Papa: “A Igreja deve pedir perdão aos gays”. E sobre Lutero: “Ele foi um reformador, tinha boas intenções”.

Francisco a todo vapor no vôo da Armênia: “Bento XVI  é Emérito, mas o Papa é um só”. “Depois do Brexit, é necessário uma União Europeia menos maciça”. E responde ainda aos ataques de Ancara: “Os armênios? Eles não conheciam outra palavra senão genocídio.”

Por La Repubblica | Tradução: FratresInUnum.com: “Pedimos perdão por termos marginalizado os gays. Martinho Lutero foi um reformador. Bento é Emérito, mas o Pontífice é um só”. É um Papa a todo vapor aquele que se entretém com os jornalistas no vôo da Armênia. Francisco encontra tempo para falar até da União Europeia após o referendo sobre Brexit e para voltar ao tema do genocídio armênio, que causou a forte reação da Turquia. E são todas as palavras destinadas a causar controvérsia.

224526713-ef385206-b78f-4edd-82f6-bc3fa6b6a879“A Igreja pede perdão aos gays e não apenas a eles”.”Eu acredito que a Igreja não só deve pedir perdão aos gays, mas deve pedir perdão também aos pobres, às mulheres estupradas, as crianças exploradas no trabalho, deve pedir perdão por ter abençoado tantas armas. Os cristãos devem pedir perdão por terem acompanhado tantas escolhas erradas”. Assim Papa Francisco, no vôo de regresso de Yerevan, respondeu quando perguntado se ele concorda com o cardeal Reinhard Marx, que em uma conferência internacional em Dublin disse que a Igreja deveria pedir perdão à comunidade gay. “Eu disse em minha primeira viagem e repito, aliás repito o Catecismo da Igreja Católica – disse o Papa -: os homossexuais não devem ser discriminados, devem ser respeitados, acompanhados pastoralmente.  Se pode condenar qualquer manifestação ofensiva aos outros, mas o problema é que, com uma pessoa com aquela condição, que tem boa vontade e que busca a Deus, quem somos nós para julgar? Devemos fazer um bom acompanhamento – acrescentou – é o que diz o Catecismo. Então, em alguns países e tradições, existe outra mentalidade, alguns que tem uma visão diferente sobre este problema “.

“As intenções de Lutero não eram erradas”. “Eu creio que as intenções de Martinho Lutero não eram erradas. Ele foi um reformador”. Estas são as palavras do Papa Francisco no vôo de regresso da capital armênia, Yerevan, e responde também a uma pergunta sobre a viagem que o Papa fará a Lund, Suécia, para o 500º aniversário da Reforma Protestante. “Talvez – continuou o Papa – os métodos foram errados. Mas a Igreja não era nenhum modelo a ser imitado: havia corrupção, mundanismo, lutas de poder”. Respondeu ele dando um passo adiante para criticá-la.  “Em seguida, verificou-se que ele não estava sozinho  pois Calvino e os príncipes alemães queriam o cisma.  Devemos colocar-nos na história desse tempo, não é fácil de compreender hoje – continua o Papa – buscamos retomar a estrada para nos encontrarmos novamente depois de 500 anos.  Rezar juntos e trabalharmos em conjunto para os pobres. Mas isso não é suficiente. O dia da plena unidade, dizem alguns, é o dia depois da vinda do Filho do Homem. No entanto, nós temos que orar, dialogar e trabalhar em conjunto por tantas coisas, como na luta contra a exploração das pessoas.No plano teológico, finalmente, estamos de acordo com os luteranos sobre o tema da Justificação. O documento conjunto sobre esta questão é um dos mais claros. Os irmãos -assim, concluiu o Papa- se respeitam, se amam”.

“Há apenas um Papa, Bento é Emérito”. “Há apenas um Papa. O outro, Bento XVI é um papa emérito, uma figura que antes não existia e que ele, com coragem, oração, ciência, e até mesmo teologia, abriu o caminho. Eu nunca esqueci o discurso que ele fez aos cardeais em 28 de fevereiro, há três anos atrás: “entre vocês com certeza está o meu sucessor, a ele eu prometo obediência”. E assim o fez.”. Assim Papa Francisco respondeu aos repórteres sobre as declarações de Mons. Georg Gaenswein sobre o ministério petrino, que agora seria compartilhado entre dois papas, um ativo e outro contemplativo. “Eu não li as declarações, eu não tive tempo para ver essas coisas”, assim disse Francisco. “Bento é o Papa emérito – disse ele. – Ele disse claramente naquele 11 de fevereiro, que sua demissão seria efetiva em 28 de fevereiro, que se retirava para ajudar a Igreja com a oração. E Bento XVI está no seu mosteiro, rezando. Eu fui vê-lo, eu de vez enquanto falo com ele ao telefone. Outro dia mesmo ele me escreveu uma cartinha, com aquela assinatura sua, desejando-me boa viagem à Armênia.  Mais de uma vez- recordou o Pontífice- eu disse que é um graça ter em casa um sábio. Até disse isso pra ele e ele riu. Ele pra mim é o Papa emérito e o avô sábio, é o homem que sustenta as costas e a coluna com a sua oração. Depois eu ouvi falar,  pois me contaram, mas eu não sei se é verdade, porém se encaixa bem com seu caráter, que alguns foram lá para se queixar de mim com ele: “… mas este Papa … ‘, e ele os expulsou de lá…no melhor estilo bávaro, educado, mas os expulsou. Este homem é assim, um homem de palavra, é um homem reto, reto. É o Papa Emérito “.

“A Europa após Brexit precisa de uma união menos maciça.” “Há um ar de divisão, não só na Europa.  Dentro dos próprios países:.. a Catalunha e a Escócia no ano passado. Há algo errado nesta União ‘enorme’: talvez seja necessário pensar em uma nova forma de união, mais livre. Mas não se deve jogar fora o bebê com a água suja do banho “. Assim o Papa, no vôo de Yerevan respondeu sobre Brexit e os perigos de desintegração da Europa. “Essas divisões – disse o Papa – não digo que são perigosas, mas precisamos estudá-las bem e antes de tomar um passo adiante conversarmos bem entre nós, e buscar soluções viáveis”.  Francisco disse que ele não havia estudado o “porque o Reino Unido quis tomar essa decisão. Mas há divisões por independência, que são feitas para a emancipação, como os dos Estados que eram colônias, e há secessões. Um passo que, no caso da União Europeia, deve ser dado para recuperar a força de suas raízes, um passo de criatividade, e até mesmo de saudável “desunião”, dar mais liberdade aos países da UE pensar uma outra forma de União”.  “Seja criativo – afirmou ele- em postos de trabalho, na economia, é impensável que em países como a Itália, há tantos jovens fora do mercado de trabalho.  Há algo errado nesta União ‘maciça’.  Mas não vamos deitar fora o bebê com a água do banho.Precisamos recriar – concluiu – Recriar é algo que sempre precisa ser feito. E isso dá vida e vontade de viver. Dá fecundidade. Para a União Europeia, na minha opinião há duas palavras-chave: criatividade e fecundidade…”

“Os armênios? Não conhecem outra palavra senão genocídio”. “Na Argentina, sempre que se fala sobre o extermínio dos Armênios se usava a palavra genocídio. Não conheci outra. Só que quando eu vim para Roma ouvi outra palavra, o” grande mal “, a terrível tragédia … E me disseram que a outra era ofensiva “. Assim disse o Papa respondendo sobre a reação turca às suas declarações sobre a perseguição do povo armênio. “Por causa do meu passado com esta palavra, por já tê-la usado publicamente, seria muito estranho se eu não a tivesse usado na Armênia.  Mas eu nunca falei com espírito de ofensa. Eu sempre falei de três genocídio no século passado..: o primeiro Armênio, o segunda o de Hitler e o último, o de Stalin. Houveram outros, como na África, mas estes foram os que aconteceram no âmbito de duas grandes guerras “, disse o pontífice. “Eu me perguntava porque há alguns que acham que este não foi um verdadeiro genocídio. Um advogado me disse algo que me impressionou muito, que” genocídio “é um termo técnico, tem sua tecnalidade, não é sinônimo de extermínio. Pode-se dizer extermínio, mas o genocídio implica que são necessárias ações de reparação”.

Tags:

65 Responses to “Papa: “A Igreja deve pedir perdão aos gays”. E sobre Lutero: “Ele foi um reformador, tinha boas intenções”.”

  1. Bem, até os católicos mais liberais, estão a ficar sem palavras perante este Papa…..Lutero, é agora um reformador com boas intenções? Pedir desculpa aos gays do quê? Os gays destroem imagens, insultam a Igreja, e exigem a normalização da sua aberração, e temos de pedir desculpas do quê?, será que o Papa Francisco está bem intencionado? Estou a ficar preocupado.

    • Sr. Pedro,

      sofro de TENDÊNCIAS homossexuais e sou católico romano, como se diz: “praticante”. Portanto, tenho consciência da gravidade pecaminosa do ATO homossexual, à luz da Lei de Deus e de Sua única e verdadeira Igreja, e tento seguir a norma que o Catecismo prescreve a esse respeito, há mais de oito anos, desde quando me converti.

      Entrementes, em vinte e quatro anos de vida, tenho sido bastante maltratado, tanto física quanto simbolicamente, por pessoas cristãs, sejam elas católicas romanas ou protestantes (se se puder considerá-los cristãos de fato), porque, em mim, e em não poucos homossexuais, a nossa INCLINAÇÃO é PATENTE.

      Penso [e vejo, e sinto!!!] que há um comportamento enraizado e naturalizado de execração pública do homossexual dito afetado muito violento, nocivo, anticristão e anti-humanitário e é a isso e contra isso que o Santo Padre deve se referir.

      (Se alguém gostar de fazer “sexo” às escondidas com animas, incorrerá no grave pecado sexual contra a natureza assim como outrem incorre em grave pecado contra a natureza se fizer “sexo” com um homem de nosso mesmo sexo ou ainda se fizer “sexo” consigo mesmo, masturbando-se. Contudo, as pessoas do primeiro e último caso não portarão um jeito de ser que as identificará, aos olhos da sociedade, como inclinada ou praticante da bestialidade e da masturbação, pecados gravíssimos contra a natureza. Na pessoa do segundo caso, todavia, em ela praticando ou não o ato, a sua inclinação homossexual, e somente ela, que em si mesma nada tem de pecaminosa, pode ser evidente e motivo das mais diversificadas e injustificadas discriminações, até mesmo entre cristãos).

      Os homossexuais, praticantes ou não, afetados ou não, não podem ser maltratados!!! E entre nós, infelizmente, isso é costume feio e execrável. A Igreja se opõe a isso. Mas que se condenem, como ela faz de maneira solene no Catecismo, os atos homossexuais, para esclarecer a mente de seus membros e moralizar-lhes os atos!

      Eu repito, com base no estudo da Doutrina, que os atos homossexuais são pecados gravíssimos, mas sofrer de tendências homossexuais, e por infelicidade demonstrá-las, sem querer, na voz e no jeito de ser, apesar de ser um mal, não é grave, do ponto de vista de quem é acometido dele, porque lhe falta a voluntariedade… Sejamos mais misericordiosos, pelas Santas Chagas de Nosso Senhor!

      Leiam na íntegra a entrevista. As palavras de Sua Santidade são estas a esse respeito:

      “Devemos acompanhar bem, de acordo com o que diz o Catecismo. O Catecismo é claro! Depois, há tradições em alguns países, em algumas culturas que têm uma mentalidade diferente sobre este problema. Eu creio que a Igreja não só deve pedir desculpas – como disse aquele cardeal “marxista” … [risos] – a essa pessoa que é gay, que ofendeu, mas também deve pedir desculpas aos pobres, às mulheres e às crianças exploradas no trabalho; deve pedir desculpas por ter abençoado tantas armas.
      A Igreja deve pedir desculpas por não ter se comportado tantas e tantas vezes – e quando digo “Igreja” entendo os cristãos; a Igreja é santa, os pecadores somos nós! – os cristãos devem pedir desculpas por ter acompanhado tantas escolhas, tantas famílias”.

    • Duvido das boas intenções de alguém que, só por “coincidência”, defende aqueles “valores” que a Igreja sempre condenou… será que tudo aquilo que a Igreja sempre ensinou só não é percebido justamente por aqueles que, outrora ( antes do cvii ) jamais poderiam ocupar postos na Igreja??

      Nesse ponto especificamente, sobre os gays, só por “coincidência”, ele pensa a mesma coisa que um outro “prelado” de nome sui generis, um tal de “cardeal” Marx: “Catholic Church should apologize to gays, says papal adviser Cardinal Marx” ( https://www.lifesitenews.com/news/catholic-church-should-say-sorry-to-gays-says-popes-adviser-cardinal-marx?utm_source=LifeSiteNews.com+Daily+Newsletter&utm_campaign=1f8f8d6537-LifeSiteNews_com_Intl_Headlines_06_19_2013&utm_medium=email&utm_term=0_0caba610ac-1f8f8d6537-398742669 ).

      Tome cuidado para não passar mal.

      Salve Maria.

    • Anônimo,
      parabéns pelo seu esforço em buscar a santidade e lutar contra suas más inclinações.
      Mas permita-me perguntar uma coisa: você já foi cuspido no rosto ou expulso de uma missa só pelos seus trejeitos homossexuais? Algum padre já lhe negou a Eucaristia por causa de seu jeito afetado? Algum padre já se recusou a lhe dar absolvição no sacramento da penitência? Algum bispo já fez alguma censura pública contra você?
      Que tipo de maldade praticaram contra você dentro da Igreja Católica? Xingado? Objeto de fofoca? Pois saiba que você não precisa ser homossexual para ser maltratado por outras pessoas dentro da Igreja. Eu sendo heterossexual, já foi criticado e discriminado dentro de minha própria paróquia. Aliás, eu cheguei a ser convidado a me retirar de um movimento pastoral porque o coordenador me acha “estranho” demais.
      Enfim, a Igreja não é composta de seres angelicais perfeitos. Você não é o primeiro nem será o último a ser injustiçado dentro da Igreja.
      Por outro lado, você parece ignorar a atuação de tantas pessoas que se dedicam a acolher os homossexuais e encorajá-los a perseverar: padres piedosos, bispos, leigos psicólogos, voluntários. Cerca de 30% dos aidéticos homossexuais da África são tratados pela Igreja Católica (onde esta a discriminação”?). Quando a AIDS começou nos EUA nos anos 90, as únicas pessoas que se prontificaram a cuidar dos homossexuais aidéticos eram FREIRAS CATÓLICAS. Você não vê isso. Somente vê os atos individuais de pessoas próximas a você e, com isso, se põe a generalizar dizendo que “a igreja discrimina homossexuais…”.
      E é este tipo de generalização injusta que fez Francisco com esta declaração infeliz.

    • Sr. Alcleir,

      dispenso as suas congratulações, pois estou cumprindo a minha obrigação. Amo a Deus, que me criou e me redimiu, sentindo-me no dever de retribui-Lo por isso, seguindo sua Lei, para ofertar-Lhe, na minha morte, uma alma mais purificada do que agora, para sua maior glória, e por temer as penas desta vida e do inferno. É por isso que não quero pecar, sobretudo por um dos pecados que ‘bradam aos céus por vingança’.

      Refiro-me, no meu comentário anterior, aos cristãos de uma maneira geral e não àqueles envolvidos diretamente em atividades eclesiásticas e litúrgicas católicas romanas. Até porque não é porque uma pessoa batizada nunca vai à missa que ela deixa de ser cristã, não é mesmo? Ela está obstinada num pecado contra o terceiro mandamento, mas não deixa de ser católica romana, se professa o credo. Todos os batizados que creem no credo são cristãos católicos, não?!

      Não me referi à violência dentro dos ambientes eclesiásticos, onde ao contrário sou tratado com toda cortesia e humanidade, SEMPRE!, apesar de eu ser efeminado [e aproveito o ensejo para responder negativamente a todas as suas inquirições]. Mas fora dela, na sociedade, que se declara majoritariamente cristã e é batizada, sou muito maltratado e muitos como eu o são tb. Não acha que é a isso que Sua Santidade pode estar se referindo? Os homossexuais são alvos mais fáceis dos mais diversificados tipos de violência do que os heterossexuais. Eles fazem parte de um grupo marginalizado, que a Igreja e seus membros, que são todos os batizados, devem acolher com respeito, sem abrir mão de os moralizar, sem abrir mão de ensinar-lhes a moral sexual católica romana, mas com humanidade, com afabilidade, como Jesus fez.

  2. Acho que qualquer adjetivo em tom critico é desnecessário. Acho que já esgotamos o polo de ações que estavam a nosso alcance. Essa para mim foi de matar. Acho que agora é rezar. Este Papa praticamente tentou tirar a autoridade de trento. E se engana feio com Lutero, ou mente. LUTERO era mal. Entrou no seminario para fugir da justiça.

    No que tange aos homosexuais, pior não podia ficar, mas desmoralizante para IGREJA DE CRISTO não podia ficar. Acho que perdão quem deve somos nós pecadores, à DEUS por nossos pecados, inclusive os homosexuais. A IGREJA sempre agiu para guiar o rebanho a santidade, menos nos ultimos anos, que o gênio modernista saiu da garrafa.

    sem palavras. EU ACHO QUE E O FIM DE TUDO. AGORA, ESPERO POR NOSSA SENHORA DE FÁTIMA EM SEU ANO DE CENTENÁRIO.

  3. Francisco é tão escandaloso que o melhor que possamos fazer é vivemos como um bom católico no norte da Suécia do século XIII: só rezamos pelo papa que não temos condições algumas de ver e acompanhar seus feitos. Porque se valer sempre dos meios de comunicação para acompanhá-lo é colocar a fé em perigo certo.

  4. “a Igreja não era nenhum modelo a ser imitado”
    Ai fica difícil eu defender a Igreja diante de seus inimigos…

  5. Quando Deus livrará a Sua Igreja desse insuportável flagelo?

    • Que possamos passar por este flagelo, sem ceder um ponto em doutrina, sendo fiel à doutrina católica. São tempos difíceis, sim um flagelo, um sofrimento, mas temos que ter em mento: no fim o coração imaculado triunfará, mas até lá, haverá muito prejuízo. Rezemos e permaneçamos fiéis.

    • Quando as pessoas se aterem àquilo que ensina a Igreja… Deus quer a obediência que, por si, é prova de Fé, de Esperança e de Caridade.

      Salve Maria.

  6. Recuso-me, por pudor, a comentar os desatinos desse senhor. Pensando na situação calamitosa em que se encontra a Igreja, cheguei à conclusão de que os maiores culpados dessa desgraça são justamente os conservadores os amentais do Opus Dei, o ideológico D. Estêvão Bittencourt, o erudito D.Boaventura, o coitado D. Eugênio Sales, o tímido Ratzinger e tutti quanti. Foram eles que tergiversaram e continuaram a defender ideologicamente as reformas vindas do Vaticano Dois, cujo prato completo é esse bispo argentino. E agora, quantos aos vivos e não inválidos, são os conservadores a procurar respaldo e legitimidade para esse protestante que ocupa a Santa Sé. O grande estorvo da Igreja são os conservadores, gente fraca e castrada cujo deus é o ventre.

  7. Já tive mais fé. Fica difícil defender a infalibilidade papal sobre doutrina se, ao abordar as doutrinas, o Papa contradiz todos os que vieram antes dele e prega ideologias da moda…

    • Fpsobreira só há infalibilidade papal de acordo com as quatro condições vaticanas definidas no Santo Concilio Vaticano I. O problema das declarações de Francisco são dois: o escândalo e a legitimação do pecado que elas proporcionam para os mundanos. Deus tenha misericórdia do Papa ermano, pois ele não tem nem de si e muito menos de nós, o leigos da Igreja

    • Não, não é difícil não…

      Salve Maria.

    • Caro sr. José Ribeiro Júnior, muito bom dia e

      Salve Maria.

      Essa noção de que só há infalibilidade papal quando presentes as quatro notas vatianas é equivocada e, digo mais, nasceu em meios modernistas ( já tive, inclusive, a oportunidade de discorrer sobre ela longamente aqui mesmo no FIU ).

      Para o momento, bastaria o texto seguinte:

      “Duas grandes mentiras
      sobre a infalibilidade da Igreja

      Rev. Pe. Matteo Liberatore, S.J. (1810-1892)

      Há aqueles que, seja por ignorância ou antes por malícia, pretendem que o magistério da Igreja não é infalível a não ser quando define os dogmas revelados por Deus; dizem eles que a Igreja se incumbe desse magistério [infalível] unicamente quando, com um juízo solene, ela define um ponto de fé ou de moral, quer no seio dos Concílios, quer nos decretos pontifícios. Essas afirmações são, todas duas, contrárias à verdade.

      Para começar, o magistério da Igreja é duplo: um extraordinário, outro ordinário.

      O primeiro [o magistério extraordinário] é unicamente aquele que se exerce por juízo solene, quando surgiram certas dúvidas referentes ao entendimento dos dogmas, ou então ainda em razão de algum erro pernicioso que ameace a pureza da crença ou dos costumes.

      Já o magistério ordinário, porém, é aquele que se exerce, sob a vigilância do Papa, pelos pastores sagrados espalhados pelo mundo inteiro, quer por meio da palavra escrita ou falada nas pregações e nos catecismos, quer pelo exercício do culto e dos ritos sacros, quer pela administração dos sacramentos e todas as outras práticas e manifestações da Igreja.

      Esses dois gêneros de magistério são afirmados em termos expressos pelo Concílio do Vaticano: “Somos obrigados a crer, com fé divina e católica, em tudo o que está contido na palavra de Deus escrita ou transmitida pela tradição, e que a Igreja, quer com um juízo solene, quer com um ensinamento ordinário e universal, propõe à nossa crença como revelado por Deus.”

      Pretender que o fiel não esteja obrigado a crer a não ser naquelas verdades que tenham sido objeto de definição solene da Igreja seria redundar em dizer que antes do Concílio de Niceia ele não tinha a obrigação de crer na divindade do Verbo; nem na presença real de Jesus Cristo na Santa Eucaristia, antes da condenação de Berengário.

      Em segundo lugar, a infalibilidade do magistério extraordinário e do magistério ordinário não se estende unicamente aos dogmas que Deus revelou, mas também às consequências que neles estão contidas, e em geral a tudo o que com eles é conexo, a tudo o que é indispensável para conservá-los intactos e protegê-los contra os ataques e as armadilhas do erro. Sem isso, Deus não teria tomado medidas suficientes para que os pastores sagrados estivessem em condições de preservar os fiéis contra as fontes envenenadas, Ele não os teria provido dos meios necessários para garantir eficazmente o depósito da fé que a eles foi confiado.”

      Um grande abraço e,
      Conforme o exemplo de São José,
      Nos SS Corações de Jesus e Maria.

  8. Quando pensamos que Francisco chegou ao limite…

  9. Cadê o Lombardi? Cada vez fica mais difícil arrumar os abobroglios de Francisco. De duas uma: ou Lombardi deveria ser eleito Papa ou Francisco deveria mudar seu nome para Silvio Santos.

  10. Abrevia isso, meu Deus!

  11. Ainda que Lutero tenha tido boas intenções, de boas intenções repleto está o inferno, ou, para dizê-lo com o Senhor: “pelos seus frutos os conhecereis” (Mt 7, 16). E os frutos do protestantismo certamente não estão entre os melhores.
    Lançar a culpa exclusivamente no ambiente católico de então é um procedimento anacrônico e abusivo, historicamente desonesto. Primeiro, implica conhecê-lo a fundo (ora, para justificar Lutero, o Papa apela ao ambiente e a seus condicionamentos; mas, quando se trata da Igreja, não há apelo ao ambiente que valha, só a condenação rasa). Nem tudo era corrupção, o próprio instituto religioso de que provém o Pontífice, a Companhia de Jesus, nasceria naquele mesmo período.
    É possível que os pecados de alguns filhos da Igreja tenham levado Lutero a escandalizar-se. Sim, mas por que não olhou ele para os bons exemplos? Por que não procurou reformar a Igreja como Santo Tomás de Vilanova, agostiniano como ele, só que espanhol, e contemporâneo seu? E se o seu amor pela Igreja fosse maior do que a conveniência de seu acordo com os príncipes?
    Das responsabilidades pessoais julga Deus, não nos cabe tecer juízos sobre a consciência de Lutero. Existem ainda os seus condicionamentos pessoais: consta que Lutero era uma personalidade profundamente perturbada psíquica e moralmente. Enfim, “de internis, neque Ecclesia iudicat”, mas fatos são fatos, e frutos são frutos.
    Além do mais, o protestantismo atual é muito mais devedor, em suas teses, do movimento de Calvino do que do de Lutero. Lutero tornou-se emblemático simplesmente por ter se rebelado antes, seduzido os príncipes com a possibilidade teológica de romper com o Papa e aberto espaço para que outros o fizessem.
    Como na vida espiritual de cada um, para o demônio entrar, basta uma brecha.

  12. A Igreja deve pedir perdão…
    Mas e quem deve pedir perdão à Igreja pelos mártires da Revolução Francesa e da Guerra Civil Espanhola? Quem pede ou já pediu perdão a Igreja pelas fortíssimas perseguições do comunismo do leste europeu? A China pediu perdão pelo fato da Igreja não poder funcionar normalmente naquele país? A Coreia do Norte já pediu perdão pelos sacerdotes e religiosos que simplesmente desapareceram com o advento da “revolução”?

    • Os Cristeros? Em Cuba? Na Itália de Mazzini e , depois, de Mussolini? Em Portugal de 1910? Na Alemanha de Hitler? etc…

  13. Caros fraternos, paz e bem!
    Francisco é o papa dos Católicos Apostólicos Romanos. Francisco é o legítimo representante de Jesus na Terra, seu embaixador por excelência.

    Todavia, o papa Francisco não é infalível em tudo o que fala. A exemplo de Jesus, ele está cercado de muitos Judas Iscariotes… (cardeais satanistas, arcerbispos ateus, maçonaria eclesiástica…). Ele, como todos nós, teremos que prestar contas de nossos atos (comissivos e omissos) à Santíssima Trindade que governa todo o Universo.

    A quem interessa colocar em dúvida a liderança do papa?

    Estamos vivendo os Tempos Finais. A NOVA ORDEM MUNDIAL está às portas. Em 2017, teremos:

    a) Os 100 anos da aparição de Nossa Senhora em Fátima (Portugal). Cem anos de DESCUMPRIMENTO do pedido de consagração da Rússia ao Imaculado Coração de Maria. Detalhe: a Revolução Francesa foi castigo divino pela não consagração da França ao Sagrado Coração de Jesus, castigo ocorrido EXATAMENTE cem anos após pedido feito por Nosso Senhor e não atendido pelos Reis da França (a partir de Luís XIV, o rei Sol, famoso pela frase: “L’État c’est moi”, que recebeu o pedido de consagrar seu reino ao Sagrado Coração, transmitido por Santa Margarida Maria Alacoque),

    b) Os 500 anos da “Reforma” Protestante (Lutero).

    c) Os 100 anos da Revolução Russa (“A Rússia espalhará seus erros pelo mundo”)

    d) Comemoraremos os 70 anos da criação do Estado de Israel (1947/1948). Historicamente, Jerusalém foi destruída no ano 70 da era cristã.

    Em tempo: segundo o papa Francisco, “já estamos vivendo a Terceira Guerra Mundial, mas fragmentada”. Em breve, a China começará um conflito nuclear com a Rússia (motivo: petróleo), haverá também conflito no Oriente Médio…

    O papa recentemente recusou uma doação MALICIOSA e DIABÓLICA do presidente da Argentina Macri (16,666 milhões de pesos argentinos). Vocês repararam a sutileza da suposta doação: os 666 mil pesos, que correspondem ao chamado “número da Besta”. E a Nova Ordem Mundial vai a vento e popa. a Elite Mundial (Senhores do mundo, Governo da sombra, Nobreza negra) inaugurou o Maior Túnel do Mundo (Suíça). A cerimônia de abertura do túnel Gotthard teve uma cerimônia religiosa dedicada a Baphomet (demônio), As pessoas mais poderosas da Europa levantaram-se e aplaudiram de pé essa cerimônia dedicada ao verdadeiro governante da elite oculta, Satanás. O ritual teve de tudo (mestre de cerimônias estava vestido de Bode, apareceu um anjo caído demoníaco: Lúcifer com cara de bebê, os trabalhadores foram representados como soldados zumbis, um trem traz um grupo de jovens vestidos só com roupa íntima branca e danças homossexuais, teve o OLHO QUE TUDO VÊ. Participaram: chanceler alemã, Angela Merkel, o presidente François Hollande, da França, e o primeiro-ministro italiano, Matteo Renzi, dentre outras autoridades mundiais.

    Moral: vamos apoiar o papa Francisco, com Orações, Jejuns, Penitências, Eucaristias e leitura da Sagrada Escritura.

    Eu tomei essa decisão, após ler todos os comentários desfavoráveis ao papa Francisco, até porque ele estará no meio de nós por pouco tempo (2017/2018), conf. suas palavras. A cada crítica ao papa Francisco, irei rezar uma Ave-Maria na sua intenção.

    Vem, Senhor, Jesus!

    • Caro Renato Assis, muito bom dia e

      Salve Maria.

      Você me parece carismático mas, nem por isso, errado em vossas observações; acrescentaria que 2017 é, também, o tricentenário da maçonaria moderna, fundada em Londres por três pastores protestantes.

      Já tive a oportunidade de estudar esse assunto relacionado ao lado obscuro e, inclusive, de vê-los, esses rituais, e confesso que o simbolismo do vídeo é realmente factível com vossas colocações: https://www.youtube.com/watch?v=ZBELgO3MVY4 .

      Talvez não entendamos tudo o que é exposto pelo vídeo, não concordemos com tudo que lá está mas uma coisa é certa: impossível fazer uma interpretação branda dessa apresentação-ritual.

      Conforme o exemplo de São José,
      Nos SS Corações de Jesus e Maria.

    • Que isso… fiquei espantado com esse ritual na inauguração! E não tinha nem ouvido falar.
      O Fratres podia fazer um post detalhado sobre isso.

  14. “A Igreja pede perdão aos gays e não apenas a eles”.”Eu acredito que a Igreja não só deve pedir perdão aos gays, mas deve pedir perdão também aos pobres, às mulheres estupradas, as crianças exploradas no trabalho, deve pedir perdão por ter abençoado tantas armas. Os cristãos devem pedir perdão por terem acompanhado tantas escolhas erradas”.
    Dessa forma, bem próximos a nós, parece que não tivemos tantos santos papas que já combatiam arduamente os modernistas e mazelas que aportam, a começarem dos de dentro da Igreja, caso de S Pio X, Pio IX, Leão XIII, Pio XII e mais que fizeram duras críticas aos que mais males vêm causando à humanidade, os ideologistas, a peste comunista, caso dos três irmãos gemeos comunonazifascistas, particularmente da Revolução Francesa adiante!
    O heresiarca Lutero, à dura realidade, foi ao aplainador das vias para relativismo gerador das seitas protestantes e serviram plenamente ao desenvolvimento ideológico marxista!
    Um dos livros insuspeitos anti apóstata Lutero é dos mais conhecidos historiadores franceses deste século, Funck-Brentano, membro do Instituto de França, e aliás insuspeito por ser protestante, veja suas conclusões, dentre muitas similares:
    … “Lido isto, não nos surpreende que Lutero pense – como assinala Funck-Brentano – que “certamente Deus é grande e poderoso, bom e misericordioso (…) mas é estúpido – “Deus est stultissimus”(“Propos de table”, no. 963, ed. de Weimar, I, 487). É um tirano. Moisés agia movido por sua vontade, como seu lugar-tenente, como carrasco que ninguém superou, nem mesmo igualou em assustar, aterrorizar e martirizar o pobre mundo”(op. cit. p. 230).
    … “Esse ódio de Lutero o acompanhou até o fim da vida. Afirma Fuck-Brentano: “Seu último sermão público em Wittenberg é de 17 de janeiro de 1546; o último grito de maldição contra o papa, o sacrifício da missa, o culto da Virgem”(op. cit., p. 340).
    Se a Igreja tiver de pedir perdão, penitenciar-se, deveriam preceder a ela os acima vinculados às ideologias, como os protestantes e caóticos comunistas do trio acima, potenciais miserabilizadores do povo onde adentram, instigadores dos estupros por perverterem a infancia e a juventude, belicistas como ninguém, com quase 180 000 000 de mortos só no século XX!
    Isso, excetuando os milhões abortos/ano na Russia e China – e que se mantêem ainda doutras formas, como em nações oficialmente escravizadas, caso de Cuba, a China e a tumultuada Venezuela, como bola da vez, após a entrada das pragas martelo e foice!
    Quer países mais exploradores do trabalho infantil que os comunistas, mesmo de adultos com seus infindos gulags de trabalhos forçados, como seus co-irmãos nazistas?
    “Usemos os idiotas-uteis na linha de frente. Instiguemos os odios entre classes. Destruamos sua base moral, a familia e a espiritualidade e comerão as migalhas que caem de nassas mesas – Lênin.
    1º mandamento do Decálogo de Lênin, os 10 mandamentos dos comunistas “Corrompa a juventude e dê-lhe toda liberdade sexual”!
    Se o Brasil tem quase 60 000 assassinatos ao ano foi devido a ter eleito os gangsters comunistas – eleições fraudadas pela SMARTMATIC em apurações secretas? – piorando por eles afrouxaram demasiado as leis e instituiram um falsario “DIREITOS HUMANOS” que, ao invés de penalizar os maus, criminaliza seletivamente apenas os que se indispuserem contra eles; aliás, associados a tudo quanto sejam facções criminosas, como as FARC, até mesmo ao ISIS que degola os cristãos, sem denuncias e condenações formais contra eles de parte de nossa Alta Hierarquia, caso Brasil-CNBB, que “convive respeitosamente” ao lado deles!
    Na França onde estão, similar ao Brasil no quesito subversão infantil e mais devaneios sendo impostos à população!
    Assim, com a ajuda de infiltrados dentro da Igreja e que, a partir de cima deveriam ser denunciados recorrentemente ao povo, como faziam os predecessores na Cátedra de S Pedro – caso mesmo da CNBB que, além de não denunciar os comunistas, ainda os prestigia silente, apoiando-lhes certos planos anti cristãos pelos diabolistas do poder!
    Quanto á cínica discriminação do glbtismo de forma geral pelos católicos pela midia, são calunias, propagandística, golpismo midiático esquerdista; trata-se é de um processo de LUTAS DE CLASSES comunista, usando os glbts como massas-de-manobras deles, sem que percebam – depois, se assentassem no poder, seriam usados para fazer sabão e os ossos calcinados para adubo!
    Pagaria para ver paradas glbts nas diversas modalidades em Pyongyang, Pekim, Havana, mesmo em Moscou, do “cristão” Putin, o qual as proibiu por 100 anos!
    … “Assim Papa Francisco respondeu aos repórteres sobre as declarações de Mons. Georg Gaenswein sobre o ministério petrino, que agora seria compartilhado entre dois papas, um ativo e outro contemplativo. “Eu não li as declarações, eu não tive tempo para ver essas coisas”, assim disse Francisco”.
    Prefiro parar por aqui.

  15. É sempre bom saber que a Igreja não pode contar com Francisco pelo menos assim as coisas ficam mais claras. Para F. tudo é bom, o Islão, os LGBT e os protestantes, mas a única que tem que pedir perdão, porque só fez mal durante os últimos 2000 anos, é a Igreja de Cristo essa merece ser humilhada. Realmente esta atitude preconceituosa de Francisco já se tornou uma “católico fobia” uma espécie de ódio visceral, Francisco não consegue abrir a boca sem dizer mal da Igreja. A boca fala daquilo que o coração sente e Francisco sente ódio da Igreja.

  16. Francisco parece que não pensa antes de falar. Alguém deveria lembrar a ele a advertência de Nosso Senhor: “Mas eu vos digo que de toda a palavra ociosa que os homens disserem hão de dar conta no dia do juízo.” (S. Mateus, XII, 36).

  17. “Pode-se dizer extermínio, mas o genocídio implica que são necessárias ações de reparação”
    ahm??
    Não entendi. Qual a diferença entre extermino e o genocídio? Não são tecnicamente a mesma coisa? E que “ações de reparação” são essas que o Papa cita? E no caso do genocídio armênio( ou extermínio armênio) não necessita de reparação?

  18. “Quando Deus livrará a Sua Igreja desse insuportável flagelo?”…

    Depois talvez me anime a tecer algum comentário sobre o mar de lama que esse sr. Papa solta…

    Por enquanto: Quando Deus livrará a Sua Igreja desse insuportável flagelo?

  19. A Igreja Católica no Brasil deveria aproveitar para pedir perdão através da CNBB por ter permitido que a Teologia da Libertação tenha criado o PT e destuído a pureza de nossos jovens e crianças…
    Mas, seguindo o pedido de nosso pastor, peço perdão em nome de Cristo todas por todas a citações nos Evangelhos em que Cristo diz vá e não peques mais… pelas passagens no antigo testamento que diz que a palavra abominável. Também como catequista, peço perdão por todas as vezes que eu disse que a simples tendência homossexual não é pecado, devendo viver a castidade quem tem essa tendência, pois o ato sexual fora do sacramento do matrimônio é pecado.
    Sempre suspeitei que colocar um Argentino na cadeira de Pedro não daria muito certo… ainda bem que ele não pronunciou-se ex-catedra… Por favor, peçam pro pessoal da companhia aérea não dar mais vinhos pra ele… tá difícil trabalhar catequese dessa forma.

  20. Pouco depois de ser eleito Papa pela “máfia de St Galeen”, Jorge Mario Bergoglio disse aos cardeais que o elegeram: “Que Deus vos perdoe pelo que acabaram de fazer”.
    Aí está o único pedido de perdão que nós Católicos precisamos fazer. De joelhos precisamos implorar a Deus o perdão pelos graves pecados que nos fizeram merecer um castigo tão grande!

    “Ut Ecclésiam tuam sanctam regere et conservare dignéris.
    Te rogamus, audi nos”.
    Ut inimícos sanctæ Ecclésiæ humiliare dignéris.
    Te rogamus, audi nos.
    Para que vos digneis governar e conservar a vossa santa Igreja, nós vos rogamos: ouvi-nos.
    Para que vos digneis humilhar os inimigos da santa Igreja, nós vos rogamos: ouvi-nos”.

    Sugiro a todos os amigos do Frates que comecem a rezar com fervor a Ladainha de Todos os Santos todos os dias pela nossa Igreja tão aviltada e humilhada! A calamidade predita em Fátima e La Salette se cumpre em nossos dias, mas o nosso socorro está no nome do Senhor que fez o céu e a terra.

  21. Levando as afirmações de Francisco sobre os gays às últimas consequências, chegaríamos provavelmente à ideia absurda de que não é o pecador que deve pedir perdão a Deus por ter pecado, mas sim Deus é que deve pedir perdão ao pecador por proibir-lhe o pecado… Reparem na gravidade metafísica da questão.

  22. Preservando o respeito que sempre se deve ter à pessoa do Sumo Pontífice, não devemos, contudo, esquecer o posicionamento magisterial da Santa Igreja Católica acerca da homossexualidade, conforme consta no Catecismo da Igreja Católica: “Apoiando-se na Sagrada Escritura, que os apresenta como depravações graves (Cf. Gn 19, 1-29; Rm 1, 24-27; 1 Cor 6, 9-10; 1 Tm 1, 10.) a Tradição sempre declarou que ‘os atos de homossexualidade são intrinsecamente desordenados’ (Congregação da Doutrina da Fé, Decl. Persona humana, 8: AAS 68 (1976) 95.). São contrários à lei natural, fecham o ato sexual ao dom da vida, não procedem duma verdadeira complementaridade afetiva sexual, não podem, em caso algum, ser aprovados. (CIC 2357).

    O Catecismo também referenda aquilo que sempre se ensinou: o pecador deve ser acolhido, não o pecado: “Um número considerável de homens e de mulheres apresenta tendências homossexuais profundamente radicadas. Esta propensão, objetivamente desordenada, constitui, para a maior parte deles, uma provação. Devem ser acolhidos com respeito, compaixão e delicadeza. Evitar-se-á, em relação a eles, qualquer sinal de discriminação injusta. Estas pessoas são chamadas a realizar na sua vida a vontade de Deus e, se forem cristãs, a unir ao sacrifício da cruz do Senhor as dificuldades que podem encontrar devido à sua condição” (CIC 2358).

    A gravidade da declaração do Santo Padre (“a Igreja Católica deveriam buscar o perdão dos gays pela maneira como os têm tratado”.26/06/2016 ) está em que o Santo Padre não fala exatamente no perdão ao indivíduo homossexual, mas a uma ideologia e cultura que propõe como regra de vida aquilo que a Igreja sempre ensinou ser uma desordem. Com efeito, o termo “gay” refere-se não à tendência humana de atração pelo mesmo sexo, mas à militância política de resistência, combate, doutrinação ideológica e imposição de costumes homossexuais. Gays são os que praticam ativamente e fazem propaganda dessa ideologia. Pedir perdão aos gays seria o mesmo que chancelar e abençoar tal ideologia e isto vai de encontro aos mais essenciais ensinamentos cristãos.

    Como é público, os ativistas gays reconhecidamente provocam e constrangem quando, em suas paradas, em nome de uma irrestrita liberdade de expressão, estilizam figuras de Cristo ou de Nossa Senhora em situações vexatórias para os cristãos (), os quais, por sua vez, não podem emitir opinião em contrário, já que, nesse caso, são chamados de preconceituosos e ameaçados de homofobia (“Escolas cristãs são ameaçadas de fechamento caso não ensinem aos alunos os “direitos gays” https://noticias.gospelmais.com.br/direitos-gays-escolas-cristas-ameacadas-fechamento-72524.html>)

    Pedir perdão aos gays, portanto, pode levar o cristianismo a uma situação de esfacelamento e devassamento de sua milenar doutrina, a qual não é fruto de ideias de filósofos, ideólogos ou sequer de teólogos, mas radicada na assistência inegável e inquebrantável do Espírito Santo.

    Rezemos pelo nosso Santo Padre para que ele, iluminado por especial graça de Deus, guie o povo de Deus no reto caminho do bem, afastando a confusão e a desorientação hodiernas.

  23. E os 35 mil católicos mortos em Roma por culpa de Lutero?

  24. Seguindo nesta mesma linha, talvez ele em breve venha a pedir perdão, antes de tudo, pelos graves erros de um certo Jesus – machista, homofóbico, moralista e opressor – que fundou essa Igreja que, afinal, parece só ter praticado o mal em toda a sua história. Um Jesus que jamais disse e nem diria “quem sou eu para julgar”, mas “deu nomes aos bois” e chamou os hipócritas simplesmente de hipócritas, e deu as chaves do Reino a Pedro para que ele conduzisse a sua Igreja, dizendo com clareza o que é certo e o que é errado.

  25. i) Oremus, dilectissimi nobis, Deum pro Ecclesia sancta Dei: ut eam Deus et Dominus noster pacificare et custodire dignetur toto orbe terrarum: subiiciens ei principatus et potestates: detque nobis, quietam et tranquillam vitam degentibus, glorificare Deum Patrem omnipotentem.

    Oremus: Omnipotens sempiterne Deus, qui gloriam tuam omnibus in Christo gentibus revelasti: custodi opera misericordiae tuae, ut Ecclesia tua, toto orbe diffusa, stabili fide in confessione tui nominis perseverat. Per eumdem Dominum Iesum Christum, Filium tuum, qui tecum vivit et regnat, in unitate Spiritus Sancti, per omnia saecula saeculorum. R. Amen.

    ii) O Maria, Virgo potens, tu magnum et praeclarum in Ecclesia praesidium, tu singulare Auxilium Christianorum, tu terribilis ut castrorum acies ordinata, tu cunctas haereses sola interemisti in universo mundo, tu in angustiis, tu in bello, tu in necessitatibus nos ab hoste protege, atque in aeterna gaudia in mortis hora suscipe. (S. Joannes Boscus)

    iii) Sancte Michael Archangele, defende nos in praelio, contra nequitias et insidias diaboli esto praesidium: Imperet illi Deus, supplices deprecamur, tuque, Princeps militiae caelestis, satanam aliosque spiritus malignos, qui ad perditionem animarum pervagantur in mundo, divina virtute in infernum detrude. Amen.

    Omnes sancti Angeli Dei, orate pro nobis.

    Omnes Sancti et Sanctae Dei, orate pro nobis.

    Miserere nobis, Domine Deus noster!

  26. Entre as minhas falhas, não encontro motivo para pedir perdão aos homossexuais. Nunca os ofendi. Nem a Igreja Católica ensinou a ofendê-los. Então o que quer o Bergóglio? Incutir o complexo de culpa na Igreja de Cristo? Bergóglio, aquele que dá um passo a frente e dois para trás. Agora com esta fala, são cinco passos para trás. Nenhum a frente. De qualquer forma, sei que os eventos bons e os maus, são permitidos por Deus, então, resta rezar.

  27. Acredito que tenha faltado a leitura do Santo Evangelho segundo Mateus, capítulo 9, a Cura do Paralítico. O que é mais fácil dizer? Os teus pecados estão perdoado ou levanta-te? Quando o então Papa João Paulo II, em um ato de humildade saiu pedindo perdão a vários dissidentes da Santa Igreja, os chamados “tradicionalistas, conservadores” saíram em defesa daquilo em que acreditavam. Esperamos que ele tenha sido perdoado por rebaixar Nosso Senhor aos falsos ídolos desde Assis. Agora o Santo Padre atual, lança um olhar de misericórdia sem compensação a muitos outros dissidentes inveterados, que não estariam dispostos a condição necessária para o Perdão: vai e não peques mais. Por mais que Deus Nosso Senhor esteja disposto a nos perdoar, caso não demos o nosso “fiat” a exemplo da Santíssima Virgem, ou seja, não nos arrependamos, mudando de vida, não haverá perdão. Ao ensinarmos que Deus tudo perdoa, tudo releva, sem pedir nada em troca, sem pedir que mudemos de vida, estaremos cometendo um grave pecado levando nosso próximo a continuar em pecado. A exemplo de Santa Maria Madalena: muito lhe foi perdoado porque muito amou, logo o amor sem obras, ou seja, sem uma mudança radical de vida, de nada vale. Com o máximo respeito ao Primado de Pedro, tais ensinamentos não se pode seguir e muito menos ensinar. Rezemos pela conversão dos pecadores, sejam eles quem forem e quais forem, Deus Nosso Senhor sabe melhor quem e quais são.

  28. Para falar a verdade, desde há bastante tempo para cá, fico mais surpreendido quando passa um dia ou dois seguidos sem ouvir, ver ou ler um escândalo do Papa Francisco do que propriamente quando ele acontece. O escândalo tornou-se a regra geral e isto não é uma ironia.

    A única coisa que ainda me surpreende ao fim de três anos e tal deste pontificado exótico é a reação do mundo católico, a qual vai da indiferença até à histeria. Gosta-se e recomenda-se. Está tudo maluco.

  29. Papa Francisco tem um carisma especial, este de engrossar as fileiras do sedevacantismo.

  30. Com todo o respeito àquele que está na cátedra de Pedro. Mas frente a este infeliz comentário de Francisco não resisto expressar um pensamento. Por vezes, ao me deparar com declarações como essa, concebo que estes avançadinhos no fundo, no fundo, não pretendem apenas liderar mudanças na humanidade, mas pretendem fazer uma espécie de “apostolado” com Deus. Parece que às vezes os seus discursos destinam mais ao Criador, propondo Dele uma reciclagem, uma nova “cosmovisão”, principalmente quanto ao pecado.

    Se esta visão estiver certa, e me adianto a admiti-la como equivocada, então existem homens que querem dirigir Deus, e nesse sentido querem ser como deuses. Neste caso caberia o brado de São Miguel.

    De outra feita, concordo com o Diácono Almir. Uma coisa é ser misericordioso com o pecador, outra é ser aliado do pecado.

  31. No Ano da Misericórdia peçamos misericórdia a Francisco.

  32. Prezado “anônimo” de um comentário mais acima: parabenizo-o por haver renunciado às práticas homossexuais, mas devo discordar quando você diz que demonstrações de tendência homossexual nos trejeitos (mesmo que sem passar disso) não sejam pecaminosas. Parecer mau causa quase ou tanto escândalo às almas quanto ser mau. Pense em um católico que tenha ‘trejeitos’ de herege, ou num homem honesto com ‘trejeitos’ de bandido, ou num casal que seja legitimamente casado mas cujo casamento seja desconhecido de seus próximos, de modo a pensarem que o casal vive amasiado… É preciso evitar dar escândalo, porque o mau exemplo incentiva outras almas para o pecado. Logo, e tanto mais em nossos tempos, é uma obrigação moral para o homossexual a renúncia não só aos atos sodomíticos, mas também à mera aparência de pessoa caída nesse mal.

    • Li estarrecida a declaração do papa, mas a sua me chocou mais ainda. Seu comentário não faz sentido algum…desde quando bandido e herege tem trejeitos???? Você deve ser do tipo que atravessa a rua quando vê um negro de bermuda e chinelo na direção contrária, né?
      O rapaz vai nascer de novo pra vc não se escandalizar???Ninguém é afetado, afeminado ou tem “trejeitos” porque quer, meu senhor. Se fosse o rapaz já tinha mudado assim que se converteu. É vc precisa rezar pela sua conversão! Estudar o catecismo também ajuda…Deve ser por pessoas como você que o papa tá pedindo desculpas.

  33. O que Francisco juntamente com os purpurados realmente deveriam pedir perdão e de joelhos é à própria Igreja Católica por estar demolindo-a por dentro;
    por permitir que a maçonaria e a nova ordem esteja destruindo o cristianismo no mundo, por estarem como Judas, vendendo a Jesus que os chamou e enviou a anunciar o Evangelho a todos e em vez disto, utilizaram-se dos seus postos para satisfazer seus interesses e dos iluministas;
    por permitir que tantas almas, desde as aparições de Fátima tenham se perdido por terem se rendido às seduções da modernidade através da mídia e com a cultura do provisório,
    às famílias que foram destruídas pelo divórcio e pelos vícios,
    as crianças que nasceram das relações irresponsáveis,
    por permitirem que os erros da Rússia (comunismo e ateísmo) tenham se espalhado pelo mundo e causado tanto dano aos países da América Latina; e conseqüentemente implantar a sodomia, o aborto e a eutanásia em vários países;
    por fazer da esposa de Cristo motivo de escárnio para os protestantes e todas as seitas;
    por estar trabalhando para implantar a pseudo religião mundial onde Cristo ficará de fora;
    por estar fechando as portas da salvação para tantas almas, que confiando numa misericórdia irresponsável, farão dos sacramentos e dos mandamentos “pedras mortas” que serão ignoradas, mas servirão para elas pedra de tropeço. Enfim para todos nós batizados! Bergoglio não me representa!
    Maranathá, vem Senhor Jesus!

  34. São Pio de Pietrelcina tinha pavor do protestantismo por seu uma doutrina falsificada, e suas censuras a ele não são poucas!
    Se o Lutero desequilibrado era reformador e tinha boas intenções, porque o que ele promoveu foi uma autêntica revolução e, dessa reforma mentirosa, resultaram em milhares de seitas disputando serem a verdadeira entre si?
    Se fosse reformador, não quereria alterar jamais a doutrina da Igreja, como nunca fizeram muitos santos, mas esforçavam para corrigir os caminhos tortuosos dos que estavam no erro e nunca buliam no depósito da fé!
    Apenas o legislador está acima das leis e, nesse caso, o Lutero ousado e temerario agiu alucinadamente querendo se passar por superior ao Senhor Jesus Cristo, ao inventar uma doutrina marginal!
    Não é sem motivos que a maçonaria é chegada nos protestantes – tá explicado!
    E o abaixo foi tirado acima de um comentario de um escritor protestante, Funck-Brentano da Academia Francesa, de grande valor por ser de dentro do luteranismo:
    “Esse ódio de Lutero o acompanhou até o fim da vida. Afirma Funck-Brentano: “Seu último sermão público em Wittenberg é de 17 de janeiro de 1546; o último grito de maldição contra o papa, o sacrifício da missa, o culto da Virgem”(op. cit., p. 340).
    E muitos semelhantes, mostrando que se o Lutero muito doidão estivesse vivo hoje seria um Leonardo Boff, Cards Walter Kasper, Schoenborn e mais parecidos das esquerdas!

    Do Diác. Almir:
    “Pedir perdão aos gays seria o mesmo que chancelar e abençoar tal ideologia e isto vai de (DES)encontro aos mais essenciais ensinamentos cristãos”.
    Não acha que faltou o “DES”, pois afirmou e depois negou, por não explicar que “vai de encontro aos mais essenciais ensinamentos cristãos contra a sodomia em geral?

  35. Ao que parece Bergoglio está tentando competir com os delatores da lava jato ao gerar um escândalo atrás do outro!
    Mal foi anunciado um e ele já vem com mais uma idiotice pronta para o noticiário!

    • Prezado Sr. Geraldo,

      Salve Maria! Sou da área das letras e da linguística. Tem toda a razão, no âmbito dos usos do idioma, o reverendo Diác. Almir Marcelo. A locução ‘de encontro a’ está corretamente empregada no texto dele, significando ‘no sentido oposto a’, como neste exemplo: “Inúmeras declarações de Bergoglio vão de encontro à verdadeira doutrina do Evangelho e da Sagrada Tradição”. Se a realidade fosse outra (oxalá vejamos a conversão do papa argentino), empregaríamos a construção ‘ao encontro de’, que significa ‘em favor de’, como em “Bergoglio pediu perdão à Igreja pelos grandes males que cometera contra ela. Agora os ensinamentos do pontífice vão ao encontro da verdadeira doutrina do Sagrado Magistério”.

      Oremus, fratres, pro Ecclesia sancta Dei.

      Laudetur Iesus Christus!

  36. A idéia do Papa Francisco de que devemos pedir perdão aos gays é só o desenvolvimento lógico das premissas do Concílio Vaticano II que assumiu a velha acusação iluminista e marxista de que a Igreja não tinha e não tem sensibilidade para os problemas do mundo. Paulo VI ecoou essa tese na Eclesiam Suam onde advogou um diálogo amplo com o mundo, um ouvir a voz do mundo, um aprender com o mundo. Depois João Paulo II acrescentou a isso que a Igreja devia pedir perdão pela inquisição e até pelo Holocausto judeu na segunda guerra – leiam a absurda obra “Memória e Reconciliação: a Igreja e as culpas do passado” escrita no pontificado de João Paulo II. O objetivo de tudo isso é claro: primeiro fazer-nos sentir vergonha de sermos católicos, segundo fazer-nos sentir vergonha do passado da Igreja, terceiro fazer-nos admitir que a Igreja erra, quarto fazer-nos acreditar que não é a Igreja quem julga o mundo mas o mundo que julga a Igreja e que ela é que deve ser corrigida e não o mundo. No fundo o objetivo final é fazer da Igreja uma agência a serviço do mundo e não mais de Deus e de seu Filho.

    Quem ainda não entendeu que a fumaça de Satanás penetrou na Igreja precisa acordar!!!

    Lutemos pela fé nesta hora de trevas!

  37. Caríssimo Geraldo.
    A expressão “de encontro”, significa “em oposição a”, ou o mesmo que choque e enfrentamento.
    A expressão “ao encontro” significa “em favor de”.
    Logo, o uso que fiz do termo está correto porque a cultura gay se choca de frente com o perene ensinamento da Santa Igreja Católica.
    Grande abraço!

  38. Quem foi Lutero: segundo São João Bosco.

    NB.: Os santos falam a verdade: SIM SIM, NÃO NÃO. Fizeram o que Nosso Senhor Jesus Cristo fez e ensinou. “A verdade vos libertará”. Leiamos, então, a verdade sobre quem foi Lutero. Leiamos o que o grande São João Bosco escreveu no seu livro “COMPÊNDIO DE HISTÓRIA ECLESIÁSTICA” falando da:
    “QUINTA ÉPOCA: de 1517 até 1579:
    “Nesta época foi a Igreja tão fortemente combatida, que parecia já tivesse chegado o tempo do Anti-cristo; porém, não obstante isto, conseguiu novos triunfos. Acometeu-a um dilúvio de hereges, e muitos de seus ministros, em vez de defendê-la, se rebelam contra ela e abrem-lhe profundas feridas. Unem-se a estes os príncipes seculares que a oprimem com o ferro, com a devastação e o sangue. O demônio se esconde debaixo do manto de sociedades secretas e de uma filosofia mundana e sedutora, mas, falsa e corruptora: excita rebeliões, e suscita perseguições sanguinolentas. Deus, porém, desvanece os esforços do inferno e os faz servir para sua glória. Novas ordens religiosas, missionários incansáveis, pontífices grandes pela santidade, zelo e sabedoria, unidos todos em um só coração e em uma só alma, e fortalecidos pelo braço do Todo Poderoso, defendem heroicamente a verdade e levam a luz do Evangelho até os últimos limites da terra, conseguindo a Igreja novas conquistas e ainda mais gloriosas virtudes”.
    Lutero. – “Lutero foi o primeiro a levantar a bandeira da rebelião contra a fé católica, e foi o principal autor dos males que amarguraram a Igreja neste tempo. Com seu sistema perverso de submeter a palavra de Deus ao exame e juízo de cada um, causou mais dano à religião católica, do que todos os hereges da idade passada; de maneira que, se pode chamar este apóstata, o primeiro precursor do Anti-cristo. Nascido em Eisleben, Saxônia, e filho de um pobre mineiro, manisfestou, desde sua mais tenra idade, um gênio muito atrevido. A morte de um condiscípulo, que caiu a seu lado fulminado por um raio, induziu-o a entrar na ordem de Santo Agostinho. Por algum tempo pareceu mergulhado em profundas meditações, e agitado por escrúpulos e temores; porém, descobriu finalmente o orgulho que se abrigava em seu coração; e, declarando-se contra a autoridade do Pontífice romano, saiu do claustro e já não houve meio de dominá-lo. Oprimir aos outros com calúnias e tiranias, ridicularizar e desprezar as coisas mais augustas e santas; soberba, desregramento, ambição, petulância, cinismo grosseiro e brutal, crápula, intemperança, desonestidade, eis os dotes característicos deste corifeu do protestantismo. No ano de 1869 levantaram-lhe na Alemanha uma estátua qual insigne benfeitor da humanidade!!!”
    “No ano 1517, começou a pregar contra as indulgências, portanto, contra o Papa e progredindo na impiedade, formulou uma doutrina que, quer se considere em si mesma, quer em suas consequências lógicas e práticas, contamina tudo o que é sagrado, destrói a liberdade do homem, faz a Deus autor do pecado, e reduz o homem ao estado dos brutos. Entre suas impiedades, é bastante lembrar que, conforme ele afirmava, o homem mais virtuoso, se não acredita firmemente achar-se entre os eleitos, é condenado; e que pelo contrário, o homem mais miserável, irá diretamente ao paraíso, se acredita unicamente que há de salvar-se pelos merecimentos de Jesus Cristo. Tão abominável doutrina foi condenada logo pelo Papa Leão X; todavia Lutero mandou atirar ao fogo publicamente a bula. As Universidades católicas e todos os doutores, clamaram contra aquela impiedade e heresia; mas Lutero zombou deles e persistiu em sua revolta. Ainda que ligado por votos solenes, casou-se com Catarina de Bore, religiosa de um mosteiro de Mísnia. Teve desgraçadamente muitos sectários, que, sob o nome de protestantes, tomaram armas e devastaram todas as regiões onde lhes foi dado penetrar. Levavam escrito em seus estandartes: Antes turcos que papistas. Ao pensar algumas vezes nos grandes males que causava a nova reforma exclamava: “Só tu serás douto? Todos os que te precederam enganaram-se? Tantos séculos têm ignorado o que tu sabes? Que te acontecerá se te enganas e arrastas contigo a tantos para a condenação?” Eram estes os gritos de sua consciência que, a seu pesar, protestava contra suas impiedades; contudo não bastavam para fazê-lo voltar ao bom caminho”.
    Até aqui São João Bosco. Quero terminar com uma pergunta: Será “amigo apaixonado de Jesus”, será “um reformador de intenções corretas (não erradas): um apóstata, um precursor do Anti-cristo, um tão apaixonado inimigo da Santa Esposa de Nosso Senhor Jesus Cristo?! Sabemos que São João Bosco converteu muitos protestantes… “Amigo apaixonado de Jesus”: este elogio foi feito pelo então papa Bento XVI; “Reformador de intenções não erradas”: estes elogios foram feitos pelo papa atual. Prefiro acreditar em S. João Bosco, que, sendo santo, nunca esteve contaminado por ecumenismo maldito.

  39. Eis o que diz o próprio Divino Espírito Santo:

    ANTIGO TESTAMENTO

    Gêneses, XIII, 13: “Os homens de Sodoma eram péssimos, e grandes pecadores diante de Deus”…
    Gêneses, XIX, 4-7: “Os homens da cidade, desde os moços até os velhos, e todo o povo junto cercaram a casa. E chamaram por Lot, e disseram-lhe: Onde estão aqueles homens que entraram em tua casa ao cair da noite? Faze-os sair para que abusemos deles. Saíu Lot, fechando nas costas a porta e disse-lhes: Não queirais, vos rogo, meus irmãos, não queirais fazer este mal”.
    Gêneses, XIX, 24 e 25: “Fez, pois, o Senhor da parte do Senhor chover sobre Sodoma e Gomorra enxofre e fogo do céu; e destruíu estas cidades, e todo o país em roda, todos os habitantes das cidades, e toda verdura da terra”.
    Levítico, XX, 13: “Aquele que pecar com um homem, como se ele fosse uma mulher, ambos cometeram uma coisa execranda”…
    Deuteronômio, XXIX, 22 a 24: “E dirá a geração vindoura, os filhos que nascerem depois de vós, os estrangeiros que vierem de longe, ao verem as pragas desta terra e as doenças, com que o Senhor a tiver afligido, abrasando-a com enxofre e ardor de sal, de modo que se não semeie jamais, nem se crie nela verdura, à semelhança da destruição de Sodoma e Gomorra, de Adama e Seboim, que o Senhor destruiu na sua ira e furor; e dirão todas as nações: Por que é que o Senhor fez assim a esta terra”?
    Juízes, XIX, 22: “… Chegaram uns homens daquela cidade (de Gabaa), filhos de Belial, e, cercando a casa do velho, começaram a bater à porta, gritando ao dono da casa, e dizendo: Deita cá para fora esse homem, que entrou para tua casa, a fim de abusarmos dele”. Oséias, IX, 9: “Pecaram (os iníquos e loucos profetas de Israel) gravemente, como nos dias de Gabaa. O Senhor se lembrará da sua iniqüidade e castigará os seus pecados”. X, 9: “Desde os dias de Gabaa, Israel não fez mais que pecar; nisso têm eles perseverado, não os apanhará em Gabaa (mas sim noutras regiões) a guerra (declarda) contra os filhos da iniqüidade”.
    Isaías, III, 4; 8 e 9: “Eu lhes darei meninos para príncipes, e dominá-los-ão efeminados”…”Pois Jerusalém vai-se arruinando e Judá caindo, porque as suas palavras e as suas obras são contra o Senhor, para provocarem os olhos de sua majestade. O próprio aspecto do seu semblante depõe contra eles, pois fizeram, como os de Sodoma, pública ostentação do seu pecado, e não o encobriram. Ai da sua alma! porque lhes será dado o castigo merecido”.
    1 Reis, XIV, 24: “Até houve também no país efeminados, e cometeram todas as abominações daqueles povos que o Senhor tinha destruído à vista dos filhos de Israel”.
    1 Reis, XV, 11 e 12: “Asa (rei de Judá) fez o que era reto aos olhos do Senhor, como seu pai Davi. Tirou do país os efeminados e limpou-o de todas as imundícies dos ídolos que seus pais tinham fabricado”.

    NOVO TESTAMENTO
    S. Lucas, XVII, 28: “Como sucedeu também no tempo de Lot; comiam, bebiam, compravam, vendiam, plantavam e edificavam; mas, no dia em que Lot saiu de Sodoma, choveu fogo e enxofre do céu, que exterminou a todos”. (Palavras de Jesus sobre o fim do mundo).
    1 Coríntios, VI, 9-10: “Porventura não sabeis que os injustos não possuirão o reino de Deus? Não vos enganeis: nem os fornicadores, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os que se dão à embriaguez, nem os maldizentes, nem os roubadores possuirão o reino de Deus”. (Entende-se obviamente: se não se converterem e deixarem o pecado).
    Romanos, I, 26 a 28 e 32: “Por isso Deus entregou-os (= os pagãos) a paixões de ignomínia. Efetivamente, as suas próprias mulheres mudaram o uso natural em outro uso, que é contra a natureza, e, do mesmo modo, também os homens, deixando o uso natural da mulher, arderam nos seus desejos mutuamente, cometendo homens com homens a torpeza e recebendo em si mesmos a paga que era devida ao seu desregramento. Como não procuraram conhecer a Deus, Deus abandonou-os a um sentimento depravado, para que fizessem o que não convém, cheios de toda iniqüidade, de malícia…” Versículo 32: “Os quais, tendo conhecido a justiça de Deus, não compreenderam que os que fazem tais coisas são dignos de morte; e não somente quem as faz, mas também quem aprova aqueles que as fazem”. Romanos, XIV, 10: “Todos compareceremos ante o Tribunal de Cristo”.
    1 Timóteo, I, 9 e 10: “…A lei não foi feita para o justo, mas para os injustos e desobedientes, para os irreligiosos e profanos, para os parricidas, matricidas e homicidas, para os fornicadores, sodomitas, roubadores de homens, para os mentirosos e perjuros, e para tudo o que é contra a sã doutrina…”
    Epístola de São Judas Tadeu, versículo 7: “Assim como Sodoma, Gomorra e as cidades circunvizinhas, que fornicaram com elas e se abandonaram ao prazer infame, foram postas por escarmento, sofrendo a pena do fogo eterno, da mesma maneira também estes contaminam a sua carne, desprezam a dominação (de Cristo) e blasfemam da Majestade (de Deus)”.
    2 S. Pedro, II, 4-10: “Em realidade, se Deus não perdoou aos anjos que pecaram, mas, precipitados no tártaro, os entregou às cadeias das trevas para serem atormentados e reservados até ao juízo, e se não perdoou ao mundo antigo, mas somente salvou , com outros sete , a Noé, pregador da justiça, quando fez vir o dilúvio sobre o mundo dos ímpios, e se condenou a uma total ruína as cidades de Sodoma e de Gomorra, reduzindo-as a cinzas, para servir de exemplo àqueles que venham viver impiamente, se, enfim, livrou o justo Lot oprimido pelas injúrias e pelo viver luxurioso desses infames, ( esse justo que habitava entre eles sentia, diariamente, a sua alma atormentada, vendo e ouvindo as suas obras iníquas), (é porque) o Senhor sabe livrar os justos da tentação e reservar os maus para o dia do juízo, a fim de serem atormentados, principalmente aqueles que vão atrás da carne, na imunda concupiscência e desprezam a soberania (de Cristo)”.

    Os católicos sejam leigos ou não, que simplesmente rejeitam e/ou maltratam os gays devem pedir perdão à Santa Madre Igreja, Esposa Mística de Nosso Senhor Jesus Cristo; os católicos, sejam leigos ou principalmente eclesiásticos, que acolhem os gays sem procurar fazer o possível para afastá-los dos pecados abomináveis que sua tendência os levaria a cometer, estes católicos, digo, devem também pedir perdão a Deus e à Santa Madre Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo.

    Para ajudar na salvação das almas de pessoas que cometem a abominação do pecado de homossexualidade ou sodomia, apresentamos acima as palavras do próprio Deus. É de fé que Deus nunca permite que alguém seja tentado acima de suas forças. Também é de fé que Deus dá a graça suficiente para todos conseguirem a salvação. Também é de fé que Deus quer que oremos, fujamos das ocasiões e que façamos penitência. “Tudo posso n’Aquele que me conforta”; “Aproximemo-nos do trono da misericórdia com confiança, para alcançarmos auxilio oportuno”.

  40. Sr. Alcleir, como homossexual lhe digo: o senhor equivoca-se enormemente!
    Nunca fui maltratado ou desrespeitado, em qualquer das Casas do Senhor, porque apensar de minha orientação sexual, me abstenho e tenho comportamento respeitoso.
    Não imponho à sociedade em geral, minha orientaç~eo… afinal de contas, as pessoas não têm de me engolir!
    Sou aceito e respeitado, porque sie como me conduzir!
    Não preciso que o papa argentinho me defenda, eu busco o perdão de Deus, me comportando de maneira adequada!

    • nós católicos, acusámos muito mas olhámos pouco para nós. bradámos aos céus sobre a homosexualidade, mas, a mentira, a calúnia, a inveja, a gula, o maledizer, a injustiça, o adultério, sim o adultério, não são igualmente pecados de bradar aos céus?! não digo isto para defender o Papa, péssimo e potencialmente mal intencionado, mas apenas para relembrar as palavras de Jesus,”Quem nunca pecou, que atire a primeira pedra” e todos nós somos pecadores, e eu falo por mim, pois já provoquei adultério, já menti, já roubei, já maledice o meu irmão. quem sou eu para julgar? não defendo o Papa, mas por favor…olhemos para nós.

    • Prezado Marcos,

      Não tenho experiência no assunto (e isso que digo não é uma “excusatio non petita”), mas sugiro vivamente que vc considere essa estória de ser homossexual como pura ação diabólica. Se não tiver quem reze por vc, reze para/por si mesmo o exorcismo de Leão XIII pedindo a Deus que o liberte e que esse diabo vagabundo que caia fora da sua vida. Creia-me. Já vi e já soube de cada coisa…

  41. Prezada Ana, que respondeu ao meu comentário mais acima: você se mostra indignada com eu haver dito que os trejeitos dos homossexuais também são pecado, por constituirem uma forma de escândalo dado às almas. Veja: o termo “escândalo” tem, em Teologia Moral, um significado diferente daquele que tem na linguagem comum; nesta, escândalo é algo que chame a atenção negativamente, algo que crie um impacto emotivo muito forte e desagradável no sentido de desaprovação; já para a teologia moral, escândalo é aquilo que favorece o pecado, ainda que ocorra discreta e serenamente, sem qualquer “escândalo” no sentido corriqueiro da palavra. Ora, uma das formas de favorecer o pecado é dar mau exemplo, e o mau exemplo pode ser dado tanto cometendo a ação pecaminosa diante dos outros, como dando indícios de que se é um praticante dela – e isso mesmo que, na verdade, não se seja um praticante efetivo da tal ação pecaminosa, porque o efeito danoso às almas não deixa de acontecer (o efeito de parecer um violador da Lei Divina em matéria grave, o que induz os bons a se tornarem maus, e aos maus os confirma e estimula em seu caminho ). Pense em um padre que, embora creia em tudo o que a Igreja ensina, todavia, por falta de piedade, recuse-se a se ajoelhar diante do Santíssimo, nunca pregue sobre nenhum assunto especificamente católico, não demonstre devoção para com Nossa Senhora, etc – esse padre está exibindo ao povo uma aparência de herege, mesmo que privadamente não o seja, e, assim, está dando escândalo contra a virtude da Fé. Exibir publicamente maneiras de agir e gestos próprios e específicos de uma determinada classe de pecadores graves, é confundir-se com estes aos olhos das almas.
    Todavia, a questão do escândalo (e correlatos) é, sim, uma das mais espinhosas em Teologia Moral, porque o escândalo e seus correlatos (cooperação, omissão, etc) admitem parvidade de matéria, isto é, seu cometimento pode ser ‘apenas’ pecado venial, em diversos casos. Sugiro aos interessados o estudo dos manuais (não modernistas, claro) de Teologia Moral, precisamente no capítulo relativo ao 5º Mandamento, que é onde o assunto do escândalo tradicionalmente é abordado (vide, por exemplo, o livro “Teologia Moral para seculares”, do pe. Royo Marin).

  42. Alcleir comentou que não é necessário ser homossexual para ser maltratado na Igreja e de fato é isso mesmo que acontece Anônimo. Sou hétero e sofri discriminação porque deduziram que passei a usar o véu e adotei a modéstia porque me apaixonei por um amigo casado com quem conversávamos muito sobre a tradição da Igreja, trocávamos livros, um marcava o outro em artigos interessantes acerca da doutrina e da Santa Igreja, um amigo o qual tenho na conta de um irmão. Felizmente a mim importa o que Deus sabe de mim, das minhas lutas e do quanto busco e esforço-me em servi-lo e obedecê-lo. A Igreja é Santa, infelizmente, seus membros não. Então, melhor que se queixar e se vitimar, é ofertar ao Senhor as injustiças sofridas como um sacrifício em desagravo as ofensas que a Ele fazem e muitas vezes, mesmo que involuntariamente, nós fazemos.

    • Está dando falatório? Se afaste de seu irmão amigo. Não importa o quanto isso vá doer. Ofereça essas dores em união as de Nosso Senhor no calvário e, pela Mãe das Dores, alcance graças no Céu. Quem sabe pela conversão de uma pessoa muito querida. Que tal? Até mesmo pelos detratores. Quem sabe para que Deus nos providencie santos sacerdotes.

  43. Vergonhoso, escandaloso, altamente prejudiciais essas entrevistas “em voo de avião” dadas pelo Papa.

    Pensem em alguém que seja um grande especialista famoso em matéria de economia, ou de um presidente de um país muito poderoso e influente, ou de um infectologista muito renomado sai dando entrevista por aí, informalmente, apenas dando opiniões pessoais. Irresponsabilidade muito grave. No caso de um Papa, sem mensuras.

    O especialista famoso se diz algo levianamente sobre o mercado de consumo pode derrubar bolsas de aplicação financeira no mundo inteiro e pode até mesmo falir financeiramente países.

    O presidente pode prejudicar a segurança nacional de seu pais, provocar uma guerra, eleger um candidato contrário ao seu partido….

    O infectologista pode provocar grande alarde e caos entre populações, se exagerar na sua opnião sobre tal bactéria ou vírus. Ainda se minimizar o perigo deles, pode deixar laxismo tormar de conta dos especialistas e deixar que morram muita gente por conta dessas más informações.

    O Papa aí não está dizendo infalivelmente. É opinião. Nem por isso deva ser leviano. Pelo contrário deve ter todo o cuidado de alguém que desarma uma bombam prestes a explodir e causar grande estrago. Tudo se exige nessas entrevista que o fazem se sentir a vontade. O demonio aproveita mesmo. O Papa não pode emitir juízo temerários nessas ocasiões. Não em propondo a Igreja toda como verdade de fé suas opiniões, mas o estrago que isso pode fazer as almas e a igreja é bem maior que os exemplos do especialista, presidente, infectologista.

    Pedir perdão “perdão aos gays, mas deve pedir perdão também aos pobres, às mulheres estupradas, as crianças exploradas no trabalho, deve pedir perdão por ter abençoado tantas armas.”! Isso é coisa que se diga.

    Como Papa, dever de oficio, é pedir perdão a Deus pelos pecados cometidos por todas as gentes. Isso sim. Deus é quem nos deve perdoar. E a Igreja foi fundada para isso. Obter o perdão de Deus pelos pecados cometidos. Que isso Papa Bergoglio?!

  44. É preciso, que sejamos honestos conosco, e pelos demais. Não existe meias verdades nos Mandamentos da Lei de Deus. A Palavra de Deus, está aí para qualquer um ler. Não adianta querer distorcer as palavras divinas. Dizendo que na Igreja também muitas pessoas cometeram pecados graves e muitos até foram santos. É claro que sim! Mas todos morreram bem com sua consciência em paz. Um convite que todos nós deveríamos fazer a estas pessoas que vivem em pecado grave. Abandone esta vida de pecado, lança aos pés de Jesus Crucificado, e pede perdão. Vai ao confessionário, confessa estes pecados que tanto atormenta a sua consciência. Doravante serás feliz. Não existe pecado que você não possa vencer. Com a graça de Deus e a sua boa vontade. Tudo é possível. O Papa atual está fazendo um grande mal. Ao invés de combater este pecado contra a natureza. Pelo contrário, fica Incentivando a não deixar esta vida pecaminosa. Pelo Amor de Deus! Evite falar Santo Padre. Parece que suas palavras estão escandalizando o mundo.
    Joelson Ribeiro Ramos.

Trackbacks