Archive for ‘Igreja’

30 setembro, 2014

Os bastidores da nomeação de Chicago.

Como sucessor do Cardeal George, grande inspirador da atual orientação da Conferência Episcopal dos Estados Unidos, o Papa Francisco nomeou um bispo de orientação oposta. Eis aqui como e por quê. 

Por Sandro Magister | Tradução: Fratres in Unum.com – Cidade do Vaticano, 30 de setembro de 2014 – Enquanto ainda atordoado pela notícia da iminente remoção do Cardeal Raymond Leo Burke, o catolicismo mais conservador e tradicionalista dos Estados Unidos — e historicamente mais “papista” — sofreu um posterior golpe com a nomeação do novo arcebispo de Chicago.

A decisão de Francisco de eleger a Blase Joseph Cupich (na foto, à direita) como novo pastor da terceira diocese dos Estados Unidos submergiu em profunda depressão a este componente particularmente dinâmico do catolicismo norte-americano, quase à beira de um ataque de nervos. Basta percorrer as reações das páginas na internet e dos blogueiros daquela região do mundo para registrar o ofuscamento e a contrariedade pela nomeação.

Pelo contrário, a parte mais progressista do catolicismo americano, historicamente super crítica aos últimos pontificados, celebrou com entusiasmo a chegada de Cupich, definido pela imprensa laica como um “moderado”, qualificação recorrente nos Estados Unidos para assinalar um “liberal” não radical, mas ainda assim um “liberal”.

25 setembro, 2014

Dom Livieres se negou a renunciar e não pôde falar com Francisco.

Comunicado de Imprensa da Diocese de Ciudad del Este.

Tradução: Alexandre Semedo – Fratres in Unum.com: Mons. Rogelio Livieres Plano manteve duas reuniões realizadas esta semana em Roma, na Congregação para os Bispos, onde se lhe foi pedido fortemente que renunciasse a seu cargo pela falta de unidade na comunhão com os outros Bispos do Paraguai.

Apesar de ter pedido para ver os resultados da visita apostólica escrita, eles nunca lhe foram mostrados. Nem foi concedido o seu pedido para ser ouvido pelo Papa e para falar com ele no intuito de se defender e de esclarecer eventuais dúvidas.

Por respeito à sua consciência para os deveres que lhe tocam como pastor de uma diocese que, graças a Deus, floresceu e multiplicou seus frutos nos últimos anos, recusou a aceitar tal solicitação, que acredita infundada, e que é o resultado de um processo repentino e indefinido. No entanto, pela obediência à autoridade do Papa, aceitou com serenidade e tranquilidade a decisão a ser afastado do cargo.

A pedido do bispo que se retira, a diocese de Ciudad del Este aguarda com alegria e esperança seu novo Pastor, que a guiará ao Reino dos Céus, rezando desde já por quem deva assumir esta responsabilidade. Maria, Rainha da Paz e São Brás, padroeiro da Diocese, protejam e guiem a todos nestas circunstâncias difíceis. Quando o Bispo for devidamente notificado por escrito as decisões tomadas terão efeitos legais.

24 setembro, 2014

“Pobres dos fiéis católicos que frequentam as Santas Missas em muitas de nossas igrejas…”

Dom Antonio Rossi Keller, bispo diocesano de Frederico Westphalen, RS.

Dom Antonio Rossi Keller, bispo diocesano de Frederico Westphalen, RS.

“Pobres dos fiéis católicos que frequentam as Santas Missas em muitas de nossas igrejas… Submetidos tantas vezes às arbitrariedades de uma pseudo liturgia pautada por distorções, abusos, ridículas inserções de palmas, agitação de folhetos, danças, símbolos e mais símbolos que não simbolizam nada. Quanto abuso! Quanta arbitrariedade! Quanta falta de respeito não só para com Aquele para quem deveria dirigir-se a celebração, mas também para com os pobres fiéis que são obrigados a engolir esdrúxulas situações falsamente chamadas de “inculturação litúrgica”, mas que na verdade revelam falta de fé ou a ignorância das mais elementares verdades da fé em relação à Eucaristia, à Presença Real e outras. Pobres fiéis guiados por alguns pastores que arrotam slogans fundados em um palavreado eivado de conceitos atribuídos ao malfadado “espírito do Concílio” que na verdade, de conciliar nada tem… Tal espírito passa longe daquilo que a Igreja de Cristo é e pretendeu favorecer com a reforma litúrgica. Pobres fiéis, forçados a ter de engolir o que destrói a fé, o que na prática nega a centralidade do Mistério de Cristo, poluindo-o com a tentativa de desfocar este Mistério através da inserção de conceitos ideologizados sobre Deus, o homem, a criação e tantas outras realidades.

A “nobre simplicidade” apregoada pelo Concílio transformou-se em desculpa para um “pobretismo” litúrgico que se expressa em despojamento do elementar, em relaxo, sujeira, descaso e outros defeitos. Dá-se à Liturgia, portanto a Deus, o que há de pior: no mínimo, o que é de gosto duvidoso. Chegamos ao tempo em que quem obedece as Normas Liturgicas é acusado de rubricista. Ai de quem ousar usar os paramentos prescritos pela legislação litúrgica vigente. No mínimo será caracterizado como “romano”, o que na visão de muitos é considerado como uma ofensa. E quem celebrar usando com fidelidade os livros litúrgicos, “dizendo o que está em letras pretas e fazendo o que está em letras vermelhas” será execrado pelos apregoadores do “autêntico espírito do Concílio”. Sinceramente, é preciso muita, mas muita fé mesmo para não deixar de acreditar que ‘as portas do inferno não prevalecerão’, como nos ensina Nosso Senhor.”

Dom Antonio Carlos Rossi Keller, bispo de Frederico Westphalen.

Fonte: Bíblia Católica News

Nota do Fratres: A pedido de Dom Antonio, esclarecemos que ele realmente visitou o seminário de Ciudad del Este e, embora a informação conste no site daquela diocese, e apesar de considerar um ótimo seminário, o bispo de Frederico Westphalen não pretende enviar seus seminaristas para lá.

21 setembro, 2014

Papa recebe o Secretário Guido Pozzo da Comissão Pontifícia Ecclesia Dei – poucos dias antes da visita do Superior da FSSPX ao Vaticano.

Da agência católica de notícias suíça Apic/Kipa:

Roma, 19 de setembro de 2014 (Apic) – O Papa Francisco recebeu em audiência no dia 18 de setembro o Arcebispo Guido Pozzo, Secretário da Comissão Pontifícia “Ecclesia Dei”, encarregada das relações entre Roma e o meio tradicionalista.

O Superior da Fraternidade São Pio X, Bernard Fellay, de Valais, deve se encontrar pela primeira vez em um futuro próximo com o Cardeal Gerhard Ludwig Müller, prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé (CDF) [e Presidente da Comissão Pontifícia "Ecclesia Dei"], ao passo que o diálogo entre Roma e os lefebvristas parecia estar paralisado por vários meses.

Dom Fellay esteve no Vaticano em dezembro de 2013 a fim de se encontrar com o Arcebispo Pozzo [Nota: ele também se encontrou com o Papa Francisco na ocasião]. Ele confirmou à Apic no início de setembro que se encontraria com o Cardeal Gerhard Ludwig Müller na segunda quinzena de setembro de 2014. Ele especificou que seria um encontro informal, com a finalidade de fazer um balanço das relações entre a Fraternidade e Roma, interrompidas desde a partida do Cardeal William Joseph Levada, predecessor do Cardeal Müller, e desde a renúncia de Bento XVI.

A audiência papal de ontem com o Arcebispo Pozzo, alguns dias antes da data prevista do encontro entre o cardeal Müller e Dom Fellay (seria uma grande surpresa se Pozzo também não estivesse presente no encontro), foi publicada hoje no Bollettino.

[Fonte original em francês.]

Créditos: Rorate-Caeli

Tags:
21 setembro, 2014

Foto da semana.

580289_575982519128587_240315523_n

Neste [último] dia 19 de setembro ocorreu um dos eventos mais interessantes da Igreja. Não é um milagre como outros que conhecemos, mas um que acontece 3 vezes por ano.

Quando São Januário foi decapitado em 305, recolheram seu sangue em 2 ampolas, que foram encerradas numa teca de prata. O sangue passa a maior parte do tempo coagulado, algo natural. Contudo, no primeiro sábado de maio, no dia 19 de setembro e durante uma semana em dezembro, o seu sangue se liquefaz (foto) tal como estivesse dentro de uma pessoa viva. O milagre atrai muitas pessoas.

Na foto, o Cardeal Crescenzio Sepe, Arcebispo de Nápoles, mostra as ampolas com o sangue líquido novamente.

Fonte: Direto da Sacristia

Tags:
20 setembro, 2014

Papa cria Comissão para estudar reforma do procedimento de nulidade matrimonal.

É o que anuncia o Boletim da Sala de Imprensa da Santa Sé hoje. O propósito da reforma se insere no contexto do Sínodo que se inicia no próximo mês, isto é, proceder uma simplificação do atual processo.

Entre os membros da Comissão, não consta o nome do Cardeal Raymond Leo Burke, prefeito do Supremo Tribunal da Assinatura Apostólica e um dos maiores canonistas atualmente na Igreja. O tribunal chefiado por Burke é a segunda instância, superior, ao tribunal da Rota Romana, que cuida das causas de nulidade matrimonal. Ou seja, sua presença na Comissão seria mais do que natural…

18 setembro, 2014

Paz com o socialismo.

“Socialismo religioso, socialismo católico são termos contraditórios: ninguém pode ser ao mesmo tempo bom católico e verdadeiro socialista” (Pio XI, Quadragesimo Anno, n.º 119).

“Entre comunismo e cristianismo, o Pontífice [Pio XI] declara novamente que a oposição é radical. E acrescenta não poder admitir-se de maneira alguma que os católicos adiram ao socialismo moderado” (João XXIII, Mater et Magistra, n.º 31).

“O erro fundamental do socialismo é de caráter antropológico. De fato, ele considera cada homem simplesmente como um elemento e uma molécula do organismo social” (João Paulo II, Centesimus Annus, n.º 13).

* * *

Na contramão do bom senso e do ensinamento da Igreja Católica sobre o perigo dos regimes comunistas e socialistas, Dom Roberto Francisco Ferreria Paz, Bispo de Campos e Coordenador da Pastoral dos Católicos na Política no Estado do Rio, é apresentado como cabo eleitoral de um candidato a Deputado Federal de Niterói, onde Dom Roberto foi bispo auxiliar, pelo Partido dos Trabalhadores.

Em cartaz eleitoral, é atribuído a Dom Roberto o seguinte panegírico acompanhado por pedido descarado de voto:

Clique para ampliar.

Clique para ampliar.

“Falar do caríssimo vereador Marlos Costa é fazer referência a um dos políticos cristãos que apresentam um perfil qualificado e diferenciado pela sua ética, competência e compromisso com os pobres e excluídos. Sua gestão pública como vereador tem primado pelo respeito ao bem comum, a solidariedade e a busca da transparência, construindo um verdadeiro mandato comunitário e social. Colocar o Marlos no Congresso Nacional é agilizar o processo de reforma política, de consolidar uma legislatura em plena sintonia com o povo, com o desenvolvimento integral, solidário e responsável de aproximar os valores do Reino de Deus num espaço tomado pelo viés do fisiológico e os interesses privados. Vamos dar o nosso voto com consciência, alegria e esperança a este nosso irmão batalhador de todas as horas, presença constante na nossa pastoral de fé e política. Para a vitória da vida, da família, dos pequenos e da justiça social: Marlos Costa é uma indicação segura.”

+ Dom Roberto Francisco Ferreria Paz, Bispo de Campos.

Primeiro, esperamos sinceramente que esse apadrinhamento eclesiástico desavergonhado seja uma fraude e que Dom Roberto Paz não o tenha redigido nem autorizado sua divulgação.

Como assim, Excelência?

Por mais que o candidato possa ser bem-intencionado e tenha, dizem, propostas em prol dos pobres e excluídos, é fato público e notório que o partido ao qual se filiou obriga seus correligionários a aderirem à sua política socialista, abortista e gayzista. Conforme publicado recentemente neste blog, ‹‹ todo candidato filiado ao PT é obrigado a acatar as resoluções do partido, entre elas a resolução aprovada no 3º Congresso do PT, ocorrido em agosto e setembro de 2007, “Por um Brasil de mulheres e homens livres e iguais”, que inclui a “defesa da autodeterminação das mulheres, da descriminalização do aborto e regulamentação do atendimento a todos os casos no serviço público”. O Estatuto do PT põe como requisito para ser candidato pelo Partido “assinar e registrar em Cartório o ‘Compromisso Partidário do Candidato ou Candidata Petista’” (art. 140, c). Tal assinatura, diz o Estatuto, “indicará que o candidato ou candidata está previamente de acordo com as normas e resoluções do Partido, em relação tanto à campanha como ao exercício do mandato” (art. 140, §1º). Se o político contrariar uma resolução como essa, que apoia o aborto, “será passível de punição, que poderá ir da simples advertência até o desligamento do Partido com renúncia obrigatória ao mandato” (art. 140, §2º) ››.

Pelo visto, a plena comunhão com seus amigos tradicionalistas em Campos não fez efeito algum sobre o bispo uruguaio que, desgraçadamente, veio fazer estrago no Brasil. Seu histórico de feitos é longo: cidadão planetário, ativista do direito dos bosques e dos animais, arauto junto ao MST da “família humana sem fronteiras”, cujo diretório litúrgico deve ter sido redigido pela ONU — as colunas semanais do bispo quase sempre repercutem a agenda daquela entidade maçônica, comemorando grandiosíssimas festas como o dia internacional da Alfabetização, o dia internacional dos Desaparecidos… — Dom Roberto Paz (que recebeu o título de cidadão do Rio de Janeiro ao lado justamente de quem?… Do vereador para quem agora faz campanha…),  que vibrou com o “Flash Movíe” (?!) dos bispos na JMJ e amiúde cita artistas (indecentes) e filósofos modernos com toda pompa e eloquência, no alto de sua requintada cultura, é conhecido defensor da Teologia da Libertação.

Pois, então, explique-nos, senhor bispo, como um candidato filiado ao PT poderá representar a vitória da vida, da família e dos pequenos, como dito no panegírico acima, se seu partido é o maior promotor da cultura da morte em nosso país? Acaso devemos esquecer que os dois últimos deputados petistas que advogavam a favor do direito de nascer — Luiz Bassuma e Henrique Afonso — foram sumariamente expulsos das fileiras petistas pelo Diretório Nacional? Deveríamos nos espelhar no semelhante apoio dado ao deputado petista Alessandro Molón por influentes clérigos da cidade do Rio de Janeiro, cuja atuação “em favor dos pobres e excluídos” nunca incluiu um repúdio claro e consistente ao aborto ou aos chamados “casamentos” entre pessoas do mesmo sexo?

E mais, até quando dioceses, paróquias, encontros diocesanos e congressos de movimentos eclesiais servirão de palanque eleitoral para candidatos de partidos socialistas e comunistas sob não só o silêncio ou complacência de seus pastores, mas em muitos casos com seu explícito apoio?

Que nossos digníssimos promotores da Igreja dos pobres e para os pobres, intrépidos defensores da ficha limpa, enfim, façam uma faxina em seus próprios quintais e promovam a tal “reforma política”, não com plebiscitos enganadores, mas, primeiramente, abstendo-se de fazer o que há de mais sórdido da velha e suja política: captar votos de pessoas humildes utilizando-se do prestígio e autoridade moral que lhes confere a Igreja. Deixem de instrumentalizar a Casa de Deus em benefício de suas próprias agendas!

Santo Tomás Morus, rogai por nós!

* * *

ERRATA: Ao contrário do que havíamos divulgado, Dom Roberto Ferrería Paz não é vinculado ao Opus Dei.

17 setembro, 2014

Declaração do pe. Berardo Graz, coordenador da Comissão em Defesa da Vida do Sul 1 da CNBB.

Em mensagem dirigida à redação de Fratres in Unum.com e ao senhor bispo Dom Simão, Padre Berardo Graz presta esclarecimento sobre o folheto “Em defesa da vida ou a favor do Aborto?” divulgado pela comissão da qual é coordenador. De boa vontade atendemos à solicitação do Reverendíssimo sacerdote de excluir um dos signatários do folheto, bem como damos a conhecer abaixo a íntegra de sua mensagem.

Como Coordenador da Comissão em Defesa da Vida do Regional Sul 1 da CNBB, VENHO A PÚBLICO  para esclarecer e por fim à celeuma ocasionada pela assinatura do Prof. Hermes Rodrigues Nery no Folheto elaborado pela Comissão: “Eleições 2014: em Defesa da Vida ou a Favor do Aborto”.

01) O Prof. Hermes Rodrigues Nery é de fato o coordenador da Comissão Diocesana em Defesa da Vida de Taubaté e membro desde sua criação da Comissão Regional, por isso a assinatura dele no Folheto em questão.

02) O Prof. Hermes é também candidato a Deputado Federal

03) O Folheto “Eleições 2014: em Defesa da Vida ou a Favor do Aborto” não tem nenhuma conotação de propaganda eleitoral. Trata-se de um texto para reflexão a partir de fatos concretos. Aliás a Comissão Regional em Defesa da Vida não tem caráter partidário e sim eclesial, sendo uma Comissão Episcopal com Dom Benedito Simão como Presidente, nomeado pelos Bispos do Regional Sul 1 da CNBB. Não tendo caráter partidário a Comissão não faz propaganda par nenhum candidato, incentivando porém os cristãos leigos a assumirem sua militância partidária dentro da fidelidade à Igreja e seu Magistério.

04) Tendo consultado seja Dom José Benedito Simão como os demais membros da Coordenação, DETERMINAMOS que a partir da data hodierna sejam retirados todos os exemplares do Folheto, que trazem a assinatura do Prof. Hermes, e sejam divulgados somente os exemplares sem a assinatura dele.

Da mesma forma pedimos que sejam retirados dos sites, onde foi publicado o Folheto, os exemplares com a assinatura do Prof. Hermes e sejam publicados somente os exemplares sem a assinatura dele.

05) As associações que não aderirem a esta determinação arcarão diretamente com as consequências da justiça eleitoral e sem dúvida  não estarão ajudando nem a Defesa da Vida, nem o Prof. Hermes, que aderiu serenamente a esta determinação.

Pe. Berardo Graz

Coordenador da Comissão em Defesa da Vida do Regional Sul 1,

Presidida por Dom José Bendito Simão, Bispo de Assis – SP

Tags:
16 setembro, 2014

Summorum Pontificum no Brasil: Santa Missa em São Carlos, SP.

Celebrante: Pe. Renato Arnellas Coelho
Domingo, 21 de setembro de 2014.
Horário: 11h.
Local: Santuário de Adoração São Pio X
Av. José Pereira Lopes, 386. São Carlos–SP
(ao lado do Seminário diocesano)
Mapa

Divulgação realizada a pedido do leitor Miguel Frasson.

13 setembro, 2014

Foto da semana.

“… Felizes sois vós quando vos injuriarem e perseguirem e, mentindo, disserem todo mal contra vós por causa de Mim. Alegrai-vos e exultai, porque é grande a vossa recompensa nos céus…”

(Evangelho segundo São Mateus Apóstolo, cap. 5,vers. 10-12)

foto

Maaloula, Aleppo, Mosul, Qaraqosh… Enclaves católicos sujeitos ao silêncio e à indiferença, sob o preço da dessacralização sistemática e do martírio de sangue. Longe dos interesses dos poderosos deste mundo, a verdadeira Igreja chora no Iraque e na Síria – assim como na na Nigéria, no Egito, no Líbano e na Líbia.

Ah, se os poderosos dessem ouvido ao que disse, no século XIV, o imperador bizantino Manuel Palaiologus a um emissário persa (muçulmano), como lembrado pelo Papa Emérito Bento XVI em Regensburg:

“Mostre-me o que Maomé trouxe de novo… E aí você encontrará apenas coisas más e desumanas, como o comando de espalhar pela espada a fé que ele pregou”

E ainda nos pedem o diálogo e a “paz”?

“… Mas vós, Senhor Deus, tratai-me segundo a honra de vosso nome. Salvai-me em nome de vossa benigna misericórdia, porque sou pobre e miserável; trago, dentro de mim, um coração ferido.

Vou-me extinguindo como a sombra da tarde que declina, sou levado para longe como o gafanhoto.

Vacilam-me os joelhos à força de jejuar, e meu corpo se definha de magreza.

Fizeram-me objeto de escárnio, abanam a cabeça ao me ver.

Ajudai-me, Senhor, meu Deus. Salvai-me segundo a vossa misericórdia.

Que reconheçam aqui a vossa mão, e saibam que fostes vós que assim fizestes.

Enquanto amaldiçoam, abençoai-me. Sejam confundidos os que se insurgem contra mim, e que vosso servo seja cumulado de alegria…”

(Livro dos Salmos, cap. 108, vers. 21-28)

Tags: