Pe. Lombardi, SJ: Papa não realizou exorcismo.

Por Rádio Vaticano | Tradução: Fratres in Unum.com –  A decisão do Papa Francisco de impôr suas mãos na cabeça de uma criança [sic] enferma e rezar por ela no Domingo de Pentecostes gerou especulações de que ele poderia ter realizado um exorcismo. O Diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, pe. Federico Lombardi, SJ, esclareceu nesta terça-feira que o Santo Padre não realizou um exorcismo na ocasião. “O Santo Padre não pretendia realizar qualquer exorcismo”, disse pe. Lombardi. “Antes”, explicou, “como ele frequentemente faz com os doentes e sofredores que estão em seu caminho, ele pretendia simplesmente rezar por uma pessoa que sofre e que fora trazida diante dele”. Exorcismo é, em senso estrito, a “expulsão” de maus espíritos. O poder de exorcizar foi conferido por Jesus aos apóstolos, e entende-se que este poder passa aos bispos que são sucessores dos apóstolos e a seus padres colaboradores. Dito isso, a Igreja tem — por muitos séculos, acrescente-se — um ritual muito preciso de exorcismo: não há um reavivamento teatral de estilo evangélico, mas atenção cuidadosa e mesmo metódica e fiel seguimento das orações, gestos e uso de sacramentais prescritos, como a água benta e o crucifixo. O Pe. Bernd Hagenkord, SJ, esclarece:

CRA: Quem pode realizar exorcismos?

BHSJ: Embora todo sacerdote possa realizar exorcismos — de fato, há um exorcismo que é parte do Rito do Batismo, então os padres podem realizar exorcismos regularmente — a lei da Igreja requer que toda diocese tenha ao menos um exorcista especialmente formado, que saiba distinguir os sinais de possessão demoníaca das doenças mentais ou psíquicas. De fato, mesmo hoje, quando algumas vozes afirmam que a possessão demoníaca está numa crescente, o exorcismo permanece muito, muito raro. A vasta maioria dos casos investigados se revelam casos de doenças mentais.

CRA: Então, há um ritual prescrito: o exorcismo é um sacramento?

BHSJ: Não, o exorcismo indubitavelmente não é um sacramento.

CRA: E quanto ao gesto do Papa no domingo?

BHSJ: Bem, eu não estava lá, mas posso dizer que a “imposição de mãos” é uma prática antiquíssima. Ela remonta ao Antigo Testamento, onde podia significar a eleição de um herdeiro — pense em Isaac abençoando Jacó, ou ordenação — como quando Moisés ordenou Josué. Na tradição Cristã, ela permanece sendo um ato de benção, e é parte dos ritos de ordenação sacerdotal e episcopal. Ela tem o sentido de um ato de cura — espiritual, fundamentalmente, mas também de cura do corpo (há precedentes de milagres). Novamente, todavia, é algo comumente feito por um padre ou bispo — e “silenciosamente”, se preferir — sem espetáculo. O gesto em si também pode ser usado por pais ao abençoar seus filhos. — Pe. Bernd Hagenkord, SJ, é chefe da sessão alemã da Rádio Vaticano. Ele falou com Chris Altieri, da Rádio Vaticano.

* * *

Veja o vídeo, com um “close” na face do enfermo, disponibilizado pelo canal do Padre Paulo Ricardo no Youtube:

Tags:

34 Comentários to “Pe. Lombardi, SJ: Papa não realizou exorcismo.”

  1. Isto é passar um atestado de estupidez nas pessoas.

    O meu testemunho vale o que vale, e ninguém é obrogado a acreditar, mas conheço pessoalmente uma das pessoas que esteve bem perto e que está a par da situação e o rapaz não é deficiente nem doente. É perfeitamente normal e está numa cadeira de rodas por prevenção de cair no meio do chão se o Papa fizesse qualquer coisa, como no caso fez.

    Negar o evidente é tão, mas tão triste!!

  2. Sim, todos sabem qual o sentido estrito do exorcismo: um ritual detalhadamente definido, com estola roxa, crucifixo, água benta e as orações específicas do rito. Realmente não foi esse exorcismo que se comenta, e a Igreja não está negando que houve um confronto espiritual. Mas se usou o termo ‘exorcismo’, é verdade que um pouco deslocado, para sublinhar uma manifestação de origem demoníaca ante a imposição das mãos do Santo Padre.

  3. Ainda bem que ele não negou a existência do Demônio.

  4. Acredito que a função desse comunicado seja evitar que seja feito sensasionalismo com o acontecimento, bem como preservar a privacidade do doente. Por outro, lado diante da crescente apostasia no Ocidente, bem como ao crescente nepaganismo, com todas as suas formas de ocultismo e até mesmo cultos satânicos e demoníacos, penso que não é prudente tentar tapar o sol com a peneira. Nesse ponto, os livros do Pe. Gabrielle Amorth ajudam muito a entender como o maligno pode agir. Eu comentei sobre isso no post anterior. Não sei se o comentário foi aprovado ou não, enquanto estou escrevendo esse comentário.

  5. Do Catecismo da Igreja Católica (CIC)

    §517 Toda a vida de Cristo é mistério de Redenção. A Redenção nos vem antes de tudo pelo sangue da Cruz, mas este mistério está em ação em toda a vida de Cristo: já em sua Encarnação, pela qual, fazendo-se pobre, nos enriqueceu por sua pobreza; em sua vida oculta, que, por sua submissão, serve de reparação para nossa insubmissão; em sua palavra, que purifica seus ouvintes; em suas curas e em seus exorcismos, pelos quais “levou nossas fraquezas e carregou nossas doenças” (Mt 8,17); em sua Ressurreição, pela qual nos justifica.
    §550 O advento do Reino de Deus é a derrota do reino de Satanás: “Se é pelo Espírito de Deus que eu expulso os demónios, então o Reino de Deus já chegou a vós” (Mt 12,28). Os exorcismos de Jesus libertam homens do domínio dos demónios. Antecipam a grande vitória de Jesus sobre “o príncipe deste mundo”. E pela Cruz de Cristo que o Reino de Deus ser definitivamente estabelecido: “Regnavit a ligno Deus – Deus reinou do alto do madeiro”.
    §1673 Quando a Igreja exige publicamente e com autoridade, em nome de Jesus Cristo, que uma pessoa ou objecto seja protegido contra a influência do maligno e subtraído a seu domínio, fala-se de exorcismo. Jesus o praticou, é dele que a Igreja recebeu o poder e o encargo de exorcizar. Sob uma forma simples, o exorcismo é praticado durante a celebração do Baptismo. O exorcismo solene, chamado “grande exorcismo”, só pode ser praticado por um sacerdote, com a permissão do bispo. Nele é necessário proceder com prudência, observando estritamente as regras estabelecidas pela Igreja. O exorcismo visa expulsar os demónios ou livrar da influência demoníaca, e isto pela autoridade espiritual que Jesus confiou à sua Igreja. Bem diferente é o caso de doenças, sobretudo psíquicas, cujo tratamento depende da ciência médica. É importante, pois, verificar antes de celebrar o exorcismo se se trata de uma presença do maligno ou de uma doença.

  6. Acabo de ver que meus comentários formam publicados no post anterior. Obrigado! Se me permitem gostaria de transcrever parte deles aqui, pois podem ajudar nessa discusão também.

    Antes apenas gostaria de dizer que concordo com o Sérgio Menesses disse.

    Para mim um ponto de referência nesse assunto tem sido o Pe. Gabrielle Amorth.

    (transcrição do meu comentário anterior)

    Quem quiser entender melhor do assunto, recomendo a leitura dos livros do Pe. Gabrielle Amorth, que foi o primeiro a quebrar publicamente o silêncio sobre o tema e se tem dedicado a divulgar conhecimentos sobre o assunto, através de livros e da mídia em geral.

    O padre Gabrielle considera como exorcismo somente as orações que constam no Ritual de Exorcismo. No entanto, o mesmo Pe. Gabrielle admite e afirma que orações de libertação podem ter um valor de exorcismo, libertando as pessoas possessas ou que de alguma forma estão perturbadas pelo maligno.

    Levando-se isso em consideração, eu, particularmente, considero que, num sentido geral ou generalizante, não seria errado considerar exorcismo toda oração que tem como objetivo expulsar demônios ou libertar do demônio.

  7. «Para quem crê, nenhuma explicação é necessária; enquanto para os que não creem, nenhuma explicação é possível» ( Santo Ignácio de Loyola )

  8. Lembro que li uma matéria que abordava a amizade do então Cardeal Bergoglio, com o “padre” exorcista luterano Manuel Acuña, publicada em 18 de março de 2013 no noticiário eletrônico argentino Diario Popular. Diz Acuña na entrevista sobre o Papa Francisco:

    “Somos muy amigos, el santo padre es una persona extraordinaria. Nos conocemos bien, y tiene un gran respeto por la sanidad espiritual. Siempre que hablamos por teléfono o lograba hacer un espacio para recibirme, me preguntaba mucho por este tema” [exorcismo] “y mi actividad, ya que le interesó desde siempre todo lo relacionado con la sanidad. Es un gran conocedor”.

    “Hablar de eso sería comprometer al hoy Papa. Lo quiero y admiro demasiado para perjudicarlo, en lo más mínimo”. Para quem desejar ler a matéria completa, segue o link: http://www.diariopopular.com.ar/notas/150119-la-historia-del-exorcista-favorito-del-papa-francisco

  9. Os fiéis Católicos sempre tiveram consciência da ação diabólica, e mesmo sendo leigos, faziam sua parte e rezavam na autoridade de batizados. Os casos mais sérios e específicos, eram feito pelo clero. A maior parte do tempo foi assim e sempre funcionou. Quantas famílias Católicas possuiam o piedoso e sábio costume de manter em casa água benta, imagens de santos, convidar o sacerdote para abençõar objetos, roupas, oravam antes das refeições, etc. Isso se perdeu com a pregação moderna que aposentou Satanás e esvaziou o inferno.

    É obrigatória a leitura dos livros do Pe. Gabriele Amorth, Pe. Fortea, etc. Eles explicam de modo claro a diferença entre o “ritual oficial”, e as orações “expontãneas” que todos podem e devem fazer. O que o Papa fez foi uma oração expontânea na autoridade de Bispo, e Bispo de Roma! Ora pois: o demônio foge tremendo!!

  10. Paz a todos.
    Pode-se negar que tenha sido um exorcismo em estrito senso, mas não se pode negar que é uma autêntica oração de libertação.

  11. Heitor,
    você tirou as palavras que iria dizer sobre os padres e suas obras.
    abs

  12. O Lombardi do SBT era bem melhor!
    A alma exorcizada pelo Papa é homem beirando 25 a 30 anos e não uma criança!
    O Vaticano precisa parar de apagar fogo com álcool e aprender que hoje sempre tem um filmando e fotografando, graças a Deus!
    E os tais fenômenos que aconteceu numa viagem de Bento XVI à África? Mistéeeeeeerio.

  13. Preciso fazer justiça aos padres ordenados na Igreja e que se metem com esse movimento catogélico chamado r’cc’: muitos desses padres fazem exorcismos. Já presenciei.

  14. Claro que isso foi um exorcismo, não no sentido estrito, particular, seguindo o ritual, mas foi uma oração de libertação que pode valer como exorcismo, dependendo da situação, do caso. Nos livros do Pe Gabriele Amorth, traz explicações sobre isso.
    Qual o problema do porta-voz do Vaticano, reconhecer, ao menos que ouve uma oração de libertação? Talvez zelo para com o envolvido?

  15. Roberto: acredito que o “problema” em não reconhecer tal ato deve ser para manter a calmaria do povo, e também como mencionado por você, o zelo e cuidado com o envolvido.

  16. Lombardi está correto.

    O poder de expulsar demônios de um Leão XIII e de um padre é o mesmo.
    A eficácia e a garantia de expulsão do demônio é o Rituale Romanum que dá, no caso citado, não há a análise correta se é o caso de possessão e, se o Ritual não é usado não se pode dizer o que demônio foi expulso.
    Só através do Ritual da Igreja é possível saber, por exemplo, o número de demônios sua hierarquia e seus nomes, que é o que vai ditar o grau de dificuldade do procedimento.
    Esses demônios têm a inteligência superior a dos homens, mesmo o de nível baixo pode enganar ,coisa comum no Novus Ordo e no protestantismo. Simula a saída, vicia as tentativas inúteis, e é o que parece ser na cena, logo que percebe a “benção”, exibe e disfarça uma reação.

  17. Reconhecer que houve exorcismo é desmentir os padres mundo afora que dizem que o demônio n ‘ecxiste’ e tudo é força da mente e vai puxar lenha para a fogueira de que o inferno existe xiiiiiii só problemas! Aí terão que admitir que o pecado existe, a confissão é necessária, purgatório existe…. enfim, só problemas!
    Então, é melhor deixar essas medievalidades de lado e ouvir canto em homenagem ao demônio dentro de igreja como foi no último encontro de Assis.
    Como todos sabem é heresia dizer que o demônio n foi criado por Deus como anjo bom e ´sendo sua criatura…Concílio de Braga 563…. eu e as minhas medievalidades, mas eu existo!

  18. Sinceramente não entendo este “tapar o sol com a peneira” desta cúria romana. Quando surge algum fato polêmico, logo eles correm para desmentir ou dissimular o fato. Engraçado não!
    Não estaria o Espírito Santo soprando sobre o Papa para uma verdadeira reforma da cúria? Não nos moldes dos progressistas… mas uma reforma necessária: a conversão ao verdadeiro espírito evangélico!
    Por fim, penso que este Papa começa a mostrar que ele não é o que os progressistas queriam que ele fosse e fizesse. Há algo novo no ar…
    O Cardeal Hummes falou dele no congresso de Pentecostes da CN de uma forma que parecia ser um “libertador” (daqueles libertadores da teologia da libertação). Ele quase que jogou Francisco contra Bento XVI, mas penso que eles chegarão à conclusão que desejaram algo que não era o que queriam. Cada um com seu estilo, mas um Papa firme nas suas palavras… Vez ou outra, suas palavras podem ser usadas pelos progressistas para atacar os mais conservadores, mas também em algumas vezes palavras dele podem ser usadas para atacar os progressistas.

  19. Então os discípulos aproximaram-se de Jesus em particular e perguntaram: “Por que não conseguimos expulsá-lo? ”

    Ele respondeu: “Por que a fé que vocês têm é pequena. Eu lhes asseguro que se vocês tiverem fé do tamanho de um grão de mostarda, poderão dizer a este monte: ‘Vá daqui para lá’, e ele irá. Nada lhes será impossível.

    Mas esta espécie só sai pela oração e pelo jejum”.
    Mateus 17:19-21

    *******************É necessário largar o profissionalismo virtual, voltar a ler a Bíblia e frequentar sacramentos. Apesar de todos os pesares, o Papa É o Papa. Se qualquer imbecil, até o schorborn fala em Espírito Santo e ação do mesmo, pq o Espírito Santo naquele momento n estaria com O papa?
    N é à toa que está em Coríntios: a letra mata.

  20. Frase que o pe. Federico Lombardi deveria ter dito ao final:
    “Vocês vão acreditar em mim ou nos seus próprios olhos”?

  21. Cena impressionante! Eu suponho, e só posso suponhar, que o rapaz estava mesmo possesso. Agora se o demônio foi expulso, aí já não sei..

  22. A política, seguindo Roberto Campos seria como violino, toma-se com a esquerda e toca-se com a direita.

    Acho que o Santo Espirito usou deste principio, usou o então cardeal Bergoglio “progressista” para enganar aos cardeais como Claudio Humes, entre outros. Passado o conclave, agora já como Papa Francisco, conservador, tocará seu pontificado como a força do Ajudador enviado pelo Senhor Jesus.

    Eu também penso que o cardeal Bergoglio era, como cardeal, progressista. Mas acredito que a força do Altíssimo tenha pairado sobre o Papa e o convenceu do equivoco e o recriou, agora como Papa conservador.

    Quero só ver a cara dos que rasgaram seda por Bergoglio, “conservador”, agora reconhecendo que compraram “lebre por gato”.

    Eu mesmo venho, dia a dia mudando o meu conceito sobre o Papa Francisco. Oh Deus Pai Todo Poderoso, Deus de Abraão, Isaque e Israel, termine a Vossa obra, forme o Papa Francisco num verdadeiro Pastor Santo para guiar aqui na terra a Igreja de Vosso Filho, nosso Senhor Jesus Cristo. Aném!

  23. Gente, eu não entendo das coisas:

    1) É um terço que o moço que no peito?

    2) Sé é um terço, um possuído suportaria usá-lo? Justo um terço?

    Alguém com conhecimento e sem opinologia poderia me explicar?

  24. Rezo também pelo papa Francisco, pelo bem da Igreja!

  25. Há pessoas com patologias que em meio a uma forte emoção têm atitudes estranhas. O cérebro reage de modo diferente do que se acredita ser normal e o indivíduo têm atitudes “estranhas”. Há pessoas que “veem” o diabo em tudo; especialmente quando são ignorantes quanto ao que julgam saber. Quem afirma que isso não é uma patologia e sim uma possessão demoníaca é “por acaso” “exorcista ou neurologista?… O Rei Salomão tinha razão quando disse que: “Falar antes de ouvir e estultícia e loucura”. Eu diria que falar do que não se tem certeza como se tivesse é realmente estupidez.

  26. Eduardo Gregoriano,

    Existem relatos de possuídos que recebiam os Sacramentos e isso – antes da realização dos exorcismos – não expulsava o possessor, então, é de se imaginar que um terço no pescoço também não ímpossibilite uma possessão. Há casos e casos de possessão, por causas variadas, com maior facilidade ou dificuldade para a expulsão. Creio que seja o mistério da iniquidade manifestado em sua maneira mais brutal.

  27. O enfermo reagiu à oração do Papa. Certamente ele sofre de alguma influência diabólica para responder daquela forma. O Papa deveria ter continuado, ele só começou uma oração que principiaria um exorcismo.

    Eduardo, se o terço fosse bento, a coisa ia ficar preta para o endemoniado.

  28. Ana Maria, não querendo mudar de assunto, mas já que você citou os acontecimentos “estranhos” com a visita do Papa à África, poderia nos explicar o que aconteceu? Fiquei interessado, não me lembro desta notícia.

  29. Segundo padre Lombardi, o Papa Bento XVI também não rezou na Mesquita Azul de Istambul. É o Pinocchio oficial do Vaticano. Habituei-me a crer no contrário do que o porta-mentiras diz. No Vaticano ele tem emprego garantido, mas não duraria ao lado de Silvio Santos…

  30. Ricardo, sobre os acontecimentos estranhos há uma matéria no próprio fratres aqui: https://fratresinunum.com/2011/11/22/o-papa-e-os-sinais-no-ceu/

  31. Ricardo, ia responder, demorei pq n fico em casa pela tarde. Esses fenômenos foram abafados.

  32. Pedro Pelogia,como assim n duraria ao lado do silvio santos? E a estória do banco que faliu e o molusco ajudou e disseram que n ajudou? Nasceram um para o outro hehe haha hihi

  33. Ana Maria, consta que Abravanel fez um verdadeiro expurgo no SBT quando soube das falcatruas. Falta esse empreendedorismo do “patrão” nos papas do pós-Concílio. Francisco precisa renovar o elenco e acabar com o show de horrores.

  34. Pedro, e vc acreditou? Ele usa testas de ferro e sai ileso.abraços