Aleppo, a ira de um Bispo.

Durante a “Noite dos testemunhos”, organizada anualmente pela “Ajuda à Igreja que Sofre”, o Arcebispo grego-melquita de Aleppo, Dom Jean-Clément Jeanbart, depois de descrever a situação dramática dos aleppinos, falou aos jornalistas que vieram para ouvir. A tradução do original de Boulevard Voltaire.

Por Marco Tosatti – La Stampa | Tradução: Gercione Lima – FratresInUnum.com: “Os meios de comunicação europeus continuam a distorcer o cotidiano dos que sofrem na Síria e também estão usando isso para justificar o que está acontecendo em nosso país sem jamais checar essas informações”. Assim o bispo deu início ao seu discurso, descendo o chicote nas fontes usadas pela imprensa durante a guerra e que continuam a ser usadas por muitas agências de notícias. Entre elas, “instrumentos da oposição armada, como é o caso do Observatório Sírio de Direitos Humanos, a fonte indiscutível usada pelos meios de comunicação ocidentais”.

Refugiados em um igreja, incerto se Mosul ou Irbil, da página síria “Syrian Christian Resistance”, no Facebook

Refugiados em um igreja, incerto se Mosul ou Irbil, da página síria “Syrian Christian Resistance”, no Facebook.

“É preciso compreender que entre o Estado islâmico e o governo Sírio, a nossa escolha é feita rapidamente. Nós podemos condenar o regime por algumas coisas, mas vocês nunca tentaram ser objetivos”, acusou ainda. Quando lhe foi perguntado se ele poderia explicar sua posição para as autoridades francesas, Dom Jeanbart disse que tinha tentado, antes de lhe terem dito que ele deveria ser “menos crítico”.

Para ele, no entanto, o Ocidente continuou a se calar sobre as atrocidades cometidas pela oposição armada, enquanto denigrem o governo Sírio e seu presidente. “Bashar Assad tem muitas falhas, mas saibam que tem também qualidades”, explicou ele, “as escolas eram gratuitas, os hospitais, mesquitas e igrejas não pagavam nenhum imposto, mas que outros governos na região fazem essas coisas? Sejam honestos! Lembrem-se também que, se nós preferimos apoiar o governo hoje, é porque nós tememos o estabelecimento de uma teocracia sunita que nos privaria do direito de viver em nossa terra”.

Ele continuou: “Sim, eu tentei dizer todas essas coisas às autoridades francesas, mas o que você espera de um Fabius Laurent que pensa que é o Todo-Poderoso para decidir quem merece ou não a viver nesta Terra?” Ele respondeu, aparentemente cansado (Laurent Fabius disse que Assad não merece estar sobre essa terra). “É possível que a França – que eu amo e que me educou através de comunidades religiosas que  tinham se estabelecido na Síria – tenha mudado tanto? É possível que os seus interesses e seu amor ao dinheiro tomaram precedência sobre valores que outrora defendia”? Continuou o arcebispo amargamente.

Sobre os bispos franceses, Dom Jeanbart disse: “Se a Conferência dos Bispos da França tivesse confiado em nós, teria sido melhor informada. Por que os seus bispos se calam diante de uma ameaça que agora é vossa também? Porque os vossos bispos são como todos vocês, acostumado ao politicamente correto! Mas Jesus nunca foi politicamente correto, era politicamente justo!”, bradou.

“A responsabilidade de um bispo é ensinar e usar a sua influência para transmitir a verdade. Os vossos bispos, por que eles têm medo de falar? Naturalmente que serão criticados, mas igualmente lhes será dada uma chance de se defender e de defender esta verdade. Devemos lembrar que a o silêncio às vezes é um sinal de assentimento”.

E até mesmo a política de migração dos países ocidentais foi criticada pelo arcebispo: “O egoísmo e os interesses servis defendidos por seus governantes, no fim, acabarão por assassinar até mesmo vocês. Abram os olhos, pois não viram o que aconteceu recentemente em Paris?”, acrescentou o Arcebispo, antes de concluir com uma súplica: “Precisamos que vocês nos ajudem a viver e permanecer em nossa casa […], eu não posso aceitar ver nossa Igreja de dois mil anos desaparecer. Eu prefiro morrer do que ter que ver isso”.

Anúncios
Tags:

11 Comentários to “Aleppo, a ira de um Bispo.”

  1. Parecem ser palavras de um homem acuado e abandonado pelos amigos. Justo aqueles que deveriam defendê-lo, preferem o silêncio… triste, também o mestre foi abandonado quando mais precisou. Oremos pelos cristãos sírios.

  2. Recentemente, quem bombardeou Allepo foram as forças de Putin e do islamita Bashar Al Assad. Esta cidade não se encontra sob domínio do Estado Islâmico. Veja noticia: http://g1.globo.com/mundo/noticia/2016/02/mais-de-500-pessoas-morreram-em-aleppo-em-ofensiva-do-regime-sirio.html

    Então vemos que seja quem for, de Obama a Putin, o que interessa é a destruição dos cristãos católicos.

    • Lucas Janusckiewicz, me perdoe, mas eu não consigo entender como você consegue escrever tanta besteira junta!!!

      Chega a ser ofensiva a tua ingenuidade em dar crédito às notícias da Globo, justamente a mídia mais anti-católica do Brasil.

      Você assim envergonha ao Rei Jan Sobieski, a quem acredito eu que você preza muito (eu também, por ele ter sido um exímio matador de turcos muçulmanos).

      Antes de você espalhar o desnecessário, acerca de uma realidade que você não conhece, tenha a boa vontade em perguntar e ouvir a algum descendente de sírios-libaneses, ou da comunidade greco-melquita, que tenha fontes diretas de Damasco.

      Melhor ainda: procure por Dom Joséph ou Dom Fares, pelos padres Suhail, Zyad, Dimitrios, João Carlos, Nectarios, Phillip e George (todos da Eparquia Greco-Melquita) e pergunte a eles o que acontece por lá de fato e qual a posição deles. O Facebook tem uma página da eparquia com o telefone.

      O clã Assad sempre protegeu aos cristãos sírios (católicos e ortodoxos) e, apesar de serem muçulmanos alawitas, é injusto compará-lo a demônios do Daesh ou do Jahbat-al-Nusra.

      O fato é que sem a ajuda russa, solicitada por Damasco, haveria ainda menos cristãos naquele país que é o berço da Igreja de Cristo (lembrança: São Pedro Apóstolo foi Patriarca de Antioquia antes de ser Papa em Roma).

      Se você ainda duvida, deixo as palavras de Dom Youssef III Younan, Patriarca dos Siríacos-Católicos:

      “…

      Speaking in Rome, Younan also said that the Christian community in the Middle East is grateful to Russia, which has been bombing ISIS targets since mid-November 2015. This intervention, he said, done in coordination with the local army, has “changed the situation on the ground.”

      He also offered a grudging defense of Syrian President Bashar al-Assad.

      “Western media speak about the ‘monstrosities’ of Assad, saying he’s killed 100,000 Syrians,” Younan said. “But they don’t speak about the 1 million people who died in Iraq as a result of the allied military intervention in 2003. It’s all been forgotten.”

      He acknowledged that Assad has committed atrocities, but said the West “went there to murder and bomb, because you wanted to bring down the government of Saddam Hussein, and people died because of the bombings, of starvation, of illnesses

      … ”

      Fonte: http://www.cruxnow.com/church/2016/01/29/syrian-catholic-leader-demands-the-west-step-up-against-isis/

      Seja mais prudente se você quer ajudar, para não espalhar bobagem.

      Porque a incompreensão e a indiferença generalizadas do Ocidente (e aqui me refiro a governos e à Igreja) – advindos do conforto no qual todos aqui vivemos – têm grande responsabilidade pelo mal que acontece na Síria.

      Deus te salve, Lucas.

      Kyrie Eleison +, Kyrie Eleison +, Kyrie Eleison +.

    • Agora eu vi o alcance dos danos por assistir novela da rede bobo…

  3. Testemunho de fé de um Pastor de verdade que , sem medo , se oferece ao martírio pelo bem das ovelhas !

  4. D Jeanbart tem toda razão sobre todos os pontos abordados e questionados por ele, pois a CEF é tão criticada pelos franceses como a CNBB aqui, diferenciando-se que esses são bem ácidos que os comentaristas daqui, havendo lá, devido a influencia do Islã, quem dentre o episcopado chegue ao absurdo de cair até no “Alahu Akhbar”!
    Que esperar de F Laurent do mafioso governo francês? Os eleitores da lá cometaram o mesmo erro gravíssimo daqui do Brasil de postarem as hienas comunistas no poder, cujos objetivos primordiais visam destruir o bem e implantarem todos os males!
    Al Assad, com todos os defeitos – os governos despóticos muçulmanos são ferrenhas ditaduras – ao menos sabia conciliar o povo antes das intervenções estrangeiras insufladas pelos EUA, Russia etc., mantendo os diversos grupos religiosos sem confrontos – uma grande vantagem!
    Até mesmo o tal qual complicado Khadafi conseguia a trancos manter a Libia em relativa calma nos mesmos itens, até antes das intervenções ocidentais, sendo hoje reedição siria!
    Confira como a ambos relapsos grupos religiosos acima se lhes aplica ipsis litteris por não terem se insurgido contra os peçonhentos marxistas, deixaram o rebanho á sanha dessas feras do campo e retratando os caracteres dos que se apossaram do poder graças à inercia ou conivencia dos religiosos, salvas muito poucas exceções:
    “Não entres pela vereda dos ímpios, nem andes no caminho dos maus.
    Evita-o; não passes por ele; desvia-te dele e passa de largo.
    Pois não dormem, se não fizerem mal, e foge deles o sono se não fizerem alguém tropeçar.
    Porque comem o pão da impiedade, e bebem o vinho da violência. Pro 4,14-17.
    Não parece que o diabo lacrou a boca de muitos dos clero que não chamam mais a atenção dos fieis dos perigos que o cercam, ou são-lhe lacaios?
    Nesse ano, por ex.,, em paroquias conhecidas ou onde frequento e conhecidas, nenhum sacerdote nem pio sequer deu sobre o festival anual que Satã cuidadosamente prepara para seus afiliados, o diabólico bacanal-carnaval!

  5. O governo francês oprime aqueles que deveriam proteger e favorece e protegem que deveria perseguir. Amo menos nossas orações para aqueles perseguidos que se não são mártires ao menos são confessores da Fé. Podemos fazer mais, isto é, dar voz aos que silenciam, por isso sempre divulgo estas notícias.

  6. Boa parte dos escândalos que assolam e assolaram a Igreja procedem da politicagem e da ambição doentia de maus clérigos (sempre muito empenhados em preservar a própria pele, como se esta não estivesse destinada a ser pasto de vermes). Com raras exceções, os bispos ocidentais, a começar pelo humilde e clarividente PF, estão pouco ou nada empenhados em agir em favor dos sofridos cristãos do Oriente. Os menos piores desse campeonato de omissão e comodismo não fazem nada por respeito humano e covardia. Até fariam alguma coisa caso não sentissem vergonha de passarem por medievos (?); fariam alguma caso não precisassem mexer sua excelentíssima pança e deixar de contar suas 30 moedas. O azeite já acabou faz tempo.

  7. Colegialidade de conveniência! Quando é pra se destruir a Igreja de Cristo fomentando ideologias travestidas de teologia, a tal colegialidade funciona que é uma beleza!
    Mas quando é para ajudar os outros irmãos no Episcopado que sofrem o martírio de consciência ou martírio de sangue, os judas modernos enfiam as mãos nos bolsos de suas sotainas ou alisam sua cruz peitoral enquanto fazem cara de paisagem fingindo não saber de nada!
    E é essa mesma covardia e inércia denunciada pelo Arcebispo de Aleppo, que levou São Luis de Montfort a exclamar aflito:

    “Vede, Senhor Deus dos exércitos, os capitães que formam companhias completas, os potentados que ajuntam numerosos exércitos, os navegadores que reúnem frotas inteiras, os mercadores que se congregam em grande número nos mercados e nas feiras! Quantos bandidos, ímpios, ébrios, libertinos, se unem em massa contra Vós todos os dias, e isto com tanta facilidade e prontidão! Basta soltar um assobio, rufar um tambor, mostrar a ponta embotada de uma espada, prometer um ramo seco de louros, oferecer um pedaço de terra amarela ou branca; basta, em poucas palavras, uma fumaça de honra, um interesse de nada, um mesquinho prazer animal que se tem em vista, para num instante reunir os bandidos, ajuntar os soldados, congregar os batalhões, convocar os mercadores, encher as casas e os mercados, e cobrir a terra e o mar de uma multidão inumerável de réprobos, que, embora divididos todos entre si, ou pelo afastamento dos lagares, ou pela diversidade dos gênios, ou por seus próprios interesses, se unem, entretanto, e se ligam até à morte, para fazer-Vos guerra sob o estandarte e sob o comando do demônio.
    E nós, grande Deus, embora haja tanta glória e tanto lucro, tanta doçura e vantagem em servir-Vos, quase ninguém tomará vosso partido? Quase nenhum soldado se alistará em vossas fileiras? Quase nenhum S. Miguel clamará no meio de seus irmãos, cheio de zelo pela vossa glória: quis ut Deus?”

    • Salve Maria…tirastes as palavras do fundo de meu coração canceroso com as paredes enfraquecidas devidas as loucuras que entram por nossos ouvidos e bocas e que hoje devido a estes seguidores que dizem dirigir a Igreja Católica,onde limpam os seus pés imundos contaminados com modernidade/progressista insuflados em seus ouvidos a fumaça do inimigo infernal (fumaça de
      satanás),trabalham ao contrário do que é Verdade e Santo.
      Homens que foram constituídos lideres que deveriam dar a vida pra defende-la;a desprezam e tentam arrancar se possível até os seus alicerces.
      É um vergonha estes “bispos” …e de tais pessoas esperar o quê ??? – Diga-se de passagem e uma passagem rápida que ainda existe bons Bispos,mas que ainda não se pronunciaram,rezemos por estes,pois a noite vem chegando…

      Salve Maria Gercione.