Ofensiva do diabo: derrubar os padres.

Por FratresInUnum.com, 15 de julho de 2019Há algo de sobrenatural naquela cena. Uma mulher desequilibrada desce as arquibancadas, salta as cercas de ferro, passa pelas estruturas de som, sobe num palco de dois metros, sai correndo sem ser percebida em todo o trajeto e atira ao chão um padre de quase dois metros e cerca de cem quilos como se fosse uma folha de papel…

Resultado de imagem para padre marcelo rossi derrubado

Alguém dizia que “Deus permite ao diabo agir apenas com a condição de que não esconda o rabo”. Deixando de lado todas as tolices e infantilidades litúrgicas do Padre Marcelo Rossi, o ataque sofrido carrega um misterioso alerta: há uma guerra declarada de Satanás contra o clero.

Não é mera coincidência que a reportagem principal da revista VEJA deste fim de semana seja propriamente sobre os abusos sexuais cometidos por padres na diocese de Limeira, que obrigaram o bispo Dom Vilson a renunciar ao cargo. A foto de capa é a de um padre com vestes tradicionais: batina e barrete, ambos frisados.

Para além do significado fotográfico óbvio – mesmo sendo para representar um molestador, o que representa um padre católico continua sendo ainda a batina tradicional –, é evidente que a intenção semiótica principal é a de colar no clero conservador a marca de abusadores potenciais, coisa que se não faz com o clero progressista.

Fato é que a reportagem de VEJA não está descolada de uma agenda interna mais ampla, que decorre da opção preferencial de Francisco pelo politicamente correto, mesmo com sacrifício dos bispos e dos padres do mundo inteiro. Sejamos mais claros.

Com o Motu Proprio Vos estis lux mundi, o papa argentino institui uma política denuncista na Igreja, que não apenas desburocratiza acusações, mas as potencializa de modo quase incontrolável. Via de regra, as dioceses precisariam disponibilizar guichês para a denúncia de seus clérigos, criando, assim, espaços para a produção de documentos acusatórios contra si mesmas. Trata-se do completo aniquilamento da aplicação do direito pela Igreja, em favor da soberania mundana.

E, para eximir-se de responsabilidades e, ao mesmo tempo, amarrar completamente os bispos, no Motu Proprio Sicut mater amabilis (a ironia do título é simplesmente sádica), Francisco estabelece que o bispo renuncie ou seja removido por decreto num prazo de quinze dias quando, por negligência, tiver agido ou omitido algo que cause algum dano grave a outros, sejam indivíduos ou grupos. Pode-se questionar se não é daí que decorre a necessidade de Francisco ficar em silêncio ante as acusações de Dom Viganò — teria o pontífice argentino, por coerência, de renunciar ao papado que perseguiu com tanto afinco.

Em outras palavras, é a institucionalização da perseguição judicial na Igreja, tanto a padres quanto a bispos, é a ferramenta mais evoluída para infernizar inteiramente a vida eclesiástica.

A reportagem de VEJA é uma espécie de alarme, um tiro para o alto, a fim de que se institua todo este aparelhamento bergogliano nas cúrias. Os inimigos da Igreja estão exultantes e já perceberam que este pontificado é uma espécie de Cavalo de Troia, infiltrado para levar a cabo aquilo que Paulo VI chamava de autodemolição da Igreja. Em um vídeo recente, o ex-pastor Caio Fábio apresenta eufóricas louvações ao Papa Francisco, aclamado como aquele que veio para realizar a justiça contra os padres, tachados indistintamente como tarados.

“Criar dificuldades para vender facilidades”. Esta é a razão última de todas essas manobras. Em um pontificado que favorece a agenda gay, o feminismo descarado, o ecologismo psicótico, a esquerda internacional, parece quase incompreensível essa política de tolerância zero, não estivéssemos nós na iminência do Sínodo Pan-Amazônico, que é essencialmente um ataque ao sacerdócio católico e à santidade do celibato sacerdotal.

A hecatombe que visa desmoralizar o clero tem como objetivo principal a destruição do celibato para reduzir o sacerdócio a uma mera função profissional, dada a homens casados que se ocupem apenas de modo parcial do ministério, transformando a Igreja em uma mera empresa, destinada inexoravelmente à falência espiritual.

O plano do diabo não é somente derrubar os padres. É derrubar o sacerdócio católico como tal e inverter completamente a grande missão que Nosso Senhor concedeu aos Apóstolos: não se trata mais de converter o mundo, mas em ser convertido pelo mundo; não se trata mais de pregar para os índios, mas em regredir de tal modo que a Igreja se torne uma mera instituição tribal e pagã.

Quando o Padre Marcelo foi atacado, estava justamente falando que o sacerdote tem as mãos ungidas, não pertence mais a si mesmo e age in persona Christi. Foi um ataque bastante eloquente. “Quem tem ouvidos para ouvir, ouça”.

40 Comentários to “Ofensiva do diabo: derrubar os padres.”

  1. Não tenho dúvida que foi um ataque frontal de Satanás…
    Foi claro …
    Quando o padre caiu me senti muito mal …era como se um punhal entrasse no meu coração..

    Agora diante daquilo q está acontecendo dentro do Clero é necessário q se faça alguma coisa para acabar com a iniquidade , mas de forma séria, não para se tomar vantagens e impor aquilo.q se quer,,, ideologias pautadas na Teologia da Libertação.
    Oremos !

  2. Ontem eu estava refletindo sobre um vídeo em que um bispo, questionado ao lado de D. Orani sobre as missas do Pe Marcelo, disse que não somos donos da Liturgia, mas servidores.

    Engraçado que ninguém naquela reunião da CNBB questionou sobre colocarem pastoras protestantes no altar nem sobre padres que pedem que os fiéis rezem orações próprias do sacerdote ou levantem as mãos na doxologia. Sabe por que? Porque nas missas do Pe. Marcelo as pessoas, ao menos, conseguem viver a oração, e isso incomoda muito os libertários.

    Pode ser uma missa cheia de erros litúrgicos sim, mas que Deus tem agido pela misericórdia para resgatar almas é inegável. Eu mesmo entrei na igreja pela RCC, e aos poucos fui conhecendo e vivendo de forma que hoje amo a missa tridentina.

  3. Deveríamos organizar horas santas pelo clero, além de rezar rosário públicos pela santificação do clero.
    Os bispos deveriam exorcizar suas dioceses como fez o Bispo de Buenaventura na Colômbia estes dias.

    A oração de São Miguel com as 3Ave Marias deverian voltar ao final da Missa.
    É…o demônio anda muito mais a solta com os seus seguidores…

    Miserere nobis

  4. Sou um católico “tridentino” e não me simpatizo com a RCC, mas admiro o trabalho do padre Marcelo, pois comparado com outros padres cantores, é o mais discreto de todos: é possível ver que está preocupado em evangelizar, e não ser o centro das atenções, como um outro padre aí que nem missa celebra e realiza shows caríssimos com ternos tão caros quanto…
    Conheço muitas pessoas que já foram tocadas pelo programa de rádio que ele realiza diariamente, inclusive eu mesmo. Por isso, fiquei triste com o que aconteceu com ele, não tenho dúvidas que foi um ataque do inimigo.

  5. Li a reportagem on-line da “Veja”. O quadro é sempre o mesmo: por um lado, meninos pobres ou de famílias desestruturadas que buscam apoio na Igreja; por outro, psicopatas safados que se servem do ministério como instrumento de poder e exploração humana.

    Eu mesmo, quando adolescente, fui convidado por um religioso, por quem tinha grande admiração, a nadar com ele na piscina do colégio do convento dele. Achei medonho o convite. Fiquei desapontado e com asco. Até então, eu nada notara no frade lúbrico. Além disso, meus pais nunca me deixavam dormir fora de casa. Nem para retiro. É claro que há bons retiros e ambientes confiáveis. Mas o ambiente do padre piscineiro certamente não era. Eu sou muito grato a meus pais por terem me prevenido falando nas entrelinhas.

    Tenho sérias reservas à psicologia clínica (origem, métodos, terapêutica etc). Mas há coisas aproveitáveis. Por exemplo, ao descrever quadros patológicos, isto é, relatar anomalias e perversões. Uma delas é o caso dos psicopatas. Seria bom que os bispos soubessem identificá-los; daí, não entrariam para a vida religiosa. Quando alguém ordena um psicopata – qualquer que seja a sua tara, por exemplo, a do poder – cria décadas de problemas para a Igreja.

    Uma coisa é certa: quando João XXXIII e Paulo 6 apostataram da tradição apostólica de a Igreja recusar o mundo, o mundo dos homens, “posto sob o maligno”, não se poderia esperar coisa melhor: o mundo engolfou a Igreja.

    • Legal. Vale ressaltar que um padre psicopata, e, pior, um bispo psicopata, fazem estragos. Em torno de 2% da população é psicopata, sendo maior a prevalência no sexo masculino. O psicopata tem ausência da capacidade de sentir empatia, isto é, aquela capacidade de se compadecer com o outro, de se colocar no lugar do outro. Os psicopatas costumam ser ávidos pela subida na carreira, e passam por cima dos valores, sem o mínimo arrependimento. Claro, há vários “graus” de psicopatia.

    • Também tenho certas ressalvas à psicologia clínica, na verdade, não enquanto ciência, mas quanto a algumas de suas vertentes e aos estragos que já vi alguns psicólogos ateístas fazerem na vida de pessoas “com fé”. Por outro lado, sou testemunha do excelente trabalho de profissionais que se dedicam a praticar a psicologia sem abrir mão dos ensinamentos da Igreja, e que, juntamente das grandes melhoras de ordem psicológica que ajudam a promover em seus pacientes, muitas vezes também contribuem para a promoção do crescimento espiritual.

  6. A agressão que o Pe. Marcelo Rossi sofreu nos pegou a todos de surpresa! Afinal, estamos num país católico, apesar da diminuição do número de católicos de acordo com os últimos censos.

    Foi algo estarrecedor ver um sacerdote sendo derrubado… Estamos vivendo tempos em que a batalha entre o bem e o mal está se intensificando. É importante os católicos descobrirem o conceito de guerra espiritual. Quem compreender inglês, pode fazer uma pesquisa no Youtube com o termo “spiritual warfare”. Um dos exorcistas católicos de destaque que tratam do assunto é o Pe. Ripperger.

    • Alex, creio que o Brasil já não seja um país católico, mas sim, cristão. Acho que os protestantes passaram os católicos em números.

    • Miranda, a situação do catolicismo no Brasil é preocupante! Já não bastasse a Teologia da Libertação, que formou um catolicismo despojado da Tradição da Igreja, nas últimas décadas o número de católicos diminuiu. Atualmente, salvo engano, os católicos no Brasil são 64,6% da população. E os protestantes (evangélicos tradicionais, pentecostais e neopentecostais) são 22,2% da população. Obtive esses dados numa simples pesquisa no Google.

      Certa vez João Paulo II disse que o povo brasileiro é muito religioso, mas carece de conhecimentos doutrinários.

    • Realmente, Alex. Falha minha. Confundi. Mas lendo sobre o assunto, percebe-se o declínio do povo católico e o franco crescimento protestante, principalmente pentecostal.

  7. Eu não assisto Canção Nova, muito menos missa de “PHN” – nesta mesma hora domingo à tarde eu assistia à transmissão semanal da Santa Missa cantada na Paróquia Santo Eugênio de Paris no YouTube – mas tenho certeza que muita gente estava assistindo à CN, bem como a multidão presente ao evento. A cena é horrorosa e tétrica, a mulher se aproxima RINDO e, depois de empurrar o padre continua rindo e faz menção de se jogar também, a câmera desvia rapidamente o foco para o povo e não vemos que fim levou a “transtornada bipolar”. Padre Marcelo foi feliz ao dizer “o demônio me odeia”, parece ter entendido como ninguém o que se passou ali… A péssima formação sacerdotal da qual ele é fruto parece não ter esmagado totalmente sua vida espiritual como ocorreu a seu badalado congênere Fábio de Melo.

  8. Dom Vilson, foi um dos grandes perseguidores da Missa Tridentina e Tradição em sua diocese…
    Um sábio aqui na cidade sempre dizia:
    Irregularidades no altar, quase sempre acompanha imoralidade na vida!

  9. Lembro que o Pe. Marcelo Rossi, ao ser questionado sobre o motu proprio de Bento XVI incentivando a missa tridentina, declarou achar maravilhoso. Mas disse que não poderia celebrar porque seu latim era muito ruim!

  10. Prezados: independente da esfera espiritual, cujo teor não vou debater embora compreendo muitos dos fatores (obviamente não todos) vou me ater ao aspecto jurídico e legal do ocorrido que está descrito pelo artigo 208 do Código Penal (Decreto Lei 2848/40) que diz:

    ” Art. 208 – Escarnecer de alguém publicamente, por motivo de crença ou função religiosa; impedir ou perturbar cerimônia ou prática de culto religioso; vilipendiar publicamente ato ou objeto de culto religioso:

    Pena – detenção, de um mês a um ano, ou multa.

    Parágrafo único – Se há emprego de violência, a pena é aumentada de um terço, sem prejuízo da correspondente à violência. ”

    Amigos: decorem estes números e estes termos, decorem estas palavras no coração e na mente. Independente se depois o poder judiciário considerar a pessoa que cometeu o crime apenas um doente mental e mandar pagar uma cesta básica, ao interromper ou atrapalhar uma missa ou um culto numa de nossas Igrejas nós temos o amparo legal para dar voz de prisão em flagrante.

    • Muito boa a sua consideração.
      Qualquer um, baseado no código penal brasileiro e nestes artigos, poderá abrir imediatamente uma ação penal contra a agressora.
      Melhor: o Ministério Público tem a obrigação imediata de agir.

    • Perfeito.

  11. A ofensiva é clara:
    – derrubar os bons para que os maus prevaleçam.

  12. Infelizmente estamos colhendo os frutos da omissa, permitimos o ingresso de falsos profetas que se infiltraram na igreja com o simples objetivo de destrui-lá, com apoio de lideranças politico religiosas importantes, e a sociedade de bem, por ser do bem deu crédito a estas liderancas e o resultado é este, hoje religiosos que pregam a verdadeira palavra de Deus acabam sendo vítimas do demônio!

  13. Alguém sabe se a moça que empurrou o padre é católica?

    • É simples saber:
      Existem católicos e falsos católicos?
      Em qual dos dois você a classifica?

  14. Concordo com o Manoel Ribeiro, acho que a RCC deve ser uma porta de entrada, a partir daí o católico deve buscar águas mais profundas. Eu mesma já estive afastada da Igreja por muitos anos e voltei por meio da RCC. E foi justamente pela RCC que comecei a conhecer mais a fé católica e perceber que havia algo muito profundo que aquilo.
    Quanto ao ataque, acho que muitas peças não encaixam e por isso mesmo a denúncia tinha que ser feita para tudo ser averiguado detalhadamente (algo que pelo que li o padre parece não querer fazer). A mulher tem problemas mentais e estava em uma caravana? Se ela tem problemas mentais, quem era responsável por ela? Além dela, tinha uma filha pequena, como uma pessoa com problemas mentais viaja com uma criança assim? Na delegacia, a mulher disse que queria conversar com o padre, mas logo depois do empurão ela tentou fugir e foi contida pela multidão de fieis. Como alguém que só quer conversar, empurra o outro, fica rindo e depois tenta fugir? Muita coisa não faz sentido…

  15. O fato sucedido é lamentável e Satã está à caça de excelentes sacerdotes, os quais cada vez mais em franca extinção; contudo, nunca me simpatizei com padre M Rossi e sacerdotes similares conhecidos pois suas celebrações mais se pareciam shows de sentimentalismos, euforias gerais; eles em cima como apresentadores o povão que o acompanhava, a plateia, cá embaixo; por sinal, até hoje não bato palmas em celebrações, nem balanço os braços, cantando parabéns aos aniversariantes ao final e outras participações ruidosas, apenas cabíveis nos salões paroquiais!
    Dessa forma, essas celebrações litúrgicas, além de altamente dissipantes das mentes, impedem de provocar intropecção entre os participantes em seus shows, de se concentrarem adequadamente meditar no Misterio da Paixão e Morte de N Senhor Jesus Cristo e os que assistiam à sua crucifixão todos em prantos, tristíssimos – quantos contrastes!
    Aliás, os movimentos RCCistas conhecidos eram de pentacostalismos ruidosos, gerando momentos de histeria geral, além de ele ser de origem do relativista protestantismo, culminando até de “expulsões do diabo” – e eu detestava sempre que os via!
    Também, tomando como RCCcistas certos posicionamentos nada os aprovando, inclusive em público desafiando a um bispo conservador, de ótimas qualidades para o qual liguei no dia seguinte ao fato e nem acusou esse rude e muito grosseiro agressor de nada, porém agiu como um doutrinarista, falando como ex cathedra o instruindo – que vexame! – situação de causar arrepios e passei vergonha por esse agressivo como se fosse eu!
    Quem sabe, também imensa culpa desses sacerdotes que jamais mencionam o diabo e suas hordas no presente em suas homilias e instruções, folhetos dominicais, com suas ações, métodos de tentações etc., permitindo-os cada vez mais ficarem audazes e atrevidos, enquanto aqueles uns temerosos, acuados e amedrontados?

  16. Apesar dos seus erros e abusos, não é raro que católicos encontrem algum sobrevida na igreja quando entram na RCC, e alguns até a Doutrina de sempre e a missa tradicional, quando de boa vontade buscam aprofundar racionalmente a fé que descobriram pela emoção.

  17. Estes ataques já acontecem há muitos anos!
    Aqueles que usamos a veste talar (hábito religioso/batina) fomos “convidados” a deixar de usá-la, logo após o Concílio. Aqueles que continuamos a usar, passamos por antiquados/ultrapassados.
    Visitar os doentes, ensinar catecismo aos professores de catequese, preocupar-se com a distribuição dos Sacramentos e o estímulo à devoção à Virgem Santíssima e aos Anjos e Santos, era considerado como “não adaptado à pastoral coletiva”.
    Pior ainda é o que se refere ao celibato.
    Aqueles – mais vividos, como eu (com 79 anos) – que passamos por estas perseguições dentro da Igreja, sabemos que o ataque diabólico não é nenhuma novidade!
    O que precisamos é mais devoção à Nossa Senhora e melhor formação de nossos jovens Sacerdotes!
    Que o Bom Deus tenha piedade de nós!

    • Pe. José Antônio Sou da diocese de Blumenau. Aqui na minha cidade havia um seminário, que nos últimos tempos abrigou alguns seminaristas amantes da tradição e da missa tridentina. Pois bem, muitos foram embora, procurar seminários tradicionais em outros estados, depois de sofrer um verdadeiro “bullyng” espiritual.
      Eram chamados pelos superiores de “bentinhos”, “tradicionalistas doentes”, foram proibidos de rezar pela conversão dos não-católicos, proibidos de se consagrarem segundo o tratado de São Luis Maria Grignion de Monfort e segundo me falaram, os padres costumavam, em suas conversas, citar as confissões de seus paroquianos, debochando das confissões e do tradicionalismo de alguns.
      Quanto ao bispo, não esperamos nada dele, alguns paroquianos já pediram a missa tridentina e ele recusou, pediram o batismo tradicional para seus filhos e ouviram a resposta de que “…se quiserem modinhas que vão até Curitiba…”
      Os abusos litúrgicos são a regra, não há mais as orações iniciais, foram substituídas por cantilenas bobas, uma mediocridade que até dói. Costumo viajar e procurar missas ainda não tão contaminadas em outras dioceses porque assim como está sinto que ofendo Nosso Senhor ao participar de toda essa barulheira e algazarra!

  18. Penso que a nível de instituição pouco podemos fazer para evitar esses ataques do mal ao sacerdócio, e, por consequência, aos fieis também. “Fere o pastor, as ovelhas serão dispersadas.” (Zacarias 13,7)

    Penso que o que se pode fazer seja a nível de indivíduos, ajudando as pessoas que precisam de algum tipo de ajuda nesse contexto de guerra espiritual em que vivemos nos tempos atuais. Nesse sentido, as orações de exorcismo podem ser muito úteis em expulsar o mal ou, ao menos refreá-lo. Mas repito, isso a nível de indivíduos. Infelizmente a Igreja, como instituição, está mergulhada em uma provação que acredito só uma intervenção divina poderá tirá-la.

  19. Tudo que se fizer para punir sacerdotes abusadores será pouco, porque eles minam profundamente a imagem da Igreja Católica pelo escândalo e justa indignação que provocam na população não católica. Não há desculpa para a prática de contemporizar com o abusador porque a Igreja trabalharia por sua salvação. Eles são como soldados a serviço de Deus, e por isso a disciplina exigida deles deve ser mais severa, e não menos. Não se concebe que quem assim age (por possivelmente ser mais tentado que os outros) mantenha a prerrogativa de exercer o sacerdócio, porque é sempre uma posição de poder.

  20. O famoso jornalista americano Gleen Greenwald, pivô de um complô recente pra derrubar o juiz Sérgio Moro, deu uma entrevista à revista Rolling Stones em 2013, onde ele descreve de modo bem interessante a mentalidade sodomita e de certa forma, nos ajuda a entender como funciona a mentalidade dos sodomitas infiltrados na Igreja:

    https://www.rollingstone.com/culture/culture-news/snowden-and-greenwald-the-men-who-leaked-the-secrets-104970/amp/
    “Naturalmente, todos os adolescentes gays lidam com sua sexualidade de maneiras diferentes. “Uma é internalizar o julgamento e dizer: ‘Oh, meu Deus, eu sou essa pessoa horrível, doente, defeituosa’ – motivo pelo qual muitos adolescentes gays cometem suicídio”, diz Greenwald.
    Outro, ele diz, é escapar inteiramente do julgamento criando um mundo alternativo – “de onde vem muito da criatividade gay porque esse é um mundo que lhe rejeita”.
    Greenwald escolheu uma terceira via : “Decidi travar uma guerra contra esse sistema e toda autoridade institucional que tentaram me rejeitar e me condenar”, diz ele. “Foi como dizer, “Fodam-se. Em vez de vocês me julgarem, sou eu que vou julgá-los, até porque não aceito sequer o fato de que vocês possam estar numa posição de emitir qualquer julgamento a meu respeito”.

    Essa análise joga por terra a idéia que muitos cristãos têm a respeito dos homossexuais como coitadinhos, que precisam de compaixão. Sim,eles precisam que rezemos por sua conversão, mas eles não querem nossa compaixão, querem a nossa submissão. E a prova mais evidente disso, é que todos os lugares em que conquistaram poder, os cristãos passaram a ser perseguidos e obrigados a se curvar aos seus caprichos.
    A última barreira a ser derrubada é a Igreja e sua Doutrina e para isso eles contam com os infiltrados.
    Pra início de conversa, eu não acredito que Jesus Cristo tenha chamado qualquer sodomita à vocação do sacerdócio ministerial, pois quando o Apóstolo Paulo diz aos Gálatas: “Os que pertencem a Cristo Jesus crucificaram a carne, com as suas paixões e os seus desejos”, (Gálatas 5:24) isso muito mais se aplica àqueles que foram chamados a se tornar um “alter Christus”.
    Mas infelizmente, devido ao mistério da iniquidade em ação, muitos Bispos que são cúmplices ou negligentes, permitiram que esses lobos rapaces se infiltrassem em meio ao rebanho.
    Como disse Greenwald, existem aqueles que para escapar de qualquer julgamento, escolhem a segunda via, ou seja, criam para si um mundo paralelo. Nesse mundo paralelo, o sacerdote nada mais é senão um ativista social.
    A Teologia da Libertação e outras teologias modernistas são um refúgio perfeito para esse grupo de clérigo sodomita. Daí sua ojeriza à Tradição e Doutrina da Igreja, suas liturgias sacrílegas e “criativas”, sua interpretação pessoal das Escrituras, seus maus conselhos àqueles que de certa forma o apoiam. Nesse mundo onde não existe uma doutrina que condene seu vício ou exigência de ascese para domar suas más inclinações, eles se sentem livres de todo julgamento moral. O que faz com que se sintam livres até pra cometer abusos sexuais.
    Os que optam pela terceira via, ou seja, aquela escolhida por Greenwald, são os mais perigosos. Eles decidiram travar guerra aberta contra a Igreja Institucional, demolir tudo que é considerado santo e digno de devoção e para nosso castigo, têm o respaldo desse Pontificado desastroso que os promove aos altos escalões da hierarquia.
    Nós estamos assistindo de camarote a destruição do Papado como sempre foi conhecido até então, a destruição do sacerdócio ministerial, a aceitação da abominação da sodomia, o silêncio diante do crime do aborto e como disse São Pio X na Pascendi, não existe um só aspecto da Igreja que ficou imune à sanha dos Modernistas. Até as Congregações de Clausura deverão se adequar à nova política Bergogliana ou serão fechadas:

    “Um mosteiro de monjas “que não consegue expressar, segundo a índole contemplativa e as finalidades do Instituto, o especial testemunho público a Cristo e à Igreja Sua Esposa, deve ser suprimido, CONSIDERANDO A UTILIDADE DA IGREJA e do Instituto ao qual o mosteiro pertence”. Nesses casos cabe à Santa Sé “avaliar a oportunidade de constituir uma comissão ad hoc””.
    https://www.vaticannews.va/pt/vaticano/news/2018-05/instrucao-aplicativa-constituicao-vultum-dei-quaerere.html

    E o que vem a ser essa “utilidade da Igreja” segundo esse Pontificado? Ecologia, Migrantes, agenda globalista. E assim já estamos vendo até Mosteiros Carmelitas e Clarissas de Clausura, abrindo seus conventos para acolher imigrantes por medo de serem obrigadas a fechar as portas ou renunciar aos votos:
    http://www.imolaoggi.it/2019/07/15/suore-di-clausura-ospitare-migranti/?fbclid=IwAR3L0VAUA4MX5o_8lesxLf2hpHwrUwj5normGxGs8jzqxxvWMKdjvS-HPj4

    No tocante ao Padre Marcelo, só posso lamentar o ocorrido, apesar de não estar nem um pouco surpresa. Há algum tempo atrás a Igreja fez sérias advertências a esses velados rituais de exorcismo nas chamadas “missas de cura” dos Carismáticos.
    Infelizmente elas continuam atraindo cada vez maior número de pessoas com problemas mentais e até mesmo de possessão.
    A Igreja sempre foi muito criteriosa com os casos em que se requer a intervenção de um exorcista. Quem não se lembra do que aconteceu com os exorcistas judeus em Atos 19.13?
    Os filhos de Ceva, chefe dos sacerdotes, acharam que podiam imitar a Paulo, porém foram humilhados:
    – “Conheço a Jesus, e bem sei quem é Paulo, mas vós quem sois?”, ou seja, os demônios conheciam a Paulo, sabiam que Paulo tinha mandato de Deus.
    Os demônios sabem de quem e quem somos.
    Não basta ser religioso, filho do chefe dos sacerdotes. É necessário que seja ordenado por Deus para essa função.

    • Como é de sempre, Gercione, palavras de precisão cirúrgica, replico sem tirar e nem por, até as coisas tristes como a situação das carmelitas; nossas ordens sagram sem parar, recentemente até fiquei sabendo que a cartuxa de Évora (Portugal) vai fechar por “motivos não-declarados”. Que o mundo combatesse as ordens não vale de surpresa, mas ver a própria Igreja combatendo elas, isso realmente doí profundamente.

      Mas essa entrevista com o Greenwald, Deus tenha piedade, é simplesmente nojenta, escorre das palavras desse sodomita aquele mesmo visgo de puro ódio à santidade que escorreu de Lúcifer; um homem que não consegue tomar um café de manhã sem pensar em corromper a boa ordem do mundo, vive uma vida plenamente dedicada a destruição de tudo que é bom — um revolucionário.

  21. Muito estimado em Cristo, Sr. Marcelino Pachuczki:
    A paz de Cristo!
    A situação na qual nos encontramos mostra-se muito difícil!
    Há muitos anos estou “aposentado”, já que meu “trabalho pastoral era muito antiquado”, pois, uso veste talar – batina – e sempre pratiquei aquilo que aprendi como Serviço Sacerdotal: a Santificação das almas!
    Atualmente está muito complicada a Formação Sacerdotal! Há falhas profundas, seja nos estudos Filosóficos e Teológicos, mas – sobretudo – doutrinal e moral.
    Quanto às Missas, há muito tempo estão dessacralizando o sentido de Santo Sacrifício. Sempre aconselho que se busque as Orações do Ofertório do Rito Tridentino e compará-las ao novo rito conciliar. Isso sem falar das “Orações Eucarísticas”!
    Lastimável!
    Entretanto, temos que ficar atentos com aquilo que se diz “tradicional”! Nossa atenção deve estar voltada para a Doutrina, para a vida de Oração e para a simplicidade na busca da Santificação pessoal.
    Vejo muitos jovens se considerarem “tradicionais”, porém, necessitam de uma boa formação, pois, Tradição não se resume a batinas, rendinhas e paramentos suntuosos ou cantos em latim.
    Tradição é fidelidade a Nosso Senhor Jesus Cristo!
    É buscar viver a Sua Doutrina, com simplicidade e discrição!
    Procure Missas com Sacerdotes sérios, simples e puros de coração!
    Busque amigos que incentivem a estes Sacerdotes a celebrar o Santo Sacrifício da Cruz com zelo, piedade e simplicidade!
    Este é o caminho!
    E, muita devoção aos Sagrados Corações de Jesus e Maria!
    Um Católico é aquele que vive de maneira discreta, porém, profundamente, os ensinamentos de Nosso Senhor, vivenciados pelos Santos!
    Os Anjos da Guarda são nossos melhores amigos, que nos conduzem ao verdadeiro espírito de Oração!
    Adquira um livro de Catecismo de São Pio X, reze o terço do Rosário de Nossa Senhora – todos os dias – renove semanalmente sua Consagração aos Corações de Jesus e Maria e faça o piedoso exercício da Via Sacra. Ajude àqueles que cuidam dos pobres – geralmente a Sociedade de São Vicente de Paulo – e viva de forma simples e discreta!
    Coloque suas aflições nos Corações Sacratíssimos de Jesus e Maria, e Eles providenciarão tudo o que mais precisamos: paz e fé!
    Rezemos, caríssimo!
    Cofiemos em Deus e na Sua Mãe Santíssima!
    Ele prometeu que “as portas do inferno NUNCA PREVALECERÃO!
    E, a Doce Mãe, aos pequeninos pastorinhos, profetizou que “por fim o Meu Imaculado Coração triunfará”!
    Já passei por inúmeras perseguições, porém, sempre confiei n’Eles!
    E, tenho certeza de que hei de ver – ainda nesta vida – a Virgem esmagar a cabeça do dragão infernal!
    Coragem!

    • Pe José Antonio, a sua bênção. Sábias palavras. O senhor resumiu tudo o que está acontecendo em nossos tenebrosos tempos. Que Deus e a Virgem Santíssima guarde o senhor e a sua fé. E São Miguel Arcanjo o defenda do espírito maligno, astuto, mas fraco diante de Nossa querida Mãe. Salve Maria!!!

  22. “Sicut mater amabilis (a ironia do título é simplesmente sádica”.

    Quem tem “dúvida” quanto a certa “preferência” de alguém deve simplesmente se pôr esta questão: “é sádico?”

    Se a resposta for positiva…

  23. Um vídeo de melhor qualidade.
    Em 2017, uma mulher também passou na missa do Pe. Marcelo Rossi. Ouvem-se os gritos dela no meio da multidão.
    https://youtu.be/zfOJIBJav-8

  24. A Reforma da Igreja Católica passa pelo clero de um modo total! Não é ser tradicionalista ou carismático ou da TL que leva a realizar atos obscenos. Mas o caráter. A Igreja Católica perdeu o seu poder de jurisdição sobre ela mesma. Deixou em muitas dioceses de realizar uma boa triagem dos candidatos ao sacerdócio ou a vida religiosa. Há formadores em seminários que são homossexuais e não negam! Há situações realmente precárias…
    MAS… há Padres bons e Santos! Esforçados com a sua Fé e em conduzir o rebanho.
    Rezar mais pela Igreja!
    O caso do Padre Marcelo foi público pois estava em uma TV. E quantos não acontecem sem serem percebidos?
    Oremos!

  25. A mulher sofre de transtorno bipolar, que é uma espécie de variação de humor. Sabendo-se que o ambiente carismático é propicio para mexer com as emoções do público, eu desconfio muito de que tenha sido uma ação sobrenatural do demônio ou possessão de qualquer nível que seja.

  26. O Pe. Duarte Sousa Lara, que é um renomado exorcista português, faz uma explicação sobre como discernir uma doença de uma possessão. Vejam o vídeo!