Archive for ‘Igreja’

19 outubro, 2014

Foto da semana.

Papa Francisco saúda o Papa Emérito Bento XVI na cerimônia de encerramento do Sínodo sobre a Família e Missa de beatificação do Papa Paulo VI, ocorrida hoje em Roma.

image

“Foi uma grande experiência, na qual vivemos a sinodalidade e a colegialidade e sentimos a força do Espírito Santo que sempre guia e renova a Igreja, chamada sem demora a cuidar das feridas que sangram e a reacender a esperança para tantas pessoas sem esperança”.
(Palavras do Papa Francisco ao concluir o Sínodo dos Bispos sobre a Família)

Fonte: Radio Vaticano

19 outubro, 2014

Discurso do papa Francisco por ocasião do encerramento do Sínodo ontem.

Por Rádio Vaticano: No discurso de encerramento, na última sexta-feira, o papa Francisco descreve os momentos de desolação, de tensão e de tentações ocorridos durante o Sínodo:

- Uma: a tentação de enrijecimento hostil, isto é, de querer fechar-se dentro do escrito (a letra) e não deixar-se surpreender por Deus, pelo Deus das surpresas (o espírito); dentro da lei, dentro da certeza daquilo que conhecemos e não daquilo que devemos ainda aprender e atingir. Desde o tempo de Jesus, é a tentação dos zelosos, dos escrupulosos, dos cuidadosos e dos assim chamados – hoje – “tradicionalistas” e também dos “intelectualistas”.

- A tentação do “bonismo” destrutivo, que em nome de uma misericórdia enganadora, enfaixa as feridas sem antes curá-las e medicá-las; que trata os sintomas contra os pecadores, os fracos, os doentes (cf. Jo 8,7), isto é, transformá-los em “fardos insuportáveis” (Lc 10,27).

- A tentação de descer da cruz, para acontentar as pessoas, e não permanecer ali, para realizar a vontade do Pai; de submeter-se ao espírito mundano ao invés de purificá-lo e submeter-se ao Espírito de Deus.

- A tentação de negligenciar o “depositum fidei”, considerando-se não custódios, mas proprietários ou donos ou, por outro lado, a tentação de negligenciar a realidade utilizando uma língua minuciosa e uma linguagem “alisadora” (polida) para dizer tantas coisas e não dizer nada”. Os chamavam “bizantinismos”, acho, estas coisas…

19 outubro, 2014

Burke confirma: “Sim, o Papa me rebaixou”. “O Papa faz muito mal ao deixar de falar abertamente a sua posição”. Sínodo “projetado para mudar a doutrina da Igreja”.

Por Rorate-Caeli | Tradução: Fratres in Unum.com – Publicamos aqui para registro dos acontecimentos atuais todas as citações publicadas pelo BuzzFeed da entrevista com o Cardeal Burke:

Um cardeal de alto escalão disse ao BuzzFeed News na sexta-feira que o encontro mundial de líderes da Igreja que está chegando ao fim em Roma parecia ter sido projetado para “enfraquecer a doutrina e pratica da Igreja” com a aparente bênção do Papa Francisco.

[...]

Se o Papa Francisco havia selecionado alguns cardeais para dirigir o encontro, a fim de promover suas opiniões pessoais sobre questões como o divórcio e o tratamento das pessoas LGBT, Burke disse, ele não estaria observando o seu mandato como líder da Igreja Católica.

De acordo com minha compreensão da doutrina e disciplina da Igreja, não, isso não seria correto“, disse Burke, afirmando que o papa havia “feito muito mal” por deixar de dizer “abertamente qual era a posição dele.”

[...]

O papa, mais do que qualquer outra pessoa, como pastor da igreja universal, é obrigado a servir à verdade“, disse Burke. “O papa não é livre para alterar a doutrina da Igreja em relação à imoralidade dos atos homossexuais ou à insolubilidade do casamento ou qualquer outra doutrina da fé.”

[...]

Na entrevista ao BuzzFeed News, Burke confirmou publicamente pela primeira vez os rumores de que lhe haviam dito que Francis pretendia rebaixá-lo do cargo de guardião chefe do direito canônico para para um cargo menos importante como patrono da Soberana Ordem Militar de Malta. [* ]

“Estou tenho apreciado muito e tenho sido feliz prestando esse serviço. Portanto, e uma lástima ter de abandoná-lo,” disse Burke, explicando que ele ainda não havia recebido uma notificação de transferência. “Por outro lado, na Igreja, como sacerdotes, temos que estar sempre prontos para aceitar qualquer missão que nos for dada. E assim eu confio ao aceitar essa missão, confio que Deus vai me abençoar, no final das contas, isso é o que é mais importante “.

  …
A [Relatio post disceptationem] agora está sendo revisada com o feedback das discussões dos pequenos grupos, realizada nesta semana, e uma versão final está prevista para ser votada no sábado. Burke disse esperar que a comissão que está redigindo o novo relatório produza um “documento digno“, mas disse que sua “confiança está um pouco abalada” pela linguagem da minuta preliminar, acrescentando que falta “uma boa base tanto nas Sagradas Escrituras como na doutrina perene da Igreja.”     …

Enquanto Francisco não tem demonstrado nenhum sinal de que apoia a revisão da doutrina da Igreja de que o homossexualismo é pecaminoso, parece que, a partir dessa experiência, ele assumiu o desejo de minimizar os conflitos sobre a sexualidade, a fim de ampliar a mensagem da Igreja.

Porém, Burke disse que a Igreja deve sempre chamar uma “pessoa que está envolvida em atos pecaminosos [...] à conversão, de forma amorosa, mas, obviamente, como um pai ou mãe de família, de maneira firme para o bem da próprio pessoa. “não pode haver” uma diferença entre a doutrina e a prática “sobre questões como o homossexualismo ou qualquer outra coisa, disse Burke.

A Igreja não exclui ninguém quem é de boa vontade, mesmo que essa pessoa está sofrendo de atração pelo mesmo sexo ou mesmo agindo segundo essa atração“, disse Burke. “Se as pessoas não aceitam a doutrina da Igreja sobre essas questões, então elas não estão pensando com a Igreja e precisam examinar a si mesmas sobre esso ponto e corrigir sua maneira de pensar ou sair da Igreja, se elas não podem absolutamente aceitar. Elas certamente não são livres para mudar o ensino da igreja de acordo com suas próprias idéias. “[Fonte]

[* Atualização (11:50 GMT): "A pedido de vários leitores, BuzzFeed News publicou uma transcrição da parte da entrevista em que o Cardeal Burke fala sobre sair da Assinatura".]

BuzzFeed News: devo perguntar-lhe sobre os relatos de que o senhor está senod destituído da Assinatura. Qual é a mensagem que essa destituição quer transmitir? O senhor acha que está sendo destituído em parte por causa da sua sinceridade sobre estas questões?

Cardeal Burke: A dificuldade – eu tenho conhecimento de todos os relatos, obviamente. Ainda não recebi uma notificaao oficial de transferência. Obviamente, estas questões dependem de atos oficiais. Quero dizer, posso ser informado de que vou ser transferido para um novo cargo, mas até que eu tenha uma carta de transferência na minha mão, tenho dificuldade em falar sobre esse assunto. Não sou livre para comentar sobre o motivo pelo qual acho que isso poderá vir a acontecer.

BFN: Já lhe disseram que o senhor vai ser transferido?

CB: Sim.

BFN: Obviamente o senhor é uma pessoa muito respeitada. Isso deve ser decepcionante.

CB: Bem, eu tenho que dizer, a área em que eu trabalho é uma área para a qual estou preparado e eu tentei prestar um serviço muito bom. Gosto e tenho sido muito feliz prestando este serviço, por isso é uma decepção ter de deixá-lo.

Por outro lado, na Igreja, como sacerdotes, temos que estar sempre prontos para aceitar qualquer missão que nos for dada. E assim eu confio que, ao aceitar esta missão, confio que Deus vai me abençoar, e isso é o que importa no final das contas. E embora eu teria gostado de continuar trabalhando na Assinatura Apostólica, vou entregar-me a ao novo trabalho para o qual estou sendo designado…

BFN: O senhor quer dizer, como chanceler da Ordem de Malta, não é mesmo?

CB: É chamado de patrono da Soberana Ordem Militar de Malta, é isso mesmo.

18 outubro, 2014

Divulgado documento final do Sínodo, revisto em alguns de seus pontos polêmicos.

Atenção – divulgado hoje pela Santa Sé:

Como, por ora, não temos condições de traduzir os textos acima, os comentários de leitores a respeito são mais que bem-vindos.

* * *

Vaticano elimina “boas-vindas” a gays em documento final do Sínodo.

UOL – O Vaticano eliminou a expressão “boas-vindas aos homossexuais” do relatório final do Sínodo dos Bispos sobre a família convocado pelo papa Francisco. O documento foi aprovado neste sábado (18), após duas semanas de reuniões.

A versão final do documento do Vaticano foi radicalmente revista na referência sobre os homossexuais, eliminando linguagem anterior mais positiva.
O resultado é uma derrota para o papa Francisco, que vinha defendendo que a igreja adotasse uma posição mais includente tanto aos homossexuais quanto aos católicos divorciados ou que voltaram a se casar.
Ao todo, 183 religiosos participaram da votação de cada um dos 62 parágrafos. Para que fosse aprovado, cada capítulo deveria receber dois terços de votos favoráveis. Três não atingiram essa maioria — dois sobre os homossexuais e um sobre o acesso dos divorciados que voltaram a se casar aos sacramentos da igreja.
Após uma primeira versão lançada na segunda-feira (13), os bispos conservadores prometeram alterar o texto, dizendo que houve confusão entre fiéis e ameaçou prejudicar a “família tradicional”.
Os dois parágrafos finais do documento que tratam dos homossexuais foi intitulado “atenção pastoral para com as pessoas com orientações homossexuais”. A versão anterior, de três parágrafos, era chamada de “boas-vindas aos homossexuais.”
A versão anterior falava em “aceitar e valorizar orientações sexuais (dos homossexuais)” e dar-lhes “uma casa acolhedora”. A versão final eliminou essas frases.
A nova versão usa um termo mais vago, repetindo declarações anteriores da igreja de que os gays “devem ser acolhidos com respeito e sensibilidade” e que a discriminação contra gays “deve ser evitada”.
A versão final sublinhou ainda que “não há fundamento absoluto” para comparar o casamento homossexual ao casamento heterossexual, chamando o casamento heterossexual “plano de Deus para o matrimônio e da família”.
Segundo o cardeal Gianfranco Ravasi, o papa Francisco vai decidir se o documento será “divulgado imediatamente”. Até o momento, o papa não se pronunciou sobre o assunto, “apesar de seu estilo ser de difusão de documentos”, acrescentou o cardeal, chefe da comissão que elaborou a mensagem do Sínodo.
O documento foi aprovado com 158 votos a favor, de um total de 174, ressaltou o porta-voz do Vaticano, padre Federico Lombardi.   Neste domingo (19) será encerrado oficialmente o encontro, que reuniu no Vaticano 253 bispos e membros da Igreja Católica. (Com agências internacionais)
Tags:
17 outubro, 2014

Cardeal Napier adicionado à Comissão para elaboração do Relatório Final do Sínodo.

Medida é tomada após comentários discriminatórios de Kasper sobre os bispos africanos. Segundo o purpurado alemão, os bispos da África não são levados em conta no Sínodo.

Por Catholicism.org | Tradução: Fratres in Unum.com – O  Catholic Herald informa que um Cardeal Sul-Africano sem papas na língua foi adicionado à comissão que irá elaborar o relatório final sobre o Sínodo:

O Papa Francisco acrescentou o cardeal Wilfrid Napier ao comitê de redação que irá produzir o relatório final sobre o Sínodo extraordinário sobre os desafios pastorais para a Família.

A nomeação é importante, porque o cardeal Sul-Africano fez críticas ao relatório preliminar produzido pela comissão de redação no início desta semana.

Essa iniciativa também pode ser um esforço para compensar a indignação causada por comentários inflamados do Cardeal Kasper fazendo pouco caso da contribuição dos Bispos da África do Sínodo. Alguns estão vendo essas declarações do cardeal alemão como racistas, xenófobicas e eurocêntricas.

Ironicamente, os comentários ultrajantes do cardeal foram feitos em nome de “globalismo” – que pode facilmente levar a desconsiderar as observações dos bispos alemães, que, afinal de contas, supervisionam um catolicismo demograficamente moribundo, produzidos pelo adesão ao liberalismo, libertinagem sexual e outros padrões não-católicos do mundo.

Tags:
16 outubro, 2014

Pedido de oração.

Caros amigos, Ave Maria Puríssima!

Pedimos encarecidamente suas orações pelo Reverendíssimo Padre Fabiano Micali de Almeida, CO – Vigário da Paróquia São Filipe Néri, no Parque São Lucas, em São Paulo, que sofreu um acidente de automóvel e se encontra em estado grave.

image

Padre Fabiano celebra a Santa Missa no Rito Tradicional todos os domingos na paróquia.

No mesmo acidente, dois senhores faleceram – RIP.

Outros seminaristas que estavam no carro passam bem.

São Filipe Néri, rogai por eles!

Tags:
15 outubro, 2014

Voice of the Family: relatório é uma “traição”. Kasper deveria se desculpar por comentários desdenhosos sobre bispos africanos.

Católicos Pró-família rejeitam o relatório preliminar do Sínodo, chamando-o de “traição”

Voice of the Family, uma coalizão de 15 grupos internacionais pró-família, emitiu um comunicado na segunda-feira de manhã. 

Por LifeSiteNews | Tradução: Teresa Maria Freixinho – Fratres in Unum.com – O relatório preliminar do Sínodo Extraordinário sobre a Família não passa de uma “traição” aos valores católicos e familiares, disse um influente grupo pró-vida.

Falando com todas as letras, o porta-voz britânico do Voice of the Family, John Smeaton, disse que “aqueles que estão controlando o Sínodo traíram os pais católicos. O relatório preliminar do Sínodo é um dos piores documentos oficiais elaborados na história da Igreja.”

“Felizmente,” disse Smeaton, “o relatório é preliminar para fins de discussão, ao invés de uma proposta definitiva.”

Da mesma forma, o representante irlandês Patrick Buckley disse que o relatório “representa um ataque ao matrimônio e à família” ao “efetivamente dar uma aprovação tácita às relações adúlteras.” Além disso, “o relatório enfraquece o ensinamento definitivo da Igreja contra a contracepção e deixa de reconhecer que a inclinação homossexual é objetivamente desordenada,” disse Buckley.

Patrick Craine, porta-voz americano do Voice of the Family, disse que o relatório “não constitui uma representação fiel das discussões sinodais. Muitos padres sinodais têm defendido bravamente o ensinamento da Igreja dentro e fora da Sala do Sínodo, ainda que a posição deles dificilmente esteja refletida no documento.”

“O relatório está certo ao pedir solicitude pastoral,” disse Craine, “porém, conforme enfatizava o Cardeal Ratzinger, solicitude só pode ser realizada na verdade. Da maneira como está redigido, o documento enfraquece o zelo pastoral autêntico e só pode causar danos graves, neste mundo e no que há de vir, àqueles a quem pretende ajudar.”

“Dar a Sagrada Comunhão a pessoas que não se arrependem de pecados sexuais mortais seria uma falsa misericórdia,” disse a coordenadora do Voice of the Family, Maria Madise, que afirmou que o relatório enfraquece as famílias católicas. “Será que os pais católicos serão forçados a dizer falsamente aos seus filhos que pecados mortais como o uso da contracepção, coabitação com parceiros ou vivência de estilos de vida homossexuais têm atributos positivos?”

“A misericórdia real consiste em oferecer às pessoas uma consciência limpa através do Sacramento da Penitência e, assim, a união com Deus,” concluiu Madise.

“É essencial que as vozes dos fiéis leigos que sinceramente vivem o ensinamento católico também sejam levadas em consideração,” disse Smeaton. “O Voice of the Family recomenda que os católicos não sejam complacentes ou cedam a um falso sentido de obediência em face dos ataques aos princípios fundamentais da lei natural no Sínodo.”

Sobre o Voice of the Family:

O Voice of the Family é uma coalizão leiga internacional formada pelas principais organizações pró-vida e pró-família para oferecer conhecimentos especializados e recursos aos líderes da Igreja, à mídia, a ONGs e governos antes, durante e depois do Sínodo sobre a Família da Igreja Católica. Essa coalizão inclui 18 influentes grupos pró-vida e pró-família em todo o mundo. Seus princípios estão concentrados na mudança da Cultura da Morte através do matrimônio sacramental, oposição à contracepção e ao aborto, bem como na capacitação dos pais.

O Voice of the Family consiste de 18 organizações associadas provenientes de 18 nações nos cinco continentes. Seus membros são: Alfa Szövetség/Alpha Alliance, Campagne Québec-Vie, Campaign Life Catholics, Campaign Life Coalition Canada, Catholic Democrats, Catholic Voice, CENAP, Culture of Life Africa, European Life Network, Famiglia Domani, Family Life International NZ, Hnutí Pro život ČR, Human Life International (HLI), Liga pár páru ČR, LifeSiteNews.com, National Association of Catholic Families (NACF), Profesionales por la Ética e Society for the Protection of Unborn Children (SPUC).

* * *

Cardeal Kasper deveria se desculpar por comentários desdenhosos sobre bispos africanos, diz coalizão pró-família.

Por The Voice of the Family | Tradução: Fratres in Unum.com – O Cardeal Walter Kasper deveria se desculpar por comentários desdenhosos feitos em uma entrevista, publicada hoje, sobre os bispos africanos e seu papel no Sínodo sobre a Família.

O Cardeal afirmou que os bispos africanos “não deveriam nos dizer muito o que devemos fazer” (Ver a nota dos editores abaixo). Kasper falava sobre a oposição dos bispos africanos à agenda homossexual. Esta agenda foi inserida no relatório preliminar do sínodo, publicado na segunda-feira para ampla perplexidade.

Maria Madise, coordenadora do Voice of the Family afirmou: “O Cardeal Kasper deveria pedir desculpas por seus comentários desdenhosos sobre os bispos africanos. Eles são condescendentes e discriminatórios. Os comentários de Kasper são similares aos que ele fez em 2010, quando disse que “quando você desembarca no aeroporto de Heathrow [em Londres], você às vezes pensa que desembarcou em um país de Terceiro Mundo”. (Ver “Pope aide pulls out of trip after Third World jibe“, BBC, 15 de setembro de 2010)

A Sra. Madise acrescentou: “Os bispos africanos têm o mesmo status no sínodo e têm todo direito de dizer que a Igreja universal deve manter sua oposição à agenda homossexual”.

Em junho, John Smeaton, co-fundador do Voice of the Family, foi aplaudido de pé pelos bispos da Nigéria por um discurso no qual ele os louvava, bem como a seus países, por sua cultura pro-família. O Sr. Smeaton declarou: “Os bispos de todo o mundo deveriam seguir a liderança e o discurso claro dos bispos nigerianos por políticas firmes contra a subversão da verdade e do significado da sexualidade humana”.

Nota dos Editores:

Da entrevista com o Cardeal Walter Kasper, por Edward Pentin, Zenit, 15 de outubro de 2014:

[Kasper]: O problema, também, é que há diferentes problemas de diferentes continentes e diferentes culturas. A África é totalmente diferente do Ocidente. Também os países asiáticos e muçulmanos são muito diferentes, especialmente sobre os gays. Não se pode falar sobre isso com africanos ou pessoas de países muçulmanos. Não é possível, é um tabu. Para nós, nós dizemos que não se deve discriminar, nós não queremos discriminar a certos respeitos.

[Pentin]: Mas os participantes africanos são ouvidos a este respeito [no sínodo]?

[Kasper]: Não, a maioria deles [que defende essas posições não falarão sobre elas].

[Pentin]: Não são ouvidos?

[Kasper]: Na África, claro que sim, onde isso é um tabu.

[Pentin]: Para o senhor, o que mudou a respeito da metodologia desse sínodo?

[Kasper]: Creio que, ao fim, deve haver uma linha geral na Igreja, um critério geral, mas as questões da África nós não podemos resolver. Deve haver espaço também para as conferências episcopais locais resolverem seus problemas, mas eu diria que com a África é impossível [para nós resolvermos]. Mas eles não deveriam nos dizer muito o que devemos fazer.

12 outubro, 2014

Nossa Senhora Aparecida, Rainha e Padroeira do Brasil.

Por Padre Elcio Murucci

Em 1954 Dom Carlos Carmelo de Vasconcelos Mota, Cardeal e Arcebispo Metropolitano de São Paulo, escreveu uma Carta Pastoral, verdadeira exaltação a Maria Santíssima. Dela daremos aqui aos caríssimos leitores apenas alguns trechos:

“Os filhos bem-nascidos e espiritualmente bem formados exultam sempre em conhecer a vida da criatura abençoada que lhes deu o ser e o materno leite e amor de mãe. Se assim é na ordem natural, mormente na ordem sobrenatural ou na ordem da vida da graça.

“Aquela que é Mater Divinae Gratiae tem todo o direito ao mais sublime amor e ao mais acendrado culto por parte de todos os verdadeiros cristãos, regenerados pelo divino sangue do Salvador dos homens. Pois este sangue redentor, Cristo o recebeu do seio imaculado e sempre virgem de Maria: Mariae, de qua natus est Jesus, qui vocatur Christus.

Continue lendo…

11 outubro, 2014

Sínodo entra em fase final com ambiente tenso em Roma.

O Papa surpreendeu os participantes do sínodo ao nomear seis homens próximos de si e vistos como liberais para ajudar a escrever o relatório do sínodo.  

Por Aura Miguel – RR: No final de uma semana de confrontos, onde ficou patente haver duas abordagens diferentes em relação aos temas mais polémicos, como o acolhimento a homossexuais ou pessoas em uniões irregulares, incluindo o acesso aos sacramentos por parte destes.

O Papa, que nunca falou mas ouviu tudo o que se disse na aula sinodal, nomeou, sem que nada o fizesse prever, seis pessoas para reforçar a comissão que deve fazer o relatório do sínodo. O cardeal Erdö, de Budapeste, continua à frente da mesma.

O facto está a preocupar aqueles que defendem manter a disciplina actual da Igreja em relação a estes temas, uma vez que todas as pessoas nomeadas pelo Papa são de tendência liberal, ao contrário de Erdö.

Entretanto os padres sinodais elegeram, através de voto secreto, os nomes dos responsáveis pelos grupos de trabalho linguísticos que, ao longo da próxima semana, irão debater questões mais específicas.

Aqui, porém, assistiu-se a um reforçar da posição conservadora, com figuras como o Cardeal Burke e o Cardeal Sarah, ambos tidos em alta conta pela ala conservadora, a serem eleitos, bem como o Cardeal Bagnasco.

Sinais de que a discussão está para durar e que até se poderá intensificar ao longo da próxima semana.

Tags:
11 outubro, 2014

Consagração do Brasil ao Imaculado Coração de Maria.

Pedimos a nossos leitores bispos e padres que recitem a consagração amanhã, na grandiosa festa de Nossa Senhora Aparecida, Rainha e Padroeira do Brasil.

Faça download do arquivo PDF aqui.

Tags: