruz para o lado da reunião. Não cabe em descrição o barulho, a confusão, a desordem, que houve, desaparecendo o chefe sem presidir à sessão!

    “O moço abraçou -se com o Padre Monsabré dizendo-lhe: “vamos, sr. Padre, vamos por aqui, E saíram sem serem pressentidos.

    “Tratou logo o jovem maçônico de abjurar a seita, e entrou para um convento de religiosos.

    Não padece dúvida que satanás tem aparecido várias vezes em sessões maçônicas, na Itália, em tempos passados, em França e outros países como na Inglaterra, especialmente na capital Londres. Nestas aparições o “bicho ruim” dá instruções e também ordens, para serem cumpridas em todos os países!

    Há certas pessoas que fazem esta obra ordenada pelo demônio. Fora da confissão, quando eu era neo-sacerdote em Campos (há 43 anos), um homem inteiramente estranho me disse sem rodeios: “Durante minha vida, praticamente toda, trabalhei para o demônio, galguei o último grau, e agora estão me exigindo, para conseguir mais ainda, que eu entregue minha alma ao demônio” Dei-lhe, naturalmente, muitos bons conselhos, mas se despediu, e até hoje nunca mais o vi.

    Não sem motivo que diz S. Pedro, o primeiro Papa: “Sede sóbrios e vigiai, porque o demônio, vosso adversário, anda ao redor, como um leão que ruge, buscando a quem devorar. Resisti-lhe, fortes na fé” (1 Pedro V, 8). Amém!

    • Rev. Padre Élcio, Deus pague o pequeno excerto de Santo Afonso se Ligorio (creio), postado mais acima. Foi um consolo lê-lo, um convite real à tão necessária penitência numa hora de trevas como esta.

      De resto, recomendo vivamente a leitura do opúsculo O drama do fim dos tempos, do Padre Emmanuel André, editado recentemente pela Editora Permanência. É terrível, mas o consolo que nos dá é saber que Deus Nosso Senhor tira das maiores imposturas e impiedades um bem muito maior para os seus, que não por acaso somos nós.

    • “Pois da mesma forma que uma palavra inconsiderada arrasta ao erro, o silêncio inoportuno deixa no erro aqueles a quem poderia instruir”.

      “O verdadeiro pastor das almas é puro em seu pensamento. Sabe aproximar-se de todos, com verdadeira caridade. Eleva-se acima de todos pela contemplação de Deus.”

      SANTO PAPA GREGÓRIO MAGNO

  34. E depois dizem que isso não e’ doença. O pior e’ que ainda existem os que se escondem na Igreja sob manto de virtude. Condição desordenada não so na sua expressão sexual, mas na sua visão do mundo. Tais indivíduos jamais devem ter o poder nas mãos ( talvez existam excessoes, mas não e’a regra). Nao e’a toa que fervilham os homossexuais que militam na esquerda.

  35. Rezemos pela Igreja que foi fundada por Nosso Senhor !

    Rezemos pela única religião verdadeira que une Deus aos homens !

    A Igreja é Santa porque até que Jesus volte, ela sempre existirá nem que seja em apenas uma única pessoa que guardará a fé que ele deixou quando se tornou homem e habitou entre nós.

    Mas hoje,mesmo sabendo que não há Igreja, sem o Papa é com muita dor que devemos pedir a Deus que Francisco renuncie o Pontificado pelo amor a Santa Igreja, pois Ela esta caindo de podre com um homossexualismo alastrado em quase todos os seus membros e seminários.

    Na nossa Diocese, bem como no resto do mundo estamos cheios de sacerdotes traidores e homossexuais.

    Aqueles bons jovens que tem vocação e que seriam bons padres são impedidos de fazerem seus estudos nos seminários atuais e ou contaminados pela heresia modernista.

    Também quase todos os movimentos da Igreja e Pastorais estão contaminados pela heresia do modernismo e por uma pregação de uma fé aguada e infantilizada que não converte ninguém e promovem uma apostasia generalizada fazendo que muitas almas se perquem eternamente.

    Rezemos irmãos, rezemos muito !!!

  36. Não vejo grande novidade nas corajosas declarações de Viganò.

    Pois o jesuíta argentino, que atualmente ocupa a Sé de Pedro, teve que negociar sua eleição com grupos de poder.

    Alguém põe duvida que o grupo transviado do clero apóstata conciliar tem força (e dinheirA) o bastante para influenciar um conclave (ou um arremedo deste como o de 2013) ?

    Pois aí está. Viganò, que certamente não está sozinho na empreitada e deve contar com apoio do clero conservador dos EUA, já deve estar enfiado em algum bunker.

  37. Li atentamente todos os comentário anteriores, e destaco aqui a frase do amado Padre Elcio:
    “Caríssimos e amados fiéis em Nosso Senhor Jesus Cristo! Creio ter chegada a hora azada de mostrar que Bergoglio não chegou ao Trono de Pedro por acaso.”

    Antes do conclave de 2013, num grande site de conspiração dos EUA foi indicado por alguém anônimo que dizia ter acesso a informações no Vaticano que o eleito seria Argentino, provavelmente Bergóglio e que tudo já estava planejado. Coincidência, especulação, ou já se sabia de antemão quem seria o escolhido?

    O link da discussão ainda esta online:
    https://www.godlikeproductions.com/forum1/message2143087/reply36192844

  38. Meu Deus!
    Pensei que isso nunca aconteceria na Igreja Católica!
    Rezemos e façamos penitência, pois, a situação cada vez mais se agrava!
    Coração de Jesus: tende misericórdia de nós!
    Óh Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a Vós!